A Imoral Improvisada: Caio Tulio Costa no Roda Viva hoje a noite. Um mes de Blog no IG, a homofobia e a etica dos comentaristas

A IMORAL IMPROVISAVEL

Bem, hoje, segunda, esse blog completa quase um mês de existencia e atinge um numero de ‘hits’ altíssimo para um blog que se diz “cultural”.

Fico feliz.

Mas fico triste.

Por que? Confesso que o que me entristece é a covardia daqueles que entram com pseudônimos pra deixarem comentários insultosos.

Sinceramente? Sim, fico triste e, ao mesmo tempo, estarrecido que o leitor , blogueiro, seja la o que for isso, seja em principio um recalcado sexual: e digo porque

1- os insultos são todos a base de ‘bicha não sei das quantas, vai tomar nesse CU, etc”

2-esse viado de vanguardinha que não é ninguém fica arrotando verdades, vai mostrar a sua bunda sua bicha!’

Bem, esse viado, bicha, sou eu, Gerald, Geraldo, ou Geralda sou eu ou euzinha!

Curioso: o problema no Brasil parece ser homofobico mesmo. De bicha pra baixo ou de viado pra cima, por que será? Nos EUA os xingamentos são mais do tipo “Son of a Bitch” ou “You Mother Fucker” (tradução caindo na real, sem usar a ‘cadela’, seria Seu filho da Puta e Fudedor de Mãe!). Mas nada de homofobia. Não prefiro um ao outro, acho tudo horrendo!

Porque o brasileiro acha que esta atingindo o cerne do cerebelo do útero do outro quando o chama de viado? O que seria isso?

Não importa. Na verdade o mais risível mesmo disso tudo fica sendo o aspecto xenofobico de certas questões: defendem ate xenofobicamente ate aquilo que não não nasceu ou foi gerado no Brasil, como a obra de Duchamp. Mas, deus do céu….atacar ou colocar em perspectiva historia a importância (ou falta dela) de um Portinari….Sai De baixo. Melhor seria falar de Miguel Falabella no mundo encantado de Lord Nelson ou Napoleão. Ooops!

Bem, O titulo desse artigo nada mais e senão um empréstimo travestido e temporário da tese de doutorado defendida por Caio Túlio Costa , Editor Chefe do IG, ha duas semanas na USP. Titulo real da tese. “MORAL PROVISORIA”: ética e jornalismo: da gênese a nova mídia,

(By the way, a defesa durou mais de quatro horas e foi um total ARRASO!)

Mapeando o território dos limites éticos e morais de uma industria da comunicação (como essa, principalmente) que passa por mudanças estruturais RADICAIS e numa velocidade difícil de ser captada a olho nu, Caio Túlio, um absoluto pioneiro no campo da internet (constriuiu o Universo Online) fala das possíveis questões futuras assim como George Orwell falava em seu 1984, sobre um território desumanizado, turvo, cinza e estranhissimamente vigiado por um de um ‘oni-poder’ Kafkiano e Big Brotheriano dominado por anônimos ou nos mesmos travestidos por pseudônimos imorais, uns invadindo a vida dos outros. Uns vigiando e voyeurizando a vida dos outros: um mundo de recalcados atrás de telas, um mundo sem escrúpulos tentando escrever a lei apos cometerem crimes. Leis que seriam o travestimento da ética, assim como o reflexo na obra de Edgar A. Poe, ou a figura do eterno “outro” de Jorge L. Borges ou da constante paranóia kafkiana.

Citando um trecho: “trazendo para os dias de hoje, o Presidente dos Estados Unidos George W Bush teria agido dentro de acordo com a ética da responsabilidade ao ordenar a invasão do Afeganistão para caçar Osama Bin Laden e, com isso, também ter matado milhares de civis. Idêntico racionio serve para Bush na invasão do Iraque

Esse trecho foi retirado de um capito entitulado “A ética da convicção”. Essa que acredito ser a ética usada por aqueles que se dão ao trabalho de abrirem a caixinha de comentários e deixarem seu testemunho relativo a um ou outro artigo. Porem, protegidos pelo anonimato e pelo exercicio sádico de querer não somente comentar, como também HUMILHAR o articulista/artista, essa “ética da convicção” na internet ainda esta pulverizada e indecifrável: eu posso ser você , você pode ser outro. O Outro pode ser eu. Wow!

Numa breve interrupção de um simples jantar, teu melhor amigo sai para o banheiro para fazer xixi. Demora um pouco mais que o esperado. Esta no Blackberry ou no iPhone deixando uma mensagem no teu blog como um anônimo: “sua bicha desvairada: volta pro teu pais, seu artistazinho narcisita de merda”. O amigo volta a mesa, com um sorriso sincero e continua a conversa interrompida. Nada, absolutamente nada de desconfiacas e o teatro continua.

Cito o Caio novamente:
Ética e linguagem, ética e representação, ética e interpretações; em nenhum momento do fazer jornalístico, a questão ética se dissocia desses fazeres, seja nas atitudes consideradas eiticas ou antiéticas

Pulo…..
a experiência do senso comum de ter que lidar com a resistência de uma realidade decepcionante.….”

Sim, realidade decepcionte.

Caio Túlio Costa será o entrevistado de hoje do programa Roda Viva da TV Cutura de hoje.

Sua tese levanta muitas questões existenciais para um artista, inclusive a de continuar ou não tendo um Blog e se expondo, a troco de pouco; a insultos de anonimos que, de dentro de sua própria bolha ética fascista e recalcada, lançam seus tiros assim, a toa como se fosse a era do ouro na Califórnia: um duelo de saloon, so que UM tem cara, identidade, ou outro usa mascara!

Afinal, gostando ou não de quem ou do que somos, temos uma cara e não um nickname: tanto Caio Túlio e eu não nos escondemos covardemente atrás dos chapéus coco e guarda-chuvas daquela “inundação” famosa do quadro de Magritte. No entanto, depois de quase um mês de Blog no IG, e quase 50 mil hits, me sinto como se fosse um habitante do quadro de Max Ernst, “Europa depois da chuva” sendo alvo de insultos de pessoas que, insatisfeitos com a a ética de seu próprio pais não sendo cumprida dia apos dia, ano apos ano, descarregam a mais poderosa arma (a anti-etica) naqueles que resolvem criticar aquilo que vem a ser o mais sincero espelho de um variante da verdade,mjá que não ha verdade nesse teatro da vida. Ah, e qual e mesmo essa critica? O simples bom senso de expressar aquilo que se chama de “livre expressão” e que parece ofender o “viado” e a “bicha” dentro de cada um de nos de uma forma tão absolutamente tão viruleta, trogloditica e machista que começo a pensar que a tese de Caio Túlio, apesar de genial e poderosa, poderia também ser chamar “ Imoral e De-Pravda: os gulags da perversão do anonimato não mudarão jamais!”

Não percam Roda Viva com meu mestre e amigo de vinte anos: hoje, segunda!

Gerald Thomas

(por sugestao do Vampiro de Curitiba, darei destaque a esse comentario)

Enviado por: Tene ChebaNão sou psicólogo, nem mesmo tenho qualquer afinidade com à area de Humanas, mas vou chutar. depois do complexo de Édipo, de electra, talvez, Freud se vivo, configuraria uma nova complexidade humana, o complexo de Andy Warhol, ou os dos quinze minutos, que quando mal resolvidos, tentam corroer e desiquilibrar, através de expedientes sórdidos, àqueles que são bem resolvidos em suas vidas. Ou, de uma forma mais simples, a inveja, resultante da incapacidade de se prover, de amar, de estabelecer conceitos. Enfim, um tanto cafona, mas vou mandar, ” as árvores que dão bons frutos, são as mais apedrejadas”, não nos prive de você, Thomas, os estéreis, são o fardo que ajudaremos a você carregar, se perciso for , claro.
Ás duas linguagens do Homem, a clara e a obscura, esta última ele só revela aqui, permeando seu veneno nesse espaço, destilado dos seus cérebros fermentado.

155 Comments

Filed under artigos

155 responses to “A Imoral Improvisada: Caio Tulio Costa no Roda Viva hoje a noite. Um mes de Blog no IG, a homofobia e a etica dos comentaristas

  1. Rafael

    Gerald,
    A tua foto tá linda. Sensível. Faz com que alguns fiquem com vontade de fazer uma foto igual, mas “não podem”, e aí, partem pra cima.
    A sociedade brasileira é bem complicada mesmo, muito machista e sem ética. É tudo Machão/Ladrão.
    Abraços.

  2. Tene Cheba

    Não sou psicólogo, nem mesmo tenho qualquer afinidade com à area de Humanas, mas vou chutar. depois do complexo de Édipo, de electra, talvez, Freud se vivo, configuraria uma nova complexidade humana, o complexo de Andy Warhol, ou os dos quinze minutos, que quando mal resolvidos, tentam corroer e desiquilibrar, através de expedientes sórdidos, àqueles que são bem resolvidos em suas vidas. Ou, de uma forma mais simples, a inveja, resultante da incapacidade de se prover, de amar, de estabelecer conceitos. Enfim, um tanto cafona, mas vou mandar, ” as árvores que dão bons frutos, são as mais apedrejadas”, não nos prive de você, Thomas, os estéreis, são o fardo que ajudaremos a você carregar, se perciso for , claro.
    Ás duas linguagens do Homem, a clara e a obscura, esta última ele só revela aqui, permeando seu veneno nesse espaço, destilado dos seus cérebros fermentado.

  3. O Vampiro de Curitiba

    A palavra chave é: “Recalcado”. Pessoas de pouca personalidade, caráter nenhum, com dúvidas quanto à sua sexualidade, encontram uma forma de desaguar seus ressentimentos e frustrações tentando atingir pessoas que se destacam. No mais, falta de cultura, educação e o que dizer.

  4. O Vampiro de Curitiba

    Mas isso precisa acabar aqui no blog. Não é justo que todos os leitores tenham que ser testemunhas desses desajustados. Eles que assumam suas perversões em outro canto.

  5. O Vampiro de Curitiba

    Nãp perco por nada o Roda Viva de hoje!

  6. gthomas

    Vamp: brilhante, mas nao temos moderador, O proprio IG parace ter aberto as portas do inferno, entende? Aquela coisa de “seu comentario sera aprovado depois da avaliacao do…” parece ter sumido. Agora entra qualquer trash, infelizmente
    LOVE
    G

  7. Jairo

    Alô! Tenho vc na minha memória de longa data. Lembro de sua imagem junto com Caetano Veloso. Bem…tenho 42 anos minha história pessoal é longa mas cito teu nome para meus contatos nos EUA. Vejo com interesse suas entrevistas e apesar de seu linguajar um pouco rebuscado e metafórico gosto de tuas opiniões.

    Cheguei a conclusão depois de meu primeiro contato com a internet em 1999 , quando observei salas de bate papo e coisas assim, que com a ela ficou mais fácil dizer…o problema é que o brasileiro não tem muito a dizer. Para o brasileiro (vide orkut) a internet é apenas uma porta de banheiro público gigantesca onde ele pode escrever a bosta que quiser anonimamente.

  8. Tene Cheba

    Mas, existe o lado bom, uma fonte, uma troca de idéias permanente, uma interface luxuosa, pouco acadêmica e portanto, espontânea. Que pode enriquecer e despertar novos horizontes. Gosto de espaços como esse, sem têndencias, sem vinculos, sem muita preocupação com a estética. Mas é exatamente neste ponto, cego, que perdemos a visão de nossos limites, éticos. O amigo no banheiro, foi ótimo, o mesmo que definir uma traíra.

  9. Eugênio

    A máscara de ferro, Zorro, baile de máscaras, heróis e vilões passeiam pelos blogs! Ora… pessoas com necessidades e medos, para eles obscuros. A claridade de si mesmo os ofuscam e assim, como na caverna de platão, eles atacam e matam o que lhes é ameaçador!! um abração.

  10. Leonardo

    Caro Thomas, … não se apoquente com a ética torta .. ela sempre esteve presente na vida não apenas sua, mas de todos nós, e em todo o mundo. Não é uma coisa brasileira, e sim da natureza humana. É mais ou menos o seguinte, … ih! voce apareceu, então virou alvo. E só. Bola pra frente meu caro. Estamos todos no mesmo barco que tem vista maravilhosa, convés acidentado e porão mal cheiroso! Um grande abraço.

  11. Ita

    Bom dia Gerald,

    Deixa ver se entendi bem, você está preocupado com comentários de certo babacas, por favor dá um tempo, só pede a eles para ler e bem sem soletrar o teu curriculum e teus sucessos.

