A Sinfonia dos Des-Ditos (ato 1: Os Caretas)

 

 

Um torcedor do Corinthians desce a pé  a Brigadeiro Luis Antonio, feliz da vida. Um vulto sozinho neste frio sábado à noite, nesta rua cinza, cidade cinza, sombras além do cinza, garoa fina e cinza ele toca nos postes como se fossem pessoas.  Seu time ganhou.

 A cena não deixa de ser sublime, apesar de estranhamente triste e tristemente cinza, assim como Beckett sonhava o mundo. Estranho esse sentimento passageiro de “vencer”, de “ganhar”. Sempre nós, os homens, querendo vencer ou ganhar. Ou colocando nossas mulheres como cavalos ou éguas de Tróia para vencer nossa batalha por nós. Ele, o loner torcedor-sozinho,  fantasiado de pierrot,  poderia também estar vindo da convenção dos Democratas ou dos Republicanos.

Caramba! Como estou exausto de política! Como estou exausto de retórica. Como estou podremente exausto dessa guerra de nervos que somente se resolverá mesmo é através das urnas, em novembro, nos EUA. E, até lá, será um deus-nos-acuda, um deus-nos-acusa, um rebola hesbollah, um índio a menos ou a mais na tribo. Exausto.

Nessas convenções todo mundo está certo e orgulhoso de que alguém irá “vencer”, “levar o título”, “ocupar o trono”. Nesse catch as catch can, uma mulher estava sendo cogitada por anos, a Hillary, e eis que outra, no partido oposto (um coringa, uma incógnita), a Sarah Palin,  leva a cartada. Golpe sujo. Golpe baixo. Política já foi outra coisa?

Como pergunta pertinentemente alguém (será Larry King?): Ela está preparada para ser a Comandante Chefe?”

A pergunta já inclui a resposta.

Muitas respostas já incluem a pergunta.

Não agüento mais.

O nome “Lula da Silva” me enoja, e todo seu ministério! Mas nada mais tenho a dizer a esse respeito. O Real está forte, os restaurantes desta triste Paulicéia estão cheios. São Paulo enche a pança! É o que se faz aqui. O que mais se faria perto da Brigadeiro Faria Lima? Ah sim, os pequenos teatros alternativos que imitam os grandes teatros de GRUPO alternativos do mundo: mas aqui eles adicionam um pouco de cor a esse gris sur gris!

 Ainda me preocupo muito em ler e ouvir análises disso e daquilo, mas entro facilmente em nada! De tanto golpe baixo em golpe baixo a coisa vai, que nem me importo mais se McMain pega uma mulher que só viu duas vezes na vida antes… Bah! Política!!!  Eu deveria me importar depois de tanto que sofri com o Obama nesse último ano. E agora? Agora é esperar as eleições! Não adianta mais sofrer por antecipação ou por frustração.

A “Sinfonia dos DesDitos”  – que pequena revolução!

Escreve o Comandante Peter Lessman, 27 anos de Varig e agora na “Arab Emirates”:

Tendo a triste lembrança da política Brasileira como pano de fundo, assisti emocionado à Convenção Nacional do Partido Democrata nos EUA oficializando a escolha do seu candidato a Presidente e Vice, assim como também no dia seguinte o show de retórica de Obama aceitando a indicação.

Não consegui desgrudar um minuto daquele espetáculo de democracia e esperança em estado bruto. Do meu quarto de hotel em Bangcoc, acompanhei totalmente fascinado a cobertura da CNN nos mostrando de todos os ângulos possíveis os rostos, expressões e palavras das grandes e pequenas figuras humanas em um grande momento da sociedade americana, comprovando mais uma vez a sua incrível capacidade de reagir efetivamente, e com extremo vigor, quando insatisfeita com os rumos do seu governo e de seu país. Sem contar a grandeza da sua grande adversária derrotada na feroz disputa, Hilary Clinton, quando vigorosamente conclamou a todos para se unirem em torno de Obama, pelo bem do país!

Viajando há quase 30 anos literalmente pelo mundo, este acontecimento mais uma vez confirma o que eu não canso de repetir:

O que realmente diferencia o chamado “Primeiro” mundo do restante não é o dinheiro ou os eventuais rios de petróleo no “pré-sal” de cada país; mas acima de tudo na capacidade, ou não, de cada cidadão entender que a sua conduta e engajamento individual têm um impacto decisivo na qualidade da sociedade na qual ele está inserido, e conseqüentemente o futuro da sua nação…

O sistema deles funciona e se aprimorou ao longo dos anos com muita luta e até de uma guerra interna, e onde mulheres e negros, por exemplo, só conquistaram o pleno direito ao voto há menos de 100 anos.

Mas há duas características fundamentais por trás deste sucesso: os simples e sólidos princípios básicos quando a Constituição deles foi criada há mais de 200 anos pelos chamados “Pais Fundadores da Nação”, e o total comprometimento e vigilância de cada um dos cidadãos para com o seu fiel cumprimento.

E é este mesmo engajamento que tornou possível o “fenômeno” Obama, e TODOS os comentaristas políticos são unânimes em concordar, através do que eles lá chamam de “grass roots movement”. Um movimento “de raízes”, de “base”, onde através do trabalho “de formiguinha” de dezenas de milhares de voluntários de TODAS as camadas sociais país afora, ele obteve o apoio e arrecadou milhões de dólares para ao seu movimento chamado de “Change” (Mudança).

Assim como levou milhões a repetir em coro ao longo da campanha pela indicação de candidato pelo partido Democrata o “yes we can” (nós podemos sim). Com certeza fará o mesmo na Campanha Presidencial contra o candidato Republicano McCain.

E ele reconheceu a importância deste trabalho em um dos momentos marcantes do seu discurso de aceitação da candidatura Democrata ao afirmar: “O que alguns ainda não entenderam é que tudo isto que está acontecendo (o movimento CHANGE que ele lançou) não trata da minha pessoa (it’s not about ME), mas é sobre vocês! (it’s about YOU!)”, em uma extraordinária lição de humildade e liderança que já começou a fazer história.

Pois é, meus Brasileiros e Brasileiras: cada país tem o “Fenômeno” que merece certo?

Será que NUNCA aprenderemos a reagir??

Abraços esperançosos de muito longe,”

Peter Lessman.

 Minha companhia de teatro finalmente “aconteceu”: ontem, sábado, lá no SESC Paulista. O que significa acontecer? Significa fazer a cena acontecer! Significa entrar no groove, entrar no vivo da natureza viva e nunca morta. E estamos vivos. E o projeto que já mudou de nome (depois de muita raiva minha e muitas dissidências de atores) esta lá, de pé, assim como o teatro está de pé desde Sófocles!

 

E como o torcedor do time desta capital descendo uma de suas avenidas principais numa falsa alegria passageira, eu, numa falsa alegria passageira, comemoro um dia de vitórias dramáticas sabendo que o povo de New Orleans está fugindo do “Gustav”, marido da “Katrina”, 3 anos depois da devastação, pois é disto que nós somos feitos:

Festas

Vitórias

Devastação

Gerald Thomas

Abaixo, um texto de Artaud (mandado por Marina Salomon) em resposta á minha ira de anteontem no “ Geração Careta”: 

“Jamais, quando é a própria vida que nos foge, se falou tanto em civilização e em cultura.  Há um estranho paralelismo entre essa destruição generalizada da vida, que encontra-se na base da desmoralização atual, e a preocupação com uma cultura que jamais coincidiu com a vida, e que é feita para governar sobre a vida.

Antes de retornar à cultura, observo que o mundo tem fome, e que ele não se preocupa com a cultura; e que é apenas de maneira artificial que se quer dirigir para a cultura pensamentos que estão voltados unicamente para a fome.

O mais urgente não me parece tanto defender uma cultura cuja existência jamais salvou um homem de ter fome e da preocupação de viver melhor, e sim extrair disso que se chama de cultura idéias cuja força viva seja idêntica à da fome.

Nós temos necessidade sobretudo de viver e de acreditar naquilo que nos faz viver e que alguma coisa nos faz viver ¤ e aquilo que sai do misterioso interior de nós mesmos não deve retornar perpetuamente sobre nós mesmos, em uma preocupação grosseiramente digestiva.

Quero dizer que se para todos nós é importante comer, e já, nos é ainda mais importante não desperdiçar nesta única preocupação imediata de comer nossa simples força de ter fome.

Se o signo da época é a confusão, vejo na base dessa confusão uma ruptura entre as coisas e as palavras, as idéias, os signos que são a representação dessas coisas.

Certamente não são sistemas de pensamento que nos faltam; o seu número e as suas contradições caracterizam nossa velha cultura européia e francesa: mas quando é que a vida, a nossa vida, foi afetada por esses sistemas?

Não diria que os sistemas filosóficos são algo que se possa aplicar direta e imediatamente; mas das duas, uma:

Ou esses sistemas estão em nós e somos impregnados por eles a ponto de viver deles, e neste caso o que importam os livros?  ou nós não somos impregnados por eles, e neste caso eles não merecem nos fazer viver; e de

qualquer forma, que importa seu desaparecimento?

É necessário insistir sobre esta idéia da cultura em ação e que se torna em nós como um novo órgão, uma espécie de segunda respiração: e a civilização é a cultura que se impõe e que rege até mesmo nossas ações mais sutis, é o espírito que se encontra nas coisas; e é de maneira artificial que se separa a civilização da cultura, e que há duas palavras para significar uma única e idêntica ação.

Julgamos um civilizado pelo modo como ele se comporta, e ele pensa da maneira como se comporta; mas já sobre a palavra civilizado existe uma confusão; para todo o mundo, um civilizado culto é um homem esclarecido quanto aos sistemas, e que pensa através de sistemas, de formas, de signos, de representações.

É um monstro em quem se desenvolveu até o absurdo essa faculdade que temos de extrair pensamentos de nossos atos, em vez de identificar nossos atos com nossos pensamentos.

Se falta amplitude à nossa vida, ou seja, se lhe falta uma constante magia, é porque gostamos de observar nossos atos e de perder-nos em considerações sobre as formas sonhadas de nossos atos, em vez de sermos impelidos por eles.

E essa faculdade é exclusivamente humana.  Diria mesmo que é essa infecção do humano que nos estraga certas idéias que deveriam permanecer divinas; pois, longe de acreditar no sobrenatural e no divino inventados pelo homem, creio que foi a intervenção milenar do homem que acabou por nos corromper o divino.

Todas as nossas idéias sobre a vida devem ser modificadas, numa época em que nada mais adere à vida.  E essa penosa cisão é motivo para que as coisas se vinguem, e a poesia que não está mais em nós e que não conseguimos mais encontrar nas coisas ressurge de repente pelo lado mau das coisas; e jamais se viu tantos crimes, cuja gratuita estranheza só pode ser explicada por nossa impotência em possuir a vida.

Se o teatro existe para permitir que nossos recalques tomem vida, uma espécie de atroz poesia se exprime através de atos bizarros, onde as alterações do fato de viver demonstram que a intensidade da vida permanece intacta, e que bastaria melhor dirigi-la.

Porém, por mais que queiramos a magia, no fundo temos medo de uma vida que se desenvolvesse toda sob o signo da verdadeira magia.

E é assim que nossa ausência enraizada de cultura espanta-se com certas grandiosas anomalias e que, por exemplo, em uma ilha sem nenhum contato com a civilização atual, a simples passagem de um navio, somente com pessoas sadias, pode provocar o aparecimento de doenças desconhecidas nessa ilha, e que são uma especialidade de nossos países: zona, influenza, gripe, reumatismos, sinusite, polinevrite, etc., etc.

Do mesmo modo, se achamos que os negros cheiram mal, ignoramos que para tudo aquilo que não é Europa somos nós, os brancos, que cheiramos mal.  E eu diria mesmo que exalamos um odor branco, branco assim como se pode falar de um “mal branco”.

Como o ferro aquecido ao branco, pode-se dizer que tudo o que é excessivo é branco; e para um asiático a cor branca tornou-se a insígnia da mais extrema decomposição.

Dito isto, podemos começar a traçar uma idéia da cultura, uma idéia que é antes de tudo um protesto.

Protesto contra o estreitamento insensato que é imposto à idéia de cultura ao se reduzi-la a uma espécie de inconcebível Panteão; o que resulta em uma idolatria da cultura, da mesma maneira que as religiões idólatras colocam deuses em seu Panteão.

Protesto contra a idéia separada que se faz da cultura, como se existisse, de um lado, a cultura, e de outro a vida; e como se a verdadeira cultura não fosse um meio requintado de compreender e de exercer a vida.

