Philip Glass on Gerald Thomas

Philip GLASS on Gerald THOMAS from Patrick Grant on Vimeo.

 

Composer Philip Glass speaks about playwright, director and long time collaborator Gerald Thomas and his Dry Opera Co. Interview conducted January 2009 by Patrick Grant in New York City.

_________________________________________________________________________

Gerald Thomas

 

 

Nascido em 1954, Gerald Thomas passou a vida entre a Inglaterra, o Brasil, a Alemanha e os Estados Unidos, formando-se como professor de filosofia e começando a vida teatral no La MaMa Experimental Theater. Lá, Thomas adaptou e dirigiu 19 estréias mundiais de peças dramáticas e em prosa de Samuel Beckett. No início dos anos 80, Thomas começou a trabalhar com Beckett em Paris, adaptando novas ficções do autor. Destas, as mais notórias foram “All Strange Away” e “That Time”, estreladas pelo legendário fundador do Living Theater, Julian Beck, em seu único trabalho como ator teatral fora de sua companhia.

Em meados dos anos 80, Thomas envolveu-se com o autor alemão Heiner Müller, dirigindo suas obras nos Estados Unidos e no Brasil, e começou uma duradoura parceria com o compositor americano Philip Glass.
 

Philip Glass

 

 

Philip Glass (Baltimore, 31 de janeiro de 1937), compositor americano que está entre os compositores mais influentes do final do século XX. Sua música é normalmente chamada de minimalista, (embora não aprecie esta expressão) caracterizada pela repetição de elementos musicais mínimos. Seu trabalho é influenciado pela música oriental, pelo serialismo e pelo aleatorismo.
Glass é  um compositor muito prolífico tendo produzido inúmeros trabalhos entre óperas, sinfonias, concertos, trilhas sonoras para filmes e outros trabalhos em colaboração com outros músicos. Tem dois filhos e atualmente possui residência no estado de Nova Iorque nos Estados Unidos e na província da Nova Escócia no Canadá. É defensor da causa tibetiana.

 

(Vamp na edição)

 

Advertisements

100 Comments

Filed under Vídeo

100 responses to “Philip Glass on Gerald Thomas

  1. gthomas

    Cade todos os comentarios daqui????

  2. gthomas

    O que esta havendo, IG?

  3. Caro Gerald,

    Linda entrevista concedida por Philip Glass, um dos maiores compositores da atualidade….

    por mais que eu nao assista nem seja muito fa do teatro, por razoes bem proprias, e nao por nao gostar, parabens, por ter se tornado esse grande e completo autor e diretor teatral!!

    forte abraco,
    Denny Yang
    (coloquei um link para a entrevista em meu blog)

  4. Gregório

    O blog está com problemas nos comentários. Por algum motivo desconhecido, alguns sumiram.

  5. KY

    UM C5 PARA GARANTIR!
    STJ rejeita embargos de Zuleido Veras e José Reinaldo Tavares
    A Corte Especial do Superior Tribunal de Justiça (STJ) rejeitou os embargos de declaração interpostos pelo dono da construtora Gautama, Zuleido Veras, e pelo ex-governador do Maranhão José Reinaldo Tavares. Por unanimidade, a Corte acompanhou o voto da relatora, ministra Eliana Calmon.
    Zuleido Veras continuará com os seus bens bloqueados pela Justiça como forma de garantir o ressarcimento dos prejuízos aos cofres públicos, caso seja condenado na ação penal que apura um suposto esquema de fraudes em licitações de obras públicas. José Reinaldo Tavares não conseguiu a liberação do veículo modelo Citroën C5, que foi apreendido durante operação da Polícia Federal.

  6. Ainda ontem comentei que estamos nos Autodestruindo.

    Pelo visto e lido hoje posso dizer também que estão nos autodestruindo.
    Como assim comentários sumiram?
    Sumiram sem mais nem menos?Sem razão?
    Estaremos bloqueados no blog?
    Ou a Internet se incorporou à crise?
    O Mandraque era o mágico dos meus gibis do passado, e não faria melhor.Aliás, nem certeza tem se Mandraque sumiria tão espetacularmente com comentários da noite para o dia.Mandraque era ilusionista e fazia o outro por hipnose acreditar no que via conforme o desejo do mágico que lutava contra o mal.Seu companheiro Lothar sempre ao lado garantia os ataques físicos caso bandidos atacassem o patrão.
    Portanto estamos as voltas com um mistério.
    Quem ou o que deu uma de Mandraque cá no nosso espaço Geraldiano?
    Não quero acreditar que simplesmente os comentários tomaram Doril.E sumiram qual dor de cabeça.
    Não quero acreditar que estamos sendo sabotados.
    Prefiro esperar e provavelmente logo mais tudo será explicado.
    No global da informática toda problemática tem uma solucionática como diria o futebolista que marcava gols a moda beija –flor.O Dadà lembram?O Dadá Maravilha!Pois é.
    Então ficarei esperando a renovação e a volta a normalidade.
    Até lá.
    Abraços.
    Obrigado.

    Pacheco.

  7. Loucura das loucuras gente.
    Acabei de enviar e já estou na tela aguardando moderação e acima do comentário da Francyni.

    Que maravilha de confusão. Olha ai uma mostra do que é ou pode ser um balaio de gatos RsRsRs.

    Francyni.
    Anino e
    Mister Vamp (o belo segundo o trata a minha princesa Ana Luiza)

    Na seção anterior deixei recados e pedido.

    Confiram se é que também não sumiram.

    Vou saindo agora, pois já estou com medo de sumir também.

    Tchau people.

    Obrigado.

    Pacheco.

  8. Puta merda

    Agora a Francyni sumiu.

    Sério.

    O que está acontecendo.?

    Bye

  9. E agora a Francyni reapareceu?

    Estamos sendo alvo de marcianos?

    Ou o pt já anda internelarapiandonet.

    Putz grilo.

    Sei não.

  10. Reparem please os horários.

    Mandei agora sendo mais de dez horas em Caravelas e entrei como enviado as 08 33.

    È…será que posso penasr em teoria conspiratória?

    Absurdo.
    Irreal.
    Fantástico.

    Ou simplesmente estão de gozação?

  11. Tentei entrar na seção anterior.

    Tudo sumido.

    Vou ao médico agora.

    Ou tem explicação ou estarei fudi ..( desculpem).

  12. -O que achas disto Holmes?
    -Disto o que Watson?
    -Dos sumiços caralho tá de bobeira meu?
    -Sei lá.Pode ser que o Pacheco tenha se aproximado.
    -Aproximado! De que?
    -Da teoria da conspiração.Da internetlarapia.
    -Não posso acreditar!
    -Nem eu mas ele está teclando e portanto botando palavras em nossas bocas estupido.
    -Quac Quac Quac. digo RsRsRs ou HoHOHO.

    Não seria uma igconspiração?

  13. 05/02/2009 – 00:00

    Enviado por: gthomas

    Cade todos os comentarios daqui????

    Gerald!

    Vai ver que o gato comeu……. o IGATO.

    Bom te ler no blog again.

    Love .

    Pacheco.

  14. FRANCINY CHEQUER

    Nossa sumio tudo, acabei de escrever e quando enviei sumiou

  15. O Vampiro de Curitiba

    ATENÇÃO, PESSOAL : ESTAMOS COM PROBLEMAS NO BLOG. OS COMENTÁRIOS SIMPLESMENTE DESAPARECERAM.

  16. Ontem, no final da noite, avisei que não estava conseguindo abrir o video e que tudo estava complicadíssimo por aqui, até mesmo para abrir a página. Aparecia uma tela negérrima, com alguns escritos estranhíssimos, em ingles, apontando numero de pessoas on-line, etc.

    Enviei pra voce, Vamp, uma mensagem nesse sentido e, quando acabei de enviar, sumiu …
    Desliguei meu computer, então – que está rigorosamente em ordem.

    Beijo a todos!
    Susan

  17. Bond, James Bond

    007 e o misterioso caso de desaparecimento dos comentários.

  18. Apenas para descontração … (rsrs)

    Há tres meses que leio e escrevo aqui – amo! Passei “bons dois meses e meio” com meu horário no “tunel do tempo” e esse problema do IG foi resolvido há pouco. “Fiquei em tempo real”.

    Estou, outra vez, no “túnel do tempo” (rs). Meu comentário das 10.56hs. de hoje na realidade foi enviado às 11.56hs.

    Já sei! Não temos culpa – essa daí é do IG!
    Beijo e … bom dia para nós todos!

    Susan

    Att.: No stress, please, ok? Apenas … aguardemos a “solução prática de mais este problema” do IG!!!

  19. nós, Proudhon e Bakunin...

    ”Sumiram TODOS comentários de TODOS os posts anteriores!!!
    Desse jeito não dá mais!!!” ( Vampiro)

    Que tragédia!!! ainda mais que eu comentei para k…aramba

    Mas será que sumiu para SEMPRE? K Ç…amba, viu!

    Ó a música desse desastre, do Sex Pistols( já aproveitando o clima londrino do BLOG):

    Não sei se isso é cômico; ou se é muito triste….

    Abraços.

  20. Ronald

    Xiiiii.
    Como dissemos no mundo virtual.
    Deu pau no HD.
    abrx

  21. FRANCINY CHEQUER

    estamos sendo atacados, por marcianos???????????