    Beijos!!!!!!

  12. Tene Cheba

    Que o Sol se ponha mais cedo hoje em Curitiba, e que uma longa noite fria aqueça o sangue de suas vítimas, Vampiro de Curitiba, um beijo em sua face branca e límpida.

    Obrigado meu querido.

  13. sou Espírita-cristão (e ex-ateu), a postura frente ao homossexual, de acordo com o Evangelho de Cristo e da perspectiva da doutrina espírita, codificada por Allan Kardec, só pode ser de respeito ao ser humano, que vive no contexto uma situação singular … mesmo que se possa pensar que o homossexualismo implica alguma deformaçao de algo , do ponto de vista do “normal”, a Caridade cristã não pode discriminar ninguém … a causa da homossexualidade, que em sociedade gera o preconceito, é destes fenômenos que ficam na penumbra do Mistério, não há uma posição categórica sobre esta causa na doutrina espírita, pelo menos que eu conheça, e qualquer que seja a hipótese, e sem fazer apologia da homossexualidade, o respeito, a benevolência, como frutos da caridade que Cristo ensinou, sçao devidos aos homossexuais, que também são “o próximo” conforme a doutrina de Jesus Cristo .. . respeito pela pessoa humana, pelo Mistério, pela presença divina que se encontra na essência de todo o ser humano, muita paz.

  14. Adriana Melo

    Há poucos dias tenho lido seu blog, gosto muito dos posts e tb dos comentários, qto a idéia de homofobia, é tudo muito claro como somos homofóbicos, em todos os níveis da sociedade, inclusive nos meios intelectuais, onde seria razoável não existir essa homofobia, mas infelizmente a discriminação é para com os homossexuais,os negros, os gordos enfim, contra todas as pessoas fora desse padrão estúpido de ser e viver. Como diria meu amigo Raul…eu prefiro ser essa metamorfose ambulante!!! Bjs.

  15. é toda uma ética de humilhação nesse país.

  16. Fabio - BAURU-SP

    Gerald ..sempre leio seu Blog . Muito legal. Continue assim . Sei que não muito a sua praia ..mas vc já ouviu um som chamado BURIAL ? Experimente …é muito diferente , muito bom mesmo! Abração .

  17. Elaine

    Olá, li seu texto de hoje, sobre moral/imoral ética/anti-ética. Acho esse tema extremamente atual. É cotidiana a manifestação da falta da ética nas relações tanto na internet quanto fora dela. Eu me espanto com tudo isso e me pergunto até quando e para onde toda essa violência nos levará.
    Tenho mais de quarenta, e recordações de civilidade e respeito entre as pessoas. Muito diferente da hostilidade quase sempre gratuita e sempre incompreensível que acontece nas calçadas, nos metrôs, nos shoppings (principalmente nas praças de alimentação), no trabalho, entre funcionários de setores diferentes. Não são só as torcidas organizadas que se comportam desumanamente, e isso fica cada dia mais comum, infelizmente.
    abç,
    Elaine

  18. Maurício

    Caro Thomas,tudo se repete temos alguns profetas do século 21,e vc é um deles, junto com alguns outros poucos que fazem a cultura formadora de opinião, sensata,correta e honesta,pena que alguns recalcados que tem a oportunidade de acesso a essa cultura ainda estão na sombria e escura caverna,repare que esse preconceito vem de uma camada de pessoas da classe A e B que com certeza vão as suas peças teatrais pois são bem frequentadas de difícil acesso por causa dos altos preços!!a solução está na periferia!!mais acesso cultural para esses jovens!!mais cultura!!!que com certeza o olhar vai mudar, e muito.Um bom dia!
    Maurício Félix

  19. CL

    Tem algo haver com a temática muito trabalhada pelo mito Augusto dos Anjos. Não exatamente era a perspectiva do autor, tratar desses reflexos da pessoa humana, mas ele expunha com muita propriedade a obscuridade que circunda o homem.
    A complexidade da questão é maior. Explico brevemente. Não se trata apenas de escarnar o outro que é mais bem resolvido e feliz como alguns aqui citaram com felicidade, é mais grave.
    A incessante necessidade desses depredadores, que hoje tem a oportunidade inoportuna de mascararem-se em seus nicknames, é de aliviar suas terríveis dores.
    E a complexidade da coisa toda está no processo histórico e imutável de construção dessas dores. Alguns são os principais culpados desse legado, entre eles: os monoteístas e os republicanos.
    Mas enfim, como novato leitor desse blog, aproveito para parabenizar o autor. Pouco o conheço, mas hei de buscar mais informações, certo que será muito mais proveitoso para mim do que para o ilustre.
    CL

  20. Ronaldo Cordeiro

    Se Nietzsche estivesse vivo, desfrutando do mel e do fel da pós-modernidade, agora estaria rolando de rir (ou de chorar…). Podemos conhecer o homem, verdadeiramente, em situações em que ele pode se desvencilhar de seu caráter. Na internet eu não preciso de caráter, eu existo não existindo, eu me desligo de mim. Mas não gosto da idéia de um moderador, sei lá… Isso tudo é muito importante, levantar esse debate é muito importante.

  21. ” Mas, deus do céu….atacar ou colocar em perspectiva historia a importância (ou falta dela) de um Portinari” ( alias faltou também o c )

    Sr. Geraldo:
    Em um texto abaixo, lhe retrucando, disse que não ia lhe enviar mais emails. Mudei de ideia. O senhor é do tipo de provocador que gosta de chamar os outros de “idiotas”, “medíocres” e quando alguém lhe responde corre da discussão. Não lhe chamarei, evidentemente, de “viado” e coisas do género. Mas também não entendo porque quem abaixa as calças em um teatro e diz tudo aquilo que o senhor falou sobre o “gosto dos brasileiros por bundas” na televisão, fica tão chocado quando lhe chamam de “viado”. Esta tudo no mesmo nível.
    Quanto a mim, mudei de ideia. Fiquei cansado de ficar lendo as suas afirmações de sub “vanguarda”, como se fosse o rei da verdade e ficar calado. Daqui para frente, onde o senhor estiver, vou lhe responder. Estamos vivendo em uma época terrível, onde alguém se acha no direito de dizer que o Henry Moore é um “idiota”, o Portinari um “medíocre” e poucos respondem. Não da. Chega. O Duchamp é um grande artista, mas não é o maior nem o único. Chega de babaquice.O mundo esta precisando de melhores informações. E vejo que tem gente que vai atrás de suas ideias. Evidentemente por falta de informações. E vejo grande espaço nos jornais para gente como o senhor , ou para o seu companheiro de “vanguarda”, Caetano Veloso. Que pobreza. O Brasil precisa sair disso. Merece ideias melhores.

    ” Mas, deus do céu….atacar ou colocar em perspectiva historia a importância (ou falta dela) de um Portinari”

    Alias, não acho o Portinari “o maior pintor brasileiro”. Mas quem chama um artista como ele de “imbecil”, não pode ficar chocado de ser chamado de “viado”. Ambas são classificações de péssimo gosto.

    “colocar em perspectiva historia a importância (ou falta dela) de um Portinari” ( alias faltou também o c )”

    Meu senhor: não fale besteira. Goste ou não do Portinari ele teve enorme influencia na pintura brasileira. Menos, seu Geraldo.

  22. A explicação do complexo de Andy Warhol é genial, acredito sim que seja uma das explicações. Eu venho neste ano insistindo em participar dos comentários de matérias do IG, e algumas vezes surgem boas conversas, mas sempre existem sabotadores de plantão. E realmente o ig é o principal promotor deste tipo de atitute pois garantem o anonimato e não censuram comentários que muitas vezes extrapolam nossa lei. Por outro lado, alguns blogs com conteúdos duvidosos aparecem nas manchetes do ig, e as vezes clico em busca de um artigo interessante e escuto uma espécie de preconceito e deste complexo de Andy institucionalizado. Nestas minhas idas ao ig percebi que existe um espirito geral de pessimismo irrefletido e uma tendência a propagar a idéia que o brasil precisa de um governo com tendências totalitárias… isto é uma constante! Eu me pergunto até que ponto isto é espontâneo, e até onde este discurso que proclama o passado como o ápice da vida.. sempre no passado foi melhor… não faz parte de um mal estar coletivo, de uma neurose perigosa… Gostei muito de você ter abordado esta questão, já reclamei diversas vezes no ig, mas nenhuma resposta ou solução..

  23. Gerald, vc eh uma graca. Nao ligue para os insultos, delete-os todos sem nem menciona-los. Os idiotas querem eh isso mesmo, a sua atencao, a sua indignacao. Nao dê nada a eles. Eh inveja do povo que nao sabe pensar e que nao tem peito pra dizer as coisas que pensa assinando o proprio nome.
    Beijos solidarios.

  24. lélia

    Gerald….não nos prive da sua intensa cultura e brilho!!!! a natureza humana e sua dualidade estão aí …..vc é tudo de bom !!!!Om Shiva!

  25. Well, Gerald, in spite of what a few idiots may think, you are one of the most generous and courageous people I know. A true artist in every sense of the word.

  26. gthomas

    Andrea N.
    eh que vc nao leu os artigos anteriores (o sobre o Duchamp) e nao sabe da baixaria!

  27. tuca

    Analisando sem citar pensadores…é terrivel ver que o ser humano quando não consegue ampliar seu conhecimento, se sente agredido, ofendido e parte para a agressão…totalmente gratuita.GT, imagine se existe possibilidade de algum ser destes criar qualquer obra , em qualquer linguagem que faça alguma diferença nas vidas das pessoas?

    Nãnãnã…um cidadão que se esconde por tras das telas do PC e escreve, ” seu viado, etc” além de covarde é um imbecil.

    Imbecil mesmo! um cretino, sem capacidade de fazer feliz sua própria mãe.

    E a máxima, para mim é verdadeira…QUEM DESDENHA QUER COMPRAR…

    Ao invés de criticar, dizer que GT só escreve merda…etc e etc…procurem ir no rodapé de cada artigo postado, e cliquem nas palavras…aí vcs vão encontrar referencias para tornar seus conhecimentos mais amplos…e quem sabe VIRAR GENTE!

  28. edivaldo rocha de sousa

    cara ! muita coisa acontece, muitas delas o homem faz acontecer, a intolerança é um absurdo, não podemos ser intolerante com as pessoas, mas sim com os atos da pessoa que discordamos. estão tentando nos obrigar a concordar com o homosexualismo, isso nunca será aceito por mim, tenho o direito de não aceitar, pois vai contra aquilo que eu creio ( a bíblia RM: CAPITULO PRIMEIRO ), CREIO PLENAMENTE que cada pessoa pode fazer o que quizer da sua vida, por isso posso fazer “o discordar desta prática “, mas jamais isto me dará o direito de agredir niguém. todos estão sucetivel a práticas pecaminosas ,pois isto é o resultado do estado que se encontra a humanidade, delitos e pecados com o resultado da queda da raça humana. romanos capitulo 3 v. 23 e romanos cap.6 v. 23.

  29. Homofobia ? Não gosto mesmo.....

    Eh isso ai, moderador é censurador…. tudo o que censura fede…. se não gosta de ser chamado de viado no Brasil, pq não vai para os EUA pra ser chamado de “Son of a Bitch” ??? Coisa de viado que paga pau pra gringo…… viado!

  30. edivaldo rocha de sousa

    que quizer conversa comigo edi_resposta@hotmail.com

  31. Cara do Sul

    Eu acho que o Geraldo resolveu mostrar mais erudição, depois que eu falei que ele estudou em um livrinho babaca e em páginas da internet.

  32. Luiz o corvo

    Caro thomas, e isto ai, Brasil, EUA, Europa, Marte e etc, acho que o fenomeno é universal a era pós computador pessoal soltou as feras que estavam no grande armário. A tela serve de proteção de blindagem para todos os tipos de cretinos, calhordas e tudo mais que é adijetivo, não tem saida até mesmo o seu irmão ou sua mulher podem estar te detonando no banheiro e te beijando na mesa é foda mas é modernidade a serviço dos recalcados não liga não… eles são doentes.

  33. Chuck Norris

    Vai ver te chamam de viado, bicha, ou mariquinhas pq sua foto não faz questão de esconder. Nem o seu linguajar.

    E o que tem demais nisso? Se vc é uma bicha velha provavelmente virou bicha a muito tempo e convive bem com isso não? Então tecnicamente não liga se te chamam de maricas ou bichona velha poser.

    Pronto, resolvido. Voltemos a normalidade.

