Monthly Archives: April 2013

PANICO – they never stop!!!! “Start me up”

Advertisements

Comments Off on PANICO – they never stop!!!! “Start me up”

Filed under Uncategorized

Revista Quem – Abr 2013

Revista Quem - Abril 2013

Quem1

Quem3

Quem4

Quem5

Comments Off on Revista Quem – Abr 2013

April 18, 2013 · 8:43 pm

Versão abre-viada de PANICO – Shortened version of PANICO

Comments Off on Versão abre-viada de PANICO – Shortened version of PANICO

Filed under Uncategorized

PANICO et Circenses! http://paniconaband.band.uol.com.br/videos/14407737/Assista-a-polemica-materia-com-Gerald-Thomas.html

“O Programa Pânico da Band teve três horas de duração (de 21h até às 00h) e o assunto principal foi a repercusão das redes sociais. A todo momento eles mostravam as fotos publicadas é discutiam se foi assédio ou se foi humor. O apresentador diversas vezes comentou que se estava criticando por uma imagem e não pela matéria que ainda não tinha ido ao ar. E a matéria foi ótima. Apareceu o Ney Latorraca, o Marco Nanini, a Giulia Gam e o Arnaldo Jabor. No final mostraram tudo: início, meio e fim. Apareceu um senhor (que eu não sei quem é), mas pela fala parecia um sociólogo ou psicanalista. Ele analisou o caso e afirmou que o que se estava fazendo era teatro. E disse ainda que até ele agarraria a Nicole Bahls. Foi ótimo! “

Quem me escreveu isso foi o Ney Motta, meu divulgador, ja que não estou no Brasil e não assisti. AGORA GENTE, VOLTEM A TER UMA VIDA. Comam direitinho, se alimentem, se nutram e não se preocupem tanto assim com o que nós, pessoas “podres” do teatro, fazemos ou não fazemos.

Os gregos eram piores!!!!

Ah, by the way, endosso as palavras do escritor e jornalista Edward Pimenta:

“O feminismo conquistou direitos básicos para as mulheres e pavimentou as calçadas para as divertidas moças da banda Pussy Riot. E também para o grupo Femen e as seguidoras da Slutwalk (Marcha das vadias, em português).

As moças promovem manifestações públicas suprapartidárias para defender a mulher. Os temas são sexismo, turismo sexual, direito ao parto em casa, a violência doméstica, a opressão da mulher na Rússia, o direito da mulher se vestir de maneira sensual sem ser achacada por homens nas ruas.

Elas têm a atitude punk que antes era primazia dos meninos. Gritam e fazem vandalismo. Uma conquista da cena Riot Grrrl, que começou nos anos 90 quando as meninas deixaram de ser apenas backing vocals das bandas hardcore e começaram a cuspir.

Elas têm ostensiva presença digital, domínio das redes e do funcionamento da mídia. Emplacam mostrando os peitos e as partes pudendas. O Femen é um grupo de protesto fundado em 2008 por Anna Hutsol, com base na cidade de Kiev. A banda Pussy Riot é uma banda russa de punk rock que entoa melodias contra a Igreja e o governo de Putin. A Slutwalk é um movimento mundial que surgiu no Canadá, em 2011, quando foi empreendida a primeira marcha.

Camille Paglia, que é quase uma brasilianista, grande admiradora de Daniela Mercury, explica bem a Slutwalk.

Considera que essas marchas de moças incautas ignoram a natureza selvagem do sexo. São ingênuas, inócuas. Vamos à própria Camille, em texto para a imprensa britânica, em 2011:

“Prostitutas, strippers, pornografia, estes são os meus ideais da Babilônia. Em livros como Vamps & Tramps, lutei pró-feminismo contra os hipócritas e filisteus do Establishment feminista.

A rápida expansão global da Slutwalk demonstra a energia e as aspirações das jovens feministas. Mas sua mensagem confusa é um sintoma do caos sexual e anomia da burguesia ocidental.

Não chame a si mesmo de vagabunda, a menos que você esteja preparada para viver e defender-se como uma. Meu credo é um feminismo alerta, cauteloso, militante, o duro código de sobrevivência de prostitutas e drag queens.