Pode-se queimar a biblioteca de Alexandria.  Acima e além dos papiros, existem forças: podem nos roubar durante algum tempo a faculdade de reencontrar essas forças, mas não podem suprimir a sua energia.  E é bom que muitas das grandes facilidades desapareçam e que certas formas caiam no esquecimento; assim a cultura sem espaço nem tempo contida em nossa capacidade nervosa ressurgirá com uma energia amplificada.  E é justo que de tempos em tempos se produzam cataclismas que nos incitem a retornar à natureza, ou seja, a reencontrar a vida.  O velho totemismo dos animais, das pedras, dos objetos utilizados para aterrorizar, das vestimentas bestialmenteimpregnadas, em uma palavra tudo o que serve para captar, dirigir e desviar as forças, é para nós uma coisa morta, da qual sabemos apenas tirar um proveito artístico e estático, um proveito de fruidor e não um proveito de ator.

Ora, o totemismo é ator porque se move, e é feito para atores; e toda verdadeira cultura apoia-se sobre os meios bárbaros e primitivos do totemismo, cuja vida selvagem, ou seja, inteiramente espontânea, quero adorar.

O que nos fez perder a cultura foi nossa idéia ocidental da arte e o proveito que dela tiramos.  Arte e cultura não podem andar juntas, contrariamente ao uso que universalmente se tem feito delas!”

Antonin Artaud

  

(O Vampiro de Curitiba na edição)

 

 

 

 

 

 

156 Comments

Filed under artigos

156 responses to “A Sinfonia dos Des-Ditos (ato 1: Os Caretas)

  1. Gustavo

    Pelo menos o furacão não chama Gerald.

    Já eu fico pensando esse tempo todo o que é emprestar meu nome a uma coisa que vai causar devastação. Aliás já causou, matou 80 e tantas pessoas. Essa desgraça toda. Três anos da dona Katrina, e ainda não aprenderam a lidar com o fenômeno. É como um segundo ato de uma tragédia de final duvidoso. Se Katrina era a esposa, Hannah que está a caminho desta Florida, deve ser a amante.

    Mas que tragédia é essa? A tragédia de um povo? Mas que povo? Jamaicanos? Cubanos? Haitianos? A mistura dos decendentes deles que vivem em solo americano? Ou é a tragédia de um presidente? do jazz? dos poluentes que contribuiram para o desequilíbrio ecologico?

    Alguém falou por aqui uma vez que você sabe que o mundo tá para acabar num filme quando o presidente americano é negro…

    “That’s how it is on this bitch of an earth”

    “Make sense who may. I switch off.”

    Beckett era o cara.

  2. mistoffelees

    aeee, rapa, gerald, artaud! sem palavras! firmeza totaaaal!

    a porra da cultura nao é um produto para ser comprado por esses trouxas usando aqueles oculos medonhos de secretaria de filme pornô.

    ha letras do racionais( q alias, é o t.s eliot do rap nacional) q tem mais cultura do q muita coisa por ai( me vem a cabeça muita coisa culturalesca,schlecht).bla bla bla bloom.

    COLHER NO VENTO UMA TRADIÇAO VIVA!

  3. Sandra

    Como o cinza é forte, intenso,… Como fermenta energias latentes…
    Às vezes, acho que Sampa é uma explosão nascida do cinza. Ou que continua latente.

  4. O que o Comandante Lessman fala sobre a diferenciação sobre primeiro mundo e o restante, sobre o engajamento individual de cada cidadão é simplesmente CORRETISSIMO.
    Junto com isso posso adicionar a elitisação, ou não democratização da EDUCAÇÃO. Esse é outra importante diferença de qualquer país escandinavo e os sul americanos, por exemplo. Onde aqui, somente uma pequena parte das pessoas tem reais condições de educação.
    p.

  5. Gerald, teus dois primeiros paragrafos deste novo texto tem um clima ótimo, tudo a ver com o que fizemos ontem.

  6. O Cte. Lessman está falando a verdade sobre como o EUA agem, mas infelizmente os americanos não tem a mesma atitude com relação as suas políticas externas, aí bicho, aí o bicho pega.

  7. Sandra

    “Um torcedor do Corinthians desce a pé a Brigadeiro Luis Antonio, feliz da vida. Um vulto sozinho neste frio sábado à noite, nesta rua cinza, cidade cinza, sombras além do cinza, garoa fina e cinza ele toca nos postes como se fossem pessoas.”

    Que cena forte!!! Linda!!! Levou-me às lágrimas!!!
    A alma de Sampa que você sangrou em palavras!!

  8. Tene Cheba

    Eu li, não estou inventando.Nos bastidores o Casal que em insiste em manter as aparências, sabotou, conspirou, solapou o grande astro da noite.Chamaram para sí, todos os holofotes que reluziram toda a hipocrisia estampadas em suas testas.Com aquele discurso inflamado, acompanhado por um ensaio de emoção e choro do Bill Clinton, flagrado durante o delírio da sua amada esposa, quase me fez ter nostalgias pelos filmes B americanos.Simplesmente não suporto este casal, a guerra de Obama, e ele transparece esta preocupação, começa exatamente naquele ponto azedo e leitoso, naquele sorriso, que nitidamente o informa, “quero que você se foda e não bata na minha porta”, mostrado pelos quatro cantos do mundo. Prefiro a mina do Alasca, sossegadinha, bonitinha, ao que parece sem chifres na cabeça, a não ser que padeça por deficiência aguda de calcio. Gosto do Obama, não gosto das suas adjacências.

  9. Sandra

    Incomoda-me alguns leitores enraivecidos que escrevem dizendo que o IG deveria dar espaço a outra pessoa, que o Gerald estaria ocupando o lugar de outro. Como assim? É como uma caixa de laranjas? Para uma entrar, outra deve sair?
    Quem gosta de rap deve queimar CDs de música clássica? Quem gosta de Guimarães Rosa deve queimar livros de Kafka? Nas nossas cabeças só há lugar para um deles? E a cabeça do outro deve ser pautada pela minha? Devo escolher também os livros que os outros devem ler?

  10. Sandra

    E Kafka é mesmo genial, Gerald! Lamento ter demorado tanto para lê-lo.

  11. Tene Cheba

    Um ponto do texto que não entendi, foi sobre a esposa do Senador MacCain, como assim só se viram duas vezes antes de casarem? Não consegui ler nas entrelinhas a mensagem.

  12. Felipe

    O Ortega e Gasset tem razão, a porra da palavra é um problema.Criaturas e criaturinhas ainda não se entendem direito com ela, Godard tinha razão, o explicavel é o inexplicavel ao avesso. DIZ PARA A mARINA MANDAR EMAIL E TELEFONE

  13. Dagom Dclxvi.

    O mameluco que não tem idéia do que seja isto, suado e cansado de catar latinhas, caixas de papelão e um quadro quebrado de Ogum que trouxe para o barraco para remendar e pendurar na parede, encontra a cafusa à porta ansiosa para ganhar um abraço daqueles de quebrar os ossos e o aço que esporádicamente se interpõem entre eles e o anjo que ora dorme no berço feito com esmero das sobras da madeira do edifício super faturado pelo Juiz ladrão.
    A cafusa fez faxina o dia todo mas ainda deu tempo para chegar mais cedo limpar o barraco e perceber que faltava alguma coisa, pensou, pensou e se lembrou que no meio dos trecos que o mameluco houvera catado no dia anterior havia uma flor vermelha de plástico que poderia enfeitar a mesa de centro ( que não passava de uma caixa de sabão que ela envolvera com um plástico preto).Foi até o monte de trecos e pegou a flor e lavou com cuidado endireitando a haste de arame de forma a que ficasse com a forma desejada, no mesmo monte de trecos encontrou uma lata vazia destas que a gente vê nos supermercados e colocou umas pedras dentro para que não tombasse com o peso da flor e colocou o vaso sobre a mesa.
    Foi ate a porta e olhou para o ambiente e pensou assim: “agora sim parece casa de gente!”.
    Mesmo com muito cansaço após o breve abraço e rimar não interessa o mameluco separa os trecos da catação pra apurar o dinheiro e comprar o leite e o pão depois da grande jornada.
    Tudo feito toma o banho e ainda assiste novela, vê o jornal nacional do Wilhiam e da Fátima, fica sabendo de tudo, de tudo que a mídia quer e já desiludido de tudo desliga a televisão na hora do horário político sabendo que é o momento de fazer amor, não fazer guerra.
    A cultura é latente e viva mesmo que queiram desvirtuá-la e não está no que é imposto e nasce numa flor de plástico e mesmo que a historia seja repetida ou mentirosa ela está em todos os cantos brotando e nascendo independentemente de mim.

  14. Sandra

    “Pois é, meus Brasileiros e Brasileiras: cada país tem o “Fenômeno” que merece certo?”

    Ai, ai… Certo.

  15. Felipe

    O que vale é a tristeza explicita e o mal que está fazendo a experiência de convivência em outros moldes.a RAPAZIADA TÁ EXPERIMENTANDO OUTRAS PARALELAS, vai rolar alguma coisa…Fantasia de Batman é coisa do passado.

  16. Paulo

    Gerald, uma vez li uma piada do Jose Simao que quase me mata de rir; numa visita do Dalai Lama ao Brasil ele disse que se ele ficasse por aqui por muito tempo acabaria vendendo incenso em frente ao Teatro Municipal, e se voce resolvesse ficar no Brasil,
    tem alguma ideia de como terminaria?

  17. gthomas

    Texto longo: entendo: dificil entrar comentario
    textos tem que ser curtos e “digeriveis”.
    Terrivel isso. Terrivel essa formula.
    LOVE
    G

  18. Paulo

    Respondendo a minha propia pergunta, acho que voce terminaria trabalhando na Rede Globo!

  19. gthomas

    Paulo, obrigado por me desejar o inferno
    amanha volto pra NY e deixo vcs todos em paz!

  20. Paulo

    Hehe de forma alguma Gerald, nao te desejo esse inferno e sei que voce esta acima dele. I was just kidding bro!

  21. Até tu, Brutus? Contra o Lula? Quando fazia cursinho um professor comentou ao corrigir uma prova.:ta todo mundo no merda, com média 7. Se você quer subir na vida tem que sair da boiada. O Lula saiu da boiada, de milhões de nordestinos, que vinham para São Paulo, carregar latas de concreto, nas costas, construir palacetes e morar em palafitas secas, consumir restos de feira. O corintiano carrega bandeira, a mesma bandeira dos evangélicos, católicos, petistas, partidários de todas as facções políticas, esportivas, econômicas e religiosas. As bandeiras são criadas para dominar e tirar proveito das massas, da boiada. Basta tocar um berrante que todo mundo vai atrás.

    Grande porcaria a Europa. Toda a opulência dos europeus foi subtraída das terras do terceiro mundo, em cima da escravidão, da opressão dos povos africanos, americanos e asiáticos. O ouro que embeleza Versailles não foi cavado na França. Até uma guerra a Inglaterra fez para sustentar o comercio do ópio que consumia o povo chinês. Somos terceiro mundo, há mais de 100 anos, que não há uma guerra na América do Sul. Somos o pais que mais vacina a população, o que mais distribui remédios gratuitamente, contra a aids. Somos referencia mundial em tecnologia de alimentos e no combate a pobreza.
    God save the Lula.

  22. Paulo

    Na verdade acho que se voce ficasse no Brasil poderia fazer muitos trabalhos teatrais fantasticos e enriquecer bastante o teatro brasileiro, no qual nao sou nenhum especialista.

  23. Tene Cheba

    Acreditar em Deus, ou torcer por um time de futebol, ficar feliz, ganhar o dia, ter fé, acreditar, ajoelhar e rezar, pedir com fervor, um milagre, mesmo que seja para o Corinthians ganhar, se parecem e existem em enormes quantidades, por todos os lados e cantos do planeta. Como podemos acreditar em algo que não vemos, não sentimos? Como podemos torcer, por algo que não nos traz retorno, que alegria é esta, por ver o “meu time ganhar”?Eu fico feliz prá burro quando o meu ganha. Mata-se por isto, semelhante as Guerras Santas.Todas as civilizações, isoladas ou com conexões, em todos os tempos, sobre variadas formas, foram coletivamente submissos a algo que suas inteligências não explicam, mas que suas ilusões alimentam.Por que eu não gosto do Lula, posso elencar, por que não gosto do Flamengo, sei lá, quero apenas que se exploda, melhor, se explodam.A Filosofia e a Biologia não conseguiram nos explicar, nossos transes coletivos, são irracionalidades que não compreendem.Tá na hora de se repensar, quem de fato somos nós, para Físicos, Ateus e Similares.

