MY INDEPENDENCE DAY: Everything to Declare – it’s a long goodbye

New York- Dearest ones: I’ve come to a crucial point in my life. Actually, ‘THE’ most crucial to date. A pedestrian crossing without the white stripes, an “Empty Space” cluttered with junk, an asterisk. I’ve been in it for a while and have realized that moaning and groaning from the cradle to the grave simply doesn’t help. So, I made a decision.

Transform the world: Wake up every morning and change the world”, a soft voice used to whisper into my ear. It was that of Julian Beck, whom I directed in his final show and from whom I learned so much.

Yes,I used to have a vague idea or notion of things. Yet, I can’t find them anymore. Don’t seem capable of even knowing of where they are any longer. All I can see, eyes open or shut, is that self portrait by Rembrandt , hanging in Amsterdam, staring right at me; he at the age of 55 and I at the same age. Him on one side of a timezone/era as if trying to tell me, or as if WE are trying to tell one another that my Renaiscence is over, finished, and that I’m dead. Am I dead?

I can’t go on. And I won’t go on.

Beckett, the one whose universe I’m so very close to, would have said: “but I will go on”. Yes, I do realize the necessity of a continuance, continuity, progression, of a forward movement. However, I look around and ask myself (in less than a subtle way…..”continue what?” if I haven’t really started anything!!!! There isn’t – on my turf (or terminology) that much to be continued.

My life on stage, as such, is finished. And it is so because I have determined that it has perished. I do not believe that our times reflect theater as a whole (or vice versa) and I certainly don’t have the patience to  create the iTheatre, as if it were the extention of the iPhone or the iPod and so on. These miniatures and gadgets of self satisfaction  do, indeed, fit extremely well the decadent present days of, well, self satisfaction. Pardon me for writing in loops but this is a reflection of the times. Or is it?

But art and creativity? Not at all. If one were to analize, say, this or that person’s last movie or CD or choreography we’ll only come to realize that it has all become a mere  and smaller repetition of what once had the taste of the new and of the, say, “good”.

Of course, it’s known that my dramaturgical option has always been on the dark side. From Beckett to Kafka to my own nightmares…a New York Times critic once wrote “that I used the audience as my therapist”. So, I decided to opt for putting Freud center stage right in the middle of Tristan in the Rio Opera House. I guess everyone knows what the outcome was.

What seems strange is that, up to 2003 or, even, 2005, it made sense to put things on stage or to stage pieces. I cannot, for the world, describe with any sort of precision what has changed. But something has.

Of course, needless to say, we are political beings. But this shouldn’t mean that our obsession (as artists) should contain ONE political agenda. Au contraire. If there is something called art, it’s  there precisely to bridge the gaps left over between that which politicians can’t say (or are unable to say) and our need to find ways to survive (by destroying or constructing). Art as metaphor, art as replica, art as illustration or art as protest; art has always required analogies and fantasy between modern man and that of yesteryear.

Daniel Barenboim, who was born Argentinean (but is a citizen of the world) and carries an Israeli passport, found a  way to ‘apply’ his art to the practical, political world. He’s been trying, since 2004, to promote peace between Palestinians and Israelis through music, In his acceptance speech, during the Wolf Prize Cerimony at the Knesset, he said that his life seemed only validated if he could, somehow, liberate those who were confined (Palestinians who were beginning to be surrounded by a WALL built by Israel) and Isrealis alike.

I cannot, would not dare compare myself to Baremboim. But building a theater piece from scratch is far more difficult than opening musical scores and making or motivating an orchestra to play. What we do is ‘original stuff’.

Yeah.

TEMPORARY LOSS OF MEMORY

(allow me to skip a part, please)

I just skipped a part where I quote from a text in a program book of Earth in Trance and Queen Liar. Poetic freedom? Was that it? Or pure boredom? Maybe just a gage or indicator of HOW much I need to tell everyone how LOST I am or where I need to get.

Perhaps I need to get lost for a while in order to find myself again, as corny as this may sound. I’ve really, seriously lost sense of who I am. No easy thing to say. Yet, I may be living in a bubble of illusion.

I’ve become a slave of this computer and, likewise,  a slave of an immediate political agenda which isn’t even close to my heart, It’s someone else’s, not my own. I do have an enormous knowledge of history. I mean, I am immensely educated in the field of History. Enough so to know that what happens now, today, hardly matters at all, unless one is talking about, say….Obama’s coming to the White House. Well, there’s something!!!!

Yes, I have to get lost in order to find myself again.

It might be useful to remind you all: I was brought up in the shadows of the Holocaust, amidst drops of paint by Pollock and ‘ready mades’ by Marcel Duchamp….and some drawings and scribbles by Saul Steinberg. I owe this ‘education’, as it were, to two masters: Ivan Serpa and Ziraldo. Both back in Rio.

And there is Haroldo de Campos, the inventor of the humans, as Harold Bloom would have put it. Campos is the founder member of the Concrete Poetry movement and my mentor ‘from a distance’ . The guy I always wanted to be. Christ only knows how much I felt when he walked into my theater in 1987 and, later on, curated two books on me, about my work, and wrote, wrote and wrote endless pages about…well…me and my work. Simply unimaginable.

The world became so much more boring and flat the day he died. And that day happened to have been on the same day when I opened my Tristan at the Rio Opera House. A decade before that I had written one of my first plays, Eletra ComCreta – a play of words in the ‘concrete tradition’ with the myth of Electra and the island of Crete, in the hopes that the poets – Haroldo and his brother Augusto, would storm into the theater. No such luck. It took them, I mean, him (Haroldo de Campos), another year to discover me.

Philip Glass was kind enough,  gracious enough to grant a wonderful and hilarious interview about me and my work (http://www.vimeo.com/2988089 ). It lasts about 20 minutes and, in it he manages to be funny and brilliant, all at once – as if in a sax solo improv – saying everything (majestically) what scholars and critics have tried but weren’t able to put together in some eight thousand paragraphs, in all these years I’ve been on stage. This Glass interview can also be seen on my site (www.geraldthomas.com).

My father used to place me between two huge loud speakers of a RCA Victor deck  and make me listen to Beethoven. At a very very young age, I’d be in tears, listening to the Pastoral, the 6th Symphony – whilst drawing away, almost autistically, on some rough paper, things which, decades later (at the British Museum Reading Room or Library) would become…theater projects.

Today, with over 80 “things” or works having been staged all over the world, I look back and what do I see?

I see little. I see a world flattened by a shitty and mediocre and petty culture (if one can even call it that), punctuated by twitters and facebooks and myspaces and the like, which say little or nothing at all.

I see people without ANY NOTION of what was, of what has been and excited about a much ado of a ridiculously cheap plastic fast food junk overload of info. Yes, that’s what I see? Is there anything I’m missing?

Not even bands or innovative musical groups are there to be seen: it’s all just a bunch of look-alikes of the ones we’ve known for decades: from Hendrix to Zeppelin or The Who and so on.

It’s almost as if we lived in a sort of looping inside someone else’s nightmarishes head. Contrary to that of Prospero’s head, this one does not liberate us to the ‘new’. It condemns us to the old and used. How nice! Even China looks like the West. Or is that we’ve anticipated ourselves and it’s the other way around: it is us who look like China, since everything we wear and use is made in China.

Yes, I met Samuel Beckett (yes, I had this amazing privilege!), staged his prose – some of which, world premiere – in the early eighties. Well, for those who don’t know anything about this period, I urge you to access my site (www.geraldthomas.com), and enter my ‘so called’ universe.

Why would I want you to enter my universe? Why would I care? Because when I began my theatrical life, life as such, the scene itself was sparkling, glowing with ingenuity and the wonderful taste of the avantgarde. We had the Village Voice and the SoHo News (amongst others) for intellectual support (or debate) and plays were multifaceted: multimedia and so on. Everything from darkness to brand new monitors were growing on stages.

There were dozens of theater companies, from the ones based at La MaMa, to the Public Theater, or PS122 or in lofts in SoHo or in garages or, even, imports by BAM.

But it was all new, a NEW, New form of Creation.

It was the very exercise of experimentalism, it was all about taking risks. And the critics? Oh yes, just as most scholars, they stood by us and supported what we did. And what was that, you might ask? Well, that was the ‘tradition’ left by Artaud and Brecht and others.Furthermore, I regret to say that my particular generation did not invent anything. All we did was to carry on what the previous generation had given to us on a silver platter.

They were the ones who suffered. They were the ones who really swallowed the bile and digested the undigestible raw material of defiance (Grotowski, for instance). Yes, I’m talking about Bob Wilson, Pina Bausch, Victor Garcia, Lee Breuer, Peter Brook, Peter Stein, Richard Foreman and the one who invented it all, Ellen Stewart.

That’s right: all we did had been done before.

I’m part of a generation of collage artists, if there is such a thing. Of course, we added a few ‘personal touches’, whatever it was that the previous generation had fed us.

Not enough, I’m afraid. Not enough.

What does this all mean? Well, regrettably it means that my generation will not be a part of HISTORY. And I say this with an obvious amount of sadness. Sadness and reason. What a weird mixture!

Today, the Village Voice is but a bunch of sex ads. About the theaters themselves, I’d rather shut my mouth. As for the companies themselves, 99% no longer exist nor have they been exchanged for others. All we see is….

(I’m shutting my mouth). It’s very much like the world of music. Can’t you hear the stomping and and repetitive sound of the electronic drums hammering  away into your eardrums the robotic beat of ‘grounding’? Can’t you? Rather, its effect is ‘grinding’.

This universe of ours seems smaller than the one Kepler or Copernicus or Galileo described/saw/envisaged. Many of the theater companies here and around the world have closed for good. The money floating around to subsidize theater is laughable and the audiences are so small, we could take them out to dinner.

But I will never blame an audience. It is us who are  doing the wrong thing, obviously. Few youngsters nowadays know who Peter Brook is or what he has done. This year alone we have lost Pina Bausch and Merce Cunningham. Bob Wilson, the last warrior standing (inexplicably) is traveling with a mediocre and simplistic play: “Quartett” by Heiner Mueller. I, myself directed the American and Brazilian premiere of this play with the presence of the playwright. I can now say, with a fair amount of certainty, that Heiner Mueller is a complete waste of time.

But, as it seems, the problem is mine and ONLY mine. As I’ve said before: I’ll try going for a walk around the planet to find who I am. Or, maybe just sit here, exactly where I am now, and come to the same conclusion.

But it’ll be hard: I’m part of that romantic generation who saw Tower Records open its doors here on Broadway and E4th Street. Today, Tower is gone and even, Virgin (which destroyed Tower) is gone. All Towers are gone.

I’m writing this one day before 9/11. Please excuse all analogies and possible comparisons.

I saw Hendrix from a yard away. I saw Led Zeppelin in their best days, live in London.

I directed the best of Richard Wagner and was with spitting distance of Michael Jackson and am grateful to have witnessed the birth of cable television, CNN, internet and the frenzy of emails flying back and forth.

I was given incredibly beautiful presents, such as some of the great operas I directed on the best stages in the world (Moses und Aron, in Austria would just be ONE example).

It’s just….it’s just…so many fantasies that depression has obscured or overcast. I simply cannot see them anymore. And what is art without fantasy or artifice? It would be…well, you got the drift.

No, I’m not leaving. Not really leaving as such. Only leaving “in a way….”

Anatole Rosenfeld once wrote:

“ The theater is older than literature and, thus, does not depend on it. There are plays which aren’t based on literary texts. According to ethnologists, the Pygmies perform an extraordinary theater, completely void of any text. They are capable of acting the agony of an elephant with a perfect impression, as if it were a true art. They might even use a few words here and there, obeying the oral tradition. But there isn’t a formal text laid out as literature.

In the improv theater there’s also a tradition”

That was Rosenfeld.

As for me, I’ve lost my ability to improvise. Yes, I’ve lost my desire to improvise.

I will have to make an enormous effort in….what? In seeing me as myself again as in what I used to be. Why? Because it’s not me what I see when I look in the mirror. It’s a deformity, a hardened version of a self that was,”an aberration of an author as an old man”.

I will have to make an enormous effort when looking into Rembrandt’s eyes again or, maybe, into a slice of a shark, or the shark in its entirety, by Damien Hirst.

It’s obvious that, in the event of a real possibility of a news fatality or a tragedy of great proportions (outside of the theater) taking place in our lives or on our planet, I’ll come back to the blog with texts, images, etc.

Maybe even without such tragedies. It could be that I’ll find myself in the middle of Tunisia, inside a bent tent, and decide, a la Paul Bowles, that it’s time to write. Who knows?

All I can say is that I’m at the beginning of a long, very long and lonely journey.

I’ve had the best theater and opera stages of the world, in more than 15 countries given to me. Yes,  I was given the gift of the Gods. No complaints, whatsoever. It has been a wonderful ride. Really has. Thank you all so very much. Thank you all so very very much.

Fairwell to you all.

LOVE

Gerald Thomas

September 11, 2009

(what a date!)

Minha “INDEPENDÊNCIA OU MORTE” – TUDO A DECLARAR – “It’s a Long Good Bye”

New York – Meus queridos, cheguei num ponto crucial da minha vida. O MAIS crucial até hoje. Um asterisco. Aliás, já estou nele há algum tempo e percebo que não adianta resmungar pra cima e pra baixo. Finalmente tomei uma decisão.

Transformar o mundo: acordar todos os dias e transformar o mundo”, dizia a voz de Julian Beck (quem eu dirigi e com quem aprendi tanta coisa). Eu tinha uma vaga noção das coisas. Não  encontro mais nenhuma. Eu tinha uma fantasia. Não a encontro mais. Só encontro aquele auto-retrato de Rembrandt me olhando, ele aos 55, eu aos 55,  um num tempo, o outro no outro, como se um quisesse dizer pro outro: o TEU “renascentismo” acabou: Você morreu. Morri?

I can’t go on. And I won’t go on.

Beckett, que é o meu universo mais próximo, diria “but I’ll go on”. Sim, existia uma necessidade de se continuar. Mas olho em volta e me pergunto: Continuar o quê? Não há muito o que continuar.

Minha vida nos palcos acabou. Acabou porque eu determinei que os tempos de hoje não refletem teatro e vice-versa. Também não estou a fim de criar o iTheatro, assim como o iPhone ou o iPod. A miniatura e o “self satistaction” cabem muito bem na decadência criativa de hoje. Mas, se formos analisar o último filme ou CD de fulano de tal, ou a última coreografia de não sei quem, veremos que tudo é uma mera repetição medíocre e menor de algo que já teve um gosto bom e novo.

Claro, minha opção dramatúrgica sempre foi escura, sempre foi dark, se assim querem. De Beckett e Kafka aos meus próprios pesadelos, que um crítico do New York Times disse que eu ”usava a platéia como meu terapeuta”. Até que coloquei Freud como sujeito principal da ópera “Tristão e Isolda” no Municipal do Rio. Acho que o resultado todo mundo conhece.

É estranho. Até 2003, 2005 talvez, ainda fazia sentido colocar coisas em cena. Sinceramente não sei descrever o que mudou. Mas mudou.

Claro que somos seres políticos. Mas isso não quer dizer que nossa obsessão ou a nossa única atenção tenha que ser A política. Ao contrário. A arte existe, ou existia, justamente para fazer pontes, metáforas, analogias entre a condição  e fantasia do ser humano de hoje e de outras eras e horas.

Daniel Barenboim, que nasceu Argentino mas é cidadão do mundo (um dos músicos mais brilhantes do mundo), e cidadão Israelense, achou uma forma de aplicar sua arte na prática. Ele tenta, desde 2004, “provocar”, através da música, a paz entre palestinos e israelenses. Fez um lindíssimo discurso ao receber o prêmio “Wolf” no Knesset Israelense dizendo que sua vida era somente validada pela música que ele conseguia construir com jovens músicos palestinos (presos, confinados – justamente na época em que Israel construía um Muro de separação) e jovens músicos israelenses.

Não sou tão  genial quanto Daniel Barenboim e construir uma peça de teatro é muito mais difícil que abrir partituras de um, digamos, Shostakovich ou Tchaicovski, e colocar a orquestra pra tocar.

AMNÉSIA TEMPORÁRIA

Um trecho de uma sinopse, por exemplo, que escrevi quando os tempos ainda se mostravam propícios:

“E em Terra em Trânsito, uma óbvia homenagem a Glauber, uma soprano só consegue se libertar de sua clausura entrando em delírios, conversando com um cisne fálico, judeu anti-sionista, depois de ouvir pelo rádio um discurso do falecido Paulo Francis sobre o que seria a verdadeira forma de “patriotismo”. O cisne (cinismo) sempre a traz de volta a lembranças: “Ah, você me lembra os silêncios  nas peças de Harold Pinter! Não são  psicológicos. Mas é que o sistema nacional de saúde  da Grã-Bretanha está em tal estado de declínio que os médicos estão  a receitar qualquer substância, mineral ou não mineral, que as pessoas ficam lá, assim, petrificadas… cheirando umas às outras…”

Essa “petrificação” que a sinopse descreve, acabou me pegando.

“Os dois espetáculos (Terra em Trânsito e Rainha Mentira), são  uma homenagem à cultura teatral e operística aos mortos pelos regimes autoritários/ditaduras”.

Serão mesmo? Homenagens?  Não, não são. Quando escrevo um espetáculo, escrevo e enceno o que tenho que encenar. Não penso em homenagens.

“Mais do que nunca eu acredito que somente através  da arte o ser humano voltará a ter uma consciência do que está fazendo nesse planeta e de seu ínfimo tamanho perante a esse imenso universo: ambas as peças  se encontram em “Liebestod”, a última ária de “Tristão  e Isolda”, onde o amor somente é possível através  da morte e vice-versa.  No enterro da minha mãe, ao qual eu não fui (por pura covardia) uma carta foi lida (mas ela é lida  na cena final de “Rainha Mentira”), que presta homenagem aos seres desse planeta que foram, de uma forma ou outra, desterrados, desaparecidos, torturados ou são  simplesmente o resultado de uma vida torta, psicologicamente torta, desde o início torta e curva, onde nenhuma linha reta foi, de fato, reta, onde as portas somente se fechavam  e onde tudo era sempre uma clausura e tudo era sempre proibido e sempre trancado. Então, a tal homenagem se torna real, através da ficção da vida do palco”.

Pulo pra outro trecho, lá no fim do programa.

“Essa xícara esparramada nessa vitrine desse sex shop em Munique era um símbolo que Beckett não ignoraria e não esqueceria jamais. Eu também não. Sejam bem vindos a tudo aquilo que transborda. ”

Por que coloquei esse trecho de programa ai? Não sei dizer.

Liberdade poética pura ou pura liberdade poética. Ou chateação mesmo! Talvez seja um indicador do quanto estou perdido no que QUERO DIZER e ONDE QUERO CHEGAR.

Tenho que sair por aí pra redescobrir quem eu sou. Talvez nunca venha a descobrir. Posso estar vivendo uma enorme ilusão. Mas não me custa tentar. Virei escravo de um computador e virei escravo de uma agenda política imediata da qual não faço  parte. Tenho uma imensa cultura histórica. Imensa. Tão grande que a política de hoje raramente me interessa. Sim, claro, Obama. Mil vezes Obama. Mas Obama afeta o mundo inteiro. Mais eu não quero dizer.

Tenho que sair por aí pra redescobrir quem eu sou.

(nota rápida: acabo de ver o que resta do The Who, Daltrey e Townsend, no programa do Jools Holland: não tem jeito: nenhuma banda de hoje tem identidade MESMO! A garotada babava! E era pra babar mesmo!)

Sabem? Vale sempre repetir. Fui criado na sombra do holocausto entre os pingos de Pollock e os “ready mades” de Duchamp e os rabiscos do Steinberg. Isso o Ivan Serpa e o Ziraldo me ensinaram muitíssimo cedo na vida.

E… Haroldo de Campos.

Meu Deus! O quanto eu devo a ele! Não somente o fato dele ter sido o curador dos livros que a Editora Perspectiva lançou a meu respeito mas… a convivência! E que convivência! E a amizade. Indescritível como o mundo ficou mais chato e menos redondo no dia em que ele morreu. E ele morreu na estréia do meu “Tristão e Isolda” no Municipal do Rio. Haroldo não somente entendia a minha obra, como escrevia sobre ela, traçava paralelos com outros autores e criava, transcriava a partir do meu trabalho. A honra que isso foi não tem paralelos. Por que a honra? Porque Haroldo era meu ídolo desde a minha adolescência. O mero fato de “Eletra ComCreta” se chamar assim, era uma homenagem aos concretistas.

Mas ele só veio aparecer na minha vida na “Trilogia Kafka”, em 1987. Eu simplesmente não acreditei quando ele entrou naquele subterrâneo do Teatro Ruth Escobar.

Nem mesmo a convivência com Helio Oiticica foi uma coisa tão forte e duradoura.

Não posso e não vou nomear todas as grandes influências da minha vida. Daria mais que um catálogo telefônico. Já bato nessa tecla faz um tempo.

Philip Glass dá uma graciosa e hilária entrevista a meu respeito (http://www.vimeo.com/2988089). Dura uns 20 minutos. Nela, ele sintetiza, como se num improviso, tudo aquilo que os scholars e os críticos não conseguem dizer ou tentam dizer com oito mil palavras por parágrafo! Essa entrevista também está no www.geraldthomas.com ou aqui em vídeos, no blog.

Meu pai me fazia ouvir Beethoven numa RCA Victor enorme que tínhamos. E eu, aos prantos, com a Pastoral (a sexta sinfonia) desenhava, desenhava essas coisas que, décadas mais tarde (na biblioteca do Museu Britânico) iam virando projetos de teatro. Hoje, com mais de 80 “coisas” montadas nos palcos do mundo, olho pra trás e o que vejo?

Vejo pouco. Vejo um mundo nivelado por uma culturazinha de merda, por twitters que nada dizem. Vejo pessoas sem a MENOR noção do que já houve e que se empolgam por besteiras. Nem bandas ou grupos de músicas inovadoras existem: vivemos num looping dentro da cabeça de alguém. Talvez dentro de John Malcovich.  E, ao contrário de Prospero, ele não nos liberta para o novo, mas nos condena pro velho e o gasto! Até a China tem a cara do Ocidente. Ou então nos antecipamos e nós é que temos a cara da China, já que tudo aqui é “made in China”.

Sim, encontrei Samuel Beckett, montei seus textos, encontrei um monte de gente que, quem ainda não viu, não sabe ou não leu – vá no www.geraldthomas.com e se depare com o meu universo.

E gostaria muitíssimo que vocês entendessem o seguinte: quando comecei minha carreira teatral, a vida, a cena aqui no East Village era “efervescente”. Tínhamos o Village Voice e o SoHo News pra nos apoiar intelectualmente. A “cena” daqui era multifacetada. Eram dezenas de companhias, desde aquelas sediadas no La MaMa, ou no PS122, ou em porões, ou em Lofts ou em garagens, ou aquelas que o BAM importava, mas era tudo uma NOVA criação. Era o exercício do experimentalismo. Do risco.  E os críticos, assim como os ensaístas, nos davam páginas de apoio.

Além do mais, a minha geração não INVENTOU nada. Somente levou aquilo que (frutos de Artaud, Julian e Grotowski), como Bob Wilson, Pina Bausch, Victor Garcia, Peter Brook, Peter Stein e Richard Foreman e Ellen Stewart, etc., haviam colocado em cena. Faço parte de uma geração de “colagistas” (se é que essa palavra existe). Simplesmente “levamos pra frente, com alguns toques pessoais” o que a geração anterior nos tinha dado na bandeja. Mas quem sofreu foram eles. Digo, a revolução foi de Artaud e não da minha geração..

Portanto, minha geração não fará parte da HISTÓRIA. Óbvio que digo isso com enorme tristeza. Nada fizemos, além de tocarmos o barco e ornamentarmos ele.

Ah, hoje o Village Voice está reduzido a um jornal de sex ads. Sobre os teatros eu prefiro não falar. Quanto aos grupos, 99 por cento deles, não existem mais e nem foram trocados por outros. Só se vê pastiche. É o mesmo que no mundo da música: é o mesmo bate-estaca em tudo que é lugar.

Esse universo está menor que aquele que Kepler ou Copernico ou Galileu descobriram. O Wooster Group aqui fechou suas portas. Muitas companhias de teatro daqui e da Europa fecharam suas portas. E poucos jovens sabem quem é Peter Brook. Esse ano perdemos Pina Bausch e Merce Cunningham e Bob Wilson, o Último Guerreiro de pé, inexplicavelmente, viaja com uma peça medíocre: “Quartett” de Heiner Mueller, que eu mesmo tive o desprazer de estrear aqui nos Estados Unidos (com George Bartenieff e Crystal Field) e no Brasil com Tonia Carreiro e Sergio Britto nos anos 80. Heiner Mueller é perda de tempo.

E Wilson está tendo enormes dificuldades em manter  seu complexo experimental em Watermill, Long Island, aqui perto, que habilitava jovens do mundo a virem montar mini espetáculos e conviver e trocar idéias com seus pares de outros países.

Sim, o tempo semi-acabou.

Mas somente parte desse tempo acabou. E o problema é meu. Como disse antes: vou tentar sair por aí pra redescobrir quem eu sou.

Mas vai ser difícil. Sou daqueles que viu a Tower Records abir a loja aqui na Broadway com Rua 4. Hoje a Tower se foi e até a Virgin, que  destruiu a Tower, também se foi e está com tapumes  cobrindo-a lá em Union Square. Parece analogia pra um 11 de Setembro? Não, não é. Falo somente de mega lojas de Cds.

Tive a sorte de seguir as carreiras de pessoas brilhantes, ver Hendrix de perto, ou Led Zeppelin, ou dirigir Richard Wagner, e estar na linha de cuspe de Michael Jackson e de assistir ao vivo o nascimento da televisão a cabo, da CNN, da internet, dos emails pra lá e pra cá. Deram-me presentes lindos como grande parte das óperas que dirigi nos melhores palcos das casas de Ópera da Europa.

São muitas fantasias que a depressão  não deixa mais transparecer. E o que é a arte sem a fantasia, sem o artifício? É o mesmo que o samba sem o surdo e a cuíca! Fica algo torto ou levemente aleijado.

Não, não estou indo embora. Anatole Rosenfeld escreveu:

O teatro é  mais antigo que a literatura e não depende dela. Há teatros que não se baseiam em textos literários. Segundo etnólogos, os pigmeus possuem um teatro extraordinário, que não tem texto. Representam a agonia de um elefante com uma imitação perfeita, com verdadeira arte no desempenho. Usam algumas palavras, obedecendo à tradição oral, mas não há texto ou literatura.

No improviso também há tradição.”

Perdi meu improviso. Sim, perdi a vontade de improvisar.

Vou fazer um enorme esforço em me ver de volta, seja via aqueles olhos de Rembrandt ou uma fatia do Tubarão de Damien Hirst.

Óbvio que – na eventual possibilidade de um acontecimento real – eu reapareço por aqui com textos, imagens, etc. Também sem acontecimentos. Pode ser que eu me encontre no meio da Tunísia, numa tenda de renda, e resolva, a la Paul Bowles escrever algo: surgirá aqui também. Então, o blog permanecerá aberto, se o IG assim o permitir.

Sei que estou no início de uma longa, quase impossível e solitária jornada.

I’ve had the best theater and opera stages of the world, in more than 15 countries given to me. Yes,  I was given the gift of the Gods. No complaints, whatsoever. It has been a wonderful ride. Really has. Thank you all so very much. Thank you all so very very much.

Um breve adeus para vocês!

LOVE

Gerald Thomas, 7 September 2009

______________________________________________________________________________________________________



Advertisements

1,156 Comments

Filed under artigos

1,156 responses to “MY INDEPENDENCE DAY: Everything to Declare – it’s a long goodbye

  1. O Vampiro de Curitiba

    Bom dia, pessoal!
    O Vamp tá na área!

  2. Ekran

    Crepusculo dos Deuses, primeiro ato.
    Que se faça a escuridão!
    (e o que havemos de ter agora após a (des)criação de todas as coisas?
    —————-
    “Esse universo está menor que aquele que Kepler ou Copernico ou Galileu descobriram..

    Sim, o tempo semi-acabou.”

  3. Ana

    É tudo o “muito do mesmo”, sim, concordo. Mas imagina um trabalhador de qualquer área tentando se redescobrir. Dá? É um direito dele, inclusive. O lado ruim disso tudo, é que o fato de você parar para se redescobrir não mudará uma vírgula do atual cenário sem cena. “Tá dominado. Tá tudo dominado”. Sei lá, mas acho que se recolher agora é entregar/ abandonar o front inteiro sem batalha. Eu sei que você já deitou e rolou na angústia humana, mas deve existir uma outra forma de verbalizar isso. Redescubra isso também. Se a arte não está mais mudando nada, é porque a maneira de compreender isso mudou. Ou, na pior das hipóteses, o homem ficou insensível, tanto à arte, quanto às mudanças. E ainda assim, lembre de 1984. Não deixe que te façam somar 2 + 2 sem resultado.
    beijo

    e, Vamp, bom dia!

  4. Ana Paula

    Que lindo texto, Mr. Thomas. Você, ainda que em pedaços, é mais que todos nós inteiros juntos, discutindo o cotidiano como se ele importasse. É coluna ruída colorida, dolorida e muito bela. É criativo mesmo que não exista mais nada. É Frida Khalo em mosaico.

  5. Ekran

    Isso nem se imagina…qualquer area com qualquer trabalhador fazendo qualquer coisa que qualquer maquina pode substituir a qualquer momento.

    Não dá, não.

    Isso é a anti-imaginação, a anti-vida, a anti-materia que insistimos em acolher como se pudesse ser parte da “nossa ” imaginação, mas no fundo é a imaginação de outra pessoa, uma anti-pessoa que antipatiza com outras e exige delas apenas um trabalho qualquer.

    Somos a anti-vontade de viver.
    Que os antigos conheciam e expiavam nos rituais e nas artes.
    Somos modernos.
    Somos anti-antigos.
    Condenados a ser ready-mades no mercado de trabalho que nos compra por qualquer ninharia.

    Somos parte do anti-imaginario.
    Somos a não-imaginação.
    Somos a não-vida. Como objetos pintados num quadro de natureza-morta.
    —————–
    08/09/2009 – 09:33
    Enviado por: Ana

    “imagina um trabalhador de qualquer área tentando se redescobrir. Dá? “

  6. Ekran

    Só nos resta o anti-texto, o anti-teatro, a antinomia, os antidotos pra esse veneno de vida que nos injetaram na veia desde crianças pelos tubos da TV e no quadro negro da escola (o buraco negro da vida humana onde toda a inspiração se converte em numeros e letras e ali se anula).

    Só nos resta a anti-anunciação e nada a declarar!

  7. Ana

    Sem contar que, se está tudo o mesmo do mesmo e a sua geração só “colou” o que a geração anterior produziu, pq vc não aproveita o momento de redescoberta para semear algo que não tenha nada a ver com os anteriores.
    Talvez seja o momento de entrar em si mesmo e procurar por seus próprios mapas, suas próprias rotas, reinventar a roda se for preciso, mas não desistir. Nunca, jamais.

  8. Somente a parte final do post.

    I’ve had the best theater and opera stages of the world, in more than 15 countries given to me. Yes, I was given the gift of the Gods. No complaints, whatsoever. It has been a wonderful ride. Really has. Thank you all so very much. Thank you all so very very much.

    Eu tive os melhores palcos do teatro e da ópera do mundo, em mais de 15 países dados a mim. Sim, Eu recebi o presente dos deuses. Nenhuma queixa, qualquer. Foi um passeio maravilhoso. Realmente foi. Muito obrigado a todos vocês. Há todos muitíssimo obrigados

    ——————————————————————————————-Mais tarde se refeito do golpe pós leitura tentarei comentar.

    Obrigado.

    Tradutor

    😉

  9. gthomas

    Muitissimo OBRIGADO Vamp, pela edicao, por tudo.

  10. gthomas

    MUITISSSIMO OBRIGADO A TODOS DO BLOG POR TEREM FEITO PARTE DA MINHA VIDA E POR DEIXAREM EU FAZER PARTE DA VIDA DE VOCES.

    COMO DISSE: NAO VOU SUMIR POR INTEIRO.

  11. O Comissário do Polvo

    Preciso Me Encontrar

    Cartola

    Composição: Candeia

    Deixe-me ir
    Preciso andar
    Vou por aí a procurar
    Rir prá não chorar
    Deixe-me ir
    Preciso andar
    Vou por aí a procurar
    Rir prá não chorar…

    Quero assistir ao sol nascer
    Ver as águas dos rios correr
    Ouvir os pássaros cantar
    Eu quero nascer
    Quero viver…

    Deixe-me ir
    Preciso andar
    Vou por aí a procurar
    Rir prá não chorar
    Se alguém por mim perguntar
    Diga que eu só vou voltar
    Depois que me encontrar…

    Quero assistir ao sol nascer
    Ver as águas dos rios correr
    Ouvir os pássaros cantar
    Eu quero nascer
    Quero viver…

    Deixe-me ir
    Preciso andar
    Vou por aí a procurar
    Rir prá não chorar…

    Deixe-me ir preciso andar
    Vou por aí a procurar
    Sorrir prá não chorar
    Deixe-me ir preciso andar
    Vou por aí a procurar
    Rir prá não chorar

  12. I cannot believe!
    I do not understand more nothing.
    To the dawn I counted the stories of the son who if blew up.
    E now another burst?
    EXCREMENT!
    Pro salt?
    Daily pay salt.
    Salty it is the throat.
    To say what?
    I am in the window waiting

    Tradutor esperando ser traduzido.
    Meio abaldo meio perdido
    Noticia do post deixando aturdido

    😉

  13. Sandra

    Lindíssimo texto, Gerald…
    Nossa…
    Estou às lágrimas…
    Esses dias colei um poema para o Vamp, e há um trecho dele que gostaria de relembrar:

    “Não, não vou por aí! Só vou por onde
    Me levam meus próprios passos…
    Se ao que busco saber nenhum de vós responde
    Por que me repetis: “vem por aqui!”?”

    Não tenho como responder às suas perguntas, Gerald. Nem sei se crescerei o suficiente para formulá-las um dia. Então, o que digo é: vá para onde lhe levam seus próprios passos.

    Como posso dizer: “Vem por aqui?” a alguém cujos passos levaram a Woodstock, ao teatro, à posse de Obama, ao auto-retrato de Rembrandt, ao próprio blog quando eu não sabia o que era um blog?

    Esse texto revela a alma inquieta, sedenta de sabedoria e elevada que você é.

    Deus o acompanhe na sua jornada.

  14. gthomas

    Pacheco querido
    te mandei esse texto na integra faz uns dias. Assim como mandei pra uns amigos seletos do blog. Checa teu email por favor

  15. Daniela

    Bom dia Gerald e a todos,

    Quando se é gênio, criar não é necessidade biológica. Dificil é adapatar a criação a realidade.
    Quando se tem mais de oitenta espetáculos realizados em 15 países diferentes realmente não se pode reclamar.
    A realidade é outra a cada segundo.
    Enquanto teclo o mundo mudou.
    A velocidade é alucinante da mudança é alucinante.
    Isso cansa.
    Talvez precise de um tempo, respirar…
    Mas será que vc conseguiria passar um mês longe do seu vício?
    longe da sua mania de viver? Viver seu trabalho?
    Gerald, apesar de todo sofrimento com tantas mudanças que causam tantos danos no mundo, o mundo precisa de arte.
    Esta é sua missão.
    Do tipo super herói mesmo! 🙂

    Aceite e …
    Keep walking
    and…
    Enjoy your show!

    Sem beijos para Cíntia não ficar com ciúmes do ‘noivinho’.

  16. Daniela

    Aff!
    Tudo errado na primeira frase.
    Quis dizer.
    Quando se é gênio criar É necessidade biológica.
    Precisa fazer senão morre. Faz parte de vc.

  17. Gerald.

    Não recebi.

    Estupefato agora.

    O que é que vou dizer em casa?

    -Baby não blogarei mais.Fazemos o que agora?
    – XXXXXXXX.
    -Baby brincadeira tem hora!
    -XXX
    -Já?
    -X
    -Bem,devagar se vai ao longe.
    XXXXXXXXXXXXXXXXXX
    -CALMA!
    Censored
    -O que?Agora vou na varanda dar uma fumada.Pode deixar.O lap top vai ficar desligado por um bom tempo.Satisfeita?
    -Bla e bla….
    -Ah.O vicio de fumar é outra conversa.O gerald ta saindo mas o cigarro não.

    Hahahahahahahahahahahahah 😀

  18. targinosilva

    Vidas que se acabam a sorrir
    Luzes que se apagam, nada mais
    É chorar em vão tentar aos outros iludir
    Se o que se foi pra nós
    Não voltará jamais

    Para que chorar o que passou
    Lamentar perdidas ilusões
    Se o ideal que sempre nos acalentou
    Renascerá em outros corações

  19. Pela manhã eu estava pressentindo algo prestes a explodir

    Enviei a estoria que colo aqui agora:

    08/09/2009 – 07:12

    Enviado por: Contador de estorias.

    Bom dia.

    Uma estoria de cabeça para vocês:

    Preocupações de uma filha.

    -Pai!Escute-me.
    -Estou ouvindo querida
    -Tenho medo.
    -De que!És forte. Tens o sol. A lua, os mares, os ventos, pulsa em ti a VIDA.
    -Eu sei disto. Mas ultimamente sinto-me esquisita.
    -Com assim esquisita?
    -Sabe algo pulsa em mim. Parece que vou estourar de dentro para fora. Vivo em agonia constante. Tem momentos que sinto que posso explodir.
    -É a primeira vez que ouço isto. E quando começou?
    -nem eu sei bem. Quando eu era mais nova não sentia assim tão forte estas sensações.
    Comecei a sentir pontadas com se estivessem me perfurando. Depois teve aquele dia.
    -Que dia filha.
    -Não sei com explicar. Aquele dia que começou a escorrer algo de dentro de mim. Era escuro e pegajoso e sai e jorrava com força. Foi horrível. Depois me acostumei com as regras. Se tinha que conviver com isto então me conformei.
    -Então porque esta preocupada?
    -È que agora parece que está me cutucando bem La no fundo de mim. Não sei se aquento pai.Me ajude.
    Vou ver o que faço. Conversarei com tua mãe que deste assunto sabe mais do que eu.
    Obrigada pai.
    O pai relatou sua preocupação para a mãe.
    A mãe nem vacilou. E o que disse foi quase horrível:
    -Olha querido. Não vamos fazer disto uma alteração no sistema. Se esta filha estourar fazemos um gostoso BIG-BANG e teremos outra filha.
    -Não sei se isto resolveria.
    -Claro que sim. Aliás, há tempos que não criamos nada de novo.
    -Bem por mim estou pronto.
    A mãe toda ansiosa chamou a filha.
    -TERRA! Escute.
    -Senhora mamãe estou ouvindo.
    -Olhe querida um dia isto tinha de acontecer. De um modo ou de outro os teus habitantes tentam acabar contigo. Então não precisas ficar sofrendo. Exploda sozinha.Já que querem explorar até a tua zona mais intima do pré sal mande tudo a MERDA.E papo encerrado.Exploda agora.
    Eu e teu pai faremos outra igual a ti, mas desta vez só deixaremos os macacos dentro das tuas matas.
    E de liquido nada de óleo.
    Nem de gasolina.
    Nem de…
    BUM?
    -Nossa a TERRA nem esperou eu terminar.
    UNIVERSO,venha estou pronta para outra.

    FIM.

    Hahahahahahahahahahahahhahhahaha 😀

  20. Sandra

    Gerald, obrigada pela delicadeza em preparar-nos para esse momento.
    Amigos não ficam entre alguém e seu crescimento, mas perdoe-nos por um momento de egoísmo em querê-lo conosco.

  21. Sandra

    Saindo agora! Beijos!

  22. Atenção todo pessoal da Walt-checo.

    E outros nicks.

    FÈRIAS COLETIVAS.

    Dispensados a partir de agora.

    Obrigado.

    Pacheco.

    😉

  23. Daniela

    Ele não agüenta.
    Ele não irá abandonar, os palcos.
    Ele não deixará de criar, portanto, de existir.
    Ele não consegue deixar de ser quem é.
    Quer se reciclar, ótimo!
    Mas sua bagagem, mesmo que carregadissima, não irá te acompanhar.
    A única coisa que se leva dessa vida é o que se sabe o que se conhece, e isso tudo, este mundo que é o Gerald nunca o deirará de ser.
    Lamento informar, mas vc precisa de outro plano.
    Ou adaptar este.

  24. Daniela

    Fui, que amanhã tenho teste e preciso estudarrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrr

  25. “there is hope”
    Te amo
    Beijo

  26. gthomas

    TRADUCAO DO INICIO EM INGLES

    MY INDEPENDENCE DAY: Everything to Declare – it’s a long goodbye

    New York- Dearest ones: I’ve come to a crucial point in my life. Actually, ‘THE’ most crucial to date. A pedestrian crossing without the white stripes, an “Empty Space” cluttered with junk, an asterisk. I’ve been in it for a while and have realized that moaning and groaning from the cradle to the grave simply doesn’t help. So, I made a decision.

    “Transform the world: Wake up every morning and change the world”, a soft voice used to whisper into my ear. It was that of Julian Beck, whom I directed in his final show and from whom I learned so much.

    Yes,I used to have a vague idea or notion of things. Yet, I can’t find them anymore. Don’t seem capable of even knowing of where they are any longer. All I can see, eyes open or shut, is that self portrait by Rembrandt , hanging in Amsterdam, staring right at me; he at the age of 55 and I at the same age. Him on one side of a timezone/era as if trying to tell me, or as if WE are trying to tell one another that my Renaiscence is over, finished, and that I’m dead. Am I dead?

    I can’t go on. And I won’t go on.

    Beckett, the one whose universe I’m so very close to, would have said: “but I will go on”. Yes, I do realize the necessity of a continuance, continuity, progression, of a forward movement. However, I look around and ask myself (in less than a subtle way…..”continue what?” if I haven’t really started anything!!!! There isn’t – on my turf (or terminology) that much to be continued.

    My life on stage, as such, is finished. And it is so because I have determined that it has perished. I do not believe that our times reflect theater as a whole (or vice versa) and I certainly don’t have the patience to create the iTheatre, as if it were the extention of the iPhone or the iPod and so on. These miniatures and gadgets of self satisfaction do, indeed, fit extremely well the decadent present days of, well, self satisfaction. Pardon me for writing in loops but this is a reflection of the times. Or is it?
    But art and creativity? Not at all. If one were to analize, say, this or that person’s last movie or CD or choreography we’ll only come to realize that it has all become a mere and smaller repetition of what once had the taste of the new and of the, say, “good”.

    Of course, it’s known that my dramaturgical option has always been on the dark side. From Beckett to Kafka to my own nightmares…a New York Times critic once wrote “that I used the audience as my therapist”. So, I decided to opt for putting Freud center stage right in the middle of Tristan in the Rio Opera House. I guess everyone knows what the outcome was.

    What seems strange is that, up to 2003 or, even, 2005, it made sense to put things on stage or to stage pieces. I cannot, for the world, describe with any sort of precision what has changed. But something has.

    Of course, needless to say, we are political beings. But this shouldn’t mean that our obsession (as artists) should contain ONE political agenda. Au contraire. If there is something called art, it’s there precisely to bridge the gaps left over between that which politicians can’t say (or are unable to say) and our need to find ways to survive (by destroying or constructing). Art as metaphor, art as replica, art as illustration or art as protest; art has always required analogies and fantasy between modern man and that of yesteryear.

    Daniel Barenboim, who was born Argentinean (but is a citizen of the world) and carries an Israeli passport, found a way to ‘apply’ his art to the practical, political world. He’s been trying, since 2004, to promote peace between Palestinians and Israelis through music, In his acceptance speech, during the Wolf Prize Cerimony at the Knesset, he said that his life seemed only validated if he could, somehow, liberate those who were confined (Palestinians who were beginning to be surrounded by a WALL built by Israel) and Isrealis alike.
    I cannot, would not dare compare myself to Baremboim. But building a theater piece from scratch is far more difficult than opening musical scores and making or motivating an orchestra to play. What we do is ‘original stuff’.
    Yeah.

    TEMPORARY LOSS OF MEMORY

    (allow me to skip a part, please)

    I just skipped a part where I quote from a text in a program book of Earth in Trance and Queen Liar. Poetic freedom? Was that it? Or pure boredom? Maybe just a gage or indicator of HOW much I need to tell everyone how LOST I am or where I need to get.

    Perhaps I need to get lost for a while in order to find myself again, as corny as this may sound. I’ve really, seriously lost sense of who I am. No easy thing to say. Yet, I may be living in a bubble of illusion.

    I’ve become a slave of this computer and, likewise, a slave of an immediate political agenda which isn’t even close to my heart, It’s someone else’s, not my own. I do have an enormous knowledge of history. I mean, I am immensely educated in the field of History. Enough so to know that what happens now, today, hardly matters at all, unless one is talking about, say….Obama’s coming to the White House. Well, there’s something!!!!

    Yes, I have to get lost in order to find myself again.

    It might be useful to remind you all: I was brought up in the shadows of the Holocaust, amidst drops of paint by Pollock and ‘ready mades’ by Marcel Duchamp….

  27. Ghost Writer !
    meu mestre deu a partida , é hora ! vamos embora ….

    mas e o G-diet ?
    – que está com Rembrandt te olhando ao fundo , o discurso do Barenboim no Knesset , e a Elis cantando Corrida de Jangada no festival de Montreux …

    fica com o pai ou com o padrasto ?
    ou mando pro conselho tutelar ?

    ………………………………………………………………

    “” … minha geração não INVENTOU nada. .. “colagistas” … , “levamos pra frente, com alguns toques pessoais” o que nos tinham dado na bandeja. Mas quem sofreu foram eles…. “”

    como somos contemporâneos posso dizer que talvez usamos demais o passado , misturamos demais as referências , como em Pollock , embaralhamos tudo e não sobrou nada para a geração atual além de viver suas próprias e medíocres vidas . ou alheias , em reality shows .

    acabou mesmo o mundo e vc tinha dúvida . a terra parou . aproveitaremos para descer e tirar umas férias .

    porque , quando ela voltar a rodar , já sabemos né ? , vai ser ao contrário . e aí , como a bíblia avisou : todos vão passar sua vidas a limpo .

    ao invés de morrermos , desnasceremos .
    ………………………………………………….

    Gerald , sua importância na História da Humanidade já está consolidada . mas a História é perversa . então chega de História . chega de olhar para trás .

  28. Glorinha

    Gerald…

    caminhar…
    boa caminhada…

    penso nenhuma jornada é impossível quando nos propomos a fazê-la com o coração aberto e sincero…

    te enviei um escrito ontem…estranho… era sobre isso, espero que o tenha recebido…

    [[[]]]

  29. Cintia

    para Sandra, Gerald, e Tene

    um retrato
    um retrato do mundo
    um espelho

    homem Sala de Espelhos

    um reflexo
    um fragmento
    destroços
    colagens
    uma imagem
    um sinal
    uma antena
    pára-raios
    difusão

    raízes
    frutos

    flores
    aromas
    sabores

    sementes

    infinito
    Universo
    curvas fechadas
    retas infinitas

    homem Holografia

    Vênus de Botticelli

  30. Toda estrada tem um fim
    Portanto tinha de ser assim
    Disseram antes de mim
    O amor é eterno enquanto dura
    O blog é assim também
    Dor seja qual for tem cura
    Mesmo a de separar de alguém
    Foi um tempo de alegrias
    Com ótimas companhias
    Que me fizeram feliz
    Dias alegres passei
    Ri. Aprendi e até chorei
    Agora o que faço nem sei
    Pois no dia a dia
    Com todos me acostumei
    Sentirei falta de tudo
    Será diferente meu mundo
    Comentário não mais enviarei
    Tampouco os receberei
    Como irei conversar
    Sem um post pra ler
    Sem ter com quem debater?
    AH! Já sei onde apelarei
    Tenho os contatos
    Nunca estarei sozinho.
    Mando e-mail aos amigos
    Envio com muito carinho
    E torço que não esqueçam
    De mim da Baby e do nosso Bobinho
    Então pra vocês, encerro enviando beijinhos.

    XXX XXX
    xx au au

    😉

  31. Isto é PEGADINHA ou é sendo?

  32. Glorinha

    Bom dia para todos!!!
    uma enorme chuva por aqui… dos céus e também de meus olhos…

    O tempo….

    Vi o tempo desenhado
    nas finas linhas de aquarela
    nas linhas intermitentes dos teclados…
    Ouvi o tempo presente
    e de presente dei-o ao passado
    que de lembrança lançou-o para o futuro…
    Que tempo é esse que não me encontro?
    Um tempo em que se quer o tempo
    mas não se deseja realmente tê-lo…
    presos aos caminhos da vida individual e coletiva
    das vidas que estão, foram e virão…
    Que tempo é esse dos sonhos?
    sonhos múltiplos e coloridos
    tempos de união em tempos de solidão…
    Para que medir o tempo?
    se não sei onde começou e não sei por que termina
    pois que de fato nunca acaba
    só porque meus olhos não o verão mais…
    Esse tempo que nos avizinha
    e avisa…
    que está presente, em seu passado, e no futuro disperso
    de seus e meus pensamentos…
    Que tempo é esse?
    Que tempo esse é melhor…ou pior…
    não é nada…
    é só o tempo
    que jamais poderemos encarcerar
    nas linhas de um poema…nas batidas inúmeras do coração….
    pois são muitos tempos em muitos e diferentes corações.

    [[]]
    fui de mim…

  33. Sandra

    Cai o mundo aqui em Sampa. A chuva acompanhou todas as transformações de minha vida: a morte do meu pai, o nascimento de minha filha,…

    “Quem faria isso comigo?

    Olhe fundo nos meus olhos e diga!

    Aqui? Um universo?

    Os de cima, os de baixo?

    Os menores erros… EU DISSE

    Os menores erros EU DISSE

    EU DISSE!

    LUZ!

    SOM!

    Palavras!

    Mas do que valem?

    Nossos poetas estão mortos

    Nossa musica não tem heroísmo

    Nos não temos corpos, somos fracos, somos rasos

    Nossos casos, moribundos.

    Julgamentos: cada caso, um acaso.

    Nossa obra, uma obra do acaso total.

    CLAMO!

    EU DISSE

    CLAMO!

    Que me acordem se eu estiver dormindo

    Minha angustia, meu espírito!

    CONVOCO!

    EU DISSE!

    CONVOCO!

    Uma NOVA geração de criadores!

    Que se afunilem

    E que se intoxiquem

    E ouçam os lamentos das cidades!

    Que se estrangulem, mas achem a geometria das cidades!

    CONVOCO!

    EU Disse. Convoco. Um novo Parangolé Brasileiro!

    E Que chova sobre a NOSSA POESIA!”

    (http://colunistas.ig.com.br/geraldthomas/2008/09/26/abbey-road-vista-de-miami-john-mccain-paul-obama-e-ringo/)

    Que chova sobre você, Gerald!!!!!!!!!

  34. Porque caso seja sendo então o que estamos lendo não é o que queriamos ter lido.ooque queriamos ter lido não lemos.Sim parece que o que lemos é o que realmente deve ser lido.
    Ora se tudo que lemos fosse aquilo que queremos ler então sempre leriamos o que viesse para ser lido.Mas desta vez embora não queiramos ler o que foi lido parece que tem que ser lido mesmo.E estando lido o que realmente era pra ser lido nada mais resta para ler.
    Salvo se voce não entendeu.
    Neste caso leia novamente e você entenderá

    Obrigado.

    Pacheco

    Quase entendendo 😀

  35. sue

    ….
    Sem palavras…
    ..triste , preocupada e muda !!!

    ***************

    SANDRA….
    O *maior* problema….
    Tudo ficou muito *COMERCIAL*…
    O MAL DA HUMANIDADE …. sao as doencas
    que matam os *genios* os bons….
    e a droga do $$$$$….que corrompe os talentos !!!

  36. Ekran

    Como podemos fazer um tempo futuro se permanecemos num eterno (e angustiante) tempo presente, que nunca será passado (a limpo) e assim não se viabiliza como futuro (do presente). Somos apenas um futuro (do preterito)…preterito mais que imperfeito!

    ——————
    introdução do livro “Folha Explica – O PT”

    O livro é assinado por André Singer, jornalista e professor de ciência política da USP (Universidade de São Paulo). Ele foi repórter especial, secretário de Redação da Folha e porta-voz da Presidência da República.

    ———–
    Ideologias à parte, quem viu garante que foi de arrepiar. São Paulo, domingo, 10 de fevereiro de 1980. O auditório do tradicional e elegante Colégio Sion estava abarrotado. Eram 242 delegados de 18 unidades da Federação e um número indefinido de militantes, de 400 a mil, que, embora não credenciados, acabaram sendo admitidos com direito a voz.1 As fotos mostram gente sentada nos corredores e em pé ao fundo da sala. Quando o secretário da mesa, composta em sua maioria de sindicalistas, chamou o crítico de arte Mário Pedrosa, 79, para assinar o Manifesto de Lançamento do Partido dos Trabalhadores (PT), a sala veio abaixo.

    Pedrosa simbolizava o longo e tortuoso percurso que desembocava no encontro do Sion. Membro do Partido Comunista Brasileiro (PCB) na década de 20, o jovem intelectual do Rio de Janeiro parte para Moscou, onde deve freqüentar o curso para formação de quadros na Escola Leninista. A caminho da capital soviética, faz uma parada em Berlim, cidade em que adoece e não pode seguir viagem. Na Alemanha, toma contato com as teses da oposição de esquerda na Rússia, liderada por Leon Trotski.2 Com a expulsão de Trotski do Partido Comunista da URSS em outubro de 1927, Pedrosa desiste de ir a Moscou, rompe em 1929 com o PCB e passa a organizar o trotskismo no Brasil.

    No dia 7 de outubro de 1934, é ferido por um tiro na batalha campal que opôs a Frente Única Antifascista à Ação Integralista Brasileira na praça da Sé, em São Paulo. Na década de 40, depois de afastar-se de Trotski, Pedrosa adere por um período ao Partido Socialista Brasileiro (PSB), agremiação que virá a ser extinta pelo golpe militar de 1964. Em 1971, o professor exila-se no Chile e, em 1973, na França. Quando volta ao país, em 1977, passa a acompanhar com interesse os sinais de que no ABCD paulista surge um novo sindicalismo. Publica na Folha de S.Paulo, em agosto de 1978, a ‘Carta a um Operário’, dirigida a Luiz Inácio da Silva, o Lula, então presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo e Diadema (SP). Nela, sugere a formação de um partido dos trabalhadores.3

    O velho socialista, que morreria no ano seguinte ao da criação do PT, teve a sorte de viver o suficiente para participar, na qualidade de homenageado, da realização do antigo sonho: ver surgir, no Brasil, um amplo partido de esquerda dirigido por operários. Além dele, outras cinco personalidades simbólicas foram convidadas a figurar como os primeiros signatários do manifesto que lançava o partido naquela manhã de verão. Assinaram o livro de fundação, depois extraviado, Manoel da Conceição, líder das Ligas Camponesas que levantaram o Nordeste antes de 1964; o historiador Sérgio Buarque de Holanda (1902-82), autor do clássico Raízes do Brasil; a atriz Lélia Abramo, militante desde os anos 30 e presidente do Sindicato dos Artistas de São Paulo; o professor Moacir Gadotti, em nome do educador pernambucano Paulo Freire (1921-97), criador do método de alfabetização que leva o seu nome; e o oficial da reserva Apolônio de Carvalho, herói da Guerra Civil Espanhola e da Resistência Francesa.

    A idéia acalentada por Pedrosa, dirigida por Lula e endossada pelos nomes acima deu certo. Com altos e baixos, a legenda fundada naquele domingo converteu-se em uma das principais peças do sistema partidário brasileiro. Pela primeira vez –à exceção do curto período entre 1945 e 1947 em que o PCB foi legal–, a esquerda participa de modo competitivo da “grande política” no Brasil.

    Tendo meio milhão de filiados e estando organizado em 4.098 municípios, o PT passou a governar, em 2001, três estados e 187 cidades, entre elas seis das mais importantes capitais brasileiras. É, desde 1998, um dos cinco maiores partidos dos 23 que têm representação no Congresso Nacional e controla cerca de 10% da Casa. Lula ficou em segundo lugar nas eleições presidenciais de 1989, 1994 e 1998. Na última, obteve 21,5 milhões de votos (32% dos válidos).

    É impossível compreender o Brasil do século 21 sem entender o PT. Não só porque ele detém uma fatia dos postos de controle político, mas também porque influencia o comportamento dos demais atores. À medida que se mostrou competitivo na arena eleitoral, o partido passou a ser um divisor de águas. Petismo e antipetismo catalisam segmentos crescentes do eleitorado. A surpreendente performance de Lula na eleição de 1989, quando quase chegou à Presidência da República, levou a que partidos de centro e de direita se unissem em um inesperado bloco para evitar a vitória do PT em 1994 e 1998. Esse bloco, formado em parte para opor-se ao PT, é que detém o Poder Executivo federal e a maioria no Congresso.

    Mesmo quando distante dos cargos de decisão política, sobretudo na primeira metade dos anos 80, a trajetória do partido influenciou o rumo da sociedade. O PT esteve ligado às grandes greves daquela década, à organização da Central Única dos Trabalhadores (CUT), em 1983, e ao nascimento do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST), em 1984.

    Este volume procura, de maneira breve, ‘explicar’ o PT. No capítulo 1, conta quem formou e por que se formou o partido. Em seguida, tenta esclarecer, no capítulo 2, qual é a ideologia e o programa que o norteiam. No capítulo 3, relata como ele chegou, devagar, a constituir a base eleitoral que tem. José Dirceu de Oliveira, presidente do partido entre 1995 e 2001, declarou certa vez que ‘o PT foi criado com vocação de ser governo’.4 O capítulo 4 relata, em linhas gerais, o que o partido tem feito uma vez no poder.

    Para o marxista italiano Antonio Gramsci (1891-1937), ‘escrever a história de um partido é escrever, de um ponto de vista monográfico, a história geral de um país’. Nos estreitos limites destas poucas páginas, é o que se quer fazer aqui.

  37. Ekran

    De volta para o futuro ?

    “O Brasil é politicamente estável, tem regras estáveis, uma economia bem dirigida e não há riscos de segurança”

    Petro-socialismo?
    Capitalismo-pre-salinizado?

    “…um passaporte para sair da condição de ser o país mais desigual do mundo” eis o slogan para Dilma-2010
    O futuro bate a nossa porta?

    “…a Petro-Sal para administrar a exploração no pré-sal…será uma empresa enxuta, com funcionários contratados pela CLT…”
    O passado trabalhista rumo ao futuro?

    “Vos sois o sal da Terra”, será?
    ————–

    08/09/2009 – 09h46
    Pré-sal é passaporte para combater desigualdade, diz Dilma

    da France Presse, em Londres
    da Folha Online

    A ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, afirmou que o novo modelo regulatório para a exploração da camada de pré-sal do Brasil é um passaporte para acabar com a desigualdade no país, segundo entrevista publicada nesta segunda-feira pelo diário britânico “Financial Times” (“FT”).

    “Esse modelo é apropriado para a quantidade de petróleo que temos, para os reduzidos níveis de risco exploratório e os altos níveis de rendimento. Queremos ficar com uma parte maior dos recursos do petróleo”, declarou a ministra ao “FT”. “É um passaporte para sair da condição de ser o país mais desigual do mundo”, acrescentou.

    Segundo o “Financial Times”, o projeto brasileiro não foi bem recebido pela indústria petroleira, que teme que um desestímulo dos grandes investimentos privados necessários para o início da produção comercial destas reservas em 2015.

    A ministra, no entanto, se disse convencida de que o tamanho gigantesco das reservas atrairá os investidores, independente do modelo de gestão.