O sexo é uma força da natureza, e não apenas uma construção social. (…) Meninas superprotegidas de classe média  têm uma visão perigosamente ingênua do mundo. Elas não conseguem ver a animalidade e primitivismo do sexo, historicamente controlada pelas tradições da religião e da moralidade, agora firmemente dissolvendo-se no Ocidente. A revolução sexual vencida pela minha geração nos anos 1960 é uma faca de dois gumes.”

Até onde pude acompanhar, a ingenuidade e o despreparo intelectual nortearam até aqui a repercussão do affair Gerald Thomas-Nicole Bahls. O dramaturgo chegou a ser acusado de tentativa de estupro! As feministas que sempre trataram as chacretes do Pânico como a escória são as mesmas que agora defendem uma delas como vítima do “machismo” e aludem a uma certa “cultura do estupro”. Olha aqui, vamos conversar, senta aqui, come the fuck on.

Entenda o caso, é meio surreal.”

Eu, Gerald, vou mais longe: Surreal é uma ova. (Sorry, Edward).  O caso é SOBRENATURAL, é um OVNI. No Facebook , me acusam de estupro e coisa pior (querem que eu morra, etc). O que eu fiz na verdade? Fiz parte do jogo que me foi proposto: levantei a saia já levantada da Nicole que veio se roçando e rebolando e inverti o jogo do inverso pro anti-verso. E nada mais.

E isso constitui estupro? Jura? Onde?

Esta bem senhores e senhoras do Brasil, eu entendo. Eu fui o bode espiatorio de voces. Ocupei vossas mentes. Ta bem. Sei disso. Vossas indignações com a nação e o estado das coisas no Brasil foram dirigidas a mim: caibo bem nesse papel e aceito ele.

Talvez  por isso, esse caso os tenha ocupado e preocupado TANTO durante esses dias porque…..bem, praque os senhores não precisassem enxergar os GRANDES problemas que vos afligem, desde a politica até a ética, a moral (e tudo junto) daqueles que vos regem de Brasilia pra baixo. Sei que voces não se preocupam muito com a Coreia do Norte.

Me agradeçam – portanto –  por ter sido o bobo da corte (o Puck) da semana!!!

Como disse antes, os Gregos foram piores !!! Os Romanos então..ihh…

Gerald Thomas

CLICK ON THE LINK BELOW  TO SEE WHAT THE FUSS WAS ALL ABOUT:

CLIQUE NO LINK ABAIXO PRA ASSISTIR O QUE FOI ESSA “POLEMICA” TODA:

http://paniconaband.band.uol.com.br/videos/14407737/Assista-a-polemica-materia-com-Gerald-Thomas.html

Or (more complete)

http://www.youtube.com/watch?annotation_id=annotation_810413&feature=iv&src_vid=14Py0-I-koA&v=sjMAA9ofQlU

OR

http://paniconaband.band.uol.com.br/videos/14407737/Assista-a-polemica-materia-com-Gerald-Thomas.html

parabens PANICO!!!

UPDATE – 22 APRIL 2013

PANICO AIRED 21 APRIL 2013

HAVE FUN!!!
http://www.youtube.com/watch?v=8vz0pkcWQs4

Comments Off on PANICO et Circenses! http://paniconaband.band.uol.com.br/videos/14407737/Assista-a-polemica-materia-com-Gerald-Thomas.html

Filed under Uncategorized

Gerald Thomas, Nicole e o Livro, by Edward Pimenta + O GLOBO ONLINE

GERALD THOMAS, NICOLE E O LIVRO

O affair GT versus NB

O affair GT versus NB

O mundo mudou para melhor.

Há poucas décadas as mulheres andavam nas ruas acompanhadas de seus pais e/ou irmãos como forma de se proteger contra investidas de homens que fossem achacá-las moral ou sexualmente.

O feminismo conquistou direitos básicos para as mulheres e pavimentou as calçadas para as divertidas moças da banda Pussy Riot. E também para o grupo Femen e as seguidoras da Slutwalk (Marcha das vadias, em português).

