Monthly Archives: October 2016

Fernanda Montenegro’s blurb (on the back cover of my autobiography)

fernanda-montenegro-english

Leave a comment

October 25, 2016 · 9:13 pm

BETWEEN TWO LINES: autobiography English version

capa-between-two-english

Leave a comment

October 25, 2016 · 9:10 pm

NUDEZ # 1

gt-naked-hardon

img_2481

NUDEZ – !!!!

Por que eu ando pedindo desculpas? Por TUDO!!???

Tem algo errado. Muito errado. Eu, que pisei em Woodstock (onde andávamos nús sem o MENOR problema…e andando em lama, literalmente…), eu que sou de uma geração onde a nudez NÃO era castigada; era prezada assim como a orgia, a ‘descoberta / liberação sexual dos anos 60 / 70”,  me vejo hoje PEDINDO desculpas por (talvez) ter “OFENDIDO” alguém por ter  ter usado alguma palavra um pouco mais “ousada” como…buceta, caralho, cu, etc num email.  MAS QUE MERDA é ESSA ?

O QUE ESTOU FAZENDO?

PEDINDO DESCULPAS PELO QUE ?

memoria-e-invencao-1

 

Eu sou do TEATRO,  PORRA e não nasci ONTEM, PORRA e não tenho que me desculpar por NADA !!! Aqueles que tiverem problema com aquilo que consideram “obscenidades” que se fodam ou que resolvam em seus cubículos enrustidos de merda porque:

 

  • TODO MUNDO assiste aos seus filminhos pornôs (admitindo ou não)
  • Todo mundo tem suas taras, seus fetiches. Então, COLOQUEM pra fora, seus veados, seus putos. Não, seguram pra dentro e se disfarçam atrás de uma religião radical e ATIRAM, MATAM em nome de “Deus”!
  • Isso tudo, claro, encorajado por um Facebook que não admite nudez. Por que? Não se sabe. Zucker não sei das quantas se reproduz em laboratório de “likes” provavelmente e aquele polegar do “curtir” entra no seu cu, ele goza um Post qualquer e pronto.

pop-nu-1

 

Era tudo muito natural antigamente.

Georges Bataille era OTIMO. É ótimo. Sua obra é maravilhosa e… A História do Olho, magnificamente erótica. Hilda Hilst e Laclos – sem falar em Sade….com seu “Forbidden Knowledge (1740)…

Que incrível ! Bataille é de 1928, quase UM Século atrás e aqui estou eu, pós o renascentismo do pús renascimento  do “Happening” e do Living Theater do Julian e da Judith e do gozo coletivo de Hendrix e …

Memoria e Invençao de Silvia Fernandes a meu respeito

Memoria e Invençao de Silvia Fernandes a meu respeito

… a pedir desculpas porque essa MERDA de sistema politicamente correto exige que, “ Nossa Gerald ! Voce é um predador. Manda teu pau duro pras pessoas !”

SIM, mando. Elas pedem. Eles também. Mas eu recebo deles e delas também; é um festival de bucetas e peitos e caralhos que até banaliza. É como site pornô.

Venho de ARTaud. Sim, Antonin Artaud. Venho dos Gregos, esses que se comiam, uns aos outros. Os mestres do teatro: Platão, Sofocles e tal. Um bando de … “degenerados. Há há.” Zé Celso está certo em sua “Cruzada Eterna contra a CARETICE !!!”

No entanto hoje me vejo escrevendo “MIL DESCULPAS”…

Trecho do filme em "Queen Liar" (Rainha Mentira ) Minha autoria, 2007

Trecho do filme em “Queen Liar” (Rainha Mentira ) Minha autoria, 2007

 É. Estou no circulo errado.

 ESSA CARETICE ESTA ME SUFOCANDO !!!!

Preciso me reencontrar e voltar a MENSTRUAR e voltar aquela lama, a lama de Woodstock mesmo que Bob Dylan tenha “alcançado” os galhos altos da Academia de Stockholmo, ai ai, esse Premio Nobel. Que Nobel. Ele é um premio awarded por CARETAS como qualquer premio é ! Ok, admito que, pras ciências ele seja de algum uso ou reconhecimento mas….pra letras e humanas? REALLY? Ok, falo por mim. Deixei o Moliere cair no chão e se espatifar de proposito. Isso foi em 1988 pela Trilogia Kafka. Antes, por Quatro Vezes Beckett a Tonia Carreiro me girou tantas vezes no palco que a estatueta me segurava no eixo. Era uma espécie de guia e, no mais, eu tinha acabado de chegar no Brasil e….servia como prova pra jogar na cara da Classe Teatral :”EU ESTOU AQUI Cacete: vocês torceram pra eu falhar. Venho de Nova York com os Becketts e com o Julian Beck. Mas dei o Primeiro Moliere pro Italo Rossi que nunca o havia ganho até então: e o Municipal mudo. Flavio Rangel, mudo.

memoria-e-invencao-4

Preciso voltar a menstruar. E voltar pra lama.

If the “Answer my friend is REALLY BLOWING IN THE WIND”, then it can blow it BACK in whichever direction we want it to blow in !!!

img_2289

 

QUE CHOVA SOBRE A NOSSA POESIA !!!!

Gerald Thomas.