  22. Neo

    Eu atualizo e meu comentário e ele desaparece; daí eu atualizo de novo e ele reaparece…

    Parece o filme Matrix esse BLOG…

    Há algum agente Smith infiltrado aqui no blog,com certeza!!!

    ALERTA! ALERTA! ALERTA!

    A CENA DE LUTA MAIS LEGAL DO CINEMA

    Abraços… Vamp e Gerald, vocês devem retomar o controle do Blog, não deixem o agente Smith tomar conta!!!

  23. O Vampiro de Curitiba

    Sumiram TODOS comentários de TODOS os posts anteriores!!!
    Desse jeito não dá mais!!!

  24. Francenildo

    Eu tive a minha vida vasculhada… até a conta do meu banco, sem autorização, penetraram… PENSEI QUE O TREM DAS 13 ME MATARIA.

    O IG tem fama de… bem!…deixa pra lá…

  25. FRANCINY CHEQUER

    Nossa alguem entrou no post, anterior, tem somente um comentario, na verdade o IG, está na verdade nos sabotando, gente, eles estam fazendo a moderação no lugar do Vamp, ou eles já se cansaram sempre dos mesmo.

    IGGGGGGGGGGGGGGG favor verificar

  26. KY

    Conforme o blog do Paulo Henrique Amorim, colhido de uma conversa informal
    com o seu amigo Mino Carta, na noite de Terça-feira, antes anunciar o encerramento das atividades do blog do Mino, sua desilusão com ALIBARBUDO, beirava a perplexidade.
    Alegou que sua biografia, não o permitia, apoiar a volta do Centrão.
    Na volta do Centrão ALIBARBUDO, ocupa o lugar de ROBERTÃO,mas o “Barba” o só anda de avião.
    Imaginem os matutos, o que ainda nos espera.

  27. O Vampiro de Curitiba

    Pessoal, vamos parar com teorias de conspiração.
    É um problema técnico e já está sendo resolvido.
    Todos os comentários estão salvos.
    Logo, logo tudo volta ao normal.

  28. A verdade nos prende, é pecado duvidar.

    É pecado duvidar de Deus, de Jesus Cristo, das pesquisas de opinião, do holocausto.
    Foram mortos 6.000.000 de judeus.
    A metade da população de São Paulo.
    Mais que 10% da população do Brasil, na época.
    Alguem ja calculou a infra-estrutura de necessária para
    prender, transportar, assassinar e cremar tanta gente?
    Com a guerra pipocando em varias frentes precisando
    de soldados, armamentos, suprimentos, serviços médicos.
    Se o Hitler fez tudo isso sozinho tenho que tirar o chapéu pra ele.
    Aqui o governo não consegue cuidar de estrada, merenda escolar, tem que privatizar.
    A industria da morte era mais eficiente que a maquina de guerra,
    porque, proporcionalmente, morreram mais judeus, na Alemanha e na Polônia,
    que civis e soldados nos paises bombardeados.
    A verdade é suprema, temos que acreditar.
    No caminho da lotérica, encontrei um menino de 6 anos zanzando pela rua.
    Não era um menino pobrezinho abandonado.
    Simplesmente, ele resolveu dar um passeio pela rua.
    Começamos a conversar, tinha na mão um retrato de Cristo.
    Pasmem. Ele era a favor de dar dinheiro para Igreja.
    Amanhã esse menino pode ser um físico, um matemático, um engenheiro,
    um empresário bem sucedido, ou nada disso, mas essa lavagem cerebral
    vai continuar pelo resto da sua vida.

  29. Ana

    Acho que já sei o que está acontecendo nesse blog. É o blog dos umbigos. Todo mundo se aproveita da generosidade do Gerald de manter sua mente aberta a TUDO e TODOS (até em relação a quem resvala para a grosseria), e fala só o que dá na telha: ou seja, política. Tudo bem, até eu adoro falar de política, mas GENTE, ninguém vai comentar o vídeo? Ninguém entende inglês? Ninguém se interessou pela tradução?

    Esse blog é o mais DEMOCRÁTICO da net, mas os leitores não são.

    Gerald, como eu disse há dois posts anteriores (que foi quando vc postou o link para a matéria): é MARAVILHOSO ver o Phillip falando do seu (seu, Gerald) processo criativo! Sinto muito orgulho por poder partilhar a sua amizade! Você, que é um IMENSO talento!

    LOVE,

    Pessoal: please, tentem ver o que o Phill fala do Gerald… Senão concordo que o Gerald não tem muito mais o que fazer aqui. Política e politicagem comentadas é o que mais tem na internet, fora da internet… Até no Google Earth versão 5: tá cheio de “politicagem comentada”. Mas a vida não é feita só disso, né?

    PS: Espero que meu comentário entre. Independente da ordem em que entrar. Ontem de madrugada só tinha um grito no nada do Gerald, pedindo help para o iG. Eu comentei e não apareceu.

  30. Ana

    Em tempo: acho que não preciso explicar que tipo de politicagem está sendo discutida. É, pq de repente volto à noite, e encontro alguma daqueles apontamentos imbecis “Ué, mas ninguém falou do Lula…”

  31. Ana

    Vamp, também notei o sumiço de comentários de todos os posts, ontem já, mas peloamordedeus, o iG não ia apagar os comentários dos leitores. Isso é ilegal. Eles não seriam loucos.
    O que deve estar acontecendo é algum erro de “comunicação” no banco de dados.
    Bom deixa quieto… Fica a excelente matéria aí em cima sem comentário algum…
    Gerald, retiro o que eu (sempre) disse: se sentir vontade de desistir do blog, desista. Sem remorsos.

  32. O Vampiro de Curitiba

    Ana, por favor, nos diga quem são os leitores anti-democráticos.
    Anti-democrático, para mim, é querer pautar o que os outros devem ou não comentar.
    Tem, sim, um monte de blogs falando sobre politica. Tem também um monte de blogs falando sobre poesia, por exemplo.
    A diferença entre este Blog e os demais é que este tem leitores e comentaristas…

  33. KY

    Direito todos sabemos que o cidadão possui, o que o cidadão não possui é amigos
    dentro dos Tribunais para fazer valer o seu direito, assim como os juízes possuem
    às corregedorias para fazer valer os seus privilégios, ao invés de fazerem valer as responsabilidades.
    Britto rebate as críticas de “milícias judiciárias” à aprovação de Súmula
    Brasília, 04/02/2009 – O presidente nacional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Cezar Britto, reagiu hoje (04) com veemência às afirmações feitas por setores do Ministério Público, de que a Súmula 14, aprovada nesta segunda-feira pelo Supremo Tribunal Federal e que assegura ao advogado o acesso amplo aos inquéritos, fez com que o sigilo seja quebrado no Brasil, acabando com a possibilidade de segredo nos inquéritos policiais. “Infelizmente no Brasil ainda há pessoas com raciocínio miliciano, cidadãos que não aprenderam a conviver com o Estado Democrático de Direito. Eles acham que devíamos viver numa época de repressão, em que o cidadão é menos importante que o Estado e não tem direito à defesa”.

  34. O Vampiro de Curitiba

    Ana, o que ocorreu foi um problema técnico do IG que afetou todos os blogs. Os comentários que “sumiram” estão salvos e logo estarão em seus devidos posts.
    Quanto ao Gerald desistir do blog, lamento lhe informar, mas isto não vai ocorrer tão cedo.

  35. O Vampiro de Curitiba

    A nossa querida EZIR fez a tradução de todo o vídeo. Estamos apenas esperando a solução dos problemas no Word Press para colocar no post.

    Muitos leitores não estão conseguindo sequer entrar no Blog.

  36. Ana

    Vamp, eu nunca me enganei com você… Nem com seus e-mails doces, que sumiram quando eu fiquei aguardando uma resposta.

    É óbvio que vc não precisa se lamentar… deixa de ser politiqueiro. Eu sempre fui a primeira a animar o Gerald a continuar com o blog, desde o Uol.

    Acho que não preciso explicar mais. Vc tentou deturpar o que eu escrevi. E isso é imperdoável. Isso é coisa para o congresso brasileiro. Não precisa estender para a vida real.

    PS: Uma hora o trem acerta, e esse comentário entra.

  37. sol -sampã

    Sensacional a entrevista. Gerald homem de Lugar Algum, teu país é o Teatro. wlml

  38. Roberto

    Comentário

  39. Caros colegas,

    Umas duas ou tres vezes no ultimo mes, usei dessa “sutil” (abaixo) observação, quando percebi – na escrita, é claro – muitas “alfinetadas” da turma da cultura das artes (entre aspas) com a turma de assuntos mundiais (cultura/conhecimento geral).

    Assuntos mundiais? Interessam-me, pois, na prática, vivo deles e para eles, inclusive para ter acesso (money) à chamada “cultura enquanto arte”. Dependo de um e outro, apenas isso.

    GERALD THOMAS – DRAMATURGO E DIRETOR TEATRAL COMENTA PROBLEMAS DE ASSUNTOS MUNDIAIS

    Vamp, senti-me muito mais “à vontade”, com sua resposta à minha pergunta – … “há uma pauta; oriente-nos, por favor, sobre o que discutiremos”? … Acho que foi mais ou menos esse o teor da minha pergunta (noite de ontem e inicio da “pane do IG”).