  24. Tene Cheba

    O Homem na sua hora mais singular, teme, se apavora com o fim, pede intrinsicamente sua continuidade, quer viver, taí as médias de tempos vividos que não me deixam mentir, sobem, são vacinas, dietas orgãnicas, cidadãos olimpícos, sarados, caretas, completamente felizes que chega a enjoar, este coquetel para a vida longa, teria nos exterminados se fosse implantado há mil anos atrás. Uma nova espécie surgiria em lugar dos Humanos, Os Mauricinhos, até as bactérias cabeludas dos anos sessenta seriam extintas, a terra seria limpa, a água cristalina e o ar puro que Deus me livre. Quero meu pastel com gordura Trans, saturados de insaturados.
    P.S. Putz grilo mil vezes, Lula fez tudo isso?

  25. João Segundo

    Por onde andarão outras coisas que, além do nome Lula da Silva, te enojariam?
    Já experimentou enojar-se dos quatrocentões que vivem da miséria nacional. E dos Serras, Cardosos e Alckmins? O neo-liberalismo de colonia rendida e resignada já te enojou? Já te enojaram alguma vez aqueles hipócritas que se enojam do nome Lula porque viram seus privilégios perdidos?

  26. Esse cara é muito chato, muito prolixo e metido a intelectual, tenho um parente que, aqui no Brasil vivia de esmolas por não ter capacidade de arrumar trampo, pegou cidadania italiana, que eu também tenho, pra poder viver do seguro desemprego na inglaterra, e vc parece ser igual, tem que sair pra poder ter um lugarzinho ao sol, é mais um que fala mal de sampa mais depende do dinheriro que sai daqui para sobreviver … Não sei até quando esse IG, que na realidade é o pior dos que temos, vai permitir que esse bronquinha continue a escrever esse papo furado …

  27. Gt e pessoal, um do Paulo Coelho:

    Para se reconhecer uma pessoa que está sendo vítima de vampirismo teremos que observar atentamente o seu comportamento. Depois que suas energias começam a ser roubadas, começa a denotar mudanças significativas em seus hábitos. Isso acontece de forma tão significativa que dificilmente aqueles que a cercam deixariam de notar. As transformações começam no olhar que, a partir do primeiro contato com o vampiro, torna-se estático, dando a impressão que seu globo ocular está sempre concentrado no mesmo ponto, vendo alguma coisa além do concretismo das coisas. Posteriormente, se se trata de uma pessoa muito ativa e jovial, começa a se mostrar indolente e vagarosa, sem ânimo para participar de reuniões sociais. O senso de humor desaparece completamente, tomando o seu lugar uma rígida indiferença em relação a tudo que se passa a sua volta. A pessoa vampirizada começa a evitar propositalmente o contato com os raios solares, e durante a noite revela uma tendência ao sonambulismo, o que a torna cada vez mais apática, chegando a desmaiar ao menor esforço físico. Uma extrema palidez começa a contornar-se pelo seu rosto, e durante as refeições alimenta-se com carne praticamente crua e grande quantidade de vinho. Com o passar do tempo torna-se arredia a todo tipo de contato com outras pessoas, permanecendo trancada em seu quarto. Passa a falar muito pouco, e quando o faz, é possível notar-se mudanças no tom de voz. Diz fazes desconexas, incapazes de serem entendidas pelos outros. A sua higiene pessoal também começa a se deteriorar evitando entrar em contato com a água, com perfumes, sobretudo aqueles feitos de essências de flores. Além da palidez, é possível observar pelo corpo da vítima enormes marcas roxas como se tivesse sido espancada por alguém muito forte. Se estiver sendo sugada por um vampiro de sangue, é possível ver no alto do pescoço, onde ficam as veias jugulares, duas pequenas marcas parecidas com incisões feitas por uma pequena agulha que aos poucos vão se tornando arroxeadas e cobertas por uma espécie de substância purulenta. No entanto, é possível encontar essas marcas também em outras regiões do corpo, como nos pulsos, nas pontas dos dedos, e próximos ao coração, sendo que nesse caso o estado de deteriorização da vítima é muito rápido, impossibilitando qualquer tipo de salvamento. Mas tanto no caso do vampirismo de sangue, como do vampirismo astral, a vítima mostra uma estranha ansiedade com a chegada da noite, transparecendo uma tristeza misturada ao desejo de se entregar completamente. Normalmente essa pessoa evita olhar-se no espelho, e repudia imediatamente qualquer tipo de simbolismo sagrado de qualquer religião.
    Existem casos em que a pessoa começa a comer todo tipo de inseto e pequeninos animais como rato, gato, passarinhos, lagartos lagartixas, etc., ainda com vida. Se o vampiro não lhe roubar toda a energia e ninguém se der conta da sua verdadeira doença, a vítima fica histérica, tornando-se insuportável nos meios sociais, o que obriga um internamento em sanatório para alienados mentais. Dessa forma estará condenada a uma insanidade sem cura até os últimos dias de sua vida. Não é difícil encontrar nos hospícios do mundo inteiro, pessoas vampirizadas falando uma linguagem completamente estranha e uivando como lobo para os raios lunares. Quando psicanalizados, elas revelam estar esperando a chegada do mestre para terminar a metamorfose iniciada. Nesse estado vivem durante anos, sem a menor compreensão dos médicos que a cercam. Mas, apesar de sua sina, são dóceis, incapazes de atitudes violentas contra outros internos, contanto lhe sejam permitidos preservarem os seus hábitos.

  28. Paulo

    O `pobrema` do Lula eh que ele eh um politico profissional e esta no poder, assim tem influencia direta e indireta sobre muita gente. Mas acho que se ele nao estivesse nessa funcao e fosse apenas o Luis Ignacio, seria uma pessoa normal. Mas claro, o poder tem essa magica de trazer a superficie a realidade do individuo que ja existia antes, so que sem o poder a pessoa nao
    tinha coragem ou possibilidade de fazer isso. No caso do Aerolula por exemplo, claro que eh um aviao de dar inveja em qualquer chefe de estado mundial, isso num pais com a quantidade de pessoas pobres como o Brasil. Entao, as pessoas acham normal que ele voe nesse palacio…
    Eu nao acho, acho que ele deveria voar de voo fretado.
    ponto final.

  29. è Gerald, te conheci há pouco tempo e já sou seu fã. Belas palavras, inclusive as palavras alheias postadas no seu post. Concordo de novo( já havia concocrdado no post sobre os caretas) e devo acresccentsar que me sinto realizado novamente pela publicação de tão bela exprassão de um humano conteporâneo.
    Representou tanto pra mim assim porque tenho perticipando da “inquietação” artísitica que se tem vivido e é exatamente o que me tem movido para a onetidade artísitica. Não que eu não tenha sido antes onesto com minhas publicações mas a apartir da semana passada temnho sido mais rigoroso com a onestidade artística na hora de compor. E isso não há preço que pague.
    É nóis!!

  30. Tene Cheba

    Tenta-se manipular a eternidade, se não somos eternos, por extensão o Universo também não é, nos confundimos com a matéria, que é cíclica, pela racionalidade sempre seremos ímpares, apenas com um intervalo de tempo para existir.Então a natureza nos criou para contemplá-la, apenas para isto, não fazemos parte dela, somos sua exceção, não pode ser.

  31. Lilian.

    Muito bom.
    O Post mais delicioso de todos até agora.
    ( ixi! será que eu já estou no estágio dos puxa sacos)

  32. Tene Cheba

    O Brasil sempre precisou da ampulheta, seu tempo não corre apenas se repete, não construímos um país, somos fáceis, analisamos tudo pelo instante em que vivemos, o nosso momento afeta o nosso humor.Lula transformou o Brasil barbaramente, seu discurso vazio é abafado pela ruídosa digestão dos que se fartam.O seu governo de um primarismo atroz, vulgarizado pela banalização de nossas instituições, saqueia sem perdão nossas esperanças por um país melhor.Este governo adotou um sistema híbrido de gestão, o populismo macabro associado a uma esquerda ultrapassada.
    Parasitou o Plano Real, as privatizações, promoveu uma farra nos gastos públicos, sua gestão foi a mais devota na malversação do dinheiro que produzimos e fornecemos regularmente, sua compaixão, seu mediano conhecimento sobre o Brasil transformou seus tempos de mandatos em um hiato, sua marca, o completo desconhecimento de tudo que estava ao lado e embaixo do seu nariz.

  33. Sandra

    Jair, ele É intelectual. Dá uma olhada na biografia dele.
    E se não gosta do blog, por que não visita outro? Ou você precisa que o IG feche um blog para que você não o leia?

  34. Sandra

    Targino, a presidência da república não pode ser um prêmio para quem sofreu. Você daria um diploma de cardiologista a Lula e deixaria-o operar o coração de um filho?

  35. Sandra

    Gerald, não quero paz (INTELECTUAL!!!!!!!!!!!!!).

  36. Sandra

    O texto não está longo, Gerald. Longa foi a turbulência em sua alma que o fez sangrá-lo.

  37. Sandra

    OK, a gente o empresta para NY, mas você é nosso!

  38. Sandra

    Que Deus o acompanhe em sua viagem, Gerald. Que faça um lindo tempo!

  39. Sandra

    E adoro sua ira!

  40. julie

    sandra,

    aaaaaaaaaaaaaaaaaaaahahahahahahahahahaahahhahahaah!
    cara, sem vc meu humor não seria o mesmo! Obrigada por existir!

  41. mistoffelees

    nao, sandra. quem gosta de rap nao deve quebrar nada. eu ouço rap e tambem ouço wagner por ex.

    a diferença é q: wwagner é usado como produto cultural. ouve-se( a maioria ) wagner porque é cultura ( carimbada ja etc).
    eu ouço rap( e outras coisas) porque é a verdadeira cultura( viva) desse tempo, antena do jogo social, cultural, economico etc etc.

  42. Sandra

    VERDADEIRA cultura?

    Toda cultura acrescenta e enriquece.

  43. Sandra

    Por que você ouve Wagner, Mistoffelees?

  44. Sandra. Seu precisasse de um medico, garanto que o Lula saberia quem me indicar. A função de um Presidente é essa saber com quem pode contar. Nenhum presidente, terá todos os conhecimentos.

    Na época da conversão de Cruzeiro para Real os preços tinham que ser divididos pelo valor da URV que era 2750. Assim uma cerveja de 600 ml que custava Cr$800,00 deveria custar, 800 / 2750 = R$0,29 o mesmo preço de uma dúzia de banana. Não foi isso que aconteceu. os preços foram arredondados para cima, com 200 a 500% de aumento. Tudo que deveria custar centavos, passou a R$1,00. a maioria dos preços sofreu grande majoração. As empresas de bebidas, tiveram o seu faturamento, real, triplicado. Não houve nenhuma fiscalização do governo FHC, ninguém foi punido, o próprio governo se ufanava que o povo estava tomando iogurte R$ 1,00 com 300% de aumento. Depois dessa alta brutal, os preços se estabilizaram ai vê veio a cantilena que o governo FHC tinha dominado a inflação, na realidade tinha criado uma carestia violenta porque os mesmos empresários que tinham convertidos os preços, a sua melhor maneira, não fizeram o mesmo com os salários, os únicos a terem a conversão ao pé da letra. Este governo teve a ousadia de publicar ,um encarte no Estadão, que o feijão que custava CR$ 1850,00 e esta sendo vendido a R$2,00 quando deveria ser vendido a 1850 / 2750 = R$0,67. No fundo, o que ele fez foi trocar o termômetro Fahrenheit por Centígrado, achando que baixando o valor nominal iria baixar a temperatura. Lembrando que o governo ficou 8 anos sem dar aumento ao funcionalismo publico. Sem salário, com os preços reais nas nuvens, sem consumo, veio o desemprego. Outro disparate desse governo foi a paridade dólar = real. Os empresários, sabendo que essa matemágica, não duraria muito, começaram financiar bens,. automóveis, etc, em dólar. Quando caiu a paridade, porque não dá para equiparar o meu dinheiro com dinheiro do Bill Gates, muita gente viu a sua divida triplicar da noite para o dia. Não quero falar das privatizações, de quem vendeu o subsolo mais rico do mundo na bacia das almas porque não tinha idéia do que estava vendendo, mas quero lembrar que quem comprou telefone a R$ 1000,00 viu o seu patrimônio ser usurpado, vendido sem receber um centavo de indenização. Este foi o governo de um cidadão que tem a parede forrada de diplomas (Dr. Horroris Causa) e que fala vários idiomas que se elegeu duas vezes em cima dessa aberração. O Presidente Lula é um ícone que conduziu ao governo, uma nova escola econômica, baseada na distribuição de renda e no fortalecimento do mercado interno. O Brasil para os brasileiros.

  45. Mariana

    Estou me identificando com o texto do Paulo Coelho……………………………………………………………………………………..às vezes me sinto vampirizada.Alguém sabe se tem cura, ou como se proteger dos vampiros.SOS

  46. Tene Cheba. Seremos eternos no passado. Sempre estaremos la. Ninguem vai apagar a nossa existencia. Se um dia alguém voltar, retroceder no tempo, vai nos encontrar aqui.