New York – Oct 21, 2016

 

 

 

Leave a comment

Filed under Uncategorized

Fernanda Montenegro e a contracapa da Autobiografia….(Portuguese and English)

 

64605845_200

03_1

img_0814

A Contracapa da minha autobiografia (ENTRE DUAS FILEIRAS) é assinada pela minha eterna ex pra sempre sogra FERNANDA MONTENEGRO e é assim:

Gerald Thomas existe por sua qualidade demolidora, por sua inconstância, por seu inconformismo, por sua agressividade, por sua descrença cheia de fé, por seu culto à morte pleno de vida, por sua clara e poderosa incongruência, por chorar e rir como criança inocente e nefasta, por amar o próximo odiando, por ser de súbito um bom e adorável menino- amigo, por te acolher e te renegar em segundos, por te amar loucamente, por te maldizer te bendizendo, por ser um monstro de criatividade, por sua diabólica, eterna e inconformada Arte.

Arte essa única nos nossos palcos e nas nossas vidas.

Quem viu ou viveu, não esquece.”

Fernanda Montenegro

In English

Gerald Thomas exists by virtue of his devastating quality, his inconstancy, his nonconformity, his aggressiveness, his faith laden disbelief, his life affirming death cult; through his clear and powerful incongruence; by laughing and crying like an innocent and somehow ominous child, by loving the neighbor he hates; by being an unexpectedly good, adorable boy and friend; by accepting and forswearing you in seconds; by loving you madly, by cursing you while blessing you; for his devilish, eternal and nonconformist Art is monstrously creative. His Art is unique upon our stages and in our lives.

If you have seen or experienced it, it will remain unforgotten.

Fernanda Montenegro

Leave a comment

Filed under Uncategorized

Nobel Prize – Let’s jog people’s memories! Dylan X Beckett ?

Sam Beckett and Gerald Thomas

Sam Beckett and Gerald Thomas

Bob Dylan was awarded the Nobel Prize today. I sincerely hope he follows in the footsteps of Samuel Beckett who, in 1969, was awarded the same prize and, surprisingly, turned it down.

Imitators of Beckett,  like Harold Pinter, for example, accepted it gladly. Imitators are aways glad when awards are handed out. It’s their form of ‘legitimacy’ since talent didn’t do it. On the other hand, there were others, of course, who’ve accepted the Nobel,  such as the brilliant Dario Fo, who’s obit I registered on this Blog with great grief only this morning.

Here’s the news of Beckett’s  disjection for the award written at the time….

Stockholm, Oct. 23–Samuel Beckett, the avant-garde writer acclaimed for his plays and novels of loneliness, despair and human degradation was announced today as the winner of the 1969 Nobel Prize in Literature.

The selection committee, comprising members of the Swedish Academy, cited him “for his writing, which–in forms for the novel and drama–in the destitution of modern man acquires its elevation.”

Mr. Beckett, who was born in Dublin 63 years ago, but now lives in Paris, is best known for his play “Waiting for Godot,” published in 1952, which evoked the futility of modern life.

Mr. Beckett could not be reached for comment on the prize. He was reported by his Paris publisher to be out of touch in Tunisia, and Nobel officials were unable to say whether he had received word of the award.

bob-dylan-impolitebob-dylan-removes-from-site

There was conjecture here that Mr. Beckett would refuse to come to Stockholm to accept the award, as is customary, at formal ceremonies on December. 10. The Nobel laureate in literature has traditionally addressed the Nobel banquet, but Mr. Beckett has rarely granted so much as an interview.

That’s a real HERO, a real ARTist.

Let’s see (and hope) that Dylan follows suit.

Gerald

Leave a comment

Filed under Uncategorized

Dario Fo : the (non) accidental death of most magnificent anarchist.

Dario Fo

Dario Fo

R.I.P. DARIO FO
You were the best, the funniest, the saddest and (obviously) the most profound of all of them. Of all of them. You were a combination – a sum – of the very best: from Pirandello and Artaud … to Brecht, Lorca, Calderon de La Barca with pinches of L’armata Brancaleone: Your plays are the best and your political stances were simply visionary.

I have always loved you. You and France Rame.

Gerald Thomas

Oct 13, 2016

Leave a comment

Filed under Uncategorized

Texto de Guilherme Andrade (complemento para ENTRE DUAS FILEIRAS), autobiografia.

Esta é uma dedicatória que estará presente na autobiografia, que será lançada no Brasil, dia 21 de novembro, do meu amado Gerald Thomas. Uma leitura mais do que necessária para quem ainda acredita, e para quem ainda não descobriu, que arte é aquela coisa que sai do âmago, do sofrimento insuportável, da dor, do riso, e até de coisas mais simples que, se não fossem os artistas, seriam coisas tão individuais como universos desconhecidos.
Ezra Pound dizia que existem, na arte, os mestres, que são aqueles que reorganizam linguagens de forma que exprima a sua linguagem como objeto próprio (a pincelada única – aquela que identificamos mesmo muito tempo depois, como um Vermeer, um Rembrandt, etc) e existem os diluidores, aqueles que simplesmente tocam o barco pra frente. Agradeço a D’us, a Dionísio, Talia ou Melpômene, sei lá, por poder estar vivo na mesma época e poder ter contato com um mestre da arte verdadeira – a arte que dói fazer e que, se temos o coração fraco, morremos, porque só é saudável ao espírito, enquanto o corpo grita que não aguenta mais.
Enfim, em novembro, COMPREM (é uma obrigação!) o livro deste coelho criador de inúmeras peças, companhias, artistas, com ou sem o sobrenome dele, etc. Será um afago em quem vive nos horrores e frivolidades desse início de século que mais parece o início do século XX.

Digo isso porque acredito que só a arte nos salvará.

Essa é a minha utopia também, Gerald.

Guilherme Andradeancelmo-pdf-2

Leave a comment

Filed under Uncategorized