    Sua resposta – …”aqui cada um pode falar sobre o que lhe der na telha”. Lembro-me bem da resposta – adorei!!!

    Essa miscelanea é a “essencia do sucesso desse Blog”, não? E, ainda podemos contar com a participação direta do GT, como brilhante teatrólogo e dramaturgo. Ah, sinceramente, não vejo o que poderíamos “pleitear” (ops!!! rs) ainda.

    “Brigadão”, Vamp!!!
    Beijão!

    Susan

    PS.: Acho que estamos voltando ao normal (IG)!: 30 comentários
    (o último que vejo aqui é das 16.09hs.)

  40. Glorinha

    Bom dia a todos!!!!

    Ezir gentil em traduzir né Vamp?!

    Puxa tava dífícil hoje acessar o blog……não desistimos né mesmo?! rs….

    [[]]

  41. Durma-se com esta.

    Jamais imaginei que um dia alquém que tendo o nome igual ao de minha filha iria me chamar à atenção.
    Quando a Ana que é minha filha me desagrada carinhosamente eu replico chamam de Ana Banana.Nem eu mesmo sei porque.Talvez devido eu não gostar muito de banana e então se não gosto de ser observado revido (carinhosamente, repito) com o banana após o nome.
    E agora o que posso dizer para esta Ana que insiste em afirmar que eu estou errado apenas porque fugi do assunto da seção que é o vídeo onde o famoso musico entrevista o nosso Gerald.
    Ana querida repare que eu disse o nosso Gerald.O Gerald Thomas dono do blog que alem do mais tem um Vampiro de plantão para dizer o que pode e o que não pode ser publicado.
    Imagine o trabalho que os dois tem para separar o joio do trigo.Imagine o quanto de comentários imundos e ofensivos eles tem que aturar e separar enviando os que não prestam direto para a lixeira se é que exista uma ligeira para suportar covardes que teclam suas aberrações e ofensas pessoais e enviam.
    Deve ser um alivio e uma pausa que refresca quando eles percebem aqui e ali um comentário que mesmo não abordando o assunto em tela na seção, chega repleto de piadas ou brincadeiras.Comentários que pretendem nada mais do que manter entre nós uma comunicação sadia e amigável.Uma comunicação amorosa.
    Compreendo que você deve gostar muito do Gerald e por isto julgou que nós (os brincalhões) estivéssemos ignorando a bela e elucidativa entrevista.E assim como os demais tens todo o direito de apresentar tuas queixas.
    Fica então registrado e todos agora sabemos que você ama o Gerald.Fica você informada que de diversos modos se pode mostrar amor pelo nosso hospedeiro e seu fiel escudeiro Vampiro.Fica você informada também que minha vontade é de te igualar a minha filha.Porque alem da similaridade nominal vocês agora têm em comum o fato de ambas terem me passado um pito.No blog.Publicamente.
    O que me dá o direito que vou usar de chamar as duas,
    A Ana Luiza (que é minha filha) e:
    A Ana que entra como Ana que é você>
    Para as duas eu mando com todo carinho e afeto:

    B A N A N A S

    Suas adoráveis Anas Bananas.

    Beijos do pai de uma e amigo de ambas.

    Muito obrigado.

    Pacheco.

    OS Torço para que o IG ato não coma este meu comentário como um gato come um rato.

  42. santanna

    Franciny,

    Ontem vc me deu o mó susto, rs! Ufa!
    Mas cheguei a ver a resposta que vc me mandou à noite, e apesar de eu ter pensado uma coisa que vc não pensou, e vc ter pensado uma coisa que eu não pensei, ehehe!, por fim nós duas estávamos pensando a mesma coisa, ihihi! 🙂

    beijinhos pra vc!

  43. santanna

    Ué!!!!!!!
    Cadê meu comentário pro Targino???
    Entrou e depois foi sumido!!!!!!!!

  44. santanna

    Ih, sorry!!!!!!!!
    Apareceu de novo!!!!!!

  45. Como já fiz entradas com nick da dupla Tom e Jerry estou levemente desconfiado que este imaginário IGato pode estar me farejando do outro lado da tela esperando para me abocan…..ei..
    ….socorrro……..soc………so….s…..Glup

    Fui.

    RsRsRs

    Não se assustem.Só tentei mostar a nossa querida Ana como é facil usar a imaginação para brincar.

    Obrigado.

    Love you all.

    Não é belo viver?

    Pacheco.

  46. gthomas

    aqui vai mais uma vez a traducao da EZIR

    TRADUÇÃO DA ENTREVISTA DE PATRICK GRANT COM O COMPOSITOR PHILIP GLASS SOBRE O DIRETOR TEATRAL GERALD THOMAS ( Janeiro 2009)
    1.original : Glass: Many of Gerald’s pieces are outrageous. They’re outrageously funny, they’re outrageously vulgar, they’re outrageously romantic, but living on the border of outrage is something he’s very comfortable with! (laughs) Of course that is almost a definition of a kind of theater, if that is a definition, I would say that Gerald has that very well covered.
    2. tradução:
    – PHILIP GLASS:
    “Muitas peças do Gerald são um ultraje! São ultrajadamente engraçadas, ultrajadamente vulgares, e ultrajadamente românticas,. Mas , viver no limite do ultraje é algo que lhe faz se sentir comfortãvel ( risadas ). É claro que isso é quase uma definição de um tipo de teatro – se assim se pode chamar uma definição. Eu diria que o Gerald tem esse ponto muito bem preenchido…
    ____________

    1.original : Glass: This idea of a theater person who functions in all these different ways uh, is uh, it’s uh, coincident with a vision of a life that is about the theater. His whole life is really the theater and uh, if not his work, he might talk about film, he might talk about other people’s work, but he’s really, his obsessions are with making a life in the theater
    2. tradução: Esta idéia de uma PESSOA-TEATRO que funciona de todas estas diferentes formas, um… Isso coincide com uma visão de uma vida que é sobre o teatro. A vida inteira dele realmente está voltada para o teatro…e , um…se não fosse seu trabalho, ele poderia estar falando sobre filmes, poderia estar falando sobre o trabalho de outras pessoas, mas ele está realmente… quero dizer…as obsessões dele são com o fazer uma vida inteira no teatro.
    _______________
    1. original : Glass: Those are the people we end up caring about. They bring an authenticity and a passion and a commitment to the work which is uh, a real vocation. A vocation in the sense that, of a calling, that he was called to the work and that’s what he does.
    2. tradução: Estas pessoas são as com que a gente acaba se importando mais.Elas trazem uma autenticidade e uma paixão e um compromisso com o trabalho todo o qual é uma real vocação. Uma vocação no sentido de UM CHAMADO para um TRABALHO , e é isso que ele faz.
    ______________
    1.Original : Glass: And that’s uh, he almost seems impatient with anything else. Have you noticed that? Almost any other facet of his is life is….with the exception of his amorous connections which are also very important to him and they are often connected to the theater, wonderful women I have known that he has known, that we either producers or actresses or designers that were all connected with the theater…I think if you had no connection with the theater Gerald would probably not even know that you existed (laughs), he wouldn’t care, he wouldn’t care at all. But if you’re connected with that world, that’s the bigger world for him. That´s the real world for him.
    2.tradução: E, é isso, um…ele parece quase impaciente com qualquer coisa..Você percebe isso nele?Não há faceta nele que não seja A PRÓPRIA VIDA…com exceção de suas conexões amorosas as quais são também muito importantes para ele, e elas são frequentemente pessoas ligadas ao teatro. Eu tenho sabido de suas ligações com mulheres maravilhosas, que são ou produtoras, ou atrizes, ou designers que eram todas ligadas ao teatro… Eu acho que se a pessoa não tivesse nenhuma ligação com o teatro, o Gerald provavelmente,nem mesmo chegaria a tomar conhecimento da existência dela ( risadas). Ele não ligaria para ela, não ligaria mesmo, em absoluto. Mas , se a pessoa estiver conectada com esse mundo do teatro, este , sim é o MUNDO MAIOR PARA ELE.ESTE É O MUNDO REAL PARA ELE, Thomas.
    _______
    1.original: GLASS: I think it is true that he has a very solid grounding in the history of theater. However it doesn’t mean that he’s going to follow in any of those directions. To be grounded in theater doesn’t mean to necessarily take your cue from that. When you understand the history of theater it gives you confidence about what you do. I think that because he understands that and loves it and has lived with it as his world, it gives him the confidence to be who he is.

    2. tradução:Eu acho que é verdade que ele tem um sólido embasamento com a história do teatro. No entanto, isso não quer dizer que ele irá seguir ( ver) qualquer uma das direções que se lhe apresenta. Ser embasado no teatro (ver) não significa necessariamente encontrar as pistas desejadas dentro dele. Quando você compreende a HISTÓRIA DO TEATRO, Isso te proporciona um grau de CONFIANÇA sobre aquilo que você faz. Eu acho que porque ele compreende o que isso quer dizer, e ele ama tudo isso,e ele tem convivido com o teatro como um mundo próprio de si mesmo , e que lhe oferece a confiança para que ele, Gerald, SEJA O QUE ELE, DE FATO , É.
    ________
    1.original: But uh, I think that to have uh, that sold foundation in theater, call it history, call it uh, a lifetime love relationship, it’s like a, at one point, he fell in love with the theater. The whole thing.