  47. Oi, Gerald e pessoal: esse post foi jóia. O texto do Artaud, uma delícia. Vamp: gostou do jovem Paulo Coelho? É de um artigo que fiz sobre os textos dele antes de 89. Ele chegou a lançar uma peça de teatro em 1970. Pena que na entrevista ele e Gerald não falaram sobre isso. Foi uma boa entrevista, Paulo Coelho falou sobre Borges, Julian Beck, enquanto Gerald deu uma aula de Beckett ao Paulo, que fez faculdade de teatro!

    Abraços do Lúcio Jr.

  48. Sandra

    O texto de Artaud não me parece ser de alguém que não leu MUUUUITO!
    Depois disso, quando é minha vez de ler esses livros, ele diz:

    “Ou esses sistemas estão em nós e somos impregnados por eles a ponto de viver deles, e neste caso o que importam os livros? ou nós não somos impregnados por eles, e neste caso eles não merecem nos fazer viver; e de

    qualquer forma, que importa seu desaparecimento?”

    Agradeço muito a iluminação, mas pode deixar que eu mesma leio os tais livros e concluo por mim mesma se a leitura foi inútil ou não.

  49. gthomas

    Pena nao termos tido um movimento “normal” de comentarios.
    Ao mesmo tempo, volto do teatro FELIZ, assim como raramente estive.
    Realizado seria mais a palavra: samba, rock and roll e cenas lindas nesse dysfunctional objective!
    LINDO gente: vem nova peca por ai.
    Aguardem meu retorno pro Brasil
    um beijo em todos
    LOVE
    G

  50. Sandra

    Targino, o Plano Real dominou mesmo a inflação. Ela chegava a 50% AO MÊS. Quanto a paridade dólar=real, agora é fácil a gente dizer que era ruim, mas, quando liberaram o câmbio, todo o mundo pensou que o Real iria quebrar. Quanto a Lula indicar alguém, eu não confiaria. Todos os seus grandes ministros foram caindo um a um, sob denúncias de corrupção. Quanto a ele ajudar o povo, ele paga 60 reais para não ter que lhes dar escola e saúde. Nem a carteira de vacinação e a presença na escola é exigida para que se ganhe o bolsa-família. Aliás, só o fato de mudar o nome do plano de bolsa-escola para bolsa-família já é significativo.

  51. Sandra

    Gerald, nunca temos um movimento normal de comentários no domingo.

  52. Sandra

    Meu Deus, Gerald. Do jeito que você é exigente, se está feliz assim, essa peça estar ficando sensacional!

  53. gthomas

    Sandra: sim, mesmo exigente desse jeito, vc nao pode imaginar o que aconteceu la. Depois de dias e dias de dar com a cabeca na parede aconteceu o que sempre acontece: a gente comeca a ver um esboco de algo que se torna factivel e transforma numa cena e essa cena se desenvolve em algo lindo e a gente comeca a fazer fe naquelas mesmas pessoas que estavam fazendo birra esses dias todos!
    Parece milagre e parece que a gente nunca aprende!
    LOVE
    G

  54. mistoffelees

    é uma pergunta CARETA, sandra. da pra fazer um paralelo: POR QUE VC OUVE FULANO?! e VC SABE COM QUEM ESTÁ FALANDO?!

    voltando.
    era uma vez…. estava lendo o thomas eliot( bitch) pela primeira vez talvez( THE WASTE LAND)

    e li: Frisch weht der Wind
    der Heimat zu:
    mein irisch Kind,
    wo weilest du?

    depois vi numa notaq era do tristao e isolda, primeira cena, bem no comecinho.

    fiquei curioso. depois de longo tempo, fui ouvir.
    eu q ouço de adoniran barbosa, passando por stockhausen e a caralhada early eletronic composers, até coisas agressivas como dimmu borgir( a banda norueguesa de black metal)…enfim , gostei do ”pathos”, da apoteose ”romana”.

    enfim, bateu ficou. q nem brahms e varios outros.
    penso q esse ”proto-nazi”( secondo dizem) conseguiu fazer cultura em estado vivo, revivendo com força total aqueles arquetipos antigos( colher no vento uma tradiçao viva).
    isso deve ter tido um sentido mais preciso na epoca( q alguem, sabendo, poderia me explicar).

    enfim, a humildade prevalece. firmeza total! 🙂

    espero ter conseguido responder, sandra.
    bisou.

  55. Sandra

    Puxa… Nunca o vi assim! Vou pedir bom tempo para você:

    “Santa Clara, clareai
    Estes ares.
    Dai-nos ventos regulares,
    De feição.
    Estes mares, estes ares
    Clareai.

    Santa Clara , dai-nos sol.
    Se baixar a cerração,
    Alumiai
    Meus olhos na cerração.
    Estes montes e horizontes
    Clareai.

    Santa Clara, no mau tempo
    Sustentai
    nossas asas.
    A salvo de árvores, casas
    E penedos, nossas asas
    Governai.

    Santa Clara, clareai.
    Afastai
    Todo risco.
    Por amor de S. Francisco,
    vosso mestre, nosso pai,
    Santa Clara, todo risco
    Dissipai.

    Santa Clara, clareai. ”
    (Manuel Bandeira – Oração para aviadores)

    Minhas orações o acompanham, Gerald. Sempre.

  56. Sandra

    Mistoffelees, quer dizer, porque gosta. Porque o toca. Mesmo ele sendo europeu.

  57. Sandra

    Mistoffelees, meu tom está mais para:
    Ah! Admita que há coisa boa nessa cultura!!!!

    Do que:
    Sabe com quem está falando?

  58. mistoffelees

    ah sim, sandra. perdao se fui arrogante.

    ha coisas terrivelmente boas e cheias de vida e de sonho( como dizia mallarmé).

    depois q fiquei sabendo q ele mesmo(wagner) escrevia aquelas coisas todas, passei a gostar mais. e uma circunstancia biografica: o fato d’ele nao ter conhecido o pai.coisa q , de certa forma , nos aproxima.( claro q nao tenho o menor pejo de me ”expor” e nem de me comparar a ele etc- o q seria uma bobagem).

    agora peguei os librettos pra traduzir.

    p.s: a cultura da qual eu nao gosto é aquela q precisa ser subvencionada pelo estado por ex. parece q envelhece, tira a vida das coisas.uma cultura ( e seus resultados efetivos em obras) nao precisa ser alardeada em ”festivais” de apoio etc, ela é auto-celebrada, indiretamente, em suas proprias obras.

    a cultura é um efeito colateral da vida em sociedade, uma coisa (no fundo)nao desejada.

  59. Blog de Gerald Thomas:“Joguem Pedras, Meus Amores!”

    Quem gosta de passado é museu. Creio que essa coluna se estabelece firmemente no século XXI ao falar sobre o blog de Gerald Thomas, que é um dos mais animados da internet. É um dos blogs que freqüento: recentemente ele fez uma blognovela e alguns blogueiros viraram personagens: eu estou lá também. O blog dele começou na Uol, onde Gerald fez entrevistas e agora passou para o Internet Gratuita (IG), onde em três meses teve 130 mil visitas. É um fantástico fórum de debates; a frase do título acima é dele, pois ele adora polemizar e aceita muito bem as críticas. Gerald, que já foi casado com Fernanda Montenegro e namorou Giulia Gam, é um dramaturgo que tem passado sua vida dividido entre os Estados Unidos, Inglaterra, Brasil e Alemanha, graduado em filosofia pelo British Museum Reading Room e que começou sua vida teatral La MaMa Experimental Theater, em New York. Em 1985 Thomas formou e estabeleceu a Companhia Ópera Seca, em São Paulo, Brasil. Desde então ela tem se apresentado em 15 países com retornos anuais. Com a Companhia Ópera Seca, Thomas escreveu e dirigiu “Eletra Com Creta”, “A Trilogia Kafka”, “Carmem Com Filtro”, “Mattogrosso”, “The Flash and Crash Days”, “A Trilogia da B.E.S.T.A e M.O.R.T.E”, “Nowhere Man”, “Os Reis do Iê Iê Iê” (“A Hard Day’s Night”), “Ventriloquist”, “Nietzsche Contra Wagner”, “Esperando Beckett”, “UnGlauber”, “O Príncipe de Copacabana”, “O Império das Meias Verdades”, “Deus Ex Machina”, “Terra em Trânsito” , “Cinzas no Congelador”, “Um Bloco de Gelo em Chamas” e, como homenagem a Beckett pelo seu centésimo aniversário, “Asfaltaram o Beijo”.
    No Brasil, Gerald Thomas ficou conhecido por ter dirigido o show em que Gal Costa exibiu os seios e também por ter mostrado a bunda ao público quando das vaias ao final da apresentação do espetáculo Tristão e Isolda, em 2003.

    http://colunistas.ig.com.br/geraldthomas/ (blog do Gerald)
    http://geraldthomas.blog.uol.com.br/ (página pessoal)
    http://www2.uol.com.br/geraldthomas/new/entrevistas.htm

  60. Tene Cheba

    Xiii, que mancada minha, não sabia da Trilogia de Kafka.Discordo, melhor, não concordo, não foi o show de Gal Costa que deu visibilidade, no Brasil, ao nobre Dramaturgo.

  61. marcya oliveira del vall

    Gerald, realmente como diz Antonin Artaud o teatro tem o seu duplo…
    Estamos vivendo esse duplo.
    Realmente estamos impreganados de dogmas de um conceito errado de cultura,somos impreganados até as veias ,pelos nossos antepaçados pelo ocidente por essa maneira errada de definir cultura.
    Acabamos nos perdendo em conciderações sobre uma forma de adiquiri-la como se ela não fizesse parte de um movimento dos nossos estimulos internos e verdadeiros,que é capaz de fazer brotar ação…
    Como postei no ultimo comentário não sei se viu ,somos muitas vezes reprodutores desses dogmas implantados em nós como robôs.
    Realmente nosso pensamento está apenas voltado para fome,parecemos animais vorazes irracionais ,devoramos com tanta angustia de perder o alimento que muitas vezes esquecemos de saborea-los,E é assim com a cultura também,Acreditamos que temos que devorar conhecimentos sistemáticos para termos cultura, e não entendemos que a cultura:
    não é absorvida de fora para dentro ,é extraida de dentro de nós para fora…
    Estamos refletindo a fome no palco,o nosso teatro tem fome!
    E nos esquecemos como diz antonim Artaud que melhor do que essa necessidade fisiologica da fome,é extrair disso nossa simples força de ter fome.

  62. marcya oliveira del vall

    Realmente podem nos queimar todos os livros.
    Mas nunca queimaram nosso ser divino.
    Que é capaz de fazer brotar rosas das cinzas!

  63. Sandra

    Lúcio, você não errou de Fernanda?

  64. GT e pessoal: esse texto aí em cima é minha coluna onde indico blogs em um jornal interiorano, com pouco espaço, daí foi preciso falar no show da Gal e no Tristão e Isolda, que são os gestos que ficaram para quem vê tevê. Na verdade, Gerald já tinha fama ao dirigir Beckett no início dos anos 80.
    Vcs viram essa revelação do resultado da licitação na matéria sobre a ópera? Imaginei que mensagem cifrada estava na própria ópera Salomé. Quando Herodes perguntasse a Salomé o que ela queria ela responderia:

    –Não quero a cabeça de João Batista numa bandeja de prata. Quero a de CAMARGO CORREIA!

    RICARDO FELTRIN
    Editor-chefe da Folha Online

    O resultado da licitação para a construção da via permanente 2-Verde do Metrô, obra de mais de R$ 200 milhões, foi antecipado pela Folha Online oito horas antes da abertura dos envelopes, ontem, em São Paulo. O nome da vencedora e detalhes do processo foram ocultados em texto sobre a ópera “Salomé”, que entrou em cartaz ontem na Sala São Paulo.

    A antecipação mostra que a concorrência pode ter sido direcionada, de forma a dar vitória ao consórcio liderado pela Camargo Corrêa. Procurada, a empresa se recusou a falar sobre o assunto.
    Reprodução/Folha Online
    Em destaque, as palavras cifradas sobre o resultado da licitação, que só seria revelado oito horas depois
    Em destaque, as palavras cifradas sobre o resultado da licitação, que só seria revelado oito horas depois

    A obra em questão trata da ampliação da linha 2-Verde no trecho de Alto do Ipiranga até Vila Prudente. Hoje essa linha vai da Vila Madalena até o Alto do Ipiranga. Essa expansão é uma das bandeiras políticas da gestão José Serra (PSDB).