As moças promovem manifestações públicas suprapartidárias para defender a mulher. Os temas são sexismo, turismo sexual, direito ao parto em casa, a violência doméstica, a opressão da mulher na Rússia, o direito da mulher se vestir de maneira sensual sem ser achacada por homens nas ruas.

Elas têm a atitude punk que antes era primazia dos meninos. Gritam e fazem vandalismo. Uma conquista da cena Riot Grrrl, que começou nos anos 90 quando as meninas deixaram de ser apenas backing vocals das bandas hardcore e começaram a cuspir.

Elas têm ostensiva presença digital, domínio das redes e do funcionamento da mídia. Emplacam mostrando os peitos e as partes pudendas. O Femen é um grupo de protesto fundado em 2008 por Anna Hutsol, com base na cidade de Kiev. A banda Pussy Riot é uma banda russa de punk rock que entoa melodias contra a Igreja e o governo de Putin. A Slutwalk é um movimento mundial que surgiu no Canadá, em 2011, quando foi empreendida a primeira marcha.

Camille Paglia, que é quase uma brasilianista, grande admiradora de Daniela Mercury, explica bem a Slutwalk.

Considera que essas marchas de moças incautas ignoram a natureza selvagem do sexo. São ingênuas, inócuas. Vamos à própria Camille, em texto para a imprensa britânica, em 2011:

“Prostitutas, strippers, pornografia, estes são os meus ideais da Babilônia. Em livros como Vamps & Tramps, lutei pró-feminismo contra os hipócritas e filisteus do Establishment feminista.

A rápida expansão global da Slutwalk demonstra a energia e as aspirações das jovens feministas. Mas sua mensagem confusa é um sintoma do caos sexual e anomia da burguesia ocidental.

Não chame a si mesmo de vagabunda, a menos que você esteja preparada para viver e defender-se como uma. Meu credo é um feminismo alerta, cauteloso, militante, o duro código de sobrevivência de prostitutas e drag queens.

O sexo é uma força da natureza, e não apenas uma construção social. (…) Meninas superprotegidas de classe média  têm uma visão perigosamente ingênua do mundo. Elas não conseguem ver a animalidade e primitivismo do sexo, historicamente controlada pelas tradições da religião e da moralidade, agora firmemente dissolvendo-se no Ocidente. A revolução sexual vencida pela minha geração nos anos 1960 é uma faca de dois gumes.”

Até onde pude acompanhar, a ingenuidade e o despreparo intelectual nortearam até aqui a repercussão doaffair Gerald Thomas-Nicole Bahls. O dramaturgo chegou a ser acusado de tentativa de estupro! As feministas que sempre trataram as chacretes do Pânico como a escória são as mesmas que agora defendem uma delas como vítima do “machismo” e aludem a uma certa “cultura do estupro”. Olha aqui, vamos conversar, senta aqui, come the fuck on.

Entenda o caso, é meio surreal.

Incrível como ninguém tratou do mais importante: o belo livro de desenhos lançado pelo autor nesta semana. Escrevi sobre o assunto e entrevistei Thomas, reproduzo o resultado abaixo.

xxxxxxxxxxxxxxx

De certa forma, o teatro de Gerald nasceu do seu talento como desenhista

Acaba de sair o livro de desenhos do Gerald Thomas,  Arranhando a superfície [Scratching the Surface].Publicado pela Editora Cobogó, com organização e apresentação da editora Isabel Diegues e textos de Zuenir Ventura e Antonio Gonçalves Filho, a publicação reúne mais de 130 desenhos feitos pelo autor, entre capas de revistas, cartazes, estudos para suas peças e ilustrações publicadas no The New York Times.

Você pode comprar o livro aqui. São 224 páginas, R$ 80,00.

GT

Gerald Thomas era um garotão cheio de planos no começo da década de 1980. Muitos planos, nenhum dinheiro no bolso e todas as oportunidades de uma cidade como Nova York. Foi quando então virou-se para Daniela Thomas, com quem era casado, e viu-se tentado pela ideia de buscar uns frilas como ilustrador nos jornais e revistas da cidade.