    2. tradução: Mas, ummm…eu acho que possuir essa fundação sólida no teatro, podemos chamar tudo isso de HISTÓRIA, ou de uma RELAÇÃO DE AMOR DE VIDA INTEIRA…Tudo isso é como, de uma certa forma ( ver ), dizer que ele se apaixonou pelo teatro. PELA COISA TODA.
    1.original: GLASS: I think as a young boy he really began really doing drawings and it evolved, and it turned into that. I think that eventually, for the young person who nourishes that passion or nurtures that passion, that becomes the basis of who they are and it becomes the confidence with which they can act.
    2.tradução:Eu acho que quando ele era um jovem rapaz, quando ele realmente começou a fazer DESENHOS, E a coisa foi evoluindo, até que se transformou nisso tudo que conhecemos. Eu acho que , finalmente, para o jovem homem que nutri desde sempre aquela paixão ou norteia-se por aquela paixão, ela acaba se tornando a base do que essas PESSOAS SÃO, E ISSO É SINÔNIMO DE CONFIANÇA, através da qual ELAS TÊM CAPACIDADE DE FAZER ATOS.

    1.original: GLASS: He had done a solo piece of Beckett’s with Julian Beck. It was a beautiful piece. Do you know he was dying at the time? And uh, all you could see was the face. Do you remember that piece?

    2. Ele realizou uma peça-solo do Beckett com o Julian Beck, fundador do teatro “LIVING THEATRE”. Foi uma peça linda. Você sabia que o Julian estava em fase terminal naquela época ? E , um …tudo que o expectador podia ver na peça era UM ROSTO.Você se lembra dessa peça ?

    1.original: GLASS: It was a beautiful piece. He had his company over, the Dry Opera Co. and I forget what he was working on and we became friends right away. And uh, he began, uh, he became interested in the music I was doing. Ah, we did several pieces.
    2.tradução: Foi uma linda peça. Ele já havia fundado sua Companhia de Teatro “Ópera Seca”. E , eu me esqueci sobre o que ele estava trabalhando naquele momento. Só sei que nós nos tornamos amigos de imediato. E , ummm… ele começou… um, ele ficou muito interessado na música que eu estava criando. Ah, daí , nós criamos várias peças juntos.

    1.original: GLASS: We did a big piece not long after that called Matto Grosso which is, uh, we went down to the Foz de Iguacu, the big waterfalls that’s in the southern part of the country. We’d gone down together and I got the idea of writing a piece there and Gerald wanted to stage the piece. So we put that together with some other music I had done amd uh, it was, uh, it had vocal elements in it but, uh…it was really a music theater piece. And maybe it was a, I think he calls it an opera…I just call it a music theater piece. And uh, we got an orchestra and we got a producer and we did that one big piece.

    2.tradução : Não demorou muito e, nós acabamos criando uma grande peça-obra de teatro chamada “MATTO GROSSO” (1989), cuja história começou quando a gente foi para FOZ DO IGUAÇU, no sul do Brasil, visitamos aquelas grandes cataratas, bem na fronteira do país.A gente tinha viajado juntos e eu acabei tendo uma idéia de escrever uma PEÇA ALI MESMO…e o Gerald se interessou logo em colocá-la no palco. Então, nós fomos juntando as idéias com alguma outra música que eu havia criado…e …ummm, a peça tinha elementos vocais…mas..um…ELA ACABOU SENDO REALMENTE UMA PEÇA DE TEATRO MUSICAL. E , talvez, ela fosse uma…Acho que ele a denominou de ÓPERA, no acabamento final. Eu apenas a chamei de uma peça de teatro musical.E..um…nós conseguimos uma orquestra, e um produtor…e pronto! conseguimos realizar aquela grande peça única, “Matto Grosso” (1989)!!!
    _____________
    1. original: GLASS: And then there were a number of other pieces we worked on together. He wanted a…I got into the habit of sending him music because he liked to hear everything new and sometimes these pieces ended up in theater works if he liked them. Oh, Gerald was like that. Whatever he likes, if he likes it, it’s in the piece.
    2. tradução:E , então, houve um grande número de outras peças em que nós trabalhamos, sempre juntos. Ele queria uma …Bem, eu peguei o hábito de enviar para ele músicas. Isso porque ele gostava de ouvir tudo que era novo. E às vezes, essas peças acabaram se transformando em obras teatrais, se ele, Gerald, gostasse delas. Ohh, O Gerald sempre foi desse jeito.Fosse o que fosse ,se ele gostasse da música, logo, logo, ela já virava uma peça nas mãos dele!!!
    ________
    1. original : GLASS: In the case of Gerald uh, he writes his own pieces but he would do The Canterbury Tales and he would do the things he would do if he were not the writer. Uh, he brings together a lot of the elements himself. He can write, he can produce, he can direct, uh…I’ve rarely seen him onstage though. He has a, he seems to have a, I’ve seen him walk through a piece. Have you seen that? I’ve seen him walk through a piece. A kind of a, uh, a kind of a Hitchcock walk. You know, just marks it. He doesn’t perform, in that way.

    2. tradução : – No caso do Gerald , um…ele escreve suas próprias peças de teatro. Isso não significa que ele não faria ” Os Contos de Canterbury”, por exemplo.E , ele faria as coisas que ele gostaria de fazer, mesmo se ele não fosse o ESCRITOR. Um…, e ele consegue COMBINAR UM MONTE DE ELEMENTOS sozinho, POR SI MESMO.Ele pode escrever, ele pode produzir, ele pode dirigir…ummm…Mas, raramente eu tenho visto ele ATUANDO também como ator. Ele tem um … ele parece ter um …Olha, para mim, o Gerald é um cara que “caminha sobre” uma peça de teatro. Você já reparou nisso ? O Gerald, literalmente, me passa a impressão de caminhar sobre um peça de teatro. E eu já senti isso assistindo suas peças.É ALGO como..um… algo como O PULO DE HITCHCOCK. Dá pra entender? Marca bem isso aí. Mas ele não está fingindo, daquela forma , entende?
    ______________
    1.original: GLASS: I think of, uh, if we think of where Gerald is coming from in terms of theater, uh…younger than Peter Brook but he knew him and younger than the Living Theatre but he knew them. Uh, very close to Beckett and a few other people in the theater. Uh, it was the kind of theater person he was a kind of uh, all-round theater operator. So that would be: he could write, he could galvanize a group of actors into becoming a company, and he has keep companies going from time to time and as long as I have known him. Sometimes they’re somewhat the same people for long periods of time. He’s a beautiful designer, he does beautiful designs.

    2. tradução: Fico pensando em …um…se a gente pensar de onde o Gerald está vindo em termos de teatro, um…ele é mais jovem que o Peter Brook…mas ele conheceu o Peter Brook e ele é mais jovem que o LIVING THEATRE, mas ele conheceu todo aquele pessoal.Um..ele está muito ligado ao Samuel Beckett e algumas tantas pessoas do teatro. Um, este é um tipo de pessoa-teatro…ele foi um tipo de ..um…operador de teatro polivalente. E o resultado de tudo isso foi: ele podia escrever, ele podia galvanizar um grupo de atores de forma a criar uma companhia de teatro, e ele pode manter companhias funcionando de tempos em tempos, e pelo tempo que o tenho conhecido. Às vezes, elas , por incrível que pareça, são as mesmas pessoas juntas por longo período de tempo.Ele é um lindo designer, ele faz lindos designs.

    1.original:GLASS: So, he has some talent for music, you know, too, if you’ve seen him drumming but, you know, but around me he won’t do that.
    Well, this is a very bright man and a very educated man and extremely sensitized to these qualities of life which we call “theatrical,” which work on the stage. I think some of his antics off the stage could very well have been on the stage and some of these do take place on the stage.
    2. tradução : Então,o Gerald tem talento para música, e você sabe também, Patrick! Você já viu ele tocando tambor numa peça. Mas, comigo por perto, acho que ele não ia iria tocar daquele jeito..Bem, este é um homem muito brilhante , e muito educado, extremamente sensibilizado com estas qualidades da vida as quais nós damos o nome de “TEATRAIS”, E QUE FUNCIONAM NO PALCO. Eu acho que algumas de suas PERIPÉCIAS no palco, como , por exemplo, “abaixar as calças em sinal de protesto”, poderiam muito bem terem sido encenadas no palco, e algumas delas REALMENTE acontecem no palco.
    ____________
    1. original: GLASS: . I think he was doing a Wagner opera…I think, yeah, he was doing Tristan and uh, the critics we’re booing, and he mooned them. Now, that mooning could become a facet of free speech…I think that’s a real Beckett idea. That’s very…that’s real Beckett! And that’s part of his repertoire. Part of his repertoire of a personality of idiosyncrasies are, are Beckett. It comes right out of….there’s no…he spent not only years directing Beckett, but in conversation, in correspondence with Beckett so… He adopted him, that was a kind of alter-ego pater familias for him, don’t you think?