  34. eu

    acho que o incomodo real é a sua figura…vc é um ser odiado pela maioria,e essa minoria de “intelectuais” seus fãs ou não como diria caetano…as pessoas te engolem! ofendido não com o que e nen por que? exposição dá nisso…vc não faz parte da massa…vc não é popular…e sinceramente já deu o que tinha que dar…

  35. Richard Fonseca

    Confesso que jamais li alguma coisa sua ou mesmo ouvi alguma entrevista. Em função do que via na mídia (sem ler, apenas passando ou olhos), sempre tive a idéia de que você era polêmico. Isso era o que apreendia do, digamos, senso comum. Sempre quis saber “qual era a sua praia”. Seu último artigo intitulado “a morte da arte” chamou a minha atenção. Arrumei o pretexto ideal. Li o artigo na íntegra (digo isso, pois acredito que muitos que aqui escrevem não lêem tudo e, quando lêem, não entendem) e gostei muito do que li. Pouco sei de arte, minha principal área de interesse é ética e filosofia política. Ainda assim, consegui entender muita coisa com o seu artigo e situar algumas idéias com relação ao que aconteceu no mundo ocidental (gostei das menções a Kant, Hegel, na contraposição a esse tipo de pensamento) e o que acontece (e aqui poderíamos nos socorrer com Foucault) nas nossas relações intersubjetivas. Do pouco que sei sobre a quebra de paradigma promovida por Duchamp, consegui acompanhar o seu raciocínio. A meu ver, o seu artigo tinha como foco central desnudar a nossa idolatria cega, a nossa submissão a certas autoridades seja nas artes, seja na mídia, seja no teatro….enfim: seja na vida toda. Confesso que tive muita vontade de me manifestar diante do seu artigo. Mas quando li os comentários do seu Blog, fiquei muito desanimado. Não quis perder tempo. O número de ofensas e comentários sem sentido (não apenas as críticas que lhe faziam, mas alguns que ficam te endeusando também achei muito ruins) me impediu de fazer alguma coisa.
    Hoje você chamou minha atenção mais uma vez com o título desse Blog e os comentários. Gostei novamente.
    Não gostaria de comentar o Blog de hoje. Aliás, não gosto de comentar Blogs, nem mesmo leio Blogs. Mas quero continuar a ler os seus artigos. Portanto, continue. Fugindo um pouco dessa minha indisposição para o comentário, queria então falar o que me veio à mente quando li o seu artigo “O fim da arte”. Para mim, a verve do seu outro artigo guarda uma semelhança com um pequeno texto de Nietzsche (razão pela qual fui para Alemanha estudar Filosofia) intitulado “David Strauss: der Bekenner und der Schriftsteller”. Nietzsche chama de filisteus os adoradores da cultura do seu tempo; aqueles que imaginam viver à sombra de uma cultura nobre: a alemã. Interessante que, por meio da idolatria a Duchamp e à arte em nosso tempo, você reproduziu uma crítica que Nietzsche fez à idolatria a Goethe e Schiller da Alemanha no século XIX. O problema não está – assim entendi o seu artigo e assim entendo o texto de Nietzsche – no valor de Duchamp, Goethe ou Schiller, mas no modo como o utilizamos para a vida hoje. A veneração excessiva impede que se abra um horizonte possível para vivê-los intensamente. A veneração acaba matando o que de mais valioso eles nos legaram: a capacidade de, por si só, compreender a vida.
    Valeu pelo artigo e volto a firmar: continue!!!

  36. eu

    a propósito…volta de onde vc veio!

  37. Ranza

    FORA Dunga!!!

  38. Eudes Jose Furtunato

    Olá Gerald…
    O melhor livro é aquele que nos mostra o que sabemos,
    como diria o próprio Eric Arthur Blair, ou para lembrarmos Nelson Rodrigues, que lutou incessantemente em nos mostrar o óbvio ululante, mas ainda hoje não o enchergamos. Talvez você seja o que tem um olho em meio a cegos nos dando (perdoe-me o gerúndio) imagens aos nossos pensamentos, pois em tempos de pura críse e em preconceitos de toda sorte é bom ter um dono da verdade e senhor da razão!

  39. Jorge Schweitzer

    Como “Agora entra qualquer trash, infelizmente”, vou me tornar frequentador dos comentários…

    Adoro a liberdade de dizer o que penso…

    Esta ninguém deleta!

    Jorge Schweitzer

  40. Regina

    Sinceramente, acho que o anônimato nas mensagens pejorativas enviadas a você, traduzem a falta de moral e a crise ética que estamos vivendo, o problema todo não é a orientação sexual e sim a resistência de alguns brasileiros em reconhecer que os tempos mudaram e deixar a hipocrisia de lado e aceitar que ninguém é ingual a ninguém e nem há razão para ser… caso contrário alguém com o mínimo de sanidade mental gostaria de se comparar os ter as mesmas práticas que os pedófilos presos no norte do país???

  41. Jorge Schweitzer

    Ah! Sim…

    A propósito, os comentários são quase padrão por aqui: um cita frase allheia na falta de alguma de sua lavra; outro chama um ao outro de viado…

    Acho mais grave demonstrar falsa erudição do que ser bicha…

    Não é não?

  42. caca

    É uma loucura mesmo .. loucura no sentido literal da palavra… como se existisse um mundo paralelo em que as pessoas se materializam virtualmente por codinomes.. me parece um tanto esquizofrênico esse lance de Second Life.
    Bj

  43. Richard Fonseca

    Concordo com o Schweitzer e lanco a proposta: por que nao discutir o texto? Por isso nao gosto de comentar Blogs!!!!

  44. gthomas

    Discutir? Otimo! Mas olha so esses ai de cima: Um tal que manda eu “volta pra onde vc veio”

    De onde vim?

    Outros me chamam pra porrada! Que doideira!

    Me divirto. Juro que estou comecando a me divertir com a idiotice dos imbecis!
    Jorge meu Schweitzer!
    Saudades meu querido
    LOVE
    G

  45. ateu

    Cara vc é uma figura patética, um ser desprovido de tecido muscular e de testosterona que assim como caetano fica criando textos de “efeito” para justificar sua falta de masculinidade, mais eu até entendo que deve realmente ser frustrante lembrar que vc não correspondeu as expectativas de seu pai, que com certeza queria um filho com mais atributos masculinos para se sentir perpetuado nesse mundinho miséravel. Só estou comentando aqui pq não quero que pessoas como eu se sintam inferiores a um anormal como vc e essa corja de pseudo-intelectuais que tenta impor seu modo de pensar deturpado às demais pessoas desse país através da mídia. Para concluir: “Senhores e Senhoras desse país que fique bem claro é normal ser normal”.

  46. Richard Fonseca

    Imagino que seja difícil, acho que eu já teria abandonado o barco. O negócio é louco mesmo e o pessoal “perde a linha”. Mas por que nao concentrar nas coisas boas. Eu mesmo já estou me superando, ficando aqui por tanto tempo escrevendo em Blog. Jamais imaginei isso….vamos nos agarrar ao que há de bom. O artigo de hoje propoe o programa: pois entao, vamos assiti-lo e depois lancar algumas idéias..nao se trata de propor uma rigidez academica ou coisa do genero, mas discutir idéias. Tenho muito interesse, p.ex., em discutir aquelas idéias do artigo “o fim da arte”, saber até que ponto as pessoas se reconhecem naquilo e até que ponto é possível fazer alguma coisa na arte depois daquela constatacao niilista…..quero muito ouvir a respeito do papel da ética na comunicacao.

  47. Richard Fonseca

    do programa roda viva…

  48. Richard Fonseca

    Rapaz, nao dá. Depois desse comentário aqui acima, do tal ateu, nao dá mesmo….o negócio é absurdo. Desisto de tentar fazer vc nao desitir. Boa sorte.

  49. Antonio

    A internet é o meio de comunicação mais democrático do mundo.
    Você pode escrever o que quer, sobre o que você quizer (inclusive errado). Eu sempre falo que a boca fala daquilo que o coração está cheio, portanto ,quem te chama de bicha ,viado, etc…

  50. Oi GT, não lliga não, falem mal mas falem de mim, as pessoas que escrevem em seu Blog, para te xingar, são pessoas que não tem carater, escrevem usando o anonimato porque não tem coragem de enfrentar, não te conheço, nunca li uma única obra sua. Passei a te conhecer por aqui, entretanto vc tem coragem de mostrar o que está errado, a sua maneira é claro, quem quiser te entender que te entenda caso contrario vão para PQP, ora se eu não gosto de algo é facil, não leio, não vejo, se recebo deleto, rasgo. Ora, se estão te lendo e te criticando, é porque gostão de vc, e do seu trabalho. Não nos prive de seus intelectos, não nos abandone. No Brasil precisamos de corajosos, e hoje, essa qualificação cabe a você. Ah, e a propósito, meu nome completo é Jorge Luiz Salgado Braga. Não é pseudonimo.. Um abração.

  51. gthomas

    Richard Fonseca: vc esta vendo nao? Esse tal de Ateu ne? “tecido muscular….testosterona….meu pai……e Caetano?????”

    Sera que abriram as portas dos manicomios e nao fomos informados???

    ou sera que existe a internet DENTRO dos manicomios????

    Vamos nos divertir, Richard Fonseca, Jorge Luiz e cia LUCIDA!
    LOVE
    G

  52. Alguem

    Não é por nada, mas se você se expôs em um meio que existe retorno, fatalmente estará sujeito a elogios, ofensas, agradecimentos, desagrados e assim por diante. Portanto, se não tolera o retorno que provem de todos os cantos, sugiro que se retire deste meio, agora se esta disposto a expor suas idéias, esteja também preparado para o que ela repercute e não chore … é indecente um pensador querer se expor e não aceitar a repercussão que provem da própria idéia exposta ….

  53. Roger Moore

    O que fazer com uma biba culta?

  54. Richard Fonseca

    É verdade. O negócio paira a loucura. Do que que esses caras estao falando??? Por que tanto ódio??? Bem, acho que o melhor mesmo é como voce diz: vamos nos divertir.
    E mais uma vez: valeu pela dica do programa e pelas idéias daquele texto!!! Forte abraco, Richard

  55. Prophet der Offenbarung

    Só pra constar: nunca estive nesse blog, entrei hoje pq me chamou a atenção a figura caricata no link, e me deparei com esse post e essa briga aqui nos coments.

    Após ler um pouco dele, já formei uma opinião.

    Quando se põe a cara num lugar público se sujeita a ler o que quer e o que não quer.

    Viados, bichas, homosexuais, não são bem vistos no Brasil, chame isso de preconceito, homofobia, viadagem enrustida, o que for, mas o fato é que um velho com pose de biba, além de caricato é um alvo perfeito pra qualquer ataque virtual.

    Some-se isto ao fato desse blog que está estampado com um link bem grande na primeira página do IG, e que me parece que deveria ser algo popular, vir com conteúdo extremamente seletivo, com um linguajar voltado para supostos “Intelectuais” virtuais que esbanjam conteúdo e cultura.

    Acho que se vc parasse de querer bancar o intelectual e esse blog tivesse cara de blog, não de recanto de alguém que gosta de parecer Jô Soares, ou seja, fosse num linguajar mais popular, com temas mais populares e de fácil transmissão, a coisa poderia ser diferente.

    Se o seu blog quer ser blog de filosofia, cheia de filosofares e de demonstrações de erudição e intelectualidade, voltado prum séquito de pessoas que se julgam intelectuais tb, não devia estar na primeira página do IG, onde o povão acessa, pois vc vai ser zoado e ironizado até o fim dos tempos, ou até desistir.

  56. tuca

    “Eu acho que o Geraldo resolveu mostrar mais erudição, depois que eu falei que ele estudou em um livrinho babaca e em páginas da internet.”

    depois fui lendo e cheguei nisto

    “Cara vc é uma figura patética, um ser desprovido de tecido muscular e de testosterona que assim como caetano fica criando textos de “efeito” para justificar sua falta de masculinidade, mais eu até entendo que deve realmente ser frustrante lembrar que vc não correspondeu as expectativas de seu pai…”

    afeeeeeee…não vou ler mais nenhum depois disto…UMA COVARDE FRENTE DE ESQUIZOFRENICOS tentando denegrir a imagem de uma pessoa?

    ahhh, que nojo…mas ainda bem que existe um meio democratico como a net…mas sinceramente…NOJENTO E COVARDE…pois duvido que o ATEU teria tamanha masculinidade para falar o que escreveu, se fosse em uma platéia…COVARDE….simplesmente!