    As empresas excluídas da licitação irão à Justiça contestar o resultado. Pelo conteúdo dos envelopes abertos ontem, por volta das 9h, o consórcio Camargo Corrêa/Queiroz Galvão apresentou a “melhor” proposta. O consórcio pediu R$ 219,7 milhões para executar a obra –12% acima dos R$ 196 milhões previstos pelo Metrô. A segunda colocada foi a Andrade Gutierrez, que pediu R$ 222,1 milhões. A terceira colocada foi a OAS (R$ 226 milhões).

    Para excluir quatro das oito empresas que disputavam a licitação, o Metrô usou um parecer técnico da Ieme Brasil, empresa contratada como projetista da 2-Verde. Ela prestou serviço à Camargo Corrêa. O procedimento é contestado administrativa e judicialmente pelas perdedoras (Galvão/Engevix; Iesa Consbem/Serveng; Carioca/Convap/Sultepa; Tejofran/Somafel).

    Pela Lei das Licitações (nº 8.666), a Ieme não poderia participar nem “direta” nem “indiretamente” do processo.

    O Metrô informou a exclusão das quatro empresas no “Diário Oficial” do Estado da última terça. Para fundamentar essa decisão, em vez de produzir um parecer próprio, a direção do Metrô usou o que a Ieme fez para a Camargo Corrêa. Ou seja, o Metrô usou o argumento de uma das concorrentes para desclassificar as demais. Para especialistas, o processo foi “contaminado”.

    Cratera

    No último dia 13, a Folha Online antecipou que as construtoras Queiroz Galvão, Camargo Corrêa, Andrade Gutierrez e OAS foram consideradas pelo Metrô as únicas aptas a participar da licitação, das que apresentaram proposta.

    As demais foram desconsideradas por não cumprir critérios jurídicos ou técnicos.

    A escolha dessas construtoras ocorreu em meio à polêmica: elas integram, ao lado da Odebrecht, o consórcio Via Amarela, responsável pela construção da linha 4-Amarela. Em janeiro de 2007, um dos canteiros de obra da linha ruiu, matando sete pessoas.

    As obras para a expansão da linha 2-Verde até a Vila Prudente já começaram.

  65. O unico DesDito que eu conheço foi aquele que disse: esqueçam tudo que eu disse, tudo que eu escrevi. Ficou o dito pelo não dito.

  66. LUCIANO MORAES

    SERÁ QUE UMA POSSIVEL CONVERSA NO MEU EMAIL EM PARTICULAR SERIA POSSIVEL, AGUARDO CONTATO. ABRAÇOS.

  67. O problema do momento é que a arte deixou de ser realista para se encher de efeitos especiais e personagens virtuais. A arte não mais imita a vida.

    Não rias do que não conheces,
    não corras, senão tropeças
    e mundo pode acabar.
    Cuidado Madalena,
    pra dor de cabeça é cibalena.
    pra cotovelo, não sei o que indicar.
    A medicina é avançada
    mas complexo de moça encalhada
    so Freud pod esplicar.

    Cuidado Madelana.
    A ave que voa perde as penas
    e pode ao chão.
    O chão é duro como a realidade da vida.
    Podes chorar.
    Targino Silva

  68. Sandra

    Targino, outra lenda urbana. Como o “Elementar, caro Watson” , o “Bilhões e bilhões” (de Sagan), e o “Play it again, Sam”.

  69. Sandra

    Mistoffelees, também desconfio de tudo que é subvencionado.

  70. Sandra

    Ulitidade é um estranho conceito. Por que as coisas precisam ser úteis? Por que precisamos queimar o que NÓS consideramos inútil? Qual a utilidade de um lindo pôr-do-sol?

  71. marcya oliveira del vall

    Não querendo ser arrogante pois estou aprendendo como todos desse blog,…
    Depois de postado o texto e Antonin Artaud que debate como se coloca erradamente o conceito de cultura vejo que em muitos dos comentários as pessoas continuam visualizando cultura como arrecadação de conhecimentos,penso eu que cada um pensa da maneira que quer mas concordo com que foi postado por Antonin Artaud,todo ser tem cultura alias está palavra da um livro de questionamentos,afirmarem que Lula não tem cultura é ridiculo…
    sinto-me angustiada pois vejo como somos direcionaveis e sem opinião própria,e o puxasaquismo é a parte que me entristece quando leio um blog…
    Acho que o entendimento das coisas estão cada vez mais mascaradas por falta de opinião própriase da necessidade de agradar.
    Criamos mitos e viramos zumbis só seguindo sem conseguir analizar sinceramente e pelo menos tentar comprender se identificamos com sua forma de ver o mundo é assim na politica …
    Infelizmente agimos assim ,porque fomos direcionados a isso.

  72. Com tanta emoção explodindo nas palavras, tenho até medo de soltar uma piadinha sequer. É isso gente! Está faltando humor na turma de blogueiros. Ou será que o mesmo morreu? Não creio… O brasileiro continua rindo de si mesmo e fazendo piadinha da pior desgraça.

    O gordo ri do magro, o alto goza o baixinho e assim por diante… Acho que isso o nosso país tem de sobra. Nos EUA tem o Woody Allen, baixinho, feinho e outros inhos. Diz ele num de seus livros: “Quando eu era criança tinha a mania de masoquismo. Meus pais então, batiam em mim todos os dias, para mim parar com essa mania…”

    Saudações.

  73. marcya oliveira del vall

    Agimos como zumbis na vida, como nas ceitas religiosas e entrarmos nesse processo de vampirização como diz o texto muito interessante que foi postado Lucio Junior.
    Acredito que o Brasil está muito melhor que algum tempo atráz,acredito que estamos começando a sentir a presensa do vampiro e que nos já não estamos aceitando essa vampirização pacificamente,acredito que estamos transformando para o melhor…
    Sei que temos uma longa jornada e está jornada está mais interna em nós que externa.
    Precisamos mudar em nós mesmos nossos conceitos, nossos angulos de olhar o mundo.

  74. Aninomyous

    Não sei não…não queria discordar mas… 😉 vou incomodar um pouquinho…porque discordo de alguma coisa não significa que eu discorde de tudo, mas que acho que a reflexão está distorcida e um espelho distorcido também distorce a realidade refletida.

    Fazer pouco do alimento que o sustenta seria uma rebeldia tola igual ao delinquente que escolhe fazer desfeita aos que lhe criam…pois antes de tudo somos morte, e morremos um pouco a cada dia, sem o alimento morreriamos antes mesmo de conhecer a vida…milhões de celulas morrem no corpo à medida que o tempo passa, nosso envelhecer é a produção de celulas cada vez mais imperfeitas e incompletas, alimento é o que as substitui, diáriamente o que mantém nossa visão, nossa respiração, a possibilidade de agirmos, pensarmos…o alimento antes de tudo é a verdadeira magia da vida, porque longe das convenções humanas e as puerilidades das crianças que acham que o alimento se obtém do supermercado, ele é a própria vida que se sustenta, o sacrifício sagrado de uma existência em prol de outra existência, quantas vidas foram sacrificadas para que uma pessoa chegue ao ponto de ler e escrever? devemos agora então desdenhar do prato onde comemos e cuspir sobre ele nossa soberba e não reconhecer nossa fragilidade diante da vida e nossa ignorância diante da verdadeira arte e conhecimento, a natureza que copiamos e imitamos?… pois antes a cultura não é divindade alguma, mas sim o reflexo da natureza que enxergamos e muito pelo contrário a cultura e a arte é que estão sempre juntos ….
    A arte da cultura do engano é a mentira
    A arte da cultura da violência e guerra é a arma
    A arte da cultura do ódio é a discriminação e intolerância
    A arte da cultura do ócio é a omissão
    A arte da cultura da corrupção é o dinheiro
    A arte da cultura da inveja é o ladrão
    …há tanta cultura e arte do mal que nem vai sobrar espaço se eu ficar aqui a citando…pois agora querem dizer que não há cultura no mal, mas eu como disse vou incomodar e agora vou discordar..pois o mal tem muito mais cultura do que os pseudo intelectuais, o mal tem mais arte do que muito astro do cinema, ele sabe muito mais da fragilidade humana do que imaginam os que o desdenham e ele sabe o defeito de cada um, e esse quanto mais se julga perfeito mais seduzido e atravessado pelas garras do mal que pensa estar imune…a caretice é exatamente isso, a pessoa se julgando pura feito a beata que sai da igreja, achando que é intocável e irretocavel, perfeita e divina…porque és tão divina que nega a divindade e tenta se colocar no sobrenatural como se caminhasse em lugar comum, podes ser divina e majestosa para teu poeta inebriado por paixão, mas não passa de uma criaturinha parasitando um planetinha, comendo outros seres vivos e tão cheio de vaidade que se pensa divina…hahahahahahaaaaaaaaaa….um pouquinho de humildade retira o que lhe ofusca a visão e enxergar a realidade não faz mal não…se a poesia evitasse guerras não haveria ocorrido o Holocausto e nem na guerra teriam morrido uma multidão, pois antes de tudo quem derrubou tal império foi o povão, a gentinha que fazem pouco e acham que não vale um tostão.
    Precisamos de uma arte que não tenha complexos e nem recalques diante da divindade, essa arte não é religião, e nem é ciência…de qualquer forma a cultura não é algo tão generalizado, sendo que há cultura tanto na civilidade quanto na tribo ignorante que morre por não ser vacinada…discordei e pronto.

    São Paulo, muita gente ‘alegre’ por causa disto e daquilo, amanhã já passou e ficam com aquele bico…se soubessem onde habita a felicidade não pagariam esse mico.
    Abraços.

  75. Aninomyous

    Antes de tudo, como acho que deixei claro, sou REALISTA, minha linguagem é a jornalistica, a norma ‘culta’, mas que porém não maquia e nem ‘oculta’…pois na poesia podemos fazer tudo isso, nos julgar divinos e sobrenaturais…milenares…que nada! somos frageis criaturas que não vivem mais do que algumas décadas, onde as primeiras não valem por estarmos nos ‘criando e educando’ e as últimas também não valem por estarmos definhando e morrendo…oras! hahahaha… eu gosto sim de poesia mas ela para mim morreu nas guerras mundiais (que felizmente não vivenciei) faça aí uma poesia pra gente contando Auschwitz, uma poesia falando das torturas nas guerras atuais, uma falando do cara decapitado pelo terrorismo, outra pelas bombas que explodem no oriente…desculpe mas para mim a poesia como ‘magia da vida’ já está mais do que morta e enterrada…sou realista e a minha cultura é a fria e dura verdade.

  76. Sandra

    Marcya, discordo. Cultura também engloba arrecadação de conhecimento. Um analfabeto também tem cultura, mas seu mundo é limitadíssimo. Tanto que não queremos isso para nossos filhos.
    Dá para viver sem ler grandes filósofos? Dá! Dá para viver com pouco mais que pão e água. Mas, se essa leitura não nos acrescenta, mal também não faz. Eu acho que acrescenta. O raciocínio precisa de embasamento e estímulo. Tanto que duvido que alguém que não tenha acumulado conhecimento escreva um texto como o do Artaud.

  77. Sandra

    Duvido que Gerald escrevesse esses lindos textos (as peça não conheço AINDA) se não tivesse acumulado muito conhecimento.

  78. Sandra

    Acho que arte não “tem que” nada.

  79. Aninomyous

    Concordo com o Totemismo, porque as pessoas se desfazem da cultura e da arte em nome de um primitivismo e de uma bestialidade crua, ser simplesmente um bicho não é o que podemos chamar de Homem…mas assim caminha a humanidade, porque a cultura, esporte e até a ciência tem sido venerados como divindades e não como direitos humanos, as pessoas sem expressão nenhuma, pelo simples fato de terem acesso a estas coisas se julgam e são julgadas superiores…mas quantos verdadeiros gênios e expressões são perdidos nesta cruel imposição?… ainda vivemos como nossos antepassados, pois não me desfaço de nada, os animais ainda estão conosco (pelo menos os que não foram extintos), ainda copiamos a aerodinâmica dos tubarões e das aves, ainda copiamos e usamos os animais em nosso benefício portanto eles também participam das nossas vidas ativamente… as pedras e metais também, antes eram apenas utilidades, agora já dentro da arte e conhecimento científicos transformamos as pedras nestes computadores, televisores, telefones celulares, ipods, e etc. isso prova cada vez mais que as pedras também ‘vivem’ pois elas pulsam junto conosco, elas transmitem agora além de nossas ideias, nossas imagens e sons, jogamos elas em Marte e com elas nós analizamos, com as pedras nós fazemos os satélites para observar o vasto universo ou nos comunicarmos com o vizinho no inverno.
    Abraços.

  80. Sandra

    Eu gosto da arte que incomoda, que perturba, que me deixa mal, cheia de dúvidas. Eu não gosto de peças que se propõem a ser úteis. Mas não sou paradigma para ninguém. Cada um que procure o que gosta.