De certa forma, Gerald Thomas — a quem doravante chamarei GT – começou ali. Foi desenhando e pintando para o Times e revistas como Atlantic MonthlyMother Jones eVanity Fair que consolidou o talento para as artes visuais, base de todo o seu trabalho posterior no teatro, este amplamente conhecido.

São trinta anos desde os primeiros desenhos publicados. T-R-I-N-T-A anos.

– Mas como foi mesmo, GT, que você começou a frilar para o The New York Times?

– Eu sempre desenhei, pintei. Aliás, muito antes do teatro, essa é a minha formação, via Ivan Serpa e Hélio Oiticica, Ziraldo e, mais tarde, Saul Steinberg. Era 1981 e tínhamos acabado de participar da The Tempest, no Delacort Theater (de Joe Papp) no Central Park. Liguei pro departamento de arte da OpEd page do Times. Me passaram pra Jerelle Kraus. A norma era de deixar o portfólio na portaria todas as quartas e receber um bilhetinho. Ela deve ter ido com a minha voz e disse “passa aqui”. Fui andando a pé da Mercer St. com 4th Street até a rua 43, onde era o Times, com a pasta debaixo do braço. Fiquei lá umas três horas e saí com um “assignment” já pro próximo dia. Era sobre “a perda de identidade” no mundo, e mandei ver. Tinha que levar o desenho no dia seguinte antes das 15h. Levei. Ela amou. As 11h30 da noite daquele mesmo dia, já estava nas bancas: meia página da OpEd com a minha primeira ilustração. No dia seguinte ela me ligou. Tinha outro assignment. E mais outro e mais. E assim passaram-se quatro anos ou mais: prisioneiro do NYTimes. Cada desenho me pagava 350 U$, imagina isso no início dos anos 80. É, obvio, vieram mais convites. Veio o Boston Globe Magazine, o Atlantic Monthly, o Mother Jones, Vanity Fair e tantos outros. Fiz uma fortuna.

Reprodução de página do NYT com ilustração de GT no backdrop da peça Um circo de rins e fígados

– Fale um pouco sobre o livro que vai reunir seus desenhos

– Está saindo pela Cobogó Editora, em inglês e português, 180 páginas, 360 desenhos/pinturas/ilustracoes e scribbles. Quem está paginando é o Victor Hugo Ceccato. Olha o link abaixo com uma prévia do livro:

http://geraldthomas.net/OP-Illustrations-Book-1of2.html

– A professora Silvia Fernandes tem um livro chamado “Gerald Thomas em cena”, em que ela reproduz alguns de seus “cadernos de direção” e, a partir da análise deles, faz considerações sobre o seu processo criativo no teatro. Tudo começa a partir do desenho? O texto vem depois, GT?

– Acho que sim. Mesmo que não seja do desenho ou pintura em si, vem de uma “situação visual”, por falta de um termo melhor. O texto vem junto. Tem desenhos em que o texto está rascunhado pelas bordas da página. Isso quando não vem já no corpo do desenho em si. A luz também está ali.

Ilustração para o New York Times OpEd Page circa 1982 – coffee, mixed media

– GT, você topa responder à minha versão condensada do Questionário Proust?

– Ahá, chegamos ao ponto mais baixo de nossas vidas !!! São as perguntas básicas do JA, o jornal que o Tarso de Castro fez antes de morrer. Já te respondo.

Sua virtude preferida – A de ouvir as pessoas e ser grato aos meus mentores.

Suas qualidades preferidas em um homem – Que ele se cale sobre suas virtudes sexuais porque é sempre bullshit.

Suas qualidades preferidas em uma mulher – O tamanho do salto alto.

Seu principal defeito? – O tamanho do meu salto alto.

Sua ideia de felicidade? – Ganhar um salto alto maior. Salto Alto, California.

Onde gostaria de viver? –  No King David Hotel em Jerusalem.

Seus autores favoritos? – “Vivos ou mortos? Ou aqueles que ainda não decidiram?”