    Os comentários só mostram o que acredito…a net serviu para expor a pobreza de muitos…e não é de português correto não…pq é ridiculo discutir linguistica no ponto que muitos vêem, a da gramatica do Hildebrando ou qualquer professor…A pobreza é de conhecimento mesmo…e quando um cidadão tecla raivosamente contra outro, ofendendo etc…tenha certeza que isso foi dedonado na mente dele quando ele leu um nome de algum pensador que ele sequer ouviu falar…AI O ESTUPIDO REAGE ASSIM, AO INVÉS DE IR NOS TAGS SE INFORMA…ahhh…que nojo.

  57. Mauricio

    Nos E.U.A é assim, na França é assado… e viva o MacDonald’s

  58. Fernanda

    Gerald,

    Confesso que fiquei assustada com os comentários ferinos que vc recebe no blog. Infelizmente, esses sentimentos menores , como a inveja, são revelados com muita covardia!
    Não ligue para isso! Siga o seu caminho e não desista jamais.
    Sua luta é com a caneta!
    Você é respeitado e admirado no Brasil e em óutros países.
    Não deixe que uns poucos destruam o seu belo trabalho neste blog.

    beijos,

    Fenanda

  59. tuca

    Prometi que não ia voltar..mas postei e li o Prophet…ohhhh meu Jesus da palestinaaa…

    Cara…quer dizer que o que é popular não pode receber o nectar da erudição?

    ahhhhh, isso que deu dissiminar essas drogas do tipo bonde de não sei quem, etc…

    è Prophet…na verdade o certo é viver lendo o jornal lance pela manhã…depois do almoço uma ligadinha na Tv e depois bobagens em blogs tolos…ohhhhh…não consigo …mas é isso…democratizar é ótimo…pena que temos que conviver com essas coisa…

    NÃO CREIO QUE LI ISSO…QUER SER INTECTUAL ENTÃO SAIA DAQUI…amigooo, intelectualizar a vida não é vergonha alguma…mas ser mediocre…É UMA AFRONTA À VIDA.

    Que Deus me ajude e ANTONIO CANDIDO me ilumine viu…pq ninguém merece…

  60. Mariza

    Gerald! É próprio de zé povinho ficar atacando às escondidas, no anonimato, e mostrando não só a homofobia, mas a misantropia tb! O nível baixíssimo de cultura e respeito em certas pessoas é de lascar, meu caro! Fazer conotação entre o seu desempenho no teatro com a sua vida particular é dar mostra de que jamais teve educação de berço e a escola da vida não os ensinou corretamente. Agora, tem aquele ditado: Quem escreve e diz o que quer, acaba lendo e ouvindo o que não quer e este é o princípio básico para quem escreve em blogs, em jornais, em livros ou fala pelos cotovelos em bate-papo à mesa de bar. Em seus artigos vc despreza abertamente e debocha de grandes figuras e devido à essa verbalidade, vc abriu precedente e reclamar a respeito é dar a impressão de que o seu direito é ilimitado, ou, do tipo faça o que eu falo e não o que eu faço. Chumbo trocado não dói pq não é só vc que está permitido a rir e zombar, usar de adjetivos depreciativos, ao comentar uma terceira pessoa. O bom-senso vem sempre em primeiro e vc bateu a porta na cara dele! By the way, eu nem havia percebido que vc é homossexual e a razão deve ser que eu sou loira…. Blondíssima! Take a good care of yourself!

  61. Não é só aqui.

    Por aí, aqui, lá tbm é assim. Os meninos na escola aprendem a xingar os outros de BICHA, VIADO, ETC. E isso não termina com a vida adulta – o resultado são esses medrosos e BUNDA MOLES usando apelidos.

    Infelizmente no Brasil quem é intelectual ou verdadeiramente ARTISTICO é tido como Nerd e viado ou sapata.

    O ser humano de um modo geral é uma VIRUS que apenas consome e destroi – e pensa que sua condição de LIBERDADE é o ato de IR E VIR – acha que ser LIVRE É PODER SAIR DE CASA, PEGAR O CARRO E DIRIGIR.

    LIBERDADE É MUITO MAIS QUE ISSO. E SOMENTE PELO CONHECIMENTO SE TEM LIBERDADE. NUM PAÍS DE 90% DE ANALFABETOS, BEBADOS(AS) E MEDIOCRES – NÃO HÁ ESPAÇO PRA LIBERDADE.

    A lei seca vem provando isso (e não importa a classe social)

    O ser humano merece o caminho que traça – da ruína e do desastre.

  62. O ANTUNES FILHO diz que o artista não pode ser tratado com beijinho e agrados – precisa levar porrada pra CRESCER, FAZER E BRILHAR DE VERDADE

    Quantos artistas falsários estão nas capas de revistas populares – e cobram por isso 15 mil, 20 mil, pra seres capas, entrevistados, pra participarem de festas de cervejas, agencias de publicidade. E esses nas horas vagas viajam pra DISNEY E PRA MIAMI para fazer compras. Eventualmente alguns dizem ir pra NOVA IORQUE FAZER O TAL DO CURSO.

    “estive em NY fazendo cursos” – eles dizem (isso já é bordão).

    O que são na verdade senão apenas bonecos sem expressão, sem voz, sem cultura, sem idéias, sem imaginação, sem opinião, nada.

    Por isso Gerald – continue levando PORRADAS, a gente gosta disso – é assim que deve ser.

    Apanhar pra SER.

  63. PS – caso me ausente não se preocupem – “VOU ESTAR INDO FAZER ALGUNS CURSOS EM NOVA IORQUE GENTEMM”

    AHAHAHAHAHAHAHAHAHAH no gerundio é PHODA

  64. Somos um povo acostumados a elogios, a sempre ouvir que somos
    acolhedores, simpaticos, felizes. Tudo que é escrito fora dessa realidade da fantasia brasileira é considerado loucura. A verdade é que não temos o costume de discutir saudavelmente, assuntos que necessita reconhecer que pensamos errado, discutimos sobre futebol, artistas mas quando chega um pensador diferente da linha brasileira que estamos acostumados, ouve o que não precisava ouvir. Acostumamos a este Brasil, ao modo de pensar brasileiro.

  65. Eudes Jose Furtunato

    Olá Gerald.
    Quanta ofensa gratuita Em?
    Seria a barbarie da intelectualidade?

    Mais de … mil anos de história e esse é nosso legado?
    Viver na caverna!

    Aonde andará a nossa virtude?

    Babel!

    Tanta gente inteligente aqui e se tercermos estas palavras, o que sobrará?

  66. Carla Arminda

    Gerald,

    Precisamos muito de você. Sua inteligência é um afago nessa nação de “bundas”, “melancias” , “créu” e afins…

    Tenho orgulho de você!

    Beijos,

    Carla.

  67. Prophet der Offenbarung

    Cuidado pra vcs que se julgam intelectuais, que vivem num auto-proclamado nirvana da cultura, não acharem que vcs são a luz do mundo, que estão certos e o resto tá errado.

    Já falaram ai em cima: quem expõe idéias ou bota a cara, que esteja preparado pra receber críticas, palavrões ou ofensas. O mundo não é feito todo de açúcar, não vamos ler sempre coisas adocicadas, e nem todo elogio será sincero também.

    Não vai longe, basta criar um fotolog pra postar suas fotos que vc já vai receber críticas e ofensas de users anonimos, quiçá um blog voltado para seres “cultos” cujo autor mais parece uma caricatura de maurício de souza, e que fica na primeira página do IG, local que deve receber milhares de acessos por hora, de milhares de pessoas diferentes.

    Se não estão preparados pra ler todo tipo de coisa, simples: mudem-se. Ou como diria capitão nascimento : “pede pra sair”.

    Esse tipo de blog alternativo para um seleto grupo de iluminados ficaria melhor em outro local, mas não em primeira página de IG.

    Se é pra ficar ali, então aguentem, isso é democracia meu povo, é se sujeitar a ler o que quer e o que não se quer. É aturar e conviver com o pensamento alheio.

    Muitos aqui falaram de levar cultura aos ignorantes, quando na verdade não estão levando coisa alguma: se um ignorante entrasse nesse blog e tentasse ler o que está escrito nele só o que lhe restaria é xingar mesmo, pq é algo escrito pro próprio autor entender e pra uma meia dúzia fingir que entende, tipo a platéia do Jô Soares, que ri das piadas pseudo-intelectuais que ele faz sem entender porra nenhuma do que está sendo dito.

    Novamente: talvez se o autor parasse de se dirigir ao público como se falasse com meia dúzia de seguidores intelectuais, ele tivesse uma receptividade maior.

    Falar de cultura, teatro, arte, não é algo pra meia dúzia entender e discutir, mas algo que deveria ser popular. Isso é popularizar cutura, ao invés de ficar falando pra uma meida dúzia de 3 ou 4 entenderem.

  68. Flávio

    Gerald, é legal às vezes trazer os farelos à mesa. O que importa, na verdade, é que você é um autor, um criador de verdade. Pena que recusou a peça que lhe enviei, respondendo que não monta os outros ( sem duplo sentido, ok? ). Esse papo de homofobia é de uma babaquice tacanha. O brasileiro gosta sim de um ralação. Tem coisa mais homoerótica que futebol? E você não esquenta com a gentalha não, que eles nem sabem o que é erudição.

  69. Hanny Meire

    Tão “curioso” nosso país ! Combate-se tanto o racismo, fala-se tanto em “politicamente correto” e no entanto, a homofobia corre solta ! Parece até que o homossexual é um criminoso !

    Terrível a ignorância do nosso povo !

  70. Meus senhores e minhas senhoras:

    Nesses comentários estou vendo uma serie de pessoas chocadas, se confraternizando com o espanto do senhor Geraldo, porque ele foi chamado de “viado”. Alguém que vai a televisão ofender todo o povo brasileiro, dizendo que todas as pessoas desse pais são taradas, fixadas em bundas e outras baixarias do genero, não pode ficar tão tristinho em ser chamado de “viado”. Uma atitude não bate com a outra. Alguém que abaixa as calças em um teatro para ofender a plateia, teria que aceitar melhor ofensas do mesmo nível.

  71. Sueli di Prieto

    Gente, essa biba de intelectual nao tem nada. Deve ser do tipo de “mulher” que se traca no quarto, sozinha, faz pose no espelho e dubla “Hung Up” da Madonna… melhor que isso, apenas Goethe!

  72. Andrea Sabato

    Concordo em todos os sentidos com a di Prieto! Ele nao deveria se chocar em ser chamado de viado, alias, nao foi ele quem mostrou a bunda para a plateia uma vez? O que mais ele pode esperar! Estou rindo sozinha imaginado o GT duplando a Madonna cantando hung up com uma cinta liga do Jean Paul Gaultier – puro luxo, pura intelectualidade… para poucos.

  73. Emyle Boscoe

    Gerald, boa tarde. Sabe, você é muito complacente quando fala desta corja de babacas da net ; felizmente, eles têm que existir para contrabalancear o humor, de vez em quando – sei que é sinistro, mas quem liga? Alguns destes “bofes” são deliciosos de boca fechada, principalmente, os mais burros…(rsrsrs) claro, meu lindo, a heterossexualidade brasileira só é uma questão de opinião – no fundo, ela não existe – os mais atrevidos ousam acender os faróis de heterossexuais…mas, não confunda, são só faróis…luzernas da mediocridade! Mantenha sua chama, nada além do caleidoscópio…
    Um beijo em seu coração

  74. Bruno Damasco

    meu esse cara ta sempre na Splash aqui em nyc. ele nao deveria ter raiva de o chamarem de membro da irmandade gay.

  75. sodogomorristaplatunatunmorrentista

    Duvido que alguém ache um nome mais feio que este.Se alguém dissesse que minha mãe está desenhada numa caixa de leite eu faria um queijinho sorridente a céu aberto., Cheese.

  76. Valéria

    Puxa, Gerald, estes dias não tô podendo vir muito por aqui e vc me presenteia com tudo o que mexe comigo! Aliás, o que não mexe comigo?

    Antes de tudo: Richard, amei saber de sua existência, venha sempre e comente sempre! O tipo de comentário q faz é o q me faz vir aqui também, e que me dá ânimo. Além do fato de gostar de ver como as pessoas estão lendo o Gerald, de quem gosto muitíssimo!

    No post anterior não comentei nada sobre os xingamentos homofóbicos, e quem já me conhece um poquito sabe que não gosto de comentários que são somente uma salada de adjetivos desqualificantes. E foi horrível ler tudo aquilo , mas adorei ver que disso nasceu este post.

    Xingar de viado etc infelizmente faz parte de nossa cultura ainda muito dicotômica. Isso é certo ou errado, é bonito ou feio, bom ou mal etc. Argh.