    2.tradução: Eu acho que ele estava encenando uma ópera de Wagner…Acho, sim, que ele estava fazendo “Tristão…” ( )…e …ummm…os críticos estavam vaiando, e ele decidiu baixar a calça pra eles.Bem,Aquele ato poderia se tornar uma FACETA DE DISCURSO LIVRE…Eu acho que aquilo é que é uma idéia de um BECKETT REAL.Isso é muito … Isso é UM BECKETT REAL!E isso é parte do ´REPERTÓRIO dele. Parte de seu repertório de uma personalidade de idiossincrasias, tudo isso é BECKETT!! Isso vem naturalmente de … não há…Bem! Ele passou não apenas anos e anos dirigindo Samuel Beckett, mas em conversação, fazendo correspondências com Beckett, então… Ele adotou o estilo beckettiano, que foi um tipo de ALTER-EGO PATER FAMILIAS (deixar-se REPRESENTAR pelo NOME que vem DO OUTRO) para o Gerald, você não acha?
    __________

    1.original: GLASS: So that it, it uh, reminds me of a scene in, it was u-h…in Molloy where, this is a , at one point he talks about his, he’s fornicating with someone and he doesn’t know whether it’s in the vagina or in the asshole. He says, and that at one point in the narration stuff, he says, “But the question is: is it true love in the ass?”

    2. tradução: Então, isso… isso ..um…me faz lembrar de uma cena em que … foi do … romance “MOLLOY” de Beckett (considerado um dos livros mais importantes de sua biografia junto aos outros da TRILOGIA “MALONE DIES” E ” L´INNOMINABLE”) onde, é assim…numa certa altura do livro, o personagem fala sobre seu … ele está fornicando alguém, e ele não sabe perceber se seu orgão genital está na vagina ou se ele está no ânus. Ele. Molloy, o personagem, diz … e isso é num ponto da narrativa, ele diz: ” MAS , a questão é : é verdadeiro amor fazer no ânus?”.

    1. original: GLASS: When Gerald did that mooning thing, it made me think of that. I don’t know why. But I think, I thought it was because, I don’t know what he was thinking of, I never asked him about that. But at any rate, there’s no question that uh, for Gerald, that moment was a moment of, that was a free speech issue. That’s what it was
    2. tradução: Quando o Gerald Thomas fez aquele ATO de baixar a calça, isso me fez pensar naquela indagação do personagem MOLLOY, NAQUELA CENA. Eu não sei bem porquê. Mas eu acho…pensei que fosse por causa de … não sei o que passou na cabeça do Gerald naquele momento.Eu nunca perguntei a ele sobre isso. Mas, seja como for, é indiscutível que…um… para o Gerald, aquele momento foi um momento de …FOI UMA QUESTÃO DE DISCURSO LIVRE.FOI ISSO AÍ.
    ________
    1.original: GLASS: We defended Gerald because we’re supposed to, we Americans, we’re supposed to, of course. We have our own problems of free speech. There are certain words we’re not allowed to say, certain words we can’t say in certain places, and even certain words we can’t say at certain times of day.
    2.tradução: Nós defendemos o Gerald porque nos sentimos com o dever de …bem , nós AMERICANOS, nos sentimos inclinados a isso, é claro!!! Nós temos nossos próprios problemas DA LINGUAGEM LIVRE. Há certas palavras que nós não temos permissão de falar, certas palavras que não podemos pronunciar em certos lugares, e até mesmo certas palavras que nós não podemos dizer em certas horas do dia.
    1.original: GLASS: But uh, so uh, when I say free speech in this country is uh, it’s a matter of interpretation. But, for Gerald it isn’t a matter of interpretation. The press had their say and he wanted to have his say.
    And I absolutely do think it was a free speech issue and I had no problem. I think I made comments somewhat like that and I was quoted in the papers in Brazil .
    Mas..um… então …um, quando eu digo DISCURSO LIVRE em nosso país… isso quer dizer que é uma questão de INTERPRETAÇÃO.Mas, para o Gerald , isso não é uma questão de interpretação.A imprensa deu sua versão, e ELE QUIS DAR A SUA VERSÃO TAMBÉM.
    E , eu absolutamente, de verdade , mesmo , acho que TUDO AQUILO foi uma questão de DISCURSO LIVRE, e para mim, não tive nenhum problema. Eu acho que eu fiz algum comentário na época parecido com esse, e EU, PHILIP GLASS, fui citado nos jornais do Brasil.
    _______

    1. original: GLASS: And he also, as you know, was a cartoonist for uh, his cartoons have appeared in The New Yorker, so he is a published…(gives a quizzical look)…”journalist” would we say? Would he accept that word? Probably not but, he is a published writer for the papers, call it what you will. And a draw-er for the papers. And at the same time, he feels uh, he can be extremely hurt by what the press does, and always keenly interested in whatever interest they take in him.
    So I would say that his relationship with the press is a whole world in itself. And it becomes a kind of, the press becomes, I would say the press becomes a kind of persona that he is in, is constantly embattled with.
    2. tradução: E, ele também, como você , PATRICK , já sabe… o Gerald foi um cartunista para …um…seus desenhos foram publicados no jornal “THE NEW YORKER”.Então, ele é um publicado …( Glass faz um olhar de quem tenta buscar a palavra certa) “JORNALISTA”, poderíamos assim dizer?Será que ele aceitaria essa palavra? Provavelmente não. Mas, ele é sim um ESCRITOR PUBLICADO para os JORNAIS, pense o que quiser. E ele é um desenhista ou programador visual de jornais.E , ao mesmo tempo, ele se sente …um… ele pode ficar extremamente magoado pelo que a imprensa faz…e sempre plenamente interessado naquilo que ele pudesse despertar aos jornais ou á mídia.
    1.original: GLASS: So I would say that his relationship with the press is a whole world in itself. And it becomes a kind of, the press becomes, I would say the press becomes a kind of persona that he is in, is constantly embattled with.
    2.tradução:Então, eu diria que a relação do Gerald com a imprensa é um mundo inteiro á parte. E isso se torna um tipo de … a imprensa se torna…como poderia dizer … a imprensa se torna UM TIPO DE “PERSONA” ( uma IMAGEM PÚBLICA ASSUMIDA) com a qual o Gerald está constantemente se debatendo.

    1.original: GLASS: And yet in a certain way, I think uh, it’s( not that far from a theatrical relationship in the same way that you would say that he is involved with his audience. The press is simply a part of his audience who has access to newspapers, in that way. So maybe it’s not that different.
    2.tradução: E , no entanto, de uma certa forma, acho ..um…que é …uma relação que não está longe de uma relação teatral em que a pessoa diria… como se fosse uma relação de envolvimento com o público , o público dele. A imprensa é simplesmente uma PARTE do público do Gerald a qual tem acesso aos jornais e revistas… e daquela forma. Portanto, talvez, não seja assim tão diferente.
    _______

    1.original: GLASS: So when we say he is obsessed with the press we might say that he is obsessed with his public( THAT I MUST ABSERVE BETTER HIS PÍECES AND WORDS INTERVIEWS) and what good theater person wouldn’t be? And if he weren’t, why would he be in the theater to begin with? So, all these things may sound pejorative but they’re not really. They’re part of a portrait of a man whose life is in the theater. One part of it is the public, one part is the public who writes for papers, another can be the people who go screaming out of the theater, there are those who stay and those who laugh themselves silly at the things that he does.

    2.tradução: Então, quando ele diz que ele é obcecado pela mídia, poderíamos dizer que ele, Gerald é obcecado, PELO SEU PÚBLICO, E, que PESSOA BOA DE TEATRO NÃO SERIA???E Se ele não fosse, por que estaria o Gerald no teatro, só pra começar a refletir? Portanto, todas essas coisas podem soar pejorativas, mas elas , realmente , não são. Elas sao parte de um RETRATO DE UM HOMEM CUJA VIDA É NO TEATRO. Uma parte dela é O PÚBLICO; UMA OUTRA PARTE É O PÚBLICO QUE ESCREVE PARA JORNAIS, UMA OUTRA, podem ser AS PESSOAS QUE VÃO GRITAR FORA DO TEATRO.Há aquelas que ficam e aquelas que riem á-toa para as coisas que ele faz.
    1.original: GLASS: As a director his, it’s much more than blocking, lighting, it’s not that, he’s not that kind of director. It’s directing that comes from the very inside of the actor and I think that’s why actors are tuned into him.

    2. tradução: Como um diretor… suas… tudo é muito mais do que um CORTE DE CENA, ILUMINAÇÃO…não é isso… Ele não é esse tipo de DIRETOR. É o DIRIGIR que vem bem de dentro do ator , e eu acho que é porisso, que os atores são tão sintonizados nele.
    1.original: GLASS: He wants to, and I think succeeds to often, in drawing essential qualities of who they are. And I think uh, if you look at, they’re sometimes very odd people. Of course he enjoys that tremendously.

    2.tradução:
    Ele quer isso, e eu acho que ele ,frequentemente, consegue arquitetar qualidades essenciais daquilo que os atores têm a oferecer. E , eu acho …um… que …se você olhar para… bem , os atores são ás vezes pessoas bem bizarras. Naturalmente, que o Gerald se diverte pra valer com tudo isso.
    1.original: GLASS: It can be hilarious, it can be moving, it can be all kinds of things, and the audience can be offended or they can enraptured. It is really, he lives on that edge of excitement.