    Justine Thody, analista da Economist Intelligent Unit, concordou com a avaliação de Dilma Roussef. “O Brasil é politicamente estável, tem regras estáveis, uma economia bem dirigida e não há riscos de segurança”, declarou à agência de notícias France Presse. “Não há muitas oportunidades como esta no mundo para as companhias de petróleo estrangeiras.”

    O governo enviou quatro projetos ao Congresso para tratar do pré-sal. O primeiro projeto muda o sistema de exploração para o regime de partilha, onde o óleo extraído é dividido entre o governo e a empresa privada responsável pela exploração. Atualmente, o governo adota o sistema de concessão, pelo qual a empresa privada paga royalties sobre o petróleo extraído.

    De acordo com o material distribuído pela Casa Civil, o objetivo é “assegurar para a Nação a maior parcela do óleo e do gás, apropriando para o povo brasileiro parcela significativa da valorização do petróleo”.

    O segundo projeto de lei trata da criação de uma empresa estatal, a Petro-Sal para administrar a exploração no pré-sal. Segundo o governo, será uma empresa enxuta, com funcionários contratados pela CLT (Consolidações das Leis Trabalhistas). A empresa representará o governo nos consórcios formados para a exploração do petróleo.

    O terceiro projeto trata da criação de um fundo social para onde serão destinados os recursos do governo obtidos no pré-sal. Apenas os rendimentos do fundo deverão ser utilizados e serão destinados para a área social, ciência e tecnologia, educação, cultura e ambiente.

    O quarto projeto trata da capitalização da Petrobras. A União transferirá direitos de exploração de uma quantidade fixa de barris de petróleo para a Petrobras em troca de pagamento em dinheiro ou títulos públicos. A operação terá um limite de 5 bilhões de barris.

  38. “””Gerald Thomas lança um olhar pessoal não só ao evocar a sua própria história como ao analisar o conturbado contexto contemporâneo. “Vivemos hoje o pior momento desde a Segunda Guerra Mundial. Viajo muito pela antiga União Soviética e percebo como tudo está caótico por lá. Moscou se tornou a cidade mais cara do mundo, superando Tóquio e Londres. A América Latina ainda não se entendeu. Nas oficinas que realizo em Buenos Aires noto como pessoas da Argentina, do Peru, da Bolívia, do Panamá, da Colômbia, do Uruguai, da Venezuela e do Chile se entreolham mas não se agrupam. Nos países da Europa, isto não acontece”, destaca.

    A falta de integração não é o único fator grave que Gerald Thomas detecta. O diretor sublinha também a perda de consistência nestes primeiros anos de século XXI, evidente, segundo ele, no nível dos próprios atores. “Os atores mais velhos têm a pele mais grossa, no sentido de possuírem bagagem e informação. Eles viveram a história. Conhecem a revolução de Sierra Maestra, sabem sobre a Baía dos Porcos, lembram de quando Getulio Vargas se suicidou. Hoje em dia, por causa da internet, ninguém mais adquire cultura. As pessoas teclam o google e apresentam o resultado para o professor. Poucos têm noção de quem foi Salvador Allende ou informações sobre a Guerra das Malvinas. Nas minhas aulas, em Nova York, percebi que os alunos ignoravam Artaud e o Living Theatre. Na Argentina, Victor Garcia, gênio do teatro, não é conhecido. Vivemos a globalização, que pode ser resumida à seguinte ideologia: as pessoas querem ter tudo porque o mundo lá fora está ficando uma desgraça”, critica.

    Ao longo de sua carreira, Gerald Thomas dirigiu atores como Julian Beck, fundador do Living Theatre ao lado de Judith Malina, Fernanda Montenegro (em “The flash and crash days”), Ítalo Rossi, Rubens Corrêa, Sergio Britto (todos em “Quatro vezes Beckett”), Marco Nanini (“Um circo de rins e fígado”), além das parcerias habituais com Bete Coelho, Fernanda Torres, Magali Biff e Luiz Damasceno na Companhia de Ópera Seca. O diretor também vem transportando a realidade para o palco através dos atores que escala, como aconteceu ao dirigir Fernanda Montenegro e Fernanda Torres, mãe e filha, Marília Gabriela, recriando em “Esperando Beckett” um estúdio de televisão, e, mais recentemente, Serginho Groissman. É uma forma de Gerald Thomas abolir a fronteira entre ator e personagem. “Nas minhas peças, as pessoas são chamadas pelos verdadeiros nomes. Acho o conceito de personagem algo completamente ultrapassado. Muitos ainda acreditam na ficção da personagem, mas só quem existe é a própria pessoa”, declara.”””

    http://oglobo.globo.com/cultura/rioshow/mat/2008/12/09/mostra_riocenacontemporanea_entra_em_cartaz_em_edicao_de_bolso_-586910998.asp

  39. FRANKLIN ALBUQUERQUE

    NA BOA GERALD…DIZER QUE A SUA VIDA NOS PALCOS ACABOU, NÃO TÁ COM NADA ! VAI TRABALHAR CARA ! INVENTA AI ALGUMA COISA…

    BJS…

  40. Ekran

    Rindo do quê?

    ——————-
    O Globo – SEGUNDO CADERNO – 05/05/2009

    Kafka e Beckett previram o futuro
    Arnaldo Jabor

    Buscamos uma harmonia que nunca mais virá

    A ideia de “totalidade” que animou a “razão humana” por milênios acaba de falecer. Acabou de morrer com o socialismo fracassado. O homem pensa como um organismo, deseja que a vida seja um corpo funcional como o nosso. Tudo aspirava a ser “um”. Toda razão sempre aspirou à totalidade. Agora só há fragmentos. Os pensadores ainda fingem gostar do fragmentário, do caótico, do incontrolável. Mentira. Cada fragmento se reerige em totalidade. De onde falamos, quando pedimos o Bem? Falamos de uma “harmonia perdida”, como se ela fosse ainda possível ou tivesse algum dia existido. Só a ficção previu a ilógica do mundo atual.

    Kafka e Beckett previram o mundo de hoje muito mais claramente que os cientistas políticos. Disseram para Brecht: “Kafka foi o primeiro autor bolchevista”. Brecht observou: “E eu sou o último escritor católico”. Por que praticar o Bem se ele não é mais possível? O Mal virou uma necessidade social. Não dá mais para viver sem praticar o Mal. Não dá para estragar a nossa felicidade cada vez que olhamos para crianças famintas. O Mal é um mecanismo de defesa. O Mal é sempre o “outro”. Nunca somos “nós”. Hitler nos absolveu a todos. Stalin nos fez santos.

    Achamos que a ‘tarefa democrática’ seria um subproduto do capitalismo, como se ele almejasse a diferença, a contemplação das diversidades. Doce ilusão achar que o capitalismo almeja o heterogêneo. Vejam a obviedade da crise financeira, gerada pelos velhos vícios da voracidade e do egoísmo. Sempre houve um grande “auê” com as injustiças da ditadura. Mas e o Mal dos democratas? Estamos na era do erro inextrincável. Do crime “sem criminosos”. Nem Bem nem Mal. São as coisas que estão controlando os homens. É o CO2 que controla os governos e não o contrário. As coisas tomaram o poder. Cito Heiner Muller: “A máquina odeia o homem, pois para todo sistema de ordem ele apresenta um fator de perturbação. O homem faz sujeiras, não funciona direito. Logo, é preciso que ele se vá, o capitalismo deseja a perfeição do sistema estrutural da máquina”.Os fiascos de hoje são defeitos de fabricação.

    Ou o lixo que o lixo do capitalismo gera. A gripe suína nasce de onde? Deste grande pesadelo poluído e sem controle. No Brasil, muitas catástrofes são “fora do lugar”. A evolução técnica convive com o ambiente de miséria e dá no malfunctioning. Explodem pela soma de novas tecnologias com o excesso de atraso: traficantes no morro com supermetralhadoras. Todos sabíamos que a bolha poderia explodir. Explodiu. Esse malogro traz uma nova era? Terrível ou não, alguma verdade vem aí. Que nova verdade será essa? A prudência, a parcimônia?
    Nossa catástrofe maior é a impotência política.

    Há também o naufrágio da insensibilidade crescente diante do horror. Os fatos estão além da piedade. Há o tédio crescente pela catástrofe, quando a alma vira uma grande pele de rinoceronte. Mas há ainda um grande amor brasileiro pelo fracasso, pela falência de propósitos. Quando o fracasso acontece, é um alívio. O fracasso é bom porque nos tira a ansiedade da luta. Já perdemos, para que lutar? O Mal do Brasil não está no assassino serial, está nos pequenos psicopatas que nos roem a vida. O Mal do Brasil não está na infinda crueza da burguesia nordestina (pior que a do Sul e do Sudeste), está muito mais no seu riso, na sua cordialidade. O Mal não está na máfia das passagens aéreas no Congresso, nas roubalheiras, mas nos simpáticos jaquetões dos nossos parlamentares, em suas gargalhadas soltas.

    Ao denunciar o Mal, vivemos dele. Vivemos da denúncia e com ela lucramos. Eu lucro sendo um cara “legal” que denuncia o Mal e, assim, escapo da fome, comendo a comida de quem lamento. Como quase nada acontece no Brasil, a não ser o desatino, o erro da tentativa, o tiro pela culatra, a incompetência arrogante, quando um desastre ou escândalo acontecem, a plateia fica calma. Nossa vida fica mais real e podemos então, aliviados, botar a culpa em alguém. E dizemos: “Viram? Nada dá certo aqui… a culpa é deles…” Eles quem? Há uma tradição de que nossa vida é um conto do vigário em que caímos. Somos sempre vítimas de alguém. Nunca somos nós mesmos. Ninguém se sente vigarista.

    Há os fiascos em preparação, como as reformas do Estado que o Congresso não deixa fazer; há as catástrofes da lentidão dos processos jurídicos; há os eternos denunciadores do fim, fotógrafos, escritores, jornalistas (eu?), gente que denuncia o mal do mundo para o mundo, denúncias que são um pleonasmo maldito para nada. A vitória é burguesa. “Seja marginal, seja herói”. O fracasso é legal, a vitória é careta. A vitória dá culpa; o fracasso é um alívio. A crise, a catástrofe, o bode-preto têm um sabor de “revolução”. É como se a explosão “revelasse” algo, uma tempestade de merda purificadora. Além disso, para os carbonários, depois de tudo arrasado, a pureza renasceria do zero.

    O Brasil é visto como um grande “bode” sem solução — paraíso da esquerda pessimista, dos militantes imaginários. Quem quiser positividade é traidor. A Academia cultiva o “insolúvel” como uma flor. Quanto mais improvável um objetivo, mais “nobre” continuar tentando. O masoquista se obstina com fé no impossível. A falência nos enobrece. O culto português à impossibilidade é famoso. Numa sociedade patrimonialista como Portugal do século XVI, onde só o Estado-Rei valia, a sociedade era uma massa sem vida. Suas derrotas eram vistas com bons olhos, pois legitimavam a dependência ao Rei. Fomos educados para a desgraça. Até hoje somos assim, só nos resta xingar e desejar o mal do país.

    Vejam como o Brasil se animou com a crise atual. Assim como o atraso sempre foi uma escolha consciente no século 19, o abismo para nós é um desejo secreto. Há a esperança de que no fundo do caos surja uma solução divina. “Qual a solução para o Brasil ?”, perguntamos.

    Mas a própria ideia de “solução” é um culto ao fracasso. Não nos ocorre que a vida seja um processo, vicioso ou virtuoso, e que só a morte é solução. Para o Bem ou para o Mal.

  41. gthomas

    Ekran. Posso te pedir uma coisa?

    Eh sobre a MINHA vida que falo aqui. Sobre as MINHAS DIFICULDADES E DECEPCOES.

    POR FAVOR nao encha esse blog com Jabor, com Kafkas e Becketts. Eu certamente sei mais sobre esses dois do que qualquer comentarista.

    Sorry, mas esse dia (hoje) eh meu e nao irei abdicar dele

  42. gthomas

    O Claudio achou umas coisas otimas (nao sei como e onde) mas, de qq forma, estimulantes – ja que me lembram de mim em alguma hora no passado

  43. ester rodrigues de souza

    Meu querido irmão! pois somos todos CRIATURAS DO GRANDE PAI. !sua dor é grande, pude sentí-la. você está vazio do “ÚNICO” o “EU SOU” o que pode preencher , transbordar seu Espírito de Amor, Esperança , Beleza, NOSSO CRIADOR. Permita-se esvaziar de qualquer criação sua , ou de outro humano e, começe à admirar a verdadeira OBRA digna de aplausos. muitas civilizações desapareceram por conta das transformações inevitáveis que o Tempo cobra. Eternidade pertence ao ETERNO. é normal vez ou outra nos sertir-mos pequeninos grãos de areia , diante do UNIVERSO INFINITO mas, prostando-nos ÀQUELE que o criou, sentiremos que temos seu DNA e, transbordaremos felicidade.

  44. Pingback: Twitter Trackbacks for Minha “INDEPENDENCIA OU MORTE” -TUDO A DECLARAR – “It’s a Long Goodbye” | Gerald Thomas [ig.com.br] on Topsy.com

  45. Cintia

    “MUITISSSIMO OBRIGADO A TODOS DO BLOG POR TEREM FEITO PARTE DA MINHA VIDA E POR DEIXAREM EU FAZER PARTE DA VIDA DE VOCES.”
    (GT)

    Gerald,

    Vc fazer parte das nossas vidas foi e sempre será um inestimável privilégio para todos nós.
    E com certeza falando por todos, nós é que temos muitíssimo a te agradecer, hoje e para sempre.

  46. Dani

    Olha, não tive mesmo paciência prá ler tudo, juro!
    Até pq vc já disse isso tantas vezes…
    mas te desejo boa sorte.

  47. Sandra

    “Meu pai me fazia ouvir Beethoven numa RCA Victor enorme que tínhamos. E eu, aos prantos, com a Pastoral (a sexta sinfonia) desenhava, desenhava essas coisas que, décadas mais tarde (na biblioteca do Museu Britânico) iam virando projetos de teatro.”

    Esse foi o trecho que fez com que eu não conseguisse mais segurar as lágrimas. Imaginei aquela criança chorando com a Pastoral.

    Quantas vezes não ouvi a Pastoral indiferente, até que um dia ela também me fizesse chorar e pensar: que coisa linda! Como pude não ter ouvido isso antes???

    Quanto tempo isso faz? Alguns anos, apenas…

    Estou há anos-luz daquela criança. Não é a toa que ela me ensinou a chorar lendo um texto. Chorar de soluçar, de turvar a vista… lágrimas novas e antigas.

    Gerald, leve com você minha gratidão. E meu carinho.

  48. gthomas

    Sandra: eh voce que nao tem nocao de quanto devo a voce.

  49. Sandra

    “Mas teatro? O que vem a ser isso?

    Para alguns é uma questão meramente financeira. Para outros é uma questão de alma. Para outros é uma necessidade física. Ainda tem aquele que o pratica por um amor definitivo e químico-dependente.

    O Teatro, assim como o Sambódromo (vazios), não é a representação de nada, necessariamente. Mas preenchidos, viram a interpretação do “TUDO” que somos, que fomos e, principalmente, daquilo que NÂO fomos e que NÃO somos. Isso torna o teatro uma somatória (um terreno) um tanto quanto “despido” (no bom sentido) daquilo que tememos ser quando não temos a coragem de nos olharmos no espelho.
    Mesmo assim o teatro sobreviverá através das coisas que são GRANDES demais para serem percebidas ou PEQUENAS demais para serem notadas.

    Gerald Thomas (Feliz Páscoa, ou Pessach, para todos!)”

    (http://colunistas.ig.com.br/geraldthomas/2009/04/08/nao-seja-marginal-para-nao-ser-heroi/)

    Feliz Pessach, Gerald.

  50. Armando Nascimento Rosa

    (…)
    WINNIE_LIBERTADA: Godot é uma criança com amnésia. Por isso está sempre a começar.

    ESTRAGON: A começar?

    WINNIE-LIBERTADA: A começar.

    BOY: Vou começar agora?

    WINNIE-LIBERTADA: Sim.

    VLADIMIR: Não!

    ESTRAGON: Viver tudo outra vez?

    BOY: Então volto amanhã. Esperem por mim. (Sai a correr.)

    VLADIMIR: Continuar à espera dele? Assim não brinco.

    WINNIE-LIBERTADA: Que havemos nós de fazer senão brincar?

    Últimas falas que encerram a minha peça NÃO ÉS BECKETT, NÃO ÉS NADA, ou Espera Apócrifa reloaded (Lisboa: ApenasLivros, Setembro de 2009)

    Neste dia em que li a sua impressionante declaração de ansiosa vida na arte, estreia-se e publica-se em Lisboa esta minha peça epigonal com um grupo de quatro jovens actores que a quiseram fazer, no Teatro da Comuna. Não quis deixar de lhe escrever esta mensagem, com as falas destas personagens, do inimitável Beckett, que reinventei para tudo e para nada, como é próprio do teatro. E que tal se no regresso do seu retiro, seja quando for, nos pudéssemos cruzar um dia, para um brainstorming cénico, num qualquer palco deste globo em aquecimento acelerado?

    Esperando por Gerald

    Um Abraço de Portugal

    Armando Nascimento Rosa
    (dramaturgo)

  51. Mami

    Hoje em dia é assim mesmo, Gerald! Não se cria nada de novo, só se copia. É característica dessa época, mas tudo é cíclico, outros gênios virão no futuro, um novo tipo de som será criado, quem sabe a partir da invenção de um novo instrumento musical? Como e quando, não sei. Até lá, será tudo igual, tudo copiado. Você quer coisa mais ridícula do que a filha da Elis Regina, a tal da Maria Rita, imitando a mãe em tudo por tudo? Voz, repertório, postura no palco, expressão facial e gestual, etc? Para mim, esse é o exemplo mor da mediocridade do artista em nossa época. Quando a vejo (sem querer, porque não a procuro), sinto, por ela, a vergonha que ela deveria sentir. Portanto, não desista, você tem princípios que devem ser expostos para que não morra a sementeira.

  52. Silvinho

    Eu acho que teatro de que ter POLTRONA!!!
    Esse negocio de ficar sentado em banco de concreto
    relembrando shows do Led Zeppelin e coisa de hippie Jurassico.
    Como ja disseram, nada como um aging Hippie ou aging
    Rock’n Roller…

  53. Oi, Gerald e pessoal.

    Gerald: isso quer dizer que o blog acabou? Não desista do teatro ainda! Que tal montar uma peça simbólica sobre o aquecimento global? Henry Ford Cristo quer salvar o mundo e J. C. Rabonú está esperando seu fim. Ambos encarnam diferentes explicações do aquecimento global e diferentes posturas:

    O Show dos Beatles nas Filipinas
    · Paul Rabbitt
    · Miguel
    · J. C. Rabonú
    · Henry Ford Cristo

    No terraço de um hotel quatro estrelas no centro de Belo Horizonte.

    CENA 1

    (Paul e Miguel acabaram de chegar dos EUA e estão no terraço do Othon Palace em BH, bebendo muito).

    Miguel (entra cantarolando): “E o som dos Beatles na vitrola…Será, que algum dia eles vêm aqui? Cantar as canções que a gente quer ouvir?”

    Paul Rabbitt (irritado): Miguel, há algo dos Beatles que nunca foi dito e que você não sabe. Vou revelar agora.

    Miguel: Ah, fala o meu grande guia espiritual.

    Paul Rabbitt: Os Beatles só fizeram um concerto em país de Terceiro Mundo: as ilhas Filipinas. E eles não fizeram reverência ao ditador local, Ferdinand Marcos. No dia seguinte, foram vaiados ao ir fazerem o show. O show foi terrível!

    Miguel: Oh! O show dos Beatles nas Filipinas!

    Paul Rabbitt: e John Lennon gritou: nunca mais iremos a um país como esse! Esse país é um hospício!

    Miguel: então foi por isso que os Beatles não vieram ao Brasil nem Lennon cumpriu a promessa de vir dançar fantasiado o carnaval de máscara, para que ninguém o reconhecesse!

    Paul Rabbitt: não acabo de te dar a luz, Miguel?

    Miguel: Siiiim! Este país é um hospício! Salve o lindo pendão das minhas pernas que a brisa do Brasil beija e balança!

    CENA 2 (Paul e Miguel conversam no quarto de hotel, agora sóbrios).

    Paul Rabbitt: Miguel, Miguel, você ligou para a editora hoje?

    Miguel: Liguei. Eles vão estar mandando o adiantamento em breve.

    Paul Rabbitt: “Vão estar mandando”. Não suporto esse gerundismo de Telemarketing. Copiado do inglês.

    Miguel: Desculpe, desculpe, vou providenciar tudo, pode ficar descansado e ir escrevendo seu livro.

    Paul: estamos aqui no Brasil para conhecer o tal Rabonú. Nesse meio tempo, enquanto não falo com ele, vou visitando uns parentes aqui. A viagem será proveitosa…

    Miguel: Você está escrevendo sobre a segunda vinda de Cristo, não é?

    Paul: Pois é. Mas, se não encontrar inspiração aqui vou para Los Angeles ou o sul da França. Há anos meus livros de auto-ajuda e esoterismo são um sucesso nos Estados Unidos e Europa.

    Miguel: Rabonú é, pelo que soube pelos e-mails, um mau profeta, um arrogante dono da razão.

    Paul: Você acha que ele pode ter alguma novidade utilizável em meu livro, não é?

    Miguel: Claro! Eu já estou entrando em contato com ele via telefone e telepatia, não se preocupe.

    Paul: Será que ele se diz uma reencarnação de Cristo? Se não disser, não presta! Eu sou como o Paulo Francis.

    Miguel: Vejamos se esse contato vai ser proveitoso.

    Paul: É bom, senão…Você tem outro emprego em vista? (Paul sorri, sarcástico, servindo-se de uísque e gelo).

    CENA 3

    Paul Rabbitt: Veja, Miguel, estou compilando informações sobre a Segunda Vinda. Já reuni as citações bíblicas sobre a volta…

    Miguel: Ficou só na Bíblia, até agora?

    Paul Rabbitt: Não, já soube da vinda de um suposto Cristo-mulher, da crença russa de que Cristo reencarnou num corpo de soldado e depois foi morto. Li também a respeito de um beberrão e blasfemo italiano que passou alguns dias em um mosteiro e saiu convencido de que ele mesmo era Cristo, tendo reunido um bom número de fiéis e causado confusão Itália afora.

    CENA 4

    (Paul e Miguel encontram-se com Rabonú em Ouro Preto).

    Paul: Foi preciso vir a essa praça suja, essa feira bagunçada?

    Miguel: Vai ser legal, aí, de boa…

    Paul: Há tantos anos costumo ir só a Champs Elysées e ao Central Park em New York…

    Miguel: Olhe, lá vem ele.
    (Rabonú aproxima-se com roupas de hippie. Ele tocava junto com um conjunto de músicos peruanos a canção If I Could, de Simon and Garfunkel).

    Paul (falando baixo para Miguel): Mas é um coitado! É só um pobre diabo!

    Rabonú (encara muito sério Paul Rabbitt e Miguel): O Hercóbulus está chegando!

    Paul: O que é isto? É o nome do novo Cristo?

    Rabonú: Naaaaaão! O planeta Hercóbulus está chegando! Eu sou o profeta da chegada de um planeta vermelho e gigante que está afetando a Terra!

    Miguel (aflito): Se você é profeta, é a reencarnação de Cristo?

    Paul: Deixe-o falar, Miguel, vamos ver se presta.

    Rabonú: Calem-se! Agora vocês escutarão minhas sábias palavras. As mudanças climáticas pelas quais a Terra está passando são fruto da aproximação de um planeta cinco ou seis vezes maiores do que Júpiter! E vocês têm pouco tempo para seguir meus ensinamentos e apagar seus defeitos psicológicos para poderem ser salvos.

    Paul: Mas não seria culpa do Bush?

    Miguel (cantarola): and who is the fascist? Bush, Bush, Bush, Bush!

    Rabonú: Sim, o planeta está chegando com extraterrestres que já vivem numa sociedade mais adiantada, a sociedade socialista. Eles só salvarão alguns dentre nós.

    Paul Rabbitt: Rabonú, os extraterrestres socialistas vãos nos ajudar?

    Rabonú: Os terrícolas crêem que é tudo brincadeira, mas realmente é princípio do fim do planeta Terra. Ninguém, no entanto, poderá deter o cataclismo.

    Paul: Não há nada que possamos fazer, senão esperar o apocalipse? Mas não virá nenhum Jesus, nenhum sinal?

    Rabonú: Hercóbulus tem sua humanidade, tão perversa quanto a daqui. A nossa ciência não poderá atacar os Hercobulusianos porque eles se defenderão e fim será mais rápido ainda.

    Miguel: Então existe vida inteligente fora da Terra?

    J. C. Rabonú: Os cientistas vão rir feito asnos zurrando, pois infestaram o planeta com armas atômicas e não levaram em conta que existe Deus e sua Justiça Divina.

    Paul: Mas nenhum cientista avisou-nos da chegada desse planeta? Por que eles estão nos escondendo esse fato?

    Rabonú: O que está acontecendo agora, com todos procurando ganhar dinheiro a todo custo, aconteceu na Atlântida, numa época em que Deus era o dinheiro.

    Paul: Existiu um culto ao Deus-dinheiro? Nunca ouvi falar.

    Miguel (cantarolando): Money makes suffer downer, money makes the world go roooound!

    J. C. Rabonú: O eixo da Terra está fora do seu lugar e com tremores, terremotos, maremotos, acabará por deslocar-se e virá o afundamento.

    Paul: E os ETs? Não se importam com nosso destino?

    J. C. Rabonú: Os ETs são super-homens e sábios! Tenho ido, em meu corpo astral, a Vênus e Marte. Consigo descrever essa maravilha de habitantes, com sabedoria, cultura e vida angélica muito superiores às daqui.

    Miguel: Vinde conosco para a Feira Literária de Parati, a FLIP, onde o Sr. Paul Rabbitt deve em breve fazer a leitura de um capítulo do livro dele. E terá oportunidade de advertir a humanidade, pois lá existem repórteres de todo mundo.

    J. C. Rabonú: Vamos, vamos! Os fatos não se fazem esperar e é preciso prevenir a humanidade. No mais, não há tempo a perder em coisas ilusórias.

    CENA 5

    (Miguel, Rabonú e Paul estavam no hotel, fazendo os preparativos para partida até Parati, peregrinando na Estrada Real, quando encontram Henry Ford Cristo).

    Paul: Miguel, Miguel, já estão prontas as malas?

    Miguel: já está quase tudo pronto, Paul.

    Paul (voltando-se para outro lado): Rabonú, você vai partir conosco?

    J. C. Rabonú: Sim, partirei em peregrinação junto a vocês e alertarei a pobre humanidade.

    Henry Ford Cristo (entra com coroa de espinhos, largas roupas brancas e barba de profeta): A Humanidade será alertada por mim, não por você! Sou o Cristo que regressou!

    Paul (extático): É você quem eu estava esperando!

    Henry: Eu já renasci em vários lugares e ainda não fui aclamado Salvador. Eu renasci em Bristol, fui preso, supliciado e novamente morto no pelourinho. Fui um bêbado na Itália, no século dezenove, depois me revelei o Salvador, mas novamente fui supliciado. Apareci na Rússia também, filho de uma camponesa e de um ancião de cem anos, mas o Czar me mandou crucificar frente ao Kremlin. Depois, renasci como um louco gaguejante em Novrogod, para ser novamente preso e supliciado junto com os anti-czaristas. Deus muitas vezes utiliza a máscara da imbecilidade. Eu fui um cozinheiro negro de um vagão restaurante nos Estados Unidos, profetizei que era o Jesus Negro, mas fui morto outra vez, no Sul dos EUA, pela Ku Klux Klan. Agora vim para a Segunda Vinda definitiva, nasci em Belém do Pará no Brasil e lá fui preso pela polícia, revivendo meu martírio. De lá, parti para fundar minha Igreja em torno de Brasília, cidade fonte futura de um jorro universal de leite e mel…

    Paul: Mas ora você vem como Cristo-homem, ora como Cristo-mulher?

    Miguel (cantarolando Ney Matogrosso): Se Deus é menina e menino, sou masculino e feminino…
    Henry Ford Cristo: Sim, já fui a camponesa Ana Lee. Eu já fui um Cristo-mulher, eu fui presa e interrogada, mas comecei a falar em todas as línguas conhecidas. E profetizei que na Américas nasceria a coisa nova, um mundo sem maldade! Minha porção mulher foi derrotada, mas eu renasci em Belém! Desta vez, para triunfar!

    Paul: Escute Henry Ford Cristo, tenho uma proposta para lhe fazer…Gostaria muito de ir te entrevistando…

    Henry Ford Cristo: Como já disse, na minha primeira aparição em Belém do Pará, invadi uma catedral para arrebentar com o bonequinho. E expulsei o falso sacerdote.

    Paul: Que bonequinho?

    Henry Ford Cristo: Para mim, a figura do Cristo crucificado não significa nada! Eu sou o Cristo renascido! De nada vale um Cristo morto. O povo brasileiro precisa de um Cristo vivo, audacioso, andando entre nós…

    Paul: Glauber Rocha, em seu último filme, também enfocou o mito Cristo. Em Idade da Terra tinha Cristo militar, que era o Tarcísio Vieira, existia o Cristo guerrilheiro e vários outros Cristos que lutavam contra Brahms, o símbolo do imperialismo.

    Henry Ford Cristo: Mas mito eu não sou! Quando fiz minha primeira ação cristã, expulsando o falso sacerdote da Igreja, ele chamou a polícia, me chamando de louco, esquizofrênico. Sou feito de carne e não de mito!

    Paul: E esse nome americanizado? Cristo made in Usa! Lennon dizia que, se vivesse no mundo antigo, gostaria de viver em Roma, mas como vivia no mundo moderno, vivia em New York como eu…

    Henry Ford Cristo: Então, Paul, ele perderia minha primeira vinda e nem ficaria sabendo…

    Paul: Genial! Está vendo, Miguel, que achado esse homem!

    Miguel: Pois é… Agora vamos para Parati, para a FLIP, como vamos fazer?

    Paul: Senhor, venha comigo e lhe apresentarei para uma platéia cheia na Feira Literária de Parati.

    Henry Ford Cristo: Em verdade vos digo: minha resposta é sim e irei contigo.

    Paul: Que bom! Iremos conversando sobre esses assuntos, sobre essa sua nova vinda…

    Miguel (falando baixo para Paul): Mas esse cara é maluco, Paul.

    Paul (dando uma cotovelada em Miguel): Miguel, informe ao meu motorista que estamos partindo agora! Miguel, pegue as malas de Henry Cristo, o salvador que se apresentou a mim na estrada real de Parati, a nova estrada de Damasco! (e falando baixo para Miguel): Miguel, vou apresentar esse sujeito na Feira e vai ser um sucesso, além de colher material para o meu livro! Agora vá pegar as malas dele, vá…

    Miguel: já vou, já vou.

    CENA 6 ( Horas depois, viajando no carro de Paul, os quatro chegam a um bar em Tiradentes).

    Miguel (à parte no bar, dirigindo-se para Paul): Paul, acho que não foi boa idéia trazer esses malucos junto da gente.

    Paul: Mas são dois profetas!

    Henry Ford Cristo: Ah, sei. Estive ali olhando a sinuca desse bar…Vamos jogar uma partida?

    J. C. Rabonú: Devemos abandonar todas as ilusões enquanto o Hercólubus não chega…E penso que não há problema em nos divertirmos um pouco. Eu, com um saltinho já fico flutuando…

    Henry Ford Cristo: Então você tem superpoderes?

    J. C. Rabonú: Não, isso é coisa de cientistas que ficam zurrando burrices. Desenvolvi capacidade de sair de meu corpo carnal e fazer viagens astrais.

    Miguel (conciliador): Pessoal, vamos jogar uma partida de sinuca para relaxar, que tal? (Paul, Rabonú e Henry Ford Cristo concordam e passam a debater entre copos de cerveja e tacadas de sinuca):

    Henry Ford Cristo: Eu tive uma visão, vi uma porta aberta no céu, uma voz falara comigo.

    Rabonú: Eu não tive uma visão, saí do corpo em viagem astral.

    Paul: O que vocês acham do messias Lula?

    Rabonú: Lula não é o messias esperado pelo povo brasileiro. Eficácia definitiva, só na Justiça Divina, que nos enviou o Hercólubus, que agora está chegando.

    Paul: Os messias não resolvem! Vejam os índios Morales e Chávez…

    Henry Ford Cristo: Eles decidiram, pelo menos, enfrentar o império americano decadente. Com eles, e com os aiatolás atômicos, com os mexicanos na fronteira do muro da morte, começarão as invasões dos doces bárbaros.

    Miguel (cantarola): Afoxé, lindas canções, nossos planos são muito bons!

    J. C. Rabonú: Chávez e Evo Morales são índios que conspiram contra o branco. De nada adiantará esse forte apego material. Pior ainda que se eles se ligarem ao selvagem materialismo científico do comunismo…

    Henry Ford Cristo: Chávez e Morales são manifestações de um Cristo popular, um Cristo cósmico, glauberiano. Chávez é novo gênio da raça!

    J. C. Rabonú: Estoy com Diogo Mainardi, sou pelo ufanismo da calamidade. De nada adiante resistir, se o mundo acabará dentro em pouco. O presidente do Irã é da maldosa humanidade de Hercólubus. Ele está no meio de nós.

    Henry Ford Cristo: A Amazônia deverá ser preservada com a espada de Cristo. Estamos vivendo os últimos tempos que se estendem da minha Ascensão até a minha volta enquanto Juiz. O que, aliás, já ocorreu.
    Rabonú: Henry, você não é o salvador, você quer fazer a revolução dos idiotas!

    Paul: Em meu novo livro, falarei sobre o messianismo religioso, mas não sobre o messianismo político. A América Latina já sofreu muito com seus líderes e caudilhos carismáticos…

    Miguel (cantarolando): Enquanto os homens exercem seus podres poderes, padres, bichas, adolescentes e mulheres fazem o carnaval. Ah, a incompetência da América Católica, que sempre precisará de ridículos messias.

    Rabonú: carismáticos como Hitler.

    Paul: Eu não queria chegar até aí.

    Henry Ford Cristo: Chávez é muito diferente de Hitler. O nacionalismo de direita de Bush, que faz guerras de conquistas, é que se aproxima do de Hitler.

    Paul (gritando): Cheeega! Moooorrram! Tomara que vocês morram no meio de uma frase, como disse Nelson Rodrigues em Anti-Nelson Rodrigues.

    CENA 7 (Paul aparece no telefone, fora do bar, onde se ouvem, ao longe, rumores de sinuca, copos e a discussão acalorada de Rabonú e Henry Ford Cristo).

    Paul: Olhe, como eu lhe disse, estou trazendo dois profetas impressionantes para compor a mesa comigo em julho. Sim, sim, estamos fazendo a Estrada Real….Sim….Estou recolhendo material para meu novo livro…Sim, sim, sim, vai ser muito interessante, vocês vão ver…Pois é, pois é, já estou avançado. É sobre a Estrada Real. A estrada real agora é meu caminho de Santiago…

    CENA 8 (Em Parati, os três hospedados em um hotel luxuoso, conversando no Hall, sentados em poltronas).

    Henry Ford Cristo: Parati, enfim. Vim, vi e venci.

    Paul: Gostaram da chegada na cidade?

    J. C. Rabonú: O Brasil é um país tão jovem, tão criança, mas já está decrépito o suficiente para a chegada do Hercólubus. É uma civilização nova, mas que tem todas as taras de uma Grécia ou de uma Espanha em decadência. É como se o Brasil tivesse nascido de barbas brancas…

    Henry Ford Cristo: Nós somos um país invadido culturalmente pelo imperialismo dos United States, Rabonú, e você é um índio lúmpen, um alienado pela cocaína mística, diferente da coca dos cocaleros de Morales, que é libertadora. Sua coca é um entorpecente que lhe faz esperar incólume o Hercólubus…

    J. C. Rabonú: Você não passa de um falso profeta, um falso Cristo dentre muitos que já apareceram. Um Antônio Conselheiro tupiniquim, um Pai João sem Contestado. Seu Contestado é a mitologia anti-imperialista. A livre competição dos terráqueos com os hercolubusianos lhes mostraria o que é uma humanidade mais maldosa, mais competitiva e mais ligada à livre iniciativa.

    Henry Ford Cristo: Indiota! Você receberá os sacramentos católicos em seu leito de morte, sem a chegada do seu Hercúlubus! Her-CÚ-lu-bus! Para você, todos os índios e todos os brasileiros deveriam ter a cara maldosa do Diogo Mainardi. Os herculubusianos seriam colunistas da revista Veja, economistas liberais que deram um drop out na escola, portanto, todos teriam a cara maldosa do Diogo Mainardi. Todos caindo fora da escola!

    J. C. Rabonú: Aguarde e logo você queimará no fogo do Hercólubus, seu blasfemo!

    (Dito isto, Henry Ford Cristo começa a acender velas em seu quarto de hotel, um atrás da outra).

    Paul: o que é isto, Henry?

    Henry Ford Cristo: Para espantar o cheiro de enxofre e o mau agouro.

    Miguel: Como assim? Vamos acabar sendo expulsos do hotel. Isso não é permitido.

    Henry Ford: Como o tal do Hercólubus está chegando, igualmente como o presidente norte-americano está prestes a chegar, a nos visitar.

    Paul: Para quê tantas velas?

    Miguel: Deixe-me apagá-las, Paul.

    Henry Ford Cristo (dando um berro): Nãaaaaaaao! É preciso nos livrar do cheiro de enxofre que vem do presidente norte-americano, fora a energia negativa advinda da vaidade dos escritores que estão aqui na Feira Literária de Parati! A fogueira das vaidades desses escritores!

    CENA 9 (Do lado de fora do hotel, barulho de sirenes, ambulância, algazarra de pessoas conversando).

    Paul: Oh, meu Deus! Cadê o Henry Ford Cristo?

    Miguel: Aquele maluco fugiu! Eu te disse, eu te disse!

    Paul: A culpa foi sua, Miguel, você não apagou as velas que Cristo ia deixando no quarto…

    Miguel: Você é que teve essa idéia de trazer esses malucos aqui para Parati! Não tinha como vigiar esse pirado do Henry Ford Cristo, eu tinha que fazer contatos com seus agentes literários, preparar a mesa para sua conferência. Além do mais, não estava previsto que o Rabonú e o Henry Ford Cristo iam falar, pô! Tudo eu!

    Paul: Henry Ford Cristo, Henry Ford Cristo, por que me abandonaste? Por que puseste fogo em nosso belo Hotel Parati? Lemi, Lemi, Lamá Sabactani!

    (Neste momento, Rabonú entra gritando, fugindo do hotel em chamas)

    Rabonú (berrando e olhando para as chamas): O Hercólubus chegou! Chegou! Ahhh, pobre humanidade sofredora, sofra a última vez, ainda! (Dito isto, Rabonú tomba aos pés de Paul e Miguel).

    Paul: Pobre Rabonú! Miguel, busque socorro para ele! Ah, meu Deus, pelo amor de Henry Cristo, o que farei agora?

    Miguel (ao sair de cena, grita para Paul Rabbitt): Você vai superar, Paul, você vai superar.

    Paul (com voz chorosa): Como irei superar a perda desses dois profetas! Perdemos Henry Cristo e Rabonú! Perdi a Feira Literária Literária de Parati!

    Miguel (enquanto volta com uma maca e enfermeiros vestidos de branco, cantando uma canção dos Beatles): We can work it out, we can work it out. Life is very short, there is no time for fusing and fighting my friend.

    CENA 10 (Paul Rabbitt está numa mesa sozinho. Flashes espoucam e microfones o cercam por todos os lados):

    Paul (para os microfones): Agora muita atenção. Vou ler um trecho de meu novo romance, A Segunda Vinda, para vocês: enquanto andava pela Estrada Real numa peregrinação mística, encontrei-me em Diamantina, no início de minha peregrinação, o profético índio J. C. Rabonú, fazendo suas profecias a respeito da chegada do planeta Hercólubus, um planeta vermelho e gigante que chegará para justiçar os cientistas burros do nosso planeta pequeno. Para destruir a Terra, esse planeta pequeno!
    Eis que surge, eis que surge o Messias em pessoa. Ele atendia pelo nome singelo de Henry Ford Cristo. Era um Cristo perfeito, já renascia crucificado, com coroa de espinhos e tudo. Ele trazia uma verdade, duas verdades, muitas verdades de esquerda. Ele estava em Ouro Preto. Ele me contou que já renasceu em vários lugares e ainda não foi aclamado Salvador. Ele renasceu em Bristol, fui preso, supliciado e novamente morto no pelourinho. Foi um bêbado na Itália, no século dezenove, depois me revelou-se o Salvador, mas novamente fui supliciado. Apareceu na Rússia também, filho de uma camponesa e de um ancião de cem anos, mas o Czar mandou crucificá-lo frente ao Kremlin. Depois, renasceu como um louco gaguejante em Novrogod, para ser novamente preso e supliciado junto com os anti-czaristas. Deus muitas vezes utilizou a máscara da imbecilidade. Ele foi um cozinheiro negro de um vagão restaurante nos Estados Unidos, profetizaram que era o Jesus Negro, mas foi morto outra vez, no Sul dos EUA, pela Ku Klux Klan. Agora virá para a Segunda Vinda definitiva, renascerá em Belém do Pará no Brasil e lá será preso pela polícia, revivendo seu martírio. De lá, partirá para fundar sua Igreja em torno de Brasília, cidade fonte futura de um jorro universal de leite e mel… Bom, esse é o trecho que posso divulgar e adiantar para vocês. No mais, planejo para breve uma nova peregrinação mística: irei viajar pela ferrovia transiberiana acompanhado de Mãe Santinha do Cantuá, uma mãe de santo de minha devoção…
    (A fala de Paul Rabbitt é interrompida pela canção Across the Universe, na versão da banda eslovena Laibach, e, quando a canção acaba, TREVAS).

  54. Sandra

    Como doeu ler isso:

    “Eu morava num loft na 23 com Lexington (perto de onde moro hoje – quantas voltas eu já dei em volta dessas ilhas: ah, as ilhas! Que sub-produto mental de nosso estado de ser!) e o Fernando estava com 6 anos. Matriculei-o na Little Red School House na Bleeker com 6 Avenida e, quando estava tudo no lugar, quando estava tudo certo, caí – amarelo como um táxi – com hepatite (que me diziam), provavelmente peguei 6 meses antes visitando presos políticos brasileiros, quando ainda trabalhava para Amnesty International, em Londres.”

    (http://colunistas.ig.com.br/geraldthomas/2009/05/08/animal-canibal-pizza/)

  55. Noemi

    um beijo Gerald…

  56. Jefferson

    Tem vezes que falta energia elétrica em casa, as luzes se apagam.
    Saio correndo à procura de uma lanterna, mas o que acho é um toquinho minúsculo de uma vela.Foi o suficiente para acabar com a escuridão.
    O tempo que a luz dura depende das velas que encontro pelos cantos da casa.
    Até que a energia seja estabelecida.

  57. … “Era uma vez um homem que não tinha ilusão sobre coisa alguma. Quando ainda no berço ele aprendeu que a mãe nem sempre era boa; aos dois anos desistiu das fadas. Bruxas e duendes desapareceram do seu mundo quando ele tinha tres anos. Aos quatro, sabia que coelhos não botam ovos e aos cinco disse adeus ao Papai Noel.

    Aos seis anos, quando foi para a escola, as ilusões voaram da sua vida como penas numa tempestade: descobriu que o pai não era sempre bravo e nem mesmo honesto; que presidentes são homens pequenos; que a Rainha da Inglaterra vai ao banheiro como todo mundo e que sua professora do primeiro ano do jardim de infancia, uma jovem bonitinha de rosto redondo e covinhas, não sabia nada, como ele tinha imaginado, mas só pensava em homens e não sabia muita coisa de nada …

    Como jovem compreendeu que o ato mais generoso é servir a si mesmo; a pergunta mais desinteressada serve a interesses; que mentiras são contadas por palavras impressas.

    De todas as pessoas que perdem ilusões, ele foi o que mais perdeu, tabus e prescrições também e, quando tudo se tornou permitido … nada sobrou que valesse a pena.

    ____________________________________

    Gerald Thomas, “nosso” (rs) G.T,
    Caríssimos colegas meus,

    Cortei o final e esta é a parábola (Allen Wheelis – “O homem sem ilusões”, 1966) que citei, no comment do início desta terça feira.

    Querido Gerald,

    Estará voce tentando fazer a trajetória inversa – a de resgatar ilusões (fantasias) perdidas, de modo a continuar vivendo?

    Desilusões, decepções … fazem parte do cotidiano, voce já sabe e … essas podem nos impulsionar rumo a novas descobertas e experimentações. O importante é “vivenciar” essas novas “coisas” (rs), sem compromisso algum com o resultado final. Voce pode! Voce consegue e … nos conte depois, por gentileza, sim?

    BOA SORTE E MUITO SUCESSO NESSA SUA NOVA EMPREITADA DE VIDA!!!

    Beijo sincero, na testa, com muito carinho, respeito e admiração.
    Até qualquer dias desses, como voce próprio afirma, certo?

    “Brigadão” por nos permitir fazer parte dessa sua “dinamica virtual” – foi muito gratificante, para nós todos, tenha certeza! “Valeu” e … voce continuará, sempre, “valendo muito”!

    Susan

  58. Eliana

    Gerald.

    uma sugestao :

    quem sabe seria interessante voce dar abertura a pessoas que voce pensa que nao estao a sua altura ?

    um abraço,

  59. targinosilva

    O problema do mundo é que ele se tornou muito obvio.
    Ficou sem graça, a gente sabe, de antemão o que vai acontecer amanhã.
    Onde termina a estrada, onde começa a trilha. O que tem alem do horizonte.
    Talvez fosse melhor, quando levava meses para a
    noticia chegar, quando era mais ingênuo, pueril, infantil.

    Contudo, não temos mais certeza das nossas crenças.
    Tem sempre alguém ou um fato mostrando que estamos errados.
    Não é fácil equilibrar nessa corda.
    Não é fácil olhar no espelho, ver as nossas fraquezas, as nossas rugas.
    Porque o mundo so aprecia o belo, o genial.
    Quando não conseguimos fazer nada belo, nada genial, somos castigados pela auto estima.

    O idiota é mais feliz.

  60. Carol

    GT,

    Bom, já que vai acabar, gostaria de agradecer as suas provocações em forma de post que me deram o empurrãzinho que faltava, pra eu tomar vergonha na cara, botar uma mochila nas costas e conhecer o mundo lá fora. Foi bom!
    Simples assim.
    Valeu!

  61. Eva Lira

    GT
    tb ando assim…
    os perdidos ñ se encontram
    os passos nos caminham
    até
    EL

  62. FERNANDO

    Gerald,

    Estranho os bons jogarem a toalha. Desde pequeno cresci com a idéia de que os REALMENTE bons, não a jogam nunca.

    Porque o que seria dos pequenos, obscuros, sem a vela que os ilumina?

    Uma frasezinha sem muitos floreios que alguns amigos nada envolvidos com a arte material, mas muito a par da “arte” que é ter mente costumam dizer:

    “Tenha certeza que nem todos lembrarão o seu nome, mas todos se lembrarão daquilo que você os fez sentir”.

    Fique com a luz.

    Abraço.

  63. Carlos Barbosa

    Ô Geraldo Tomás,
    deixe de bobagens e continue fazendo o que vc gosta e que o mundo precisa. Afinal, só os malucos podem atingir a genialidade.
    Oscar Wilde teria dito : ‘A vida não é mais do que 1 leque de opções p/ se cometer asneiras…’.
    Se ele não o disse, digo eu aqui e agora.
    Ou seja, se Deus existe… bem feito p/ Ele.
    Abração.

  64. Oi Gerald,
    Uma das únicas coisas que aprendi com a idade, até agora, é que tudo passa. Vou fazer 39 no dia 11 próximo. Hj se está de um jeito, mas amanhã estaremos de outro, emocionalmente. É preciso ter calma pra perceber, se deixar levar pelo vento. Envergar.
    Existirmos, a que será que se destina?
    Um conselho: Compre flôres plantadas e regue-as com cuidado assim que senti-las meio murchas. Nós também somos assim, precisamos de água de vez em quando.
    No mais um beijo no coração.
    marcelo

  65. Sandra

    Seus passos o levaram a Woodstock:

    “Uma das lembranças mais fortes que eu tenho, além da lama e do fedor, foi a passividade dos policiais diante de tudo o que estava acontecendo. Pouco tempo antes, a polícia espancava pessoas em Berkeley. [Woodstock] foi o momento em que eu – e, acredito, muita gente – pensei: ‘Caramba, o mundo está mudando’. A impressão era nítida, como nunca tinha sido antes”,

    Thomas diz que sua apresentação musical favorita no festival não aconteceu no palco principal, no centro da fazenda. “Foi de um grupo de pessoas sentadas no gramado, não foi no palco. Acho que eram oito violões e uma lata de lixo virada ao contrário usada como tambor. E era um som absolutamente impressionante. Nunca vou saber quem eram.”

    (http://colunistas.ig.com.br/geraldthomas/2009/08/14/o-reality-show-do-woodstock/)

    à posse do Obama:

    “Amor da minha vida,

    Quando o ponteiro do relógio da sala da tua casa aí no Rio (ironicamente ela fica na Avenida Dr. Martin Luther King Jr.) apontar 3 da tarde, aqui em Washington DC estará sendo meio dia, o homem mais inteligente e glorioso deste planeta estará se transformando no nosso 44 presidente. O presidente dos Estados Unidos da América. Quem poderia pensar que isso aconteceria, mesmo há quatro meses atrás? Você , Mileny, está vendo (pela televisão) as filhas dele? Parecidas com você (só que você é mais linda, óbvio!)”

    (http://colunistas.ig.com.br/geraldthomas/2009/01/20/washington-faltam-3-horas-carta-pra-mileny-8-anos-ba-rock-obama/?cp=2)

    ao auto-retrato de Rembrandt:

    “Rembrandt, que sempre foi meu preferido (ao lado de Duchamp e Rauschemberg e Bacon – períodos diferentes, óbvio), me tocou dessa vez de uma forma muitíssimo peculiar.

    Muitíssimo peculiar. Tive uma espécie de tontura, vertigem, quando peguei o bonde numero cinco e parei na porta do museu e subi pro segundo andar. Lá no cantinho, quase escondido, estava esse auto-retrato, que ele pintou aos seus 55 anos de idade”

    (http://colunistas.ig.com.br/geraldthomas/2009/07/17/juiz-proibe-que-macaco-simao-escreva-sobre-juliana-paes-censura-de-imprensa/)

    e ao teatro:

    “Ademir: Como foi o início de Gerald Thomas no teatro e por que a escolha?

    Gerald Thomas: Não vi alternativas pra mim, depois de ler e devorar a biblioteca do Museu britânico dos 16 aos 22 anos, e ter estudado a historia da arte e ser pintor (a espoca) , mas já ter sido um “intruso” nos ensaios (em São Paulo) do Balcão que o genial Victor Garcia estava montando com um elenco maravilhoso que a Ruth Escobar escolheu… e fiz a mesma coisa em Londres: me intrometi nos ensaios do Peter Brook em Midsummer Night’s Dream no Aldwich… e vi que os atores iam com a cara daquele moleque de cabelos enormes (eu tinha 17 anos). ”

    (http://www.cranik.com/entrevista66.html)

    “Valeu a pena? Tudo vale a pena
    Se a alma não é pequena.

    Quem quer passar além do Bojador
    Tem que passar além da dor.
    Deus ao mar o perigo e o abismo deu,
    Mas nele é que espelhou o céu.”

    (Fernando Pessoa)

  66. -Piadista acorda e saia daí!
    -Outra vez!o que foi agora?
    -Piadista o Gerald esta saindo.
    -E daí?
    -Eu disse SAINDO.Deixando o blog.Dando ADEUS!
    -K raio meu!
    -Então quer dizer algo a respeito?
    -Claro!
    -Então manda ver.

    -Obrigado.

    Um…Dois….Tres

    Vejam a despedida de arromba!
    O post esta a contar…
    Presentes no local,
    o rádio e a televisão.
    Cinema, mil jornais,
    muita gente, confusão!

    Quase não consigo
    comentário enviar,
    pois a multidão
    estava a entar!
    Hey, Hey!(Hey, Hey!)
    Que onda,
    que adeus de arromba!

    Logo que eu cheguei,
    notei o Ekran
    com um artigo grandão.
    Enquanto o Vampiro
    bancava o anfitrião,
    apresentando a todo mundo
    Professor Pachecão…

    Sandra chorava e Sue desistia
    de agarrar um doce
    que do prato não saia!
    Hey, Hey!(Hey, Hey!)
    Que onda,
    que adeus de arromba!

    Genaro e seus amigos
    tocavam na piscina;
    Dona Oda no terraço;
    Animando o salão.
    Os anonimos de com besteira
    não podiam entrar,
    enquanto a nossa Baby
    Não parasse de dançar!

    Mas!
    Vejam quem chegou de repente:
    A Mariene em seu novo carrão!
    Enquanto Cintia e Ana Paula
    fumavam no jardim,
    Pedroso e outro gaucho
    esbarravam em mim.

    Lá fora um corre, corre
    comentaristas do lugar:
    Era o Gerald Thomads
    que acabava de chegar!
    Hey, Hey!(Hey, hey!)
    Que onda,
    que adeus de arromba!

    (Bapára!) (Bapára!) (Bapára!)

    (Hey, Hey!) (Hey, Hey!)

    Genaro e seus amigos
    tocavam na piscina;
    Dona Oda no terraço;
    Animando o salão.
    Anonimos com besteira
    não podiam entrar,
    enquanto o vento
    não parasse de soprar!

    Mas!
    Vejam quem chegou de repente:
    Mariene em seu novo carrão!
    Enquanto Cintia e Ana paula
    fumavam no jardim,
    Pedroso e outro gaucho
    esbarravam em mim.

    Lá fora um corre, corre
    dos comentaristas do lugar:
    Era o Gerald Thomas
    que acabava de chegar!
    Hey, Hey!(Hey, Hey!)
    Que onda,
    que adeus de arromba! (7x)

    😀 😉 Nóis

  67. Samuka

    hehe ! não esquenta … bem-vindo (ou benvindo ?!)

  68. Sandra

    A última conversa que tive com meu pai na minha vida foi por telefone. Ele me dizia, rindo: Está chovendo!!!!! Finalmente!!!! Que chuva abençoada!!!! Estou aqui, olhando a chuva, as plantas,… Como eu queria que você estivesse aqui!!

    Dois anos depois, uma longa estiagem, Sampa com dois dias com água e um sem, e eu com uma estranha certeza: que no dia que minha filha nascesse, traria a chuva. E trouxe! A chuva, a Lua, o inverno e o signo de Câncer.

    Gerald, eu gostaria que você estivesse aqui em Sampa para ver a CHUVA que está caindo. Essa chuva vai abençoar seu caminho.

  69. Marcela

    Olá,

    Se entendi bem, esse post é dedicado a alguns + chegados. É isso?

    Bom, eu vou apenas relatar um sonho, ou melhor, relatar q tive um sonho semana passada com o dono desse blog… desculpa, mas não tive culpa nenhuma, sonho é sonho… a gente não escolhe o q sonhar.

  70. Mônica

    Lembrei-me de uma entrevista recente q vi do Lobão p/ o João Gordo na MTV ele disse que vivemos uma época ruim, sem nenhuma criatividade de gente fazendo coisas antigas dos outros … semprei gostei do Lobão, achei ele bem desanimado…e agora vc…e eu…e muita gente…

  71. joshua

    A doença é Síndrome de Belchior… Xerald, é que a internet tem a capacidade de abrir espaço a tudo, igualmente, um comunismo de merdas, velho. Além dos blogs e twitters, um exercício angustiante e de vaidade, um treco pequeno, 140 toques de pura tristeza. Pior que nem ao judaísmo há regresso. Talvez ao espinosismo?

  72. Thiago P.

    Obrigado por tudo Gerald, espero que vc se redescubra. Essa sua “despedida” para mim demonstra sua coerência. Tá realmente dificil acordar todos os dias e transformar o mundo. Sinto pena de não ter assistido nenhuma de suas grandes obras. Quem sabe um dia…

    Cheers

  73. Silvinho

    O CD acabou, com a cultura do download pela Internet, ninguem mais compra CD. O filme fotografico tambem acabou, com as cameras digitais, quem ainda compra filme? Isso eh um avanco ou uma perda? Na minha opiniao um enorme avanco, chato e ficar ouvindo fotografos Jurassicos falando sobre como o filme e superior as cameras digitais. Tenham paciencia, acordem!

  74. Marcela

    Nesse sonho ele dirigia um pessoal q estava “engatinhando” nessa arte (interessante q eu fazia parte do grupo, porém nunca imaginei fazer teatro), e ele era super delicado no trato com as pessoas…

  75. André

    É o salve-se quem puder, farinha pouca meu pirão primeiro.

  76. Marcela

    Pra despedida então, quero deixar um até breve, seja feliz, pq o q importa nessa vida é ser feliz, viver de bem com ela e todos a sua volta.

    De repente, isso tudo veio pra vc dar uma guinada de 180 graus na sua vida e descobrir q a beleza está nas coisas simples da vida.

    Bjs ♥♥♥

  77. Cintia

    A benção, Gerald Thomas!

    “Mas pra fazer um samba com beleza
    É preciso um bocado de tristeza
    É preciso um bocado de tristeza
    Senão, não se faz um samba não”

    Samba da Bênção
    Vinicius de Moraes / Baden Powell

    Cantado

    É melhor ser alegre que ser triste
    Alegria é a melhor coisa que existe
    É assim como a luz no coração

    Mas pra fazer um samba com beleza
    É preciso um bocado de tristeza
    É preciso um bocado de tristeza
    Senão, não se faz um samba não

    Falado

    Senão é como amar uma mulher só linda
    E daí? Uma mulher tem que ter
    Qualquer coisa além da beleza
    Qualquer coisa de triste
    Qualquer coisa que chora
    Qualquer coisa que sente saudade
    Um molejo de amor machucado
    Uma beleza que vem da tristeza
    De se saber mulher
    Feita apenas para amar
    Para sofrer pelo seu amor
    E pra ser só perdão

    Cantado

    Fazer samba não é contar piada
    E quem faz samba assim não é de nada
    O bom samba é uma forma de oração

    Porque o samba é a tristeza que balança
    E a tristeza tem sempre uma esperança
    A tristeza tem sempre uma esperança
    De um dia não ser mais triste não

    Falado

    Feito essa gente que anda por aí
    Brincando com a vida
    Cuidado, companheiro!
    A vida é pra valer
    E não se engane não, tem uma só
    Duas mesmo que é bom
    Ninguém vai me dizer que tem
    Sem provar muito bem provado
    Com certidão passada em cartório do céu
    E assinado embaixo: Deus
    E com firma reconhecida!
    A vida não é brincadeira, amigo
    A vida é arte do encontro
    Embora haja tanto desencontro pela vida
    Há sempre uma mulher à sua espera
    Com os olhos cheios de carinho
    E as mãos cheias de perdão
    Ponha um pouco de amor na sua vida
    Como no seu samba

    Cantado

    Ponha um pouco de amor numa cadência
    E vai ver que ninguém no mundo vence
    A beleza que tem um samba, não

    Porque o samba nasceu lá na Bahia
    E se hoje ele é branco na poesia
    Se hoje ele é branco na poesia
    Ele é negro demais no coração

    Falado

    Eu, por exemplo, o capitão do mato
    Vinicius de Moraes
    Poeta e diplomata
    O branco mais preto do Brasil
    Na linha direta de Xangô, saravá!
    A bênção, Senhora
    A maior ialorixá da Bahia
    Terra de Caymmi e João Gilberto
    A bênção, Pixinguinha
    Tu que choraste na flauta
    Todas as minhas mágoas de amor
    A bênção, Sinhô, a benção, Cartola
    A bênção, Ismael Silva
    Sua bênção, Heitor dos Prazeres
    A bênção, Nelson Cavaquinho
    A bênção, Geraldo Pereira
    A bênção, meu bom Cyro Monteiro
    Você, sobrinho de Nonô
    A bênção, Noel, sua bênção, Ary
    A bênção, todos os grandes
    Sambistas do meu Brasil
    Branco, preto, mulato
    Lindo como a pele macia de Oxum
    A bênção, maestro Antonio Carlos Jobim
    Parceiro e amigo querido
    Que já viajaste tantas canções comigo
    E ainda há tantas por viajar
    A bênção, Carlinhos Lyra
    Parceiro cem por cento
    Você que une a ação ao sentimento
    E ao pensamento
    A bênção, a bênção, Baden Powell
    Amigo novo, parceiro novo
    Que fizeste este samba comigo
    A bênção, amigo
    A bênção, maestro Moacir Santos
    Não és um só, és tantos como
    O meu Brasil de todos os santos
    Inclusive meu São Sebastião
    Saravá! A bênção, que eu vou partir
    Eu vou ter que dizer adeus

    Cantado

    Ponha um pouco de amor numa cadência
    E vai ver que ninguém no mundo vence
    A beleza que tem um samba, não

    Porque o samba nasceu lá na Bahia
    E se hoje ele é branco na poesia
    Se hoje ele é branco na poesia
    Ele é negro demais no coração

  78. Cintia

    Judeu Errante
    Vinicius de Moraes

    Hei de seguir eternamente a estrada
    Que há tanto tempo venho já seguindo
    Sem me importar com a noite que vem vindo
    Como uma pavorosa alma penada
    Sem fé na redenção, sem crença em nada
    Fugitivo que a dor vem perseguindo
    Busco eu também a paz onde, sorrindo
    Será também minha alma uma alvorada
    Onde é ela? Talvez nem mesmo exista…
    Ninguém sabe onde fica… Certo, dista
    Muitas e muitas léguas de caminho…
    Não importa. O que importa é ir em fora
    Pela ilusão de procurar a aurora
    Sofrendo a dor de caminhar sozinho

  79. Ana Paula

    Existe o tempo para lutar e o tempo para descansar.
    Cada um tem o seu.
    A arte é parecida: não pede desculpas para chegar e quando sai, não avisa se irá voltar.
    (embora torçamos que sempre volte).
    De qualquer forma, me lembrei desse trecho do filme “Eu sou a lenda”, sobre Bob Marley, que achei inspirador:

    “As pessoas que fazem mal ao mundo não descansam um dia, por que eu descansaria?”