    Compreendo que isso dá uma certa segurança e sentido pras pessoas, que são e foram ‘educadas’ desta maneira e assim continuam. Mas o que a gente ganha ao se agarrar a um sentido que se diz pleno, real e verdadeiro? Sei que a gente perde é o sentido… Fica tudo tão mais obscuro, mais sem sentido… E isso assusta, né?

    E o dar um sentido a tudo permeia toda a nossa ação no mundo; quantas vezes não leio críticas, ensaios que estão mais pra confirmar,entre linhas e termos escolhidos, que aquilo ali é bom, que ‘isso é correto’, ou mal-feito… De onde se fala? Por que tem que se colocar de um lado ou do outro ? Ai, tão triste nadar no raso…

    Em jornais então, chegamos a ter bonequinho sentado, aplaudindo, indicação de que aquilo é indicado ou não, um carimbo ‘real’. E vamos nós por aí, reafirmando e cagando regras, ditando o que é normal, medíocre, correto, bom, importante, o melhor, o pior etc

    Isso é liberdade de expressão? Isso pode estar mais colado com a idéia de ‘seguir a expressão’ do que fazer livre uso da expressão, seja isso o que for.

    E o ataque vem sempre vestido e travestido desta pretensa verdade verdadeira, pra atingir o mais fortemente que puder.

    MAS,

    pra mim, ADJETIVAR, seja com qual termo for, não leva a lugar algum, e penso que a pessoa que quer atingir negativamente o outro também está na mesma via;

    com mais clareza: xingar alguém de viado, de imbecil, de bicha, idiota, ignorante, anônimo (versus famoso – isso virou um grande defeito, uma coisa menor? Isso não tem sentido algum pra mim) etc, está indo pelo mesmo caminho, e isso não acrescenta nem subtrai nada, só perpetua este estado de xingamentos que nasce do alto das verdades verdadeiras de cada um.

    E acho ótimo trazer este assunto à baila, Gerald, mas mesmo entre os antigos comentadores – quando não é de uma forma brincada – penso ter visto estes xingamentos homofóbicos também, entre outros.

    Adjetivar desta forma só afasta pessoas e desvia de qualquer possível argumento, de qualquer tipo de encontro que poderia ser enriquecedor. E ler estas coisas me causa um desalento horroroso.

    Cadê nossos outros horizontes possíveis?

    Qua a gente adjetive menos e comente mais.

    Sei que insisto nisso, mas este modo de agir e pensar é sempre um espanto pra mim.

    Tomara que eu chegue em casa a tempo de ver o roda viva! Não tenho como gravar.

    E me chamou a atenção de como a palavra intelectual tá sendo vista por aqui…

    Bjim

  77. Nei Alves

    Oi!
    Cara nunca, nunca esqueça o grande Mario Quintana:
    Esses que ai estao a atravancar o meu caminho eles passarao eu passarinho.
    Fiquei impressionado com a importancia que vc deu a essa situaçao que me parece ja eh corriqueira. Vc esta esquecendo de ver o outro lado, o dos que te admiram e apoiam. Deixe estar que somos o contra-peso.
    Um abraçao
    Nei Alves

  78. Como diria Abu em seu programa – “ai de mim míseros restos”

    Essa de citar o Goethe foi UMA BOSTA DONA SUELI.

    VAI ARRUMAR COISA PRA FAZER.

  79. André

    Caros,

    homofobia é uma palavra que não existe!
    Um termo inventado de homossexual para o benefício de homossexual.

    Na maior parte dos casos a repulsa ao gay é natural!
    Trata-se da correta educação que diz para uma criança que o certo é ser homem ou mulher, conforme a natureza o fez.
    Errado é deixar que pais gays adotivos, e gays aliciadores de menores em geral(a maioria o é) continuem aliciando e pervertendo nossas crianças.
    Já diz o MS: “Crianças começam a fumar ao verem os adultos fuamrem.” – será só com o tabaco que este fenômeno ocorre???
    Falando em MS, o próprio reconhece que o risco de doenças psicológicas, fisiológicas, suicídios e principalmente as DSTs/AIDS é infinitamente maior entre gays, especialmente pederastas sodomitas.
    Aliado ao fato do homossexualismo estar diretamente ligado à promiscuidade, já viram né?
    E não venha me dizer que gay é comportado, ou então você nunca foi a qualquer ambiente dedicado a esse público cor de rosa.
    Espero, inclusive que o projeto fascista que transforma pederastia e bundalele, em raça – a raça gay – seja vetado pelo congresso nacional em benefício de todas pessoas normais(heterossexuais).

    Da forma que pederastas fazem propaganda e medidas fascistas como o projeto da “super-raça-gay”, em pouco tempo será mais vantagem ser gay a ser normal.

    Fato repugnante também, é a quantidade de homofascistas que se aliam a grupos de direitos humanos, ongs, grupos defensores da natureza, etc. e dizem defender toda sorte de minorias e natureza, mas na verdade estão lá só para garantir direitos especiais à “raça-gay”.

    Chamam homossexualismo até de diversidade, que cara de pau!
    Se o principal mecanismo da diversidade é o encontro de opostos e a reprodução, como seria a diversidade gay?
    Diversidade entre iguais?
    Se me falarem em diversidade de parceiros, modalidades sexuais, posições, doenças, trenzinho… ai sim poderia até entender homossexualismo como um tipo de diversidade.

    HETEROSSEXUALIDADE É NATURAL!
    O QUE NÃO É NATURAL TAMPOUCO SAUDÁVEL É O HOMOSSEXUALISMO.

    Vamos preservar a natureza e diversidade!

    As pessoas, para deleite dos homofascistas, estão cada vez com mais medo de se manifestarem quando não simpatizam com esta modalidade sexual degradante, tanto para o próprio gay, como pra toda sociedade.

    Homossexualismo não serve pra nada, senão espalhar doenças e corromper jovens sem opiniões formadas e isso não tem nenhum motivo para orgulho – é vergonha, um crime!

    Sei que estão gostando, portanto abordarei brevemente também a questão da adoção por pais gays:
    “Todo indivíduo tem o direito de ter uma vida normal e saudável: não é justo entregar uma criança para convivência no meio homossexual, sujeito a todo tipo de vexames dentre seus jovens amigos, e sendo obrigado a conviver e ver cenas de relações entre barbados se beijando, isso é inconstitucional.”

    Ninguém nasce gay, e o homossexualismo cresce assustadoramente, mostrando-se um problema de saúde pública cada vez mais grave.
    Mas quem acha que gay não se reproduz está redondamente enganado: a propaganda(aliciamentos) difundida ou dissimulada gera novos gays a todo momento, com aplauso das pessoas de bem inclusive; que, por medo de serem enquadrados em supostas leis de “racismo contra a raça-gay”, se calam.

    Finalizando, este texto não é direcionado a um homossexual e sim ao homossexualismo de forma geral.

    Gays deviam ser muito felizes aqui no Brasil, não sei do que tanto reclamam – os motéis, boites gays, banheirões, becos, praias, cantos e frestas das cidades estão sempre ocupadas por pederastas sodomizando-se de forma grupal ou não, livremente.
    O que mais será que querem?
    Sexo em praça pública com direito a platéia e aplausos?

    Fala sério!
    Tudo que falei aqui eu provo se você leitor heterossxual achar que é mentira. Em caso de leitores gay, os srs. sabem melhor do que eu disso tudo.

    NÃO AO HOMOFASCISMO ALICIADOR DE CRIANÇAS!
    Um brinde à verdade, à liberdade de expressão, e ao direito de acesso à informação.

    Muita saúde e paz para todos.

  80. Rita Gattiboni

    Não entendo como podes dar importância para comentários tão descabidos (bicha, viado…). Claro, só se for para entender como o anonimato permite um ética, que não sei qual é, além de comentar a veracidade da tese defendida na USP. No mais, assisti a uma peça de teatro tua, em Porto Alegre, no teatro São Pedro. Não entendi nada, mas adorei, porque não era algo dado, pronto, as minhas sensações gostaram, o tempo passou rápido, não era nada chato, mas muito criativo, verdadeiro, não da verdade cartesiana, mas da verdade que nasce das entranhas. Desde aquele tempo, já faz uns 10 ou mais anos, sou tua admiradora, da tua irreverência, acho que te destacas pela inteligência e tudo o mais nesse mundo tão igual, gosto muito de ti, do que tu produz, te acho grande. Logo, esses insultos não dizem nada perante tua grandeza, inteligência, criatividade. Eu gostaria de ter 1% da tua criatividade, perspicácia, rapidez, inventividade. Como tua fã, te quero exatamente como és, tudo o que é publicado sobre ti me interessa, tudo o que diz respeito sobre tua produção intelectual eu quero ler. Produza mais, faça mais peças, escreva mais, que tudo é muito maravilhoso. Rita Gattiboni

  81. Ana

    Que lindo o que a Rita escreveu!

  82. Ana

    A questão ética na comunicação depende muita mais da ética (em stricto sensu, ok? — que é quando ela mais se aproxima da antropologia) dos envolvidos na comunicação do que qualquer outra coisa. Li uma entrevista muito legal ainda agora com Daniela Beyruti (filha do Silvio Santos) que comandará o SBT daqui por diante. Ela fala numa coisa muito legal, que é a ‘claridade nas conversações’. No entedimento.

    Antes de tudo: O que o Gerald e o IG têm de ter em mente é que grande maioria que lê o texto com respeito, raramente comenta. É o observador vestido. A caráter. Aquele que apreende, e se sentir vontade entra em contato por e-mail. Nós todos sabemos que é assim que a coisa se dá.

    Por isso a medida de banir comentários chulos foi sugerida, melhor, imposta (devia ter sido sugerida). Mas não mantida (ou aceita). Houve falha na comunicação? Houve. Em algum ponto a comunicação foi cortada.

    Para que aprovar comentários duvidosos?

    Se um cara sente prazer de entrar aqui, e falar mal blog do autor, do autor, do texto do autor, da vida do autor, que sequer conhece direito, pq se o conhecesse não o faria, e se o faz, que é como o caso do amigo do IPhone, não é só uma questão de ética. É mais uma questão de dispersão. Sim, temos amigos dispersos… é a vida….

    Explico: qualquer pessoa que tenha deixado um comentário com palavrões, e homofobia, xenofobia, fobia-fobia, explícitos – já que não foram banidos (e aí fica-se a saber:) – podem ser éticos em qualquer outra ordem de sua vida, e aqui se comportarem assim, de forma a escandalizar o que não tem escândalo. É coisa de doido.

    O que acontece é que o anonimato confere à ética um plano em paralelo: foda-se, eu pago impostos e tenho uma vida de merda.

    É como pixar um muro. É um poder nulo: não tem assinatura.

    Mas é preciso ser muito infeliz para não conseguir ter uma assinatura. Nem que seja pra escrever MERDA.

    A arte da vida, meus caros, não é gloriosa pra ninguém. O que confere uma certa igualdade, que se expande e passa à dignidade.

    Até um dia reconhecer-se UNIDADE, sem deixar também de ser UM/NO.

    Em tempo: leiam a entrevista com a Daniela! Ela promete!

  83. Ana

    Minto: até no pixo tem assinatura: entre os pixadores.

    Aqui não acredito que a coisa seja assim.

  84. Marcos

    Gerald, solidarizo-me com sua tristeza relativa à covardia virtual homofóbica que se esconde atras da web e comemoro sua elegância em permitir comentários sinceros e “equivocados” como o desse André, mais um militante do atraso.
    Mas mudando de assunto no mesmo assunto: VOCÊ JÁ REFLETIU QUANTO AO PRECONCEITO QUE SE TEM DESTILADO NA PRÓPRIA WEB CONTRA O TORNEIRO MECÂNICO-PRESIDENTE LULA?
    Um abraço!

  85. sergio

    vai pra merda seu viado!

  86. Ana

    André, só se chama o homossexualismo de diversidade (?) pq a “tradição” era ser heterossexual, ainda que a gente saiba que era só de mentira.
    Não é nem purista, separar. É burrice mesmo.
    Tem gente que faz sexo com mesa.
    Por isso passa a ser objexeual?

    Eu Não sei até onde tradição é importante… Tudo bem que resgata todo um passado de dor, sangue, suor, lágrimas e alguns raros acertos e êxtases. Mas de resto dá uma freada na evolução que não é mole, hein?