Seus heróis preferidos na ficção – “Kafka e o cara aqui da esquina da 3 Avenida que faz fotocópias!!!”

Sua bebida preferida? – “Açaí orgânico, pela Sambazone em forma de smoothie.”

Sua comida preferida? – “Pato no tucupi.”

Qual o seu estado de ânimo atual? – “Deprimido como sempre.”

Seu lema – “Olhar a cor do sinal de trânsito e tentar fazer o contrário porque em Londres tudo é ao contrário.”

_________________________________________________________

O GLOBO ONLINE

Dois momentos de inspiração. Gerald Thomas com Paula Burlamaqui e com Nicole Bahls em lançamento de livro na Travessa Foto: André Medeiros
Dois momentos de inspiração. Gerald Thomas com Paula Burlamaqui e com Nicole Bahls em lançamento de livro na Travessa André Medeiros

RIO – Personagem da polêmica envolvendo a equipe do “Pânico” durante gravação do humorístico da Band, Gerald Thomas comenta na coluna ‘Gente Boa’ (publicada diariamente no jornal O Globo) desta sexta-feira sua atitude ao enfiar a mão no vestido da ex-panicat Nicole Bahls.

— Meti a mão na menina. E tudo termina nos panos quentes, CPI que acaba em pizza, como todas as coisas no Brasil, esse paisinho de quarto mundo, Corsa que quer ser Mercedes.

O diretor teatral também falou sobre o episódio em seu blog; disse que fez o que muitos gostariam de fazer entre quatro paredes. “Eu, Gerald Thomas, faço a olho nu, na frente dos fotógrafos, das câmeras, das luzes, o que esse bando de carecas e pseudomoralistas gostaria de estar fazendo atrás de portas fechadas, com as luzes apagadas!”.

Thomas ainda criticou a abordagem da mídia sobre o fato: “O programa se chama P’ânico’ ! E eles vêm com tudo! Mas são gente finíssima. Depois das brincadeiras, câmeras e luzes apagadas, nós nos damos as mãos (tanto em SP quanto aqui no Rio) e rimos de tudo, nos damos abraços e falamos ‘valeu, foi ótimo!’ Um dia depois, a imprensa ESCROTA (mas é o trabalho dela), explora somente o lado sensasionalista da coisa: “GERALD THOMAS ESTUPRA NICOLE BAHLS!!”

E encerrou o texto com o que chamou de alerta: “A mulher não é um objeto. Mas não deveria se apresentar como tal”.

A confusão aconteceu na Livraria Travessa, no Shopping Leblon, quando Thomas lançava o livro “Arranhando a superfície”, da Cobogó. De acordo com a coluna de Joaquim Ferreira dos Santos, Thomas enfrentou a equipe do programa “Pânico” com as mesmas armas dos humoristas, sempre invasivos. Primeiro enfiou a mão embaixo do vestido da ‘ex-panicat’ Nicole Bahls, depois tentou abaixar a braguilha do humorista Daniel Zukerman. Para a repórter que pediu que falasse do “projeto” (o livro), Gerald mandou: “Meu projeto é fazer um filho em você hoje à noite”.

Ao avistar Paula Burlamarqui na Travessa, Gerald Thomas disparou: “Essa foi a única que não comi. Por que ela não quis!”. Depois, os dois se atracaram num beijo de tirar o fôlego. O registro estará na coluna ‘Gente Boa’ deste sábado, especial sobre o dia do beijo.

———————————————————————————————————-

Gerald Thomas
Site Summary
  
  VISITS
  
Total 1,194,030
Average Per Day 6,908
Average Visit Length 0:06
Last Hour 667
Today 4,737
This Week 48,354
  PAGE VIEWS
  
Total 2,026,041
Average Per Day 7,545
Average Per Visit 1.1
Last Hour 752
Today 5,487
This Week 52,817

SUNDAY NIGHT UPDATE

Gerald Thomas
Site Summary
  
  VISITS
  
Total 1,194,131
Average Per Day 8,227
Average Visit Length 0:09
Last Hour 1,789
Today 5,174
This Week 57,589
  PAGE VIEWS
  