    (Bob Marley)

    Frase dita após Marley ter sido baleado em sua própria casa e, dois dias após o evento, voltou a cantar em um show gratuito em apoio ao então primeiro-ministro jamaicano, Michael Manley.

  80. Lucia Ana

    na-na-ni-na-não……..trata de ficar por aí mesmo……trate de cumprir sua utilidade publica e continue a escrever!!! Escrever é ato mais puro do que “teatrar” e são as palavras que movimentam o mundo, que se disseminam por aí, sejam nos iPods, blackberries, blogs ou cartinhas no correio……do artista que é você, ficarão muitas palavras, muitas…! creia muito nisso…
    Bj!

  81. Gerald, acho que é uma questão de geração e hiperexposição, um caminho conturbado que todos nós da década de 1950 atravessamos. Também escrevi no blog, ontem, a minha “independência ou morte”, mais curta e grossa que a sua mas tão intencional quanto. O que tem nos faltado não é criação, mas o tempo da reflexão. A gente inventou essa obrigação de blog, de conexão perene, de “entregar o ouro” dia após dia, uma geração “making-of”, mas agora deu canseira, vontade de silêncio, sabe como é. Sem silêncio não há som, sem o escuro não há tom, e por aí. Também estou nessa. Mas não é morte não. É só pensamento independente e liberdade assusta, ainda mais se a gente se afastou [voluntariamente] dela e, pior, nem percebeu direito o quanto tinha se amarrado.
    Há vida fora da internet e também tenho me aproximado dela. É o que a natureza me tem dado, uma incrível necessidade de me permitir o nada contemplativo: é disso que tenho sofrido. A ver o que virá.
    Abraço

  82. Expectativa geral.
    A platéia aguardava em silencio o inicio do espetáculo teatral.
    O espetáculo que estava por ser apresentado embora anunciado não deixou todos a par do que realmente seria.
    Por isto a ansiedade de todos.
    Alguns haviam entrado no teatro com um pressentimento estranho.
    Lá fora o vento era forte e chuvas já ameaçam despencar sobre diversos pontos da cidade.
    No momento exato de serem abertas as cortinas um estrondo se fez ouvir.
    Cortinas abertas e o palco todo iluminado mostrava apenas uma linha de horizonte e uma estrada sem fim.

    Rufar de tambores e entrada do personagem narrador.
    Entra em cena Drácula que vai direto ao meio do palco e anuncia.

    –Senhoras e senhores.
    Meus amores
    Bom dia.

    Em seguida da rodando a capa aponta para a lateral do palco.

    -Com vocês agora:

    GERALD THOMAS.

    Silencio geral.

    Gerald em pessoa retira um lenço do bolso e faz movimento de quem enxuga lágrimas da face.
    Pigarreia e diz com voz grave.
    -Não é nada queridos.Apenas um cisco no olho.

    Acordes se fazem ouvir.
    E sem que ninguém espera- se acontecer Gerald canta a seguinte musica

    Adeus, adeus, adeus
    Adeus
    Adeus, adeus, adeus
    Cinco letras que choram
    Num soluço de dor
    Adeus, adeus, adeus
    É como o fim de uma estrada
    Cortando a encruzilhada
    Ponto final de um romance de amor
    Quem parte tem os olhos rasos d’água
    Sentindo a grande mágoa
    Por se despedir de alguém
    Quem fica, também fica chorando
    Com um lenço acenando
    Querendo partir também
    Adeus, adeus, adeus
    Adeus, adeus

    A plateia em principio incrédula sem entender o que se passava aos poucos se da conta que o dramaturgo estava se despedindo do blog.
    As reações são diversas

    Mas os aplausoa são estrondosos.
    A plateia aplaude de pé.
    Não aplaude a despedeida.
    Aplaude o que ficou e ficará.
    O reconhecimento e a gratidão de todos por termos compartilhado junto ao artista de um show.
    Um show de um pouco de tudo onde todos participaram e foram felizes.
    Muitos sairam do teatro emocionados.

    E uma pergunta ficou no ar:

    Haverá um já esperado e desejado retorno?

    Haverá?

    Quem sabe não è?

    Poizé.
    .
    😀

  83. SO PARA LEMBRAR

    Silvinho.

    De fotografia voce não entende nada.

  84. sue

    Puts…
    tem mensagens tao *linda* maravilhosas….
    ….

    Mas uma especial me chamou atencao….

    **08/09/2009 – 14:50 Enviado por: FERNANDO
    Gerald,
    Estranho os bons jogarem a toalha. Desde pequeno cresci com a idéia de que os REALMENTE bons, não a jogam nunca.
    Porque o que seria dos pequenos, obscuros, sem a vela que os ilumina?**

  85. Marcello Bosschar

    Querido Gerald, adoro uma história que ouvi uma vez sobre um “suposto fato” entre Lampião e Maria Bonita… ainda está lendo?
    ; ) Bem, teria acontecido no dia da emboscada que matou Lampião e a própria Maria Bonita… conta a história que ela contou este fato, assim que soube da morte de Lampião, momentos antes dela prórpia ser morta, à uma companheira de bando: Os dois haviam acordado muito cedo, ela vendo o seu homem se vestir, se preparar para mais um dia, sentiu um aperto forte no peito, uma sensação ruim, uma vontade intensa de pedir para que ela nao partisse mas não quis dar o braço a torcer, parecer fraca, não falou nada ao se despedir dele. Foi a última vez que ela o viu… quando soube de sua morte, se jogou ao chão chorando e disse: Se eu soubesse que o meu chôro teria tido o poder de ter impedido a sua partida, meus olhos teriam sido como dois rios de lágrimas…

    Esta história soa muito melodramática mas o ponto, para mim, é o poder que pode existir numa palavra, que se dita, pode mudar o curso dos acontecimentos, um sentimento que, se expresso, pode afetar uma existencia. Digo tudo isto pois quando leio o seu posting tenho 2 sensações e a primeira é a de que tudo isso não passa de uma crise temporária e quiçá necessária e de que logo logo voce estará de volta com peças e provocações e deleites artísticos. A outra sensação é a de que “quem sabe”? E se isso tudo for mesmo “prá valer”? Esta despedida dos palcos… então, só queria dizer que admiro muito o seu Teatro e que seria uma pena, uma perda te ver partir…
    Um beijo grande, carinhoso,
    Marcello

  86. Gerald,

    antes de mais nada, obrigado pelas gotas de lucidez derramadas ao longo do tempo neste blog. Cada relato, cada desabafo que aqui chega, é uma luz que brilha por alguns minutos na tela dos computadores daqueles que ainda tentam enxergar um caminho entre as trevas.

    Vivemos, sim, uma nova idade das trevas, especialmente aqui no país do eterno futuro imaginário, surreal, enterrado nas profundezas do pré-sal. De maneira geral (e me permita correr o risco incalculável da generalização), a cultura “contemporânea”, especialmente a brasileira, virou uma grande e insuportável diarréia, baseada na reciclagem das piores entre as piores idéias, comandada pelos gênios do mercado e executada por pseudo-artistas de valor única e exclusivamente comercial.

    Sua jornada pode ser, e tem que ser, solitária. Mas outros artistas solitários seguem em jornadas similares, tateando no escuro à procura de alguma luz. Os loucos, os malditos, os que ousam ser diferentes, ou aqueles que tentam se expressar simplesmente por amor à arte, seguem marginalizados, alienados pelos meios de comunicação, perdidos entre os terabytes de lixo que entopem a internet.

    Mas ouso dizer que o fim ainda não chegou. Olho para trás, bem para trás, e fico imaginando que a história vai se repetir ainda uma vez. Ainda que a barreira da mediocridade pareça intransponível no momento atual, mais cedo ou mais tarde sempre surge um renascimento. Sejam quais forem as razões, chega uma hora em que a represa da ordem estabelecida implode, e a arte, a verdadeira arte, retorna como uma avalanche incontrolável, varrendo tudo pelo caminho.

    É nessa hora que os andarilhos solitários, como você, percebem que não estão completamente sozinhos, e que devem mais uma vez assumir a vanguarda da renovação artística. Ainda que seja para reciclar conceitos, acrescentando um toque pessoal, que sempre acaba trazendo algo de novo, e refinando o que existia anteriormente. Afinal, reciclamos idéias desde a filosofia da Grécia pré-Socrática, mas não vejo mal algum em ter um ponto de partida para amadurecer as nossas próprias idéias. Desde que realmente tenhamos idéias, e não objetivos comerciais, que são tudo o que move a “indústria da arte” nos dias de hoje.

    E arrisco dizer, embora nem precise, que novas idéias não vão faltar. Afinal, elas estão no sangue, na alma, no DNA, ou seja lá o que for que nos move internamente. Essa é, como você certamente sabe, a benção, e a maldição, do artista.

    Por favor, sempre que possível, não nos deixe completamente sozinhos. Uma boa jornada, e que uma nova renascença cruze os nossos caminhos, muito em breve.

    Flávio

  87. O verdadeiro amigo

    Compreenda.
    Releve.
    Nunca abandone
    o verdadeiro amigo.
    Ele pode nem estar
    ao seu lado agora.
    Mas certamente,
    estará sempre contigo.

    Clarice Pacheco

  88. Marcela

    “…Coisa que gosto é poder partir
    Sem ter planos
    Melhor ainda é poder voltar
    Quando quero…”

    Trecho da música encontros e despedidas de Milton Nascimento e Fernado Brandt

  89. gthomas

    Pacheco e todos: MUITISSIMO OBRIGADO POR TODOS OS COMENTARIOS.

    : pedi pra Sandra encaminhar um email que enviei pra ela.

    Como diz no texto. Volta e meia, estarei por ai. So nao nessa frequencia.

    Obvio que nao gostaria que essa comunidade acabasse. E espero que nao se acabe.

    Como disse, volta e meia, eu apareco. Mas a ocasiao tera que ser especial. Ja a vida no palco, foi-se.
    Essa se foi.
    Muitos beijos a todos.

  90. Que nada Gerald ,faz o que falou sai por aí e acha a inspiraçao suas peças sáo surpriendentes vi o s cenarios no site sao pinturas em 3 dimensoes , faz mais montagens para a internet como fez a pouco tempo ninguem precisa sair de case pagar estacinamento e ve a obra pelo ig isso é novo e o novo é bom
    nao dá pra separar e perder a cumplicidade da arte e politica
    como nao escrever sobre a farsa politica em musica e verso ? dá pra fazer isso até com bossa nova mesmo quando o barquinho vai e a tardinha cai enquanto sequestraram no leblon e levaram pra copacabana ….trocaram tiros coma policia no t ransito parado da Lagoa
    botafogo x santos botafogo x santos ….
    ontem o lula ficou sem graça falando que os 18 bilhoes em avioes eram para defender o pro-sal , tem cabimento isso e sao paulo hoje virando meleca marrom na lama do rio Tiete ? carro boiando e na bahia onibus ardem como em sao paulo onibus ardiam a pouco tempo no rio zihoes de favelas no guaruja a perola do atalntico mais de 100 favelsa cadastradas um ex prefeito foi asssaltado na pra as 7 da manhã pode isso ?
    e o the bonitas comprando a vioes pra defender o pré sal que nem existe ea amazonia que no precisa de avioes de guerra pra isso … mas ele ficou sem graça na tv
    depois se enflamou, mentiu forte e nem ficou vermelho ao lado sa sorridente futura presidenta vejam lá ela ja esta sorridente afinal temos que ser simpaticos com os eleitores
    e a amazonia , se eu nao tivesse a 2 anos escrito o FARSANTE um rockinho acho que teria feito ontem depois de ver sua exelencia na tv sem graça pra cacete ao lado do maior vendedor de sucata do mundo
    mas nao larga nao o teatro nao importa as criticas da televisao en horário nobre fazendo igerjinha pra cima de voce manda a merda seus cenarios sao super legais eas peças tambem abraço nao para com o teatro

  91. Boa noite a todos amigos e amigas.

    Gerald:

    “É fácil achar a amizade.
    Difícil é encontrar o amigo.
    È fácil trocar palavras.
    Difícil é interpretar o silêncio.
    È fácil caminhar lado a lado.
    Difícil é saber se encontrar.
    È fácil beijar na testa
    Difícil é chegar ao Coração.

    Gerad você chegou aos nossos corações sem
    Beijar na testa
    Siga seu coração e quebre a perna.
    Fuiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii

    Love

    Edleuza

  92. Eliana

    Gerald,

    se vc precisa ficar um tempo com voce, fica mesmo.
    Tomara que vc. volte renovado… eu pessoalmente tambem estou buscando esta possibilidade (renovaçao/amor).
    Boa Sorte e que Deus te ilumine.
    Eliana

  93. sue

    Sempre achei que aqui no *Blog* voce MAGNIFICO , teria que escrever sobre cultura geral…livros , vida …coisas longe de POLITICA , religiao…
    Seus textos sobre a vida , analogia de arte , textos ….com o mundo sao os melhores !!!

  94. sue

    ….e ver voce nos palcos *ao vivo* e acores era um sonho…pois materializar …o que voce escreve e lemos !!!
    Bom….

    So o tempo dira…so o tempo vai fazer as coisas ficarem *claras*…
    ou sairem do escuro !!!

  95. Declaração aos amigos de uma forma caípira

    Ces são o colírio do meu ôiu.
    São o chiclete garrado na minha carça dins.
    São a maionese do meu pão.
    São o cisco no meu ôiu (o ôtro oiu – eu ten dois).
    O limão da minha caipirinha.
    O rechei do meu biscoito.
    A masstumate do meu macarrão.
    A pincumel do meu buteco.

    Nossinhora!
    Gosto dimais da conta docêis, uai.

    Ces são tamém:
    O videperfume da minha pintiadêra.
    O dentifriço da minha iscovdidente.

    Óiproceisvê,
    Quem tem amigos assim, tem um tisôru!

    Eu guárdêsse tisouro, com todo carin,
    Do Lado Esquerdupeito !!!
    Dentro do Meu Coração!!!

    Paulo Master >>>>>>>>>>>>>>Autor
    Pacheco>>>>>>>>>>>>>>>>>Copiador
    Eu>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>.Colador

    Hhahahahahahahahahahahahah 😀

  96. Verdade.

    Quero ser GERALD THOMAS agora e só agora para dizer por ele e com se fosse ele o que eu gostaria de com ele dizer para vocês e para mim

    E interpretando ele eu diria algo assim:

    Minha despedida

    Não é um adeus definitivo…
    preciso de tempo
    vou sair pelo mundo!
    vou viajar, estudar.
    vou curar as feridas da alna…
    e também do coração…

    Vou analisar o mundo, os astros..
    Mas levo todos vocês em meu coração
    Vou deixar a porta aberta para quem quiser
    visitar-me e deixar o seu recado…
    Onde quer que eu esteja
    sempre que der eu passarei para lhe visitar

    Sou errante…viajante do tempo
    Eu sou como o vento
    Apenas eu passo
    Se sentires um leve aroma de jasmim…
    Serei eu que estarei chegando
    Pra matar minha saudade…
    Dos amigos que aqui deixei!

    Vou passar na Argentina
    Vou dançar um tango de Gardel
    Vou levar meu violão
    Vou rimar meus versos
    Vou ouvir meu coração
    Vou apreciar a natureza
    Vou observar o colorido das flores
    Vou melhorar meu visual
    Vou aos anjos agradecer…

    Não é um adeus…Apenas uma partida
    Na vida precisamos inovar novos caminhos…
    E eu ainda sou um mero aprendiz….

    Hahahahahahahahahahahahahahahahah 😀

  97. Márcia

    Poxa, sério??!!

    Triste isso (pra nós), mas vê se fica bem tá!!

    A vida é efêmera! Melhor procurar caminhos q nos tragam paz de espírito, harmonia interna e alegria.

    Q Deus guie seus passos e te fortaleça.

  98. Edward

    Por que não dizer que a internet, para nós hoje, foi o telégrafo para os de outra época? O que começou como novidade acabou se tornando comum e repetitivo e a internet está indo nesse mesmo caminho.

  99. GERALD:

    A Amizade:

    Pode ser virtual,
    pode ser pessoal,
    Não importa!
    O carinho de amigo
    é sempre real…
    Não importa
    se nunca nos vimos
    frente a frente,
    mas somos leaise coerentes…
    Somos amigos pra sempre.
    O carinho de uma amizade
    não tem distância…
    ela vem por linhas,
    vem através da nossa telinha
    e pelos olhos
    de quem tem
    a felicidade de enxergar…
    Amizade Verdadeira existe sim.
    Basta a gente acreditar e fazer acontecer!

    ___*_*_*_*_______*_*_*_*_
    _*____./(.___*___*_________*
    * ____.//\\.____ * ___________*
    *____.//….)_.-“”-._,.-“”-._______*
    *____.\\.^,.’_……_.\……).______*
    _*_____./ ./O\…/O\.\…./._____ *
    __*____.\ .\_/….\_/..\_/._____*
    ____*___.\……._……/._____ *
    ______*__(…:(_):…).___ *
    ________* `._.-._,´._ *
    __________ *.`-‘. _ *
    ____________*_*

    Love

    XX AU AU

    Hahahahahahahahahahahahahah 😀

  100. pessoal , o cadaver do maiconjacson esperou 1 mes sei lá pra ser enterrado .

    finjam que não leram o post do Gerald …

    e visitem o G-diet que tá com varios clips engraçados : eu nem imaginava que tinha tanta musica chamada ” don’t say good bye ” …

    as entrevistas hilárias que naõ estavam completas agora estão . o Gerald grita : “eu odeio Portugal” . por que será ?

    não pode perder o discurso pacifistado Daniel Baremboim , cuja moral é bem apropriada à decisão do Gerald :

    não deixe para amanhã a Paz que vc pode ter agora !

    vão lá . não deixem para amanhã a cultura que podem absorver agora .

  101. Contrera

    querido
    essa sua jornada é, pura e simplesmente, apenas a de todos nós.
    (pausa)
    mas eu entendo. lamentar, lamento. há muito por ser feito. muito. mas nós não sabemos mais como. e como!
    beijos
    contrera

  102. Felipe

    Olá a todos! Quanto tempo! =D

    Vejo então que o post político anterior cheio de polêmicas foi sucedido por um com ar de “nenhum”, de “fim”, de uma certa melancolia…

    Estava eu hoje mesmo a conversar com um amigo sobre as dificuldades da profissão. Percebemos então que as dificuldades estendem-se por outros ramos da vida, porque neste mundo tem gente muito BAD mesmo que não quer nem saber, já sai atacando, destruindo, e acaba por “sugar” a energia dos BONS, dos conhecedores, dos que têm alguma coisa na cabeça, e sabem que promover o mal não levará o mundo a nada senão a mergulhar no mal que foi causado anteriormente.

    Bom Gerald, claro que não gosto de tua decisão, como admirador de teus textos e do grupo de discussão reunido aqui no teu blog, mesmo que separado por milhares de quilômetros. Mas que tua busca seja frutífera, que te mostre coisas boas do mundo, e não somente a dor que as pessoas boas sentem todos os dias. Se for viajar, que suas viagens sejam reveladoras e revitalizantes; se for descansar, que tenhas um ócio criativo.

    Estarei por aqui um tempo, a ler comments e navegar um pouco na web. Tá uma chuva danada aqui na baixada, então o que menos se vê são hóspedes 😄

    Abraços a todos!!!

  103. Cintia

    Gerald,

    uma pincelada
    um rabisco
    um traço
    um risco
    uma gravação
    uma pedra marcada

    uma
    runa

    SOWELU – Plenitude
    Como o Sol que atravessa o inverno sem se submeter à morte, esta runa nos traz a coragem para as ultrapassagens difíceis, sem esmorecer. Permaneça em seu espaço sagrado, é lá que está tudo que há para saber e viver.

    carinho
    admiração
    beijos!

  104. GERALD.

    O senador Doido Varrido manda isto para você

    UM AMIGO:

    G rava na memória bons momentos passados com você
    E nsina-lhe o que sabe de bom
    R i com você e chora quando você chora
    A ceita você como você é.
    L ivra-o da solidão
    D á-lhe amor incondicional

    T oma suas dores e evita que o maltratem
    H umor não lhe falta para fazer você sorrir.
    O ferece ajuda quando vê sua necessidade
    M anda-lhe pensamentos de ternura e gratidão
    A ceita tuas amizades com dele
    S empre se faz presente nos momentos de aflição

    Hahahahahahahahahahahahahah 😉

  105. T,MT

    Gerald,

    Sinto lhe informar, mas, do mesmo modo que não há nenhuma lei que lhe impeça de apagar os meus comentários, também não há nenhuma lei que me impeça de opinar quantas vezes eu quiser. Entende? A lógica é simples: eu posso comentar, eu comento; você, por sua vez, pode censurar, censura. No fim, eu ganho sempre porque sei que fui lido.

    T,MT

  106. Reinaldo Pedroso

    Do post imediatamente anterior descartado.

    08/09/2009 – 07:59 Enviado por: Daniela

    “A descrição não foi para auto promoção, foi com outro sentido, mas tb não vou discutir isso com vc.
    Sem tempo.”

    – Tá.

  107. ap

    Brilhante este seu texto´, aliás como sua vida e obra. Bom tê-lo pelo meu universo. saudações teatrais de gaia, porto, portugal ap

  108. gthomas

    Estou lendo vcs todos, com muita alegria e muita tristeza.

    (aos prantos, pra dizer a verdade)

    Pacheco, a Sandra te mandou um email que pedi, ja que vc parece nao receber os meus.

    Garganta: realmente, nao sei do que vc esta falando.

    Volto daqui a pouco.

    LOVE
    G

  109. Rita

    Gerald, novo adão, será que eu posso ir junto?rsss
    Amor,
    Rita

  110. Felipe

    E eu já me vou gente querida…

    Que a inspiração tome conta de todos nós.

    Inspire-nos a dizer o que deve ser dito e a omitir o que, mesmo podendo ser verdade, magoaria alguém gratuitamente;

    Inspire-nos a acreditar no que parece já inacreditável, a lutar pelo que acreditamos, mas também a não acreditar em tudo o que nos falam;

    Inspire-nos a nos manifestar quando sentimos que podemos fazer a diferença para o bem, para concretizar e somar; e a nos abster quando o bem não for nosso único objetivo e a pureza de pensamentos não for a única presente.

    Desculpem-me as palavras aí em cima, meio desengonçadas, não sou muito de escrever próprios pensamentos e vocês já devem ter percebido (rs). Isso é porém, uma manifestação sincera e desejosa de que nosso mestre GT sinta-se de alguma forma, esperançoso de dias melhores e sedento de continuar a luta diária; não a luta pelo dinheiro, mas a de fazer o que se sabe que se NASCEU pra isso. E no caso dele, só pode ser a ARTE.

    Abraços a todos!!!

  111. Caro amigo

    Agora entendi meu amigo
    Você tem que ir
    Vamos sentir sua falta
    Queria que você ficasse aqui

    Mas na vida é assim mesmo
    Alguns vem, outros vão
    Eu permaneço aqui
    Esperando que voltem

    É meu amigo
    A vida está correndo
    Nós já crescemos
    E temos que nossas vidas seguir

    Você que foi meu amigo
    Por algum tempo
    Algum dias
    Talvez agora nos esqueça
    Encontre outros amigos
    Tenha outras experiências
    Não volte mais para nos ver

    Digo apenas um adeus
    O que penso
    Deixo escrito aqui
    Para que um dia saiba
    Que sofremos com sua partida

    Quac 😉

  112. Eu repito tudo que o Donald enviou para o amigo GT.

    Pateta.

    -Espere! Eu também.

    Pluto ( filho da Pluta ).

    Hahahahahahahahahahahahahah ArrrrG 😀

  113. Gerald Thomas.

    Minhas amigas e meus amigos do blog.

    A alegria que aparentemente estou enviando esconde a tristeza do momento..
    Saindo o Gerald o amanhã certamente será diferente.
    Besteira esta afirmação de que ninquém é insubstituivel.
    Tem coisas e pessoas que são unicas.
    Em relação ao blog que somos nós mesmos digo o seguinte.

    Eu não podia imaginar as coisas que me aconteceriam, o início foi incerto, confuso e incomum, onde todos os estranhos fariam parte da minha vida, onde todos os cantos teriam histórias escondidas. Aqui passei os melhores meses de minha vida, fiz amigos, e muito mais amigas muitas dos quais, espero que me acompanharão para sempre. Por isso tenho que comemorar!Embora a despedida

    Esse é um momento especial! É hora de olhar para trás e ver por tudo o que já passei. Sem dúvida, muitas tristezas e conflitos mas, felizmente, por inúmeros bons momentos, de alegria, de vitórias e de cumplicidade.

    Devo esquecer aqueles que me impuseram obstáculos infundados e agradecer àqueles que me impulsionaram adiante. É hora, mais do que nunca, de valorizar as amizades e os conhecimentos adquiridos aqui.
    E pedir humildemente a Deus para que possamos sempre manter nossos conhecimentos.Nossa amizade virtual a qual desejo que no futuro possa ser real.
    Realmente.
    É isto que o meu coração sente.

    Muito obrigado

    Jose Pacheco Filho.
    Suboficial Reformado.
    Marinha do Brasil.

  114. Tene Cheba.

    55, quando Rembrandt me pintou, e me vi, e me veio, o choque deste eu. Este espelho sem reflexos, escuro, me contemplei. Sei onde estou, pior de tudo, sei onde estou.Oh, Meu Deus, sei onde estou. E me vi ali, tão presente, por alguns longos segundos, fixado em mim, tão nítido, nunca me vi tão nítido, tão cru.

    P.S. Não consigo comentar o texto. Estou desde das nove por aqui, escrevi e reescrevi trocentos milhões de comentários, e tudo tão pobre, frágil e sem sentido. O post está pesado demais, bloqueia de tão íntimo e, coisas ausentes, coisas que capto mas, não se transformam. Li quase todos os comentários, parece ser geral.Lendo, quase perdi o fôlego, sufoca.

  115. CarnivalFest

    Triste o texto.Parece que, uma hora ou outra estaremos todos fadados a este momento de auto-reflexão ou “crise existencial”, como muitos preferem se referir.
    Na sua introspecção, contudo, consegiu ser lógico em diverso assuntos, como a merda da música de hoje e a falha das novidades.
    Parece mesmo que tudo é rótulo e embalagem, e o produto pouco importa à uma geração nascida para ser platéia e não protagonista.
    Não o conheço, e sinceramente lhe achava pedante pelo pouco que lia de suas matérias, mas creio que, agora, você acolheu seu lado humano e através desse ato vulnerável veio um quê de simpatia.
    Pode ser que esta sua fase lhe traga muitos benefícos. Pode ser que acabe contugo de vez. Não nego que a esperança é peça rara hoje em dia.
    Espero que esperança seja a sua próxima. Não porque lhe admiro, mas porque é triste concordar com tantas coisas de seu depoimento e ver que ao invés de luta, há mais desilusão.

    Parece mesmo que a vitrola se foi, que a música é trecho de um comercial de refrigerante, que os teatros se fecham para que se abram empresas de seguro, para que a arte seja a primeira vítima fatal de um novo mundo estéril de criações e humanidade.

    Tão fútil e descartável quanto uma camisinha, que é ao que se resume o mundo oje, uma grande camisinha entre dois corpos estranhos e medíocres.

  116. gthomas

    Tene, meu querido

    Nao precisa ser hoje, Nao se preocupe.

    Vamos com calma. Calma. Te agradeco.

  117. gthomas

    E VC, PACHECO, SEMPRE ME FAZ CHORAR COMO UM BEBE!!!!

    08/09/2009 – 22:29
    Enviado por: Pacheco
    Gerald Thomas.
    Minhas amigas e meus amigos do blog.
    A alegria que aparentemente estou enviando esconde a tristeza do momento..
    Saindo o Gerald o amanhã certamente será diferente.
    Besteira esta afirmação de que ninquém é insubstituivel.
    Tem coisas e pessoas que são unicas.
    Em relação ao blog que somos nós mesmos digo o seguinte.
    Eu não podia imaginar as coisas que me aconteceriam, o início foi incerto, confuso e incomum, onde todos os estranhos fariam parte da minha vida, onde todos os cantos teriam histórias escondidas. Aqui passei os melhores meses de minha vida, fiz amigos, e muito mais amigas muitas dos quais, espero que me acompanharão para sempre. Por isso tenho que comemorar!Embora a despedida
    Esse é um momento especial! É hora de olhar para trás e ver por tudo o que já passei. Sem dúvida, muitas tristezas e conflitos mas, felizmente, por inúmeros bons momentos, de alegria, de vitórias e de cumplicidade.
    Devo esquecer aqueles que me impuseram obstáculos infundados e agradecer àqueles que me impulsionaram adiante. É hora, mais do que nunca, de valorizar as amizades e os conhecimentos adquiridos aqui.
    E pedir humildemente a Deus para que possamos sempre manter nossos conhecimentos.Nossa amizade virtual a qual desejo que no futuro possa ser real.
    Realmente.
    É isto que o meu coração sente.
    Muito obrigado
    Jose Pacheco Filho.
    Suboficial Reformado.
    Marinha do Brasil.

  118. gthomas

    Realmente, Pacheco, quando vc escreve assim….
    Putz…

  119. pat cataldi

    respeito seu momento,porem ja etou torcendo para que seja uma crise passageira…nao frequento blogs, vez ou outra passo por aqui, só por ser seu blog, Sem falar do teatro, sou capaz de assistir 10 horas de Gerald…
    ao contrario do que vc diz, penso que sua geração, incluindo voce, faz muita diferença, alias fundamental participação. Imagina se todos os intelectuais polemicos, como vc, nos abandonarem? quem fará o povo refletir? ai sim será o caos.
    pensa bem, vc tem um papel importante,
    coragem, vai, se alimenta, mas volta logo…precisamos de vc.
    Não é onda, é fato!
    love you, beijo

  120. Sandra

    Passei para ler os comentários, chorar mais um pouco e deixar meu beijo de boa noite a todos!

    E um beijinho de boa noite extra para você, Gerald.

  121. Gerald.

    É facil escrever quando o coração envia ordens ao cérebro e este impulsiona os dedos que procuram as teclas.
    Depois basta passar no corretor e em estando corrigido ler o que foi dito.
    Ou você pensa que não é assim que seus textos são produzidos!
    Talvez que durante anos você por tão atarefado nem tenha percebido.
    Quisera eu poder escrever metade do que de você eu tenho lido.
    Não diga que chora feito bebe porque assim eu fico sentido.
    Quase assustado me sentindo bandido.
    Daqui em diante fico escondido.
    Quase sumido
    To ido

    LOVE

    😀

  122. everaldo

    Parabéns Gerald

    Belo texto-desabafo. Superou o Deprê 1.

    Por mais que insistam na “globalização” das almas, ainda somos cada um, único em si mesmo. Niguém recebeu um beijo ou um abraço de sua mãe, em voce, só voce mesmo, só voce conhece, consciente ou inconcientemente, o sabor destes atos e gestos.
    A recíproca e mútua vampirização ( sem nada ver com o Vamp ) a que as pessoas se entregaram, a superficialização dos relacionamentos, teem causado mais estragos ao “nosso mundo”, que as emissões de gases poluentes.

    …a vida é finita

  123. Glorinha

    Gerald…
    procuro alguma coisa para te dizer que faça algum bom sentido..mas não sei…talvez os sentidos todos sejam infinitamente bons…

    Pensando e pensando: “substituir a arrogância da verdade pela humildade da procura”.

    Procuro escapar da normose nessa que compreendo ser uma longa caminhada, refletir sob outra perspectiva, aprender com outras culturas, encontrar-me em minhas dúvidas. O aprendizado deve deslocar-se, sem prender-se ao tempo do agora, é bom procurar contextualizar o que passou buscando o aprender naquela perspectiva. Concretizar esse aprendizado pautando-o nas experiências vividas, experimentadas, sentidas. O aprender e o ensinar é um acontecimento! Não está “preso” a escolas, está nas nossas práticas diárias, na herança que herdamos de nossos antepassados, nas expectativas que se materializam no presente. Nosso sentir é único e está em todos os lugares. Assim, é preciso estar aberto a “nós mesmos” e ao universo para que seja possível captar todos os sinais.

    Lanço meu sentir sem medo pensando e querendo e tornando possível: acreditar no ser humano, na natureza, no universo e na capacidade de comunhão.

    Ainda estou em muitas gaiolas, sinto-me estranhamente diferente do ontem, pois hoje reconheço que elas existem e reconheço-me como parte delas e parte do que há além delas….

    [[]]

  124. The Beatles’ HELP !
    o filme , inteirinho …

  125. Glorinha

    Tene,
    meu amigo que conheço
    em traços longos infinitos…
    são tantas certezas para tantas incertezas…
    te abraço carinhosamente
    e te mando esse dedilhado de coração.

    “No caminhar existe o paradoxo de estar com um dos pés no chão e o outro estar no ar”…

    [[]]

  126. Olha aqui!Escute muito bem.
    A Cintia e a Ana já não gostam méis de ti.
    E até o Vampiro já te abandonou.
    Fique contente porque eu ainda gosto muito de voc~e.
    Comigo não tem essa de ficar impressionado com isto ou aquilo.
    Quanto eu digo que gosto é pra valer.
    Sei que muitos me aconselham a te deixar sozinho. Se eu não fosse tão dependente deste nosso relacionamento eu te Chutaria agora mesmo.
    Seu MERDA.

    -OW. Espera um momento !Endoidou Pacheco?
    -Endoidou o que?O Doidão aqui é você
    -O Gerald é um cara legal. Você mesmo sempre diz isto.
    -É claro que o Gerald é legal e daí?
    -Então com é que vais mandar um comentário assim ofensivo?Ficou biruta?
    -E o que tem o Gerald com o comentário?Explica ?
    -Bem eu estava lendo junto enquanto teclavas e ai tem muito desaforo. O Gerald está se despedindo mas não merece este tratamento.
    -Doidão quem disse que eu estou fazendo comentário e falando do Gerald?
    -E não é?
    -Então é de quem.
    -Do cigarro. Eu estou falando com este merda de cigarro que esta esperando ser aceso. ENTENDEU.
    -Claro que entendi. E NÃO GRITE COMIGO TAMBÉM!
    E…E desculpe.
    -Ta desculpado Doidão, E agora da licença.
    -Vai aonde?
    -Na varanda fumar.
    -E o comentário?
    -Envie.
    -OK.

    Enviando.
    😉

  127. Glorinha

    Nesse blog feliz, conheci muitas pessoas…
    algumas de passagem e outras de para sempre…
    é bom ter estado aqui com vocês
    para mim foi época de troca, de abertura, de conhecimento e reconhecimento…
    serei sempre grata ao Gerald…
    grata ao Vamp…
    a todos…
    de fato nunca seremos capazes de saber o que um sopro em uma folha ocasionou a sua volta e no entorno e no universo…
    assim é aqui…
    jamais poderei explicar ao certo tudo de tudo isso…
    abraço super carinhoso para todos vocês aqui desse blog..
    [[[]]]
    fui de mim, agora e mesmo…

  128. FRANCINY CHEQUER

    Ola a todos deste blog

    Como sempre fala meus caros e queridos amigos, pois aqui não e somente um espaço, para teclarmos e sim onde nós encontramos pessoas que me são queridas e estimadas, onde eu encontrei pessoas que eu me espelho, e respeito, e vc Gerad, e uma dessas pessoas, e por isso que eu respeito esse momento, pois nós seres humanos, passamos por varios ciclos em nossas vidas, algumas em que nos perdemos outras em que nos achamos e outras que nos descobrimos novamente, nunca sabemos em quanto tempo são essas fases, o quanto duram ou se um dia passam, mas são esses momentos, que nos mudam completamentes pois sao eles, que nos levam ao caminho novo, onde muda nosso horizonte,.
    Sabe e dificil mas existem momentos que nos vemos diante de 2 estradas e não sabemos a que tomar, mas o seu coração ja está lhe apontando siga, estaremos sempre aqui sim a espera, e não nos distanciaremos de vc, e sim estaremos em nossos corações torcendo, para que este caminho seja o menos esburacado para vc, mas se ele for esburacado, e longo, saiba que sempre terás pessoas que o ajudaram, a seguir em frente, por mais que seja triste em saber que vc em algum momento vai, dar uma pause neste blog, ao mesmo tempo sinto uma felicidade em saber primeiro que vc está em um momento muito importante de uma nova jornada, e segundo que eu tive a honrra e privilegio de conheçer aqui pessoas que hoje de alguma forma não virtual mas sim real, vivem em meu coração, e seram eternas em quanto eu estiver na minha jornada aqui nesta terra, mas o que mais eu poderia falar meu querido amigo, que isso e passageiro, que e so uma fase ou um momento de angustia, mas isso e uma coisa só sua, pois um dia eu tive que mudar o caminho que eu trilhava para me encontrar e depois voltei de uma forma diferente sim voltei, sabendo de verdade quem eu era, e quem eu queria ser, pois o que eu vou lhe dizer agora va se descubra novamente, passe para este novo ciclo da sua vida, mas nunca se esqueça de quem vc foi, e de quem vc vai ser, e também nunca se esqueça que aqui mesmo que virtualmente, vc tem pessoas que lhe querem bem e realmente, e se vc olhar para traz em algum momento seja para nos ver, e não para retroceder, e isto eu lhe escrevo de todo o meu coração e seu que muitos aqui sentem o mesmo por vc.

    mil beijos, de sua amiga e fã, admiradora, que estara aqui a qualquer momento que vc precisar

    Franciny Chequer Gonzalez

    Saiba que em nossas vidas passaremos por desertos de areias escaldantes, e nadaremos em mares de sangue de nossas tristezas, mas sem sorte de amigos sinceros, não passaremos pela vida e não iremos vencer a morte
    F.C.G.

  129. ekran

    estive hoje no caos de Sao Paulo no metro (cenas no link abaixo):

    http://www1.folha.uol.com.br/folha/videocasts/ult10038u621136.shtml

    cheguei agora em casa, depois de quase 5 horas de transito…

    Gerald,
    sobre o artigo do Jabor que eu postei, deixa pra lá…depois desse caos nas ruas , já não tenho energias pra explicar o que pensei.

    Vendo esse povo sofrendo nas ruas, minha vontade é de falar com quem tem vontade de fazer alguma coisa pra mudar isso. Aqui eu julguei que seria um forum pra se questionar a vida atraves da arte, mas parece não ser o caso.

    É uma arte em particular, de uma pessoa em particular, e quem quiser que gravite em torno desse universo particular.

    To muito cansado, fisicamente e emocionalmente, hoje.
    São Paulo está inviavel nas ruas, basta uma chuva e ficamos a deriva. As pessoas perdem a civilidade, mesmo contra gestantes e idosos.

    Sinal dos tempos.

    FUI!

  130. Ana Paula

    Mr Thomas,

    Tens certeza que de não precisas de apenas uma pausa?
    Nem que seja uma pausa de mil compassos. Mas só uma pausa…

    “Silêncio por favor
    Enquanto esqueço um pouco
    a dor no peito

    Não diga nada
    sobre meus defeitos
    Eu não me lembro mais
    quem me deixou assim

    Hoje eu quero apenas
    Uma pausa de mil compassos
    Para ver as meninas
    E nada mais nos braços
    Só este amor
    assim descontraído

    Quem sabe de tudo não fale
    Quem não sabe nada se cale

    Se for preciso eu repito
    Porque hoje eu vou fazer
    Ao meu jeito eu vou fazer
    Um samba sobre o infinito”

    (Para Ver as Meninas – Paulinho da Viola)

  131. gthomas

    Desculpem na demora da aprovacao dos comentarios.

    Agora vcs entendem um dos motivos do stress disso aqui.

    o Vamp simplesmente some. Some.

    e nao eh esse o contrato que tenho com ele.

    Mas….deixa pra la.

    Beijos em todos.
    LOVE
    G

  132. gthomas

    Cataldi…
    Vc por aqui?

  133. SO PARA LEMBRAR

    Pra que tanta tristeza, ninguem morreu.
    O duro da vida é quando não se tem pra onde voltar.
    Quando se pode voltar e recomeçar, otimo, vamos
    recomeçar. Chega um ponto na vida que não se pode
    voltar, aí, queira ou não queira tem que seguir
    em frente. Vencer ou vencer.

  134. gthomas

    MUITO BOA NOITE A TODOS !!!!!

  135. Minha gente,

    Faço parte dessa “comunidade” há nove meses – coincidentemente o tempo necessário para uma gestação a termo (rs). Por falar em gestação, nascimento e … “este parto está dando um trabalhão danado, porque à forceps”. “Vai dar tudo certo”, tranquilizem-se; tranquilizemo-nos, ok?

    Bem, eu … raramente fiz menção, aqui, à minha vida pessoal, ao contrário da maioria dos meus colegas. A bem da verdade, quando aqui “adentrei o recinto'”(rs) nem sabia como “funcionava um blog”! “Paguei uns micos” mas fizeram parte do aprendizado (rs) – ótimo! Nossa interação é aprendizado constante, concordam? Para mim é, de fato!

    Corrigindo dois deles (rs): Livro “O Pequeno Príncipe” era “leitura obrigatória” das candidatas a “miss qualquer coisa” (rs) nos anos “dourados” . Já o livro “A Arte da Guerra” é quase que leitura obrigatória nas Faculdades de Economia e Administração de Empresas – há muito tempo também.

    De que falava, mesmo (rs)?
    Recordo-me que havia postado apenas um comentário num outro blog, de literatura, de um colega nosso do IG – sòmente a título de curiosidade. Consultei o do GT. Amei tudo isso daqui. Fiquei. Continuo amando e tenho especial carinho por muitos dos meus colegas (“meninas e meninos”).

    Susan e dois sobrenomes que carrego não são judeus. São de meu pai e marido, respectivamente. Nem sei porque estou lhes contando isso pois o que quero lhes dizer é que, aos 19, 20 anos (tenho 50, hoje) ganhei de presente um livro do Isaac Azimov – Eu, o robô (foi escrito, se não me engano, em 19 e cinquenta e alguma coisa e tratava da relação entre humanos e robôs).

    Gosto muito de “ficção científica” e, quem me deu esse livro foi uma pessoa que eu conhecia, admirava e respeitava muito. Foi um dos membros da Delegação Brasileira presente à “Primeira Conferencia Internacional sobre Aplicações PACÍFICAS DA ENERGIA ATOMICA, realizada em Genebra.

    Sandra e GT, leiam por favor! Arrisco-me a comparar … Sandra, “o link” é seu e do GT. Voces entenderão essa “espécie de homenagem minha”. Pensei em voce, Sandra, em relação ao GT. Pense nisso, colega “quantica”. Para daqui uns … 30, 40 anos, tá?

    Targino, veja também, por favor. É da “sua área” (física).

    Beijo a todos voces … na testa!
    Amo voces, foi uma experiencia muito gratificante “conhece-los”!
    Espero, sinceramente, que continuemos juntos … Estou na “torcida para” … Ansiosamente!

    Susan

    Boletim Informativo do Instituto de Física – USP No. 02 – 05/03/1999
    HOMENAGEM AO PROF. DR. PAULO SARAIVA DE TOLEDO

    http://www.if.usp.br/bifusp/bifold/bif9902.html

    PS.: “Para variar e não perder o costume” (rs): Azimov, o escritor de “Eu, o robô” considerava-se, orgulhosamente, um “escritor vidraça”. GT – eu “acho” – é um escritor vidraça!

    PS.: O IPEN é o “antigo” IEA – Instituto de Energia Atomica

  136. Daniela

    Gerald, fiquei pensando….
    Judeu quando quer mudar completamente a vida e redescobrir como caminhar
    volta, e faz aliah!
    hehehhe
    Mas acho que não é seu caso.

    Mas meio difícil, acho que é difícil deixxar de ser quem é.

    A arte não sairá de vc assim como São Bernardo não sai do Lulalá!

    Heheheheh
    desculpe mas quero que vc ria e não chore.
    Chorar é bom, desabafar por 5 minutos, mais que isso é bobagem, não vale a pena.
    O mundo não merece suas lágrimas,
    E com lágrimas não será mudado.

    Se quer mudar o mundo continue a trabalhar.

    Com ciúmes, ou não,

    Beijo carinhoso para vc.

    Daniela

  137. Daniela

    Proximidade das grandes festas tb faz isso….

    Já pensou nessa posssibilidade?

  138. Maria Dirce

    vai tarde!!! tabula rasa em que se encontra a educação, quem vai em teatro aplaudir vc?????? suma da área vaze!!!!!!!!!!!

  139. Reinaldo Pedroso

    08/09/2009 – 23:55 Enviado por: ekran

    “estive hoje no caos de Sao Paulo no metro (cenas no link abaixo):
    http://www1.folha.uol.com.br/folha/videocasts/ult10038u621136.shtml
    cheguei agora em casa, depois de quase 5 horas de transito…
    Gerald,
    sobre o artigo do Jabor que eu postei, deixa pra lá…depois desse caos nas ruas , já não tenho energias pra explicar o que pensei.
    Vendo esse povo sofrendo nas ruas, minha vontade é de falar com quem tem vontade de fazer alguma coisa pra mudar isso. Aqui eu julguei que seria um forum pra se questionar a vida atraves da arte, mas parece não ser o caso.
    É uma arte em particular, de uma pessoa em particular, e quem quiser que gravite em torno desse universo particular.
    To muito cansado, fisicamente e emocionalmente, hoje.
    São Paulo está inviavel nas ruas, basta uma chuva e ficamos a deriva. As pessoas perdem a civilidade, mesmo contra gestantes e idosos.
    Sinal dos tempos.
    FUI!”

    ekran
    Peraí, peraí, como era mesmo aquele teu comentário ao entrares neste blog, posts e posts atrás?
    ” -Gerald, a tua arte merece espaço mais digno do que um blog, mereces ser muito bem pago…”, mais ou menos isto? Não, não… Era bajulativo mas não assim “ameno”. Te julgavas um apreciador diferenciado sensivel e intelectualmente da sensível e intelectual obra geraldina. E assim vieste até hoje babando ovos.
    Bastou o ídolo contrariar-te (08/09/2009 – 12:40 Enviado por: gthomas
    “Ekran. Posso te pedir uma coisa?
    Eh sobre a MINHA vida que falo aqui. Sobre as MINHAS DIFICULDADES E DECEPCOES.
    POR FAVOR nao encha esse blog com Jabor, com Kafkas e Becketts. Eu certamente sei mais sobre esses dois do que qualquer comentarista.
    Sorry, mas esse dia (hoje) eh meu e nao irei abdicar dele”) pela colagem de um ótimo texto ( 08/09/2009 – 12:33 Enviado por: Ekran
    “Rindo do quê?
    ——————-
    O Globo – SEGUNDO CADERNO – 05/05/2009
    Kafka e Beckett previram o futuro
    Arnaldo Jabor”) para que te magoasses e contraditório e demagógico, porque circunstancial, te “insurgisses”: “Vendo esse povo sofrendo nas ruas, minha vontade é de falar com quem tem vontade de fazer alguma coisa pra mudar isso. Aqui eu julguei que seria um forum pra se questionar a vida atraves da arte, mas parece não ser o caso.
    É uma arte em particular, de uma pessoa em particular, e quem quiser que gravite em torno desse universo particular.”

    Reinaldo

  140. Reinaldo Pedroso

    Resumo da ópera.

    08/09/2009 – 23:55 Enviado por: ekran

    ekran
    Peraí, peraí, como era mesmo aquele teu comentário ao entrares neste blog, posts e posts atrás?
    ” – Gerald, a tua arte merece espaço mais digno do que um blog, mereces ser muito bem pago…”, mais ou menos isto? Não, não… Era bajulativo mas não assim “ameno”. Te julgavas um apreciador diferenciado, sensivel e intelectualmente, da sensível e intelectual obra geraldina. E assim vieste até hoje babando ovos.
    Bastou o ídolo contrariar-te (…) pela colagem de um ótimo texto (…), para que te magoasses e contraditório e demagógico, porque circunstancial, te “insurgisses”. (…)”
    Reinaldo

  141. Marcel Land

    Não abandone o blog! Eu sou ator e também sofro com a passividade e burrice das novas gerações. Os pretensos atores, querem saber de aparecer na tv e odeiam o teatro. acham teatro uma coisa brega, Shakespeare algo ultrapassado e por aí vai…
    Não desista! Como diria John Lennon enquanto existe vida há esperança.
    abraço

    http://marcelland67.blogspot.com/ (Blog de cinema e teatro)

    http://marcellandfutebol.blogspot.com/ ( Blog de futebol)

    http://marcellandpolitica.blogspot.com/ (Blog de Política)

    http://marcellandmusic.blogspot.com/ (Blog de Música)

  142. Reinaldo Pedroso

    08/09/2009 – 18:12 Enviado por: lama de woodstock

    “(…) vi o s cenarios no site sao pinturas em 3 dimensoes (…)”

    Concordo, além da iluminação, figurino, marcação/coreografia. O Gerald é um artista plástico, um comunicador visual da afetividade, emissor/receptor, fonte/destino, particularmente codificaDor/decodificaDor.

    “faz mais montagens para a internet como fez a pouco tempo ninguem precisa sair de case pagar estacinamento e ve a obra pelo ig isso é novo e o novo é bom (…)”

    O Gerald te respondeu antecipadamente: “Também não estou a fim de criar o iTheatro (…)”

    Reinaldo

  143. gthomas

    Quase 4 da manha aqui. Obvio que nao espero que ninguem esteja acordado pra moderar os comentarios. Mas eu acordei num susto…e liberei os que estavam presos.
    As memorias dos tempos da Amesty International, voltam

  144. LOGO DE MANHÃ!

    Mal se acorda e começa o bombardeio corruptosenadório que nos atinge até as entranhas.

    NOJO!

    Eis uma das arautas da moralidade.
    Eis o modo petista de conduzir suas ,,,nem dá para definir.
    Desculpem sair do motivo do post.
    Alias pode bem ser esta uma das razões para o Gerald estar tirando o time de campo:

    Publicidade
    da Folha Online

    O Senado gastou pelo menos R$ 70 mil para a senadora Ideli Salvatti (PT-SC) e um assessor participarem de um curso voltado para a capacitação de executivos realizado em três etapas, no México, na Argentina e na Espanha, entre abril de 2007 e janeiro de 2008, informa reportagem de Adriano Ceolin e Andreza Matais para a Folha (íntegra disponível para assinantes do UOL e do jornal).

    O evento foi promovido pela empresa Newfield Consulting, cujo fundador no Brasil é Luiz Sérgio Gomes da Silva, ex-funcionário do Palácio do Planalto e ex-assessor da CUT (Central Única dos Trabalhadores) e filiado ao PT.

    Gomes da Silva afirmou que o curso é mais voltado para executivos de empresas privadas, com técnicas e estratégias para capacitá-los a liderar equipes. “O principal cliente nosso é o gerente da grande empresa privada, em nível nacional e internacional. São os grandes executivos”, disse.

    Para os dois participarem do curso, o Senado desembolsou R$ 35.530 com as inscrições. Com diárias, a senadora gastou R$ 11.837,40 nas cidades onde o curso ocorreu: Cidade do México, Buenos Aires e Sevilha.

    Paulo André Argenta, assessor de Ideli, disse que ele e a senadora também tiveram as passagens aéreas pagas pelo Senado. A Folha fez uma estimativa e os dois teriam gasto, em valores atualizados, ao menos R$ 7.500
    ——————————————————————————————-

    E fico muito grato se não vierem tentar me rebater com o surrao papo de bolsas e outras lorotas apelativas.

    A verdade é uma só.

    Um comandante incapaz e corrupto afunda qualquer navio.

    O exemplo vem de cima.

    Guarnição sem comando vira balaio de gatos.

    E salve-se quem puder..

    Meu dia começou estragado.
    Infelizmente por uma galinha segundo definição Mãosantana..

    Vou ao mar.Onde rato não vai.Ainda.

    Irão ao pre sal?

    Dividindo já estão!

    Obrigado

    Pacheco.

    😉

  145. Bom dia comunidade.

    Disse o Gerald no post atual que somos copiadores.
    O Chacrinha nos alertava que nada se cria e tudo se copia.
    Então para a Sandra ( ela já deve saber ) e para você envio na integra uma receita recebida de outra boa amiga.

    O Gerald até que poderia passar para a formidavel Judith Malina que confesou que de cozinha entende muito de teatro.

    La vai:

    BOM DIA. ESPERO QUE SEU DIA SEJA BOM. COMO POR AQUI ESTÁ CHOVENDO APROVEITO PARA MANDAR UMA RECEITINHA MUITO APROPRIADA E DELICIOSA (CASO VOCÊ SEJA DIABÉTICO, SUBSTITUA O AÇÚCAR PELO “TAL E QUAL” EM PÓ).
    UM ABRAÇO.
    LEDA MARIA

    (BOLINHO DE CHUVA)

    2 ovos

    3/4 xícara (chá) de açúcar

    2 colheres (sopa) de manteiga

    1/2 colher (chá) de sal

    1 colher (sopa) de fermento em pó

    1 xícara (chá) de leite

    2 xícaras (chá) de farinha de trigo

    óleo de canola para fritar

    açúcar e canela em pó para polvilhar

    Modo de Preparo

    1. Numa tigela, junte os ovos, a manteiga, o açúcar e o sal e misture muito bem.

    2. Acrescente alternadamente à mistura o leite e a farinha de trigo, mexendo sempre com uma colher.

    3. Junte o fermento e misture bem.

    4. Numa panela média, coloque bastante óleo e leve ao fogo alto para aquecer.

    5. Quando o óleo estiver quente, abaixe o fogo.

    6. Com duas colheres de sobremesa, modele os bolinhos. Encha uma das colheres com a massa e passe de uma colher para a outra, até que a massa fique com um formato arredondado.

    7. Com cuidado, coloque pequenas porções de bolinhos no óleo quente. Deixe fritar até que os bolinhos fiquem dourados.

    8. Com uma escumadeira, retire os bolinhos e coloque sobre um prato forrado com papel-toalha.

    9. Num prato fundo, coloque açúcar e canela em pó e misture bem. Passe os bolinhos por essa mistura até envolvê-los completamente. Sirva a seguir.

    Pensamos em demasia e sentimos pouco. Mais do que máquinas precisamos de humanidade, mais do que inteligência, precisamos de afeição e doçura…o caminho da vida pode ser o da liberdade e da beleza.

    (Charles Chaplin)

    ——————————————————————————–

    Viram como é facil ser um TOP CHEFE!

    Hahahahahahahahahahahahahahahahahahaha 😀

    Sandra recebi o e-mail e agradeço.

    Sue

    Eu e a Baby emocionados agradecemos tua lembrança e consideração.
    Fisicamente não poderemos it.mas certamente estremos na Pizaria de NY na hora da comemoração.Lindo o convite e linda a filhota.Lembra a minha neta Duda.Vamos escrever para ela.
    Será que o Gerald vai aparecer.
    Se ele for aumente os brigadeiros.Parece que ele gosta.

    Cintia

    Tenho enviado e-mails que estão voltando.tens recebido?

    Voltando do mar pela tardinha lerei a todos.

    Tenham um lindo dia.

    Fiquem com Deus.

    XXX XXX xx au au

    😀

  146. Marcela

    09/09/2009 – 03:28

    Enviado por: Reinaldo Pedroso

    Concordo…

    Já houve outro caso em q ele dizia q o blog ou o post da vez, não lembro ao certo, era de cultura e não política, aí veio o GT e fez um comentário sobre política, bastou…

    Eu só o acho engraçado…rs

  147. ” Gerald usa a platéia como terapeuta ”.

    e isso não é arte ?

    se não é arte é ciência .

    que mais da vida pode querer
    alguém com poderes sobre a arte e a ciência ?

  148. sandra tb quero , seja lá o que for .

  149. Fulgêncio Jr.

    Pô acaba logo com isso
    pra onde voce for, quem quiser ir
    que vá junto.
    Abraços à todos.
    Fiquem ou vão com Deus.

  150. Cintia

    “A Cintia e a Ana já não gostam méis de ti.”
    (Doidão 23:33)

    Imagina, Doidão.
    Vc continua querido pra mim.
    Só andava sumido.

  151. foto sugestiva de Samuel Beckett no fundo do G-diet .

    estou “garimpando” uns videos off-youtube .

    ” off-youtube ” , tipo off-i-broadway . i-theater , G não quer .

    dia de beckett no G-diet . dia de esperar go-diet .

  152. Cintia

    “A recíproca e mútua vampirização ( sem nada ver com o Vamp ) a que as pessoas se entregaram, a superficialização dos relacionamentos, teem causado mais estragos ao “nosso mundo”, que as emissões de gases poluentes.
    …a vida é finita”
    (Everaldo, 23:08)

    Everaldo,

    Falou pouco mas disse TUDO.

  153. Cintia

    Reinaldo,

    A certa hora da noite, não sei pq, lembrei de vc, rs.

  154. Ai, ai…menos uma coisa que valia a pena, menos vida inteligente nesse mar de imbecilidades…uma pena…

  155. Cintia

    “Bastou …contrariar-te … para que te magoasses e contraditório e demagógico, porque circunstancial, te “insurgisses”.

    Reinaldo,

    Esse tipo de reação ‘infantilizada’, de zero reflexão, zero admitir e assumir responsabilidades, mas ‘beicinho e birra’ sempre prontos pra serem acionados, parece ter virado coisa padrão nos relacionamentos inter-pessoais. A cada dia vejo exemplos a minha volta.
    Estamos vivendo numa sociedade de ‘crianças quero-pq-quero’.