    No caso do trecho da tese do Caio Túlio Costa:

    “trazendo para os dias de hoje, o Presidente dos Estados Unidos George W Bush teria agido dentro de acordo com a ética da responsabilidade ao ordenar a invasão do Afeganistão para caçar Osama Bin Laden e, com isso, também ter matado milhares de civis. Idêntico racionio serve para Bush na invasão do Iraque” (emendo: e para Hiltler fazer aquele estrago todo; ele “foi” em nome de algo que o povo achava necessário, senão não o seguiria; o nacionalismo, que seja, aquela coisa doente de querer tudo branco, reto, simétrico, afinal, cada um coleciona as figurinhas que quer…) (cada um vai ter SEMPRE seu motivo…)

    agora vem a pergunta: que ética de responsabilidade é essa?

    que responsabilidade há em invadir um país, só pq ele tem o que se precisa? isso não é responsabilidade, é roubo. ele foi ético com seu impulso de ladrão, dentro da — super-particular — visão que eu tenho dos fatos. para mim não houve september eleven. para mim houve uma orquestração para ele existir.

    se está postulado que na constituição dos EUA, caso haja ameaça, é obrigatória a reação, não me importa. porque ela já pré-julga, e isso facilita toda a orquestra.

    justiça só seria justiça se feita a posteriori, e com visão totalmente IMPARCIAL diante dos fatos e suas coligações, apresentados, para que como objeto de análise profunda chegue-se a um veredicto justo.

    por enquanto todos nós somos só um bem jurídico.

    então se Bush invadiu o Iraque é pq a lei lhe facilita concretizar seus planos.

    se aqui se comenta de forma chula é porque tem se permitido que isso aconteça.

    não que no caso daqui isso seja lei.

    pode ser só uma pequena desorganização.

    gente, é hora de acordar! vamos ao que interessa: a gente precisa de forma de vida SUSTENTÁVEL.

  87. Ana

    a intenção ao entrar com o trecho da tese do Caio Túlio não era mesclar o parágrafo anterior com a tese. foi um vacilo meu.

    o que acontece com a tradição não tem nada a ver com a responsabilidade do Bush.

    ou tem?

    caro Caio Túlio Costa se você ler isso, POR FAVOR, leve tudo como diálogo, ok? Um debate. Eu acho esse site interessante porque permite uma conversa, muitas vezes, animada, de pensar o mundo de hoje e tentar encontrar adequações, dar de cara na parede, tentar de novo, ser chacota pq tenta, mas nunca desistir, enfim, é isso.
    : )

  88. baygon R*

    Alguém já viu uma barata verde? Eu acredito que elas existem, e os católiquinhos bostais juram que as trevas do inferno não prevalecerão contra ELA.

  89. Sueli di Prietp

    Menina, esse Mau Fonseca deve ser outra mulherona que adora a Madonna e canta Like a Virgin no banheiro, mas para os amigos apenas fala de Goethe und Fassbinder!!! Mulher, se libera! Auf Wiedersehen, biba!

  90. Ana

    desculpe o negrito geral… devo ter fechado errado a tag… era só para o nome do Caio. enfim, desculpem.

  91. Eudes Jose Furtunato

    Ana quem é você?
    Fantástico as tuas palavras.

  92. Rodrigo Young

    Caro Thomaz., já passei por algo similar e:

    Nada como fazer parte da vida de alguém que vc nem conhece.

    =)

  93. Ana

    Eudes, juro que não consigo acreditar em você. Pode ser chacota. Olha só onde chegou a paranóia do anominato. Escreva para meu e-mail. Apresente-se. Está na minha página em cima do anjinho. A minha página está linkada na barra lateral desse blog. E mais não digo, como diz um amigo meu.

  94. Ana

    ah, lá em cima quando eu falo no comentarista vestido, estou excluindo o que se interessa e discute.
    gente, isso hoje tá uma confusão dos diabos. Mercúrio deve estar passeando por aqui!

  95. Ana

    ainda, ufa: o que eu quero dizer é que quem comenta também respeita. (!, ufa, consegui!)

  96. Richard Fonseca

    Ana, nao entendi muito bem o contexto que voce retirou da tese do Caio Túlio Costa. “Etica da responsabilidade” nao é uma expressao qualquer, possui um peso muito forte nas discussoes sobre ética e a principal referencia é o Hans Jonas. Neste caso, pouco tem a ver com a atitude do Bush. Nao entendi.
    De todo modo, acho que o progrma hoje à noite vale a pena. Depois de pegar a dica aqui no Blog, fui conferir os entrevistadores e vi que o Mario Sergio Cortella é um deles….
    e Valéria, obrigado pelas belas palavras.

  97. Eudes Jose Furtunato

    Não ana, sinceramente não foi chacota e sim simpatia pelo seu saber!
    Desculpe-me se pareci irônico, talvez não tenha me expressado bem.
    No mais, digo que foi mais ignorância da minha parte do que propriamente visão.

    Agora se me permite como faço para encontrar o seu endereço?

  98. Ana

    não, não consegui (gargalhadas): tem quem comente e respeite.

    pronto. foi…

  99. Eudes Jose Furtunato

    Bem Ana, você não me deixa opcões!
    Sinceramente não foi chacota, repito, mas se você acredita, paciência. Não devolverei as provocações!

    Os índios dizem que nos basta a palavra em contraposição aos contratos, eu tentei Ana!

  100. VALTER

    sinceramente, os comentários aqui são pura confusão. Os idiotas de plantão tentam justificar a falta de educação, preconceito, e personalidade tacanha com democracia. Mas afinal o que é democracia? Um sonho por que nem onde ela nasceu ele foi de fato democrática. Os espaços disponíveis na web beiram mais a anarquia (no sentido de falta de regras mesmo) que a Democracia. Ninguém aqui é obrigado a gostar do Gerald Thomas, nem obrigado a ler o texto dele ou concordar com ele (eu por exemplo não li a totalidade do seu texto), mas ninguém tem o direito de agredir quem quer que seja. Se se consideram machos por que se incomodam com aqueles que CONSIDERAM não o ser? Não me importa quem é gay, lésbica, bissexual, heterosexual. Isso não é importante. Mas discutir idéias, propor coisas novas, promover a mudança é importante. Por que não protestam contra aqueles em quem votaram e com certeza não cumprem o que se propuserama fazer? Aí dá preguiça e o supermacho se esconde por que esqueceu em quem votou ou por que votou em alguém… divergir sim, mal educado não.

  101. Sandra

    Gerald, que saudades! Mas, quanto aos invejosos, eu quero que eles vivam MUITO!!!!!!

    Como deve doer ficar insultando pessoas inteligentes, competentes, criativas e famosas, enquanto vivem totalmente ignorados.

    Se não concordam com você, poderiam simplesmente ler outro blog, assistir outras peças, mas não… Sabem que você é muito bom, e eles não. Fazer o que, né? Ler, estudar e trabalhar cansam… E não dá para ficar famoso sem merecer.

    E daí se esses panacas chamarem você de viado? Desde quando a preferência sexual de alguém, seja ela qual for, é demérito? Demérito é desviar dinheiro público, é não querer estudar e nem trabalhar e ficar perturbando quem colhe os frutos de seu trabalho honesto. Você fará cada vez mais sucesso, e esses anônimos continuarão cada vez mais frustrados.

  102. Jorge Schweitzer

    Não adiantou chongas, continuaram as citações de pensadores…

    Apareceu até o Mário Quintana; aí é fodza…

    E, a menos que minha percepção tenha me traído, um cidadão aí acima comparou o Gerald com o Lula; putza que lla párea…

    Olhem só, este negócio de ser ou não viado pode ser positivo ou negativo dependendo de como se encare…

    Quando começaram a surgir acusações de viadice a Santos Dumont e Zumbi uma porrada de gente ficou irada com a desmistificação de duas figuras históricas; já a entidade Atobá (se não me engano) quicou nas tamancas: nananinanão, viado é elogio…

    Vai entender?

    Agora, olhem só, quando postei por aqui (ou melhor no blog anterior que é este mesmo porém outro com a mesma proposta. Entenderam?) que nunca respondo questionamentos de pessoas que se identificam por pseudônimo em minha página apareceram pessoas defendendo utilizar-se de um nome qualquer já que ninguém é obrigado a utilizar-se do nome que alguém escolheu para ele sem seu consentimento… Fiquei com cara de trouxa…

    Porém, tenho certeza que nosso amigo Gerald sabia que se não tivesse oportunidade de excluir comentários contrários e ofensivos iria ter uma enxurrada de doidivanas arrebatadas que passariam a bater cartão por aqui para lhe encher o saco…

    Nem me passa pela cabeça que ele vá fugir da raia…

    Ele deve estar adorando este arranca rabo…

    Gerald Thomas sem gerar esta explosão raivosa nos encubados da frustração não é Gerald Thomas…

    Vou continuar monitorando os citadores de filósofos, poetas e presidentes…

    E cronometrando todos os viados que acusam os outros de serem parceiros traídos pelo desejo…

    Eu volto, eu volto…

    Nunca fujo da porradaria!

    Jorge Schweitzer

  103. André Miranda

    Prezado Gerald

    Primeiro, queria te dizer o seguinte: Se não sabe brincar, não desce para o parquinho (velho ditado esse). Se a pessoa aceita, opta ou resolve fazer um blog, tem que estar preparado para os comentários, sejam eles homofóbicos, escatológicos, pedantes ou simplesmente estúpidos. Se não quiser conviver mais com isso, não escreva.

    Segundo, a velha e batida alegoria da caverna, revisada e tratada pelos psiquiatras e psicanalistas, as pessoas acusam as outras daquilo que elas tem de mais latente. Se o cara tem medo de ser considerado desonesto, chama todo mundo de ladrão, se tem medo de ser considerado um coitado, chama todo mundo de burro, e se tem medo medo ser viado, chama todo mundo de bicha. Então, lamento te informar, mas o teu blog atrai esse tipo de pessoa, e tu não poderá te livrar delas, pois elas precisam de ti para exorcizar seus demônios.

    Mas não te preocupe, talvez exista juizo final e todos seremos julgados. Ou talvez não. E viva Platão!

    Ficam minhas cordiais saudações.

  104. dyl pires

    sabe gerald thomas estive lá no seu bate papo com o guzik. e depois de ver aquela ‘pergunta morta’ intitulada “o que é arte?” feita por uma criaturinha meigamente burguesa, conclui de vez: os anônimos até se mostram. mas os herdeiros de hoje seja do que for não se angustiam mais com o legado herdado! querem por que querem ler o fragmento sob a perspectiva do todo falido. abraços.

  105. Ana

    Eudes, meu link está ao lado, na barra do (desse) blog.
    Se quiser, siga por aqui > http://babels.wordpress.com.

    E, ei, onde você viu provocação, menino?!

  106. Ana

    Richard Fonseca, é simples: eu não acredito que tenha havido a responsabilidade para suscitar a ética, no caso de Bush e o Iraque, compreende?

  107. Ana

    André Miranda, discordo totalmente de você… Qualquer leitor pode odiar o texto de um autor, mas não precisa convidar ele para atear fogo ao livro…

  108. Wandick Cazzolino

    Mr. Thomas, como já disse alguém aí em cima, abra um banal fotolog e permita que todos comentem abertamente e receberá uma enxurrada de insultos, xingamentos e impropérios. Muitos divertem-se fazendo isso, devem ter excesso de tempo livre, sei lá… perda de precioso tempo ficar tentando analisar esse comportamento. Se for para se aborrecer com isso, é melhor parar mesmo. Sorry.

  109. André

    ANA,

    falei um pouco do desvio do homossexualismo, desculpe mas não tenho motivo algum para achar tal prática benéfica em ponto algum sequer.

    Mas você comentou sobre invasões, Hitler, guerras e afins…
    Creio que tudo por aqui tem uma causa-efeito, bem como uma ação-reação mesmo que não esteja clara à primeira vista.

    Partindo desse ponto, sou levado a crer que tudo é justo ou será justo num futuro de alguma forma e para tudo há um motivo.

    Você falou mal de Hitler, todos falam mal do Hitler, as pessoas aprendem a falar mal de tudo que mandam – leia-se domesticação.
    Eu não sou a favor do Hitler, mas perceba que ele não inventou tudo isso que você falou…

    O caso da supremacia racial e eugenia, por exemplo: os sionistas praticam isso desde a antiguidade e o continuam fazendo… portanto pode estar ai uma das causas para respectivas reações que estes eugenistas-sionistas(professores do Hitler) sofrem volta e meia.

    Não vou entrar em outros méritos dessa questão – apenas quero mostrar que nada é por acaso, nós é que não enxergamos ou temos acesso aos motivos.

    Acesso à informação: todos tem direito de saber a verdade independentemente se estas verdades incomodam sionistas, gays, católicos, gregos ou troianos.

