Patrulhismo ideologico.

CORREIODOBRASIL

Otários que não admitem opiniões divergentes e Fascistas que ameaçam com todos tipos de insultos….

A frase não é minha. É de Cacá Diegues: “Patrulhismo Ideologico”. Então a coisa não é de hoje. No entanto, ainda fico PASMO com a reação de vocês. Fico pasmo com a reação quase fascista dos brasileiros quando leem alguma coisa sobre política que não esteja dentro dos moldes exatos que gostariam.

Aqui nos EUA, temos a figura horrível do Trump que varia entre ser uma piada ambulante ou o verdadeiro terror do Reality Show chegando à politica. Mas NUNCA, JAMAIS, NUNCA, um amigo deixaria de gostar do outro ou começaria a “ameaçá-lo” com insultos por causa de algum possível endosso politico a A, B ou C.

Penso que, de fato, o Brasil ainda não se recuperou MESMO dos anos “dungeon” da repressão militar. Perfeitamente compreensível.

Eu sei bem como foi. Eu trabalhava, como voluntário, na Amnesty International em Londres (Secretariado Internacional (ou seja, a sede) e defendia os presos políticos, asilados, refugiados, desterrados, torturados, desaparecidos, etc, BRASILEIROS. OK.

TENDO dito isso, nao entendo o VENENO que despejam contra mim quando resolvo publicar uma coluna de Helio Schwartzman (da Folha) sobre o que ELE acha do Brasil atual. Nossa! É   morte. É a verdadeira calamidade de palavrões e dos donos da verdade, etc.

Já aqui, convido gente pra jantar (as vezes) e são pessoas de todas as espécies. Algumas são, obviamente “ardentemente” PRO-Obama, outras torcem pra Bernie Sanders (nessa próxima eleição). Outros são pela Hilary mas, como não podia deixar de ser, tem de tudo. Tem até gente que gosta do Trump ou do Rand Paul ou até do “hiper perigoso” Marco Rubio e por ai vai.

Mas nunca, NUNCA, a conversa atinge tons agressivos ou insultosos. Por que? Porque sabemos que quem acredita em políticos (seja qual for o político, seja qual for o partido) é um OTÁRIO – Baba OVO, que idolatra carneiro de ouro e por ai vai.

Fico besta e fico pasmo em perder amigos no Brasil por causa de uma porra de uma Dilma, duas Dilmas ou três Dilmas. Nao dou um tostão furado por político de carreira ou pelas carreiras que eles cheiram pra chegarem lá. Não sou obrigado a ler tanta asneira. Minha família foi TORRADA em campos de concentração ! E o que o “povo” fazia? Berravam “HEIL” !!!E os “intelectuais” BERRAVAM “HEIL”? A mesma coisa que agora: “euforizavam essa asneira movida a EGO, PODER e MENTIRA!

Idolatria é pra OTÁRIO !!! É só olhar pra essa TRAGÉ DIA ACONTECENDO NO ORIENTE MÉDIO, os 4 milhões de refugiados, etc.

(ah, é claro….é culpa dos Americanos…eu ja estava quase me esquecendo!)

Gerald Thomas (num dia de inigualável humor).

Gerald Thomas, diretor e autor teatral, escritor, encenador polêmico, criador de uma estética elaborada a partir do uso diferenciado de cada um dos recursos teatrais e orientada pelo conceito de “ópera seca”. Renovou a cena brasileira nas décadas de 1980 e 1990. Dirigiu no ano passado, a peça musical Entredentes com o cantor e ator  Ney Latorraca, nos teatros do Sesc de São Paulo e Rio de Janeiro.

Direto da Redação é um fórum de debates editado pelo jornalista Rui Martins

EM MEMÓRIA DE BETTY LAGO

September 13, 2015 · 4:56 pm
BETTY LAGO – glorious, dead at 60 and the amazing support on Facebook

Sobre Betty Lago-

Nos conhecemos aqui em NY quando ela era modelo pro Calvin Klein. Nos víamos e morríamos de rir de tudo, dessa farsa toda, dessa palhaçada toda: já deixei coisa escrita aqui, ja chorei, ja lembrei das nossas viagens aos Castelos de Caras na França e aqui em Tarrytown, NY, das nossas noitadas, nossas gargalhadas com o Sig, Nelsinho, Zalis, Bruxinha, Gilda, Constacia…Danio Braga…que MERDA!!!!!! QUE MERDA. E quando a gente ficava atirando espigas de milho na piscina aqui em Tarrytown em 2008, com a Rosinha Maria Murtinho e Suzanna Vieira horrorizadas (até que recebi a noticia da morte do meu ex-sogro, Fernando Torres…e… tudo acabou) QUE MERDA TUD ISSO!
Eu queria poder escrever um daqueles mega textos lindos que você merece porque você é uma pessoa linda. Desde que soube da doença NUNCA deu o braço a torcer. Pelo menos pra mim, sempre se mostrou maior que a vida, zombando dela, como fazíamos nas décadas passadas. Mas a tua morte ME DERRUBOU, Betty. Me derrubou! Não estou conseguindo escrever porra nenhuma que preste. Mil perdões, Você sabe que eu te amo e…..me espere ai: logo logo a gente apronta ai onde você está e bota pra quebrar!
R.I.P Betty . Vá em paz meu amor. Lagrimas nos olhos. Nó na garganta!
Gerald

 

 

http://correiodobrasil.com.br/recado-aos-otarios-e-fascistas/

Comments Off on Patrulhismo ideologico.

Filed under Uncategorized

Comments are closed.