  156. Cintia

    “…além da iluminação, figurino, marcação/coreografia. O Gerald é um artista plástico, um comunicador visual da afetividade, emissor/receptor, fonte/destino, particularmente codificaDor/decodificaDor.”
    (Reinaldo, 04:54)

    Reinaldo,

    Concordo. Muito bem colocado isso, na minha modestíssima opinião.
    Aliás, se vc prestou atenção no poema que eu escrevi lá no início do post, deve ter visto que eu tb disse isso, só que de uma forma ‘poética’ (pura pretensão’), na verdade de uma forma ‘sintética’ (mais a minha ‘praia’).

  157. Cintia

    *relacionamentos inter-pessoais’ não, relações inter-pessoais né, ah sei lá. deve ter dado pra entender.

  158. Iasmim

    Não sei se Gerald Thomas leria isso, mas é para ele:

    Eu não sou sua fã (talvez porque não entenda sua obra, talvez por desconhecimento abrangente dela).

    Dito isso: volte.

    Esse não é um apelo óbvio, eu sei. Mas eu reconheço o valor do que não gosto ou não entendo também. Acho que você é importante para o mundo.

    Já me senti como você. Perdida em meio a um mundo medíocre, achando que essa mediocridade é absoluta.

    Ela reina, mas absoluta não é.

    Quero te mostrar isso e vou te dar um exemplo. Se fizer um certo sentido, depois você procura por outros. 🙂 Como você citou várias vezes a música, vou fazer a ponte com isso: Radiohead. Você já ouviu as músicas dessa banda? Ouviu mesmo?

    Em um paralelo com o Led Zeppelin, o qual eu também sou fã, eu poderia dizer que as letras das músicas de Radiohead são, em geral, muito mais poéticas. Não quero me alongar nessa comparação. Eu só quero mostrar que existe um ponto óbvio onde o atual é melhor do que o antigo.

    Com isso, quero dizer que a qualidade em si nunca é plena, portanto requer que nós flexibilizemos o nosso olhar ao fazer comparações.

    Sim, comparações… Ao dizermos que tudo é medíocre atualmente, comparamos o atualmente como o que foi feito no passado. É inevitável. Mas podemos fazer essa comparação sem sermos injustos? Mozart seria melhor do que Led Zeppelin? Led Zeppelin melhor do que Radiohead?

    Eu amo a música de todos eles. Não sei, não consigo comparar. Na verdade, não quero comparar. Fico feliz por todos terem existido, por terem adicionado algo à minha vida.

    Concordo que a qualidade era mais óbvia, mais abundante há algumas décadas atrás. Mas isso implica que os bons precisam resistir. E resistem e as pessoas sabem que precisam deles.

    Certamente você sabe como o Radiohead vendeu seu último álbum. Totalmente contra a corrente anti-pirataria do mundo, eles disponibilizaram o download. Os fãs pagavam o quanto queriam, podiam ou achavam que o álbum valia. Podiam até fazer o download gratuito, mas a grande maioria pagou. Fizeram-no porque sabem o quanto a banda é necessária nesse mar de mediocridade em que se vive hoje.

    Você também é.

    Minha sugestão é: vá a um show do Radiohead. Viaje, se encontre, se inspire e volte a acreditar. Mas volte. É preciso voltar.

    Boa sorte, muita luz e amor no seu caminho,
    Iasmim

  159. SO PARA LEMBRAR

    O buraco afegão é fundo, mas é cedo para cair fora
    09/09 – 05:55 – Caio Blinder, de Nova York

    NOVA YORK- O que fazer no Afeganistão? Ë um daqueles atrozes dilemas geopolíticos e morais. Países ocidentais liderados pelos EUA foram à carga de forma negligente há oito anos para colocar em ordem o país que fora santuário da rede terrorista Al Qaeda e governado pelos bárbaros do Taleban. Nos últimos meses, por iniciativa do governo Obama, houve a escalada da guerra contra os rebeldes do Taleban e um dos resultados iniciais é a inevitável escalada da violência contra civis.

  160. SO PARA LEMBRAR

    Detesto velório.
    Puta merda que coisa horrível.
    So da o Pacheco chorando, lagrimas de crocodilo,
    por todos os lados.
    Prefiro ele falando mal do Lula.
    Parece uma carpideira.
    O homem vai ali e já volta.
    É vapt, vupt.
    Ele não vive no escuro.

    Se bravo, se forte, não fujas da morte, que a morte há de vir!!!!

    (Gonsalves Dias – Timbiras)

  161. pesquisando beckett dei de cara com o ” anjo exterminador ” do bunuel , demais .

    “” , o casal Leandro e Luzia Nobile recebem em seu palacete um grupo de vinte pessoas para jantar. São cantores, maestros, doutores, gente da alta sociedade.

    Inexplicavelmente, porém, os empregados que deveriam servi-los vão aos poucos deixando o local, ficando apenas o mordomo Julio para atender todos os convidados. Apesar disso o jantar é um sucesso, embora os anfitriões estranhem que, passando das cinco horas da manhã, ninguém se manifeste para ir embora.

    Os quartos são então oferecidos para que passem a noite, mas ninguém parece interessado em deixar o cômodo, e todos dormem na sala, espalhados pelo chão. Quando amanhece, as pessoas dão-se conta de que simplesmente não conseguem atravessar a porta para sair da sala, sem que haja qualquer impedimento.

    O grupo começa a preocupar-se. Aos poucos, a elegância e a cordialidade vai cedendo lugar à impaciência, à irritação, e logo começam as hostilidades. Anoitece novamente, não há mais o que comer.

    Da mesma forma que no interior, fora da casa ninguém consegue atravessar o portão de entrada, nem a polícia. Passam-se dias, um dos convidados morre, vem o pânico, a depressão, o desespero. E na irracionalidade crescente, já há quem pense em assassinato.

    A inexplicável situação limite imposta aos personagens, que vai minando convenções sociais e tirando a máscara de cada indivíduo, é a maneira do diretor/autor Buñuel explicitar a estranheza que atravessa as relações.

    Antes mesmo de consumada a prisão, a futilidade dos diálogos e comportamentos, a animosidade mal escondida nas entrelinhas da cortesia, a inconveniência de certos comentários (Está seguro da paternidade?, alguém pergunta gentilmente, diante de um casal que espera um bebê), a repetição de gestos e falas, são pequenas revelações não só de excentricidade, mas sinais da impossibilidade da convivência.

    Isto fica claro quando um dos personagens comenta que o grande martírio dessa situação é, mais do que tudo, “NÃO PODER ESTAR SÓ”.

    Nessa hora as loucuras, as manias de cada um sobem até a superfície e vê-se um homem distraindo-se enquanto depila os pêlos da perna; uma mulher diante do espelho penteia insistentemente apenas um lado da cabeça; um casal que se refugia dentro do armário; o mordomo que, na falta de comida, se alimenta de papel picado; até as alucinações, como a da mão decepada deslizando pela sala.

    Nesta crítica social repleta de simbologia (como na cena em que todos avançam famintos sobre os carneiros que entram na sala), Luís Buñuel pinça os pequenos horrores da burguesia (o que voltaria a fazer mais vezes em sua obra) e os leva às últimas conseqüências de maneira brilhante e incomparável.”””

    NÃO PARECE UM CERTO BLOG ?? rs .

    trailer no G-diet . filme inteiro em breve .

  162. markito

    Enfim, passo a te admirar, Gerald. Desde que V. leve a sério tua promessa. Não sejacomo teu ex-sogro, que recebe bolsa-mentira do governo Lula, ou como o MERCADOR MERCADANTE., que voltam atraz ao menor peido do Lula-anarfa. Vá com deus brother. Esqueça teatro. Não é tua praia.

  163. Cintia

    Claudio,

    Sem dúvida, pelo que parece.
    Mas vc acha isso engraçado?
    Eu não.

  164. Cintia

    Bacana o coment. de Iasmim 10:46.

  165. 09/09/2009 – 10:07

    Enviado por: Cintia

    “A Cintia e a Ana já não gostam méis de ti.”
    (Doidão 23:33)

    Imagina, Doidão.
    Vc continua querido pra mim.
    Só andava sumido

    Cintia

    Nao gostam mais de ti ( cigarro )

    A brincadeira era com o cigarro e nada do Doidao.

    Leia novamente por favor.

    O Doidao adora vc e a Ana.

    XXX

    E os emails? Tens recebido?

    😀

  166. gthomas

    Saio com muita tristeza e tendo que fazer um inventario aqui dentro,
    Ao mesmo tempo, nao terei mais que ler imbecilidades como essas desse “markito” ai de cima. Isso sim, sera um alivio.
    Qual sera a praia dele?

  167. Cintia

    Batepapo,

    Ah tá. ‘Falha nossa’. 😀
    Não, não recebi nenhum email seu.

  168. Azul

    Ah !!! O Markito deve fazer ser da Praia …de Ramos…
    **PISCINAO DE RAMOS**…

    Mas pense que a minoria pensa como esse Babacao….
    ….

  169. Azul

    Estou desde ontem lendo…cada letrinha , palavra, frase…
    …Inacreditavel…o tamanho do *amor* , carinho e admiracao que o ser humano adquire por uma pessoa… pelos seus trabalhos, historia e vida!!! (sem conhece-la pessoalmente)
    Emocionei varias vezes…em especial com Pachequito e Tene Cheba….Iasmim ..(que mesmo nao *entendendo* respeita e sabe da importancia…lindo depoimento)….
    …….

  170. SO PARA LEMBRAR

    Se a chuva não tivesse raios e pedras que
    vantagem teria sair na chuva?

  171. Sandra

    Boa tarde

    Gerald, uma sugestão:

    Shhhh..
    Vluvluvluvluvlu…

    Tchau markito!

  172. SO PARA LEMBRAR

    Teu grito de guerra
    Retumbe aos ouvidos
    D’imigos transidos
    Por vil comoção;
    E tremam d’ouvi-lo
    Pior que o sibilo
    Das setas ligeiras,
    Pior que o trovão.

    Porém se a fortuna,
    Traindo teus passos,
    Te arroja nos laços
    Do inimigo falaz!
    Na última hora
    Teus feitos memora,
    Tranqüilo nos gestos,
    Impávido, audaz.

    IX
    E cai como o tronco
    Do raio tocado,
    Partido, rojado
    Por larga extensão;
    Assim morre o forte!
    No passo da morte
    Triunfa, conquista
    Mais alto brasão.
    X
    As armas ensaia,
    Penetra na vida:
    Pesada ou querida,
    Viver é lutar.
    Se o duro combate
    Os fracos abate,
    Aos fortes, aos bravos,
    Só pode exaltar.

    Canção do Tamoios
    Antonio Gonçalves Dias.

  173. Para não ficar só falando do Gerald.

    Depois do vergonhoso arquivamento negociado ( Tá na cara ) do caso paloci vamos ver se ainda resta um minimo de justiça na cabeça dos nossos ministros do STF.

    Vejam com anda o julgamento:

    09/09/2009 – 13h02
    Relator no Supremo diz que ato de Tarso foi “ilegal”; sessão do caso Battisti é suspensa para almoço
    Rosanne D’Agostino
    Do UOL Notícias
    Em São PauloO relator do processo de extradição do ex-ativista Cesare Battisti no STF (Supremo Tribunal Federal), ministro Cezar Peluso, afirmou nesta quarta-feira (9) que foi “ilegal” o ato do ministro Tarso Genro (Justiça) que concedeu o refúgio político ao italiano. A sessão foi interrompida para almoço e deve retornar às 14h30 com o restante do voto do relator, que ainda não foi proferido na íntegra.
    Battisti deve ser extraditado ou obter liberdade no Brasil?
    Dê sua opinião

    Até o momento, Peluso argumentou que o ato do Ministério da Justiça que concedeu refúgio a Battisti, que, em tese, impediria sua extradição, trata-se de ato “vinculado”, e não “discricionário”. Por isso, pode ser alvo de análise do Supremo. “Sempre que o comportamento da autoridade é em desconformidade com a lei é um ato viciado e comprometido do ponto de vista jurídico”, afirmou Peluso, que defendeu que apenas um ato considerado legal poderá impedir a extradição.

    Seguranças tentam tomar faixa de manifestantes que fizeram protesto favorável ao ex-ativista Cesare Battisti no início da sessão no Supremo

    Julgamento de Battisti deve se “alongar”, afirma Gilmar Mendes
    Supremo deve questionar se cabe ao governo definir crime político
    Chanceler italiano diz que será “surpresa” se STF rejeitar extradição
    Battisti manifesta a ativistas confiança de que decisão do STF será a seu favor
    Ministro italiano se diz otimista quanto a extradição
    Decisão de refúgio político a Battisti está dentro da lei, afirmam juristas

    Em seguida, o relator leu as razões apresentadas pelo ministro Tarso Genro para conceder o refúgio e as refutou. Segundo Peluso, não passam de “especulações” as alegações que a Itália vivia um regime de exceção responsável por um julgamento viciado do italiano por crimes cometidos na década de 70. “Era um estado democrático de direito”, completou.

    Peluso afirmou ainda que o único temor de Battisti é a prisão e que os crimes cometidos por ele -o italiano foi condenado por quatro homicídios- são comuns e não fruto de perseguição política. “A meu ver, a decisão do Conare [Comitê Nacional para os Refugiados, contrária ao que decidiu Genro] estava correta, o ato [do ministro da Justiça] é ilegal”, concluiu.

    O julgamento
    O Supremo julga desde as 9h45 o pedido de extradição do italiano. Os ministros vão decidir se ele vai cumprir prisão perpétua na Itália ou se pode continuar no Brasil com o status de refugiado político concedido pelo Ministério da Justiça.

    Para isso, o STF deve, primeiro, julgar-se apto a analisar o ato chamado “discricionário”, ou seja, decidirá se pode rever uma decisão cuja competência é do Ministério da Justiça, órgão subordinado ao Poder Executivo. Os demais ministros ainda devem apresentar seus votos sobre a questão.
    Mais sobre o julgamento
    Sessão começa com protesto
    Battisti é “bode expiatório”, diz advogado
    Supremo julga extradição

    Cesare Battisti, ex-ativista de extrema esquerda, fez parte da organização chamada Proletários Armados pelo Comunismo. Condenado por quatro homicídios, alega que o julgamento ocorreu por um tribunal viciado, à revelia e sem direito de defesa, e teme retornar à Itália.

    Com esses argumentos, obteve status de refugiado político concedido pelo ministro da Justiça, Tarso Genro, em janeiro. Após a decisão, a defesa pediu sua liberdade e a extinção do processo de extradição que corre contra ele no Supremo. O italiano aguarda o julgamento preso desde maio de 2007 na Penitenciária da Papuda, em Brasília.
    Saiba mais sobre Battisti

    Cesare Battisti, escritor e ex-ativista italiano, foi um dos chefes da organização de extrema esquerda Proletários Armados pelo Comunismo. Foi condenado a prisão perpétua na Itália por quatro homicídios. Viveu na França onde teve reiterados pedidos de extradição negados até que, em 2004, a Corte de Acusação de Paris determinou sua extradição. Ele fugiu e, em março de 2007, foi preso no Brasil, onde aguarda o julgamento de seu processo desde então

    Italianos podem não gostar, mas terão de respeitar refúgio, diz Lula
    Governo considerou Battisti um “subversivo”, não um terrorista

    O início da sessão foi marcado por um protesto na entrada principal do STF de manifestantes favoráveis ao ex-ativista. Gritando frases em apoio ao italiano, os cerca de dez manifestantes foram levados para o lado de fora das grades de segurança colocadas ao redor do prédio.

    O advogado Luís Roberto Barroso, que defende Battisti, afirmou que seu cliente é um “bode expiatório de uma trama simples”, pois foi julgado à revelia na Itália, sem direito à defesa. Além disso, o refúgio político concedido a ele pelo Ministério da Justiça é legítimo e lhe garante a permanência no país.

    A advogada da União Fabíola Souza também alegou que a decisão sobre o refúgio de Battisti cabe, por competência, ao Ministério da Justiça. “O objetivo do governo da Itália é passar por cima da soberania nacional”, afirmou.

    Já, pelo governo italiano, o advogado Antonio Nabor Areias Bulhões, argumentou que o refúgio não impede a extradição. “Acordos bilaterais prevalecem quando há conflito com a lei nacional”, disse o defensor. “Ele é um refugiado político de um país democrático como a Itália e, porque não dizer, da União Europeia”, completou.

    O procurador-geral da República, Roberto Gurgel, manifestou-se sobre o caso como seu antecessor, Antonio Fernando Souza. Opinou pelo arquivamento da extradição, sem julgamento de mérito, pois compete ao Executivo decidir sobre refúgio político. Mas com uma ressalva, se o STF resolver julgar o processo, que a extradição seja concedida. A palavra final cabe ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

    Além do pedido de extradição feito pela Itália, o Supremo também analisa um mandado de segurança que pede a revogação do refúgio concedido a Battisti. O mandado quer reverter uma liminar negada pelo ministro Cezar Peluso ao governo italiano em fevereiro.

    A Corte também julgaria recurso dentro do processo de extradição, contra decisão do ministro Gilmar Mendes, presidente do STF, que rejeitou a revogação da prisão de Battisti. Mas a defesa de Battisti desistiu do agravo.

    Agora é aguardar e conferir

    Será que os ministros tambem vão apoiar mais esta vontade do lula?

    Se o fizerem:

    VIVA DOM LULA IMPERADOR DO BRASIL.

    E

    Apague a luz o ultimo que sair.

    Obrigado.

    Top Ch…ops.!..Pacheco.

    Hahahahahahah 😀 Rindo to do not cry

  174. SO PARA LEMBRAR

    Tira o Lula põe o Pacheco.
    Tira do Tarso põe o Pacheco.
    Tira o Gilmar Mendes põe o Pacheco.
    Tira o Sarney põe o Pacheco.
    Ave Pacheco!!!!!!!

  175. gthomas

    Sandra: acabei de receber seu email: nao consegui abrir os anexos
    Te ligo mais a noite.
    LOVE
    G

  176. Sandra

    Passada rápida.

    Gerald, se você recebeu meu e-mail, sabe o quanto de luz trouxe para minha vida.

    Eu digitei a carta que tinha anexado a ele e te enviei novamente.

    Fique com Deus!!!!

  177. Sandra

    Gerald, aprenda com o corpo humano: guarde o que é bom, descarte o resto. Lembro-me de uma historinha que li na infância (não lembro o autor, então fico devendo a fonte) que dizia algo do tipo: quem é aplaudido pelo sabiá vai dar trela para vaia de tico-tico?

    Beijos. Saindo!

  178. MUDAR TAMANHO DA LETRA IMPRIMIR ENVIAR POR EMAIL COMUNICAR ERRO09/09/2009 – 16h45
    Relator no STF vota por extradição de Battisti, com diminuição da pena para 30 anos
    Rosanne D’Agostino
    Do UOL Notícias
    Em São PauloO relator do processo de extradição do ex-ativista Cesare Battisti no STF (Supremo Tribunal Federal), ministro Cezar Peluso, apresentou voto nesta quarta-feira (9) para que o italiano seja extraditado ao seu país de origem, desde que sua pena seja comutada de perpétua para privativa de liberdade de, no máximo, 30 anos.
    Battisti deve ser extraditado ou obter liberdade no Brasil?
    Dê sua opinião

    Condenado pela Justiça da Itália em 1993 à prisão perpétua por quatro homicídios cometidos na década de 70, o ex-militante de extrema esquerda foi preso em março de 2007 no Rio de Janeiro e, em janeiro deste ano, obteve do governo brasileiro o status de refugiado político, decisão questionada pela Itália.

    Seguranças tentam tomar faixa de manifestantes que fizeram protesto favorável ao ex-ativista Cesare Battisti no início da sessão no Supremo

    Julgamento de Battisti deve se “alongar”, afirma Gilmar Mendes
    Número de refugiados no Brasil dobrou em dez anos
    Chanceler italiano diz que será “surpresa” se STF rejeitar extradição
    Battisti manifesta a ativistas confiança de que decisão do STF será a seu favor
    Ministro italiano se diz otimista quanto a extradição
    Decisão de refúgio político a Battisti está dentro da lei, afirmam juristas

    Segundo Peluso, seria preciso que os delitos cometidos por Battisti fossem considerados políticos para que estivesse impedida a extradição. No entanto, quando o crime político estiver conexo ao crime comum e este for fator preponderante, ela está autorizada.

    “Não há como emprestar caráter político às ações homicidas [de Battisti]”, disse o relator, ao citar decisão da Justiça francesa que, em 2004, determinou sua extradição (Battisti fugiu para o Brasil antes de ser extraditado). “Não existe no caso delito político.”

    Como na lei brasileira não está prevista a pena de prisão perpétua, o ministro impôs uma condição à extradição. O Estado italiano deverá se comprometer a comutar a pena por uma máxima de 30 anos em regime fechado, que é a punição mais severa no Brasil.

    A decisão final sobre a extradição cabe ao presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, mas, como salientou Peluso, uma vez que o Supremo se decida nesse sentido, o presidente será obrigado a cumpri-la, conforme o artigo 1º do Tratado de Extradição celebrado entre o Brasil e a Itália.

    No início do voto, o relator afirmou ainda que foi “ilegal e absolutamente nulo” o ato do ministro Tarso Genro (Justiça) que concedeu o refúgio político ao italiano. Segundo ele, não passam de “especulações” as alegações de que a Itália realizou um julgamento viciado do italiano por crimes cometidos na década de 70. “A meu ver, a decisão do Conare [Comitê Nacional para os Refugiados, contrária ao que decidiu Genro] estava correta, o ato [do ministro da Justiça] é ilegal”, concluiu.
    Mais sobre o julgamento
    Relator diz que ato de Tarso foi ilegal
    Sessão começa com protesto
    Battisti é “bode expiatório”, diz advogado
    Supremo julga extradição

    O julgamento
    O Supremo julga desde as 9h45 o pedido de extradição do italiano. Os ministros vão decidir se ele vai cumprir prisão perpétua na Itália ou se pode continuar no Brasil com o status de refugiado político concedido pelo Ministério da Justiça.

    Para isso, o STF deve, primeiro, julgar-se apto a analisar o ato chamado “discricionário”, ou seja, decidirá se pode rever uma decisão cuja competência é do Ministério da Justiça, órgão subordinado ao Poder Executivo. Os demais ministros ainda devem apresentar seus votos sobre a questão.

    Cesare Battisti, ex-ativista de extrema esquerda, fez parte da organização chamada Proletários Armados pelo Comunismo. Condenado por quatro homicídios, alega que o julgamento ocorreu por um tribunal viciado, à revelia e sem direito de defesa, e teme retornar à Itália.

    Com esses argumentos, obteve status de refugiado político concedido pelo ministro da Justiça, Tarso Genro, em janeiro. Após a decisão, a defesa pediu sua liberdade e a extinção do processo de extradição que corre contra ele no Supremo. O italiano aguarda o julgamento preso desde maio de 2007 na Penitenciária da Papuda, em Brasília.
    Saiba mais sobre Battisti

    Cesare Battisti, escritor e ex-ativista italiano, foi um dos chefes da organização de extrema esquerda Proletários Armados pelo Comunismo. Foi condenado a prisão perpétua na Itália por quatro homicídios. Viveu na França onde teve reiterados pedidos de extradição negados até que, em 2004, a Corte de Acusação de Paris determinou sua extradição. Ele fugiu e, em março de 2007, foi preso no Brasil, onde aguarda o julgamento de seu processo desde então

    Italianos podem não gostar, mas terão de respeitar refúgio, diz Lula
    Governo considerou Battisti um “subversivo”, não um terrorista
    Leia mais em UOL Notícias

    O início da sessão foi marcado por um protesto na entrada principal do STF de manifestantes favoráveis ao ex-ativista. Gritando frases em apoio ao italiano, os cerca de dez manifestantes foram levados para o lado de fora das grades de segurança colocadas ao redor do prédio.

    O advogado Luís Roberto Barroso, que defende Battisti, afirmou que seu cliente é um “bode expiatório de uma trama simples”, pois foi julgado à revelia na Itália, sem direito à defesa. Além disso, o refúgio político concedido a ele pelo Ministério da Justiça é legítimo e lhe garante a permanência no país.

    A advogada da União Fabíola Souza também alegou que a decisão sobre o refúgio de Battisti cabe, por competência, ao Ministério da Justiça. “O objetivo do governo da Itália é passar por cima da soberania nacional”, afirmou.

    Já, pelo governo italiano, o advogado Antonio Nabor Areias Bulhões, argumentou que o refúgio não impede a extradição. “Acordos bilaterais prevalecem quando há conflito com a lei nacional”, disse o defensor. “Ele é um refugiado político de um país democrático como a Itália e, porque não dizer, da União Europeia”, completou.

    O procurador-geral da República, Roberto Gurgel, manifestou-se sobre o caso como seu antecessor, Antonio Fernando Souza. Opinou pelo arquivamento da extradição, sem julgamento de mérito, pois compete ao Executivo decidir sobre refúgio político. Mas com uma ressalva, se o STF resolver julgar o processo, que a extradição seja concedida.

    Além do pedido de extradição feito pela Itália, o Supremo também analisa um mandado de segurança que pede a revogação do refúgio concedido a Battisti. O mandado quer reverter uma liminar negada pelo ministro Cezar Peluso ao governo italiano em fevereiro. O relator julgou a demanda prejudicada em seu voto.

    A Corte também julgaria recurso dentro do processo de extradição, contra decisão do ministro Gilmar Mendes, presidente do STF, que rejeitou a revogação da prisão de Battisti. Mas a defesa de Battisti desistiu do agravo.

  179. Fulgêncio Jr.

    Tá mais engodado que
    o enterro do MJ.
    O mundo ainda não acabou,
    logo logo tá todo mundo se mordendo e
    ouvindo certas falácias noutros posts ou
    nesse mesmo. Repara.

  180. Sandra.

    BINGOOOOOOOOOOOOOOOO.

    Que tal deixar-mos os tico ticos com seus cantos e responder apenas aos sàbias.

    Eu já estou fazendo isto.

    hahahahahahahahahahahahahahahahah 😀

  181. E nunca me diverti tanto.

    hahahahahahahahahahah 😀

    Repare com logo haverá tico tico estrilando.

    Ou pelo menos ficrão nos seus cantos.

    Hhahahahahahahahaahah 😉

  182. peter punk

    Gerald querido , obrigado por todos esses anos de blog…acho que te acompanho desde 2006. Seus textos me inspiraram tanto!! e tbm os de tantos comentaristas fantásticos do uol e daqui. Nos últimos tempos apesar de não comentar muito não deixei de te ler. Desse último texto tenho muito o que pensar. Como transpor a encruzilhada desse nosso tempo? O que fizemos para que tudo chegasse até aqui? Vi ontem stop makin sense e fez tanto sentido… Seu blog me ajudou a fazer sentido. e a saber parar de fazer…. eventualmente. Espero notícias suas.Obrigado por tudo. Sem citar kafka, becket ou joyce. TALKING HEADS:
    can’t seem to face up to the facts.
    I’m tense and nervous and I… can’t relax.
    I can’t sleep, cause my bed’s on fire.
    Don’t touch me I’m a real live wire.
    Psycho Killer
    Qu’est-ce que c’est?
    fa fa fa fa fa fa fa fa fa fa better
    Run run run run run run run away
    OH OH OH

    fa fa fa better e run run run away. Que a sorte te acompanhe sempre. Até mais….
    Grande beijo do
    Peter Punk

  183. Paulo from the G spot

    That’s the end my friend, the very end…
    See you in a few incarnations…

  184. Iasmim

    Maravilha de compoarações e palavras sinceras e estimulantes.

    Servem a quem pretende sequir renovando a si mesmo.

    Obrigado.

    Pacheco

    😀

  185. Azul

    Pachequito, Querido Daidao e cia…

    Obrigada pela carinho a minha *Tiphanny*….
    Pois eh sera que ainda realizo um de meus desejos??
    Espero realmente que sim…ai nesse dia Thy e Dudinha estariam brincando…e todos nos numa festa animada !!!

    Beijos Beijos na familia

  186. gthomas

    Peter Punk

    Legal te ver aqui.

    Obrigado cara.
    LOVE
    G

  187. Reinaldo Pedroso

    09/09/2009 – 08:43 Enviado por: enquanto isso , no G-diet

    Terapia Ocupacional rendível (“rentável”) para o bolso e a cabeça.

  188. Rainha de Copas

    “(…) não é ofício do poeta narrar o que aconteceu; é, sim, o de representar o que poderia acontecer; quer dizer: o que é possível segundo a verosimilhança e a necessidade” (Aristóteles,Poética)

  189. Sue.

    Meu e-mail com problemas.
    Caso necessário amanhã usarei o da Baby.
    O teu desejo bate com o meu e quem sabe um dia teremos esta satisfação.

    E ai! Haverá negritos na Pizaria?

    Vamos torcer para que não seja um dia de chuva.

    E que o sol brilhe como homenagem a Thifanny, não só neste proximo dia de comemoração mas ao longo do caminho dela.

    Pelo convite nota-se a beleza que ela irradia e sem duvidas o seu amor pelos cahorrinhos.

    XXX XXX xx au au

    😀

  190. Azul

    Ops!! Sim tera **Negrinhos sim…(Brigadeiros de Copinho = nao precisa enrolar…que da um trabalhao)…
    Nossa…voce realmente quer que eu chore ne Pachequito !!!
    AMEM AMEM…Deus te ouca…pois o SOL na vida da minha Princess (E de meu gatao Stephan) que faz com que continue nessa estrada (VIDA) ,.., caso contrario ja haveria desistido !!!
    DE TUDO….

    Obrigadao mesmo…

    Carinho sempre a voce , Baby ,.., familia linda 1 ao Dog (nao lembro o nome dele SORRY )…

    Indo para casa…..(terminou o hospicio aqui)…
    Mil coisas a fazer ainda ….

    Beijos

    Beijos

    Hoje comecaram as aulas , ano letivo…cidade esta a mil outra vez !!!

  191. mnc

    Buenas !!!
    Poxa Geralg meu rei.
    Me arrancou lágimas…
    Espelho de uma geração vc traduz essa deseperança com uma precisão cirúrgica, a dor do mundo e o que fazer quando ela vem…
    Vá G viajar faz bem p alma, Tunísia, passear do outro lado do Mediterrâneo, sobre ruínas de tantas civilizações em cima da outras, ruínas Romanas, Cartago esmagada , A invasão Vândala….somos um pouco assim uma camada vai morrendo e outra vai surgindo em cima.

    Temos portabilidade Dear, em qualquer lugar do mundo com seu note e um modem 3g vc pode postar e reportar p nós suas experiEncias se assim o quiser.
    Se bem que vc diz que cansou dessa tela fria de computador, isso é um ótimo sinal, a vida real aoontece out-door…lá a matéria prima p criar…as pessoas em carne, osso, alma e coração.
    Vc é lvre p voar, a porta está aberta, e também seja sempre essa pessoa pauta livre que conheço.
    Acho que vc nem imagina o quanto me fez crescer durante esse 1 ano de convivência quase diária com vc e seu multiverso.
    Isso vai passar.
    Sem adeus por favor, que seja um até breve.

    Me veio essa música do Sérginho Moreira….que sempre evoco nos momentos deprê.

    De vez em quando é preciso
    Passar a lmpo os rascunhos
    Redefinir a medula
    Orientar a viagem

    De vez em quando é preciso
    Teimar com os mesmos insanos
    Esquecer as causas nobres
    E caminhar com os pés no chão.

    E viver sempre que possível
    Navegar sempre que preciso.

    Be Happy!!!

  192. pedroso , o composto ” terapia ocupacional ” , bem anos 70 , avacalhou com o simples ” terapia ” . era chique fazer terapia . aí inventaram a ” terapia de grupo ” para os menos ricos , já que a conta do terapeuta era rachada por todos . e aí abriram para os mais velhos e riaram essa tal terapia ocupacional .

    ” terapia ocupacional para senescentes em asilos ” . foi o nome do projeto final de desenho industrial de uma amiga para o qual eu produzi os modelos . formandos de design adoram nomes longos …

    que vc quis dizer com isso ?

  193. mnc

    Só agora pude conectar e tomar tento do post novo do GT.
    Vou p a cage 5.

    Oi mineirim vc por aqui sô queridim?
    Tá doidio?
    Tb gosto dos cês demais da conta uai.

    Eu gosto do ocês…ocês gosta d eu…entonces nóis é tudo uns gosthosos.
    Sabe cumpadi que só desmariei os zoi despois que li seu recadim.
    Modde quê o GT tã nessa deprê toda, a tale da dor do múndio…eita dor doída, aí que nois pega na viola e chora nas cantiga.
    Agora trrurvou tudo, nois temo é thudio no sale do pré-sale.

    Abraços da roça.

  194. mnc

    Estou com problemas conecção 3g p variar.
    Volto mais tarde.
    Gente vamo segurar essa barra na boa.
    You shoud go on G.
    Do not give-up please!!!

  195. mnc

    Conexão com X…
    Indo, vazando, transbordando.

  196. Alfred E. Newman

    Ótimo texto Gerald, pra mim você traduziu o sentimento de muitas pessoas nos dias de hoje que estão cansadas dessa massificação cultural mundial.

    E embora concorde, faço parte de um pessoal que está tentando fazer coisas diferentes, seja na dramaturgia, na música ou nas artes plásticas.

    Sem egos, só com o coração rss.

    Vou te mandar um email. Leia com carinho.

    abs,

    Alfred.

  197. A pergunta que ainda não fizeram e possivelmente todos esperam a resposta:

    Sai o Gerald ( retornos eventuais ) e como fica o blog?

    Termina?
    Continua?
    Balança mas não cai?

    Enfim quais as variaveis previstas ?

    Torço para que o Dracula continue e todos fiquemos como estamos.
    E o Gerald nos visite esporadicamente.

    Enfim seria ótimo não haver uma dispersão entre nós.

    Quem é a favor?
    Existe opinião contrária?
    Existe outra idéia?

    Habemos POP?

    Obrigado.

    Pacheco.

    😉

  198. Migaaaa!

    ce aprocura nu trem qui tem um adeus di arromba ondi punhei a dona oda i u genaru.
    inté oce cum carrão ieu cantei

    grandi abraço proceis ai.

    XXX ( modi iguar us gringo faiz beijim ).

    Hahahahahahahahahahahahahahhah 😀

  199. Sandra

    Uma passada para ler os comentários e o texto em inglês, um pouco diferente… Ficou lindíssimo.

  200. Sandra

    “No enterro da minha mãe, ao qual eu não fui (por pura covardia) uma carta foi lida (mas ela é lida na cena final de “Rainha Mentira”), que presta homenagem aos seres desse planeta que foram, de uma forma ou outra, desterrados, desaparecidos, torturados ou são simplesmente o resultado de uma vida torta, psicologicamente torta, desde o início torta e curva, onde nenhuma linha reta foi, de fato, reta, onde as portas somente se fechavam e onde tudo era sempre uma clausura e tudo era sempre proibido e sempre trancado. Então, a tal homenagem se torna real, através da ficção da vida do palco”.

    Isso foi uma PORRADA. Estou tentando dizer isso desde ontem, mas não consegui. É por isso que te ouço, Gerald.

  201. Reinaldo Pedroso

    09/09/2009 – 19:34 Enviado por: o anjo exterminador

    – Quem és?

  202. Sandra

    Que texto lindo… LINDO…
    QUE ARRAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAASO!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    Também não consegui dizer isso ontem.

    O que você decidir, Gerald, AMÉM!!!!!!!!!!!!!

  203. Alfred E. Newman

    Droga, agora vou ter que ler o blog ou do Cocheiro ou da Fazenda.

  204. Boa noite

    Para que as mulheres riam e os homens entendam PORQUE DEMORAMOS TANTO NO BANHEIRO!!! kkkkk

    O grande segredo de todas as mulheres com relação aos banheiros é que quando pequenas, quem as levava ao banheiro era sua mãe. Ela ensinava a limpar o assento com papel higiênico e cuidadosamente colocava tiras de papel no perímetro do vaso e instruía:
    “Nunca, nunca sente em um banheiro público”
    E, em seguida, mostrava “a posição”, que consiste em se equilibrar sobre o vaso numa posição de sentar sem que, no entanto, o corpo não entre em contato com o vaso.
    “A Posição” é uma das primeiras lições de vida de uma menina, super importante e necessária, e irá nos acompanhar por toda a vida. No entanto, ainda hoje, em nossa vida adulta, “a posição” é dolorosamente difícil de manter quando a bexiga está estourando.

    Quando você TEM que ir ao banheiro público, você encontra uma fila de mulheres, que faz você pensar que o Bradd Pitt deve estar lá dentro. Você se resigna e espera, sorrindo para as outras mulheres que também estão com braços e pernas cruzados na posição oficial de “estou me mijando”.
    Finalmente chega a sua vez, isso, se não entrar a típica mamãe com a menina que não pode mais se segurar.
    Você, então verifica cada cubículo por baixo da porta para ver se há pernas.
    Todos estão ocupados.
    Finalmente, um se abre e você se lança em sua direção quase puxando a pessoa que está saindo.
    Você entra e percebe que o trinco não funciona (nunca funciona); não importa… você pendura a bolsa no gancho que há na porta e se não há gancho (quase nunca há gancho), você inspeciona a área.. o chão está cheio de líquidos não identificados e você não se atreve a deixar a bolsa ali, então você a pendura no pescoço enquanto observa como ela balança sob o teu corpo, sem contar que você é quase decapitada pela alça porque a bolsa está cheia de bugigangas que você foi enfiando lá dentro, a maioria das quais você não usa, mas que você guarda porque nunca se sabe…
    Mas, voltando à porta…
    Como não tinha trinco, a única opção é segurá-la com uma mão, enquanto, com a outra, abaixa a calcinha com um puxão e se coloca “na posição”.
    Alívio…… AAhhhhhh…..finalmente…
    Aí é quando os teus músculos começam a tremer …
    Porque você está suspensa no ar, com as pernas flexionadas e a calcinha cortando a circulação das pernas, o braço fazendo força contra a porta e uma bolsa de 5 kg pendurada no pescoço.
    Você adoraria sentar, mas não teve tempo de limpar o assento nem de cobrir o vaso com papel higiênico. No fundo, você acredita que nada vai acontecer, mas a voz de tua mãe ecoa na tua cabeça “jamais sente em um banheiro público!!!” e, assim, você mantém “a posição” com o tremor nas pernas…
    E, por um erro de cálculo na distância, um jato finíssimo salpica na tua própria bunda e molha até tuas meias!! Por sorte, não molha os sapatos. Adotar “a posição” requer grande concentração. Para tirar essa desgraça da cabeça, você procura o rolo de papel higiênico, maaassss, puuuuta que o pariuuuu…! O rolo está vazio…! (sempre)
    Então você pede aos céus para que, nos 5kg de bugigangas que você carrega na bolsa, haja pelo menos um miserável lenço de papel. Mas, para procurar na bolsa, você tem que soltar a porta. Você pensa por um momento, mas não há opção…
    E, assim que você solta a porta, alguém a empurra e você tem que freiá-la com um movimento rápido e brusco enquanto grita OCUPAAADOOOO!!!
    Aí, você considera que todas as mulheres esperando lá fora ouviram o recado e você pode soltar a porta sem medo, pois ninguém tentará abrí-la novamente (nisso, as mulheres nos respeitamos muito) e você pode procurar teu lenço sem angústia. Você gostaria de usar todos, mas quão valiosos são em casos similares e você guarda um, por via das dúvidas. Você então começa a contar os segundos que faltam para você sair dali, suando porque você está vestindo o casaco já que não há gancho na porta ou cabide para pendurá-lo. É incrível o calor que faz nestes lugares tão pequenos e nessa posição de força que parece que as coxas e panturrilhas vão explodir. Sem falar da porrada que você levou da porta, a dor na nuca pela alça da bolsa, o suor que corre da testa, as pernas salpicadas…
    A lembrança de tua mãe, que estaria morrendo de vergonha se te visse assim, porque sua bunda nunca tocou o vaso de um banheiro público, porque, francamente, “você não sabe que doenças você pode pegar ali”
    … você está exausta. Ao ficar de pé você não sente mais as pernas. Você acomoda a roupa rapidíssimo e tira a alça da bolsa por cima da cabeça!…
    Você, então, vai à pia lavar as mãos. Está tudo cheio de água, então você não pode soltar a bolsa nem por um segundo. Você a pendura em um ombro, e não sabendo como funciona a torneira automática, você a toca até que consegue fazer sair um filete de água fresca e estende a mão em busca de sabão. Você se lava na posição de corcunda de notre dame para não deixar a bolsa escorregar para baixo do filete de água… O secador, você nem usa. É um traste inútil, então você seca as mãos na roupa porque nem pensar usar o último lenço de papel que sobrou na bolsa para isso.
    Você então sai. Sorte se um pedaço de papel higiênico não tiver grudado no sapato e você sair arrastando-o, ou pior, a saia levantada, presa na meia-calça, que você teve que levantar à velocidade da luz, e te deixou com a bunda à mostra!
    Nesse momento, você vê o teu carinha que entrou e saiu do banheiro masculino e ainda teve tempo de sobra para ler um livro enquanto esperava por você.
    “Por que você demorou tanto?”
    pergunta o idiota.
    Você se limita a responder
    “A fila estava enorme”

    E esta é a razão porque as mulheres vamos ao banheiro em grupo. Por solidariedade, já que uma segura a tua bolsa e o casaco, a outra segura a porta e assim fica muito mais simples e rápido já que você só tem que se concentrar em manter “a posição” e a dignidade.

    Obrigada a todas as amigas que já me acompanharam ao banheiro.

    Beijos.

    Edleuza.

  205. Reinaldo Pedroso

    08/09/2009 – 20:13 Enviado por: Contrera

    “querido
    essa sua jornada é (…) a de todos nós. (…)”

    contrera
    Sim, resguardadas as circunstâncias, idiossincrasias e intensidades.
    Mas me diz, vivente, como estás?
    Reinaldo

  206. Reinaldo Pedroso

    Lá atrás a Ana Paula tinha citado a Paquita, a Lolita, a Baby e a TDB. Eu não sabia quem era a Baby, agora sei que é a Edleuza.

  207. Reinaldo Pedroso

    09/09/2009 – 21:12 Enviado por: Sandra

    “No enterro da minha mãe, ao qual eu não fui (por pura covardia)…”

    Covardia é um juízo moral e, palavra tua, raso.

  208. LEOPARD

    Claudio, estive visitando seu G Diet, muito bom(tú es o rei dos vídeos) gostei muito de ver o Daniel Baremboin(que já tive o prazer de ver regendo) recebendo o prêmio em Israel, mas, é sempre tem um mas, procurei onde registrar minha satisfação e não encontrei, mesmo assim meus parabens.
    Como um dia, long, long time ago we started a joke with Sherazade, i sugest that you put one or more videos with Sherazade of Nikolay Rinsky-Korsaskov
    Abraço
    Leopard
    PS. não entrava no blog do Gerald ha mais de 3 meses, e essa historia de cela enche o saco.

  209. LEOPARD

    Gerald, lendo sua homília, fiquei pesaroso com o possível fim do
    blog, nesses tempos onde a mediocridade impera é seu dever cívico com a humanidade continuar, voce é um soldado vital no combate a burrice e mediocridade: portanto continue no seu posto de comando, todos precisamos de ar puro.
    Abraço
    Leopard

  210. LEOPARD

    Isso aqui tá parecendo o Pavilhão 17, ou um Gulag, ou pior ainda
    “Arbeit macht frei”.

  211. LEOPARD

    Gerald, errata, onde está homília, leia, por favor, HOMILÍA.

  212. LEOPARD!

    Que saber da tua volta ao nosso convivio.

    Legal mesmo.

    Agora com licença que o jogo começou.

    Abraços de boas vindas.

    Pacheco.

    😀

  213. Sandra

    Reinaldo (21:47), exagerou na erva?

  214. Sandra

    O que será que o Gerald fará? Pelo nível de exigência dele, será algo fantástico.

    Boa noite a todos! Beijos!

  215. Valéria

    Gerald, vc sabe que já vim muito aqui durante um bom tempo, e o fazia quase que diariamente; e aprendi e troquei muito.

    Foi maravilhoso não só por ter um outro olhar sobre vc mas também pra me elaborar em muitos sentidos. Mas percebi também, e isso se intensificou quando minha vida ficou de pernas pro ar num dado momento (e é a gente mesmo, em parte, que provoca isso, este tipo de vida), que estava deixando de me relacionar com pessoas que são caras pra mim também, pois estava ficando muito tempo em computador (não só aqui no blog) e deixei de fazer, ouvir e sentir outras coisas que são muito importantes também na minha vida. Conclusão, percebi um desequilíbrio que me causou sofrimento.

    E vc foi muito importante pra mim nesta época, por diversas razões que aqui não cabe colocar.

    Compreendo o que vc posso tá passando, mas talvez eu não imagine a dimensão. Fico triste e ao mesmo tempo torcendo pro seu melhor, de coração.

    Fico feliz em ler que vc quer se redescobrir, o que tá encoberto em vc. E este momento de abertura é de intensa vida interior. É uma grande aventura que poucos têm o privilégio de experimentar, pois acabam se autormatizando na vida, então parabéns por este momento de se dar este presente.

    E mudar o nosso programa interno – também somos um tipo de computador -transformar nosso mandato interno exige energia, perseverança e principalmente amor. E amor é um novelo vibrátil de emoções que nós definimos como tristeza, raiva, alegria, medo, afeto etc. Os únicos que não fazem parte da energia amorosa são ódio e indiferença, pois são os substitutos de outros sentimentos, e de não conseguir expressar e perceber o que está por trás desta rigidez. E é o que nos leva a nos sentir inferiores ou superiores, nunca querendo se relacionar de igual pra igual. E lá vamos nós com críticas, vitimizações, rebeldias, angústias, confusões , memórias emocionais conflitivas etc recheadas de frases do tipo a humanidade é assim, os homens são assado , a vida é assim é assado etc. Tudo é e não é, depende de como se olha, de como se sente, de como se encara. A vida não tem dogma, não é dogma.

    Hoje tô mexida também porque acabei de ler dois livros, que li ao mesmo tempo: a autobriografia de Ayaan Hirsi Ali e a vivência de Jadwiga Mielzinska, que perdeu tudo na Polônia e foi deportada pra Sibéria quando a extinta URSS invadiu o lado oriental do país. Duas vivências opostas: Ayaan vivendo sob o jugo do islã e do clã, com pouca ou nenhuma vivência afetiva nem intelectual, e Jadwiga, com uma vivência familiar saudável, afetiva e muita cultura. Uma experimentou o pior lado ao ser deportada; a outra, vivenciou o caminho da liberdade, o prazer de poder escolher, de ter a escolha, de poder realmente ser. E as duas me fizeram sentir e refletir muito. E cada vez mais que olho o outro ser humano, mais percebo o mistério que é o próprio ser humano, a sua capacidade de mudar, de suportar, de criar, de intervir.

    E vc, Gerald, é do cabedal destas duas: tem fibra e tem escolha. Vc pode escolher o que pode ser bom pra vc. Vc pode.

    E é bom saber que vc está sendo amigo de vc mesmo neste momento. E este encontro é único.

    Pensar é bonito, mas sentir também.

    Sinto que vc tem amor dentro de si, então que vc realmente olhe e assuma como está, seja o que for.

    Vc já ajudou tanta gente, agora é a sua vez, pegue na sua mão e vá. Te dou a maior força, e qualquer coisa neste sentido, conte comigo.

    Eu gosto muito de vc. Vc me abriu vários tipos de janelas e portas.

    Vc é um artista maravilhoso.

    Que vc seja uma pessoa maravilhosa pra vc também, deixando-se sentir toda esta avalanche que quer transbordar de vc. Eu torço para que vc realmente não fique tanto tempo em computador etc, que fique mais tempo com vc e com as pessoas que possam te ouvir e te dar calor, mas que ouça também, pois esta tb é a nossa maneira de estar presente em nós.

    Gerald, esta jornada interna é emocionante. Também fiz e faço esta caminhada; começamos sempre do zero; é a poética do caminhante, isso me lembra Rimbaud – e é muito bom e muito ruim, prazeroso e doloroso.

    A parte boa disso tudo é que entrei e entro em muitas partes desagradáveis que sinto e sentia, mas tô me faxinando e tirando as vozes e os sofrimentos que não são meus e, por mais paradoxal que pareça e é sempre paradoxal, isso me ajudou e ajuda a me sentir melhor, a estar mais próximo de mim e dos outros.
    E com esta frágil força eu devagarzinho vou modificando muitas coisas, pra melhor, porque nada pior do que se afastar de si.

    O que disse ficou meio longo, se quiser, não publique.

    Mas fique com o carinho que sinto por vc. Receba meu abraço e o meu olhar.

    Valéria

  216. gthomas

    ACABEI DE ADICIONAR MAIS UMA PARTE TRADUZIDA (ou melhor, transcriada) pro ingles no fundo da pag

    longos beijos em todos

    LOVE

    G

  217. gthomas

    Lindo, Valeria.
    Lindo
    LOVE
    G

  218. Thiago P.

    acabei de assistir a montagem de Dimitier Gotscheff para “Hamletmaschine” de Heiner Muller, encenada no Sesc Copacabana. Apesar de achar bem interessante, principalmente o trabalho dos atores, o que não saia da minha cabeçaapós o fim da peça era a frase do Gerald “Heiner Mueller é perda de tempo.”…

    cheers

  219. Reinaldo Pedroso

    09/09/2009 – 21:47 Enviado por: Reinaldo Pedroso

    09/09/2009 – 21:12 Enviado por: Sandra
    “No enterro da minha mãe, ao qual eu não fui (por pura covardia)…”

    Covardia é um juízo moral e, palavra tua, raso.”

    ___________________________________________________________________

    09/09/2009 – 22:43 Enviado por: Sandra

    “Reinaldo (21:47), exagerou na erva?”

    ___________________________________________________________________

    Apenas aproveitei a introdução do texto do Gerald que reproduziste, eu deveria ter copiado diretamente do original lá em cima. Ficou estranho sim, a observação que fiz era dirigida ao Gerald e não a ti; cochilo freudiano.

    Apelaçãozinha, “Reinaldo, exagerou na erva?”

    Tudo bem.
    Reinaldo

  220. Reinaldo Pedroso

    09/09/2009 – 23:13 Enviado por: Valéria

    “O que disse ficou meio longo (…)”

    Valéria
    Li rapidinho.
    No mais das vezes, textos pedantes, herméticos, redundantes, confusos, insconsistentes, estes sim, tornam-se penosamente longos.
    Reinaldo

  221. Daniela

    Sem férias sem tempo para ler todos os coments.

    Gerald estava ouvindo esta música e pensei que combina com este momento:

  222. Reinaldo Pedroso

    “A professora pergunta na sala de aula.
    – Pedrinho qual a profissão de seu pai?
    – Advogado, professora.
    – E a do seu pai, Marianinha?
    – Engenheiro.
    – E o seu, Aninha?
    – Ele é médico.
    – E o seu pai, Joãozinho, o que faz?
    – Ele é dançarino em uma boate gay.
    – Como assim?, pergunta a professora, surpresa.
    – Ele dança na boate vestido de mulher, com uma tanguinha minúscula de lantejoulas; os homens passam a mão nele e põem dinheiro no elástico da tanguinha e depois saem para fazer programa com ele.
    A professora rapidamente dispensou toda a classe, menos Joãozinho.
    Ela caminha até o garoto e novamente pergunta.
    – Menino, o seu pai realmente faz isso?
    – Não, fessora. Agora que a sala tá vazia, eu posso falar :
    ele é Senador, mas dá uma vergonha falar isso na frente dos outros.”

    Questão: onde está o preconceito?
    Reinaldo

  223. Bom dia.

    E um bom dia especial para o Joãozinho que veio com o Reinaldo Pedroso nos visistar as duas da matina.
    Emrealção ao senado ai sim talvez tenhamos oitenta por cento de brasileiros que apoiam as palavras do Joãozinho.

    ¨Vote certo e com amor, Joãozinho para senador ¨

    P O I Z È.

    Zé.

    Inté

    😀

  224. Errata.

    Comentário das 06 52.

    Substituir : Emrealção

    Por : Em relação

    Obrigado.

    Pacheco.

    😉

  225. O preconceito esta em relação aos gays dançarinos que não merecem serem comparados com sarneys,renans e colloridos.

    Se eles vendem algo não são como os nossos senadores que nos vendem e na hora H tiram os deles da reta e nos deixam para sermos fudidos.

    Discorde quem quiser.
    Apoie quem desejar.
    ignore quem preferir.

    Mas esta é a minha opinião e até que me provem o contrário eu a manterei.

    Prefiro receber aquele que vive amando do que outro que vive nos cagando.

    P O I Z É!

    Num é?

    Já ganhei o dia de hoje.O sol brilha aqui em Vitória.
    Mais uma vez lamento os infortunios dos nossos irmãos Catarinenses.

    Oremos por eles e por nós.

    Obrigado.

    Pacheco.

    🙂

  226. Meninas Super Poderosas

    Como voces sabem , Tiphanny faz 11anos dia
    10 de Setembro

    Vamos voar to NY?

    Não precisam passar em Vitòria para me levar.

    Vou com o Peter Pan.

    Ficarei la até o dia 12.

    Yes I do love Piza.

    Embora não seja e nem tenha a pretensão de ser politico.

    Um longo beijo para a Princezinha aniversariante.
    Para o irmão dela também.

    Sue.

    XXX XXX xx au au.

    😀

  227. mnc

    Bom dia comunidade!!!

    Havia na Ìndia um sábio que desvendava os mistérios da vida das pessoas, e que era assiduamente procurado.
    Certa vez, um jovem desconfiado e ousado, quis testar a sabedoria do velho sábio.
    Pegou um passrinho vivo escondeu-o atrás dp corpo e se apresentou diante do homem de cabelo e barbas já brancos.
    – O senhor é sábio mesmo?
    – Dizem que sou.
    -Então me digo o que tenho em minhas mãos?
    -Deve ser um pássaro; jovens como vc gostam muito de caçar os pássaros.
    -É verdade o senhor acertou. Mas me diga, o pássaro está vivo ou está morto?
    O sábio agora estava numa situação difícil; se ele dissesse que o pássaro estava morto, o jovem o soltaria a voar; se dissesse que estava vivo p jovem ele o mataria em suas mãos sem que o sábio o notasse….Uma cilada de mestre.
    _Então senhor sábio, o pássarim tá vivo ou está morto? Me responda o senhor não é sábio?
    o velho abaixou a cabeça e pensou um pouco.
    Depois respondeu ao jovem:
    DEPENDE DE VOCÊ!!!
    Pensativo e cabisbaio o jovem foi se afastando…e, ao longe olhando p o velho , soltou o passarinho e começou a chorar…..

    Temos um passarinho dentro de nós, matá-lo ou deixá-lo viver depende eclusivamente da gente mesmo, e de minguém mais.
    Vc recdebeu o dom mais precioso deste mundo que é a liberdade.
    Este pássaro de ouro que é a sau vida, criado a imagem e semelhança de Deus, está em suas mãos.
    O que vai fazer com ela?
    Vai matá-la como aquele jovem pretendia fazer com o passarinho, às escondidas, covardemente…?
    Ou vai deixá-la voar ainda que com lágrimas….
    DEPENDE DE VOCÊ!!!

    A vida é sua e de mais ninguém.
    É o único dom que de fato é inteiramente seu. O resto é seu, mas está fora de você.
    Não culpe ninguém pela vida que está levando.

    Amanheceu é hora de voar…

    Abraços,

  228. mnc

    Bom dia migaaaaa.

    Concidência?

    Nun é qui ieu já manheci avoando?

    Cum o tar de Peter Pan!

    To ino pra Nova iorki.

    Ce memu falo qui adependi di nóis a vive cumu a genti qué nun é

    POIZÉ

    Beijinnn pro ce.

    Hahahahahahahahahahahahahahahahah 😀

  229. Daniela

    Estive pensando, é tudo tão complexo que exige milhares de teorias.
    Li o ‘Creúsculo’ a pouco tempo. Queria algo para me distrair, que não exigisse a mínima necessidade de raciocínio.
    E fui na onda do povão, muitas pessoas que conheço ficaram automáticamente viciadas na história desse romance adolescente.
    Realmente, tenho que confessar que aquela linguagem simples era tudo de que eu precisava no momento, além de que foi uma leitura gostosa.
    Depois de uns meses vi o filme.
    Interessante.
    Mas pensei algo tão bobinho e contado de milhares de formas diferentes em vários romances, pq faz tanto sucesso?
    Pq leva o público a crítica e milhares de ^prêmios?
    Nem parece justo. E quando digo justo digo num sentido de justiça universal.
    Esta semana a busca de paz de espírito,’ minha filha menor me deixa louca’, estou estudando e mil outras coisas acontecem para retirar minha paz, no meio desse turbilhão um pouco de distração me faria bem.
    Vi novamente este filminho.
    E tive uma sensação boa.
    E fiquei intrigada pq esta sensação tão boa?
    Percebi que naquelas palavras escritas de maneira tão simples arrebatam multidões justamente por expor o sentimento, inocencia, amor, tudo de forma tão fresquinha….
    A geração atual será lembrada como a geração ICE, sem sentimento, sem grandes demostrações de bem querer, ou mal querer, tudo é política tudo são negócios.
    Tudo é frio e sujo.
    Tão frio e sujo que não existe mais inocencia, entrega verdadeira.
    As pessoas não se permitem sentir, amar, e nem podem pensar por um segundo que seja que alguém possa ter este tipo de sentimento.
    Quem declara qq tipo de emoção, é automaticamente rechaçado, e esta feito o down-grade.
    Imagino quão difícil possa ser a vida de um artista que precisa sentir para criar.
    E que sua criação representa tudo que ve, e tudo que representa o mundo.
    Um mundo frio, e sujo…….

  230. Uma embarcação pode até estar sem um comanadante.

    Enquanto tiver duas ancoras estará navegando certa de que se necessário poderá suportar até tormentas pois o que a segura é a força do apoio que as duas ancoras lhe garantem.

    E o AMOR é o combustivel para qualquer viagem e alcance de qualquer porto.

    Não tentem entender.

    Esta mensagem tem um destino BLUE.

    Obrigado.

    Pacheco.

    😀

  231. Daniela

    (Texto na Revista do Jornal O Globo)

    ‘Eu não sirvo de exemplo para nada, mas, se você quer saber se isso é possível, me ofereço como piloto de testes. Sou a Miss Imperfeita, muito prazer. A imperfeita que faz tudo o que precisa fazer, como boa profissional, mãe, filha e mulher que também sou: trabalho todos os dias, ganho minha grana, vou ao supermercado, decido o cardápio das refeições, cuido dos filhos, marido (se tiver), telefono sempre para minha mãe, procuro minhas amigas, namoro, viajo, vou ao cinema, pago minhas contas, respondo a toneladas de e mails, faço revisões no dentista, mamografia, caminho meia hora diariamente, compro flores para casa, providencio os consertos domésticos e ainda faço as unhas e depilação!

    E, entre uma coisa e outra, leio livros.

    Portanto, sou ocupada, mas não uma workholic.

    Por mais disciplinada e responsável que eu seja, aprendi duas coisinhas que operam milagres.

    Primeiro: a dizer NÃO.

    Segundo: a não sentir um pingo de culpa por dizer NÃO. Culpa por nada, aliás.

    Existe a Coca Zero, o Fome Zero, o Recruta Zero. Pois inclua na sua lista a Culpa Zero.

    Quando você nasceu, nenhum profeta adentrou a sala da maternidade e lhe apontou o dedo dizendo que a partir daquele momento você seria modelo para os outros.

    Seu pai e sua mãe, acredite, não tiveram essa expectativa: tudo o que desejaram é que você não chorasse muito durante as madrugadas e mamasse direitinho.

    Você não é Nossa Senhora.

    Você é, humildemente, uma mulher.

