Ney Latorraca – Gerald Thomas e Edi Botelho: leitura / ensaio de ENTREDENTES no Rio (estreia depois do Carnaval – 2014)

Protestos lindos e justos esvaziados por COVARDES como os Black bloc - movimento endossado por idiotas como Caetano Veloso

Protestos lindos e justos esvaziados por COVARDES como os Black bloc – movimento endossado por idiotas como Caetano Veloso

Ney Latorraca and Gerald Thomas - text in hand

Ney Latorraca and Gerald Thomas – text in hand

Edi Botelho amd Ney

Edi Botelho amd Ney

– estou derrotado pelo Brasil. Derrotado! Essa “merda” horrivel que se promove atraves de suas praias , praias , praias – e mais praias – mas continua sendo a MAIOR ROUBALHEIRA – pobreza – um horror!!! (não precisa ir muito longe – não precisa filmar o sertão – nordeste: BASTA FILMAR UM PONTO DE ONIBUS NA RUA BARATA RIBEIRO EM COPACABANA!!)

– CHEGA !

CAETANO VELOSO QUE VA A MERDA ENDOSSANDO OS BLACK BLOC (canalhas – idiotas e covardes!)

AQUI ESTA A OTIMA (MARAVILHOSA) CRONICA – DE NELSON MOTTA – hoje no O GLOBO

“Parei minha moto no shopping, roubaram a tampa da válvula do pneu. Tinha uma ótima tesoura Tramontina para tosar meus cachorros, mas alguém a trocou por uma de pior qualidade. O médico me mandou tirar radiografia desnecessária só para gastar dinheiro do plano de saúde. Minha revista semanal sumiu na portaria do prédio…”
A prosaica semana de um leitor carioca de um bairro de classe média, tão banal e parecida com a de milhões de brasileiros, mostra como o roubo e a sem-vergonhice estão arraigados na nossa cultura, atrasando o crescimento do nosso IDH, por mais que se invista em educação, tecnologia e infraestrutura. Mas não estamos condenados a essa cultura que privilegia a mentira e a fraude, que aos poucos vai cedendo aqui e ali por força da lei, da policia e da Justiça, e aos trancos e barrancos o Brasil vai melhorando.
Há quem acredite que o Brasil está rico, poderoso, soberano, solidário, mas 43% dos alfabetizados não sabem ler, mais da metade das cidades não tem esgoto tratado, 1/3 das Câmaras Municipais, Assembleias Estaduais e Congresso Nacional estão nas mãos de processados ou condenados pela Justiça. O que esperar dessa gente ?
Ao contrário da cultura legal anglo-saxônica — baseada no pressuposto que o cidadão está dizendo a verdade e sabe que vai sofrer graves consequências se não estiver —, no Brasil a ideia básica é que, em principio, todos podem, e devem, estar mentindo, daí a necessidade de tantas exigências de provas e documentos e assinaturas e autorizações e controles e fiscalizações, que aumentam a burocracia e, com ela, a corrupção. Somos o país do “minto, logo, existo”.
Só aqui há documentos que precisam de “firma reconhecida” e outros que exigem a presença física no cartório, como se umas fossem “sérias” e outras não, mas as fraudes não diminuem. Por essas e outras abrir uma empresa no Brasil leva vinte vezes mais tempo do que nos Estados Unidos ou no Chile.
A verdade, caros leitores, é que são vícios crônicos inspirando uma crônica chata, resultado de muito trabalho vão e de um grande esforço para não falar do mensalão. Paciência, semana que vem melhora.

Nelson Motta é jornalista

Advertisements

Comments Off on Ney Latorraca – Gerald Thomas e Edi Botelho: leitura / ensaio de ENTREDENTES no Rio (estreia depois do Carnaval – 2014)

Filed under Uncategorized

Comments are closed.