    Um abraço.

  110. Sandra

    André, o Gerald não tem obrigação nenhuma de aceitar qualquer pessoa que ele não queira no blog DELE, nem na casa DELE, ou em qualquer espaço que seja DELE. E ele escreve quando e se quiser, e eu lamentaria imensamente se ele deixasse de fazê-lo, já que acho seus textos magníficos. Então, como gosto é algo muitíssimo particular, por que você não procura o que lhe agrada e deixa que o Gerald escreva para quem gosta dele?

  111. Ana

    Eudes, sinceramente? Tenta outra…

    ================================

    gente, faltou:

    o RODA VIVA COM O CAIO TULIO acontece às 22h40 de HOJE.

    – mais informações: http://www.tvcultura.com.br/rodaviva/.

  112. André

    SANDRA,

    não tenho absolutamente nada contra Gerald ou quem quer que seja aqui.
    Estou aqui apenas comentando o assunto em pauta.

    Um abraço e quem sou eu para censurar Gerald ou quem quer que seja…. mas também não serei eu o censurado. ;D

  113. otavio

    Gerald! essa é uma questão POLÍTICA séria dentro do país… o Brasil é um país fortemente preconceituoso… metade do Brasil é negro e nas novelas brasileiras vê-se pouquíssimos negros… até menos que nos EUA… e no Brasil os homos… são ridicularizados diariamente nos programas humorísticos de todas as redes de TV’s… Fala sério! Esse povinho que fala esses termos por ai nem existe… esquece essa gente escrota! abraço meu querido!

  114. Clécio Luiz Menegotto

    Não cheguei ao final da leitura de seu post e, por conseqüencia também não li os comentários. Por favor Sr. Gerald Thomas, pelo pouco que tomei conhecimento de sua pessoa o tinha em alta conta, mas escrever um texto com tantos erros de concordância, de gramática e nem se dar ao trabalho de solicitar uma correção a alguém é ridículo. Nenhuma reputação sobrevive ao seu texto.

  115. juliano

    Acho que não se deve proibir nada. Gosto desse blog por ter colocado o leitor como protagonista, por haver liberdade de expressão até para “xingar” o colunista de viado. Há espiritos de porcos, mas quanta gente boa passa por aqui. Pessoas que poderiam escrever em qualquer jornal do país… Agora tem um projeto de um senador da república que quer colocar rg, cpf e certificadores pro pessoal acessar a net,etc. Alguém é a favor?

  116. Sandra

    André, o Gerald aceita críticas. É só ler os demais posts e respectivos comentários que você verá críticas de diversos tipos: duras, leves, bem-humoradas, sérias,… Por que ele precisa aceitar comentários homofóbicos ou insultos na casa DELE? Errado é quem não respeita o espaço alheio, não ele.
    É como dizer a uma criança que ela precisa ter jogo de cintura e aceitar ser chamada de negrão, loura burra, japa,… Há muitos professores que fazem isso: chamam a atenção da vítima que reage, e não do agressor.

  117. Vanessa Dias

    Gerald, sou cabeleireira muito competente e gostaria de ajudá-lo a dar um jeito no seu cabelo que, deculpe a franqueza, esta sempre um horror.

  118. Cássio

    Gerald,

    Boa noite!

    Você é feliz e talvez ainda não saiba. Acredite: eu tenho um amigo gay homofóbico!! E mais: declaradamente hipócrita!! Quer mais que isso? Abraços.Cássio.

  119. Tene Cheba

    Idéias, discuti-las apaixonadamente, trata-se de um bom exercício intelectual, inferir é uma arte que só os gênios detém, sem desdém para com ninguém. A famosa dialética, a doce contraposição, o escárnio, a política, o plebeu, a filosofia, a filologia, todas as sínteses do homem moderno. Desde o imenso orgasmo dos anos sessenta, até a depressão pós coito dos anos setenta, e depois veio o grande hiato cultural, pintou a music disc, ou a discoteca, mas precisamente, a gênesis dos mauricinhos depilados. MPB, quase que desapareceu, Rock, naqueles idos, somente nas freqüencias heróicas e já extintas, Rádio Fluminense FM, ou um pouco de Jazz e Blues na Jornal do Brasil FM, claro. Era a rebordoza do porre de ditadura que tomávamos. Entretanto, a tampa da panela de pressão dava sinais de que iria explodir. em um contraponto, surge o carnaval de Joãosinho Trinta, talvez a fase mais fecunda da história do carnaval carioca, tendo como ponto máximo o enredo “Ratos, Urubus e mendingos, rasguem suas fantasias”, uma pintura, para quem gosta, lógico. Mas foi-se o tempo, e tudo passou, o Rio ficou caricatural, e a, o(?) Lacraia vingou, ficamos mais dengosos, mais blasé. A filosofia política perdeu a dialética, a graça, e os frutos azedaram, o feudalismo voltou, e o Bispo triunfou. Pobre de ti, Corcovado, que corre o risco de ser tombado, com trocadilhos. Detesto, odeio telemarketing, odeio que me liguem, odeio contatos infrutíferos, odeio que pertubem o meu rancor.

  120. patricia

    Olha uma vez eu estava comentando esse assunto com um amigo, ele me disse então: isso eu não comento porque não interessa o que ele faz, isso é uma invasão de privacidade, a partir daí entendi uma coisa, falar da pessoa por uma afinidade que ela tenha é ridículo, mas pelo simples motivo de quendo vc fala na verdade estás querendo que o outro faça aquilo que voce acha certo, ora, isso é o mesmo que dizer pra mim “olha como vc é mulher, tem que usar salto alto), e aí? ou o mesmo que, vc tem que gostar mais de uma coisa que de outra, isso quem define é cada um, e falar sobre fulano ou fulana ser ou nao ser, se está certo ou não, é o mesmo que discutir o sexo dos anjos… enfim, há no mundo mais homofóbicos do que se pode suportar, mas um dia eles e elas aprendem.

  121. João Segundo

    Gerald, gostaria mesmo é que o Paulo Henrique Amorim estivesse entre os entrevistadores do Caio.

    Creio que o anonimato seja uma posição de poder como qualquer outra. Muitas das pessoas, quando têm poder, revelam seus desejos mais sórdidos, maltratando, pisando, humilhando, desprezando e aniquilando qualquer possibilidade de humanidade nas relações humanas. Não é diferente a situação do anonimato, que é o poder de quem não tem acesso ao poder pela via do (perdoe a cacofonia, ou califonia…) prestígio, dinheiro, cargo, renome, etc.

  122. Na minha opinião,
    Essa conversa multipla nao está passando de uma discussão não sobre o assunto levantado no post e sim do que se publica como comentários, ressalto a importância da coerência e se discutir o assunto proposto e nao o que suscita da inconformidade do assunto.
    Ressalto ainda que nao sou culto, nem tampouco uma bicha, e nao acredito nos conceitos das partes oponentes em discussão.
    Acredito sim que exposição gera tumultos, Jesus Cristo, uma figura multiplamente conhecida e admirada no mundo sendo um exemplo pra todos, ainda assim tem até aos dias atuais controversias, e quem discute suas palavras, agora penso…
    Quem é Gerald Thomas pra negar um apelo, de quem nao tem o que discutir…
    Acredito que podemos sim discutir assuntos levantados pela mente humana, mas nunca a pessoa em si, pra mim todo mundo tem defeitos e pra os outros eu posso ser o defeito.
    Por isso nao aceito que julguem o POST’er e sim seus pensamentos.
    Se ele é aquilo que julgam que por eu ser educado nao direi., mas que é de baixo calão. O problema é dele e nao diz respeito a ninguem. Outro ponto que é inaceitável nao respeitar a opinião publica , sendo que se é publico.

    Digo e afirmo com o Diz meu mestre e mentor:
    Nelson Luiz de Carvalho, autr de :
    *O terceiro travesseiro e,
    *apartamento 41

    “O inferno são os outros”
    Obrigado pelo espaço
    E discutir assuntos e post nao é loucura
    é mentalidade!
    Dignidade jah

  123. Ana

    André: tudo tem sua ação & reação.

    Supondo, veja bem, supondo, afinal o pensamento é interessante por isso: caso Deus estivesse se psicanalisando num divã cósmico, e sendo nós as suas neuras, vc já parou para pensar no papel do vilão? É o pior de todos… Quem encara nascer vilão?

  124. Ana

    João Segundo, o anonimato só confere poder, se o atingido permitir.

    POR FAVOR, ALGUÉM: MODERE OS COMENTÁRIOS.

    Concordo com a Sandra lá em 21/07/2008 – 19:24.

    Sandra, que bom que apareceu!!!

    e Eudes, meu deus, menino, eu não fiz provocação… foi mais ironia e brincadeira!

    o comentário que vc deixou no meu blog não faz/ fez o menor sentido… o que é aquilo?

  125. Bom Ana,
    Vejo no seu “diálogo”,
    Não é o papael de se encarar diante do espelho como vilão, ou vilã.
    E sim se identificar como uma pessoa que faz de si reconhecedora de qualquer visão por parte de terceiros.

    Fico aqui aguardando novos post pra poder discutir
    isso aqui é um paraiso pra quem nao tem com quem conversar.
    muito obrigado por isso

  126. Fernando Rodrigues

    Oi gostei muito do blog, e ñ ligue para os outros viva sua vida, não vida as dos outros, pós é assim, não ligue o que eles falam, apenas coloque uma coisa na cabeça a vida é sua, e ninguém tem direito de entra nela…

    abraço…

  127. Jah vai começar o programa….

  128. Caro Fernando Rodrigues
    Gostei do pensamento….
    Porem será essa a discussão?
    O que fazer?
    Fazer o que?
    Pois fazer?
    Fazer pós?
    Vendo vc escrever me lembrei de um livro que eu li a muito tempo
    “o tempo das perguntas perguntáveis”
    Fará sentido!
    Acho que como o Richard Fonseca disse:
    O que é assunto ou o que faz o assunto?
    o que é opinião e o que faz a opinião!
    Cheguei nisso
    alguem me ajuda???

  129. Fernando Rodrigues

    Caro Diego, me desculpa por deixa vc confuso.

  130. Márcio M

    O ator George Takei (Star Trek) é a primeira bicha interestelar.

  131. Minha gente:

    Vamos tratar esse assunto com mais calma, com mais razão e menos emoção.

    Pergunto aos que estão aqui chocados com as baixarias da internet, solidarios com o Geraldo, porque foi chamado de “viado” :

    Voces, por acaso, assistiram o mesmo Geraldo no Fantástico dizendo que o povo brasileiro é formado de tarados fixados em bundas ?
    Voces viram ? Ficaram chocados também ?

    Voces, por acaso, leram os textos que o Geraldo escreveu atacando a critica teatral Barbara Heliodora ?
    Voces, por acaso, já haviam lido algum comentário mais violento, mais grosseiro, mais desrespeitoso a uma pessoa ?
    Voces leram, ficaram chocados tambem ?

    Voces, por acaso, não acham que é uma grande “baixaria”, alguém subir em um palco e abaixar as calças para ofender uma plateia ?
    Voces se chocaram tambem?

    Voces, por acaso, não leram no post anterior o Geraldo chamando grandes e reconhecidos artistas de idiotas, imbecis ?
    Voces acham que esse é o tratamento que um artista deve dar a outro ?
    Voces se chocaram tambem ?

    Poderia gastar horas de minha vida e da de voces descrevendo as “baixarias” desse senhor, que leio nos jornais. E olha que não tenho nenhum particular interesse na sua pessoa e muito menos em suas atitudes.

    Então pergunto:
    Porque tanto espanto quando alguém que se manifesta com tanta grosseria, é igualmente tratado com grosserias ?

    O seu Geraldo é o “enfant terrible” das socialites. O provocador oficial do sistema. O “vanguardista” de plantão. Portanto tem sempre todo o espaço para agredir pessoas. Estava acostumado com isso. Fez uma grande besteira ao se apresentar na internet. A internet não é lugar para quem só gosta de bater. Graças a Deus. É a maior arma dos homens contra a manipulação de mentes. Falou besteira vai receber resposta imediata. É grosseiro, vai ser tratado com grosseria.

    Porque tanto espanto?

  132. Miryam Baliberdin

    É por tudo isso que a cada dia que passa eu tenho mais vergonha de ser brasileira!
    Povinho aculturado, que se sente no direito de desrespeitar pessoas com tanto talento!
    Que vergonha!

  133. Roberto Luiz Brendin

    Culpa do ig e de outros! Dar espaço a pederastas só poderia dar nisso: baixaria e viadagem. E outros degenerados de plantão defendendo a aberração. É de dar náuseas.