    E, se não aprender a delegar, a priorizar e a se divertir, bye-bye vida interessante. Porque vida interessante não é ter a agenda lotada, não é ser sempre politicamente correta, não é topar qualquer projeto por dinheiro, não é atender a todos e criar para si a falsa impressão de ser indispensável. É ter tempo.

    Tempo para fazer nada.

    Tempo para fazer tudo.

    Tempo para dançar sozinha na sala.

    Tempo para bisbilhotar uma loja de discos.

    Tempo para sumir dois dias com seu amor.

    Três dias.

    Cinco dias!

    Tempo para uma massagem.

    Tempo para ver a novela.

    Tempo para receber aquela sua amiga que é consultora de produtos de beleza.

    Tempo para fazer um trabalho voluntário.

    Tempo para procurar um abajur novo para seu quarto.

    Tempo para conhecer outras pessoas.

    Voltar a estudar.

    Para engravidar.

    Tempo para escrever um livro que você nem sabe se um dia será editado.

    Tempo, principalmente, para descobrir que você pode ser perfeitamente organizada e profissional sem deixar de existir.

    Porque nossa existência não é contabilizada por um relógio de ponto ou pela quantidade de memorandos virtuais que atolam nossa caixa postal..

    Existir, a que será que se destina?

    Destina-se a ter o tempo a favor, e não contra.

    A mulher moderna anda muito antiga. Acredita que, se não for super, se não for mega, se não for uma executiva ISO 9000, não será bem avaliada. Está tentando provar não-sei-o-quê para não-sei-quem.

    Precisa respeitar o mosaico de si mesma, privilegiar cada pedacinho de si.

    Se o trabalho é um pedação de sua vida, ótimo!

    Nada é mais elegante, charmoso e inteligente do que ser independente.
    Mulher que se sustenta fica muito mais sexy e muito mais livre para ir e vir. Desde que lembre de separar alguns bons momentos da semana para usufruir essa independência, senão é escravidão, a mesma que nos mantinha trancafiadas em casa, espiando a vida pela janela.

    Desacelerar tem um custo. Talvez seja preciso esquecer a bolsa Prada, o hotel decorado pelo Philippe Starck e o batom da M.A.C.
    Mas, se você precisa vender a alma ao diabo para ter tudo isso, francamente, está precisando rever seus valores.

    E descobrir que uma bolsa de palha, uma pousadinha rústica à beira-mar e o rosto lavado (ok, esqueça o rosto lavado) podem ser prazeres cinco estrelas e nos dar uma nova perspectiva sobre o que é, afinal, uma vida interessante’

    Martha Medeiros – Jornalista e escritora

    PS: Eu deveria ter escrito isso.
    Quando conseguir me escravizar menos para ter um batom da MAC. Ou quando as crianças crescerem, talvez eu consiga juntar todas as partes do livro que tenho em minha cabeça.
    Ser mulher é isso.

    PS: ODEIO A MULHER Q QUEIMOU O SUTIã.
    POXA! ELA PRECISAVA QUEIMAR O SUTIÃ INTEIRO?
    NÂO PODIA SER SÒ A METADE????

  232. Daniela

    A vida é fria e justa e só a arte pode balanceá-la.
    Por isso o vício! O vício pela arte!
    A arte nos faz vuneráveis, e dentro de nós conseguimos ver a vida que na realidade é tão fria e tão suja e tão dura de uma forma mais limpa e permeável.
    Quando se é artista olhar para a vida como ela realmente é o faz sofrer.
    è como se a cada novo projeto se arrancasse a casaca da ferida.
    E as vezes vc deve pensar.
    Que estou fazendo? me machucando?
    Para fazer o mundo melhor?
    E eu?
    Talvez vc esteja num momento de egoísmo profundo para poder ser aperfeiçoar.
    Aperfeiçoar sim.
    Afinal vc, hahahah vc não é limitado.
    Nem o céu é o limite para sua arte.
    Acho que foi Einsten que disse que :
    ‘Quando abrimos nossa mente para expansão nunca mais conseguimos fecha-la novamente.’
    Então vc realmente acredita que vá conseguir fazer isso?
    Não creio.
    Vc realmente precisa desses críticos do SOHO e de todas estas referencias?
    Não creio.
    Acredito que vc tenha que absorver que a muito tempo vc é a referencia.
    Aceite o duro fardo a que se impôs.
    Acredite uma vez o vi numa entrevista na TV no Brasil, eu ainda era adolescente e achei aquilo tudo genial.
    Isso deve fazer uns 18 anos, sei lá!
    Não me lembro o que vc disse, mas lembro de que fiquei absolutamente perplexa e quis entender aquilo e quis procurar onde poderia ver seu espetáculo que infelizmente descobri em cartaz no RJ e eu morava em SP.
    Conclusão o tempo passou mas suas palavras jogadas, no meio a toda aquela fumaça de cigarro? Vc ainda fumava, e aquelas imagens de pequenos trechos de algum espetáculo que vc montou (não me pergunte qual, não vou me lembrar) me deixou alucinada. Pensei a vida pode ser bem mais.
    Pessoas trabalham para que ela seja mais que esta maldita rotina suburbana.
    Foi tudo tão rápido!
    E naqueles miseros minutos eu tenho esta imagem até hj, vejo seu trabalho, e trechos de seu trabalho, a que acho brilhante.
    As vezes tenho que confessar que não entendo tudo(talvez não tenha repertório para o seu tudo), mas não importa pois a sensação é boa.

    Se vc usa a platéia como terapeuta?
    Claro!
    Mas e daí?
    A platéia te usa como válvula de escape dessa vida chata e entendiante, fria e suja.

  233. Tene Cheba.

    Insana sereia descamada, insanos seres abissais, a rede te pescou. Eis você aí, simples, igual.

  234. Daniela.

    Por onde andava esta MULHER que estou lendo agora!

    Vou ler tudo novamente e bem devagar.
    Devagar irei ao longe.Basta seguir os caminhos apontados.

    Obrigado.

    Pacheco.

  235. bom dia

    leopard , grato pela gentileza . o link para comentarários está logo ao lado do video . boa ideia um post sherazade , aquela que adiava a cada dia seu último dia … 😉

    Gerald pensei em remixar “eh joe” , a peça , acelerar um pouco ou sei lá o quê , e fui buscar o texto na net :

    “” Joe … Joe …
    Thought of everything? …
    Forgotten nothing?…
    You’re all right now, eh? …
    No one can see you now ….
    No one can get at you now ….
    Why don’t you put out that light? …
    There might be a louse watching you ….
    Why don’t you go to bed? …
    What’s wrong with that bed, Joe? …
    You changed it, didn’t you? …
    Made no difference? …
    Or is the heart already? …
    Crumbles when you lie down in the dark ….
    Dry rotten at last ….
    Eh Joe?

    The best’s to come, you said, that last time ….
    Hurrying me into my coat ….
    Last I was favoured with from you ….
    Say it you now, Joe, no one’ll hear you ….
    Come on, Joe, no one can say it like you, say it again now and listen to yourself ….
    The best’s to come ….
    You were right for once ….
    In the end.
    … “””

    Gerald , isso é tão twitter , não acha ?

    aliás , é tão ” e agora , josé ? ” , né não ?

  236. Cintia

    bom dia.

    Disney lança animação feita como antigamente
    IG Último Segundinho/ para crianças

    *é a primeira princesa negra num filme da Disney, acho. Lindinha!

    Hoje em dia a grande moda nos cinemas são as animações digitais em 3D, em que os personagens são feitos usando uma tecnologia que permite que você os veja fora da tela.

    Mas beeeem antes das animações serem criadas de forma digital, tudo era feito com apenas lápis e papel, iguais aos que você usa na sua escola – você acredita?

    A técnica da animação nasceu assim mesmo. Você pega um papel e desenha o personagem em uma pose. Depois pega outro papel e desenha o mesmo personagem, mas agora numa pose um pouquinho diferente.
    Se juntar um montão de desenhos e trocar suas folhas bem rapidamente, seus olhos vão misturar todos e você verá aquele personagem se mexendo – o que pode parecer mágica, mas não é!

    No começo os desenhos animados eram curtinhos, durando apenas alguns minutos, mas em 1937 os estúdios Disney lançaram o primeiro longa-metragem de animação, Branca de Neve e os Sete Anões.

    O filme fez tanto sucesso que a partir dele a Disney lançou um montão de desenhos animados, tornando-se o principal estúdio de animação do mundo. A Espada era a Lei, Aristogatas, Alladin e O Rei Leão são alguns exemplos de animações clássicas da Disney.

    Mas os anos passaram e os computadores foram ficando mais e mais modernos, o que fez com que a animação digital tomasse o espaço dos desenhos animados feitos com lápis e papel – hoje em dia é mais fácil e muito mais rápido produzir uma animação digital do que a tradicional.

    Porém, contrariando a expectativa do público, a Disney vai lançar um novo desenho animado feito como antigamente. O nome da animação é A Princesa e o Sapo, e ela conta a história de uma princesa que ao beijar um sapo na esperança dele virar um príncipe, acaba se transformando numa perereca – caramba!

    O desenho só deve chegar aos cinemas brasileiros no final deste ano, mas você já pode assistir ao trailer em inglês agora mesmo:

    http://crianca.ig.com.br/ultimosegundinho/noticias/2009/09/10/disney+lanca+animacao+feita+como+antigamente+8348918.html

  237. Carol

    A plateia é terapeuta?

    Então, meu diagnóstico é que o “ego cresceu demais” pressionando e obstruindo a “veia criativa”.

    Doses diárias de humildade e redução de hábitos nocivos como culto patológico à própria vida e obra melhoram o quadro. (Nessa fase de desapego é importante o apoio dos familiares e AMIGOS)

    Aliás, por que alguém criaria algo novo se acha que chegou à perfeição há 20 anos?

  238. Cintia

    Essa nota sobre a Disney parece não ter nada a ver com o assunto aqui em questão, mas sei lá, talvez tenha.
    Essa informação certamente não indica um simples ‘retrocesso’, então, a menos que o motivo seja unicamente econômico (sei lá pq), talvez seja algum tipo de ‘resgate’, não sei …

  239. Cintia

    Leopard e Carol, bom vê-los de volta.
    Carol, se vc é aqueela Carol de antigamente, eu sou a Santanna.

  240. Cintia

    A Arte está sufocada pela supervalorização da tecnologia e pelo super consumismo.
    Mas
    esperemos que ela sobreviva.

  241. T,MT

    Gerald,

    Bem!, dois comentários meus sumiram. Logo eu lhe acusei de ter sido o censurador. Sei lá, talvez tenha sido um mal-entendido de minha parte…

    T,MT

  242. Cintia.
    Sempre gostei de desenhos animados.
    Fizeram parte da minha vida.
    E agora já na maioridade gosto mais do que antes.
    E se pensados tem a ver com tudo no mundo. Pelo menos no meu mundo e seus limites.
    Os desenhos nos divertem e de cada um pode-se tirar exemplos.
    Não a ponto de igualar o real com a fantasia, mas para que se vejam as coisas com otimismo e alegrias.
    O mundo das crianças e sempre mais sincero e belo que o mundo real.
    E qual de nos não foi criança
    E qual de nos não tem ainda uma criança dentro de nos mesmos.
    Salve o desenho animado.
    Salve o mundo.
    Antes que desenhem um personagem político.
    Exceto somente o senador Doido Varrido.
    Hahahahahahahahahahahahahahahah
    ,)

  243. Azul

    Nossa Pachequito,
    BOM DIA !!!
    Que *SABEDORIA*….de vida de sentimentos…”Quando crescer quero ser ‘parecida’ com voce….!!! (rs)”….
    Entendi a mensagem Blue…e senti recarregada de energias !!!
    Nada facil…mas *Ancoras* ….ainda estao no barco….

    OBRIGADAO

    Beijos

  244. 10/09/2009 – 12:28

    Enviado por: Cintia

    A Arte está sufocada pela supervalorização da tecnologia e pelo super consumismo.
    Mas
    esperemos que ela sobreviva.

    Eu diria que a arte esta sufocada pela falata de investimentos e pelo SUPERCOMUNISMO.

    E vai sem Smiley porque o teclado aqui disponivel onde estou esta desconfigurado.

    Obrigado.

    Pacheco.

  245. Azul

    Sabe eh engracado…pois HOJE la em casa clima de festa , comemoracao VIDA !!!

    Mas estamos na ‘vespera’ de September.11 – O clima na rua *apreencivel* – O exercito , enfim…a seguranca de NYC nos Subway , Path , nas escolas…espalhados pelas ruas um clima de *tristeza , angustia , medo…saudades….e toda hora alguem relembra aonde estava e o que fazia naquele **Maldito** Sep/11/2001…

    .

  246. Lutz Guntzan

    Geraldo, pare tudo e volte.
    Volte, Geraldo. Volte.
    Volte para o Brasil. Aqui tudo está por se fazer. Aqui todos esperam Beckett.
    Aqui se vive a alteridade no cotidiano.

    Grande abraço,
    Lutz.

  247. Carol

    Cintia ! Sou a Carol de antigamente (3, 4 meses é antigamente?). Pelo visto voltei pra ver o fim , mas desconfio que isso tudo seja uma “síndrome de Jason Voorhees” (muito na moda, aliás )básica.

    Sandra, queria lembrar uma coisa, vc é professora de física ou matemática?

  248. Cintia

    Pachecão,

    Eu tb sou uma criança grande.
    Aaaamo desenhos animados. Mas esses, das antigas, não esses Bob Esponja da vida que tem por aí agora.
    Gosto de uma coisa ou outra da Pixar, como Ratatouille e Madagascar por ex, mas de uma maneira geral, desgosto. Shrek é das coisas mais medonhas que já vi na vida, rs. A computação gráfica não dá o efeito de profundidade, e isso só me provoca dor de cabeça. Qdo vi Toy Story saí do cinema com a cabeça estourando.
    A computação gráfica proporcionou sim efeitos sensacionais, como no Tarzan da Disney, qdo ele ‘surfa’ nas árvores, sensacional. Mas em excesso, só me cansa.
    Nada como Branca de Neve, Cinderela, e tantos outros… e mais recentemente O Rei Leão, A Bela e a Fera, Mulan… hein? 😉

  249. Cintia

    Carol,

    Sim, ‘antigamente’ foi meio over né, rs. Mas é que hoje em dia tudo passa tão rápido…
    Espero que não seja realmente ‘o fim’, e que vc tenha voltado pra ficar. Vc faz falta por aqui.
    Fazem falta pessoas com a sua inteligência, seu espírito crítico e franco – se todos concordamos sempre, discutiremos o quê?
    E tb, o seu humor. Não esqueço daquele sonho de carnaval que vc teve com o Gerald. Muito bom, rs.

    abraços

  250. Daniela

    Ai ai,
    Pacheco,
    Tenho corrido tanto ultimamente que estou sem tempo para pensar acredita?
    Mas é verdade a rotina esta me matando.
    Mata meu intelecto, se é que ainda existe ao menos sombra dele aqui dentro da minha cachola louca e desconsertada.
    Mas acredito que mesmo o sistema se impondo, aquela MULHER não deixará de existir.
    Beijão

  251. Sandra

    Boa tarde a todos!

    Um beijo à azulzinha Stephanie!!!!! Feliz aniversário!!!!!!!!!!!!!!!

  252. Sandra

    Estranho… O texto em inglês ficou inacreditavelmente triste… Chegou a doer.

    Acho que nunca tinha lido um texto do Gerald em inglês.

  253. Sandra

    Desculpe-me azulzinha!!!! Troquei seu nome!!!!! É o sono!!!!!!

  254. Sandra

    Nossa, que sensação estranha. Os textos do Gerald têm uma linguagem diferente. Eles sangram. Não são apenas uma descrição de uma cena triste, como nos livros de Kafka. Nunca li nada assim em inglês. É como se eu fosse reapresentada a eles.

  255. Sandra

    Os textos do Gerald lembram-me as distorções de Hendrix. Só que com idéias.

    Que lindo…

  256. Sandra

    Uma viagem, como Purple Haze…
    O que será que virá além disso?
    Sempre digo ao Gerald que ele não se supera tão cedo. E sempre quebro a cara.

  257. Sandra

    Saindo. Depois volto para ler os demais comentários. Também estou morrendo de saudades do G-diet.

    Beijos em todos.

  258. LEOPARD

    Agradeço as palavras de acolhida do velho companheiro Pacheco bem como da Cintia, sem deixar de mencionar o Claúdio, isto aqui está como em Dantzig(corredor polones) tá difícil de passar. Por sinal o Sr.Putin passou por calças justas(Copyright Claudio) no último dia 1 na Polonia pela comemoração dos 70 anos do inicio da 2 guerra, foi dificil explicar a situação da ex URSS na divisão da Polonia, mas ele se saiu bem dizendo que estavam enterrados em solo polones 650.000 russos e que graças a URSS a Polonia não estava falando alemão até hoje.
    De resto estou correndo de seca a meca a procura de editor(tá mais dificil que acertar na lotéria(né Targino?)
    Abraço a Todos
    Leopard
    PS.Claudio do lado dos videos vi um comentar mas ao lá entrar era pra mandar um e-mail para um amigo, confesso que não entendi.

  259. LEOPARD

    Parafraseando a Sandra, estou de saída, a procura do meu Godot, que no caso é um editor para meu livro que, ufa, finalmente acabei e ele comigo.

  260. BIQUEI BIG

    Morando em castelo e roubando à previdência.

    STF rejeita recurso de Edmar Moreira

    O Supremo Tribunal Federal (STF) rejeitou nesta tarde (10) recurso apresentado pela defesa do deputado federal Edmar Moreira (PR-MG) contra decisão da Corte que recebeu denúncia para apurar o envolvimento dele em suposta prática do crime de apropriação indébita de contribuições previdenciárias.

    A defesa alegou que haveria obscuridade na decisão da Corte, já que além de Edmar, sua sócia Júlia Fernandes Moreira também foi denunciada e figura como ré no processo. Para a defesa, há ambigüidade quanto à ausência de individualização das condutas dos denunciados.

    O relator do caso, ministro Carlos Ayres Britto, disse que a questão foi devidamente analisada pelo Supremo quando a denúncia foi recebida, no dia 7 de maio de 2009. “Aqui a defesa está insistindo na tese da falta de individualização das condutas increpadas aos denunciados, tese que foi examinada e rechaçada focadamente [na decisão da Corte]”, afirmou.

    A defesa apresentou um recurso chamado de embargos de declaração, utilizado para solicitar o esclarecimento de um algum ponto de uma decisão da Corte considerado obscuro, contraditório, omisso ou duvidoso.

    “[Os denunciados] pretendem a rediscussão de um julgamento regularmente procedido e valendo-se de via inadequada, que é a via estreita dos [embargos] declaratórios”, concluiu Britto.

  261. Azul

    Sandruxa,

    Querida , nao tem importancia, o que importa eh o carinho !!!
    Obrigada mesmo pelo carinho…
    Agradeco tambem os *Parabens* para Tiphanny da Ana Paula (Sexy Girl) , Glorinha A poetisa….., Juju e voce Sandruxa…

    Beijos

  262. Cintia.

    E amigos ( as ) do blog.

    Sabemos que existem diversos trabalhos e estudos sobre desenhos animados e seus efeitos inclusive com auxiliares na educação de crianças.
    Não sabemos exatamente o quanto podem influenciar os adultos.
    Verdade que dentro de nos e isto e sempre afirmado que existe uma criança assim com dizem que de poeta vê de louco todos temos um pouco.
    O mundo da ilusão é aceito ou não.
    Veja o caso das novelas. Algumas beiram ao absurdo. No entanto as pessoas as sequem apaixonadamente e sempre se identificam com os fatos e situação mostrada em cada capitula.
    Lembra do Quem matou Odete Roitman¨? Parecia loucura. E agora esta caminho das Índias que nos mostra um Rio Ganges mais limpo do que o Tiete quando sabemos que a realidade é outra?É o mundo do desenho adulto. A ILUSÃO. A fantasia. O TEATRO EM CASA e dentro da caixinha.
    Assim com você eu prefiro os desenhos digamos A La Antiga.
    E O QUE DIZER DOS CONTOS DE ANDERSEN?
    Os primeiros desenhos que assisti foram em Santos e nos cinemas de rua. Acho que eram de um serviço da prefeitura. Instalavam uma tela nos bairros e a criançada delirava com aqueles personagens de então. Mickey e o Donald comparado aos de hoje eram feios de dar dó. Mas era o que conhecíamos e, portanto o Maximo.
    Com a infância da Dudinha eu revi os clássicos da Disney.Já com o Gabriel alem destes eu tive que assistir alguns dos mais modernos não inteiramente a vontade.Era um tal de monstro disto e daquilo alem dos dinossauros dos quais o meu neto tem uma coleção.
    Acho que tiraram bastante dos sonhos de romantismo e mostram mais cenas de violência. E pancadaria pra todo lado. E os japoneses com aqueles mistos de transformes eu acho um horror.
    Não fui um menino de rua. Mas como os tempos eram outros eu passava mais tempo nas ruas do que dentro de casa. Não havia tanto medo por parte dos pais. Recordo que no período da tarde minha turma ia andando até a Ponta da praia em Santos onde havia um trampolim na entrada da barra. Nadávamos-nos a tarde inteira inclusive assistindo as entradas e saídas dos navios no porto só regressando para casa a tardinha quase anoitecendo.
    As crianças de hoje e até com razão são literalmente trancadas em casa e só lhes resta ficar horas e horas frente a TV que alias muitas mães usam para distrair os seus filhos.
    Diferenças de épocas e de culturas?
    O que é certo e o que é errado?
    É difícil padronizar.
    Há que haver um bom senso por parte dos pais.
    Em minha opinião os pais devem ter a preocupação de estimular desde cedo o habito da leitura. Não a leitura constante e a pesquisa no computador.
    A leitura de LIVROS.
    O Inicio.
    Para que não cheguemos todos ao FIM.
    A internet que tanto impulsiona um mundo Globalizado pode se não controlada acelerar o THE END.
    Tomara que um dia não tenhamos que dizer:
    Que saudades da Branca de Neve!
    E do Gepeto também.

    Beijos

    Donald Duck por todos nós.

    Ele tomou a frente do Zé carioca que queria mandar beijos para a BAHIA.

    😀 Hahahahahahahahahahahahah.

  263. Cintiaaaaaa!

    O Zé Carioca esta dizendo que ele queria mesmo era mandar beijos para as baianas.

    Faço a devida correção.A pedido.

    Obrigado.

    Pacheco.
    😉

  264. Ana Paula

    Boa tarde, pessoALL,

    Gente…
    E WALL-E?

    Tem coisa mais linda que WALL-E? 😀

    Deus criou o Steve Jobs só pra criar a Pixar…
    Brilha muito no Curíntia isso!

  265. Alo Leopard.

    Viagem longa.
    Fez falta.
    Ainda não esta bem explicado como ficará o blog.
    Ontem abordei o assunto e acredito que o Gerald vai nos esclarecer melhor.

    E o livro sobre o que versa?

    Armamentos?
    Trens ?
    Impressões de viagens?
    Mais de um assunto?

    Dá uma canja!

    Eu estou finalizando uma brincadeira do senador Doido varrido.Quase pronto.Não fechou ainda porque o sarney muda tanto a situação do senado que de cara matou dois dos meus capitulos.
    E o que dizer do julgamento do Paloci?
    Logo o STF dar uma de evidente desprezo as leis.
    É uma surpresa em cima da outra.
    Na proxima tentativa vou escrever sobre um GRANDE CIRCO.

    Só não quero é ofender os verdadeiros e reais palhaços.

    Nem que a vaca tussa.

    Por aqui também estivemos viajando.
    Viajando pro fundo do poço e falta pouco para chegar.

    Abraços.

    Pacheco.

    🙂

  266. sandra , para onde vc foi que está saudosa do G-diet ?
    o blog continua no mesmo lugar . hahaha …

    adoro “montros” da pixer . shrek é um pavor .

    não é preciso desenhar com lápis de cor ou tinta guache para se produzir um desenho animado à moda antiga .

    seria até estranho e paradoxal , já que se conseguem efeitos inimagináveis com a computação gráfica . até mesmo um desenho à moda antiga .

    o unico pobre coitado (no sentido figurado , já que ele é milionário) que ainda faz computação com cara de nave espacial é o hans donner .

    fui fazoco de seu trabalho inicial quando eu entrei para a faculdade , mas depois de um tempo ele passou a produzir não mais ideias através do computador , mas o que eu considero pura ” demonstração de software “.

    essas animações 3D são um pouco isso . com a diferença que eles tem uma coisa que nós não temos : ótimos roteiristas .

    por isso suas produções agradam e atendem o mundo inteiro , enquanto nossas novelas fazem sucesso na eslovênia do sul .

  267. com a diferença que eles AMERICANOS

  268. Carol

    Cintia, obrigada!

    Mas agora q vc me lembrou daquele sonho…tenho certeza que hoje vou sonhar com o GT dizendo ao povo que fica!

  269. Azul

    ….mães usam para distrair os seus filhos

    Nossa Pachequito…voce qundo escreve *serio* sai da frente!!! Realmente nao sei para aonde vamos…afinal essa *medernidade toda* , Globalizacao…sei la o nome que chamam…na minha opinao…

    O MUNDO ESTA PERDENDO SUA GRACA ,
    perdendo o encanto das *descobertas*….
    De montar uma *pipa* , carrinho de lomba , jogar cinco marias , pular *sapata* (amarelinha) , jogar taco….

    Quando estou com meus anjos (ate pq Stephna ODEIA TV…e desenho nao fica mais que 5min…ja Tiphanny AMA TV…desenhos etc…)….

    Procuro recuperar essas brincadeiras de minha epoca no qual podemos fazer ate na sala de casa…
    Basta um *Giz* para *desenhar* no chao….

    Nao sei o que restara para essas geracoes futuras !!!

    Beijos

  270. ONDE ESTÁ TODA A GENTE?

    http://www1.folha.uol.com.br/folha/pensata/joaopereiracoutinho/ult2707u600623.shtml

    “Lisboa. O mundo avança. Eu fico. Há dez anos, na companhia de amigos, resolvi fundar um blog …

    Folha online – Pensata – 27/07/2009 – João Pereira Coutinho
    ________________________________

    CADÊ O MEU POVO (sem conotação religiosa – do lado materno é que tenho judeus na família e essa é apenas uma expressão de gíria. Está esclarecido, né (rs)?)

    Estou esperando na janela, ai, ai … (rs) Ai, deuses meus, estamos em contagem regressiva? Suspense? Good news? Bad news?

    Beijão!
    Susan

  271. Só KATIA ABREU 2010

    Sangue – suga quisera eu ter está coragem demonstrada pelo GErald, largar tudo, vou andar, ele conseguiu não ter amarras, nos simples mortais não.

    Abraço cara e boa viagem.

  272. Só KATIA ABREU 2010

    Só mais uma coisa, não foi falta de aviso que o tal Barack Osama era somente outro Ali-bebum, só que mais limpinho.

  273. Aninomyous

    Boa Tarde, e aí belê? 🙂

    Num tá belê? 😦

    Tá belê? 😀 heheheheheeeeeee…

    Meus, não fiquem assim tão melancolicos, não deixe que a desvalorização atinja seus valores pessoais, sua propria definição e estrutura, não deixe que ‘os vândalos’ tenham acesso ‘ao seu jardinzinho’ que vc tanto cultivou…heheheheheeeeee…vamos dizer assim, estamos na era da inconsciência, ela parece ignorância às vezes, parece também intolerância, mas não é nenhuma destas, a inconsciência é uma desculpa humana para o caos gerado por seus proprios atos de imprudência, sua propria omissão com relação à sua consciência…a Humanidade atravessa um lapso de identificação, perdendo sua razão, o mundo parece vazio e tudo o que é ou era certo parece ter se perdido no vazio da situação…nós temos a inconsciência, ela é como uma imensa floresta, onde habitam todos nossos seres ou não seres, onde estão as coisas boas e más, e quando não somos ‘malucos’, temos a consciência bem definida, esta que chamei de um jardim, um lugar onde cultivamos toda nossa cultura, personalidade, valores, escrupulos…não pense porque os inconscientes parecem gênios eles o são, muito pelo contrário, na verdade os gênios é quem parecem loucos, e para vc abalar geral, estremecer as bases dos que ousam se mostrar no que simplesmente não são, tragam apenas uma generosa amostra do que vc não permite vandalizarem, umas boas doses das suas essências, mudas de suas raízes, e o sabor dos frutos de teus labores…a arte nunca morre porque é o poder de transformação.

  274. … “Fico imaginando se a arte não chegou a um beco sem saída, se, na verdade, na sua forma atual, ela já não chegou ao seu fim.

    Houve um tempo em que escritores e poetas eram cultuados como videntes e profetas. Eles contavam com uma certa intuição, uma sensibilidade mais aguda do que a de seus contemporaneos. Melhor ainda, eles descobriam coisas e a sua imaginação ia além das descobertas, até mesmo da própria ciencia – coisas que a ciencia só iria afirmar vinte e cinco ou cinquenta anos mais tarde.

    Mas já há algum tempo, a ciencia vem fazendo enormes progressos, enquanto as revelações empíricas dos escritores têm avançado muito pouco … A literatura ainda pode ser considerada um caminho para o conhecimento?”

    – Eugène Ionesco (afirmações do dramaturgo, em 1970)

    ____________________________________

    Beijão!
    Susan

    PS.: Não titubearia em responder-lhe que … SIM! Ainda pode ser considerada um caminho para o conhecimento (de preferencia, junto com todas as “engenhocas (rs) e suas tecnologias” já inventadas. E que ainda serão inventadas … E, cá entre nós, essas engenhocas nos facilitam – e muito! (rs) a vida!

    PS.: Acho que “ainda~” não chegamos ao estágio “rinocerontal” (rs)!

  275. Sue

    Quando uma navegante esta longe da costa ela tem de calcular com precisão todas etapas da viagem.
    Principamente se assumir o comando .
    O mar é cheio de surpresas.
    Basta um pequeno descuido e dissabores surgirão.
    Soube de uma navegante de nome Martha que:
    *passou a limpo o seu passado, soltou as
    amarras da mágoa e do ressentimento e envelheceu sem rugas na alma.*
    Levou a embarcação a um porto seguro.
    Casou seus filhos.
    Tornou-se uma avó exemplar amada e respeitada por todos navegantes.
    E sabe quem fez os negrinhos do aniversário do neto?
    Adivinha!

    Hahahahahahahahahahah 😀

  276. Cintia

    “tenho certeza que hoje vou sonhar com o GT dizendo ao povo que fica!”
    (Carol)

    Haaaa, Carol! 😀
    Legal!!

  277. Fulgêncio Jr.

    Cíntia (11:02);
    profundas palavras.
    Pô mas como é que é?
    continua parecendo o enterro
    do MJ.

  278. Fulgêncio Jr.

    Digo Carol (11:02)

  279. Cintia

    “seria até estranho e paradoxal , já que se conseguem efeitos inimagináveis com a computação gráfica . até mesmo um desenho à moda antiga .”
    (Claudio)

    Claudio,

    Estranho é, sem dúvida. Paradoxal não sei.
    A Disney certamente não está investindo num simples ‘retrocesso’. Será?

    “já que se conseguem efeitos inimagináveis com a computação gráfica”

    Pois é, são justamente esses ‘efeitos inimagináveis’ que já estão ‘cansando a beleza’ de qq mortal. A suposta ‘perfeição’ levada a extremos por essas tecnologias gráficas cansa. Simplesmente cansa.
    Ninguém aguenta mais o culto ao deus Photoshop, por ex.
    A moda e a publicidade já estão se dando conta disso.

  280. Cintia

    “Houve um tempo em que escritores e poetas eram cultuados como videntes e profetas. Eles contavam com uma certa intuição, uma sensibilidade mais aguda do que a de seus contemporaneos. Melhor ainda, eles descobriam coisas e a sua imaginação ia além das descobertas, até mesmo da própria ciencia – coisas que a ciencia só iria afirmar vinte e cinco ou cinquenta anos mais tarde.”
    (Susan)

    Susan!

    Interessantíssimo isso!
    Qtas coisas foram mesmo ‘profetizadas’ por um Júlio Verne ou por autores de estórias em quadrinhos tb?
    Essas pessoas eram como ‘antenas’ sintonizadas no futuro!
    E agora? O que estará acontecendo??

  281. O Vampiro de Curitiba

    Boa tarde, pessoal!
    Fui avisado pela equipe técnica do IG que hoje, a partir das 20:00 hs e durante umas quatro horas, ou seja, até mais ou menos às 24:00 hs. o Blog não poderá ser acessado devido mudanças que estão fazendo no word press.
    E vocês, estão bem?

  282. Cintia

    “Cintiaaaaaa!
    O Zé Carioca esta dizendo que ele queria mesmo era mandar beijos para as baianas.”
    (Pacheco)

    Pacheco,

    Esse Zé Carioca sempre foi mesmo um malandrinho. 😀

  283. Aninomyous

    A computação gráfica para desenhos possibilita a criação de efeitos tridimensionais que incluem a montagem dos objetos e personagens independentes do ambiente, e o ambiente gráfico é um mapa que pode até ser obtido com um Google da vida, coisas tão antes trabalhosas que o computador agora viabiliza a serviço da arte, assim como a proporcionalidade, que tanto pode ser perfeita na animação quanto pode ser distorcida (quem nunca viu a propaganda do Mick Jagger gigantesco atravessando ruas e pulando sobre as pontes?), e as texturas? são como se vc colasse fotos no lugar da pintura, como preencher os objetos e formas com a verdadeira imagem deles…nada disto substitui a história ou arte, mas sim transforma e ambientaliza a ilusão da fantasia ou da reconstituição em algo bem mais proximo do acontecimento em tempo real.
    Usar isso pra obter um documento antigo é como falsificar a tecnologia, muito, muito fácil e perde o porquê, sendo que antes era preciso muita imaginação pra se acompanhar as estorias, agora é preciso razão e lucidez pra não misturar ela com a realidade.

  284. Cintia

    “E vocês, estão bem?”
    (Vamp)

    Vampildo,

    Tristinhos, né. 😦
    Mas caminhando.

    beijos!

  285. Aninomyous

    Um grande abraço a todos! 😀

  286. Ana Paula

    Cráudio,

    A Pixar é americana, mas quem brilha muito no Curíntia de lá é o Carlos Saldanha! (Ice Age)

    Ice Ice baby…

    Abraços.

  287. Cintia

    “sendo que antes era preciso muita imaginação pra se acompanhar as estorias, agora é preciso razão e lucidez pra não misturar ela com a realidade.”
    (Anino)

    “agora é preciso razão e lucidez pra não misturar ela com a realidade.”

    Anino,

    Pirou, né?
    Nada substitui a realidade
    e muitíssimo menos
    a imaginação.

    A imaginação é a matéria prima e a maior riqueza de tudo produzido pelo homem.
    Essa imposição de uma suposta ‘perfeiçao’ totalmente artificial ou de uma suposta cópia ‘perfeita’ da realidade é que tá pirando o cabeção da galera, meu amigo!

  288. Cintia

    Mas que cafonice!
    Não a idéia do hino em si, mas a melodia.
    Naaada a ver com a cultura negra.
    a gravação está na matéria.

    0/09/2009 – 17h18
    Câmara aprova “Hino à Negritude”; ouça – UOL
    Da Agência Câmara

    A Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania aprovou nesta quinta-feira (10) a oficialização em todo o território nacional do “Hino à Negritude”, composto pelo poeta e professor Eduardo de Oliveira.

    A medida – proposta pelo deputado Vicentinho (PT-SP) no Projeto de Lei 2445/07 – foi aprovada em caráter conclusivo. Já aprovado pela Comissão de Educação e Cultura, o projeto segue para análise do Senado.

    Foi aprovado o parecer do relator, deputado Gonzaga Patriota (PSB-PE), favorável ao projeto e à emenda da Comissão de Educação que suprime a exigência de execução do hino em todas as solenidades dirigidas à raça negra.

    O deputado Vicentinho explica que o objetivo do projeto é favorecer o reconhecimento da trajetória do negro na formação da sociedade brasileira. “Não temos ainda símbolos que enalteçam e registrem este sentimento de fraternidade entre as diversas etnias que compõem a base da população brasileira”, afirma o autor da proposição.

    Leia abaixo a letra do “Hino à Negritude”, de autoria do professor Eduardo de Oliveira:

    Hino à Negritude (Cântico à Africanidade Brasileira)

    I
    Sob o céu cor de anil das Américas
    Hoje se ergue um soberbo perfil
    É uma imagem de luz
    Que em verdade traduz
    A história do negro no Brasil
    Este povo em passadas intrépidas
    Entre os povos valentes se impôs
    Com a fúria dos leões
    Rebentando grilhões
    Aos tiranos se contrapôs
    Ergue a tocha no alto da glória
    Quem, herói, nos combates, se fez
    Pois que as páginas da História
    São galardões aos negros de altivez

    II
    Levantado no topo dos séculos
    Mil batalhas viris sustentou
    Este povo imortal
    Que não encontra rival
    Na trilha que o amor lhe destinou
    Belo e forte na tez cor de ébano
    Só lutando se sente feliz
    Brasileiro de escol
    Luta de sol a sol
    Para o bem de nosso país
    Ergue a tocha no alto da glória
    Quem, herói, nos combates, se fez
    Pois que as páginas da História
    São galardões aos negros de altivez

    III
    Dos Palmares os feitos históricos
    São exemplos da eterna lição
    Que no solo Tupi
    Nos legara Zumbi
    Sonhando com a libertação
    Sendo filho também da Mãe-África
    Arunda dos deuses da paz
    No Brasil, este Axé
    Que nos mantém de pé
    Vem da força dos Orixás
    Ergue a tocha no alto da glória
    Quem, herói, nos combates, se fez
    Pois que as páginas da História
    São galardões aos negros de altivez

    IV
    Que saibamos guardar estes símbolos
    De um passado de heróico labor
    Todos numa só voz
    Bradam nossos avós
    Viver é lutar com destemor
    Para frente marchemos impávidos
    Que a vitória nos há de sorrir
    Cidadãs, cidadãos
    Somos todos irmãos
    Conquistando o melhor por vir
    Ergue a tocha no alto da glória
    Quem, herói, nos combates, se fez
    Pois que as páginas da História
    São galardões aos negros de altivez
    (bis)

    http://noticias.uol.com.br/cotidiano/2009/09/10/ult5772u5284.jhtm

  289. Cintia.

    A respeito de imaginação;

    No passado e em dois anos seguidos estive em viagens entre portos estrangeiros levado por navio escola da marinha.
    Em todos os portos íamos às compras.
    Meu filho era criança e sai escolhendo brinquedos de todos os tipos. Coisas que normalmente eu não teria condições de comprar aqui no Brasil.
    Chegando ao rio de Janeiro foi necessário alugar uma Kombi para levar tudo para Santos. Alem dos brinquedos tinha ainda o permitido em bebidas, cigarros cervejas e outros diversos dentro da cota permitida.
    Um dia chegando a casa para meu espanto vi o seguinte.
    Diversos brinquedos a pilha e cheios de movimentos e cores espalhados. E o dono brincando com uma colher imitando movimento de avião e com a boca simulando uma metralhadora.
    -Filho o que é isto?
    -Isto o que pai?
    -Você com todos estes brinquedos e usando uma colher?
    -É pai!Assim eu imagino e brinco melhor.

    Fiquei calado e olhando aqueles brinquedos todos inertes.
    Será que eu comprei realmente para ele?
    Ou imaginei no ato da compra que eu brincaria também?
    De qualquer modo concordo contigo que a imaginação é a força.
    E não duvido que esta força leve um dia o homem para um outro mundo.
    Espero que não seja o mundo do Doido Varrido

    Hahahahahahahahahahahahaha 😀

  290. oba assunto .

    Ana Paula , A Pixar é americana, mas quem brilha muito no Curíntia de lá é o Carlos Saldanha! (Ice Age)

    eu sei , ja vi varios documentarios sobre ele . o cara é demais .

    só prova que nem sempre “uma camera na mão e uma ideia na cabeça” são as únicas coisas que alguém precisa para revelar-se um gênio . às vezes uns milhõezinhos de dólares tb contribuem .

    no brasil ele ainda estaria fazendo curtametragem de stop-motion de massinha cafona , cheio de agradecimentos no final na lista de créditos .

    cintia , eu não amo o 3D gráfico . tem muita coisa cafonérrima . clip-art , por ex. , tem coisa mais pavorosa que um catálogo de clip-art ??

    vc não entendeu meu raciocínio .
    para fazer um desenho técnico à moda antiga eu não preciso voltar para a prancheta . eu uso o corel draw ou outro programa , e o resultado é igual e mais que perfeito do que aquele feito com uma regua T . valha-me deus .

    as coisas que saem do computador só tem “cara de computador” se o operador se chamar ‘operador’ . já , se ele se chamar ‘artista’ …

    ok que eles disney tem lá sua razão , mas uma produção oldfashioned , com lápis de cor , é apenas romanticamente pensável . na real é até anti-ecológico : excesso de mão de obra e materiais (imagina a qde de acetatos , tintas : muuuuuuuito plástico) . desperdício de energia absurdo .

    é o tipo do purismo bem discutível .

    vc não gosta de” monstros s.a. “? é lindo !!!

  291. “” Levantado no topo dos séculos Mil batalhas viris sustentou
    Este povo imortal Que não encontra rival “”

    que povo ?
    que mania de chamar as pessoas de povo !
    isso é o mesmo que enlatar pessoas …

    entende agora , daniela ,
    porque eu acho essa estória de “meu povo” brega ?
    “meu povo” não une . “meu povo” segrega .

  292. Sandra

    Boa noite a todos!

    Eu termos de animação, eu ainda estou no Yellow Submarine.

  293. Sandra

    Eu sou mais auditiva que visual. No entanto, lembro-me do choque que foi Um Contrato com Deus, de Will Eisner.
    Aquele senhor andando numa chuva tão diluviana quanto a que caiu em Sampa na terça, desabado, a roupa toda grudada no corpo, vindo do enterro da filha… Terrível…
    Acho que desenhos são como textos: precisam estar vivos. Precisam sangrar.

  294. Márcia

    “…que povo ?
    que mania de chamar as pessoas de povo !
    isso é o mesmo que enlatar pessoas …”

    hehehe.

    Cláudio, adoro te ler, esse seu senso crítico…

  295. Sandra

    Em outras palavras: eu não tenho a mínima idéia do que faz um desenho, um texto, uma peça, uma música,.. ganharem vida. Mas alguns ganham. Abalam. Sangram. Marcam. Talvez seja o toque de vida do artista. Aquele toque que o aproxima de Deus.

  296. Sandra

    Saindo de novo! Mais beijos!

  297. sandra , o G-diet está muito legal .

    tanto que é primeira vez que não mudo nada de um dia para o outro . o diet é um projeto . pode ficar nisso ou se aprimorar . estou listando possibilidades . o certo é que permaneça no ar . mais ainda não sei .

    e já que vc pediu :

    ah acabei de postar Yellow Submarine, inteirinho !.

    depois de HELP! agora esse . falta mais um dos beatles para uma trilogia .

  298. Márcia

    Pensando bem, vc deveria ter um blog… Acho q seria divertidíssimo.

  299. cintia , que tal um post de desenhos no diet ?

    pessoas , mandem nomes ou links de seus favoritos . a sandra ja foi atendida .

  300. mnc

    Olá meninos e meninas,
    Susan, Cíntia, Pacheco.
    Sobre imaginação.
    Ainda on-line …acho.

    Os xamãs chamam os poetas, escritores, criadores em geral de “Batedores Avançasdos”, eles intuem e sondam o grande mistério, vão na esteira mental do inconsciente coletivo.
    Dai traduzirem sentimentos, antever acontecimentos…

    Retrato dos artistas desde jovens
    (Autor desc)

    A arte como permanência no mundo
    Dança nas beiradas de olhos fechados
    Muitos morreram no globo da morte
    Antes da estréia
    Caíram da corda bamba
    Antes da rede erguida
    Até os bambas, vacilam e tombam
    Ouvem o chamado que ensurdece
    Voz dp mundo que encarna em si
    Cabaça de biriba
    Não trocam o ofício o tornam sagrado
    O ofício do novo
    Não estamos sozinhos
    A arte permanece quando morrem as mães
    A arte permanece quando o casamento acaba
    Quando fracassam os poliícos
    Quando não se evitam as falências.

    Somos artistas até sem domicílio ou nação
    Não faremos concursos públicos
    Não seremos crianças obidientes
    Seremos expulsos
    Mas a arte PERMANECERÁ
    Não somos intelectuais e nem professores
    Somos artistas
    Criatividade insubmissa
    Euberância íntima
    Intuíção
    O cotidiano como medida de plenitude
    Sem meio epediente
    Ainda que se fabriquem armas nos desertos
    Artistas não morrem
    Antecipam a madrugada
    Quem não come pimenta no almoço
    Não tem fogo na língua.

    Abraços.

  301. Cintia

    “vc não entendeu meu raciocínio .
    para fazer um desenho técnico à moda antiga eu não preciso voltar para a prancheta . eu uso o corel draw ou outro programa , e o resultado é igual e mais que perfeito do que aquele feito com uma regua T . valha-me deus .”
    (Claudio)

    Claude Oaldo,

    Tu tá querendo só é me irritar, né não! 😀
    Será o benedito que vc tb ainda não entendeu o que eu quero dizer?
    Esse conceito de uma ‘perfeição’ obtida através de uma máquina é relativo, e foi imposto.
    Pois se a própria máquina foi ela mesma criada pelo homem?
    Lembra da logomarca da Rio 92? Ela foi feita no escritório de Design onde eu trabalhava no Rio.
    Foi toda feita à mão, por um arte finalista sensacional, um cara simplérrimo, de condição super simples, que morava na Cidade de Deus, e só pra vc ter uma idéia do ‘peso’ das mãos dele, rs, ele levantava esses garrafões de água com uma mão só e pelo gargalo. Essa mesma mão construiu aquela logomarca com o manejo de um compasso, um instrumento super preciso e delicado.
    Isso é perfeição.

    Já hoje em dia, é óbvio que com um Corel Draw instalado no computador e meia dúzia de instruções, até uma criança desenha uma logomarca como aquela.
    Isso é tecnologia,
    não é ‘perfeição’.

    “na real é até anti-ecológico : excesso de mão de obra…”

    Hã?! 😀
    Gente agora é anti-ecológico??

  302. mnc

    correção:

    Ainda que se fabriquem armas
    Nos desertos
    Ainda que se auto-destruam
    Comensais no manicômio
    Piratas das Heranças
    Artistas não morrem
    Antecípam a madrugada
    Quem nõa come pimenta no almoço
    Não tem fogo na língua.

  303. mnc

    Mine is “the Jetsons”.
    I could bet that the future would be like that.

  304. Cintia

    Daqui a pouco, PÁRA TUDO!
    Que vai começar o penúltimo capítulo da novela. 😀
    Meanwhile penso no meu desenho favorito entre os favoritos!

  305. mnc

    Sim Cintilnte,
    Lembro do sonho de carnaval com o Gerald cantando Taí eu fiz tudo p vc gostar de mim vestido de Cramem Miranda, da Carol…
    Figuraça.
    O Gerald é meio o ito do Deus Pã, com sua flauta leva p meio da floresta e depois abandona que o segiu no mato sem cachorro…
    Ainda bem que temos GPS hoje em dia…rsrrsrrs.
    Abraços.

  306. O Vampiro de Curitiba

    Pessoal, as mudanças anunciadas para as 20:00 hs foram transferidas para amanhã às 06:00 hs.

  307. mnc

    Ops cap!!!
    Ok
    Sorry…
    I did not want to hurt you.

  308. Cintia

    “Os xamãs chamam os poetas, escritores, criadores em geral de “Batedores Avançasdos”, eles intuem e sondam o grande mistério, vão na esteira mental do inconsciente coletivo.
    Dai traduzirem sentimentos, antever acontecimentos…”
    (mnc)

    MNC,

    ARRAASOOOOUUUUUUU! 1

    “O Gerald é meio o ito do Deus Pã, com sua flauta leva p meio da floresta e depois abandona que o segiu no mato sem cachorro…
    Ainda bem que temos GPS hoje em dia…rsrrsrrs.”
    (mnc)

    ARRAAASOOOOUUUUUU! 2
    rs!

  309. mnc

    Uma boa noite a todos.
    Inté.
    Fiquem com Deus.

  310. Ana Paula

    Cráudio,

    Se eu falar de animação agora vou passar mal.
    Me divirto mais que as crianças.
    Aliás, as crianças são minha desculpa para “levá-las” ao cinema quando é animação! 😀

    Sandra,
    Se você curte audio, PRECISA ouvir com atenção Wall-E. É 40% do filme! A concepção do som ficou a cargo do genial Ben Burtt, que fez a barulhada de Guerra nas Estrelas. Impressionante!

    Para todos que amam animação,

    Não esqueçamos dos lindos e bizarros desenhos do Tim Burton em stop-motion, como A NOIVA CADÁVER, onde os vivos são tristes e cinzentos e os mortos são alegres, coloridos e movidos a um jazzão de responsa…

    BOM DEMAIS!

    Quando é massinha… Vamos respeitar, né seu Cráudio, a massinha no inglês “A FUGA DAS GALINHAS” é fantástico!
    Não dá uma vontade insana de apertá-las? 😀

    Abração!

  311. Tene Cheba.

    Algo que me impressiona muito são os textos, mais do que a música, os textos são o supremo requinte da inteligência.
    Nem mesmo a mais complexa teoria física, elegantemente, desenvolvidada, supera, uma página de Crime e Castigo, ou, algumas linhas de Dom Casmurro.
    Fiquei por aqui, como efeito da sedutora qualidade intelectual de Gerald Thomas.
    Suas fases foram distintas, suas ambições pequenas, limitada a nos livrar dos nossos pequenos mundos. Quem não olhou a Lua com a mente vagando por algum post? Eu, várias vezes, o por do Sol. Mas, como alguém que montou o Navio Fantasma, no municipal do Rio de Janeiro, pode se sentir bem, nesse mundinho tão pequenininho, neste espaço? Não sei.
    O sonho acabou, parece ser o que diz, a meia noite chegou, a carruagem partiu, e, de certa forma, a realidade sorridente espreita o retorno da minha submissão. Embarcamos nesta Nau, a Nau 22, e fluimos por abstrações, nos molhamos com esta lama diferente.
    Talvez, Gerald Thomas, precise remar, sozinho esta Nau, captar o lugar em que está aportando, entender essa nova dimensão.
    Quem sabe, esta entressafra, não renasça o ímpeto que o tempo amorteceu, ou, como o líquido, faça como o Coppola, produza um banal filme espetacular, por exemplo, O Selvagem da Motocicleta, mostrando também, que tudo ficou meio sem graça, quando as inovações são tâo comuns que, inovar não é mais preciso.
    Baby, Grande Querido. Obrigado!!!

  312. gthomas

    Ja estou entrando no “panico” do pre 11 de setembro.

    isso nao eh bom!

  313. cintia , nao é so pra te irritar nao , mas , que novela ?

    seu exemplo foi deferido . nesse caso , super correto .

    mnc , jetsons é o meu favorito da tv . o veículo-pasta de george jetson inspirou-me a profissão . eu tb acreditava cegamente naquele futuro . menos no tráfego aéreo onde eu não via muita lógica , hahaha. com certeza vai estar no diet .

    marcia , G-diet é o blog . por favor , visite . clique no meu nome .

    boa noite .

  314. Sandra

    Ah Gerald…
    Queria poder ajudar…

  315. gthomas

    Sandra: eh uma data…..

    bem, vc sabe bem!

    quando comeca a vespera……comecamos a ficar todos calados aqui.

    uma terrivel sensacao de….

    fracasso

    invasao

    estupro

    TERROR!

  316. Sandra

    (ouvindo…)

  317. Pessoal!
    Cadê o Vicentinho?
    Trouxe um hino pra ele batalhar por nós
    É mais ou menos assim.

    Nós somos da Pátria a guarda,
    La no senado
    Por ela amados.
    Nas dobras de nossas cuecas
    Rebrilha o ouro,
    Fulge o amarelo.
    Em nosso corpo se encerra
    Toda a gastança
    Que uma nação faz poupança.
    A GENTE AVANÇA
    Ate no dólar,
    Com nova estória
    .
    Ato secreto queremos com fervor,
    A honestidade só nos causa dor.
    Porém, se a Pátria amada
    For um dia roubada
    Lutaremos sem temor.
    Pra roubar primeiro
    Como é sublime
    Saber mamar,
    Com a alma adorar
    A grana do alheio
    Amor febril
    Pelo Brasil
    No meu colchão
    Tem um milhão
    .
    E quando a nação querida,
    Frente ao inimigo,
    Correr perigo,
    Tomo um avião
    E procuro abrigo
    Que me importa a glória,
    Fujo da vitoria .
    Assim ao Brasil faremos
    Oferta igual
    Roubando do pré sal.
    E a ti, Pátria, afundaremos!
    Até a glória,
    Fulge a vitória.
    A paz queremos com fervor, etc.

    Depois nos melhora.

    Hahahahahahahahahahahahahahah 😀

  318. Sandra

    Boa noite a todos.

    Fique com Deus, Gerald.

  319. Gerald.

    O Bush não é mais presidente.
    Voce sabe mas é bom repetir.

    CHANGE.

    Nunca mais haverá um eleven igual.

    O dia de amanhã será apenas a vespera de comer piza em NY.

    E brigadeiros.

    Tem Blue pagando a conta.

    Ponto final.

    Have a nice dream

    Love

    😉

  320. Cintia

    É, Gerald. Ouça o Pachecão.
    Respire fundo, sossegue seu coração.
    Durma e tenha bons sonhos de paz.
    Boa noite.

    Beijo.

  321. SO PARA LEMBRAR

    Pra quem não sbe ou ainda não foi informado.
    Targino Silva

    José Paulo Kupfer
    O papel do governo na recuperação da economia nacional
    10/09/2009 – 19:12

    É honesto reconhecer a parte do governo na recuperação da economia
    O IBGE divulga nesta sexta-feira de manhã os números do Produto Interno Bruto (PIB) do 2º trimestre de 2009. Tudo indica que o Brasil saiu da chamada recessão técnica – uma convenção econômica meio boba e sem efeito prático algum, caracterizada por dois trimestres seguidos de retração.

    Analistas projetam uma expansão entre 1,2% e 2,2% em relação ao primeiro trimestre do ano. Convergem para um valor nas vizinhanças de 1,8%. Em relação ao segundo trimestre do ano passado, o resultado ainda será negativo (um recuo nas vizinhanças de 1,5%). Mas, já no terceiro trimestre, os números estarão todos no azul. No fim das contas, restam poucos analistas com projeções para 2009 na faixa negativa.

    É uma façanha. Principalmente quando se observa o resto do mundo e, mais ainda, ao lembrar das previsões anunciadas quando a economia afundou 3,6%, no último trimestre de 2008. Houve quem estimasse, para o ano que começava, quedas de até 4%.

    Até o mais ranheta dos analistas, caso não esteja contaminado pelo vírus da ideologia e do partidarismo, concordará que a reação do governo à crise foi decisiva para esse resultado surpreendente e auspicioso.

    Como a memória é fraca e o uso político dessa fragilidade é pesado, serão muitos os que argumentarão que o governo não fez nada – apenas se deixou levar numa maré de sorte, lastreado nas grandes conquistas proporcionadas pelo governo anterior. Isso, a bem da justiça, é uma grossa e tosca inverdade.

    Ainda que reagindo com atraso – chegou a aumentar os juros básicos em outubro –, o Banco Central evitou uma crise de crédito ainda mais profunda. Liberou reservas para financiar exportadores, reduziu compulsórios para irrigar bancos pequenos e médios e, enfim, cortou 5 pontos percentuais na taxa Selic.

    Por decisão do governo, Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal abriram as torneiras do crédito – anêmico nos bancos privados. Há quem diga que a estratégia, vital para evitar uma escassez desastrosa de crédito, no futuro, cobrará a conta de uma volumosa inadimplência. Mas, até onde se pode enxergar, isso cheira mais a torcida contra do que avaliação embasada em fatos.

    Na área fiscal, a desoneração de impostos para a compra de material de construção, automóveis e eletrodomésticos animou os consumidores e garantiu um ritmo razoável de produção. Não à toa, o setor automotivo brasileiro virou case internacional, com vendas recordes mês a mês, apesar da grave crise. Na construção civil, um novo e amplo programa de financiamento de habitação e estímulo setorial (“Minha casa, minha vida”) nasceu dando certo numa das faixas de renda (de três a dez salários mínimos), embora ainda patine na faixa mais baixa.

    Não houve descontrole de inflação – e pressões de preços, se houver, ficarão para 2010, a depender do tipo de aquecimento pelo qual passará a economia. Apesar dos faniquitos dos descabelados da área fiscal, também não houve descontrole das contas públicas e a tendência é de acomodação. A primeira onda da crise passou e com menos dores, mas, mesmo assim, não dá para apostar que não haverá problemas mais na frente, até por conta das incertezas quanto à evolução da economia mundial.

    Não foi, enfim, uma marolinha. Mas, está mais do que claro, ficou muito longe de um tsunami. Manda a honestidade reconhecer que o governo tem parte positiva nessa história até aqui feliz

  322. Já que falamos de imaginação resolvi imaginar o seguinte telefonema.

    -Alo!
    -É do G Diet deliver?
    -Pois não.
    -Eu gostaria de fazer um pedido.
    -Pode falar.
    -O primeiro é um bailado do Gene Kelly com o ratinho Jerry do filme Marujos do Amor.
    -Anotado. E o próximo?
    -Que próximo?
    -O senhor disse o primeiro não foi?logo tem de ter um segundo!
    -Tem razão. Deixa ver, hum,Já sei.
    -Sabe o que?
    -O segundo pode ser um bailado do Fred Astaire e a Judy Garland.
    -Esta bem, mas de qual filme?
    -Não lembro!
    -OK, anotado, filme Não lembro e bailado do …
    -Espere não é filme Não lembro. Eu não sei agora o nome do filme.mas dou uma pista.
    -E qual é a pista senhor?
    -Os dois estavam dançando em um palco vestidos de vagabundos e parece que tinha algo a ver com Esperando Godot.
    -OK.Pode deixar que vamos tentar achar.
    -Demora muito?
    -Depende. Se eu desligar agora começo a providenciar.
    -Obrigado. Falei com quem?
    -Claudio. E ai quem falou.
    -Senador Doido varrido.
    -Como é?
    -Doido varrido! Duvida.
    -Amigo do jeito que anda o senado não duvido de nada.
    -Poizé.Então vou esperar.Até logo e obrigado.
    -De nada foi um prazer.

    Claudio se possivel atender agradeço.

    Obrigado

    Pacheco.

  323. Tene Cheba.

    Os curtos cabelos de Soraia, morenos, negros, as vezes castanhos, depende do ângulo, da luz, da estação.
    Naquela loja, tumultuada, alguém assoviava, irritações, aqueles sons, agudo.Preciso bolar algum plano para interromper esta incoviniência.
    -O senhor tem horas?
    – Não. Respondeu e continuava a assoviar. Urrh!
    – Loja bem sortida, aqui não perdemos a viagem.
    -É. Assim e continuava assoviando.
    Minha vez de ser atendido, mas não conseguia me concentrar, o pastel assoviava, em um tremendo agudo, tinha que me concentrar no pedido, mas não conseguia. Ah, se eu pudésse afogá-lo em um barril de água. Ah, se eu pudésse explodi-lo com algumas dinamites.
    O atendente.
    -Pois não, posso ajudá-lo?
    – Sim, preciso de parafusos, com porcas e arruelas de pressão, passo 1.25, M12 x 50, e uma broca M12 também.
    Paguei, peguei e vazei, que alívio, que alívio, nunca senti tanta satisfação em ouvir o barulho infernal do trânsito.