Total 2,026,193
Average Per Day 9,080
Average Per Visit 1.1
Last Hour 2,093
Today 6,243
This Week 63,562

Comments Off on Gerald Thomas, Nicole e o Livro, by Edward Pimenta + O GLOBO ONLINE

Filed under Uncategorized

“PANICO” – much ado about nothing – all a joke amongst artists: 50 thousand visits every 4 hours!

needs no explaining

needs no explaining

AMANHA, irá ao ar o tal Panico, versão Rio e São Paulo. Acabei gravando ontem um trechinho (um link), um pate papo com a Nicole e, acredito – não tenho certeza, que quando for ao ar, todos esses que me maldizem vão QUEBRAR A CARA e nós, da classe (entre eles, Nanini, Fernandona, Latorraca, Groisman, etc) vamos rolar de rir no chão – e aqueles que dizem que nao tenho talento algum (ja ha decadas – mas tambem ouvimos isso de Beethoven, Warhol, etc) estarao de volta catando grama ou contando suas vacas….Enfim, como dizia Duchamp…..”Eu ja estarei longe do país”

Update: vejam no fim dessa carta, um comentario do diretor de Panico.

Caros,

O programa se chama “PANICO” ! E eles vem com tudo! Mas são gente finíssima. Depois das brincadeiras, cameras e luzes apagadas, nós nos damos as mãos (tanto em SP quanto aqui no Rio) e rimos de tudo, nos damos abraços e falamos “valeu, foi ótimo!”.

Um dia depois, a imprensa ESCROTA (mas é o trabalho dela), explora somente o lado sensasionalista da coisa: “GERALD THOMAS ESTUPRA NICOLE BAHLS!!”

ESTUPRA? Como assim? So levantei a saia de alguem que estava usando trajes ousadamente ‘putos’, sentando no meu colo e …nada mais. Mas ISSO TAMBEM é teatro.

ORA BAHLS!!!

Vem uma menina, de (praticamente) bunda de fora, salto alto de “fuck me”, seios a mostra, dentro de um contexto chamado PANICO e eu (que não deixo me intimidar e gosto desse pessoal) entro no jogo e viro as cartas – e os intimido ! (que nada! Brincadeira também!) (TUDO BRINCADEIRA, GENTALIA HIPOCRITA que abriu uma facebook Page e debate e me massacra e passa dias editorializando e “moralizando”uma questão tão simples e tão absolutamente inútil:

 Eu, Gerald Thomas, faço a olho nu, na frente dos fotógrafos, das câmeras, das luzes, o que esse bando de carecas e pseudo moralistas gostaria de estar fazendo atrás de portas fechadas, com as luzes apagadas! EYES WIDE SHUT

Vou repetir:

Eu, Gerald Thomas, faço a olho nu, na frente dos fotógrafos, das câmeras, das luzes, o que esse bando de carecas e pseudo moralistas gostaria de estar fazendo atrás de portas fechadas, com as luzes apagadas! EYES WIDE SHUT

End of Story.

 Somos todos da classe teatral e nossa função é apontar as VOSSAS falhas. E se VOCES se revoltam TANTO, então, já fico contente porque os alertei pra alguma coisa. O que? SIM:

1-        A mulher não é um objeto. Mas não deveria se apresentar como tal

2-        E os homens jamais deveriam se utilizar desse objeto de forma alguma

Seja como for: a única coisa que REALMENTE FIZ foi; tentar levantar a saia de Nicole Bahls e, pela expressão da cara dela nas fotos, she must have had a bahls!

UPDATE: a saga continua: gravei um take para o programa que irá ao ar no Domingo. Aqui, algumas palavras do diretor de PANICO:

http://ofuxico.terra.com.br/noticias-sobre-famosos/o-cara-e-dos-nossos-diz-diretor-do-panico-sobre-polemica-com-gerald-thomas/2013/04/11-168485.html

E da Folha de Sabado:

http://www1.folha.uol.com.br/ilustrada/1261980-apos-apalpar-apresentadora-nicole-bahls-gerald-thomas-ira-ao-panico.shtml

Edward Pimenta

http://epimenta.wordpress.com/2013/04/12/arranhando-a-superficie-traz-130-desenhos-de-gerald-thomas/

…e ainda iremos ter férias num Gulag Siberiano!!!!