  81. Sandra

    Desconfio de tudo o que é bom, mas que não desejamos para os nossos filhos.

  82. gthomas

    Tenho muita coisa pra comentar aqui, mas estou praticamente no embarque de volta pra NYC . Eh sempre assim. Temporadas aqui, temporadas la. Assim que as coisas esquentam, eu me vou, Assim que a saudade bate, eu me afasto. destino? coisas nao ditas? envolvimento pela metade?
    Estranhissimo
    beijo a todos
    proximo post de NY ou de algum outro ponto do planeta
    LOVE
    G

  83. Sandra

    Não existem distâncias depois da Internet, Gerald!
    Que esse lindo céu azul te acompanhe até NY!

  84. marcya oliveira del vall

    Sandra acredito que muitos analfabetos não tem o mundo limitadissimo como vc diz até mesmo porque a palavra analfabeto,é uma palavra com muitas ???
    Queremos que nossos filhos tenha muita aprendizagem sistematizada ,mais se ele não tiver não quer dizer que não tem cultura,pois a cultura vai muitas vezes falar por si só no seu extinto ,acho que vc está confundindo cultura com aprendizagem sistematizada..
    Nosso mundo em algum setores pode ser mais limitado que os dele “analfabeto´`pois ele pode não ter tido chance de ter conhecimentos que
    julgamos importantes ,mas derrepente tem mais percepções
    e expressões que nos , fazendo do pensamento ação…
    Conheço pessoas que são gênias que não tem tanta apredizagem (isso que vc está chamando de cultura)e tem a capaciade de nos dar aula em muitos setores.
    Por exemplo temos premio nobel de literatura que nunca fez uma falculdade isso não quero dizer que não precisamos do conhecimento.Claro que precisamos isso é outra coisa …
    Eu acho terrivel quando dizem essa pessoa não tem cultura ,pois cultura todos nos temos ela está enserida em nós corre nas nossas veias ,todo homem pode extrair cultura .

  85. Por favor, não falem mal da poesia.
    A poesia é a mais nobre expressão do ser humano.
    A poesia sintetiza o amor., a vida, o heroísmo de viver.
    Viver é um ato de amor com nos mesmo.

    Descansem o meu leito solitário
    na floresta dos homens esquecida,
    a sombra de uma cruz e escrevam nela,
    foi poeta, sonhou, amou na vida!

    (Fagundes Varela, morreu bêbado, afogado em uma valeta)

    Se o futuro, que vejo agora diante,
    tiver como emblema o teu semblante
    eu serei muito feliz.

    Ao contrario, um dia morrerei
    sem saber porque te amei
    sem saber porque sofri!
    Targino Silva.

  86. Aninomyous, você pediu.

    A voz da Vietnam.

    Aqui dois senhores fazem a guerra.
    Um quer dinheiro, o outro quer terras,
    Eu quero paz e salvação.

    Um veio da América, que é forte
    trouxe consigo o poder da morte,
    o outro tem fome e ambição.

    Eu sou o retalho, mal dividido,
    onde a miséria o fado tem esquecido
    ante os olhos incrédulos da verdade.

    Oram por mim nas sinagogas
    mas sou um duro campo de provas
    onde exterminam a humanidade.

    Meus filhos, já não os conheço.
    A guerra já não tem preço,
    há muitos corpos no chão.

    Eu já nem sei, oh meu Deus,
    quais destes são os meus,
    quais não pertencem a este rincão.

    Peço paz, o mundo sabe.
    Imploro que a guerra acabe.
    Deixem-me viver.

    Esqueçam as suas malditas ideologias,
    façam a paz, a harmonia,
    façam dos homens, um único ser!.

    Targino Silva

  87. Sandra

    É claro que eu, mesmo lendo muito, não serei como Gerald, Artaud ou Fernando Pessoa. Sei que é preciso uma chama a mais. Mas nada como um pouco de lenha para alimentar essa chama.
    É como dizer: Einstein tirava notas ruins (já vi em alguns livros que isso era lenda, em outros que era verdade), e mesmo assim era gênio. Portanto posso ser gênio sem estudar. Se isso fosse verdade, teríamos uma nova teoria física por mês.

  88. Sandra

    Caeiro, que é o heterônimo de Fernado Pessoa fala em conhecer a natureza através dos sentidos:

    “Eu não tenho filosofia: tenho sentidos…
    Se falo na Natureza não é porque saiba o que ela é,
    Mas porque a amo, e amo-a por isso,
    Porque quem ama nunca sabe o que ama
    Nem sabe por que ama, nem o que é amar…
    Amar é a eterna inocência,
    E a única inocência não pensar…”

    Mas veja o que ele, inconscientemente, foi buscar lá em Santo Agostinho:

    “O que é o presente?
    É uma coisa relativa ao passado e ao futuro”

    Quer dizer, esse desprendimento da filosofia não é tão honesto assim.

  89. Aninomyous

    Ah,… a Brigantônio Luiz Andero…conheço ela por inteiro, no seu bairro visinho a festa da Achiroppita ( http://www.bixiga.com.br/ ), mais gastronomia…hey, o que vcs tem contra boa comida? já ouvi falar que artistas ‘passam fome’ mas não sabia que vcs levavam isso tão a sério!!! quer dizer que vcs logo vão ‘viver de luz’? deixar seus ‘sistemas digestivos’ atrofiarem sem utilização? hehehehe…eu que mais estou parecendo um Buda prefiro comer a minha e a sua parte então…sim, vou morrer cedo, porque já foi estudado que os ‘passa fome’ vivem mais…porém eu desconto em abdominais…hahahahahaaaaaaaaaa.

    Mudando para um assunto sério…humm….squeci…vamos voltar ao assunto…o Lulalá…deixa pra lá….agora é eleição de Prefeitos que são pra lá de Perfeitos…tudo umas belezinhas, tudo gente boa, beijando criancinhas…mas nos EUA não é diferente, apesar de ser mais perigoso pra gente…acho que o golpe baixo de o seu rival candidato ter escolhido uma mulher não vai surtir efeito, já que todos sabem…Deus só fez o mundo em 6 dias porque ainda não havia feito a mulher pra ficar lá dando palpites e cobrando…já tá pronto? acabou? já tá prontooooo? hahahahahahaaaaaaaaa…e o rapaz lá…o Obama, ele escolheu um coroa da antiga, com classe e talz, acho que ele se beneficiou mais porque ‘feminismos e machismos’ à parte, o que interessa ele já está fazendo, prometendo melhores salários, isso lembra, encher a pança…e para não deixar por menos vou às comilança…abraços de Sampa.
    Até +

  90. gthomas

    Vamp! VOLTA!!!!! Nao me abandone!!!!
    Estou vendo gente e fazendo as malas: aprovei a Sandrissima, o Targino e o Anonimious, Cade vc hombre???
    LOVE
    G

  91. gthomas

    Eu queria tambem deixar um enorme beijo pras pessoas da cia de teatro que sofreram (mas FIZERAM acontecer) la no SESC AV Paulista: a todos um enorme OBRIGADO emocionado!
    LOVE\
    fechando o computador
    G

  92. O CORVO

    Marcya del vall, concordo com você pois em outros textos já surgiu essa polêmica sobre cultura, e eu dei a minha opinião sobre o conceito de CULTURA – “SÃO TODAS AS REALIZAÇÕES MATERIAIS E ESPIRITUAIS DE UM DETERMINADO POVO OU COMUNIDADE EM UM DETERMINADO TEMPO’ esse é o conceito mais simples de cultura – alguns autores colocam em seus textos as ditas culturas “superiores” que são os conhecimentos acumulados de literatura, filosofia, matemática e tudo mais.

    Não ha comunidade por mais primitiva que seja sem cultura.
    Não devemos excluir os que não tiveram a oportunidade de acumularem conhecimentos formais, pois eles também podem nos ensinar muita coisa – eu aprendi muito no sertão de Minas Gerais, lá pelas bandas do Urucuia, Paracatu, ou viajando pela Belém Brasilia – Guimarães Rosa é um exemplo de que o saber formal pode e deve se integrar com a cultura em seu estado bruto.
    O conhecimento formal que acaba integrando e fazendo parte da nossa cultura primitiva é de grande valia e deve ser estimulado e preservado, ‘A UNIVERSIDADE DA VIDA DEVE ANDAR JUNTO COM A UNIVERSIDADE FORMAL, POIS É MAIS FACIL SER ACEITO COMO MÉDICO OU ADVOGADO – DO QUE COMO PAJÉ OU RÁBULA”

  93. Sandra

    Marcya, analfabetismo é uma mancha em nosso país. Quanto antes a gente assumir que isso é horrível, melhor, uma vez que o que está bom não precisa ser mudado.
    Cansei de ver gente fingindo que não estava enxergando porque tinha vergonha de admitir que não sabia ler.
    Um senhor que trabalhava num grupo de alfabetização de adultos contou que um dos alunos escreveu uma carta para a falecida mãe, dizendo: Mãe, finalmente eu sei ler.
    Quanto às pessoas que não fizeram faculdade, não quer dizer que não estudem, mas que o fazem sozinhas. Quando eu fiz faculdade, fiquei mais tempo na biblioteca do que na sala de aula.
    Mesmo Artaud, Fernando Pessoa e Gerald Thomas dizem que acumular conhecimento não é importante, depois de lerem TUUUUDO!

  94. Sandra

    Aninomyous, já disse que o Gerald é paulista. Quer coisa mais paulista do que dizer “encher a pança”?

  95. Sandra

    Targino, mandou muito bem!!!!

  96. Glorinha

    talvez seja isso…
    quanto mais o ser distancia da juventude mais começa a compreende-la ao passo que quanto mais a proximidade com a velhice mais desconhecida lhe parece.
    []

  97. GT e pessoal: Ich, errei de Fernanda! Mas o meu jornalzinho não é o terceiro maior…de uma cidade de 40.000 habitantes. Tanto que não apareceu ninguém daqui através da indicação da coluna…
    É aquela coisa: formiplac e céu de anil.
    Abraços e mil perdões pelos erros.
    Esse texto do Paulo ensina muito aos vampirizados: O Manual Prático do Vampirismo. Procurem no site Lágrima Psicodélica, fiz download dele lá.
    Lúcio Jr

  98. Glorinha

    aprender a dissociar a vida dela mesma, manter a alma livre do que os olhos prendem e aprendem, é difícil, é preciso muita leveza…
    []

  99. Ops, lembrete: salvei artigo da Maureen Dowd sobre a Russia no meu blog: obrigado Gerald pela indicação!
    Abraços do Lúcio Jr

  100. gthomas

    Lucio Jr.
    os emails pra vc estao voltando
    Do aeroporto pra todos
    UM BEIJO
    no Vamp em especial por motivos especiais
    e no Fabio (agora ele tem cara)
    LOVE
    G

  101. Vamp

    Gerald,

    Obrigado! Faça uma boa viagem.

  102. IGUALMENTE GERALD…
    TAMBÉM FICO TRISTE COM SUA PARTIDA NESTE MOMENTO CRIATIVO…MAS FELIZ QUE A SINFONIA COMEÇOU…
    TE AMO
    PANCHO

  103. Oi, GT e pessoal, tudo bem?

    G, tente no lucio@bdonline.com.br ou senão no
    laurene.camposespsanto@gmail.com (que é da minha mulher e ela me deixa usar nesse tipo de emergência).

    Abraços do Lúcio Jr para todos!

  104. Afinal, todos entenderam o que é Cultura? Quem deve cultuar em primeiro lugar? E que a cultura seja ela formal ou informal deve somar e não subtrair. À vida nós já recebemos, mas continuar vivo é um cultivo. É uma cultura. O que vem para diminuir a vida ou entristecer à alma, o coração, é a contracultura.

  105. Sandra

    Glorinha, também mandou muito bem!