  324. gthomas

    COMENTARIO ABSOLUTAMENTE COMOVENTE
    DE UM GRANDE AMIGO:

    GUNTER AXT

    Gerald, querido;
    Vc produziu um belo texto de balanço de tua obra. Um poderoso desabafo! Raras vezes vê-se nos dias de hoje um artista tão desnudo, tão exposto, tão autêntico, tão corajoso e, sobretudo, tão coerente. Vc vem partilhando com a gente a sua crise, pessoal e profissional, com o teatro, há alguns anos, pelo blog. Graças a esta moderna ferramenta de comunicação, o teu público pôde partilhar das tuas angústias e das tuas dúvidas nos últimos tempos, coisa que, no passado, os artistas confiavam aos seus diários, ou a cartas endereçadas a uns poucos amigos próximos, dramas que chegavam ao grande público apenas anos mais tarde, em geral, anos após a sua morte. Quando vc se remete a Rembrandt, fala em morte e em renascimento. Eis uma conexão instigante: se vc e sua arte morrem em tempo real, on-line, comunicando num piscar de olhos aquilo que os grandes artistas do passado levavam décadas para transmitir, então a chance do renascimento é mais forte do que nunca.
    A tua peculiar proximidade a Beckett, experiência para ti de enorme intensidade e vivida por tão poucos, fez dele, creio, uma espécie de alter-ego para vc. Diante disso, entendo que o problema de não ver sentido em continuar é, sim, bastante real e palpável. Pode parecer uma aporia, em se tratando justamente de Beckett, que dizia: “fracasse outra vez, fracasse melhor”. Estranho otimismo às avessas, otimismo encontrado na inversão, haurido da dupla negação, desse pessimista para com a condição humana, condição cujo destino se afiguraria melancólico e desamparado, como que sintetizando o desencanto agressivo de Schopenhauer, proclamando que a vida mais parece uma catástrofe e que a salvação, embora prometida, jamais chegará. Em minha modesta opinião, Beckett revolucionou o teatro não apenas pela sua técnica e pelo seu estilo únicos. Mas porque ele conduz, com estonteante naturalidade, seus leitores às fronteiras da razão, instaurando a instabilidade absoluta – e absurda – do Humano, que, como dizia Ortega y Gasset, está pela primeira vez na História integralmente diante de si mesmo, sem a âncora identitária do passado a lhe guiar os passos para o futuro, precisando, por isso mesmo, de uma nova revelação. Ortega era um conservador que preconizava a idílica restauração da erudição, a reconciliação reacionária com a tradição. Vc entende Beckett muito melhor do que eu, mas eu sempre achei que, bem ao estilo irlandês, ele seria irreverente de mais para um niilismo satírico à la Kafka, ou para, como Gasset, levar água ao moinho do discurso conservador. Joyce sinalizou para esta nova revelação, ao celebrar, em seu magnífico Ulisses, apesar de toda a deliciosa ironia obscena, o poder construtivo do homem comum, libertado, justamente, pelo século XX que, para Gasset não passava de uma rota expressa para a decadência. Creio que foi com este valor que Beckett dialogou, antecipando um mundo onde a verdade estaria erodida e a relatividade do signo estabelecida. É nesse contexto que o absurdo limiar do pensamento racional converte-se em poderosa ferramenta de libertação, pela confrontação do establishment, pela desestabilização dos sentidos. Sim, L.H.O.O.Q, cinco letras que em 1919 questionaram todos os alicerces da arte ocidental. A “loucura do inesperado” bombardeando a “arte da retina”. Ou o caos organizado do Caberet Voltaire como reflexão enfurecida sobre o caos letal fora de suas paredes – esse sim, absurdo! – de uma guerra cujo único objetivo parecia ser a carnificina em massa. Ou Ensor, antes ainda, irreverente, irônico, investindo contra o público apreciador de arte convencional. Não foi Picasso quem definiu o conjunto da arte moderna como uma soma de destruições? Quando Beckett escreveu, os móbiles de Calder, com seu equilíbrio precário, ainda não haviam cumprido o seu papel de tornar mais rasa a fossa abissal entre as vanguardas e o gosto da classe média. Escrevendo em outra língua que não a sua, adotando um outro país de residência, partilhando a diluição das identidades de um indivíduo, o mundo fluído que Backett antecipou chegou. Por que confrontar pela desestabilização do signo se ele já se tornou instável, se o relativismo já se tornou regra, se a verdade deixou de existir?
    Sim, o East Village não tem mais a mesma graça. As cidades também cansam, tornam-se presas da própria atitude que ajudam a construir, já que atraem uma massa de viajantes ávidos por fruir a atitude que acabam ajudando a disseminar, mas também a matar. A Nova Iorque do Max’s Kansas City, com Warhol, Iggy Pop, Bowie, com happenings de Rauschenberg, de Simone Forti, Phil Glass, Steve Reich, Michael Snow, Eva Hesse… – não podia ser eterna. A linguagem ali fundada ganhou o mundo. O que antes era um diálogo de um coletivo de jovens brilhantes, hoje está nos mais consagrados museus, teatros e filarmônicas. Pode não ter logrado preencher todos os corações do planeta, mas… Se caras como Richard Serra eram então marginais, hoje se converteram em pontos de referência. E sem terem se rendido àquilo que o mercado então queria deles. Foram coerentes com os seus conceitos e, pelo contrário, moldaram o mercado e o público aos seus conceitos. Algo que vc tb logrou alcançar, Gerald, com eficácia, em diversos momentos. E, enfim, num mundo amalgamado pela rede, onde a lógica da disciplina, tal qual descrita por Foucault, cede rapidamente espaço à lógica das redes, as distâncias diminuem, o tempo se acelera, os centros perdem sentido.
    O dramático nisso tudo é que, mesmo com o fim da verdade, com a desestabilização do signo, com dinâmica de rede, com a descentralização, a promessa de realização da herança libertária dos anos 1960 não se cumpriu. E aqui, penso, reside o impasse. Qual é a linguagem capaz de reconhecer as mudanças que aconteceram, e das quais o mundo, em minha opinião, precisava, com a necessidade de manter viva a herança libertária dos anos 60?
    Rimbaud, aos 17 anos, em 1871, disse que o primeiro passo para um poeta tem de ser o estudo do autoconhecimento. Este fenômeno cosmopolita que foi o modernismo desde o seu princípio, e no qual Duchamp, Beckett e vc se inscrevem, teve sempre este compromisso da busca da criação no olhar para dentro de si mesmo, sendo a arte uma expressão de sentimentos e sensações interiores. Nada mais coerente, portanto, que vc prestar atenção na sua voz mais íntima.
    Tudo indica que a criação, no seu caso, é uma necessidade. Vc fundiu sua vida com o teatro. E um teatro em múltiplas direções: você dirige, atua, escreve, produz, comenta. Despedir-se dos palcos, do blog, é o primeiro passo para libertar-se desse compromisso de vida. Vc só pode encontrar a sua nova linguagem se não se sentir obrigado e compelido a fazê-lo.
    Querido, desculpe se me estendi nesta carta. Mas, dessa vez, não poderia deixar de comentar com vc o que senti ao ler o seu texto. Pensei em postá-la nos comentários ao teu texto, mas fico sempre meio envergonhado de fazê-lo. Te mando ela por mail, mas fique à vontade se quiser postar no blog. E tomei tb a liberdade de ligar para a Dona Eva. Simplesmente pq há momentos em que mesmo os homens que são exércitos de guerra de um homem só precisam da mãe.
    Love, G

    Gunter Axt
    http://www.gunteraxt.com/

  325. Reinaldo Pedroso

    10/09/2009 – 22:09 Enviado por: gthomas

    “(…) quando comeca a vespera……comecamos a ficar todos calados aqui.

    uma terrivel sensacao de….

    fracasso

    invasao

    estupro

    TERROR!”

    Vulnerabilidade.
    Essa é a bomba imprevisível que o terrorismo implanta no cérebro do inimigo.

  326. Reinaldo Pedroso

    A computação gráfica produz desenhos inanimados.

  327. Cintia

    Nossa! O Blog ficou chiquetésimo!
    Tem espaço até pra fotinhas! Campinho pra responder diretamente a cada comentarista!
    E já é possível visualizar novamente todos os coments.
    Agora sim!
    Bonitinho que ficou!

  328. Bom dia!

    Pela lembraça do dia hoje

    Gerald não fique triste espero que ti com forte

    Senhor, diante da saudade daqueles que não mais se encontram conosco, que o desespero e a revolta não nos tomem de assalto o coração…

    Todos viveremos no Teu infinito Amor.

    Não existe separação entre aqueles que verdadeiramente se amam!

    A saudade é uma ponte de luz unindo as duas extremidades do abismo que o tempo cavou…

    Concede-nos a devida paciência para esperarmos o reencontro com os que se distanciaram de nossos caminhos.

    Que a saudade em nós não se transforme num culto doentio à ausência dos que se foram!

    Qualquer sentimento que nos impeça de aceitar a Sábia Vontade de Deus é mero capricho da alma.

    Convertendo saudade em esperança, transmutaremos dor em alegria, treva em luz.

    Mestre, que a saudade não nos seja um rio caudaloso de tormentosas paixões

    Edleuza

  329. Cintia

    Agora …
    calada … muda …

    “Oito anos depois dos atentados de 11 de Setembro de 2001, pai de um dos brasileiros mortos no ataque conta em entrevista ao UOL Notícias o que sentiu ao acompanhar as imagens das torres pela televisão. Ivan Fairbanks Barbosa diz ter imaginado que o ataque seria o fundo do poço, o ponto mais baixo da violência, e que levaria o mundo a buscar novas soluções, e que a realidade não seguiu esse caminho. Para o dramaturgo Gerald Thomas, que testemunhou os ataques, não existem palavras para descrever a queda das Torres Gêmeas de Nova York.”

    vídeo:
    http://noticias.uol.com.br/ultnot/multi/2009/09/11/04023464D8B92366.jhtm

  330. Para quem não sabe ou ainda não foi informado.
    Targino Silva.

    Sandra.
    Especialmente para voce.
    Veja a opinião de um Jurista Internacional.
    Tem mais coisa entre o céu a terra do que
    imagina a nossa vã filosofia.

    http://mail.mailig.ig.com.br/mail/?ui=2&ik=f06598bc46&view=att&th=123976480240b8b4&attid=0.1&disp=vah&zw

    Uma Breve Análise do Caso Battisti
    Carlos Alberto Lungarzo
    Professor Titular do IFCH da Unicamp (aposentado)
    Membro de Anistia Internacional dos Estados Unidos (AIUSA)
    São Paulo, 2009-08-31
    carlos.lungarzo@gmail.com

    O caso Battisti tem movido numerosas paixões radicais que não podem ser analisados num breve espaço. A animosidade ou, então, a objetividade duvidosa de grande parte da mídia possui um alvo preciso: o leitor de classe média e alta, aquele que se identifica com a repressão, sob os efeitos do que Wilhelm Reich chamava praga emocional, com a qual explicava o apoio deste setor ao nazismo.
    As motivações do governo da Itália, embora muito evidentes, não podem tampouco ser analisadas sem um considerável desvio do assunto principal. A posição do TSF, que tem aparecido publicamente contrário ao asilo do perseguido italiano, deve ter motivações muito complexas, de tipo social, político e psicológico, mas não poderíamos estudá-las de maneira totalmente objetiva com base em simples conjeturas.
    O que faremos nesta breve análise é um exame objetivo dos fatos, colocando ênfase nas contradições, omissões, imprecisões e afirmações falsas dos setores sociais que se opõem ao refúgio dado a Battisti, ou criticam a forma em que ele foi concedido pelo ministro Tarso Genro. Para tanto, vou evitar qualquer comentário ideológico e qualquer manifestação sobre o caráter ético dos movimentos revolucionários da década de 70 na Europa. Desejo me cingir a fatos provados por fontes mediáticas, documentais ou declarações de domínio público, nos aspectos seguintes:

  331. “caraca” , o blog ficou tao branquinho , voltou ao que era antes …

    pacheco , pode sair da fila que seu pedido já foi atendido . pela metade que me envolvi em outras experimentações .

    ……….

    tb lá , um papo sobre hermetismo em entrevista exclusiva com GThomas .

    ……………..
    o texto do Gunter é bacana mesmo (tal qual seu site) . destaco :
    “”Vc só pode encontrar a sua nova linguagem se não se sentir obrigado e compelido a fazê-lo. “”

    “”O que antes era um diálogo de um coletivo de jovens brilhantes, hoje está nos mais consagrados museus, teatros e filarmônicas. Pode não ter logrado preencher todos os corações do planeta, mas… Se caras como Richard Serra eram então marginais, hoje se converteram em pontos de referência. E sem terem se rendido àquilo que o mercado então queria deles. Foram coerentes com os seus conceitos e, pelo contrário, moldaram o mercado e o público aos seus conceitos…””

  332. mas …. e se a crise for , justamente , resultado da descoberta que temos seguido referências equivocadas ?

  333. Fulgêncio Jr.

    É o MJ já foi enterrado e o GT
    continua aqui com a gente, legal,
    blog bonitinho, como eu pensei,
    vou continuar lendo certos comentários
    interessantes, inteligentes, irônicos e até
    capciosos.

    Um abraço a todos.

  334. Sandra.

    Esse é o link completo do comentario
    o anterior é o meu e-mail
    Targino silva

    http://psolnaluta.blogspot.com/2009/09/uma-analise-aprofundada-do-caso.html

    (partes)
    Os mais prestigiosos e isentos juristas brasileiros têm analisado de maneira detalhada o caso Battisti, e concordado amplamente na legalidade do asilo e a improcedência de pretensão da Itália. Este é o caso de Dalmo Dallari, tido atualmente como o mais autorizado especialista em direito no país, e de José Afonso da Silva, entre outros muitos, incluindo os defensores do réu. A opinião oposta é sustentada apenas por figuras obscuras que simplesmente querem aparecer, e sobre as quais o leitor encontrará numerosos panfletos na Internet.
    Em resumo:
    A decisão do governo brasileiro de outorgar refúgio/asilo a Césare Battisti faz parte do exercício da soberania do país. Esse ato é compatível com a lei internacional e com todos os documentos que defendem os Direitos Humanos.
    Essa decisão, também, honra a tradição hospitaleira que Brasil manteve sempre em política exterior. Essa tradição, originada na psicologia social média da população, é tão forte, que até a ditadura militar do período 1964-1985 aceitou a presença de refugiados de esquerda no país, para não violentar essa tradição.

    A intromissão da Itália no pleito é uma amostra da mentalidade racista e hegemônica, que trata os governos de países não europeus como inferiores e subordinados. A afirmação de que a libertação de Battisti viola a soberania italiana é absolutamente ridícula: supõe que países menos fortes devem obedecer aos mais fortes, sob pena de serem acusados de falta de respeito. Os que sustentam esta teoria (que aparece em alguns blogs e sites jurídicos) são verdadeiros indigentes intelectuais, e não apenas pessoas de má fé. Com efeito, um mínimo de inteligência lhes permitira encontrar pretextos melhores para defender a combinação máfia-fascismo-clericalismo, representada pelo governo italiano.

  335. Cintia

    11 set
    Olha Gerald, não é pra piorar o seu estado de espírito hoje não,
    mas pra partilhar um pouco do impacto desse fato.
    Revendo as cenas, eu penso numa ‘pálida’, porém expressiva, acho, comparação.
    Penso numa mulher belíssima, uma Grace Kelly por ex – tal como é Nova York
    recebendo um tiro à queima-roupa
    no rosto.

    E a gente vendo essa cena em close,
    e em tempo real,
    e tantos, como vc, exatamente do seu lado
    tal como foi aquilo.

    Uma vez eu vi no Leblon um senhor que voltava da praia ser prensado contra um muro por um ônibus desgovernado.
    Eu vi o homem caminhando, de costas, a iminência do que ia acontecer, e por fim, a cena, muito rápida.
    Mas tudo se transforma numa câmera lenta dentro na cabeça da gente.
    E a sensação indescritível, que explode em choro.

    É nessas horas que se confirma, lááá no âmago mesmo
    a certeza do que os esotéricos afirmam, de que todos somos UM.
    É essa consciência subitamente desperta que nos rasga por dentro, qdo diante da tragédia de um outro ser humano.

    Por mais que as questões políticas /religiosas dividam
    existe a Chama Divina infinitamente superior
    que nos une
    nos une
    nos une
    absolutamente
    a TODOS.

    Que a Paz seja/esteja contigo,
    hoje e sempre.
    um grande abraço
    com carinho.

  336. Sue

    …Chove , chove MUITO em New York , ventos forte…
    Hoje Sep/11 – A cidade esta *preparada*…para *homenagear* (pensar)…em tudo !!!
    Transito esta caotico…fecharam todos os tuneis, (eu que normalmente levo 1:20hrs para chegar em Manhattan levei mais de duas horas)…
    Soldados todos na rua…mas (reinaldo..) nao eh uma questao de Vulnerabilidade….
    E sim…de DOR , muita DOR….nao so pelos mais de tres mil mortos , fim de dois predios simbolos….
    E sim…MUDOU comportamento de todos que por aqui moram…muitos que viram viveram aqueles momentos…ate hoje sofrem de panico !!!
    Sao muitos *eventos* para recordar , nao queremos nem podemos esquecer…e sim lutar / previnir para que *nao* vivamos mais momentos como aqueles!!!
    E simplesmente *inesplicavel*…o que sentimos !!!

    ****
    Nessa angustia…
    Ficam todos *armados*….

    Que esse dia passe , passe rapido….que possamos supera-lo (mais um ano)….

    Beijos a todos ….

  337. Sue

    **Pachequito….
    Obama nos da uma *sensacao* de mais seguranca….mas a *historia* herdada…pelo Gov. Buch , .., infelizmente nao podemos mudar !!!
    Beijos Beijos

  338. Sue

    **Pachequito….
    Obama nos da uma *sensacao* de mais seguranca….mas a *historia* herdada…pelo Gov. Buch , .., infelizmente nao podemos mudar !!!
    Beijos Beijos

    PS:

    Os Brigadeiros (negrinhos) , e Ice Cake…ja estao *save* para voce….Tiphanny lhe mandou em e-mail….

  339. T,MT

    Gerald e demais,

    Nossa!, o IG e a esquerda burocrática do PT querem reordenar todo o BLOG. Querem matar a criatividade? Em primeiro lugar, eles encaixotaram os comentários. Agora, eles querem até obrigar que todos usem retratos virtuais.

    Logo eles vão proibir de fumar aqui no BLOG…

  340. mariana

    SR. GERALD , SE O SR. ME PERMITE , TENHO UM COMENTÁRIO A FAZER. NÃO CONSIGO ACREDITAR QUE UMA PESSOA ESTEJA TÃO SEM INSPIRAÇÃO, NUM MOMENTO TÃO IMPORTANTE DESTE MUNDO. ACHO A MORTE DE MICHAEL JACKSON UM DOS MOMENTOS MAIS IMPORTANTE DO SECULO. NÃO VOU CITAR OS LUGARES COMUNS COMO A PERDA DE UM GENIO, DANÇARINO, ETC. MAS A COMPLEXIDADE DE TODA A SUA EXISTÊNCIA E TAMBÉM ESTE PERIODO DE SUA PÓS-MORTE. É UMA PERSONAGEM TÃO COMPLEXA E AS REAÇÕES A SUA VIDA E Á SUA MORTE , NEM SHAKESPEARE SERIA CAPAZ DE TRADUZIR. É UM TEMA TÃO ATUAL, TÃO INTRIGANTE.O ESCRITOR QUE CONSEGUIR TRADUZIR A VIDA DE MJ PARA OS LIVROS, PEÇA DE TEATRO, CINEMA, QQ MANIFESTAÇÃO ARTISTICA, TERÁ SEU TALENTO IMORTALIZADO. ENTÃO, NÃO ENTENDO O TÉDIO. OBRIGADA. PELA SUA ATENÇÃO.

  341. gthomas

    Acho que apaguei por engano: (sorry, ainda nao entendi essa nova forma….)

    Veio agora de uma mariana

    Enviado em 11/09/2009 às 12:44
    SR. GERALD , SE O SR. ME PERMITE , TENHO UM COMENTÁRIO A FAZER. NÃO CONSIGO ACREDITAR QUE UMA PESSOA ESTEJA TÃO SEM INSPIRAÇÃO, NUM MOMENTO TÃO IMPORTANTE DESTE MUNDO. ACHO A MORTE DE MICHAEL JACKSON UM DOS MOMENTOS MAIS IMPORTANTE DO SECULO. NÃO VOU CITAR OS LUGARES COMUNS COMO A PERDA DE UM GENIO, DANÇARINO, ETC. MAS A COMPLEXIDADE DE TODA A SUA EXISTÊNCIA E TAMBÉM ESTE PERIODO DE SUA PÓS-MORTE. É UMA PERSONAGEM TÃO COMPLEXA E AS REAÇÕES A SUA VIDA E Á SUA MORTE , NEM SHAKESPEARE SERIA CAPAZ DE TRADUZIR. É UM TEMA TÃO ATUAL, TÃO INTRIGANTE.O ESCRITOR QUE CONSEGUIR TRADUZIR A VIDA DE MJ PARA OS LIVROS, PEÇA DE TEATRO, CINEMA, QQ MANIFESTAÇÃO ARTISTICA, TERÁ SEU TALENTO IMORTALIZADO. ENTÃO, NÃO ENTENDO O TÉDIO. OBRIGADA. PELA SUA ATENÇÃO.

    mas quem salvou fui eu, Gerald

  342. francisco nascimento

    a nossa vida sempre vai parar numa privada de sanitário todos os dias / e é sempre assim meu amigo. abraços.

  343. gthomas

    O dia seguinte: the day after:

    O dia amanheceu diferente e permaneceu assim. Havia pouco tráfego e as calçadas estavam silenciosas. A bolsa de valores não abriu, nem os aeroportos, escolas ou a Broadway. Pessoas estocavam garrafas d’água, baterias, canoas. A presença de oficiais da lei era intensa: homens com metralhadoras, canhoneiras circulando o porto. No centro da cidade, incêndios queimavam, a fumaça continuava a tomar conta do ar. O odor permanecia. Era uma cidade humilhada e assustada, onde as possibilidades de destruição haviam sido recalibradas. Era o 12 de setembro de 2001. O dia seguinte.

    Veja a galeria de fotos e relembre os atentados de 2001
    Oito anos depois, futuro do Marco Zero ainda é incerto; assista

    Tanto foi dito e escrito sobre o que aconteceu no 11/9. O dia seguinte é esquecido, como apenas mais um interlúdio entorpecido que resultou de uma manhã incoerente.

    Mas, naquele dia, os nova-iorquinos tiveram presunções irreduzíveis sobre sua cidade ferida, que muitos acreditavam que endureceria e ficaria cinza por conta do duradouro legado do evento.

    Nova York se tornaria uma cidade fortaleza, sufocada pela apreensão e pela resignação, para sempre patrulhada por soldados e submarinos. Outro ataque viria. E logo.

    Turistas? Quem voltaria? Trabalhar em um dos arranha-céus? Não era provável. O Corpo de Bombeiros, destripado por 343 mortes, nunca iria se recuperar.

    Se o centro de Manhattan quisesse qualquer chance regeneração, o Marco Zero teria que ser reconstruído depressa, em desprezo e afronta ao terrorismo.

  344. gthomas

    Garganta
    se vc so entra aqui pra reclamar (o que vem a ser o caso), por que nao da o fora, como ja prometeu tantas vezes? Eta sujeito chato! Leia, no minimo a carta do Gunter ou exerca UM neuronio, cara! num dia como esses, 11 de setembro, que, pelo menos pra nos aqui em NY eh sensivel, tristissimo e cheio de memorias horrendas.
    Putz,

  345. Silêncio

    Não li tudo que você escreveu, prezado Gerald Thomas.
    Mas até onde li, dispensei absoluta atenção.
    Com todo o respeito e consideração, pergunto:
    Por que você não prepara para você uma morte mais espetacular do que a morte de Empédocles, por exemplo?
    Minha sugestão vem de julgá-lo capaz de conceber uma morte equivalente ao livro sobre a morte que Montaigne julgou não ter talento bastante para escrever, cuja importância sintetizou mais ou menos nestes termos:
    Aquele que escrevesse o livro no qual ensinasse as pessoas a morrer estaria ensianando-as a viver.

    P. S. Poderia ser uma iMorte!

  346. Sue

    **Pachequito…
    Uma *distracao* enorme…
    Na msg que enviei para voce…
    Aonde voce le:

    Gov.Buch (favor ler)

    Gov. BUSH…

    Sorry…mas foi….

    *********************

  347. Sue

    Ops !!

    46th Street em Manhattan esta toda fechada…um movimento de carros (Bombeiros, Policia..fora do normal)….

  348. gthomas

    Eight years ago, hijacked passenger jets destroyed the World Trade Center. The ritual of commemorating this, the bloodiest foreign attack on United States soil, will be repeated on Friday near the pit where the Twin Towers once stood. Silence will solemnize the moments when the buildings were struck and the moments when they fell; politicians and family members of victims will offer words of grief and inspiration; and the official list of victims will be read, name by name, 2,752 in total, one more than last year.

    The day could not be more different than Sept. 11, 2001: It is rainy and gray, with whipping winds. The ceremony will begin at 8:40 a.m. and is scheduled to conclude around 12:30 p.m. City Room will live blog the ceremony: check back here for updates throughout the morning.

    Updated, 12:20 p.m. | In the end, only a few dozen people were left as the final names were read. When the list was concluded, the Brooklyn Youth Chorus returned to the stage to sing “Hero.” The wind, which had grown fiercer toward the end of the ceremony, even breaking several umbrellas, abruptly let up as the song’s final verse rang out. Mayor Michael R. Bloomberg addressed the crowd before trumpeters played taps. At the final note, the crowd quietly dispersed. Some headed to the streets, others to the site of the World Trade Center for a more private moment.

    Updated, 12:10 p.m. | The reading of the names has concluded.

    Updated, 11:38 a.m. | There are a number of American flags in the area — on umbrellas, on signs, on shirts and lapel pins. One man has held a full-size flag aloft throughout the ceremony, clutching the pole against his stomach along with a bundle of roses. Another flag hangs from the large construction crane behind the stage. By now, like many people in the crowd, it is soaked through, but the strong winds keep kicking it up to a full sail.

    Updated, 11:15 a.m. | As the reading of the victims’ names continues — the name of Anthony Perez was just read — the park has continued to empty. The umbrellas came down briefly as the rain softened, allowing a better view of the crowd. There are some chairs for older attendees and strollers for the younger ones; everyone else is standing. Some are in uniform; others are carrying photos of the dead. One sign reads “Wayne A. Russo” with the words, “We will never forget.” Two adults just walked out with three children clutching roses. One woman wearing a clear plastic poncho keeps wiping away tears.

  349. Carol

    11/09/2009 – 08h32
    Documentário mostra mulher que fingiu ser sobrevivente do 11 de Setembro
    Publicidade

    ANDREA MURTA
    da Folha de S.Paulo

    Tania Head se tornou nos primeiros anos após o 11 de Setembro a mais célebre sobrevivente do ataque às Torres Gêmeas. Sua história de superação e perda –enquanto ela fugia, ferida, do 78º andar da torre sul, o noivo, David, morria na torre norte– chegou a milhares de pessoas no mundo todo.
    Divulgação
    Alicia Esteves Head, que se apresentava como Tania Head, em cena do filme vai ao ar pelo GNT
    Alicia Esteves Head, que se apresentava como Tania Head, em cena do filme vai ao ar no GNT

    Em pouco tempo, ela se tornou presidente da associação de sobreviventes. Chegou a ser recebida por políticos de primeira grandeza dos EUA. Só em 2006 a verdade veio à tona. Tania Head nunca existiu.

    A mulher loira, baixinha e gordinha que causou tanta compaixão e admiração no país se chama, na verdade, Alicia Esteves Head. É espanhola e nem sequer estava em Nova York quando o World Trade Center foi destruído. A família do suposto noivo jamais ouvira falar dela. Os e-mails semanais que enviava a outros sobreviventes narrando a luta para livrar-se do trauma eram fantasia.

    A saga de uma das mentiras mais bem contadas da última década será exibida hoje às 21h pelo canal pago GNT, na estreia do documentário “A Impostora do 11/9”. Uma mistura de imagens de arquivo, entrevistas e depoimentos de sobreviventes (verdadeiros), o filme trabalha bem com elementos de tensão e emoção, e não só pela sensibilidade do tema ou pelos contos reais de heroísmo.

    Repúdio e gratidão

    Gerry Bogacz, cofundador da Rede de Sobreviventes, foi uma das pessoas tocadas por Tania.

    Ele trabalhava no 82º andar da torre norte e diz no documentário ter compartilhado vários desabafos com a impostora.

    Bogacz conta ter percebido, ao longo do tempo, discrepâncias em seus relatos. Algumas vezes, ela dizia que era noiva; outras, casada. Ao descobrir que o bombeiro voluntário Welles Crowther, que morreu nos ataques, salvou diversas pessoas, Tania incorporou a presença dele em sua história.

    Ainda assim, Bogacz –como outros– só mudou de posição quando o “New York Times” finalmente publicou uma reportagem questionando a veracidade da experiência dela, em setembro de 2006.

    Mesmo depois de saber a verdade, muitos mantiveram dose de gratidão, como a sobrevivente Carrie Sullivan. “Ela fez muitas coisas boas por nós. É é difícil descartar tudo isso”, diz.

    Tania colaborou de verdade. Não só doou dinheiro como transformou o grupo de sobreviventes em uma organização oficial. Obteve financiamento do governo. Conseguiu permissão para a primeira visita de sobreviventes ao marco zero, em 2003. Foi guia voluntária do local –os primeiros a ouvi-la foram o prefeito Michael Bloomberg e o ex-prefeito Rudolph Giuliani, durante inauguração do memorial pelas vítimas.

    Alicia deixou os holofotes sem nunca se explicar. Como jamais lucrou financeiramente, seu comportamento nos EUA não foi criminoso. Acredita-se que ela tenha deixado o país.

    Algum tempo depois, segundo o documentário, os sobreviventes reais receberam um e-mail que dizia que ela havia cometido suicídio. Mas, a esta altura, ninguém sabe mais no que acreditar.

    A IMPOSTORA DO 11/9
    Direção: James Cruemel
    Quando: hoje, às 21h, no GNT
    Classificação: livre

  350. Sandra

    Ontem, um comentário do Gerald me calou:

    “quando comeca a vespera……comecamos a ficar todos calados aqui.

    uma terrivel sensacao de….

    fracasso

    invasao

    estupro

    TERROR!”

    Depois disso, nem consegui comentar como o texto em inglês que ele atualizou tinha ficado tocante.

    Eu não consigo ouvir quem defenda as grandes causas mas não tenha olhos para as alegrias, dores e encantos que estão ao seu lado. As palavras ficam ocas, sem vida…

    Muitos falaram em computação gráfica e na PIXAR. Os heróis da PIXAR são verdadeiras pedras preciosas: o robozinho abandonado cuidando sozinho de num planeta destruído e que se encanta com musicais. O ratinho cozinheiro incrivelmente talentoso, com valores fortíssimos, que quando todos esperavam que faria um prato sofisticadíssimo, fez um dos mais básicos da culinária francesa e, nos pequenos detalhes, mostrou toda sua arte. Lembrei-me do que o Gerald disse sobre Hendrix: que ele estava abandonando as distorções e fazendo uma música mais “simples”. Lembrei-me do Gerald chorando com a Pastoral ouvida numa vitrola antiga.

    Eu não sei qual o caminho que o Gerald vai seguir, mas falarei por mim. O meu ratatouille foi esse:

    “But, as it seems, the problem is mine and ONLY mine. As I’ve said before: I’ll try going for a walk around the planet to find who I am. Or, maybe just sit here, exactly where I am now, and come to the same conclusion.

    But it’ll be hard: I’m part of that romantic generation who saw Tower Records open its doors here on Broadway and E4th Street. Today, Tower is gone and even, Virgin (which destroyed Tower) is gone. All Towers are gone.

    I’m writing this one day before 9/11. Please excuse all analogies and possible comparisons.”

    Na verdade, foi o texto inteiro em inglês. Esse trecho, em particular, pegou pela data. Ele quase traduziu o post em português, não era um texto novo, mas…

    MAS…………..

    lamento dizer isso hoje, Gerald,

    lamento,

    mas você

    ARRASOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOU.

  351. gthomas

    O G Diet esta com uma nova entrevista sobre 11 de setembro:

    acho que vcs deveriam assistir

    LOVE
    G

  352. gthomas

    Sandra, meu amor

    Impossivel, numa data como essa, nao fazer analogias entre o fim da Tower Records e o fim das Torres.

    Hoje estou eu num outro portal falando sobre isso, mas o Claudio ja copiou pro Diet

  353. Daniela

    Boa tarde,

    Que foi que aconteceu com o formato novo?
    Poxa fico perdida, não que não seja bom mas poderia avisar.
    Que puxaaaaaaaaaaaaa! :/
    Charlie Brow /Snoop!

  354. pessoas , publiquei no diet o video com a matéria sobre o 11 de setembro que a Cintia mencionou .

    pacheco , dos mais antigos , ou clássicos eu consegui um dos primeiros desenhos da betty boop , contracenando com seu próprio criador humano ; e o primeiro desenho do gasparzinho , imperdíveis .

    e a entrevista exclusiva de GThomas sobre o hermetismo da sua linguagem voltou para a oficina . achei a edição muito pouco hermética .

  355. daniela ,” que puuuuuuuxa ” é o adorável jargão do personagem ‘juca’ da série ‘cocoricó , uma das poucas séries brasileiras para crianças , original , bem realizada e inteligente . os bichos de espuma são umas graças . eu me divirto .

    eu amo teletubbie tb . amo muito tudo aquilo .

  356. O Vampiro de Curitiba

    testando novo worpress

  357. Fulgêncio Jr.

    Proibir de fumar, aí
    é com o Serra.
    Rsrsrs

  358. O Vampiro de Curitiba

    Algumas mudanças:

    Agora tem um botão chamado “ver todos” onde se vê todos os comentários em uma mesma página.
    Também qualquer leitor poderá responder a qualquer comentário. Se eu responder a um comentário das 09:00 hs, por exemplo, essa minha resposta (de qualquer leitor) vai aparecer logo abaixo do comentário que eu respondi e não no final dos coments.

  359. Sandra

    Sue, pensei muito em você. Quem fotografa tulipas e crianças também tem um olhar para a dor que muitos não vêem.

    Você e o Gerald devem estar sofrendo horrivelmente.

    Peço a Deus que lhes dê um colo.

  360. Azul

    Vamp…Boa Tarde querido !!
    Obrigada pelas dicas **Manuel** (= Manual)…
    ****

    Dia cinza , frio , feio….

    ********************

    Ah!! Gracas a Deus…
    o fechamento da 46th Street era so uma caixa *suspeita no predio 15 da rua….mas fica uma *poeira* no ar !!!

    ********************

    Beijos

  361. Sandra

    Saindo. Beijos em todos.
    Gerald e Sue, beijos extras e especiais.

  362. Azul

    Sandruxa , Obrigada…
    Rezo so…para esse dia acabar LOGO !!!
    passar …fica uma *tensao* no ar…
    Trabalho ao lado de uma praca aonde tem um *Memorial* Sep.11 – Teve culto Ecumenio…(movimento durante a manha toda)…depois fecharam a 46th St….
    A cabeca roda roda…nao consegue concentrar no trabalho…

    Beijos amiga….

  363. Azul

    Ecumenio = Ecumenico

  364. Azul

    Em tempo:

    Ecumenio = Ecumenico

  365. Samuel Becket em 1949, escreveu e criou dois maltrapilhos, Vladimir e Estragon. E os colocou embaixo de uma árvore, Godot, que traria a esperança melhores dias. E O ESPERADO NÃO VEIO.

    Então Godot se resume em espera.
    Seja do que for que você idealize que lhe trará melhorias.
    Dinheiro,saúde ,emprego,um belo carro e até a criação artística.
    Todos Noé e individualmente esperamos cada qual o seu Godot.
    O Gerald não poderia fugir esta suposta regra.
    Tantos anos buscando algo e matando um leão por dia.
    Talvez por isto o auto retrato lhe tocou fundo.
    -Porra!
    Deve ter dito um dia.
    -Estou com 55 anos.Fui premiado.Corri os palcos do mundo.casei,separei,tenho herdeira.tenho amigos ( será ? ) tenho parceira e companheira . O QUE ME FALTA?

    PORQUE ESTA AGONIA?
    NUNCA ENCONTRAREI GODOT?

    Gerald:

    Tão pouco te conheço e tão muito te conheço.
    É bom que não encontres GODOT.
    Quando o encontrares ele pode não ser o que dele imaginas.
    Se não queres fica a sombra da arvore e pretendes sair.
    SAIA.
    Ande e viaje.
    Por mais que Andes em todos os cantos do mundo só encontraras outros esperando GODOT.
    Do simples Homeless da esquina até o Senhor Barack Obama todos esperam o tal GODOT que não vem.

    Enquanto isto nós aqui do blog podemos e com boa dose de IMAGINAÇÃO criar algo de um dialogo que você certamente reconhecerá.

    Leia :

    Gerald Thomas – Espere! Eu me pergunto se não teria sido melhor que a gente tivesse ficado sozinho, cada um por si. Nós não fomos feitos para a mesma estrada.
    Nos do Blog – Isso nunca se sabe.
    Gerald Thomas – Não, nunca se sabe nada.
    Nos do Blog – Nós ainda podemos nos separar; se você achar melhor.
    Gerald Thomas – Agora é tarde demais.
    Nos do Blog – É, agora é tarde demais.
    Gerald Thomas- Então, vamos?
    Nos do blog – Vamos.
    E assim estaremos sempre contigo.

    By the way.

    Qual será a próxima parada?

    Love.

    Nos do Blog

    Hahahahahahahahahahahahahahha 😀

  366. Sue.

    Nos do blog estamos contigo.
    Logo estaras ancorada ( e bem ) na tua casa.
    Ainda hoje responderemos a mensagem da princesa que amanhã vai receber seus amigos.
    Tomara que não chova.
    Terás menos trabalho com a arrumação da casa no day after rsrsr ou melhor hahahahahahahahahah BYE BYE 😀

  367. Ana Paula

    Boa tarde PessoALL,

    Minha sincera solidariedade aos americanos em geral e em principal aos novaiorquinos (ou quem vive lá – Oi Sue!) por esta data medonha.
    O terrorismo tem a lógica perversa do ataque covarde ao civil. Muito traumático.

    Sue,
    Mandei para o seu trabalho uma lembrancinha referente ao aniversário da sua baby-girl, mas acho que não vai chegar na data prevista, a idiota aqui não percebeu essa…
    Sorry.

    Fiquem bem, meus amigos!

    Abraços.

  368. Erratas:

    Depois de arvore inserir=esperando Godot.

    Abaixo de Gerald o certo é:

    Tão pouco não te conheço e tão muito penso te conhecer.

    Obrigado.

    Nos do Blog

    Hahahahahahahahahahahahha 😉

  369. claudio.

    ESPETACULAR.

    Deixei mensagem la no G-Diet.

    Foi emocionante rever o que vi na juventude.

    A Baby não conhecia e adorou.

    Não achou o Frd e a Judy dançando como Vladimir e Stragon?

    Tenho quase (quase é phoda! )certeza que assisti um dia.

    VIVA O G-DIET.

    G-DIET AUMENTA NOSSA ALEGRIA.

    ABRAÇOS.

    Pacheco.

    😀

  370. Ana Paula.

    PessoALLmente adorei o teu PessoALL.
    Como não imaginei antes.
    Agora copio e faço IguALL
    Tá LegALL

    Neste caso sou um cara de pALL

    UALL

    😀

  371. Persons!

    Please.
    HELP.

    Como faço para colocar a cara ai neste quadradinho acima?

    Obrigado.

    Pacheco.

    😉

  372. video impressionante de um vizinho do atentado no G-diet .

  373. gthomas

    TEXTO EM INGLES
    T E R M I N A D O

    UFA!
    LOVE
    G

  374. Fulgêncio Jr.

    Valeu a dica Carol,
    vou assistir, valeu.

  375. gthomas

    Pacheco

    Favor checar os seus emails.
    LOVE
    G

  376. Fulgêncio Jr.

    Deixa quieto que tá
    bom assim.

  377. Fulgêncio Jr.

    O blog desse jeito tá
    legal, vai todo mundo
    se adaptar.

  378. Silvinho

    Gerald, achei legal voce ter citado o John Malcovich e acho
    que isso poderia ser a sua salvacao financeira quando o blog
    terminar. Voce pode lancar: Being Gerald Thomas!
    No andar 2 e meio do predio do teatro La Mamma sai a porta
    que da espaco a cabeca do Gerald Thomas, no filme eles cobravam US $200 e voce pode cobrar $ 500 pois se trata de brasileiros ricos, cada um tem direito a ficar 15 minutos
    dentro de voce e depois em vez da pessoa cair na New Jersey turnipike, por que nao deixar essa gente South of The
    border anyway? Sao todos um bando de Ilegal Aliens mesmo! Ai voce inclui no preco o equivalente a uma passagem New York – Tijuana, isto eh mais $300, no total
    e experiencia Being Gerald Thomas custara US$ 800,
    o que acha da ideia? Nada mal nesses tempos de crise, hein?
    Silvito

  379. Silvinho

    Acho que os primeiros a entrar na cabeca do Gerlad Thomas serao a Sandra e o Pacheco, depois vem o resto da galera…

  380. mnc

    Hi folks
    ]
    Nossa !!!

    Que surpresa boa, blog lindo, cleam, funcional, parabéns amei a transformação.
    Aqueles iconizinhos todos do princípio, ainda não esmiucei…prestando tenção na explicação do Vamp.
    Gente tem até espaço p fotinhas ou personas.

    O Gunter foi fundo…impressionada com a precisão dele, em traduzir este momento trevo da vida.

    Para sempre 11 de setembro terá essa energia carregada de dor, foi realmente uma barbaridade…
    A queda das torres prenunciou que daquele momento em diante nada mais seria como antes.
    O tempo pode se contar ates e depois do september eleven.

    ùltimo capítulo da novela das 8…
    Coitada da Maya foi parar no viuvário….nem sabia que isto existia…

    Carregando vídeo do G-diet, também bombando total.
    Interessante e um capricho só.

    Godôt só vem quando desistimos esperar de por ele.
    O Buda memo só alcançou o Nivarna quando cansado de buscar , esvaziou-se de expectativas…
    Aí ele se Iluminou.

    Inté.

  381. mnc

    Saindo,
    Atpe amanhã.
    Abraços a todos.

  382. gthomas

    Boa ideia, Jorge, digo, Silvinho.

    Pacheco, a resposta ja esta ai.

  383. Cintia

    “…Graças a esta moderna ferramenta de comunicação, o teu público pôde partilhar das tuas angústias e das tuas dúvidas nos últimos tempos, coisa que, no passado, os artistas confiavam aos seus diários, ou a cartas endereçadas a uns poucos amigos próximos, dramas que chegavam ao grande público apenas anos mais tarde, em geral, anos após a sua morte. Quando vc se remete a Rembrandt, fala em morte e em renascimento. Eis uma conexão instigante: se vc e sua arte morrem em tempo real, on-line, comunicando num piscar de olhos aquilo que os grandes artistas do passado levavam décadas para transmitir, …”
    (Gunter Axt)

    Gostei disso.
    Legal esse nome, parece nome de vilão intergalático.
    😀

  384. mnc:

    Godot só vem quando desistimos esperar de por ele ????

    No way dear.

    Se Godot é a esperança e desistimos então nada teremos.
    Não é certo que a esperança é a ultima que morre?

    Posso estar enganado mas tenho que acreditar que sempre e individualmente temos de esperar GODOT.

    Por acso voce não está sempre em busca ¨daquela pedra especial ¨?

    O dramaturgo Sam mestre do Gerald deu a mensagem que ao meu entender quer dizer isto: GODOT é a ESPERANÇA.

    Seja do que for.

    Se não esperamos mais nada então estamos no FIM.

    Chove hoje?
    E dai?

    Depois da tempestade vem a bonança.

    Ou não?

    Beijos.

    Pacheco.

  385. Contrera

    esperando o trânsito cair. fico aqui, à espera.
    saudade do teatro.

  386. Cintia

    Chovendo pra caramba aqui em Salvador desde o final da tarde.

    Bom, antes que, como no samba, ‘tudo se acabe na quarta-feira’, eu gostaria de agradecer de coração não só ao Gerald, óbvio né, mas tb a todos que ao longo desses meus 10 meses aqui, diariamente, me proporcionaram tantos momentos de aprendizado, reflexão, inspiração, conscientização, lágrimas, muitos risos 😀 , e que através de seus pontos de vista, concordando ou discordando, me permitiram expor tb os meus.
    Valeu, galera! beijos!

    Pra Tudo se Acabar na Quarta-Feira
    Martinho da Vila

    A grande paixão
    Que foi inspiração
    Do poeta é o enredo
    Que emociona a velha-guarda
    Lá na comissão de frente
    Como a diretoria
    Glória a quem trabalha o ano inteiro
    Em mutirão
    São escultores, são pintores, bordadeiras
    São carpinteiros, vidraceiros, costureiras
    Figurinista, desenhista e artesão
    Gente empenhada em construir a ilusão
    E que tem sonhos
    Como a velha baiana
    Que foi passista
    Brincou em ala
    Dizem que foi o grande amor de um mestre-sala
    O sambista é um artista
    E o nosso Tom é o diretor de harmonia
    Os foliões são embalados
    Pelo pessoal da bateria
    Sonho de rei, de pirata e jardineira
    Pra tudo se acabar na quarta-feira
    Mas a quaresma lá no morro é colorida
    Com fantasias já usadas na avenida
    Que são cortinas, que são bandeiras
    Razão pra vida tão real da quarta-feira
    É por isso que eu canto

  387. Gerald.

    Ich stütze nicht mich plus so viel aggressive Haltung für dieses, das ich lasse.

    É esta a resposta?

    Yes
    No

    Love

  388. Esta diagramação esta parecendo com os meus
    esquemas de jogos.
    Sempre se aperfeiçoando.
    É importante mostrar quem fala com quem.
    Ninguem fica perdido no espaço.
    Viva a informática, a tecnologia do seculo 21.

  389. O carlos minc soltou a franga.
    Subiu no palco.
    E ao melhor Bob Marley clone:

    Copiou o lula falando de futebol
    E aliou-se ao Gabeira pedindo liberação geral da Maconha.

    Será que ele também estava?

    Hein?
    😀

    Cedo ou tarde a mascara cai

  390. Cintia.

    Que tal esta:

    A Felicidade
    Tom Jobim
    Composição: Antonio Carlos Jobim e Vinicius de Moraes
    Tristeza não tem fim
    Felicidade sim

    A felicidade é como a gota
    De orvalho numa pétala de flor
    Brilha tranquila
    Depois de leve oscila
    E cai como uma lágrima de amor

    A felicidade do pobre parece
    A grande ilusão do carnaval
    A gente trabalha o ano inteiro
    Por um momento de sonho
    Pra fazer a fantasia
    De rei ou de pirata ou jardineira
    e tudo se acabar na quarta feira

    Tristeza não tem fim
    Felicidade sim

    A felicidade é como a pluma
    Que o vento vai levando pelo ar
    Voa tão leve
    Mas tem a vida breve
    Precisa que haja vento sem parar

    A minha felicidade está sonhando
    Nos olhos da minha namorada
    É como esta noite
    Passando, passando
    Em busca da madrugada
    Falem baixo, por favor
    Prá que ela acorde alegre como o dia
    Oferecendo beijos de amor

    Tristeza não tem fim
    Felicidade

    Estou enviando e-mails e os que mando para voce tem sido retornados.
    Agora mesmo enviei um e a Ana até já respondeu.
    por favor mande algo para que eu fixe teu endereço certo.

    Alo contatos aqui do blog.

    Quem recebeu o PAIS MAUS favor repassar para a Cintia.

    Obrigado.

    Pacheco.

    😀

  391. Ana Paula

    Pacheco amigo,

    Fique ALL vontade para usar! 😀

    Abração!

    PS.: Silvinho se F*** Gigante ao se meter a engraçadinho com o Mr Thomas, tô rindo até agora… Salve Jorge!

  392. sol - sampa

    Gerald, meu bravo guerreiro, Gerald seu Rembrant a mim me toca de meneira muito diferente. Nas suas palavras sinto a vida transbordando da xícara sim com toda a sua indigesta visão e no entanto temos aqui a necessidade de continuar com isso e tudo aquilo mais de realidade, de pressão simples do dia-a-dia e ainda tomar cuidado para entendendo não pirar o cabeção, não inutilizar a vvivencia que se teve.Furar na brecha para haver sentido, por exemplo ter colocado outra vida nesse planeta.Quando o Goethe levou 67 anos para completar Faust e Jenny K Segall levou outros 67 para traduzir impecávelmente a obra. Talvez não implique mais a literatura no teatro mas..as sensações que sobreveem com uma leitura desse tipo será capaz fatalmente de tocar num jovem artista, eles sempre estarão entre nós, e traduzirá again and again as sensações humanas.Talvez sem palavras mesmo.Não haverá disperdício de verdades descobertas por almas sensíveis de admirados sêres de extasiados olhos diante da infinitude da vida. e talvez ele poderá estar na Tunísia, numa tenda bordada buscando a si mesmo..ILY imensily

  393. OK

    We ALL send a kiss for you.

    Me
    Baby
    and our ALL ALL

    LEGALL ?

    😀

  394. pacheco ,
    achei o video mas não tem nada a ver com godot .
    então seus pedidos foram todos atendidos .
    e ainda tem um brinde .

    prefere pagar no cartão ou no boleto ?

  395. Ana Paula

    Pachecão,

    Enviei “Pais Maus” pra Cintilante. Agora ela tem seu e-mail.

    Abraços!

  396. Carmen Filgueiras

    Ah, Gerald, tomara que vc mude de ideia. Logo. Abraço forte!

  397. Quer pagamento maior do que a alegria de servir ao amigo virtual?
    Ter seu empenho e dedicação admirado pelos visitantes?
    Espalhar alegria em corações carentes de coisas boas na internet?
    Achar o seu possivel caminho?
    Ser util?

    AMIZADE NÃO É UMA COISA QUE VOA ALTO E DEIXA SUA MARCA POR ONDE PASSA.

    Isto se chama POMBO COM DIARRÉIA.

    Amizade é ser utl e isto não tem preço e portanto não se paga nem em blleto e tampouco com cartão.

    Abraços pela amizade e

    UM GRANDE BEIJO PELO EEXCELENTE TRABALHO.

    A ARTE E TUA.

    A ALEGRIA É NOSSA.

    Hahahahahahahahahahahahah 😀

  398. Tene Cheba.

    Duas mentes.

  399. Sandra

    “I will have to make an enormous effort in….what? In seeing me as myself again as in what I used to be. Why? Because it’s not me what I see when I look in the mirror. It’s a deformity, a hardened version of a self that was,”an aberration of an author as an old man”.

    I will have to make an enormous effort when looking into Rembrandt’s eyes again or, maybe, into a slice of a shark, or the shark in its entirety, by Damien Hirst.”

    Meu Deus, QUE LIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIDO!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  400. Sandra

    ARRASOOOOOOOOOOOOOOOOOOOU!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  401. Ana.

    Obrigado.

    O meu ela já tinha.
    Assim como eu tenho o dela.Acontece que tenho enviado alguns e estão sendo retornados.O mesmo tem acontecido com alguns enviados ao Gerald e vice versa.
    O que é isto?

    Doideira internetiana ou casualidade sacana?
    Em teoria de conspiração eu diria.
    Estão sabotando Nova Yorque ,Vitória e Bahia!
    Obrigado pela ajuda .Retribuirei algum dia.
    Ou melhor dito e coisa e tal.
    Tanks for you from we ALL
    LEGALL?

    😀

  402. Tene Cheba.

    Vou me indo,
    andando eu vou,
    vou me indo,
    caminhando,
    vou me indo,
    doutor,
    chegando,vou me,
    indo,
    sou seu espero.
    Vou me indo,
    sorrindo,
    chorando,
    vou-te, volto-me,
    inecácia.
    Vou te falar,
    outras ondas,
    vou cantar,
    duas estrofes:
    O poema navega,
    as dores triunfam,
    os mares redundam,
    as cores desbotam,
    e, eu, falo, sobre,
    pequenos tráfegos,
    então o peixe,
    então o peixe,
    descamado,
    limpo,
    o peixe.

  403. Tene Cheba.

    Disse!?
    Não disse, porra nenhuma,
    disse, o quê.

  404. Duas mentes
    Três mentes
    Esperando moderadamentes
    Pacientementes
    Na verdade desejando serem
    Publicadas repentinamentes
    Sendo analizadas demoradamentes
    Por amigos ausentes ?
    Ou por questões não condizentes?
    Alquém pode dizer seguramente?

    O QUE SE PASSA REALMENTE?
    PORQUE TEM PARTICIPANTE AUSENTE?
    VAMOS FALAR CLARAMENTE!
    NÃO NOTAM ALGO DIFERENTE?
    OU ESTOU FICANDO DEMENTE!

    HEIN…?

    😉

  405. Voce disse:
    -duas mentes

    hahahahahahahahahahah 😀

    Quem não disse Porra nenhuma foi o lula.

    hahahahahahahahahahhaha 😉

  406. gthomas

    Carmem Filgueiras

    Vc nao imagina o quanto foi duro escrever isso.

    Enfim, Acho que vc imagina sim.

    Um beijo.

    Fale pra tua mae ler (espero que ela esteja bem).

    Pacheco: enviei tua resposta

    Sandra: idem.

    QUE DIA!!!!!

    WHAT A DAY!!!!

  407. Tene Cheba.

    Duas cores,
    duas mentes,
    duas ondas,
    dores, alguém,
    dores.
    Dois fajutos,
    dois e dois,
    então, caminho,
    olho,
    vejo.

  408. I cumékié
    Nobody
    vaimidisekumékieucolocofotonoespaçoaidicima?
    Please.
    IWhaynauntauncolocando?
    tãocommedodeque?
    Queuesaibaninquemaquitaprocuradupelapuliçaoutem?
    hein?

    Obrigadu,
    Pachec ( deixa de ser maldoso meu ) o.

    Hahahahahahahahahahahahah 😀

    AVISO AOS CONTATOS.

    VOU ENVIAR UM PPS DO: Caminhos da INDIA.

    Em homenagem ao final da novela.

    Aguardem.

  409. Tene Cheba.

    “Bom, antes que, como no samba, tudo se acabe…”, de Cintia, grande e muito Linda.

  410. Tene Cheba.

    Teve uns solos,
    teve uns nortes, noites de solambolia,
    ia, andava e ia, ia, tudo em só menor, enm.
    Mas, todavia, entre os ventos, frios,
    de dois e talvez, seis dezesseis,
    tudo e mundo, tá e tá.

  411. Alquem ai está precisando de ouvir:

    What a difference a day made.
    Twenty-four little hours
    Brought the sun and the flowers
    Where there used to be rain
    My yesterday was blue, dear
    Today I’m part of you, dear
    My lonely nights are through, dear
    Since you said you were mine

    What a difference a day makes
    There’s a rainbow before me
    Skies above can’t be stormy
    Since that moment of bliss, that thrilling kiss
    It’s heaven when you find romance on your menu
    What a difference a day made and the difference is you

    Cantado por Dinah Washington .

    Of course

    hahahahahahahahahahahahah 😀

  412. Tene Cheba.

    Eu e sobretudo eu,
    antes o óbvio,
    sem ópio,
    careta.
    Sem escala, sem conexões,
    urbano e metódico,
    fumando, longe,
    dos dementes,
    dos que mentes,
    das duas, das Luas,
    Luas e três mentes,
    mentes,
    entes,
    sentes,
    sem,
    lentes,
    minguas minguantes,
    minguados,
    pobres,
    de dois,
    de três,
    mentes que mentes.

  413. Abri minha caixa de entrada.
    Foi quase uma porrada
    Ou trombada.
    Não pode ser o que li.Sim o que li é exatamente o que foi lido.Porque se foi dito que era assim para ser lido então tenho que ler com é e não com eu gostaria que fosse.Eu gostaria de que o que li não fosse o que foi lido.mas com li o que é pra ser lido então eu tenho que ler assim como quem le o que e pra ser lido e não com eu pensei que jamais leria.
    Voce assistiu o cão de Kepler?
    Não?
    Então deixa eu te contar.
    Tinha uma passagem que cagavam no palco.
    Pode acreditar no que digo.
    CAGARAM NO PALCO.

    Entendeu?

    Nem tente.

    Eu mesmo ainda estou tentando entender.

    Understood?

    Good

    God!

    Amem.

    Fui.

    Quem sabe amanhã será um dia mais belo?

    E Deus me de alguma idéia para ajudar um amigo.

    Porque hoje depois da CAGADA que lembrei não dá nem pra
    segurar a barra.

    Fui.

    Obrigado,

    Pacheco

    ——————– L 😉 ———————I—I——————————-

  414. Sandra

    Boa noite a todos. Beijos.
    Gerald e Sue, fiquem bem, queridos.

  415. gthomas

    Boa noite

    Nao sei se tenho condicoes emocionais de voltar aqui hoje

    LOVE pra todos

    G

  416. Colegas de Blog, caso queiram conhecer a opinião de alguns galeristas sobre:

    MERCADO DE ARTE MIGRA PARA A INTERNET COM GALERIAS VIRTUAIS.

    http://www1.folha.uol.com.br/folha/ilustrada/ult90u622421.shtml

    Folha online – Ilustrada – 11/09/09 – Silas Marti

    Beijão a todos!
    Susan

    PS.: Cintia, Cláudio e Reinaldo: lembrei-me de voces (como sempre) muito especialmente: a arte digital vive “boom” …

  417. 11 de setembro já se foi e … “bendita ou maldita” tecnologia que nos faz sentir “na pele” a desgraça humana nas suas mais hediondas variáveis. Hoje, de alguma forma, fêz-se justiça à memória …

    REINO UNIDO PEDE DESCULPAS PÓSTUMAS A GENIO GAY PUNIDO COM CASTRAÇÃO.

    … “Além de decifrar o código alemão (criptografado, que a Alemanha de Hitler usava para mandar mensagens militares durante a II Guerra), Alan Turing fez contribuições significativas nos campos da inteligencia artificial e da ciencia da computação, que ainda engatinhavam.

    Em 1936, ele escreveu um artigo chamado On Computable Numbers, e, em 1950, formulou um teste para avaliar a inteligencia de uma máquina. Hoje o método é conhecido como o Teste de Turing.

    Depois da II Guerra o matemático trabalhou em várias instituições de pesquisa, inclusive na Universidade Manchester. Lá, ele operou o Manchester Mark 1, considerado um dos primeiros computadores modernos.

    Matéria completa:

    http://www1.folha.uol.com.br/folha/ilustrada/ult90u622421.shtml

    Beijão a todos! Bom final de semana!
    Susan

    PS.: Nos encontraremos por aqui – até qualquer hora dessas…. Combinados?

  418. Daniel Barenboim, que nasceu Argentino MAS é cidadão do mundo ….

    (Consegui se superar….)

  419. Perdoe-me “moderador” – ignore o anterior, das 0.27hs. porque linkei errado e aprove este (se possível – é claro! rs)!

    11 de setembro já se foi e … “bendita ou maldita” tecnologia que nos faz sentir “na pele” a desgraça humana nas suas mais hediondas variáveis. Hoje, de alguma forma, fêz-se justiça à memória …

    REINO UNIDO PEDE DESCULPAS PÓSTUMAS A GENIO GAY PUNIDO COM CASTRAÇÃO.

    … “Além de decifrar o código alemão (criptografado, que a Alemanha de Hitler usava para mandar mensagens militares durante a II Guerra), Alan Turing fez contribuições significativas nos campos da inteligencia artificial e da ciencia da computação, que ainda engatinhavam.

    Em 1936, ele escreveu um artigo chamado On Computable Numbers, e, em 1950, formulou um teste para avaliar a inteligencia de uma máquina. Hoje o método é conhecido como o Teste de Turing.

