Tag Archives: Helmut Schmit

Humor: Obama-um negro na Casa Branca e o cartum do New Yorker – Lula e sua falta de humor – o líder dos oprimidos movido a hamburger, sentado, pequeno há anos no Plan-Alto

Existe vida fora do Brasil, acreditem patriotas brasileiros e fanáticos por escândalos. Acreditem.

Sim, aí fora existe uma coisa enorme chamada de MUNDO. Sei que ofendo muita gente dizendo isso. Sei que na língua portuguesa, ou melhor, na brasileira, tudo que está “dentro do Brasil”, está “aqui”, e o resto esta “lá fora”. Estranho isso de se referir como algo vindo a “lá de fora”. Sensação de que no Brasil se vive numa imensa prisão. Talvez, justamente por isso essa questão de impunidade REInante nesse país, com a elite sempre solta, gozando dos pobres, sacaneando o sistema, latindo em sânscrito ou aramaico, ou algo além do STF, numa linguagem críptica que eles e somente eles e o STF podem entender. Nem o tadinho do pobre o oprimido do eleito Lula entende. Aliás, o cara não entende porra nenhuma mesmo. Outro dia ele disse que no Vietnam os americanos eram bem alimentados por “hamburgueres”. Bem, tem um filme que ele não deve ter visto –”Supersize me”- onde o cara se filma comendo somente hamburger durante um mês:

Resultado: fica impotente, a pele fica podre, começa a ter cirrose, tem todo o tipo de crise (até mental).

Lula, meu querido; a típica dieta americana, seu invejoso: STEAK de primeira ordem, do Texas, baked potato, feijão doce (baked beans) ou ervilhas com cenoura, um pedaço enorme de abóbora (PUMPKIN) e o milho mais DOCE do mundo, SWEET Corn!

Ah sim, presidente, quando abrir a boca, lembre que, há 30 anos exatamente, o Senhor demitiu, num pacto que fez com Helmut Schmit, premier da BRD, Alemanha, 3 mil metalúrgicos de uma só vez! Isso durante a ditadura! Sabe o que dizem? Não, não posso publicar! A Censura Xenofóbica brasileira quase levou esse governo a expulsar Larry Rohther, correspondente do New York Times no Brasil, por dizer uma verdade sobre o alcoolismo do presidente. Quarenta dias apos a notícia, foi o proprio Lula que confessou que “tinha probremas” com a bebida. Esse país aqui “dentro” se basta, né?

Bem, sobre o cartoon publicado na capa do New Yorker semana passada, onde Obama estava vestido de islâmico extremista e tal: bem, é o seguinte: Botou a cara pra bater, negro, branco, ou amarelo, ou verde e amarelo: o homem esta concorrendo a Presidência dos Estados Unidos.

Será o primeiro Negro na Casa Branca se nosso deus divino e supremo deixar! Foi uma tentiva da revista do ex Mr Shawn, pai de Wally, de tentar ridicularizar os conservadores mas a repercussão chegou a um ponto de não retorno. Escreveu a colunista Maureen Dowd do New York Times:

“Quando eu entrevistei o comediante Jon Stewart e o Stephen Collbert para a revista Rolling Stone há dois anos, eu me pegava questionando o que Barack Obama significaria para eles”.

“Obama seria um pouco mais difícil pra satirizar que os caras de hoje”, eu disse.

Stewart – “Você ta brincando?” Colbert, logo em seguida disse: “ O pai dele era um pastor de bodes!”

A Colunista ainda nota que, no seu livro de memórias, Obama diz que já fumou maconha, bebeu e até cheirou! A gíria pra cheirar um pouquinho é “a little blow” (“blowing in the wind” – Bob Dylan, se quiserem) (assim como STONE, vem de “being stoned”, de fumar maconha, que vem também de uma letra de Dylan, e deu o nome à banda de Jagger e à revista a qual Maureen Dowd se refere, a Rolling Stone: que fique claro mais uma vez, cambada de maconheiros: eu ODEIO maconha.

A Contracultura foi um movimento forte nos Estados Unidos. Assim são as liberdades civis. Elas não vem “de fora”. Dr Martin Luther King Jr, Malcom X, Robert Kennedy e muita gente morreu pra que hoje tenhamos a livre expressão, aquela que chamamos de FIRST Ammendment.

Notando na entrada da cidade de São Paulo, O rio Tietê é simplesmente o rio mais LIMPO DO MUNDO. Afinal, onde já se viu tanta espuma boiando num único rio ou riacho urbano? No Thames em Londres? No East ou Hudson de NY? No Rhein ou no Tevere? Claro que não! O Brasil é o melhor país do mundo. Aqui não se precisa lutar por liberdades civis porque nunca houve restrição à elas, não é mesmo? Quanto ao rio Tietê, aquela espuma toda me leva a pensar que ele, o rio, toma banho todos os dias, com sabão, shampoo, condicionador, etc.

Esse sim é um país que se basta. Tem um presidente que não precisa de críticas e nem sabe o que e uma auto crítica (deve achar que se trata de uma revista de auto-mecânica). Aqui ainda é o pais do futuro, do pretérito, onde as coisas básicas (como abrir a torneira e poder beber água, por exemplo) são coisas d’outro mundo.

Quanto a Obama e os cartoons. E o mundo “lá fora”, ah, que besteira Gerald Thomas. Se toca cara! Pega essa merda de teatro, que tu faz pra inglês ver, e dá o fora daqui. O Brasil não precisa de você

E vindo “lá de fora”, no ÚLTIMO SEGUNDO: um terremoto na Califórnia (via quente, em português, claro) acaba de destruir uma das mansões do GOVERNADOR austríaco, e modelo nu de Robert Mapplethorpe, astro de action movies como TRUE LIES, Arnold Schwarzenegger! Viva com uma bomba dessas!!!!

Gerald Thomas (ou algum outro se banhando no Tietê), cai fora seu viado!

78 Comments

Filed under artigos