  106. FRANCINY CHEQUER

    Ola a todos, me desculpem por não postar, antes, mas eu concordo com o que o corvo escreveu, a vida nos ensina muita coisa até mais que a faculdade formal, conheço pessoas que tem um grande conhecimento da vida das pessoas, do mundo e não tem nenhuma formação, mas são pessoas que leem e daí pensam, pois somos seres racionais, todos tem algo a acrecentar e a nos ensinar independente da formação, pois sim tem um ditado que fala vivendo e aprendendo, e essa e a maior verdade, pois a vida nos ensina e até nos concerta, pois hoje eu aprendi com o Petralia, pois li um conto em seu blog, e que ao mesmo tempo eu aprendi que nosso maior refugio e dentro de nós mesmos, também encontrei um consolo para uma dor que eu estava sentindo, por isso com pequenas coisas, ou em lugares que vc não espera vc aprende, vc cresce, vc muda uma visão da vida, e até mesmo encontra palavras de consolo, como também por meio de palavras do Corvo encontrei a esperança para o coração, e com a Valeria recebi um comentario onde encontrei um carinho angelical, então e na cultura da vida na cultura do mundo que aprendemos vivemos, e até alimentamos nossa alma,

    beijos para vc Corvo por ser um bom amigo Petralha por sua sensibilidade me desculpem os outros pois hoje ainda estou desnorteada e sem perceber essas 2 pessoas me consolaram e a Valeria transmitiu seu carinho que eu senti como um abraço

    beijossssssssssssssss

  107. marcya oliveira del vall

    Oi Gerald ,estive lendo os comentários e se vc realmente concorda com a Sandra vc postou um texto que não entendeu ou não concorda com ele…
    Realmente vc é muito moldavel pelo puxasaquismo,Acho que onde poderia ser um forum sério de debates para termos analises para o nosso crescimento vira uma masturbação para seu ego…
    Sempre que posto os meus comentários vc simplismente ignora-os ,sei que estou em apredizagem e que não sou dona da verdade ,preciso aprender muito,por isso as vezes comento os seus textos,Algumas vezes teci duras criticas a seu comportamento preconceituoso com nosso pais,isso não quer dizer que em outros setores não achava que vc tinha conteúdo no que falava ,agora vejo que tem o trabalho de por um texto que vc próprio não entendi.
    Se vc quer virar pastor de uma seita,está no caminho certo ,vai existir pessoas que vão concordar com tudo que diz….
    Mas eu vou continuar sendo como sou se concordo digo se não concordo digo,e se achar que a outra pessoa está certa posso até mudar de opinião .
    Mas acho que nesse tópico vc está massageando o ego de quem massageia o seu ,ou vc realmente não entendeu o que vc mesmo postou no seu blog.

  108. marcya oliveira del vall

    Sandra se vc ler realmente os comentários acima que escrevi vai ver que eu não sou a favor do analfabetismo só disse a vc que vc estava falando de coisas divergentes …
    Só disse que para uma pessoa ter cultura nada tem a haver em ser analfabeta ou não ,cultura todos seres humanos tem,(bem é o meu ponto de vista acho que dessa vez não vou mudar)lógico que educação é importante,mas estava falando do texto postado pelo diretor
    Gerald sobre teatro,…lembra???
    Vc leu o texto???
    Acho que nos duas estamos com problema de comunicação ,existe um ruido na nossa comunicação ,estou falando a e vc b .
    Desculpe-me mais dou por encerrado esse assunto aqui,não estamos falando da mesma coisa.
    Agora te digo uma coisa como amiga ,nunca cegue os seus olhos,para olhar o mundo…

  109. Glorinha

    Franciny,
    as vezes ocorre de aparecer do “nada” algo e esse algo naquele minuto ser exatamente tudo que pensávamos precisar.
    é espontâneo e daquela forma maravilhosa – doação, não nos pede nada, não nos foi diretamente endereçada mas nos serve como uma “luva”.
    talvez algo conspire a nosso favor! []

    Sandra, vc é que sempre tá mandando bem..[[[]]]

  110. Glorinha

    “…e no balanço das horas tudo pode mudar…”
    até a nossa dita cultura!
    podemos ficar por aqui ou andar mais um pouco, qualquer uma dessas duas opções fará diferença!
    só não podemos esquecer de prosseguir!
    []

  111. Sandra

    Marcya, li o texto, de um raciocínio quase matemático (cheio de se-então-isso implica-senão-portanto) e de quem teve contato com conhecimento formal, veja:

    “Não diria QUE OS SISTEMAS FILOSÓFICOS são algo que se possa aplicar direta e imediatamente; mas das duas, uma:

    OU esses sistemas estão em nós e somos impregnados por eles a ponto de viver deles, E NESTE CASO o que importam os livros? OU nós não somos impregnados por eles, E NESTE CASO eles não merecem nos fazer viver; e DE QUALQUER FORMA, que importa seu desaparecimento?”

    Que sistemas filosóficos?

    Você está analisando o que Artaud escreveu, e eu estou dizendo que para ele ter escrito isso ele LEU MUUUUUITO.

    É como alguém que prega o analfabetismo num texto com um português impecável e com uma lógica irretocável.

  112. Sandra

    Eu nunca defini cultura como conhecimento formal, mas considero o último importantíssimo, e não respeito quem, tendo condições de obtê-lo, despreza-o. Resumindo, não respeito quem diz: Para que estudar? Não preciso! Sou bom sem isso.

  113. Sandra

    Meus avós eram analfabetos. Tinham a sabedoria da vida e da fome. E uma dessas sabedorias era: estudar é muito importante, e é muito bom.

  114. gthomas

    Coloquei os pes em casa (NY) e vejo que tem mensagens do O CORVO e Franciny e pessoas que ontem, na correria de Sampa eu nao tinha visto: amei um comentario da Sandra que a “arte nao tem nada”

    “Daqui a pouco escrevo novo post sobre artistas que nao aguentam serem criticados e criticos que nao aguentam serem estrelados: ou seja, o divorcio antes do casamento!
    LOVE
    G ( e por favor implorem pro novo prefeito ou prefeita de SP devolver COR pra noite de Sao Paulo: toda cidade capitalista do MUNDO eh iluminada pelos seus OUTDOORS!!!

  115. Sandra

    Quanto a criticar Gerald, talvez eu consiga, depois de superar o impacto dessa declaração de amor que ele fez a Sampa, nessa imagem fortíssima:

    “Um torcedor do Corinthians desce a pé a Brigadeiro Luis Antonio, feliz da vida. Um vulto sozinho neste frio sábado à noite, nesta rua cinza, cidade cinza, sombras além do cinza, garoa fina e cinza ele toca nos postes como se fossem pessoas.”

  116. Sandra

    FORA COM OS OUTDOORS!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  117. Carcará Telescópico

    Sandra,

    que lindo esse depoimento. lindo mesmo. as pessoas que conseguem transformar seu sofrimento em sabedoria, em um Outro que o sofrimento, são os verdadeiros sábios. e é muito bom lembrar dos verdadeiros sábios, sobretudo no momento em que confundem por aí Sierra Maestra com Palmares, crime organizado com Lampião, igualdade social com o direito à fraude, extorsão e ao latrocínio.

    a verdadeira sabedoria continua aquela das pessoas simples que DRIBLAM OS SISTEMAS, sejam eles materialistas ou idealistas, e realizam sua felicidade nas BRECHAS das revoluções.

  118. Sandra

    Perto de casa, havia três prédios com painéis luminosos ocupando TODA a fachada, que ficavam iluminados a noite. Mando os três para você, aí em NY!!!!!!!!!

    VIVA O CINZA!!!!!!!

    Quer cor? Eu te dou uma plantinha!

  119. Carcará Telescópico

    opa…quando disse “confudem por aí…”, o “eles”do “confundem”, não são os verdadeiros sábios.
    foi um lapso, Entschuldigen Sie bitte

  120. Sandra

    Fora isso, que bom que você chegou bem!!!

  121. Sandra

    Franciny, você estava sumida.

    E espero que a Valéria esteja bem. Também está sumida.

  122. gthomas

    Sandrerrima: nao entendi porque a agressividade comigo. Sinceramente nao entendi, mas em todo caso, nao ha nada mais lindo que Times Sq ou Piccadilly Circus ou Leicester Square ou lugares assim. Como disse, Sampa esta parecendo um pais do Leste Europeu. De Fato eu Amo SP. Amo. Mas amava muito mais ainda quando era uma cidade NATURALMENTE iluminada pela artificialidade de suas fachadas, como qualquer capital do mundo, Paris, Londres, Berlim, Copenhagen…..Quem inventou que uma mega capital tem que ser cinza
    agora vou dormir ja que a JAL nao me deixou dormir
    LOVE
    G

  123. Sandra

    Carcará, li o Quarto de Despejo. Não parei até acabar. Que sensacional!!!!!! Valeu a dica!

  124. marcya oliveira del vall

    Sandra releia então seus próprios comentarios que estão postados nesse tema e sinta como vc entra em contradição em tudo que diz ,um comentário vai sendo destruido pelo outros me desculpa se quando falei de puxasaquismo e se o chapeu serviu para vc….
    Quanto tema já disse o que disse no contexto que disse não vou voltar a falar em japonês e nem escutar o vc diz em alemão ,não conheço o seu idioma ,desculpe vc vai tecendo um raciocinio que não tem nada a ver com os outros já tecidos por vc,se lerem o que escreveu desde o começo dessa matéria verão que realmente agora no final depois de tantas discussões vc mudou seu conceito do que é cultura…
    Bem já havia dito que não ia mais discutir isso com vc ,mas não aguento tanta falta de logica no que diz..
    Eu também sou ilogica muitas vezes ,como já disse estava aqui para aprender ,mas acho melhor ler um livro.
    E quem sabe tentar um debate saudavel com pessoas que não são afetadas pelo seu ego .
    Desculpe aos outros participantes do debate .
    Tenho estado aqui neste blog porque achei que muitas pessoas que comentam aqui tem muito que me ensinar ,estou a busca do conhecimento…
    Mas acho que estava enganada quanto ao conhecimento,que se pode adiquirir em um blog como esse.

  125. Sandra

    Com os outdoors, Sampa estava parecendo aquelas imagens do Haiti!!!!!

  126. Sandra

    Ah, Gerald!!!!!!!

    Escapou uma MEGACAPITAL no seu comentário!!!!!!!!!!!

  127. Sandra

    E a gente não é QUALQUER capital do mundo. A gente é mais gostoso.

  128. Sandra

    E não é agressividade, é cinismo paulistano!

  129. Também não gosto de outdoor. Gosto de olhar o vazio sem ninguém pensando por mim..
    O meu outdoor é céu azul onde as nuvens mudam o cenário a todo o momento.
    À noite, gosto de ouvir as estrelas e me iludir com Vênus.

  130. Aninomyous

    Eu queria ainda discordar um pouco disto…
    “Antes de retornar à cultura, observo que o mundo tem fome, e que ele não se preocupa com a cultura; e que é apenas de maneira artificial que se quer dirigir para a cultura pensamentos que estão voltados unicamente para a fome.

    O mais urgente não me parece tanto defender uma cultura cuja existência jamais salvou um homem de ter fome e da preocupação de viver melhor, e sim extrair disso que se chama de cultura idéias cuja força viva seja idêntica à da fome.

    Nós temos necessidade sobretudo de viver e de acreditar naquilo que nos faz viver e que alguma coisa nos faz viver ¤ e aquilo que sai do misterioso interior de nós mesmos não deve retornar perpetuamente sobre nós mesmos, em uma preocupação grosseiramente digestiva.”

    Na verdade, a fome é algo que ainda não foi superado pela Humanidade, uma coisa das mais ‘comuns’ (tanto quanto qualquer necessidade básica) e que os Homens transformam ela em coisa ‘grande’…veja bem, não estou me contradizendo, pois o alimento é sim a magia da vida sustentando a vida, o orgânico alimentando o organismo…etc…mas é que soa algo como ‘a necessidade é a cultura e não o alimento’, como aqueles que diziam ‘vc tem que se consolar, vc nasceu pobre, humilde, vai passar a vida assim, então vá trabalhar e reze agradecendo por isso’…não!
    Antes o alimento faz parte de algo básico e os ‘nobres’ ou ‘abastados’ o usam como forma de ‘opulência’ ou ‘demonstração de poder’, em outras palavras, encher uma mesa de banquete em um Castelo de um Nobre não é preocupação grosseiramente digestiva, mas para um artista o é? isso eu contrario, acho que todos devem ter mais do que ‘fome’ de conhecimentos, tem que ter ‘sede’ pois a sede é mais urgente que a fome, e a cultura tem que ser o ‘ar que respiramos’ pois a respiração é mais urgente do que a sede…precisamos respirar cultura e ter sede de conhecimento, assim quanto mais o fazemos mais disto ansiamos, mas veja bem o paralelo, pois não abdico meu paladar e minha gastronomia por nada, e nem abdico minha cultura por isso, tudo é apenas um paralelo…algo como a ‘Desmitificação da Arte’, em movimentos modernistas já meio antigos feito o da Semana de Arte Moderna em 1922 ( http://pt.wikipedia.org/wiki/Semana_de_Arte_Moderna_de_1922 ), trazendo a arte ao povo e retirando o ar de mitificação em torno dela…algo assim.
    Não sei se me fiz claro, mas fica aqui mais um abraço a todos.