    Depois da II Guerra o matemático trabalhou em várias instituições de pesquisa, inclusive na Universidade Manchester. Lá, ele operou o Manchester Mark 1, considerado um dos primeiros computadores modernos.

    Matéria completa:

    http://www1.folha.uol.com.br/folha/bbc/ult272u622640.shtml

    Beijão a todos! Bom final de semana!
    Susan

    PS.: Nos encontraremos por aqui – até qualquer hora dessas…. Combinados?

  420. gthomas

    Voltei pra aprovar mais esses 4 comentarios.
    E..eu precisava atravessar a meia noite pro 12 de setembro.
    Sei la….

    so pra ter a certeza de que….

    …..

    LOVE
    G

  421. mnc

    Bom dia Comunidade,
    Pacheco meu diletíssímo amigo,

    A experiência Búdica da busca.
    Durante anos a fio Cidarta Gautana procurou a iluminação, o conhecimento de Deus enfim o Nirvana.
    Cansado após anos e anos de peregrinação buscando fora o que estava dentro…
    Buda simplesmente aceitou esvarziar-se de esperança vã.
    O Buda se iluminou com uma cebola, tirando casca por casca, camada por camada percebeu que não ficava nada …só o vazio.
    Chega num ponto na vida que acabamos aceitando a verdade xamãnica do incognissível, mistérios godonianos que simplesmente ainda como humanos não temos energia p entender nesse plano de existência Terrena.
    Jeus mesmo nos esvaziou dessa busca quando disse que A fé sem obras é vã…faça sua parte que te ajudarei.
    Esperança no sentido de usar Godôt como bode expiatório de nossas prórias mazelas humanas… acomodação a paralisia…tudo suspenso até que Godôt venha..
    Teve um tempo que esperei “Godôt” por anos a fio…hoje, adotei a filosofia Pagodinho “Deixo a vida me levar”…ela é muito maior, deixo ir fluindo as coisas, sem me desesperar, sem falsas expectativas.
    Nem por isso abdiquei de minha fé na vida, em Deus, no retorno Glorioso de Jesus pelo conttrário…
    Sei que está próximo o dia das revelações que tranformarão de vez nossa humanidade.
    Mas como mesmo disse Jesus só meu pai sabe o dia que Godôt voltará, mas vigiai e orai…Virá como um ladrão na noite..etc.

    Nesse sentido sim não espero sentada mais Godôt, mas certa de que ele virá, ah se virá, para julgar os vivos e os mortos. …
    Creio em Deus pai sim Pachequito.
    Ele nos deu livre arbítrio…Depende de nós.
    Abraços.

  422. mnc

    Stuck In A Moment You Can’t Get Out Of
    U2
    Composição: U2

    I’m not afraid of anything in this world
    There’s nothing you can throw at me that I haven’t already heard
    I’m just trying to find a decent melody
    A song that I can sing in my own company

    I never thought you were a fool
    But darling, look at you
    You gotta stand up straight, carry your own weight
    These tears are going nowhere, baby

    You’ve got to get yourself together
    You’ve got stuck in a moment and now you can’t get out of it
    Don’t say that later will be better now you’re stuck in a moment
    And you can’t get out of it

    I will not forsake, the colours that you bring
    But the nights you filled with fireworks
    They left you with nothing
    I am still enchanted by the light you brought to me
    I still listen through your ears, and through your eyes I can see

    And you are such a fool
    To worry like you do
    I know it’s tough, and you can never get enough
    Of what you don’t really need now… my oh my

    You’ve got to get yourself together
    You’ve got stuck in a moment and now you can’t get out of it
    Oh love look at you now
    You’ve got yourself stuck in a moment and now you can’t get out of it

    I was unconscious, half asleep
    The water is warm till you discover how deep…
    I wasn’t jumping… for me it was a fall
    It’s a long way down to nothing at all

    You’ve got to get yourself together
    You’ve got stuck in a moment and now you can’t get out of it
    Don’t say that later will be better now
    You’re stuck in a moment and you can’t get out of it

    And if the night runs over
    And if the day won’t last
    And if our way should falter
    Along the stony pass

    And if the night runs over
    And if the day won’t last
    And if your way should falter
    Along the stony pass
    It’s just a moment
    This time will pass

  423. mnc

    Até mais tarde,
    Um sabadão cheio de encantos e alegrias p todos vcs.
    Ondas de carinho e afeto a todo pessoal.
    Vou p a feira adoro a prosódia do povo que vem das roças trazer suas verduras, alguns ainda em lombo de burros e mulas.
    Um universo Rosa.
    Cedinho que é bom, tudo bem fresquinho.
    Depois levar os meninos p o clube.
    Vou apitar um jogo de bola deles…rsrrsrs.

  424. Ana Paula

    Bom dia Sue,

    Eu já havia lido a estória dele. Obrigaram-no a fazer a tal “castração química”, o que agravou suas condições psíquicas (hormonal é um problema, nós mulheres sabemos) e ele se matou. Essa estória é horrível. Uma pena ele não estar vivo para presenciar esse pedido de desculpas, não?
    Bem, pelo menos estamos prendendo a pedir desculpas.
    Ao invés de ignorar os erros do passado, o que virou moda desde a Igreja Católica.
    Abraços.

  425. Usando a expressão da nossa amiga Marienne.

    C O M U N I D A D E.

    Bom dia.

    E que este seja melhor que o de ontem e pior do que o de amanhã ( esta não sei quem bolou )

    Passamos mais um eleven.
    E graças a DEUS sem nada a lamentar de extraordinário e de impacto negativo.
    Apenas as mazelas do dia a dia.
    Coisas as quais parece que vamos aos habituando e as encaramos como parte do nosso dia a dia.
    Assaltos, seqüestros, violências sexuais, maus exemplos e comportamentos, sobretudo nas áreas escolares.Brigas até por futilidades.
    Tudo dantes como no quartel de Abrantes.
    Basta abrir qualquer jornal ou assistir os jornalísticos televisionados.
    A MORTE ESTA PRESENTE. A cada instante. Em cada esquina.Até em semáforos.
    E salvem-se quem puder e conseguir.
    Sair de casa e retornar já é quase uma loteria.
    Estamos assustados. Temerosos e desconfiados.
    Ser pai sempre foi ter preocupações com os filhos.
    Hoje não só se tem as preocupações normais, mas também as que deveriam nem existir.
    Se um filho vai assistir futebol em um estádio os pais ficam temendo os possíveis acontecimentos.
    Se for a uma balada pior ainda.
    Duvido que pais com os filhos na rua consigam dormir antes da volta dos seus rebentos.
    Fazer o que!
    Prender em casa?
    Não é nada fácil ser pai.
    Então nesta condição acabamos entendendo o quanto os nossos pais eram bons e nos amavam. E nós não sabíamos disto.
    Assim cabe a cada pai e mãe a incumbência de achar um meio termo no modo de educar os seus filhos.
    O importante é que haja um dialogo aberto e cada um tenha a liberdade de falar o que sente.
    E que o carinho e o amor esteja sempre presente.
    Um simples abraço tem um poder que muitos esqueceram.
    E pedir a deus para que seu lar esteja sempre em harmonia.
    Devemos sempre ter na lembrança que só o AMOR constrói..
    E ser sempre agradecido.
    Se tivermos saúde o resto se corre atrás.
    Então fé em Deus e vamos seguindo.
    Fiquem todos com NSJC.

    Obrigado.

    Pacheco.

    😉

  426. Estou até agora na espera da moderação.
    Será que estes senhores que resolvem
    Não consideram que sou ancião?
    Estou na maioridade isento de vaidade
    Mas com menos saúde devido à idade
    Fico agoniado embora esperando sentado
    Quando envio comentário espero o resultado
    E se demora e ficando agoniado
    Sinto-me desprezado e até abalado
    Não que eu seja um privilegiado
    Negativo isto não, mas uma longa espera
    Que desejo que não houvera
    Pode abalar o meu velho coração.
    Será então que isto é bom?
    Claro que não meu prezado irmão.
    Então só o que peço é um pouco de atenção.
    Tem-se que ficar esperando então
    Que me tronem de vez um campeão.
    CAMPEÃO DE ESPERA ou de
    MODERAÇÃO.
    Não de moderador.
    Mas de moderado.
    Agradeço
    OBRIGADO.

    😀 PACHECO

  427. gthomas

    Perdao na demora da liberacao dos comentarios.
    Nao sei o que acontece.
    LOVE
    G

  428. Dei uma olhada aqui.
    Pelo geito o sr. não gostou do mas…
    mas, a vida é assim cheia de mas…, contudo…,
    todavia…, entretanto… fazer o que?

  429. O ser humano vive dois estados na vida.
    O sonho letárgico, bonito, maravilhoso, cheio de esplendor, divindades,
    filosofias, de amor eterno, amizades sinceras, que em tese, ajudam a construir um mundo maravilhoso.
    Um dia ele acorda e descobre que nada disse é real.
    Que nada disso saiu do papel.
    Feliz de quem consegue morrer dormindo.

  430. gthomas

    Targino, perdao pelo tempo la “pendurado” na moderacao.

    Pacheco: resppondi.

  431. Não era minha intenção
    Arranjar pedido de perdão.
    Contudo com humildade.
    Notando tua boa vontade
    Assumindo uma posição
    Agradeço de coração
    E pela atenção
    Obrigado mermão
    A propósito ainda insiro
    Onde anda o senhor Vampiro?
    Parece até brincadeira
    Deixar eu sózinho
    Na velha trincheira.
    Uma luta insefura
    Sem fogo de cobertura
    Ratati tatatá
    Assim não dá.
    Estou em fogo cruzado
    Preciso tomar decisão
    Ou resisto ou fico no chão
    Finjo de morto e fico torcendo
    Para que pensem que estou morrendo.
    Assim só espero tudo terminar
    Para por ponto e relaxar
    E confiante voltar a blogar
    E encerrando este alongado
    Saio agora dando OBRIGADO.

    Ufa…FUI.

    😉

    Para por ponto e relaxar

  432. Eu tambem e aproveito para enviar uma errata:

    Onde se le:Uma luta insefura.

    leia-se; Uma luta insegura.

    Love e bom sabado.

    Ouvi dizer que hoje a tarde tem brigadeiros em uma Pizaria ai em NY.
    Parece que uma princesa de nome Tiphanny vai reunir amigos brasileiros e norte americanos.
    Dizem que a rainha mãe é Blue.

    Eu ia ser levado pelo Peter Pan mas ele desmarcou o compromisso dizendo que tinha de combater o Capitão Gancho.Acho que o Peter está de sacanagem comigo.
    Pode?

    Hahahahahahahahahahahahah 😀

  433. gthomas

    Na espera ansiosa do Vamp…..

  434. Feliz é quem embora tendo adversidades na vida consegue criar um mundo cor de rosa.

    A mnc disse que vai se sentir assim na feira.
    Coincidentemente estou indo em uma feira também.
    E talvez não só por coincidência também estarei numa feira rosa.
    Somos o que pensamos ser.
    Acredite se quiser.

    A VIDA É BELA.

    Obrigado.

    Pacheco.

  435. As vezes eu faço um levantamento da minha vida.
    Desde a primeira memória que consigo ter ate os dias de hoje.
    Dos fracassos, das vitórias, dos meus atos secretos que nunca contei para ninguém.
    Na realidade nos somos, apenas, uma imagem que criamos para nos e para os outros.
    Temos que vencer, parecer aos outros venturosos.
    Entretanto, a luta é mais importante que a vitória.
    A vitória nos enche de tédio.
    De tudo que vivi, uma coisa aprendi.
    Para viver…
    Não se pode deixar de sonhar.
    Não se pode deixar de buscar os sonhos.

  436. Ana Paula

    Olha a Targinolência! 🙂 Sonhar é preciso ou a gente vira parafuso.

  437. Daniela

    ótemo!
    Sera que nessas cabecinhas poderá se postar fotos?

  438. Cintia

    bom dia!

    Anoca,
    Obrigada pelo reenvio da msg do Pachecão!

    Pachecão,
    Parece que agora voltei a receber normalmente os seus emails. Mandei uma resposta.
    Vou mandar um outro pra vc de toda forma reanotar o endereço.

  439. Cintia

    Obrigada, Tene!
    Grande e linda é sua sensibilidade!

  440. Cintia

    mnc 06:46 e Targino 11:42,

    Sábias palavras…!
    É por isso que dentre tantas outras coisas, gosto tanto daqui!

  441. Cintia

    Susan, obrigada pela lembrança!
    Eu vi essa notícia tb, interessante não? A internet é pra onde tudo está convergindo mesmo, é a ‘tendença’ do momento! 🙂

  442. Ana Paula

    Boa tarde pessoALL,

    Desconstructing worlds…
    Morrer para renascer, desassociar para crescer, derrubar para melhor reconstruir, substituir, nunca desistir, keep moonwalking para sobreviver…

    Só amando muito a vida para aceitá-la! Ou não!
    Os pequenos momentos sempre ajudam… Feiras, por exemplo.
    Música da sua cidade natal: “A terra vermelha…” Saudade.
    Já que vou ser infeliz, vou ser infeliz em Paris!

    Mortais x Imortais
    Another brick in the wall *X* Who wants to live forever
    British batle of giants! Enjoy the show!

    Discussão entre mortal e vampiro em Tru Blood (HBO):
    Mortal – Você está arriscando sua vida só pra salvar seu criador?
    Vampiro – Não fale de coisas que não entende.
    Mortal – Você deve amá-lo muito.
    Vampiro – Não fale de coisas que eu não entendo.

    Bom sabadão a todos!

  443. Claro que sim.

    A Ana já postou la por em uma seção passada.

    Estou esperando alquém ensinar como.Seria interessante ver o outro alem do que imaginamos como este outro ou outra possa parecer.
    E quem desejar pode mostar como realmente é.

    Quem sabe por favor pode explicar?

    Obrigado.

    Pacheco.

  444. Rio Maynart

    Para onde você vai,Gerald? Não dá para vc se redescobrir na sua própria Arte? Afinal não é a Arte que imita a Vida? Vc vai sair… vai andar… andar… andar… descer até o mais underground dos infernos, imergir cada vez mais, se sufocar, só para descobrir que o tempo todo TUDO estava aí dentro de vc?!!! Que não existe realidade mais crua, cruel, bela e encantada da Vida do que aquela que a própria Arte revela brilhante e totalmente NUA (e CRUA)?!!! A resposta não está por aí, Mr. Thomas… Ela nem mesmo está no Vento como profetizou o hoje pastor Dylan Zimmerman… Quer se (RE) descobrir?!!! Viaje para dentro de si próprio, mergulhe o mais fundo que puder, mas deixe um pouco de ar para volta, e quando vc emergir e VOLTAR… vai ver que não precisa/precisava ir tão longe porque a resposta estava aí dentro de você o tempo todo. TODA A VERDADE! TODA A VIDA! TODA A PULSAÇÃO DA VIDA! E vc as revelava com a sua Arte inteira, profunda, crua, nua, cruel, fascinante e extraordinariamente clara e bela!
    Não é à toa que eu sempre disse que você é o GRANDE SACADOR DA VERDADE!!!
    Não abandone a sua Arte, Gerald, nem mesmo tire férias dela… Você pode se perder e não achar o caminho de volta.
    Quer redescobrir-se?! Olhe e se veja por fora e por dentro, Gerald. E vc verá que sempre esteve ali… O mesmo e o seu outro, tão igual e tão diferente… olhando e sacando TUDO de todos os ângulos… o mais longe e o mais perto… Era você o tempo todo… Vc sempre esteve aí… Você só não percebeu que ao revelar a VIDA na sua Arte, você também se revelou INTEIRO!… Pode ser que isso tenha lhe deixado um pouco confuso… mas não se perca da Arte… Não a abandone!!! Não nos abandone!!! Eu creio que NÓS o compreendemos… EU TE COMPREENDO!
    Forte Abraço.
    Bjos.

  445. Marcio M

    Eu hoje escrevi uma linda poesia cujo nome é ”ouro de thomas”

    OURO DE THOMAS

  446. Sandra

    Boa tarde.
    Gerald, ontem sua entrevista ficou ecoando na minha cabeça o dia inteiro.
    O dia inteiro.
    Você dizendo que viu a Torre Sul desabar, seu olhar de incredulidade e horror, e dizendo que desmaiou logo em seguida.

    Tá bem… Parei.

  447. Sandra

    Alan Turing!!!!!!!!!!! Grande lembrança, Susan…
    Alan Turing foi quem assistiu à palestra onde Gödel apresentou sua teoria da incompletude e constatou que estava diante de algo GENIAL. Os demais deixaram aquilo escorrer entre os dedos, assim como deixaram Turing escorrer entre seus dedos. Perderam o sabor da descoberta, do choque,…
    E de novo lembrei-me do Gerald ouvindo a Pastoral, ou vendo o auto-retrato de Rembrandt.

  448. Três advogados e três engenheiros estavam viajando de trem para uma conferência.

    Na estação, os três advogados compraram um bilhete cada um, mas viram que os
    três engenheiros compraram um só bilhete.
    – Como é que os três vão viajar só com um bilhete? (perguntou um dos advogados)
    – Espere e verá – respondeu um dos engenheiros.
    Então, todos embarcaram. Os advogados foram para suas poltronas, mas os três
    engenheiros se trancaram juntos no banheiro.
    Logo que o trem partiu, o fiscal veio recolher os bilhetes.
    Ele bateu na porta do banheiro e disse:
    – O bilhete, por favor.
    A porta abriu só uma frestinha e apenas uma mão entregou o bilhete. O fiscal
    pegou e foi embora. Os advogados viram e acharam a idéia genial.
    Então, depois da conferência, os advogados resolveram imitar os engenheiros na
    viagem de volta e, assim, economizar um dinheirinho. Reconheceram a boa idéia
    dos engenheiros, porém com a criatividade que é peculiar da própria profissão,
    resolveram melhorar.
    Quando chegaram na estação, a história se repetiu, ou seja, os engenheiros
    compraram só um bilhete. Para espanto deles, os advogados não compraram nenhum.
    – Mas, como é que vocês vão viajar sem passagem? – Um engenheiro perguntou
    perplexo.
    – Espere e verá – respondeu um dos advogados.
    Todos embarcaram e os engenheiros se espremeram dentro de um banheiro e os
    advogados em outro banheiro ao lado.
    O trem partiu. Logo depois, um dos ADVOGADOS saiu, foi até a porta do banheiro
    dos engenheiros, bateu e disse:

    – A passagem, por favor!

    😉

  449. Sandra

    Lembrei-me da sabedoria paterna. Meu pai fazendo café com um olhar distante, dosando o açúcar,… Que cheiro bom!… Os fregueses reclamando que ele deveria deixar cada um adoçar o café a gosto, e ele respondendo: Faço para mim. Se quiser, compra, senão, azar seu.

    Beijos! Vou passar um café! Servidos? Deixo cada um adoçar a gosto!

  450. Comunidade blogeraldiana.

    Estive pensando comigo mesmo e passo a vocês alguns dos meus pensamentos em busca de apoio e ou concordâncias e até ouvir possíveis contradições.
    Fato.
    De alguns dias até o momento o blog ficou diferente. Agora o Gerald nos deixa apreensivos acenando ou avisando de um possível fim.
    Estamos-nos aqui manifestando a nossa vontade de estarmos unidos com vínhamos nos conduzindo de um modo agradável a todos. Aconteceram pequenos senões entre uns e outros, mas felizmente nada que não possa com de fato alguns desacertos já foram acertados.
    Sem que houvesse uma manifestação direta ou explicita é fácil perceber que algo não anda bem entre o triunvirato digamos assim entre o IG ( ou seu representante ), o Gerald e até o Vampiro.
    Ora bolas.
    Vamos nesta linha de raciocínio.
    O Gerald já explicou que recebeu recomendações de não falar em política. E o fato dele ser estrangeiro lhe trás restrições que são até compreensíveis.
    Já o mesmo não acontece com o colaborador que sabemos ser o nosso amigo Vampiro de Curitiba.
    O Vampiro (eu sei que existe sem saber quem é) é muitas vezes confundido como sendo o próprio Gerald .então muitos pensam assim e embora o vampiro avise quando os comentários são dele quando entra na pauleira é o Gerald.
    Portanto podemos supor que por uma razão ou outra pode ter acontecido algo que estremeceu o relacionamento entre os dois.
    Notaram como o Vampiro anda sumido?
    Hoje pela manhã eu reclamei da presença dele na trincheira e parece que nem fui lido.
    Sei que talvez seja exigir muito de um colaborador que ele fique privado de seus compromissos e esteja pronto a nos moderar a maior parte do dia.
    Pode ser que o vampiro esteja de saco cheio e com receio de falar isto para um amigo.
    Acima de tudo existe a ser considerado o nosso apelo.
    E então talvez tudo isto somado pudéssemos ser uma razão forte para o Gerald estar pensando em mandar tudo pelos ares. Detonar o blog e sumir em busca de um reencontro com ele mesmo.
    E qual seria uma possível saída?
    EUREKA!
    Quem tem de preocupado em acompanhar o blog e até incrementar com ARTE?
    Quem pensou no menino do Rio como o chama a Cintia… ACERTOU.
    Que tal então se o Gerald se unisse ao Claudio e o G-Diet fosse incorporado ao Blog.
    O Gerald poderia ficar viajando e nos enviando suas impressões de viagem recheadas com comentários de arte dos lugares nos quais estiver andando.
    O Claudio ia dando os retoques de arte .
    A moderação estaria garantida.
    E tudo não continuaria dantes como no quartel de Abrantes.
    Pelo contrario tudo seria como não era antes no quartel do Claudio.
    Gostaram da idéia.eu gostei e penso que daria certo.
    Só falta ouvir o que pensa o Claudio o Vampiro e o GT.
    Talvez o IG concorde.
    Talvez seja melhor para todos.
    Eu sei de alguém que iria gostar.
    Ao menos ele seria esquecido.
    E poderia continuar mentindo e talvez até consiga emplacar a dilma.
    Pois ao menos de nos ele estaria livre.
    Por favor digam se tive uma boa idéia.
    Então estamos combinados?
    GT-GDiet-GVamp
    E GNós.
    Um monte de G.
    G ostaram?

    Obrigado.

    Pacheco. 😀

  451. mnc

    Olá pessoal!!
    Pacheco as feiras dessas bandas transbordam personagens que parecem saídos dos livros do Guimarães Rosa…última geração suponho, a TV pasteurizou o compotamento, os filhos desse pessoal já tem ourkt, celular e têm como modelo as novelas.
    Ouvir causos, histórias pessoais, informações da roça, barganhar no preço.. tal e qual Rosa.

    That’s it GT!!!
    The Way inside yourself you Konow.

    “Maybe even without such tragedies. It could be that I’ll find myself in the middle of Tunisia, inside a bent tent, and decide, a la Paul Bowles, that it’s time to write. Who knows?”

    Abraços.

  452. Sandra

    “Today, the Village Voice is but a bunch of sex ads. About the theaters themselves, I’d rather shut my mouth. As for the companies themselves, 99% no longer exist nor have they been exchanged for others. All we see is….

    (I’m shutting my mouth). It’s very much like the world of music. Can’t you hear the stomping and and repetitive sound of the electronic drums hammering away into your eardrums the robotic beat of ‘grounding’? Can’t you? Rather, its effect is ‘grinding’.

    This universe of ours seems smaller than the one Kepler or Copernicus or Galileo described/saw/envisaged. Many of the theater companies here and around the world have closed for good. The money floating around to subsidize theater is laughable and the audiences are so small, we could take them out to dinner.”

    Meu Deus, que lindo…

    Pacheco, eu ia sugerir que o Gerald fizesse um blog em inglês. Não imagino ele escrevendo assim numa peça ou jornal, o que não quer dizer que ele não arrase também neles. Lembro-me de um texto sobre a morte de Paulo Autran, que foi feito para a Ilustrada, LINDÍSSIMO (1). E as peças: Kepler, com os corpos pendurados, e o rapaz penteando o cabelo antes de se dar um tiro na boca, a luz, a música… Eu nem pisquei. Gritei assistindo ao vídeo. E sabia que, quando a assistisse pela segunda vez, precisaria estar só e tranquila para chorar, chorar até me acabar. Imagens de túmulos em forma de gaveta vinham à memória, com toda a dor que isso me causava.

    É que… linguagem de blog é diferente. E ele ARRASA também nela.

    (1)http://colunistas.ig.com.br/geraldthomas/2007/10/15/adeus-a-paulo-autran-ilustrada-de-segunda-15-de-outubro-folha-de-s-paulo/

  453. mnc

    Pachequito, mi querido guapo, com permisso da Baby.
    Falando nela um grande abraço e diga que ela que é muitcho linda, por dentro e por fora.

    Tô de acordo com sua proposta.
    Só um aparte, Justiça seja feita,o IG tem mostrado boa-vontade, pelo fino trato que deu no blog, lay-out lindo, a parte tec tá massa, on line direto sem problemas de conexão, só ficamos em celas se quisermos tem opção ler todos os comentes.
    Até fotinha ou personagem podem estar nesses quadradinhos…
    Podemos perceber nessas mudanças para melhorar o blog, toda uma pesquisa foi feita…a equipe de devolopment trabalhou direitinho

    O G-diet já está irmanado ao Blog GT, virou mesmo uma extensão.
    O Claudio deve ralar muito p colocar tanta novidade no ar.
    O lado money, blogs não são auto-sustentáveis, vc disponibiliza horas a fio de sua vida nele, é um trabalho árduo, cheio de cobranças, o compromisso de postar com regularidade é duro, de ficar na moderação, faço idéia das aberrações em forma de comentes que tem de ler, etc…
    È lícito ter um retorno financeiro, um soldo, em forma de patrocinadores.
    P viabilizar o trabalho.
    Blogueiros também tem de pagar despesas do mês, impostos…
    A não ser que estejam com os “burros na sombra”, como fala a povo da feira.
    Mas realmente que transformações estão ocorrendo isso seu faro de velho lobo do mar já captou, né Pachecão?
    Abraço.

  454. gthomas

    Tenham todos um bom sabado.
    (aqui chove)

    vou numa estranha cerimonia: a dos sobreviventes do WTC

    LOVE
    G

  455. Sandra

    Irei para a igreja daqui a pouco. Incluirei esses sobreviventes em minhas orações, Gerald. E todos nós.
    Beijos em todos.

  456. mnc

    Suppose the Gerald do not want to find and Yes flee from within itself?
    Or flee a little of what he creates.
    It would be possible?

    Or loss of time.
    XXX

    😉

  457. Cintia

    Ai que essa agora foi engraçada, tô rindo sózinha.
    Embolei ‘as data tudinho’ e pensei que, ao contrário da Susan, que entrou em trabalho de parto com seus 9 meses de Blog, rs, pensei que eu já tinha parido, com 10 meses de Blog, rs.
    Só que o meu ainda é prematuro, tadinho! 😀 São 8 meses de Blog – ‘Israel Sexy’ chamava-se o post.
    Israel meteu o pé mais uma vez em Gaza, e eu meti o pé na porta do Blog, armada até os dentes, rs. O curioso é que relendo agora o texto, já nem sei mais pq fiquei tão irritada, só sei que àquela ocasião, tudo o que eu queria era torcer o pescoço de Gerald Thomas, ehehe!
    ‘A inguinorança é que astravanca o pogréssio’! 😀

  458. mnc

    Gente, preciso transcrever aqui nesse espaço, uma novena, que prometi.
    Graça alcançada, promessa paga.
    O que parecia impossível aconteceu.

    CONVERSA COM JESUS TODOS OS DIAS DURANTE 9 DIAS

    ORAR:

    Ô meu Jesus, em voz depositei toda a minha confiança.
    Vois sabeis de tudo meu pai, és o Senhor do universo, sois os Reis dos Reis, vós que fizestes o paralítico andar, o morto voltar a viver, o le´proso ser curado, fazei com que ….(pedir a Graça)

    Vós que vistes minhas angústias e lágrimas, bem sabeis de tudo. Divino amigo, como preciso alcançar…(pedir a Graça)

    Convosco, Mestre tenho ânimo e alegria para viver, espero com fé e confiança…(pedir a Graça fervorosamente)

    Fazei Divino Jesus, que antes de terminar esta conversa que terei Convosco durante nove dias alcance essa Graça que peço com fé…(pedir a Graça)

    Como Gratidão, divulgarei a quantos possam precisar de Vós, serem também atendidos, para que de Vós apredam a ter fé e confiança na Vossa Misericórdia.

    Iluminai meus passos, assim como o sol ilumina todos os dias o amanhecer.

    Testemunho o nosso diálogo, Jesus. Tenho confiança em Vós, cada vez mais aumenta a minha fé.
    Amém.
    Obrigada por tudo Jesus.

    Agradeço por uma grande Graça Alcançada.
    Jesus eu te Amooooooo!!!

  459. Cintia

    Só quem é livre para decidir é livre para viver
    P. Franklin

    “Que bom seria se fossemos mais ousados na nossa fé. Pessoas corajosas, sem medo do diferente. Donos da nossa vida, fazedores de um novo amanhã. Navegadores do rio chamado hoje, onde as ondas não ousassem nos assustar.

    Mas temos medo de ser diferente dos demais. Preferimos ser aplaudidos por sermos iguais, a fazermos o diferente e sermos criticados. É a famosa política da boa-vizinhança: pessoas copiando pessoas. Erros por cima de erros. Omissões por cima de omissões. E teimamos em continuar como está, com medo de mudar para ver no que dá.

    A vida só tem sentido quando fazemos o diferente. Nada de copiar ninguém. Você é único e por isso merece viver de forma exclusiva, sem copiar os padrões doentios impostos pela nossa sociedade. Só quem é livre para decidir é livre para viver. Copiar pode parecer mais fácil, mas não é o mais sábio. A verdadeira sabedoria consiste em discernir o bom do ruim, e rejeitar este último para poder ganhar o primeiro. Feliz de quem vive assim, correndo atrás da verdade que nos torna melhores.

    A vida não é um fantasma. Nossos medos não são reais. A única coisa certa é a nossa coragem, nossa disposição em ousar, fazer o diferente sem medo das críticas. O mundo seria muito melhor se não parássemos para ouvir as vozes de condenação. Quem nos condena, certamente quer nos imitar. Quem indica defeitos, não tem do que se vangloriar. Invejar quem faz está na moda. E está na moda também deixar de fazer para satisfazer os invejosos. Que pena! Não paremos no meio do caminho, ouvindo as vozes que nos condenam. Vamos lá, coragem e determinação não faz mal a ninguém.

    Quer ser vencido? Ouça seus inimigos! Quer vencer? Ouça seu coração!”

  460. mnc

    Até mais, saindo a La Sandra.
    Abraços a todos.
    Até mais.

  461. mnc

    Apenas dedução lógica.
    Juntei pedaços de pistas de uma postagem e outras.
    E o silencio de ambos que leram mas não esclareceram minhas insinuações.
    Não quer dizer que eu esteja certo.tambem não atesta um erro.
    Digamos que eu possa estar com cincoenta por cento de validade.
    Nem tanto a A e tampouco a B.
    Nunca me ocorreu pensar nesta parte financeira.
    E possiveis interesses envolvidos.
    Contudo pela amizade que os envolvidos demonstram creio que o Vampiro seja mais um voluntário do que um digamos,contatratado.Caso contrario bastaria o dono do blog ordenar mais agilidade nos serviços.e o que vemos é o gerald sempre estimulando o Vampiro.
    E tem ainda a quastão importante de que o Vampiro defende assim como muitos uma postura de correção politica e viu seus desejos serem contrariados quando impuseram restrições ao Gerald.
    Não podemos esquecer que estivemos literalmente em celas.
    E sabe-se la o que os dois podem ter escutado da direção do IG.
    Se estou na linha certa não só o Gerald mas também o vampiro deve estar muito desgastado e descontente.
    Talvez ambos estejam procurando se encontrarem.
    Duplas de sucesso cedo ou tarde enfrentam este tipo de problema.
    Quase como casais.
    Acredito e espero que eles se tiverem resolvam seus senões sempre com a lembrança que torcemos para um final feliz.
    Tipo daqueles que um reporter fala na televisão:
    ¨Estando bem para ambas as partes esta bem pära todos¨

    -E oi nois ai no Todus cumadre
    I vamu qui vamu qui u trem tá andandu!

    Beijos.

    Pacheco 😀

  462. Cumadre Cintia.

    ‘A inguinorança é que astravanca o pogréssio’!

    Responder
    Poizé.

    ce sabia qui ieu um dia mandei o Gerard Tumas ir apentiar macacu?
    Ciunteceu cumadri qui ieu fui sortando inguinorança pru mode di que tava brigandu u gerad i u Reinardu Azevedu.

    us di la axingava us di ca.

    Adispois us homi sintenderam .
    I ieu falei seguinti.

    si us homi fizeram a paz nois tudu tem qui si adiscurpá.

    Hehehehehehe 😀

  463. Sandra.

    Bem lembrado.
    Costumo ir também.
    Hoje não irei.
    Possivelmente amanhã.
    Faço inclusive as preces diárias das 18 00 horas.
    Costume aprendido com minha mãe.E com a nona junto.
    Peço sempre inclusive por nós todos quando peço em nome dos amigos.
    e ELE sabe que os virtuais estão incluidos.
    Amem.

    Obrigado.

    Pacheco

    😉

  464. Cintia

    testando

    espaçamento entre linhas

  465. Cintia

    ahá!
    conforme eu já tinha percebido.
    alguma coisa acontece
    não no meu coração
    mas nesse novo layout da página.
    um espaçamento maior entre linhas
    simplesmente não entra!

  466. Posso até ser novamente encelado.
    Mas não perco de dar este FURO.

    O fabricante do brinquedo ‘Lula de Pelúcia’ está fazendo um recall para troca ou devolução do dinheiro devido a uma série de falhas de fabricação listadas abaixo:

    1) Falta um dedo
    2) Tem a fala presa
    3) É mentiroso
    4) Só diz ‘Eu não sabia’
    5) Não tem cérebro
    6) Não pára em casa! Só quer viajar para o exterior
    7) Só anda em má companhia, com dois outros bonecos encrenqueiros , o ‘Evo de Coca’ e o ‘Chavez de Petróleo’
    8) Não existe na versão movido a pilha, só na movido a álcool.
    9) Pode ser adquirido facilmente com utilização de Cartão Corporativo
    10) A boneca que faz par é muda, não presta para nada, mas custa uma fortuna ao contribuinte.

    As trocas poderão ser efetuadas em outubro de 2010!
    _________________________________________________E como bom jornalista:
    -Não citarei MINHA FONTE SECRETA.

    NEM QUE A VACA TUSSA.

    hahahahahahahahahahahahahah 😀

    PS Estou com minhas malas prontas

  467. Cintia

    “Cumadre Cintia.
    si us homi fizeram a paz nois tudu tem qui si adiscurpá.”

    I num foi, Cumpadi Pachecão!
    Issu é pra nóis vê cum nossus propi zói como
    o amor é líndiu!
    😀

  468. Cintia

    “AMIZADE NÃO É UMA COISA QUE VOA ALTO E DEIXA SUA MARCA POR ONDE PASSA.
    Isto se chama POMBO COM DIARRÉIA.”

    muitos rs!
    esse coment. inteiro do Pachecão tá hilário!! 😀

  469. Cintia

    ‘A nós descei, divina luz!
    A nós descei, divina luz!
    Em nossas almas acendei
    O amor, o amor de Jesus! (bis)’

    Boniiiito, tipo ‘sertanejo’, com imagens da Terra Santa:
    A Nós Descei Divina Luz

  470. Saindo a La Sandra?

    COM ABRAÇOS!!!!!.

    A Sandra sai enviando beijinhos.
    Sei que ambas desejam carinhos
    Mas os beijos
    São mais gostozinhos.

    Hein…? 😉

  471. Cintia

    “Lebanon”, do israelense Samuel Maoz, vence o Leão de Ouro em Veneza

    NEUSA BARBOSA

    Especial para o UOL, de Veneza, Itália*

    “O drama de guerra “Lebanon”, do israelense Samuel Maoz, venceu o Leão de Ouro do Festival de Veneza. O filme – produzido por Israel, França e Alemanha – retrata a situação de três soldados israelenses confinados a um tanque, durante a guerra do Líbano de 1982.
    Visivelmente emocionado, o diretor agradeceu ao festival por ter “mentalidade aberta”, dedicando o prêmio “às milhares de pessoas em todo o mundo que voltam da guerra aparentemente sãos e salvos, casam, têm filhos, mas guardam uma dor dentro da memória”. E completou o agradecimento com um manifesto pacifista: “No momento em que pararmos de matar, paramos a guerra. Sei que parece ingênuo dizer isso, mas queremos abrir as mentes das pessoas para que se perguntem a que ponto chegaremos se não pararmos agora. Viva a arte do cinema, viva a Bienal, viva Veneza!”.

    Não foi o único momento político da noite. A premiação com o Leão de Prata (melhor direção) à iraniana Shirin Neshat, artista plástica radicada em Nova York e diretora de “Zanan Bedoone Mardan (Women Without Men)” abriu espaço para que ela, além dos agradecimentos, dirigisse uma mensagem ao governo de seu país – onde ela não teve condições de filmar, centralizando suas locações no Marrocos.”Meu filme mostra para o mundo e para meu país que, como nação, temos lutado por liberdade e democracia por 100 anos. Ele fala ao povo do Irã e ao governo, a quem eu peço que dê aos cidadãos o que devem ter, direitos humanos, liberdade e democracia. Faça as pazes com o povo do Irã”. A diretora usava no pulso a fita verde que simboliza o movimento por maior democracia naquele país. Seu filme foi produzido pela Alemanha, Áustria e França.
    …”

  472. Cintia

    Trauma de 11 de Setembro propagou-se por toda sociedade, relembram terapeutas – UOL

    The New York Times
    Clyde Haberman

    Anne Kane não estava nem perto das torres gêmeas quando desmoronaram há oito anos, mas naquele momento ingressou no que descreveu como um dos piores anos de sua vida profissional.

    Kane é psicóloga. Ela trabalha em grande parte com pessoas que estão morrendo ou sofrendo. Portanto, não foi de surpreender que dezenas de pessoas a tivessem procurado após perder seus parentes ou amigos no World Trade Center.

    “Sempre tentei deixar algum espaço em minha clínica para pessoas neuróticas normais, legais, para que meu dia inteiro não fosse apenas sobre a morte”, disse Kane. Isso não foi possível após o ataque de 11 de setembro de 2001. “Era morte o dia todo, todos os dias”, disse ela. “Eu entrava no consultório às 8h da manhã e ia até 20h lidando com pessoas que perderam entes queridos – o dia todo por mais de um ano.”
    O trabalho cobrou um preço. Não foi nada parecido com o que seus pacientes passaram, mas tampouco foi um passeio no parque. Ela chorava no caminho de casa do trabalho. Seus músculos e ossos ficaram doloridos. E ela compreendeu que, apesar de toda sua formação, “estava mal preparada para lidar com aquele tipo de trauma”.

    Neste respeito, Kane não estava sozinha.

    Milhares de profissionais do ramo da saúde mental – vamos chamá-los de terapeutas por questão de brevidade – ofereceram seus serviços após o ataque. Eles se apresentaram nos escritórios da Cruz Vermelha e nos centros de assistências montados pela prefeitura. Eles reconheceram um aspecto da crise no qual poderiam ajudar.

    “O dia 11 de setembro foi rapidamente enquadrado como emergência de saúde mental”, disse Karen M. Seeley, psicoterapeuta e professora de antropologia psicológica na Universidade de Columbia. A maior parte dos terapeutas, contudo, treinados para prestar assistência a uma pessoa por vez, não estava preparada para esta “catástrofe coletiva”, disse Seeley. “Para todos, foi sem precedentes. Os bombeiros não estavam preparados. A polícia não estava preparada; tampouco os terapeutas”.

    Seeley passou quase dois anos conduzindo entrevistas detalhadas com 35 terapeutas que trabalharam de perto com sobreviventes e parentes de vítimas de 11 de setembro. Elas formaram a base para um livro chamado “Therapy after Terror: 9/11 Psychoterapists and Mental Health” (terapia após o terror: 11 de setembro, psicoterapeutas e saúde mental), publicado no ano passado pela Cambridge University Press.

    O que ela descobriu foi que os profissionais em sua área não apenas não estavam preparados para o desastre, mas também foram tomados pelas histórias de horror que ouviram e pelas próprias ansiedades induzidas pelo terrorismo. Obviamente, as famílias das vítimas sofreram mais, porém todos os nova-iorquinos ficaram traumatizados em certo grau. Sua cidade fora atacada. O país entrou em um estado de guerra constante, e eles ouviram dos líderes políticos que deviam ter medo. E muitos tiveram.

    Sendo humanos, os terapeutas frequentemente sucumbiram aos mesmos temores. Seeley chamou de “trauma simultâneo” – “uma situação clínica extremamente rara na qual os terapeutas ficaram profundamente abalados pelos mesmos eventos catastróficos que feriram os pacientes que estavam tratando.”

    Uma psicóloga, Donna Bassim, viu-se “emocionalmente transformada” pela experiência. “Comecei a ficar mais consciente do trauma da comunidade, percebi o quanto as pessoas precisavam umas das outras, não apenas 45 minutos no consultório do psicoterapeuta”, disse ela.

    Que tipos de erros foram feitos em 2001?

    “Foi uma histeria, os terapeutas correram para ajudar sem terem a menor ideia de onde estavam se metendo”, disse Ghislaine Boulanger, também psicóloga. Alguns tentaram mergulhar imediatamente nos trabalhos da terapia, disse Boulanger, mas o que as pessoas precisavam de fato era de “primeiros socorros psicológicos”, de perguntas simples como “tem alguém em sua casa com quem você possa conversar?”.

    Margaret Klenck, psicanalista e ministra ecumênica, disse que uma resposta “instantânea” na época era “medicar demais as pessoas com tranquilizantes e antidepressivos”.

    “As pessoas não estavam deprimidas”, disse ela. “Estavam traumatizadas. Estavam de luto – é claro que estavam chorando.”

    Do lado positivo, foram aprendidas lições sobre como responder, caso o terror volte a ocorrer – “Deus nos livre”, disse Klenck. “Provavelmente não vamos fazer os mesmos erros”, disse ela. “Você fica mais esperto. Fica mais sólido.”

    Evitar erros antigos não significa necessariamente não cometer novos. “Essa é praticamente uma das características definidoras dos desastres”, disse Seeley. “São sempre inusitados.”

  473. testando
    .
    espaçamento entre linhas .
    cintia , se deu certo foi por causa do pontinho regulador . o G-diet é cheio de pontinhos , por este mesmo motivo . não são decorativos .

    estou acompanhando as novidades e formatando algumas ideias sobre o futuro do blog . escrevo mais depois que neste momento to com dor de cabeça e minha vista ta doendo da super luminosidade desse novo layout .

  474. E eu estou me aproximando.

    AL

  475. Cintia

    ah!
    é pra usar
    .
    .
    .
    pontinhos??
    .
    hummmm!

  476. Cintiaaaaa!

    Leia que bacana :

    circuladô de fulô ao deus ao demodará que deus te guie porque eu não posso guiá e viva quem já me deu circuladô de fulô e ainda quem falta me dá soando como um shamisen e feito apenas com um arame tenso um cabo e uma lata velha num fim de festafeira no pino do sol a pino mas para outros não existia aquela música não podia porque não podia popular aquela música se não canta não é popular se não afina não tintina não tarantina e no entanto puxada na tripa da miséria na tripa tensa da mais megera miséria física e doendo doendo como um prego na palma da mão um ferrugem prego cego na palma espalma da mão coração exposto como um nervo tenso retenso um renegro prego cego durando na palma polpa da mão ao sol enquanto vendem por magros cruzeiros aquelas cuias onde a boa forma é magreza fina da matéria mofina forma de fome o barro malcozido no choco do desgosto até que os outros vomitem os seus pratos plásticos de bordados rebordos estilo império para a negera niséria pois isto é popular para os patronos do povo mas o povo cria mas o povo engenha mas o povo cavila o povo é o inventalínguas na malícia da maestria no matreiro da maravilha no visgo do improviso tenteando a travessia azeitava o eixo do sol pois não tinha serventia metáfora pura ou quase o povo é o melhor artífice no seu martelo glopado no crivo do impossível no vivo do inviável no crisol do incrível do seu galope martelado e azeite e eixo do sol mas aquele fio aquele fio aquele gumefio azucrinado dentedoendo como um fio demente plangendo seu viúvo desacorde num ruivo brasa de uivo esfaima circuladô de fulô circuladô de fulô de fulôôô porque eu não posso guiá veja este livro material de consumo este aodeus aodemodarálivro que eu arrumo e desarrumo que eu uno e desuno vagagem de vagamundo na virada do mundo que deus que demo te guie então porque eu não posso não ouso não pouso não troço não toco não troco senão nos meus miúdos nos meus réis nos meus anéis nos meus dez nos meus menos nos meus nadas nas minhas penas nas antenas nas galenas nessas ninhas mais pequenas chamadas de ninharias como veremos verbenas açucares ou circunstâncias somenas tudo isso eu sei não conta tudo isso desaponta não sei mas ouça como canta louva como conta prova como dança e não peça que eu te guie mão peça despeça que eu te guie desguie que eu te peça promessa que eu te fie me deixa me esquece me larga ne desamarga que no fim eu acerto que no fim eu reverto que no fim eu conserto e para o fim me reservo e se verá que estou certo e se verá que tem jeito e se verá que está feito que pelo torto fiz direito que quem faz cesto faz cento se não guio não lamento pois o mestre que me ensinou já não dá ensinamento bagagem de miramundo na miragem do segundo que pelo avesso fui dextro sendo avesso pelo sestro não guio porque não guio porque não posso guiá e não me peça memento mas more no meu momento desmande meu mandamento e não fie desafie e não confie desfie que pelo sim pelo não para mim prefiro o não no senão do sim ponha o não no im de mim pomha o não o não será tua demão

    _________________________________________________

    Sabe quem escreveu?

    Eu não sabia mas agora eu sei.

    Foi o:

    Haroldo Eurico Browne de Campos (n. em São Paulo, a 19 de Agosto de 1929; m. a 16 de Agosto de 2003)

    Por isto que eu fico repetindo que aprendo um pouco de tudo partindo aqui do blog e garimconhecimetando no Google que existe pra isto mesmo.

    É ou não é!
    Poizé

    XXX

    Pacheco. 😉

  477. Tene Cheba

    Um importante jornal carioca, perdeu toda a sua identidade institucional ao mudar o seu formato para o de tabloide.
    Ficou ridículo, pobre, assustadoramente hostil.
    A síndrome da mudança acompanha o Brasil, se olharmos a malha ferroviária americana e comparar com a nossa, Jesus Amado, dá vontade de chorar.
    Vejamos o carnaval, ou, os sorvetes que se perderam, até no Catupiry mudaram, as embalagens são de plásticos, PVC, algum polímero bem idiota.Polímero natural, nunca mais.Até a nossa capital mudamos, do Rio de Janeiro, charmoso, imperial, lindo e maravilhoso, mudamos para aquele horror artificial, definida como Brasília.
    Sempre mudamos, sempre nos descaracterizando, a reinvenção da roda, novos layouts.
    Parece que as cores das tardes de hoje são diferentes das da minha infância, até o café tem outro aroma, e a goiaba então. Bala puxa nunca mais eu vi, nem a de côco queimado, dizem que só no Japão.
    O Brasil tem quinhentos anos e alguns trocadinhos, inventou o avião, e não fabrica porra nenhuma que preste, só extrai, só estraga, planta, cuida e colhe, vende para comprar de novo. Quero comer o caldo de sururu, nunca comi mais vou comer antes que o mudem também, antes que o plástico chegue por lá.

  478. Cintia

    Pacheeeeco! 😀
    .
    Legal!!!
    .

    Viu? Aprendi a usar os pontinhos! 😉

  479. Cintia

    “escrevo mais depois que neste momento to com dor de cabeça e minha vista ta doendo da super luminosidade desse novo layout .”
    (claudiopress)
    .
    .
    Velhice. 😀

  480. Márcia

    Pacheco, vc q deseja inserir foto precisa ter uma “conta” na gravatar.com

    1) Acesse o site http://www.gravatar.com.

    2) Preencha seu e-mail o mesmo que você usa para comentar no blog e aperte o botão Signup. Uma mensagem será enviada para o seu e-mail.

    3) Abra em seu email a mensagem nova do Gravatar e clique no link de confirmação. Caso não apareça, verifique se não foi para o linxo eletronico do seu email.

    4) Após clicar no link e abrir o site Gravatar, digite um apelido e uma senha.

    Aperte o botão Signup. Se aparecerem mensagens em vermelho, é porque o apelido já está sendo usado por outra pessoa, vai trocando até achar um que esteja disponivel.

    5) Clique no link Add a new one.

    6) Clique no link My computer’s hard drive a foto deve estar no PC.

    7) Clique no botão para escolher o arquivo com a sua foto, depois aperte o botão Next.

    8) Arraste o quadrado do centro da foto para o trecho que você quer gravar. Arraste um dos lados do quadrado para mudar o tamanho. Uma prévia do que será gravado é exibido ao lado. Aperte o botão Crop and Finish.

    9) Clique no botão G.

    10) Clique na foto.

    11) Clique no botão Confirm.

  481. Ana Paula

    Cintialiskha, abração procê!

  482. Ana Paula

    PessoALL,

    Para fazer seu bonequinho do South Park:

    http://www.sp-studio.de/

    Muito legal, já imaginou o Mr.Thomas ou o Vampiro no formato dos malucos canadenses, ehehehehe.

    Márcia,
    Valeu GIGANTE pela dica do gravatar!

    Abraços.

  483. Estou tentando.Tudo que exige mais de três operações sequenciais me enrola pra k*.
    Aqui esta mais complicado do que entar no blog do Contrera.
    este Gravatar esta me engravatando.
    fui até o enchimento do e-mail que eu uso para entar aqui no blog e ( qual é o Passa Word? Eu que escolho?tem que colocar a minha senha? ) o Gravatar esta recusando e ainda me irritando.
    Vou tentar trocentas X.

    Obrigado.

    O All deve estar delirando.

    hahahahahahahahaha 😀

  484. Tene Cheba

    Quando os doentes tentam absurdamente fixar a nossa mentalidade, através de utopias febris, sutilmente derivadas dos profundos desejos nazistas, definitivamente enraizadas, o que vem, residualmente, é, a vã tentativa dos nossos colapsos e recolapsos. Estes, traiçoeiramente, nos matam quando escapamos.
    Qual a resultante, por que piramos, sobre coisas tão abstratas, quanto conflitantes? Por que matamos os nossos semelhantes? Por que desejamos tanto que os outros se explodam?
    Não sei, mas deduzo, o Homem se vinga da sua evolução, o rebote da inteligência, a necessidade de dizimar.
    Cerca de 60 milhões de pessoas morreram na Segunda Guerra Mundial, 60 milhões, muita gente, que quanto mais envelheço, maior a minha noção deste horror, maior a minha incompreensão. Milhões de rostos, atravessam o meu imaginário, rostos que nunca vi, mas os vejos, não nítidos, sombreados, femininos, estranhamente não demonstram seus horrores.
    Não consigo alcançar a capacidade de que são dotados certos seres, de explodirem com tudo, de determinarem a morte, o choro, mais traumas.
    Num dia desses ouvir a seguinte história, um cachorrinho foi atropelado, gritava de dor, o carro atrás do que o atropelou, parou, saiu do carro uma senhora que pegou o cachorrinho, retirando-o da rua, colocou o cãozinho na calçada, deixando-o lá, e partiu. Falei uma porra para cada estrela desse Universo, aliás, uma porra para cada átomo desse Universo. Mas, francamente não sei se pararia o meu carro, sinto horror de mim, quando analiso, o que de fato faria. O que eu faria se fosse o piloto do carro que antecedeu ao assassino de seres?
    Eu quero que você se foda, uma frase que mudaria o sentido das coisas. Pela paz que todos parecem rezar, por Darfur que todos parecem ignorar.
    A humanidade ainda não acordou para Obama, o que de fato representa sua eleição. Se Obama não der certo, o ciclo se repetirá, tão claro, tão óbvio.

  485. —l— 😀 —l–
    —l—–l—–l–
    —l—–l—–l–
    Teste.

  486. ———- 😀 ———-
    ( )
    JL

  487. claudio

    A avó é a velha
    Velho é normalmnte o avo.
    Ou será que mudou
    E ninquém me avisou?

    hein…?

    Hahahahahahahahahah 😉

  488. Eu não gosto de insistir nesse assunto que ate me embrulha o estomago.
    Não da para engolir, não da para ficar quieto.
    O Edir Macedo acabou com o Brasil.
    Acabou com a autoridade.
    Se as autoridades publicas não tinham credibilidades
    a Igreja de Edir Macedo acabou com o que restava.
    Hoje, no programa Nosso Tempo, da Igreja Evangélica Universal,
    o pastor chama ao palco uma jovem cadeirante.
    O Pastor reza por alguns segundos sobre sua cabeça e manda a menina
    levantar e andar. Ele levanta e anda alguns metros e volta.
    So faltou dançar o frevo, tamanha desenvoltura.
    Esta claro que a menina não tinha nada.
    Não tem um laudo medico, e não tem quem cobre.
    Se eu vender um falso bilhete premiado, na Praça da Sé eu vou preso.
    Pastor ninguém prende, nesse pais.
    Qualquer dia desse eles vão ressuscitar um defunto.
    Lazaro!!! Vem para fora e vai aparecer um zumbi.

    O nosso Vice Presidente, que é evangélico, que luta contra um câncer,
    peregrinando em hospitais pelo Brasil e pelo mundo, esta perdendo o seu
    tempo! A cura esta ali na João Dias, no Templo maior.

  489. Tene

    Eu pensava que o Almirante MacCain herói de guerra venceria o Obama.
    Depois entendi melhor ao ler um artigo que basicamente dizia que muitos norte americanos na hora de votar não pensaram no Almirante e sim se lembraram do tenente MacCain que jogou bombas em cima inclusive de civis.
    Este foi um dos pontos de mudanças.

    E ainda quero dizer que me enviaram uma seqüência de fotos espetacular.
    Um fotografo foi feliz ao captar as cenas de um pássaro que se aproxima de outro que esta morto e com o seu bico o arrasta da calçada para um ponto gramado do parque.Como se desejasse dar um lugar adequado ao seu semelhante acabado.

    Lendo este teus comentários recordaram destes dois conhecimentos e eu mesmo nem sei exatamente por quê?
    Mas deve ter alguma relação e algum sentido.
    Somos pequenos em relação ao pássaro.
    E a torcida é para que o Change Obama frutifique pelo mundo.
    Tenho certos receios que aumentam.
    Mais ainda hoje quando o bufão chavez anuncia para o mundo que comprou mísseis da Rússia e disse ao povo orgulhosamente que os tais balísticos tem um alcance de trezentos quilômetros.
    E a multidão foi ao delírio.
    Pai perdoe-os.
    Eles não sabem o que fazem
    Mas o FDP do coronel bufão certamente sabe.
    Desgraçadamente.
    PORRA.

  490. Cintia

    Qdo eu conseguir PARAR DE RIR eu prometo que eu volto, tá!
    Haaaaaaaaaaaaaaa! 😀
    Ai gente, num guento!!!

  491. Tene Cheba

    Pior foi o careca que ficou cabeludo, e hoje, corta o cabelo, para a alegria dos barbeiros.
    E o cara que engoliu a dentadura e riu para todo o mundo, naquilo que ficou conhecido como o episódio do Homem que tenta expulsar a dentadura das suas estranhas entranhas.
    Tomé, és um homem de pouca fé.

  492. Cintia

    aaaaameeei!!!! 😀

  493. Pior que no bispo é o presidente que o apoia integralmente a ponto de ter ido inaugurar o canal da record que alem de tudo foi comprado com o dinheiro arrecadado de incautos que tentam com dez por cento garantir a ida para o céu.

    Pacheco.

  494. Errata.

    Pior que o bispo.

  495. E boa noite.

    Obrigado a todos.

    Pacheco.

  496. Cintia

    Aninhaaaaa!
    Vc ficou fofa de ‘figurinha’, ehehe!
    beijão!

  497. Turbulencias digitais … resultantes de divergencias contratuais e picuinhas existenciais (entre “as partes”, of course! rs), eis aí minha opinião, Pacheco.!
    .
    “As partes” e … “acho” que assuntos políticos não seriam exatamente o pivô dessa lenga-lenga – com o devido respeito aos supostos envolvidos. O IG, aparentemente – pelo que observei – mudou o “layout” de todo mundo. Padronizou, de forma a deixá-lo mais ágil, inteligente, atual.
    .
    E, falando em turbulencias (rs´???)
    … “A poesia é ideal para a turbulencia digital”, diz o poeta e escritor Fabrício Carpinejar, em entrevista concedida (vídeo) a Felipe Machado – Estadão Online – Literatura – 09/09/2009. Fala sobre tecnologia e seu novo livro “Terceira Sede”.

    Beijão! Volto! Já, já (rs)
    Susan
    .
    PS.: “Valeu”, Cintia, a dica do pontinho …(rs)! Trilegal!!!

  498. Uma espécie de Jó biblíco contemporaneo.
    .
    … “Quem já não se projetou velho? Onde estaria? Como pensam? Sòzinho, sem amigos, tenta preservar a fé apesar das adversidades. Realiza o inventário de sua passagem: recorda da infancia; contextualiza suas escolhas; estabelece uma relação de empatia e cumplicidade com o leitor.
    São 10 elegias sobre a maturidade; a dificuldade de adaptação; o isolamento e o preconceito sofrido pelo idoso.
    .
    “Recusamos o excesso, basta uma escova e uma toalha”. Ao mesmo tempo, é uma declaração de amor à memória e a tudo que ela toca.

    “A poesia me defendeu, foi minha arte marcial” (Terceira Sede, Elegias, Fabrício Carpinejar).
    ___________________________

    Nem sei porque reproduzi isso aí (rs). Mentirinha (rs)! Sei, sim! “Vale” para nós todos,né mesmo?

    Beijão!
    Susan

  499. Está em São Paulo? Artes e …
    .
    Vanguarda russa.
    Chega a São Paulo, a partir de segunda, a exposição histórica com obras de São Petersburgo.
    .
    … “Existem hoje quatro lugares no mundo para se ver com abrangencia a obra de Kazimir Maliévitch (1878-1935), o artista máximo da vanguarda russa: a sala do Centro George Pompidou de Paris; a do Museu Sterdeljk de Amosterdã; a do Museu Estatal Russo de São Petersburgo e … o Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) de São Paulo.
    .
    Não é exagero do cubano Rodolfo de Athayde, um dos curadores da mostra Virada Russa, que será inaugurada na segunda feira no CCBB: na exposição estão, apenas em um espaço, 17 obras de Maliévitch, inclusive o triptico Cruz Negra, Quadrado Negro e Círculo Negro, de cerca de 1923.
    Raramente o conjunto formado pelas tres telas fica reunido. Pela primeira vez ele é apresentado no Brasil.
    .
    Estadão – Versão Impressa – 12/09/09 – Camila Molina

  500. Cintia

    Fernando Pessoa
    .

    ‘Sou um evadido.
    Logo que nasci
    Fecharam-me em mim,
    Ah, mas eu fugi.

    Se a gente se cansa
    Do mesmo lugar,
    Do mesmo ser
    Por que não se cansar?

    Minha alma procura-me
    Mas eu ando a monte,
    Oxalá que ela
    Nunca me encontre.

    Ser um é cadeia,
    Ser eu é não ser.
    Viverei fugindo
    Mas vivo a valer.’
    .
    .
    .
    ‘Nunca a alheia vontade, inda que grata,
    Cumpras por própria. Manda no que fazes,
    Nem de ti mesmo servo.
    Niguém te dá quem és. Nada te mude.
    Teu íntimo destino involuntário
    Cumpre alto. Sê teu filho.’