    2. tradução: Pode ser hilário, pode ser comovente, pode ser todos os tipos de coisas, e a platéia pode ficar ofendida…ou elas podem ficar totalmente fascinadas com ele.É realmente..Ele realmente vive no limite da excitação.
    1.original: GLASS: So in Flash and Crash Days he had mother and daughter in the same piece. So uh, but, you know, when we talk about Gerald has a relationship to the actors which is very special, to the public, to the writers, uh, to any friend like yourself, or like anyone who works in the theater from time to time, and he can then…and then there are other writers.

    2.tradução: Então, em “Flash and Clash Days”, em que ele teve mãe e filha , contracenando na mesma peça teatral. Então…um… mas, sabe quando nós falamos de Gerald e sua relação com seus atores e atrizes a qual é muito especial, para o público, e para os escritores…um … e para qualquer amigo dele , próximo, como Você , Patrick, ou para qualquer outro que trabalha na área de teatro , de tempos em tempos. E ele, pode , então…bem há os outros escritores também.. .
    ________

    1. original: GLASS: He worked with Heiner Müller also uh, he worked in Germany, he went through a period of working in Germany. His German is quite good.
    2.tradução: Ele trabalhou com Heiner Muller também. Um… e ele trabalhou na Alemanha, ele passou um período trabalhando na Alemanha. Ele fala Alemão super bem.

    1.original: GLASS: I called him a “Brit-zilian,” that’s true. Actually, to be truthful, I’m never quite sure, I still don’t know exactly where he was born though he has told me numbers of times. Um, I’m not sure what passports he holds, though he told me that too. I’m not sure where he’s a citizen, I’m not sure where he pays his taxes and I’m not sure where he lives.
    2.tradução: Eu o chamei de um “BRIT-ZILIAN” ( BRASILEIRO BRITÂNICO). Que é a pura verdade!. Na realidade, verdadeiramente, eu não estou nunca muito certo, e ainda não sei exatamente aonde ele nasceu, embora ele já tenha me dito várias vezes.Um…Não estou bem certo que passaporte ele porta, embora ele já tenha dito também. Eu não tenho bem a certeza de sua real cidadania, e não tenho certeza onde ele paga seus impostos, e eu não tenho certeza aonde ele mora, mesmo.

    1.original: GLASS: I would not bet a dime on any statement about saying where he was born. (laughs) he speaks a number of languages fluently. I mean his Portugues is, of course, he grew up there, and his English of course, he grew up there, and his German, well uh, it seems he might have grown up there too. We don’t really know! But that comes from his family, the family was from Berlin.
    2.tradução: Eu não me arriscaria a dizer qualquer coisa sobre onde ele realmente nasceu ( risadas ).Ele fala várias línguas fluentemente. Quero dizer,o Portuguès dele, é claro, ele cresceu lá no BrasilI, e o Inglês dele, é claro, ele cresceu lá na Inglaterra, e o Alemão dele…bem , um..,parece que ele poderia ter crescido lá na Alemanha , também. Nós realmente não sabemos!Mas , isso vem da família dele , a família dele era de Berlim.
    1.original: GLASS: I mean, it’s basically, this is in-your-face-theater, this is no-holds-barred. This is wrestling night on cable, not on general television channels you know, where anyone can watch it. It goes on and anything can happen. This is, this is what it is.

    2 tradução: Quero dizer , então, que é basicamente …Isto é “teatro-que-está-na-cara” , isto é “comportas-ABERTAS”. ISTO É luta livre na noite de um canal a cabo, e não nos canais de tv convencionais, sabe, onde qualquer um pode assistir. A coisa continua e qualquer coisa pode acontecer. Isto é, è assim que são as coisas.É COMO, eu poderia chamar o teatro dele , de TEATRO DA ADRENALINA. È assim que as coisas são.

    1. original: GLASS: It can be hilarious, it can be moving, it can be all kinds of things, and the audience can be offended or they can enraptured. It is really, he lives on that edge of excitement
    2.tradução: Pode ser um teatro hilário, pode ser comovente, pode ser todos os tipos de coisas, e a platéia pode ficar ofendida ou eles poderão ficar fascinados.É isso mesmo. Ele vive no limite da excitação.

    1.original: GLASS: It’s like, I would call it Theater of Adrenalin. That’s what it is.
    2.tradução:
    2.tradução: É como…Eu chamaria de” TEATRO DA ADRENALINA”.É isso aí.
    _______
    1. original: GLASS: And uh, you’re bound to get that reaction and I don’t think he’s disappointed by that. I think he has done it unfailingly for so long that we have to believe that he means it. That’s what he does. That’s what he wants.
    2.tradução:E , um…a pessoa está propensa a ter aquela reação e, eu não acho que o Gerald está decepcionado com isso. Eu acho que ele tem realizado tudo sem falhar durante tanto tempo que nós temos que acreditar que ele dá sentido a tudo isso.É ISSO O QUE ELE FAZ. É ISSO O QUE ELE QUER.

    1. original: GLASS: So, whether uh, what the reception will be, I, he…it will be mixed. Everyone will know that he was here or anyone interested in theater will know he was here.
    2. tradução: Então, se..umm.. qual será a recepção …bem …eu , ele… Ela será mista. Todo mundo saberá que ele esteve aqui , e qualquer um interessado em teatro saberá que ele esteve aqui.
    1. original: GLASS: And what they’ll make of it? Well, I don’t know that Gerald really cares so much about that. I think he wants to be able to work. I think he wants, he wants that relationship with the public, the audience, with actors, collaborators. He wants the life in the theater and the liveliness of that life and the immediacy of it and the passion of it. I think he wants that.
    2. tradução:E o que eles farão com tudo isso? Bem, eu não sei se o Gerald realmente está preocupado tanto com isso. Eu acho que ele quer ser capaz de trabalhar.Eu acho que ele quer, ele quer, ele quer aquela relação com o público, a platéia, os atores e os colaboradores. Ele quer a vida no teatro , e a vivacidade da vida e a presentidade de tudo isso, e a paixão de tudo isso. Eu acho que ele quer isso.

    1.original: GLASS: How he’ll be received? I think how he’s always received: with surprise, enchantment, chagrin … outrage, love, I mean everything. You’ll get the whole works. You’ll get the whole thing.
    2. tradução: Como ele será recepcionado? Eu acho que será como ele sempre foi recepcionado : com surpresa, encantamento, e “chagrin”( palavra de origem francesa, tipo um “desconcerto” ou “embaraço” ao sentar num assento de material tosco ou muito liso, ou de superfície muito polida, fina)… Ou com ultraje, amor,… quero dizer … tudo!!!A gente vai sacar a ” parafernália ” como um todo. A gente vai sacar tudo mesmo!!!”
    FIM

    TRADUÇÃO : Ezir Paiva/fev/2009

  47. gthomas

    NAO sei quanto tempo vai durar esse comentario

  48. Tenho de esperar tradução Eziraniana.

    Falo inglês fluente .

    Mas videos mostrados na lentidãonet aqui em Caravelas irritam a paciência de jó e tambem do José Pacheco Filho.

    Para terem uma ideia eu comecei a ver o video.A cena parou.Fui ao banheiro.Urinei.Balancei.Guardei.Voltei e a cena era a mesma de quando me levantei,Simplemente deletei. Help Ezir.
    Conto com tua tradução para nós em primeira mão.

    Até o Donald que bate um bolão em inglês americano está na espera.

    Obrigado.

    Pacheco.

  49. O Vampiro de Curitiba

    Beijos, Susan e Glorinha!

    Abraço,Pachecão!

  50. santanna

    É… o meu pro Targino sumiu de novo…
    Que coisa!!

  51. santanna

    Desisto, rs! Tá incrível.

    Pacheco,

    Acho que o gato que anda por aqui é aquele da Alice no País das Maravilhas, viu! 🙂

  52. Ana

    Pacheco, pela sua graça, educação e bom humor, eu peço desculpas pelo meu comentário. Só achei chato não haver um comentário sobre o vídeo, quando o link para ele já havia sido postado anteriormente. Tomei as dores, sei lá. Sem que Gerald pedisse ou precisasse. Coisa minha.

    Eu também sou Analuísa, só que assim, tudo junto. Coisa do meu pai.

    E sobre “pautar”, foi um termo usado pelo Vamp. Ninguém pauta ninguém nem quando é preciso, então, a questão não era pautar, mas chamar atenção para o post de hoje. Sei lá. Acordei mal, o dia não se desenrolou bem, SP está em meio ao Caos, eu não tenho como sair daqui, e acho que acabei respingando o meu mau humor por aqui.

    Um abraço da amiga meio-xará da sua filha.

  53. Primeiro: agradecer a Tradução EZIRIANA que de quebra está apresentada mostrando inglês – português lado a lado.
    Segundo: afirmar que achei muito bem definido as descrições de como o senhor Philip Glass entende o Gerald.
    Terceiro: quero apresentar minha versão de como eu apresentaria o Gerald me imaginando na condição de entrevistador.

    Lá vai:

    Senhoras e senhores tenho a honra de apresentar para vocês esta noite o senhor:

    T E A T R O.
    DA CABEÇA AOS PÈS

    Gerald entraria e eu ficaria calado porque em boca fechada mosca não entra.

    E Estamos conversados.

    Obrigado.

    Pacheco.

  54. Sue (MUITO MUITO MUITO FRIO em Manhattan - NY)

    Gerald,

    Bom te **ler** de volta…

    (Vou ver o video logo mais a noite aqui trabalho
    nao abre…..)