  131. Marcya. Cultura é uma coisa muita vasta. Não da para definir em meia dúzia de palavras. É preciso muita sensibilidade. Eu estava no Museu do Louvre olhando a Moraliza quando um colega de excursão disse: eu não daria quinhentos reais para ter esse quadro na minha sala. Ele era um advogado, um juiz. Eu ouvia um programa da Radio Cultura, sobre violão clássico com citação de vários interpretes. Perguntado a uma jovem sobre o seu gosto ela disse; eu admiro quem gosta, mas eu gosto é de forró. Por que ela gostava de forró? Porque ela gostava de musica como diversão, para dançar, não para ficar ouvindo. Eu morava em um prédio onde a maioria da população era composta por médicos, dentistas e advogados, tinha até um escritor (de meia lua, assim ele se auto denominava). Ouvi da proprietária da padaria da esquina: este prédio só tem doutor pobre. Como vê, cada um tem um conceito sobre cultura.

  132. Aninomyous

    Eu mesmo quase bati o carro uma vez, entre as nádegas de uma transeunte com chortinho apertado (dava pra ver quase tudo) e um outdoor com a Cicarelli de calcinhas ou algo assim…quando ví estava em ‘cima’ do carro da frente, hehehehe, tive que virar o volante e frear seco, quando então (por não ter freios ABS) meu carro parou no meio de um engarrafamento simplesmente de lado…sim, todos carros para frente e o meu de lado… 😀 ..esse foi um dos motivos, ‘distração de motoristas’ para estes Outdoors cada vez mais apelativos…
    Mas também tem outra coisa, tipo os cartazes nas corridas de F1, ou nos campos de futebol, ou mesmo o que acontecia ao transitar na cidade…a tal da mensagem subliminar, pois o que vc vê sem prestar atenção entra diretamente no seu inconsciente e pre-consciente, a mensagem subliminar entrava nos filmes ( ou entra) por exemplo as Coca-Colas no Superman, as bandeiras Norte Americanas nos filmes deles…etc. por isso é bom sim retirar tudo isso ou pelo menos controlar melhor.

  133. errata; Monaliza – fui traído pelo corretor ortográfico.

  134. Aninomyous

    A mensagem subliminar foi considerada uma ‘arma’ nas vendas, sendo tão agressiva que às vezes eram inseridas dentro de quadros em um filme, passando tão rapidamente que mesmo vc querendo prestar atenção não conseguiria ‘captar’, ela entrava literalmente ‘goela abaixo’…e vc ficar prestando atenção em tudo que está a sua volta numa cidade poluida em cartazes, torna cansativo, visualmente estressante também…não é?

    …???

  135. Help. Monaliza é com z ou com s ?

  136. Sandra

    Marcya, não entro em contradição não. Tomo muito cuidado com isso. MAIS DO QUE GOSTARIA!

  137. Sandra

    Gerald, lembra-se que, em fevereiro, você gostava do cinza e eu do caos?

  138. Lilian.

    G, O Peter Brook vai estrear uma peça no Encena Porto Alegre?

  139. Mau

    Cheguei hj de Marte. O aeroporto marciano estava às moscas. Fiquei até estressado. Quando pisei em SP meu nariz coçou, trancou, a garganta irritou. Meu estresse marciano deu lugar à irritação terráquea.

    Sei la, essa Terra já não me inspira. Mas vim cá na casa de Gerald. Sei la da arte. Eu já me julguei artista plástico, afinal foram tantos anos com livros de arte, grafite, pinceis e aquarelas, recortes e colagens, latas de spray. Hoje já não me defino artista de nada.

    Ih, sempre que volto pra Terra vem comigo minhas crises depressivas. Já não sei se quero saber ou não da arte.

    Reli pela terceira vez o Ensaio Literário filosófico de Sartre sobre TINTORETO, pintor renascentista de Veneza e sua visão conturbada da arte comercial no séc. XVI – achei que tem a ver com esse artigo.

    Quem tiver a fim leia então, o livro se chama – O sequestrado de Veneza (publicado originalmente na década de 50 na extinta – Le Temps Modernes de Sartre)

    Com certeza não vai explicar nada, só vai confundir-vos, hahahauhua

    Abs

  140. Sandra

    “livros de arte, grafite, pinceis e aquarelas, recortes e colagens, latas de spray”

    ai, que invejinha…

  141. Glorinha

    oi targinosilva! acho que é com “s” []

  142. Respondendo a Lilian - 15º Porto Alegre Em Cena

    Adaptação de Marie Hélène Estienne
    Direção: Peter Brook
    Elenco: Bruce Myers
    Iluminação: Philippe Vialatte
    Texto: Os irmãos Karamazov, de Dostoievski
    Duração: 55 minutos

    Dois nomes de peso em uma belíssima montagem: O grande inquisidor, trecho retirado do texto Os irmãos Karamazov de Dostoievski, com direção de Peter Brook. O resultado dessa união atinge uma clareza e uma urgência que faz com que a trama se pareça definitivamente contemporânea. Passada na Espanha do século 15, ela supõe o que ocorreria se o grande inquisidor tivesse a oportunidade de conhecer Cristo. O inquisidor, interpretado por Bruce Myers – que também é o narrador – está num espaço próximo ao vazio. O segredo, como normalmente ocorre com Brook, é a simplicidade, onde a estética dominante na peça é de que menos é mais. A performance é realizada por Myers com desenvoltura. Uma figura impressionante, com sua face cinzenta, ele corre o percurso emocional desde a acusação enraivecida a análise forense das próprias palavras de Cristo. Mais uma chance de deleitar-se com uma excepcional montagem de Peter Brook.

    PS : Não diz no site se é estreia da peça, mas também não diz que não é.

    PS 2 : Vá ao teatro, mas não me convide.

  143. Paulo

    Gerald voce foi de JAL! Adoro ficar jogando video games no monitor dos voos da JAL.Sabe que sempre adorei os voos da JAL da costa oeste para Tokyo, mas acho que voce devia ter proseguido ate Tokyo de de la para Manila talvez. Acho que voce poderia montar umas pecas em Manila ou Cebu…hehe deixe pra la.

  144. Antonio Moraes

    Artaud ? Masturbação sem motivo e sem prazer.
    Kassab ? Não votei nele. Votei no Serra. Mas, trouxa eu, este é ambicioso demais e nos deixou aquele. Discordo do “cidade limpa”. Do imbecil que se auto-delegou a autoridade de dizer o que é LIMPO e o que é SUJO. Um FASCISTA. Também prefiro a LUZ CAÓTICA dos outdoors e fachadas. Melhor que 99.99999999999999999999999999999999999999% das fachadas.

  145. Antonio Moraes

    Ah, será que, pelo menos, o “cidade limpa” resultou em economia de energia ?

  146. Antonio Moraes

    Fui preconceituoso. Poderia ter sido um COMUNISTA. Eles são irmãos de sangue (FASCISTAS e COMUNISTAS). E sabem disto.

  147. caca

    quando se fala em política aqui nesse país vem uma sensação de impotência e dentro dessa baixa estima em ser brasileiro já nos sentimos derrotados… por mais que se faça, por mais que se grite, por mais que se revolte… fica uma sensação de gritar ao vento, de solidão… está tudo tão comprometido… é como entrar no buraco negro.

  148. caca

    já estou com saudades dos nossos ensaios e das canetas voadoras rsrsrrs…. volta logo!
    bj

  149. gthomas

    Caca: estou comprando canetas voadoras que MATAM!!!!
    LOVE
    G

  150. gthomas

    Antonio Moraes! Que bom te ver de volta, Acho que vc nunca havia deixado um comentario aqui no Blog do IG
    LOVE
    G

  151. Aninomyous

    Acho que uma saída legal, seria substituir as fachadas gigantescas de propagandas por arte, não necessáriamente por cultura (como Artaud disse que arte e cultura não são gêmeas siamesas), mas algo de bom gosto, onde a atenção fosse chamada e que não necessáriamente se tornasse “uma preocupação grosseiramente digestiva” ou grosseiramente econômica, então sim, a pessoa perguntando ‘que beleza de fachada’…os outros respondem, ah é a arquitetura do Banespa, ou do SIESP, FIESP…ou o ESP q

  152. Aninomyous

    digo a fachada que for…o cinza pode ser bonito, mas pode ser substituido por arte de bom gosto sem ser propaganda … ( http://flanelapaulistana.files.wordpress.com/2007/09/edluis-eulalio-de-bueno-vidigal.jpg ) etc. isso embelezaria mesmo a cidade…bom, não que ver um Baita dum Outdoor com a Daniela Cicarelli fosse ‘lixo’ ou algo não artistico…um verdadeiro monumento à beleza… obra da natureza onde a arte busca inspiração…. heheheheheeee… ( http://aletp.com/images/blog/cicarelli+hope+papa+bento.jpg )…exagerei?

  153. ezir

    Caro DIRETOR DE TEATRO gERALD Thomas: sou uma tradutora intérprete bilíngue fazendo principalmente reflexões sobre a ARTE em tudo que analiso e entro em contato por vias técnicas, educacionais, de trabalho , OU QUANDO NÃO TEM SENTIDO DE NADA A VIDA, OU QUASI-NADA …JÁ BEM disse O MESTRE HAROLDO DE CAMPOS em GALÁXIAS “RECOMEÇO…”.tER esta VIA CIBERNÉTICA, ás vezes me dá MAL-ESTAR DA CIVILIZAÇÃO, e ás vezes É BEM NOVO MESMO – quando FALO COM MINHA LINGUAGEM NOVA PULSIONAL DE VIDA, PULSÃO DE VIDA.
    sOU DE 63, e vivi BEM OS ANOS 80 NA PUC-SP E as ideías DO SEU TEATRO NOVO, DO MEU EX-NAMORADO aLEXANDRE MORALES que é um expert em KAFKA , e com muito esforço, me convenceu a LER “A IDADE DA RAZÃO”, de Sartre. Camus e Beckett e Jorge Luis Borges consegui ler contos, ou uma peça no Aliança Francesa ( uma vez) “o monólogo”- e consegui assistir VOCÊ NO TUCA-SP ás vezes. Como adoraria TER ASSISTIDO MAIS TEATRO aqui em São Paulo e no Rio. mINHA mãe tinha uma escola de teatro com cursos com a Miriam Muniz, mas eu ADOLESCENTE EXIGENTE E ARREDIA, na hora das oficinas de EMOÇOES E TOQUES NO CORPO DO OUTRO… NÃO conseguia ABSTRAIR A RELAÇÃO.. BEM, que LEGAL que meu MESTRE PSICANALISTA ensaista de ” por causa do PIOR”, COM vários artigos dA literatura DA EXISTÊNCIA E DO VAZIO E NADA OU DAS AUSÊNCIAS E DIÁLOGOS etc. Mauro Mendes Dias ME convenceu a IR FUNDO EM REFLEXÕES desde as QUE ADORAVA FAZER com os textos de LEVI STRAUS sobre NOSSA ENTRADA NA CULTURA , numa das matérias do 1º ano da PUC-SP, CULTURA DOS POVOS, E OS PRIMEIROS TRABALHOS ENSAISTAS DE S. FREUD sobre A LINGUAGEM TABU E TOTEM desde as RITOS DE INICIAÇÕES DE TRIBOS AFRICANAS E CANADENSES, EUROPÉIAS. Mergulhos e mais mergulhos.Outros NOMES PARA TUDO DA VIDA, DO MEU SENTIDO DE VIDA, PULSÃO PONTO-DE-VIDA. É UM PRAZER PODER adentrar estes CAMPOS DE COMPREENSÃO E INSPECÇÃO DO NOVOS SENTIDOS DA NOSSA VIDA NESTE INÍCIO DE SÉCULO XXI, NESTE ESPÍRITO DE VIRADA DE SÉCULO. ME SINTO um pouco como A TROUPE DO OSWALD DE ANDRADE ,que venho estudando sempre PARADA E M seu NOVO-ROMANCE ” MEMÓRIAS SENTIMENTAIS DE JOÃO MIRAMAR”.mINHA MESTRE ESCRITORA mARIA rOSA dUARTE DE oLIVEIRA sempre me disse “em SERAFEM PONTE GRANDE” , oswald é muito MAIS SATÍRICO, VAI FUNDO MESMO NOS SENTIDOS DAS LINGUAGENS E DA CRÍTICA”. De fato!!! Mas é SOMENTE CONSEGUIR LER E RETORNAR E FICAR REVOLVENDO IU LITERALMENTE, FICAR ESTACIONADA em”memórias sentimentais de João Miramar”.Sua i´deia do Blog foi brilhante… e mais tudo que PODEMOS APREENDER DOS SENTIDOS DAS LINGUAGENS E DAS PESSOAS-SUJEITOS E CIDADÃOS desta nossa TERRA- BRASIL. lí QUE você NASCEU NO RIO DE JANEIRO… e sua TERRA NATAL é a Inglaterra…dE NOVO , prazer em contatá-lo!!! DA eZIR mIRIAM DE PAIVA

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s