  501. Cintia

    Ana Paulovska,

    Te copiei! 🙂

  502. Daniela

    Targino,

    Seu comentário sobre o Bispo e sua igreja, e os metodos utilizados para angariar fundos ilimitados.
    Tem algo de passional.
    O Bispo não acabou com o país(ao menos não sozinho).Sou da franca opinião de quem ninguém promove um mal enorme sem que possa ser parado.
    Se ele de fato faz tanto mal ao país pq ninguém o pára?
    Pq ele continua a abrir suas franquias em todos os cantos, lugares onde não tem escola, tem uma universal?
    Pq os fiéis dele levantam e andam e se curam do cancer e sei lá mais o que e o vice presidente não?
    ‘Bom sobre o vice presidente, esta idoso, e a doença já se espalhor por todo organismo dele, não há cura, não há como um corpo tão idoso reagir a tantos e fortíssimos tratamentos, enfim considere o cancer uma forma natural de morrer.’
    Sobre o Bispo,apesar de ‘toda maldade’ proferida por ele não há o que o abata em seu objetivo seja lá qual for ele, mas dá pra ter uma idéia.
    O poder dele é enorme mas não ilimitado, a ponto de um outro evangelico como vice presidente não interferir nisso.
    Utilizam as formas erradas de tentar barra-lo.
    PQ?
    Para quem é bom utilizar o bispão de tempos em tempos como bode espiatório? Boi de piranha?
    Não dói na conciencia do Alencar e do resto todo o leilão que rola dentro da igreja que começa em valores altíssimos terminando no único passe de´ônibus da pessoa?
    É Targino, o que realmente acontece nessas altas cúpulas está bem longe do nosso conhecimento.
    Mas algo a cada dia fica mais claro.
    Existe sim um acordo.
    O Bispo faz sim o que quer.
    E de vez em quando é ‘penalizado’.
    E ele se faz de vitíma.
    E ele sai ileso.
    E calam-se todos.
    Isso não te parece surreal?
    Nunca, nunca o bispo será realmente presoe desmascarado.
    É tudo encenação.
    Menos paixão, e mais razão e todos conseguiremos enchergar este mundo melhor.

  503. Daniela

    AInda sobre o Bispo.

    PS1. As pessoas, e falo de milhares de pessoas são absolutamente crentes de que estão no caminho certo na universal, e elas precisam disto, para o caso de desconhecerem análise, psicologos, psiquiatras, ou aprenderem a controlar suas contas e emoções.
    São dependentes, como um viciado no crack;

    PS2. Não apoio o Bispo, não gosto dos metódos dele.
    Só para deixar bem claro!

  504. Márcia

    Pacheco, como vc não tem uma conta ainda, precisa antes criar uma e para isso clique em

    1-)get your gravatar today

    2-) ira pra uma pagina onde vc colocara o e-mail usado nos comentários

    3-) tecle signup

    4-) o gravatar enviará um e-mail pro seu e-mail

    5-) abrindo o e-mail recebido, clique no link q o levará a pagina do gravatar onde vc criara apelido e senha
    Aperte o botão Signup. Se aparecerem mensagens em vermelho, é porque o apelido já está sendo usado por outra pessoa, vai trocando até achar um que esteja disponivel.

    5) Clique no link Add a new one.

    6) Clique no link My computer’s hard drive a foto deve estar no PC.

    7) Clique no botão para escolher o arquivo com a sua foto, depois aperte o botão Next.

    8) Arraste o quadrado do centro da foto para o trecho que você quer gravar. Arraste um dos lados do quadrado para mudar o tamanho. Uma prévia do que será gravado é exibido ao lado. Aperte o botão Crop and Finish.

    9) Clique no botão G.

    10) Clique na foto.

    11) Clique no botão Confirm.

  505. Márcia

    Não há de q….

    Aproveito pra esclarecer q pesquisei no google e colei as instruções aki

    http://www.criarblog.info/como-criar-gravatar-gratis/

  506. mnc

    Bom dia Companheirada!!!

    Pacheco garimpou p gente esse trecho de Haroldo de Campos, o povo inventalínguas…
    Temos uma comunidade rural entre várias around here, O Povoado de ” Volta Bala”, pelo nome ocêis já deve tá imaginando…
    P entender o que falam tem que aprender o dialeto local…
    Os balão pé de serra lá são famosos…e perigosos.
    Nesse meio eu mais a sanfoneura é as artistias e nois faz shô lá vez em quando. Eles trata nois,ocêss precis de ver do jeiteo bom demais da conta sô, cuma arltisteas.
    Até hojeo lá p enriba, vale a lei do “Passa Tábua”…uma dâmea (dama) não pode recusar dançar quando é chamada, se balar (bailar) com um trem que balar com todos cavaleios, se a dâmea num quiser dançar, pode ficar sentada mas se aceita dançar com um, é lei, num apodeo passar tálbua, dança com todos, mesm que estja com bafão de pinga e ensovacado…num podeo recuizar conviteo de adançaremento … caso contrário tem de se aretirar do recintio.
    Por qualquer bobagem bang-bang… O povo é mansim no falar…tão bonzim que ocê num acredita na brabeza deles, do que eiles é capaze de afazer se pega reiva de arguém.
    Vez em quando o bicho de Pedra Azul pega.
    ______________________________________________
    Pacheco, é vero, a Sandra sempre espalha seus beijihos encantados.
    Obrigada Sandra pelas preces.
    Pacheco tb vai a misssa.
    Cíntia querida vai dar praia em salvador, espero que as coisas tenham se amansado por aí, pelos ônibus incendiados.
    Pessoal do Sul tb sofrendo com as enchentes.
    Aninha, já restabelecida por completo, Graças a Deus!
    A lua está amassando, o GT vai ficar bem.

    Abraço afetuoso.
    Araço afetuoso a todos e um domingo azul p todos!!!
    Abraços.

    A música “Boate Azul”, no dialeto Volta Balense fica mais ou menos assim:

    Doentio de amôro
    Precurei rimédio na vídea nothurna
    Sô a fulô da noitia
    Na boateo azuio
    Cá na Zonea Zul.

    Trad:

    Doente de amor
    Procurei remédio
    Na vida noturna
    Sou a flor da noite
    Na boate azul
    Cá da zona sul.

    Tem tb “A Dâmea de Vermei” “A Dama de Vermelho”
    Galsom, oio no espeio, veja a Dâmea de vermeio que vai se alenavntar.
    Iessa Dâmea já me apertenceu e o cupadeo fui ieu plea aseparação….

  507. mnc

    Gentem, no comente meu aí p cima, uma bagunça doidea, misturado meio e fim, enfim, espero que dê p entender, não dá desenhar mesmo…rsrrsrs.
    È que pensei ter deletado a parte da boate azul e da dama de vermelho….

  508. mnc

    Sou vidrada em estradas de ferros…
    Tínhamos uma aqui, a Bahia Minas, construída por nossos antepassados.
    Caminho de ferro que mandaram arrancar, canta lindamente Milton Nascimento, em sua música “Ponta De Areia.
    A Bahia-Minas começava em T Otoni e ia dar no mar lá em Caravelas,terra da Baby.
    Para desenvolver a indústria automobilística no Basil e por lobby das multinacionais do setor…
    Dezenas de cidades ao longo dos trilhos viraram cidades fantasmas.
    As poucas lembranças ainda restantes, o caminho p a Colônia Suça, com túneis e pontilhóes de ferro, cheio de cachoeiras ao redor, na mata da Cabeceira Rio São Pedro
    Tantas vezes escondidos fugiámos, de bike, era quase um ritual de passagem, um ato de coragem , conseguir atravessar os túneis cheios de morcegos…para espantà-los pegávamos finas varas de bambú, taquara, e vibrávamos choacoalhando velozmente na mão, a vibração emitida pelo bambú espantava, mas era um revoada doida, tínhamos que atravessar a mil, porque se parasse paralisava de medo da morcegada.
    A fazenda do finado Sr Tião Dantas era o nosso destino, o sonrisal, uns buracos p 2, no meio da queda da cachoeira , banheira natural de hidromassagem…lugar afrodisiáco, muitos hímens lá ficaram…abafa o caso.
    Resta na praça principal, a primeira máquina que puxava trem, a Puxichá metáfora…Um term que te leva a nowhere.
    Toda a cabeceira de São Pedro e sua densa mata nativa,vai virar uma represa gigante, vai tudo sumir, os túneis, os pontilhões de ferro, a fazenda do Sr Tião (era uma figura), a Suiça, o caminho , tudo vai ficar debaxio d’água p sempre,
    A cidade precisa de água…
    Não há nada que se possa fazer.
    Merda!!!

  509. mnc

    Ponta de Areia

    Milton Nascimento
    Composição: Milton Nascimento & Fernando Brant

    Ponta de areia ponto final
    Da Bahia-Minas estrada natural
    Que ligava Minas ao porto ao mar
    Caminho de ferro mandaram arrancar
    Velho maquinista com seu boné
    Lembra do povo alegre que vinha cortejar
    Maria fumaça não canta mais
    Para moças flores janelas e quintais
    Na praça vazia um grito um ai
    Casas esquecidas viúvas nos portais

  510. mnc

    Bem gente, acho que vou dar uma volta por aquelas bandas,enquanto não chega o dia do alagamanrto do caminho….vou levar os meninos comigo.
    A sanfoneira a sanfona e viola tb.

    Com Ponta de Areia na cabeça…linda música.
    Faz mal não sujar o carro novo…rsrsrsr.
    Cesto novo 3 dias de toldo.
    Tudebom.
    Fiquem com Deus.

  511. Bom dia comunidade.

    E um bom dia especial para a Márcia que me ensinou a me enGRAVATAR.
    Foi meio complicado.
    Menos por causa de o caminho a seguir. Muito pelos meus desacertos e impaciência com tudo que exija mais de três respostas em seqüência.
    Sempre fico atrapalhado.
    Por exemplos:
    Encher formulários..
    Sacar dinheiro em caixa automático.
    Responder entrevistas principalmente às de abertura de créditos.
    Passou do nome e endereço e o bicho começa a pegar. fico pronto para desistir no momento.Alias já fiz isto e mais de uma ocasião.
    Algo com atender telefonemas. Detesto. Se eu fizer a chamada é diferente. Para atender sinto angustia como quem esta antecipando péssima noticia.
    Fazer o que. Deve ser mania. Então estas são umas das que eu tenho.
    Não esqueçam também que uma das manias que eu tenho é gostar de vocês.
    Márcia o Pacheco agora terá de literalmente aposentar umas dezenas de Nicks que habitualmente eu usava.
    A razão inicial de eu usar apelidos foi para despistar alguém que eu não queria que estivesse lendo o que eu escrevia.. Depois fui gostando porque vi uma chance de opinar com posições diferentes.
    Nunca tentei usar um Nick para ferir ou magoar ninguém; Usava como brincadeira. E sempre fornecendo pistas para ser identificado. O que eu mais gostava era do Papai Noel. Sempre ACREDITEI na figura do bom velhinho. Faço questão de acreditar até hoje e penso que morrerei acreditando. Simplesmente porque sinto-me feliz assim.
    Contudo agora que estou enGRAVATARado e nos comentários fotografado não tenho mais com entrar de Papai Noel com a cara que mamãe beijou.
    Já tentei deixar Nicks de lado em ocasiões anteriores e sempre sem sucesso. Algo como parar de fumar que já deixei mais de uma dezena de vezes..
    Então de agora em diante ficarão os Nicks somente entrando em situação que eu conseguir criar os inserindo nos comentários.
    Então alem de sermos amigos virtuais deste blog algo mais temos em comum.
    Você será sempre a amiga que me ensinou a GRAVATAR e veio para o meu Nicks Gallery …ENCERRAR.
    E Pensando bem em tudo eu te agradeço.
    De certa forma talvez eu esteja reencontrando a mim mesmo e nem precisei sair pelo mundo como esta pretendendo fazer o Gerald Thomas.
    Quero ainda te contar que tomei um baita susto quando após confirmar a foto e reabrir o blog vi que eu estava com a foto escolhida em todos os comentários já enviados..
    Que fantástico é este mundo internetiano que me espanta a cada dia.
    O que será que ele reserva para os nossos netos?
    Hum…????

    Obrigado.

    XXX XXX x x au au

    Pacheco

  512. Ana Paula

    Citialiskha, beijóvski! 😉 Fique à vontavóvski.
    Esperando o Cráudio fazer um Avatar do Mr. Thomas…

  513. Márcia

    Ah Pacheco, vc deve ser uma pessoal especial mesmo. Ficar tão agradecido por algo assim…realmente.

    Mas deixa eu te esclarecer q vc pode continuar usando qtos nicks quiser, só o e-mail q vc coloca deverá ser o mesmo q vc gravou lá no gravatar.com, ok??!!

    Bjs e bom domingo a todos! ♥

  514. Márcia

    O + engraçado disso tudo é q a minha foto não aparece. Pode??!!
    Sei lá o q aconteceu, pq eu gravei uma e depois troquei, vai ver confundi o sistema. rsrs.

  515. Ana Paula

    Bom dia-domingo, pessoALL,

    Pastor-Pilão, sucesso na internet, pra quem acha que esse tipo de coisa vai ser levada à sério por muito mais tempo (passei mal de rir):

    Não se esqueçam do lobby romano, somos a maior nação católica do mundo… There´s gonna be payback, baby.

    Bom domingo a todos!

    MNC: você é um anjo, muitos beijos!

  516. Ana Paula

    Pachecão,
    .
    Sugestão: use um e-mail sem cadastro no Gravatar quando for comentar como os seus “outros”, aí não aparece gravura alguma.
    Ou… Você pode cadastrar vários e-mails lá, cada um com uma imagem diferente, e quando postar, comente com o e-mail relativo à imagem… Mas dá a maior trabalheira.

    Abraços!

  517. bom dia
    .
    a essa altura do campeonato , digo , comentarios , estamos só em família . e no domingo , dia de relaxar , que até deus relaxou – o que quer dizer que ele cansou , o que quer dizer que a terra deu uma canseira até em deus … ô planetinha safado .

    eu fico sem pressa aguardando mais ideias sobre o amanhã do G-diet . só conhecendo em que terreno vou pisar é que posso fazer o projeto .

    quanto à novas postagens , confesso que deu um branco :

    branco no sentido do disco de Newton, quando todas as cores do arco iris , ao girar-se o disco , tornam-se um grande branco . a cabeça dos criadores está assim .

    uma grande loja de design de sao paulo me escreveu perguntando se eu não queria produzir alguns objetos para serem vendidos lá .

    a dona disse que todo mundo esta em crrise de criatividade , que esta dificil conseguir novos produtos para a loja .

    eu disse que não são crises pessoais , mas neste momento está difícil para qualquer criador escolher a ideia certa , aquela na qual valeria a pena investir tempo e dinheiro , já que não há financiamento nem garantia de retorno imediato de grana . principalmente num mercado que tende à massificação e à breguice . e isso vale para todas as áreas .

    ela não respondeu .

    hj à tarde vou assistir umas performances no “oi-futuro” , centro cultural moderninho da telemar (oi) . que deus tenha piedade de minha formação estética … depois conto .

    …………………………
    pacheco , se vc criar um email para cada personagem , pode ter uma carinha para cada um deles . porque assim nao tem graça , né ? ( conselho de marketeiro)

    Gerald , take your time . bom domingo a todos .

  518. O Vampiro de Curitiba

    testando…

  519. O Vampiro de Curitiba

    Também consegui…

  520. O Vampiro de Curitiba

    Será que ainda vão continuar me confundindo com o Gerald?

  521. Cintia

    Ai Vampildo!
    Adorei só os zóinho, ehehe!

  522. Cintia

    bom dia cumpanheiros da Resistência Virtual!
    agora mais divertida com as ‘figurinhas e fotinhas’!
    .
    .
    MNC!
    .
    Hoje meu Pai desencavou estórias dos idos dos mil novecentos e antigamente baianos, e me contou que teve uma tia mestiça chamada … Beija-Flor!
    Que liiiiindo, né? Tia Beija-Flor !!!
    Amei!

  523. Cintia

    bom domingo, cumpanheiros!
    unidos,
    resistiremos!

  524. Cintia

    Anushka Paulovskaia!
    .
    beijóvski pra vc tb! 🙂

  525. Ana Paula

    Olha os zóinhos do Vampirósvki aí, gente! 😀

  526. Se voce é evangelico da Universal da uma
    olhadinha nesse video e vai entennder
    porque eu choro por voce.

  527. Lista Original

    Eu quero um homem que…
    1. Seja muito lindo,
    2. Encantador,
    3. Financeiramente rico,
    4. Um exelente ouvinte,
    5. Divertidíssimo,
    6. Em boa forma física,
    7. Se vista muito bem,
    8. Que só aprecie as coisas mais finas,
    9. Faça muitas surpresas agradáveis,
    10. Seja um amante criativo e romântico.

    Lista revisada aos 30 anos
    Eu quero um homem que….
    1. Seja bonitinho,
    2. Abra a porta do carro e afaste a cadeira pra eu me sentar,
    3. Tenha dinheiro o suficiente para um jantar agradável
    4. Ouça mais do que fale,
    5. Ria das minhas piadas,
    6. Carregue as sacolas do mercado com facilidade,
    7. Tenha no mínimo uma muda de roupa pra sair,
    8. Aprecie comida caseira,
    9. Lembre de aniversários e datas especiais,
    10. Procure romance pelo menos uma vez por semana.

    Lista revisada aos 35 anos
    Eu quero um homem que…
    1. Não seja muito feio,
    2. Espere eu me sentar no carro antes de começar a acelerar,
    3. Tenha um emprego fixo – goste de jantar fora ocasionalmente,
    4. Balance a cabeça enquanto eu falo,
    5. Geralmente se lembre das frases mais engraçadas de algumas piadas,
    6. Esteja em boa forma pelo menos para mudar a mobília de lugar,
    7. Use camisetas que cubram sua barriga,
    8. Não compre cidra achando que é champagne,
    9. Se lembre de abaixar a tampa da privada,
    10. Faça a barba quase todos os finais de semana.
    ________________________________________________________________________

    Lista revisada aos 40 anos

    1. Eu quero um homem,

    _________________________________________________________________________

    Lista revisada aos 50 anos

    1. Como eu gostaria de ter um homem… caralho!!!

    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

  528. Convoco os senhores senadores e deputados,
    ministros do supremo a dar uma olhadinha nesse
    video e entender por que eu morro de vergonha
    do poder publico desse pais.

  529. leopard1a1

    Fui no tal de gravatar, mas não vejo a foto que escolhi, Cintia HELLLLLLP.
    Abraço

  530. leopard1a1

    Cintia, tá tudo ok eis minha cara(meu nick agora tem o nome oficial do Blindado alemão adquirido pelo Brasil.

  531. leopard1a1

    O Pacheco o que vc. fez com a canção do exército hein, o pessoa não gostou .
    Abraço

  532. Tene Cheba

    A cigarra e o cigarro,
    o cigarro queima,
    a cigarra canta,
    a primavera chega,
    os ventos mudam de direção.
    A cigarra e o cigarro,
    apagado, sem chamas,
    a gaita grita, repetitiva,
    a fumaça no mato,
    pequenas chamas,
    ouço a gaita da cigarra,
    sinto o mato queimado,
    mas,
    a cigarra e o cigarro,
    tudo, tudo, tudo,
    sob leis,
    o ruído,
    a fumaça,
    e a cigarra,
    e o cigarro,
    tardes mudas,
    inodoras,
    limpas e saudáveis.
    A cigarra e o cigarro.

  533. leopard1a1

    Cintia uma perguntinha, dá pra mudar o nick lá no Gravatar, pois o exercito brasileiro já está com o leopard1a5?
    Abraço
    leopard desatualizado

  534. leopard1a1

    Pacheco onde está pessoa, leia-se pessoal.
    Não se pode brincar com letras de hinos oficiais do Brasil.

  535. Na estréia de ontem da peça ¨Esperando Moderaçâo¨o ponto culminante do primeiro ato aconteceu quando os interpretes de GT e Vampiro travaram o sequinte dialogo:

    GT:
    O que há de errado com você?
    Vamp:
    Nada.
    GT:
    Eu vou parar de moderar este blog
    Vamp:
    E eu também.
    GT:
    Quanto tempo eu fquei moderando??
    Vamp:
    Eu não sei.
    Silêncio.
    GT:
    Onde é que podemos ir?
    Vamp:
    Não muito longe.
    GT:
    Ah sim, vamos longe daqui.
    Vamp:
    Nós não.
    GT:
    Por que não?
    Vamp:
    Temos de voltar amanhã.
    GT:
    Pra fazer o que?
    Vamp:
    Moderar os comentários.
    GT:
    Ah! (Silêncio.) E se não tiver mais comentários.
    Vamp:
    Claro que terá. O Pacheco já começa a reclamar bem cedo..
    GT:
    Diz logo que ele é o Campeão de Moderação e vamos dormir.
    Vamp:

    Sim..

    ————————Cortinas————————————————

    A platéia foi a loucura.

    Entenda com quizer.

    Hahahahahahahahahahaha 😀

  536. Sandra

    ” sinto-me como uma massa, como uma pasta, irregular, inexplicável, triste, vazia, ruidosa, sem nada a declarar” (1)

    “Algo acontece, sim. Mas nada acontece. Digo, algo acontece, sim. Existe o instrumento, existe um músico e até uma partitura. Existe até uma expectativa enorme de música no ar, mas o que se ouve nada mais é do que um enorme RUÍDO do que habitualmente chamamos de silêncio. Cage compôs isso na década de 50, depois de várias recessões econômicas e artísticas. Depois de uma falência múltipla de órgãos ou valores ideológicos. Fim da Segunda Grande Guerra. Início do Sonho Americano, início de um grande fim. Qual fim?

    Aquele que, ao mesmo tempo, Beckett descrevia em seu deserto em “Esperando Godot”. Uma entidade que não vinha. Uma promessa que não chegava.” (1)

    “A pedestrian crossing without the white stripes, an “Empty Space” cluttered with junk, an asterisk.” (2)

    “Yes,I used to have a vague idea or notion of things. Yet, I can’t find them anymore. Don’t seem capable of even knowing of where they are any longer. All I can see, eyes open or shut, is that self portrait by Rembrandt , hanging in Amsterdam, staring right at me; he at the age of 55 and I at the same age. Him on one side of a timezone/era as if trying to tell me, or as if WE are trying to tell one another that my Renaiscence is over, finished, and that I’m dead. Am I dead?” (2)

    “Não importa a causa da morte, na verdade. Importa, sim, que morreu um poeta excêntrico, um menino do Jackson 5 que morria de medo do seu próprio império e que queria que o tempo parasse! E fazer o tempo parar é uma equação impossível, assim como é impossível achar a fonte da eternidade (“Fausto” de Goethe ou Marlowe), assim como é impossível se superar como Michael Jackson se superou virando monstros, bichos, virando um thriller ele mesmo. E ao virar isso tudo, ele acabou por dar a volta no Universo.” (3)

    “Dizem: “Não sei de onde sou”. E, com uma resposta dessas (e sem passaporte na mão), a imigração Suíça não pode devolvê-los a lugar algum. Era o que chamávamos (quando eu trabalhava na Amnesty International em Londres, anos 70) de “desterrados”. Então o que acontece? Dão a eles uma graninha curta e moradia simples em lugares distantes dos grandes centros como Zurique, Basel, Bern, etc., e uma hora específica para estarem de volta, e assim levam a vida de exilados DE LUGAR NENHUM.” (4)

    (1) http://colunistas.ig.com.br/geraldthomas/2009/05/18/nada-a-declarar/
    (2) neste
    (3) http://colunistas.ig.com.br/geraldthomas/2009/06/26/michael-jackson-morreu-por-excesso-de-higiene/
    (4) http://colunistas.ig.com.br/geraldthomas/2009/07/04/independencia-ou-morte-subita/

  537. Tene Cheba

    Tempo sem Fendas.
    O tempo para mim,
    multiplica meus mistérios.
    Quem sou eu? Eis que me pergunto,
    fluxos sem construções,
    que lentamente amortece a necessidade de viver,
    o pão que não amanhece,
    futuros regredidos, pisos sem impulsos,
    parecem igualmente velhos,
    sem reaçoes, não os sintos, não os notos mais.
    Envelhecendo as dores vão sumindo,
    o passado se aproxima,
    o futuro, simplesmente some,
    nenhum lapso, nenhum tempo perdido,
    para que eu possa achá-lo.
    Ondas são eternas, vão,
    retornam,
    eu, minha própria cápsula,
    sigo contando,
    o tempo,
    sem colisões.

  538. Na peça Esperando Moderação qualquer semelhança com dialogos levemente surrupiados de Esperando Godot não foi mera coincidência.

    FOI INTENCIONAL MESMO.

    NA MAIOR CARA DE PAU DO XXXXX QUE DISSE QUE NADA SE CRIA E TUDO PODE SER COPIADO.

    O XXXXXX Evidentemente é para eviatr citar o nome do autor
    quwe disse não desejar ser muito atacado aqui no blog.

    Critico teatral

    U A U 😉

  539. Tene Cheba

    Que porra é essa:
    ” Vocvê está publicando comentários rápidos demais. Mais devagar”
    Eu!!? Que injustiça cabeluda.

  540. leopard1a1

    Como tenho compromisso estou saindo.
    Abraço a todos

  541. William Berger

    Gerald, acho que antes de vc morrer deve conhecer o messias, profeta e poeta Waldo Motta, que até mencionei em um debate num Festival Nacional em Vitória. E com ele, a religião do Deus anal. Segue um textículo do nosso evangelista bundaico:

    “A PESTE E O TEATRO ALEGÓRICO

    Recomendações de autoridades sanitárias:

    Evite o contato físico com outras pessoas.

    Não beije, não aperte a mão, diga olá.

    Quisera fazer uma abordagem mais profunda do assunto em pauta. Porém, a necessidade e a urgência me obrigam a não adiar esta postagem.

    Sendo um arauto da Terra Sem Mal, isto é, o Paraíso terrestre, que parece cada vez mais impossível, dado o grau extremo de deterioração da qualidade de vida, em nível planetário, vou abordar agora este assunto, à luz de minha proposta de teatro alegórico. O assunto é a gripe suína, a aids e outros males da Terra.

    Antes, porém, peço àqueles que ainda têm saco para me aturar, que leiam a apreciação justa e honesta do jornalista e poeta Fernando Gasparini sobre a minha “peça de lycra azul e rosa”, o espetáculo “Terra Sem Mal – um mistério bufante e deleitoso”. Está no seguinte endereço:

    http://www.overmundo.com.br/overblog/apontamentos-sobre-a-terra-sem-mal

    Agora, vamos ao que prometi acima.

    Eu desafio a peste. Eu desafio a morte. Eu desafio o mal. Eu desafio a deusa Vênus e suas enganações. Eu desafio o Diabo e suas mentiras.. Eu desafio Deus e seus decretos implacáveis.

    Eu sou Motta, tenho mato e mata em mim, e deveras vim do mato, mito das matas mateenses.
    Eu sou Waldo, que vem de Wald, em alemão, floresta, bosque. Sigam a via analógica, por favor. Eu sou Edivaldo, o governante, o guia; riqueza, prosperidade.
    E vejam que sou a Waldelícia do paraíso, sou um Mottagal repleto de bichos e bichices.

    Assim como o poeta florentino, e como o poeta itabirano, no meio do caminho desta vida, me encontrei em uma selva escura, e vi a cara do capeta, e que o bicho era apenas invenção para isolar e separar o sagrado do contato do poviléu. E a esfinge disse: ou me decifra ou te devoro. Po is bem, eu desvendei o enigma, e matei a charada; enra bei o capeta, o leão, a onça, o jaguar azul, enfim a monstra guardiã do lugar sagrado. E arrebatei o graal, e libertei o Rei encarcerado. E disse-lhe: Levanta-te, ó Deus, para socorrer os justos e fazer justiça aos que te amam. E ele me escolheu como seu bem amado para anunciar o seu reino, a sua verdade, à luz da qual todos devem andar, para o bem de cada um e o livramento da alma.
    Ataquemos a peste!

    Notei que o nome do vírus da gripe suína H1N1, em numerologia soma 15, que reduz a 6.
    E há muitos anos atrás, desde que surgiu a AIDS, notei que este nome também somava 15. Pois bem, meu sobrenome MOTTA soma 15. E meu prenome EDIVALDO soma 36, que é 6 vezes 6. A soma de EDIVALDO MOTTA dá 51, ou 15 invertido. Eu disse: 51 é o 15 invertido! Aqui está um grande segredo.

    Somando-se os números de 1 até 36, a soma será 666. Portanto, eu posso combater o mal que assola o mundo. Quem conhece a minha poesia, sabe que não estou brincando.

    No Tarô, a carta 15 representa o Diabo e apresenta um quadro em que este ser imaginário está sobre um cubo ao qual estão aprisionados um homem e uma mulher. A carta 15 simboliza os interesses sexuais, financeiros, assuntos de ordem material. Notem que a carta 6, do Tarô, representa os Namorados, ou o Enamorado, ou a Encruzilhada, e apresenta um homem jovem em atitude dubitativa, meditabunda, na encruzilhada de dois caminhos, guardados por duas mulheres, que alguns intérpretes entendem ser a mãe e a esposa.

    Por outro lado, em hebraico, 15 é o número do nome secreto de Deus que não pode ser lido ou pronunciado e, por isso, na Torá, este número é escrito de for ma indireta, como 9 mais 6, para evitar o emprego das letr as Yod e Hé, que valem respectivamente 10 e 5, e estão no nome sagrado YHWH, que alguns pronunciam como Javé. E este nome vem de um verbo que significa ser e estar. Aquele ou aquilo que é, que está; que foi, que é, e que será.

    Todos sabem que a estrepolia de Adão e Eva é o núcleo ou nó dramático principal de todas as narrativas bíblicas; situação em torno da qual todas as outras orbitam. E dá origem à sucessão de tragédias e farsas da própria História, esta que vivemos (fazemos?) em nossa vida laica, secular. O crítico literário Harold Bloom afirma que a Cabala é uma espécie de misticismo sexual e teologia erótica, opinião que endosso em todos os sentidos.

    A repressão sexual e a privação dos saberes ligados ao sagrado (vale dizer: ao sacro) levou o mundo a esta situação deplorável. Em vez de repressão, as pessoas necessitam de informação, esclarecimento, franqueza, verdade. Somente a verdade a respeito do sagrado poderá erigir um mundo novo. Porque a repressão ao sagrado é a origem de todo o mal que existe na Terra. Adorar o sagrado, em seu lugar devido, isto é, o sacro, é o princípio da solução de todos os problemas. Adorar o Deus dos deuses em seu próprio trono é conquistar o paraíso e o reino do Céu. O lugar sagrado é o próprio Céu, a casa da felicidade.

    C é U

    Deuses e senhores mesquinhos, opressores, transformaram o sagrado em algo medonho, aquilo que não pode ser pronunciado, o indizível, o inefável, o sublime, todas essas bobagens. Por outro lado, conforme deduram os próprios dicionários, o sagrado é também o vergonhoso, o infame, o intocável, proibido. Huuuuuummmm!!!

    Com esses prolegômenos, agora posso dizer o que todos precisam saber. Acabou a era do crescei e multiplicai-vos. Este planeta é muito pequeno e tem gente demais. Já disse alhures e repito: chega de hipocrisia. Não pensem que plantar árvores, salvar tartarugas, baleias e outras sandices vão resolver o problema e livrar o planeta da grande tragédia iminente.

    A balela do crescimento econômico ilimitado não iludirá mais ninguém. Ao invés de crescer e multiplicar, chegou a hora de diminuir o crescimento e dividir as riquezas, os bens. Todos deveriam pensar seriamente no fato simples e elementar de que somente o crescimento populacional justifica o crescimento econômico…

    A natureza está reagindo, o meio ambiente está reagindo. E corrigindo os males e estragos causados pela espécie humana. É ridículo demais sermos vítimas de micróbios, bactérias e vírus associados a mosquitos, ratos, chipanzés, porcos, frangos. É tragicômico saber que o arroto e o peido das vacas é um dos piores vetores do chamado efeito estufa… E tem vacas demais neste planeta, para alimentar e produzir lucros para uma humanidade que não pára de crescer e multiplicar.

    Sempre entendi que 666 tem a ver com o excesso, com os excessos da raça humana. Afinal, a humanidade foi criada no sexto dia. E o Apocalipse afirma que o famoso número da besta é um número de homem. O reino da besta é o reino ou império da quantidade, da multiplicação sem fim, da acumulação excessiva, da reprodução desenfreada , da produção insana das indústrias, fábricas etc.

    Uma certa passagem bíblica afirma que no processo de depuração da iniqüidade, dois terços da humanidade serão eliminados. Ora, dois terços correspondem a 66,6 por cento. Esta depuração está ocorrendo agora.

    Para mim, a Besta do Apocalipse é a humanidade vivendo no plano animal, bestial. Satisfeita com o reino da quantidade. Pois a vida dos animais resume-se a comer, beber, reproduzir e morrer. Não só isso, mas também o poder da ciência, da arte, da política, da economia e até das religiões que negam e desprezam o SAGRADO. Que privam os seres humanos do conhecimento libertário, que impedem ou negam o acesso ao SAGRADO. Como disse Jesus: Conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.

    Em numerologia, o número 6 está associado ao planeta e à deusa Vênus, que regem, entre outros, os seguintes assuntos: amor, sexo, casamento, família; relações afetivas, sociais. Assim como a AIDS, a gripe suína está disseminando o medo de contatos, toques, abraços, beijos, relações íntimas e até mesmo um simples aperto de mão.

    Assim como o 3 e 9, o número 6 representa o elemento AR, e a patologia numerológica o associa a todas as doenças do sistema respiratório. Todos sabem que as vítimas da AIDS e da gripe suína sucumbem principalmente devido às afecções do sistema respiratório.

    Observem que o lugar de origem da gripe suína, o México, é uma palavra que tem 6 letras. E o valor numerológico desta palavra, pelos métodos numerológicos usuais, é 33, número este que reduz a 6.

    Já o propalado lugar da origem da AIDS, isto é, a África, é uma palavra com 6 letras, embora a soma dê outro número.

    É isso por e nquanto.

    Agora, o escândalo maior: EU POSSO RESOLVER ESTE PROBLEMA!!!

    Quem não acredita em mim, dane-se. Eu sou o ARLEQUIM DO APOCALIPSE.

    Eu conheço o ponto fraco, o calcanhar de aquiles do MAL.

    Contudo, não farei nada em prol de ninguém. A menos que me implorem, e reconheçam todas as injustiças que já cometeram contra mim, simplesmente por falar a VERDADE. E principalmente me paguem, olho por olho, dente por dente, por todo o mal que me causaram.

    Eu sou a alegoria viva do CU – o lugar sagrado, o centro divino, a casa de Deus.

    Quem viver verá: no CU está a salvação da humanidade.

    Um beijo da BOCA REPELENTE para todos!

    Waldo Motta
    Tels.: 8841 7348 / 3056 0024″

    William Berger
    ator

  542. Sandra

    “Eu estou com 55 anos agora e… e o quê? Jamais achei que iria chegar a essa idade. Jamais achei que pudesse olhar no olho vivo desse quadro e dizer “caramba, estamos aqui, você e eu, em épocas diferentes – ele em 1633 e eu em 2009, mas ambos com a mesma idade”. Ele, um total gênio. Gênio dos gênios, da Ronda Noturna, da Dissecação do Cadáver. Aquele que meu mestre Ivan Serpa e meus pais me fizeram gostar. Não, não forçadamente, já que a paixão foi instantânea. E cá estava eu, como sempre estive desse lado do quadro, mudo, estarrecido e pasmo, já que não sou um personagem de Lewis Carroll.” (1)

    ““Transformar o mundo: acordar todos os dias e transformar o mundo”, dizia a voz de Julian Beck (quem eu dirigi e com quem aprendi tanta coisa). Eu tinha uma vaga noção das coisas. Não encontro mais nenhuma. Eu tinha uma fantasia. Não a encontro mais. Só encontro aquele auto-retrato de Rembrandt me olhando, ele aos 55, eu aos 55, um num tempo, o outro no outro, como se um quisesse dizer pro outro: o TEU “renascentismo” acabou: Você morreu. Morri?” (2)

    “Sandra disse:
    4/07/2009 às 23:09

    Eu adoro o clima aterrorizante de “País das Maravilhas” de suas peças, Gerald.

    Aliás, veja esse trecho do livro Incompletude, de Rebecca Goldstein:

    “O mais surpreendente é que ele também comparou o trabalho de Gödel com o de Kafka, sem saber que o próprio Gödel admirava o escritor. Ambos os homens compararam sua formação fortemente legalista, nas palavras de Kochen, com uma capacidade sobrenatural, quase surreal, de criar mundos independentes, mundos que podem parecer, à primeira vista, contrários à lógica, mas que se compõem do próprio material da lógica. “Existe um quê de Alice no País das Maravilhas no trabalho de ambos os homens”, disse-me Kochen.” “(3)

    (1)http://colunistas.ig.com.br/geraldthomas/2009/07/17/juiz-proibe-que-macaco-simao-escreva-sobre-juliana-paes-censura-de-imprensa/

    (2) neste

    (3) http://colunistas.ig.com.br/geraldthomas/2009/07/04/independencia-ou-morte-subita/

  543. gthomas

    Liberei esses ultimos 20 comentarios.

    Nao eh o que eu planejava fazer nesse domingo.

    Mas o Vamp teve um problema/

    So imploro paciencia, pois nao poderei estar aqui no computer o tempo todo.

    LOVE
    G

    PS: essa ai de cima do “messias”, Nossa, tem cada uma!

  544. Sandra

    “Gerald Thomas, 7 September 2009”

    “Gerald Thomas

    September 11, 2009

    (what a date!)”

    “Só encontro aquele auto-retrato de Rembrandt me olhando, ele aos 55, eu aos 55, um num tempo, o outro no outro”

    “O Brasil eh 55” (GT)

  545. gthomas

    Sandra…amei todos os teus “recortes” sobre os meus trabalhos,
    Lindo.

    mais tarde entro em detalhes.
    LOVE
    G

  546. Sandra

    Saindo! Beijos em todos!

  547. Interessante

    Vejam a oração “Pai nosso” traduzida do aramaico para o português, sem a influência de gregos e religiosos, pelo tradutor linguístico Dr.
    Neil Douglas Klotz.

    Vale à pena lembrar que os gregos traduziram o nome do próprio Mestre, que em m aramaico é Yeshua:

    Ó Força Procriadora ! Pai e Mãe do Cosmos. Focaliza Tua Luz dentro de nós, tornando-A útil.

    Cria Teu reino de Unidade, agora.

    O teu desejo Um atue,então, com, o nosso, Assim como em toda a luz E em todas as formas.
    Dá-nos todos os dias o que necessitamos Em pão e entendimento.
    Desfaz os laços dos erros que nos prendem, Assim como nós soltamos as amarras Com que aprisionamos A culpa dos nossos irmãos.
    Não permitas que as coisas superficiais nos iludam.
    Mas liberta-nos de tudo do que nos detém.
    De Ti nasce toda vontade reinante, O poder e a força viva da ação,
    A canção que se renova de idade A idade e a tudo embeleza.
    Verdadeiramente-poder a esta declaração- que possa se o solo do qual cresçãm Todas as minhas ações:

    Amém.

  548. Prezado Leopard.

    Reconheço teu lembrete.
    Revisto agora e mais bem julgado admito ter pisado no tomate.
    Alegar desconhecimento da lei não isenta ninguém por infração cometida.
    Portanto mesmo querendo seria inútil tentar apresentar defesa ou justificativa.
    Contudo e a título de explicação quero deixar bem claro que em momento algum tive sequer o mínimo pensamento em brincar com a Canção do Soldado.
    O alvo eram os políticos. Infelizmente fui traído pela seleção da minha memória que ficou martelando os acordes da canção enquanto eu laptopeava.
    O erro está feito e o leite derramado se chorado não conserta o ato.
    Só me resta de publico aqui no blog apresentar pedido de desculpa e deixar seguro que cuidarei de não cair em novo erro.
    Este já esta me causando desconforto espiritual o suficiente.
    Agradeço tua justa intervenção. Sou grato ainda ao abraço enviado no final o qual recebi como manifestação de tolerância com minha pessoa.
    Conte comigo.

    Obrigado.

    Jose Pacheco Filho

  549. Ana Paula

    Heheheh, Tene,
    .
    Fecha o browser, abre outro que o cache do IG vai pro saco e você faz o tanto de poesia com cigarro que quiser!
    .
    Abraços.

  550. Tene Cheba

    Porra, Pacheco, defino como um tributo a elegância e ao cavalherismo. Merece moldura.
    Parabéns.

  551. gthomas

    SERIA BEM LEGAL VER A CARA DAS PESSOAS NESSE QUADRADINHO. EH UMA PENA QUE ALGUMAS ESCOLHEM COLOCAR UM CARTOON.
    ENFIM,
    O BLOG DO GUZIK HAVIA SUMIDO nessa “transformacao” do Word Press, mas ja o coloquei de volta.
    LOVE
    G

  552. gthomas

    …a moderacao continua lenta por causa de problemas nossos aqui.

  553. Tene Cheba

    Ah, se eu pudesse ver os rostinhos de todas as herdeiras de Eva, que participam deste Espaço. Seria o Ser mais feliz deste Universo. Mas eu não mereço.
    Como eu não gosto de filmes de terror, os cavalheiros podem permanecer incógnitos.

  554. Tene:

    Vindo de quem admiro a tua manifestação confirma minha crença de que aqui no blog estou em porto seguro .
    E podendo dizer ainda que:

    Um dia pisei no tomate.
    De um hino fiz alteração
    Não pra desprezar o soldado
    Fica explicado que não
    O que tinha em mente
    Era zombar de ladrão
    Avisado por um amigo
    De um possível castigo
    Tratei de me desculpar
    Pedindo perdão
    Tive então alegria
    De sentir companhia
    Estendendo-me a mão
    Que alegria
    Não ficar em solidão
    Então emocionado
    Renovo um Obrigado
    Ao Tene ora se não
    A quem até perfilado
    Presto continência
    ATENÇÃO
    Em continência
    UM
    DOIS.

    😀

  555. Tene

    Eu conheço o rosto de algumas.
    Todas são M A R A V I L H O S A S .

    Mas será que o mais importante não seria conhecer o que chamam de almas?
    O caráter e a personalidade.
    Pelo que escrevem eu diria que uma é melhor que a outra. Difícil saber qual a melhor.
    Por telefonemas e e-mails tenho contato com algumas.
    Um turbilhão de emoções.
    Carinhos virtuais.
    Virtuais.
    Carinhos
    Afeto.
    E acima de tudo o que deseja o PAI.
    O AMOR ENTRE SEUS FILHOS.
    Sou
    És
    São
    Somos
    E
    SEREMOS
    Sempre.
    AMEM

    Obrigado.

    Pacheco.

  556. Ana Paula

    Minha nossa, que coisa mais linda. Vou guardar parar mim.

  557. Tene Cheba

    Tanto tempo por aqui, tantas trocas, choros, risos, angústias. Tudo de graça, apenas por estar aqui, Lendo o Gerald Thomas, nos lendo também.
    Fiquei muito emocionado com a sua foto, Suboficial José Pacheco. Você merece muita coisa boa. Antes e depois, sempre irei te respeitar, Grande Brasileiro.

    Obrigado!!!

  558. Vale a pena ler de novo:

    A ARCA ( BRASILEIRA) DE NOÉ

    Um dia, o Senhor chamou Noé que morava no Brasil e ordenou-lhe:
    – Dentro de 6 meses, farei chover ininterruptamente durante 40 dias
    e 40 noites, até que o Brasil seja coberto pelas águas.
    Os maus serão destruídos,
    mas quero salvar os justos e um casal de cada espécie animal.
    Vai e constrói uma arca de madeira.
    No tempo certo, os trovões deram o aviso e os relâmpagos cruzaram o céu.
    Noé chorava, ajoelhado no quintal de sua casa,
    quando ouviu a voz do Senhor soar furiosa, entre as nuvens:
    – Onde está a arca, Noé?
    – Perdoe-me, Senhor suplicou o homem.
    Fiz o que pude, mas encontrei dificuldades imensas:
    Primeiro tentei obter uma licença da Prefeitura ,
    mas para isto, além das altas taxas para obter o alvará,
    me pediram ainda uma contribuição para a campanha para eleição do prefeito.
    Precisando de dinheiro, fui aos bancos e não consegui
    empréstimo, mesmo aceitando aquelas taxas de juros …
    O Corpo de Bombeiros
    exigiu um sistema de prevenção de incêndio, mas consegui contornar, subornando um funcionário.
    Começaram então os problemas com o IBAMA e a
    FEPAM para a extração da madeira.
    Eu disse que eram ordens SUAS, mas eles só queriam saber se eu tinha um “Projeto de Reflorestamento ” e um tal de
    “Plano de Manejo “.
    Neste meio tempo ELES descobriram também uns casais de
    animais guardados em meu quintal..
    Além da pesada multa, o fiscal falou em “Prisão Inafiançável ” e eu acabei tendo que matar o fiscal, porque,
    para este crime, a lei é mais branda.
    Quando resolvi começar a obra, na arca,apareceu o CREA e me multou
    porque eu não tinha um Engenheiro Naval
    responsável pela construção.
    Depois apareceu o Sindicato exigindo que eu contratasse seus marceneiros
    com garantia de emprego por um ano.
    Veio em seguida a Receita Federal, falando
    em ” sinais exteriores de riqueza ” e também me multou.
    Finalmente, quando a Secretaria Municipal do Meio Ambiente pediu o ” Relatório de Impacto Ambiental ” sobre a zona a ser inundada, mostrei o mapa do Brasil.
    Aí, quiseram me internar num Hospital Psiquiátrico!
    Sorte que o INSS estava de greve…

    Noé terminou o relato chorando, mas notou que o céu clareava perguntou:

    – Senhor, então não irás destruir o Brasil?
    – Não! – respondeu a Voz entre as nuvens.
    – Pelo que ouvi de ti, Noé,
    cheguei tarde!
    O governo já se encarregou de fazer isso!!!!!!!!!!!!!!!

  559. BERLUSCONI E SARNEY

    Laerte Braga

    O jornal espanhol EL PAÍS revela que o primeiro-ministro italiano Sílvio Berlusconi contratava prostitutas para festas num dos palácios do governo. Uma das prostitutas contratadas reclama que o pagamento prometido era de dois mil e quinhentos e recebeu apenas mil euros. Foi mais além. Que entre os folguedos um deles consistia em ficar nua diante da foto da mulher do primeiro ministro.

    Berlusconi tem pelo menos um grande amigo no Brasil. Gilmar Mendes. Não deve ser coincidência que Daniel Dantas tenha negócios na Itália, que Cacciola por lá tenha estado em vilegiatura concedida por Marco Aurélio Melo (perdeu os privilégios provisoriamente e está em descanso na carceragem da Policia Federal). Os três, Berlusconi, Dantas e Cacciola são banqueiros e Gilmar recebe banqueiros pelos fundos através de embaixadores.

    Cesare Battisti, no final da historia, é o culpado de tudo isso.

    E José Sarney é o presidente do Senado brasileiro. Não deve ser coincidência também que o senado romano tenha tido entre os pares o preferido do imperador Calígula, seu cavalo Incitatus.

    É tudo uma questão de tempo e espaço.

    Brasileiros, de um modo geral, temos a sensação que a independência do Brasil foi só aquele negócio de D. Pedro que viria a ser o primeiro, sacar da espada depois de ler uma carta de José Bonifácio e gritar “independência ou morte”. Feito isso os portugueses foram embora, as coisas se ajustaram para a construção de um grande império e tudo terminou num golpe de estado de um velho marechal que chamaram de proclamação da República. E como dizia Sérgio Porto, “pedra que rola pela ladeira, vida que vai…”

    A imagem que ficou de D. Pedro II foi a de ter morrido com a cabeça repousada sobre um travesseiro recheado de terra do Brasil.

    Onde começa a esculhambação eu não sei. Com certeza não foi na Babilônia.

    O Brasil se assemelha àquele sujeito imenso que em minha época de estudante era apelidado de “Fenemê”, em alusão aos caminhões FNM (Fábrica Nacional de Motores) absolutos e imbatíveis em nossas estradas. O “Fenemê”, falo do sujeito, resfolegava e carregava às costas todos os Berlusconis e Sarneys em todos os tempos e ainda achava tempo para referir-se ao ilibado presidente do nosso Senado como o filho do Sir Ney. Isso enquanto tomava uma xícara de café na cozinha da casa grande, antes de voltar à senzala.

    Senzalas hoje ganharam novas versões e novos contornos. Via de regra chamam-se shoppings, são sinal de progresso e garantia de consumo. O monte de Homer Simpson extasiado diante do fio de pano vendido a trocentos reais no milagre do crédito e os formigueiros cercados de perigosos moradores das adjacências. Adjacências, aliás, que o governador Sérgio Cabral já está cuidando de manter à distância através de muros que garantam o cheiro Avon, aquele que bate à sua porta.

    E toda uma estrutura de Pastinhas subindo, correndo e descendo, enquanto vão sendo encaçapados pios e obedientes cidadãos na consciência que esse é o mundo real.

    O distinto ou a distinta tem uma roseira à porta de sua casa. Abre a janela enxerga a roseira, mas mergulha na fumaça tóxica que nem sempre está no cigarro. Costuma estar na marcha aparentemente desordenada em direção ao cumprimento do dever.

    Há anos atrás, muitos, ainda tinha aquele negócio de ganhar um relógio Ômega, de ouro e alta precisão ao se aposentar. “Lembrança de Antônio Ermírio de Moraes ao Mane/Maria que doou seu sangue por trinta e cinco anos para o progresso”. Era motivo de orgulho familiar, honra, tudo pelo bem dos Ermírio de Moraes.

    É preciso um resgate com a nossa história. O fato de D. João VI ter advertido o filho Pedro para colocar a coroa na cabeça antes que algum aventureiro o fizesse foi só a percepção de uma raposa pré-PSD e uma baita jogada política para favorecer o outro filho, favorito de Dona Carlota Joaquina.

    Em cima dessas estruturas, com um ou outro laivo histórico, digamos assim, de lucidez se construiu a República dos decretos secretos. Na ditadura serviam para, entre outras coisas, compra de material de tortura direto na matriz, os EUA. Ou para remunerar especialistas como Dan Mitrione (professor de Brilhante Ulstra e outros menos votados).

    Nos tempos atuais para nomear genros e mães de genros.

    No Kremlin, no tempo de Stalin, era comum que as fotografias fossem retocadas e quando isso acontecia uma pessoa sumia da foto original. Sumiram muitas. Nem o fato do pintor Pablo Picasso ter sido do partido comunista espanhol fez com que Stalin admitisse a pintura do notável artista. Não condizia, segundo Stalin, com a realidade ou o realismo socialista. Na prática Stalin não conseguia era entender patavina do que via e era mais cômodo proibir.

    Se alguém apresentar uma PEC – Projeto de Emenda Constitucional – para fazer desaparecer do mapa o governo Sarney, os romances de Sarney e o seu legado – putz! Que avacalhação. – vai estar absolvido pela História. É diferente de Stalin. É questão de vergonha na cara. Vergonha nacional, na cara nacional.

    Imagine daqui uns mil anos quando os arqueólogos de 3009 forem escavar o Maranhão e encontrarem rua não sei o que Sarney, escola não sei o que Sarney, restaurante não sei o que Sarney, matriz São Sarney a dúvida que isso vai gerar.

    Quem foi esse Sarney? Um deus dos primitivos habitantes das estranhas senzalas que chamavam de shopping? Um imperador? Um enviado dos céus? Um extra-terrestre de uma galáxia distante que veio à Terra construir uma pirâmide secreta?

    E, pelo bem geral da Nação, não guardem nenhum jornal com as declarações de Lula sobre a história de Sarney e sobre não ser o Sarney um homem comum. Claro que não é. Nada de colocar edições de jornais e revistas que contemplem esse regalo presidencial, tudo de olho em 2010.

    O choque vai ser maior quando depois de longas e exaustivas investigações esses arqueólogos conseguirem descobrir que o JORNAL NACIONAL era pura mentira e os incautos escravos transformados em consumidores, ou bolas para as caçapas em mesas de sinuca nas fotos montagens da realidade irreal – tem que faça e quem deixe fazer – acreditavam e adoravam um deus chamado William Bonner.

    Sarney é só um bobo da corte que como todo bobo de toda corte sabia e ele sabe que precisa de toda a esperteza do mundo para ludibriar tudo e todos à sua volta, usar “grecin” para manter os cabelos na cor natural e substituiu as fotos no modelo stalinista, pelos decretos secretos, de grande utilidade para a ditadura militar à qual serviu servilmente aí como bobo mesmo. Com gorro, guizo e tudo o mais.

    E pasmem-se, vai haver tese de mestrado, doutorado o diabo para decifrar o real significado de ABL – Academia Brasileira de Letras –, suas funções, a que se propunha e o que lá fazia o tal José Sarney, filho do Sir Ney.

    E como em todas as investigações arqueológicas, ou quase todas, dúvidas persistirão.

    Que nem caixa preta de avião quando cai. Tem mil pareceres diferentes. Exceto para VEJA, onde o culpado é sempre o piloto.

    Quando forem guardar a caixa com as pesquisas sobre Sarney vão colocá-la ao lado da de Berlusconi, no item situações ridículas dos primitivos habitantes do século XXI. E uma baita interrogação – terá tido razão o embaixador que disse a De Gaulle que o Brasil não era um País sério?

    Sei lá, só sei que quando Charles André Joseph Marie De Gaulle veio visitar o Brasil foi necessário arrumar uma cama extra para o presidente francês, pois o dito media mais que dois metros de altura.

    E arrumaram.

    No caso de Sarney é diferente, preside um circo, onde poucos se salvam.

    No fundo pior mesmo foi a moça na Itália contratada por dois mil e quinhentos euros e que só recebeu mil e ainda foi obrigada a ficar nua frente à foto da mulher de outra variedade de Sarney. Sílvio Berlusconi. Outro bobo esperto.

    A moça, está no prejuízo até hoje e não tem nem como cobrar juros bancários do primeiro-ministro banqueiro, a não ser que consiga convencer Gilmar Mendes a receber o embaixador e acertarem um acordo em nome do patriotismo e contra o terrorismo.

    Como diz Millôr, Sarney acha que a imprensa só publica “coisas impublicáveis”. Sarney por exemplo.
    __._,_.___
    .

    Recado a Tene Cheba:

    Por favor não fique emocionando muito o velho senão ele me enterra novamente.

    Hahahahahahahahahahahhhah 😀

  560. Sandra

    Boa noite.
    O texto mudou?

  561. Cintia

    “Cintia uma perguntinha, dá pra mudar o nick lá no Gravatar, pois o exercito brasileiro já está com o leopard1a5?”
    (Leopard)
    .
    .
    Oi Leopard!
    .
    Ó, que dá, dá.
    Como o nick é associado ao email que vc cadastrou, ACHO que vc tem que cadastrar um novo email e passar a usar esse novo email qdo entrar aqui, mas confesso que agora eu tb fiquei confusa.
    Então recorramos às experts no assunto:
    .
    ANUSHKA! MÁRCIA!
    .
    HELP! 😀
    .
    Abraços, Leo! 🙂

  562. Sandra

    Ou foi o meu olhar que mudou, como no caso daquele cubo transparente, que cada vez que olhamos, está numa posição diferente?

    “stop
    a vida parou
    ou foi o automóvel?”
    (Carlos Drummond de Andrade)

  563. Sandra

    Foto? Sério, Gerald? E uma que, pelo jeito, não posso mais mudar?

  564. Sandra

    Boa noite a todos! Beijos!

  565. para mim sumiram nesta página a foto do Gerald e o link para GT.com .

  566. Cintia

    Double WOW!
    Oi, Gatão!!
    😀

  567. gthomas

    Como assim, Sandra, nao pode mais mudar?
    Acho que pode-se colocar a foto ali, e (des)tirar.
    tanto quanto se queira

    O Claudio deve saber dessas coisas.
    Olha ele aqui em cima
    LOVE
    G

  568. gthomas

    De fato, Claudio, a foto sumiu
    mas – pra mim aqui – os links estao todos la.

    Eu so tinha perdido o do Guzik mas que recoloquei hoje
    os teus 2 estao la,

  569. gthomas

    Estranho: impressao minha ou ninguem aqui comentou a interessantissima carta do Gunter Axt que coloquei aqui outro dia

    LOVE
    G

  570. Rio Maynart

    Aqui também deixo o meu silencioso ADEUS ! Só por deixar… ele também não será notado… Já há algum tempo venho sentindo uma sensação de abandono dentro e fora deste Blog… A despedida do Gerald foi a GOTA D’ÁGUA! Voltar… Voltarei um dia?… Talvez… mas isso também não tem importância… Acho que a minha virtual presença será invisível… Não será sentida ou percebida… mas há muito também já nem me sinto, embora sempre me perceba…

    Sentirei saudades de todos… Alguns mais do que outros… mas sentirei saudade… Tene, Pacheco, Targino, algumas meninas, Vamp, Ah! Vamp… e o Gerald… GERALD!!!… Parece que se passaram séculos desde a última BLOGNOVELA…. Ah! As BlogNovelas!!!… Estas eu jamais vou esquecer!
    MUITO OBRIGADA A TODOS! Obrigada Vamp! Obrigada Tene, Pacheco… Obrigada a vc, Gerald, por me receber no seu Blog e pela sutil e gentil atenção que você e o Vamp me dedicaram por todo esse tempo.
    THANK YOU VERY MUCH!
    Meu silencioso Adeus!… Para sempre?…Eu ainda não sei… Talvez sim; Talvez não… cantarolo uma música… “Talvez eu volte, um dia eu volto… quem sabe…” Vapor Barato. Uma linda canção que Gal imortalizou como ninguém e que traduz aqui e agora a minha despedida e uma possivel e incerta futura volta.
    GOODBYE, MR. THOMAS!
    Beijo em TODOS!
    ADEUS!

  571. Maga Patalógica

    Eu como bruxa naum estou entendendo nada e gostaria de saber como posso postar os comentários, juntinhos como a minha vassora e o meu rosto, óbvio, espero naum assustar oces,

  572. Cintia

    Ó, comentar, comentar, eu não comentei propriamente não, mas destaquei um trecho que me chamou bastante atenção, e se não me engano, o Claudio tb.

  573. leopard1a1

    Cintia agradeço o interesse, mas para cadastrar foi dificil, então apesar de 3 anos de defasagem e melhor deixar como está(são apenas detalhes sem importância) é a mesma coisa que tentar descobrir diferenças entre um caminhão 2001 e o mesmo 2004.
    Pacheco recebo com alegria sua explicação, mas sabe como é né tem gente muito ciosa de certas coisas, mas mando mais um abraço ao amigo.
    leopard1a1

  574. Sandra

    “Why would I want you to enter my universe? Why would I care? Because when I began my theatrical life, life as such, the scene itself was sparkling, glowing with ingenuity and the wonderful taste of the avantgarde. We had the Village Voice and the SoHo News (amongst others) for intellectual support (or debate) and plays were multifaceted: multimedia and so on. Everything from darkness to brand new monitors were growing on stages.

    There were dozens of theater companies, from the ones based at La MaMa, to the Public Theater, or PS122 or in lofts in SoHo or in garages or, even, imports by BAM.” (GT)

    “Yesterday
    All my troubles seemed so far away
    Now it looks as though they’re here to stay
    Oh, I believe
    In yesterday

    Suddenly
    I’m not half the man I used to be
    There’s a shadow hanging over me
    Oh, yesterday
    Came suddenly

    Why she
    Had to go I don’t know
    She wouldn’t say
    I said
    Something wrong now I long
    For yesterday

    Yesterday
    Love was such an easy game to play
    Now I need a place to hide away
    Oh, I believe
    In yesterday

    Why she
    Had to go I don’t know
    She wouldn’t say
    I said