 Gerald Thomas

PS: Comentario tirado do Facebook por Daniel Brisolara

É, cara, brilhante, vc foi brilhante, vc foi agressivo, invasivo, igual eles, conseguiu causar constrangimento como eles, parabéns cara! Todas as críticas e condenações que eles sempre mereceram, você agora merece também! Estava querendo ganhar alguma audiência, conseguiu! É isso, excelente. Babaca, tosco, seu lixo. Quer dizer, então, que se as feministas criticam as panicats, por exporem seus corpos, por se comportarem seguindo os ditames do machismo, então Gerald LIXO Thomas está autorizando a fazer o que bem entender com elas? A invadir seus corpos, tentar apalpá-las, constrangê-las, ou até estuprá-las?! As feministas lhe deram essa autorização teórica?! Em qual livro feminista vc leu isso?! Será que Camille Paglia ajudaria a levantar o vestido de Nicolle para que vc obtivesse êxito na sua empreitada ESTÚPIDA?! Será que está escrito lá no Segundo Sexo que se a mulher se portar como objeto, os homens estão autorizados a estuprá-la?! QUE LIXO, QUE BURRICE, QUE MERDA alguém pensar assim. Cara, cale a boca e aceite logo a merda que vc fez. NADA JUSTIFICA, NADA!

__________________________________________________________

Gerald Thomas
Site Summary
  
  VISITS
  
Total 1,193,844
Average Per Day 281
Average Visit Length 1:19
Last Hour 8,332
Today 10,583
This Week 1,967
  PAGE VIEWS
  
Total 2,025,819
Average Per Day 400
Average Per Visit 1.4
Last Hour 8,660
Today 11,346
This Week 2,803

15 minutes later

Gerald Thomas
Site Summary
  
  VISITS
  
Total 1,193,844
Average Per Day 281
Average Visit Length 1:19
Last Hour 8,332
Today 12,255
This Week 1,967
  PAGE VIEWS
  
Total 2,025,819
Average Per Day 400
Average Per Visit 1.4
Last Hour 8,660
Today 13,090
This Week 2,803

Update ate 3:30pm

Gerald Thomas
Site Summary
  
  VISITS
  
Total 1,193,844
Average Per Day 281
Average Visit Length 1:19
Last Hour 6,463
Today 28,270
This Week 1,967
  PAGE VIEWS
  
Total 2,025,819
Average Per Day 400
Average Per Visit 1.4
Last Hour 6,914
Today 30,123
This Week 2,803

UPDATE at 6:45PM

Gerald Thomas
Site Summary
  
  VISITS
  
Total 1,193,844
Average Per Day 281
Average Visit Length 1:19
Last Hour 3,517
Today 40,932
This Week 1,967
  PAGE VIEWS
  
Total 2,025,819
Average Per Day 400
Average Per Visit 1.4
Last Hour 3,820
Today 43,756
This Week 2,803

More than 45.000 Visits – THANK YOU!!!

__________________________________________________________

Saturday morning UPDATE:

Gerald Thomas
Site Summary
  
  VISITS
  
Total 1,194,030
Average Per Day 6,908
Average Visit Length 0:06
Last Hour 247
Today 2,497
This Week 48,354
  PAGE VIEWS
  
Total 2,026,041
Average Per Day 7,545
Average Per Visit 1.1
Last Hour 289
Today 2,934
This Week 52,817

Comments Off on “PANICO” – much ado about nothing – all a joke amongst artists: 50 thousand visits every 4 hours!

Filed under Uncategorized

Gerald Thomas no programa do Jô

http://globotv.globo.com/rede-globo/programa-do-jo/t/videos/v/gerald-thomas-esta-lancando-o-livro-arranhando-a-superficie/2508408/

Gerald Thomas no Jô

Comments Off on Gerald Thomas no programa do Jô

Filed under Uncategorized