    Nao adiante reclamar que estao sumindo(comentarios) negocio eh esperar!!!

    Beijos congelados…pelo frio insuportavel de Manhattan

    Sue

  55. Santanna.

    Pode ser o gato que lembras.
    Mas confesso que eu mentalizei como sendo o gato gordo, manhoso e puxa-saco da madrasta da Gata Borralheira.
    Nunca fui com a cara deste gato que vive infernando os ratinhos simpáticos que ajudam a pobre explorada e infeliz a se preparar para o baile onde por encanto chega transformada e botando pra quebrar.
    Quando a Ana Luiza assistia junto comigo eu ficava puto da vida com o gato, mas ficava na minha.
    Depois eu assisti tudo de novo com a Dudinha.
    E pelo andar da carruagem logo terei nova parceira de vídeo.Tenho de esperar porque a Juju ainda é muito novinha e o Gabriel (dois anos e mais de meio) se mostra mais inclinado a filmes de Dinossauros e desenhos out Disney.

    Obrigado.

    Pacheco.

  56. Ana agora ANALUISA.

    Então agora posso ter a felicidade de ter no blog uma filha virtual!

    Já tenho orgulho de ter uma neta virtual que é a Francyni.
    Se você concordar ANALUISA eu ficarei feliz por te considerar como filha virtual.

    Por isto sempre digo:

    Não é belo viver?

    Obrigado por ter me entendido.

    Beijos.

    Pacheco.

  57. O Vampiro de Curitiba

    Gerald, vc não está recebendo meus emails????
    Te passei um fone pra vc me ligar.
    Não aprove este comentário.

  58. ele, ele mesmo! Você sabe...

    Parabéns pela tradução! Todos ganhamos com ela.

  59. O Vampiro de Curitiba

    Gerald, você não está recebendo meus emails?
    Me liga em casa ou no celular, please!!!

  60. Tene Cheba

    Ezir, você merece um grande Obrigado de todos nós.
    Que conforto eu senti com a esplêndida tradução.

    Obrigado!!!

  61. O Vampiro de Curitiba

    Ana, te escrevi no teu e-mail.
    Não fica brava comigo, não.

  62. O Ministério Público (MP) de São Paulo vai encaminhar até terça-feira uma recomendação à Prefeitura da capital paulista para que suspenda os contratos de fornecimento de merenda escolar firmados em 2006. Segundo o MP, há suspeita de irregularidades. O promotor Silvio Antonio Marques, da Promotoria do Patrimônio Público e Social, afirmou hoje que quer que o Poder Municipal deixe de lado a terceirização e reassuma o serviço. “Vamos dar à Prefeitura a oportunidade de acabar com essa sangria do dinheiro público”, disse Marques, ao se referir às suspeitas de conluio e pagamento de propina envolvendo fornecedores e funcionários públicos

    Se não bastassem os preços superfaturados, 71%, a merenda
    é de pior qualidade, com alimentos, podres e vencidos.
    Que vergonha. Kassab. Eu cheguei a acreditar em voce.

    Minha vó dizia que macaco não consegue se esconder,
    o rabo sempre fica de fora.

    O Dem deveria, tambem, pedir a renuncia do Kassab porque
    ao pedir a renuncia do corregedor da câmara, deputado do Dem,
    assinou sua confissão de culpa.

  63. Tene Cheba

    Pequenas multidões percorreram a minha mente enquanto eu lia a tradução.Philip Glass, falou muito bem, quando descreveu, puramente, Gerald Thomas. Instigante, a tradução sem adjetivos ou perfumaria, deste notável Dramaturgo.Talvez nem o Teatro traduziria, em palavras, tão bem, este seu Filho Ilustre.Muito bacana.

  64. Santana.
    Insista. Quero ver seu comentario.
    Se não aparecer vou cortar as asas desse quiróptero.

  65. Sandra

    Puxa, que saudades do blog! O dia inteiro fora do ar! Ou foi pessoal?

  66. Sandra

    Que belíssima entrevista, Gerald! Eu não sabia que, no exterior, as pessoas também não tinham certeza de sua nacionalidade.
    Isso me impressionava desde a infância. Muitos amigos filhos de japoneses eram bilingues e, na minha cabeça, isso era impossível. Para mim, uma das línguas, uma das culturas, tinha que ser a dominante. Eu perguntava: Em que língua você sonha?
    Quem tem essa habilidade deve ter uma visão muito mais ampla do mundo, ou de qualquer país.

  67. Sandra

    Bem, que você respira teatro, AMA teatro, e é brilhante, é incontestável.
    Eu não sabia que você viajava com músicas. Que elas viravam peças. Bem, por que não? Até o blog virou.

  68. Sandra

    Pelo jeito, no exterior, o foco, no seu gesto de mostrar a bunda (que pena que eu perdi) ficou em você, e foi encarado como uma quebra de padrões. Você foi o Duchamp do teatro.
    Até agora, eu coloquei o foco na platéia: ela uma reação de total descontrole com a sua peça, que fez com que as pessoas ou quisessem te agredir, ou libertassem um monstro interior que mantinham preso, ou achassem que estavam se manifestando com total legitimidade, e que aquelas manifestações nazistas eram liberdade de expressão. De certa forma, foi um aplauso. Dor deve ser ouvir da platéia: que peça chata, parece aula. Suas peças abalam.

  69. Contrera

    o Vamp me censurou. simples assim. e não falei nada demais. aliás, falei até de menos.

  70. Sandra

    Vejo muita gente no blog querendo te ensinar a fazer teatro. Acho que essas pessoas lucrariam mais se abaixassem a crista e aprendessem. Deveriam ouvir mais. Como você ouviu os grandes mestres que o antecederam.

  71. um admirador do Gerald.

    Gerald, às vezes podemos entender a vida como um teatro. Observe esse curioso depoimento que eu achei na net:

    “Um vez eu peguei um cabo de vassoura e fiz uma espada. Quando eu estava na primeira série a professora perguntava o que eu queria ser quando eu crescer, e eu dizia: Ninja Jiraya.
    Hoje eu sou advogado, mas preferia ser o Ninja Jiraya !!!”(jmrcadv, anônimo)

    Confesso: eu achei muito engraçado. No entanto, não deixa de ser triste que muitas pessoas não conseguem realizar o que querem. Gerald, você é um exemplo para todos nós, porque é um grande artista, que expressa-se livremente. Aliás, eu admiro muito esse seu instinto, que observo nos seus trabalhos, que não é reprimido e flui como o vento ( é quase uma música para mim). Parabéns! Gerald.

    Abraços.

  72. Sandra

    Targino, não tire o chapéu para aquele monstro.

  73. Glorinha

    Gerald,

    creio ser uma bela tradução para uma definição quase impossivel mas tão presente, visível apenas com o olhar nú…

    “….Olha, para mim, o Gerald é um cara que “caminha sobre” uma peça de teatro. Você já reparou nisso ? O Gerald, literalmente, me passa a impressão de caminhar sobre um peça de teatro. ”

    []

  74. Glorinha

    Ezir,

    muito agradeço a você pela tradução!!
    abraços,

  75. Tene Cheba

    Paulo Autran, talvez tenha sido o maior ator do Brasil, como eu sou um tupiniquim modesto, não me atrevo a colocá-lo entre os melhores do mundo. Provavelmente foi, mas falta-me o bendito parâmetro.
    Assistindo a entrevista deste notável ator, no Roda Viva, junto com a Tônia Carrero, Paulo Autran manifestou ali uma frase que eu jamais esquecerei, ” o Teatro é tudo, tenho um prazer enorme em representar”.Engraçado, poucos atores brasileiros suportam a nossa Hollywood, a maioria parece preferir a autêntica carpintaria das artes cênicas e, nós público parecemos querer saber quem tá comendo quem, ou chifrando quem, este é o palco que enxergamos.Nossa arte cabe em uma janela de 21″, ou 32″, ou muito mais polegadas, nos tornaram pequenos públicos, arte ditada pela obscura e parda eminência, IBOPE.
    O Brasil não cativa seus gênios, só somos solidários no velório, quando queremos carregar seus caixões, chorar pela arte perdida, não aplaudida.Não importamos o que é bom, somente nos importamos com o podre cheiro do queijo francês, ou no máximo na perseguição ao trio elétirco, ovacionando algo que não entendo, euforia que mesmo com incentivos não me estimulará jamais.Teatro no Brasil é para a elite, mas como a elite não entende de porra nenhuma, Teatro no Brasil é para ninguèm.
    Esse foi o legado que nos deixaram e, dá-lhe sertaneja, dá-lhe pastel no Carnaval, festa das carnes, dos que amam Cartola, Cachaça e outros Menestréis sem jamais tê-los ouvidos.

  76. onde estão todos, sumiram?

    Para bailar la bamba,
    Para bailar la bamba,
    Se necesita una poca de gracia.
    Una poca de gracia por mí, por ti.

  77. santanna

    “Pode ser hilário, pode ser comovente, pode ser todos os tipos de coisas, e a platéia pode ficar ofendida…ou elas podem ficar totalmente fascinadas com ele.É realmente..Ele realmente vive no limite da excitação.”
    (Philip Glass, na entrevista)

    Será que alguém já viu algo assim por aqui…? 😉 🙂

  78. Puxa, a internet é mesmo miraculosa(Seja lá o que isto signifique).

    Mas, sim…
    Não sabia que eu lia o blog de alguém tão importante.

  79. Sandra

    Beijos em todos! Boa noite!

  80. Testando antes de por a mão na fogueira.

    Teste de horários e enviamento de comentários.
    Aqui em Caravelas agora são 09: 30 HML

    Enviando.

    Agora….

  81. Modelo de teste já está na moderação acima de outros já enviados.

    Se os tecnicos do IG são assim eficientas eu voltarei a entrar como critico de arte.

    Não entendo de arte mesmo e assim estou credenciado para falar do assunto.

    Você duvida?

    Pois aquarde e verás quando eu tiver uma chance.

    Obrigado.

    Pacheco.

  82. Paulo from the G Spot

    Interessante ver como o Philip Glass esta agora. Ja vi um concerto inesquecivel dele com a Essemble no Royal Albert Hall. O cara eh muito bom mesmo, mas nao sei exatamente o que faz no momento.

  83. Senhor Vampiro de Curitiba e
    Senhor Contrera.

    Só me faltava antever e sentir que vocês possam estar iniciando um pequeno desencontro.

    Se isto acontecer (espero e torço para que não):

    COMO È QUE EU FICO SABENDO QUE DOIS QUE ADMIRO E GOSTO ESTÃO EM COLISÃO?

    a) Torço por Vamp.
    b) Torço pro Contrera
    c) Fico vendo a banda passar.
    d) Boto a culpa no FHC digo que não sei de nada.
    e) Gago e ando para a colisão ( se acontecer realmente ).
    f) Chamo o Pires.
    Ou simplesmente digo:

    DEIXEM DE FRESCURA. QUEREM MATAR O VELHO?

    Obrigado.

    Pacheco.

  84. Vampiro e Contrera querendo se bicar.
    Um galo mais velho a se preocupar.
    Se galos mais novos se bicam
    Qual deles devo apoiar?

    Grande problema.
    Causando confusão.
    Um baita dilema
    Pra um velho galão

    Espora já gasta.
    Asas doloridas.
    Bico amolecendo.
    Canto enfraquecendo.
    Com poucos amigos.
    E outros perdendo.

    Já não mando nem nas galinhas.
    Já não dou ordens no galinheiro.
    Só me resta guardar.
    No blog os companheiros.
    Guardar no coração.
    Amigo mais novo.
    Mesmo brigão.

    Então eu imploro.
    Não se biquem companheiros.
    Fiquemos em paz.
    Cada um no seu poleiro.

    Se um é Vampiro.
    E outro gosta de ser palhaço.
    Os dois para mim.
    São feras do mesmo aço.

    Só os chamei de galinhos.
    E a mim de galão.
    Para tentar evitar.
    Possível confusão.

    Entendam como quiserem.
    Ou então joguem fora.
    Porque eu mesmo.
    Estou saindo agora.

    Obrigado.

    Pacheco.

  85. Amigos do blog.

    Solicito repassarem todas as leituras.
    A loucuraig continua.
    Estou enviando comentários que estão entrando logo após o comentário da Sandra que foi enviado ontem por volta da meia noite mais ou menos.

    Confiram.
    Especialmente o Vampiro e o Contrera em especial.

    estou saindo deste balaio de gatos que infelizmente o IG não está consequindo arrumar porra nenhuma.

    Obrigado.

    Pacheco.

  86. Ekran

    Salve, Ezir!

  87. Ekran

    É Vamp, só com reza braba no IG.
    Fico na torcida pra voltar logo ao normal.
    Abraços.

  88. sol -sampã

    Obrigada mesmo, Ezir. Que gentileza sua. Já guardei.

  89. sol -sampã

    Tene o teatro está aí. Vá voce. Vamos nós.Quer ir ? eu te convido.

  90. O Vampiro de Curitiba

    Bom dia, meus amores!
    O Blog continua com problemas. Os comentários dos outros posts voltaram. É possivel fazer comentários normalmente. Mas a página do word press nem sempre está disponivel, impedindo que os comentários sejam aprovados. Portanto, se seu comentário demorar para aparecer, por favor, não façam como o Contrera, não me acusem de censura.

  91. sol -sampã

    Liliane, voce e todos que entrem aqui podem ler sobre a vida do Gerald no sempre citado http://www.geraldthomas.com É muito lindo ter a visão de um amigo antigo e parceiro e ainda sendo PHILIP GLASS e tal mas vai lá ver tudo que esse artista (além de gatíssimo) já criou.É uma viagem, aliás, várias.

  92. sol -sampã

    Não, Não Vamp eu não vou te acusar de nada. Só agradecer.Seu empenho e energia. bjão

  93. Sandra

    E antes de passar para o próximo post:
    EZIR!!!!!!!!!!!!!!!!!! VALEU!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  94. santanna

    Targino,

    O blog ficou quântico! Passado, presente e futuro se revelam alternadamente, dependendo da hora, rs!

    Ontem, por volta das 00:00 (01:00 pra maioria de vcs), não aparecia nenhum comentário depois das 20:46. Já hoje eles estão todinhos aqui.

    Aquele meu comentário pra vc reapareceu tal qual o gato de Alice,
    lá em cima: 05/02/2009, 16:21.

    abraços

  95. Aninomyous

    O kra é fera hein! ele quem faz a sonorização, trilha sonora, e tal…? fica tão perfeito, cai que nem uma luva, ou até melhor, ajuda a delinear e fazer os contrastes, ambientes, etc. excelência total…musicas orquestradas, som ambiente ou ambientação, sou fan disto também.
    Abraços.

  96. Cristina

    Fui viajar e encontrei o Gerald ainda em seu blog. Não tinha pedido demissão? Eu acho que com o advento da TV e do cinema, o teatro perdeu importância no mundo do entretenimento, antigamente o teatro promovia discussões coletivas, promovia verdadeiras catarses, hoje influencia poucas pessoas.
    Vi pela internet “Kepler, o cão que maltratava as mulheres”, parece um videoclip,vários personagens, não deu para fazer direito a ligação, vi em condições precárias, mas me marcou uma cena, um homem de terno e gravata e sandália de salto alto, um laptop, a revista Época, Folha de São Paulo, a escrivaninha, e dá um tiro na boca, cena forte, dramática, para logo depois cuspir as balas e gritar “Estou com um nó na garganta!” e depois aparece dançando feito uma puta americana, naqueles tubos, numa cena muito engraçado. É tragicômico o Geraldo Tomas. Quem é o prostituto americano?

  97. Sue (O FRIO CONTINUA - Manhattan - NY)

    Belo e franco *depoimento* do Phillip Glass ,
    incrivel como ele conhece Gerald Thomas.

    Eu admiro(muito) e adoro ver Gerald falando sobre qualquer coisa (assunto), ele tem uma paixao e passa isso em tudo que fala…ver ele ensaiando..(em videos) …tudo tem muito amor/paixao….verdade!!!

    Nao vejo a hora de ter oportunidade de assistir alguma producao feita por ele (escrita , dirigida….enfim)….espero que seja ainda em 2009….muito breve !!!

    Beijos a Todos….

    Sue

  98. Sue (O FRIO CONTINUA - Manhattan - NY)

    Belo e franco *depoimento* do Phillip Glass ,
    incrivel como ele conhece Gerald Thomas.

    Eu admiro(muito) e adoro ver Gerald falando sobre qualquer coisa (assunto), ele tem uma paixao e passa isso em tudo que fala…ver ele ensaiando..(em videos) …tudo tem muito amor/paixao….verdade!!!

    Nao vejo a hora de ter oportunidade de assistir alguma producao feita por ele (escrita , dirigida….enfim)….espero que seja ainda em 2009….muito breve !!!

    Beijos a Todos….

    Sue

  99. vicente nunes

    parabéns pelo blog, pela socialização de idéias e oportunidades..carrego uma angustia aceitável , pois não concordo com o fato de Al Gore ter ganho o premio nóbel e um oscar.
    É uma grande contradição premiar alguém que durante seu governo fechou os olhos para o protocolo de Kioto , o grande balizador da consciência anti-aquecimento global..
    utilizar os saudáveis estudos dos ativista e cientistas que culminou com o Painel Intergovernamental
    sobre Mudanças Climáticas (IPCC) em 1988 é apropiar-se de algo vestindo-se da falsa empatia social que o tema sugere, é omitir-se da responsabilidade e ser premiado por isso.
    Por que sua voz não contribuiu no eco daqueles que ergueram o estandarte da verdadeira preocupação com o planeta.
    Municiar-se com o material alheio e utiliza-lo de tal forma é armar uma ponto 50 sensacionalista e disparar fuzilando os verdadeiros interesses do desenvolvimento sustentável é como dizer “faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço”
    Se premiasse meu vizinho que na lei da sobrevivência, promove a coleta seletiva do lixo, contribuindo assim de maneira talvez mísera; mas principalmente sincera e responsável de lidar com o tema, me sentiria honrado; mas tal atitude põe em risco a credibilidade do mecanismo de avaliação dos prêmios.
    Sinceramente como professor sinto-me indignado de como a hipocrisia arma suas fogueiras de vaidades em prol de manter os estômagos acima dos cérebros…

    um abraço..

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s