  134. Miryam Baliberdin

    Digo e reafirmo! É por tudo isso que a cada dia que passa eu tenho mais vergonha de ser brasileira! Que pais nojento e podre!
    Povinho aculturado, que se sente no direito de desrespeitar pessoas com tanto talento, mesmo que seja só pra serem viados pervertidos e depravados!
    Que vergonha!
    Vou é para a Espanha, lá inclusive estão pagando mais…

  135. Figa

    Geraldão, meu filho: deu, levou. É a regra.

  136. Coringa

    ENTÃO, VOCÊS SE ACHAM MUITO INTELIGENTES, NÃO É MESMO?!!?

    AHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHHAHAHAHHAAHAHAHAHAHAHAH

    HHAHHAHAHHAHAHAHAHAHHHAHAHAHAHAHAHHAAHHAHAHHAHAHAHA

    HHAHHAHAHAHAHAHAHAHHAAHHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA

    HAHAHAHHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHHAAHHAHAHAHAHAHHAHAHAHAA

    HAHAHAHHAHAHAHHAHAHAHHAHAHHAHAHHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAH

    HAHAHAHHAHAHAHAHAHHAHAHHAHAHAHAHHAHAHAHAHAHAHHAHAHAHAHAHA

    HAHAHAHHAHAHAHAHAHAHHAHAHAHAHAHAHAHHAHAAHAHHAHAHAHAHHAHAHAH

    HHAHAHAHAHAHAHAHAHHAHAHAHAHAHHAHAHAHAHAHHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAH

    HAHAHAHHAHAHAHAHAHHAHAHAHAHAHAHAHAHHAHAHAHAHHAHAHAHAHAHAHAHAH

    HAHHAHAHAHHAHAHAHHAHAHAHAHHHHAHAHHAHAHAHAHHAHAHAHAHAHHAHAHAHAAH

    HAHAHAHAHHAHHAHAHAHAHAHHAHAHAHAHAHHAHAHAHAHAHHAHAHAHAHAHAHHAHAHAH

    HAHAHAHAHAHHAHAHAHAHAHAHAHAHHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHHAHAHAHAHAHAHAAH

    HAHAHAHAHAHAHHAHAHAHAHAHAHAHHAHAHAHAHAHAHAHAHHAHAHAHAHAHAHHAAHHAAHAHA

    HAHAHAHAHHAHAHAHAHAHHAHAHAHAHAHAHHAHAHAHAHAHHAHAHAHAHAHAHAHHAHAHAHAHAA

    HAHAHAHAHHAHAHAHAHAHAHAHHAHAHAHAHAHHAHAHAHAHAHHAHAHAHAHAHHAHAHAHAHAHAHA

    HAHAHHAHAHAHAHAHAHHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHHAHAHAHAHAHAHHAHAHHAHAHAHAHAHAHAH

    HAHAHHAHAHAHAHAHAHHAHAHAHAHAHAHAHAHAHHAHAHAHAHAHHAHAHAHAHAHAHAHHAHAHAHAHA

    HAHAHAHAHHAHAHAHAHAHHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHHAHAHAHAHAHAHAHAHAHHAHAHAAHHAAHHA

    HAHAHHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHHAHAHAHHAHAHAHAHHAHAHAHAHAHHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAH

    HAHAHAHAHHAHAHAHAHHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAH

    HAHAHAHAHAHAHAHHAAHAHHAHAHAHHAHAHAHAHHAHAHAHAHAHAHAHA

    HAHAHAHAHHAHAHAHAHAHHAHAHHAHAHAHAHAHAHAHAHAHHAAHHAHAAH

    HAHAHAHAHHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHHAHAHAHAHAHHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHHAHAHAHAHAHAHAHAH

    HAHAHAHAHHAHAHAHHAHAHAHAHAHHAHAHAHAHAHAHAHAHAHHAHAHAHAHAHAHAHHAHHAHAHAHAHAHAHHAAH

    HAHAHAHAHAHAHHAHAHAHAHAHHAHAHAHAHAHHAAHAHHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHHAHAHAHAHA

    HAHAHAHAHAHHAHAHAHAHAHAHAHHAHAHAHAHHAHAHHHAHAHAHAHHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA

    HAHAHAHAHHAHAHHAHHAHAHAAHHAA

  137. Carlos Alberto Ribeiro

    Para que servem as palavras? recorro a Adélia Prado: “uma ocasião meu pai pintou minha casa toda de alaranjado brilhante. Por muito tempo moramos numa casa, como ele mesmo dizia, constantemente amanhecendo”. Não podemos e não devemos ocupar espaços para ressaltar o esperdício que alguns tolos fazem das palavras…como pessoas que não sabem usar as palavras vão se mostrar? Eles que danem com seus palavriados agressivos e pouco produtivos…

  138. Coringa

    AHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHHAHAHAHHAAHAHAHAHAHAHAH

    HHAHHAHAHHAHAHAHAHAHHHAHAHAHAHAHAHHAAHHAHAHHAHAHAHA

    HHAHHAHAHAHAHAHAHAHHAAHHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA

    HAHAHAHHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHHAAHHAHAHAHAHAHHAHAHAHAA

    HAHAHAHHAHAHAHHAHAHAHHAHAHHAHAHHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAH

    HAHAHAHHAHAHAHAHAHHAHAHHAHAHAHAHHAHAHAHAHAHAHHAHAHAHAHAHA

    HAHAHAHHAHAHAHAHAHAHHAHAHAHAHAHAHAHHAHAAHAHHAHAHAHAHHAHAHAH

  139. Ana

    Brilhante a entrevista com Caio Túlio! Foi apaixonante e recompensador perceber que existem profissionais com seriedade, ética, competência e preocupação com o que é o principal no jornalismo, além da informação pura e simples, mas que, parece, não foi o foco da conversa, que é a formação de opinião. Em todo caso: se há preocupação com a informação, há também com a formação de opinião.

    Acho que era isso que a Lilian queria dizer: como fica o jornalista, que a rigor, é também um formador de opinião, diante do merchandising?

    No caso, usando a pessoa dele, como compreendi, como fiança. Abominável, claro.

    Mas faltou falar da questão de formação de opinião, ética e séria, de forma mais direta.

    Não é sempre que ao informar, o jornalismo, cumpre o papel de agente formador de opiniões, mas existe o seu avesso (muitas vezes grotesco) que é o exemplo citado: caso de Isabella Nardoni.

    Vou pensar sobre mais coisas, e comento.

    GERALD, SEU COMENTÁRIO LÁ FOCANDO O PROBLEMA PELO QUAL O BLOG PASSA AGORA, BEM LEGAL!

  140. Valéria

    Puxa, não vi o programa, mas acho que reprisa num outro dia, né? Acho que num horário mais tarde, não sei o dia… Quem souber…

    Ana, morri de rir com os seus primeiros e múltiplos comentários, vc querendo dizer e não conseguindo, nesta tentativa incessante! E eu já tentei voltar ao seu blog algumas vezes e não consegui, diz que tá em trânsito, em construção ou sai do ar…
    E o Eudes? Espero que ele tenha desfeito a confusão!

    A Sandra falou uma coisa que me fez pensar: que aqui é meio que a casa do Gerald. Pois é, no outro blog tinha o dedo do moderador pra não deixar passar reações muito alteradas e sem nada a ver com nada. O que era bom, porque muitos comentários agressivos e sem sentido um depois do outro, seguidamente, congestionando o blog, fica muito chato pra ler! É exaustivo!

    Deu um tédio danado, uma tristeza e raiva infinitas ter que ler ou ter que passar por cima, mesmo que rapidamente, por todas aquelas ofensas atééééé que entrasse algum comentário que valesse a pena.

    Não que tenha que ter somente textos que concordem, sempre tiveram comentários irados contra o Gerald, contrários, críticos, pesados, desviados, engraçados etc , o que é e era ótimo!

    mas pra que ter estes que não têm nada além de ofensa vulgar e banal, nada criativos (no mínimo!) e que só ocupam espaço adiando comentários de pessoas que querem trocar???

    Teve alguém aí em cima, por ex., que disse que a palavra homofobia foi inventada pelos homossexuais, e que eles são a depravação etc. Ótimo, ele deu sua opinião e pronto; li pra conhecê-lo e pronto, não me senti agredida nem raivosa, mesmo que discorde totalmente dele. Minto,ele falou que respeitaria as pessoas, acho que por ser cristão, não me lembro mais o motivo, sorry.

    E eu daria razão, concordaria com algumas coisas escritas pelo Antônio ( o q discutiu sobre o mérito ou não do Portinari etc), mas só que vc, Antônio, insiste em só provocar, e tá mantendo uma atitude que me passa como superior, sei lá, dizendo ‘menos’ etc.

    Ninguém é perfeito, logo o Gerald não é perfeito graças às luas dos céus, mas, Antônio, se vc foi amigo do Victor, com ou sem ‘c’, e falou que ele jamais reagiria de tal e tal maneira, por que não seguir este exemplo que vc admirou no seu amigo? ou pelo menos levar em conta? Venha pro debate, discorde do Gerald, mas pra que ficar metendo o dedo no nariz aerodinâmico dele? Puxa, aquele nariz é pra voar alto… Fale do que vc gosta e do que não, do que discorda radicalmente ou não, e pronto! Querer ser o vencedor em debate, em discussões, em gostos, em maneiras de ver a vida pra quê? Se é um debate, qual é a intenção? Convencer ou ver/conhecer os motivos do outro? ganhar com argumentos melhores e sentir-se por cima? E será que os argumentos vão mudar o gosto do o outro? E desse jeito? Pra quê? salvar ou defender uma vida? desabafar, jogar a raiva pra fora? Colocar alguém contra algúem?

    Eu sinceramente não consigo ver sentido nisso, desculpe-me. Qual o sentido disso? Sei lá, vai ver que é assim mesmo que se tem que viver a vida, mas sei lá, isso é tristíssimo e tenho a impressão que não leva a nada. Mas vai saber!

    Não tenho certeza, mas talvez vocês dois possam ter alguma afinidade (nem que seja só o Victor) em algum ponto distante qualquer ou não, porque isso não interessa, mas pelo menos nós, que estamos aqui lendo tudo e todos, poderemos ganhar um pouquinho com vocês!

    E, Antônio, sinto informar (não venha brigar comigo que não vai ter!) mas eu amo o Caetano: letras, voz, interpretação, algumas idéias e opiniões. Sem falar no Gerald, claro! Eu amo tanto a sua delicadeza (essa vc não vai acreditar, né Antônio? mas sim, pasme, ele é delicado e afetivo; como todos nós, ele é complexo, ambíguo, e imprevisível) quanto o seu humor, seu trabalho e visão artística.

    inté!

  141. D.C

    Gerald, andei fazendo uma pesquisa no google para faculdade e quando digitei meu nome vi um comentario meu que fiz no seu blog em 2007. Não me surpreendeu até entender como ele soa estúpido quando o vi novamente. A pergunta era sobre o cpt e sua possivel entrada. Era completamente inocente de quem era fã dos dois (continuo sendo ). Antes de entrar no cptzinho eu tinha a curiosidade pois um professor da faculdade comentou algo a respeito e acreditei. Para mim, na época, o cpt, vc o antunes etc.. eram mitos ( fora da minha realidade) e que tudo era possível, pois não tinha noção de nada ( se é que tenho hje,rs). Peço que gentilmente remova-o! O problema não é o comentario em si, é que aparece nas páginas de pesquisa da google e tenho medo que alguem leia ( me constrange ).

    Peço desculpas à bobagem e agradeço a compreensão.

    é o primeiro comentario do dia 10/08/07.

    Um grande Abraço de seu fiel leitor e fã,
    D.C

  142. Marden Bretas

    A baderna homofóbica começou por causa de uma abordagem,vamos dizer assim,pessimista em relação à arte moderna:Duchamp e o fim da arte.Qual é o fundo disto e que leitura minuciosa,nas entrelinhas,podemos tirar desse fato.Ora bolas!Existem centenas de homofóbicos com ilustrações de obras de Duchamp penduradas na parede do quarto ou gente apaixonada pelas instalações,happenings e outras manifestações modernas a ponto de perder as estribeiras e partir para a baixaria!

    Pessoalmente,talvez com um pouco de ingenuidade oscilante na cabeça,eu não acredito no fim da arte.Não sei se o Gerald coloca no quesito arte todas as variantes artísticas,ou seja,literatura,teatro,poesia.O que perturba a vanguarda de hoje,talvez,seja seu rodopio permanente,sempre no mesmo paradigma.Realmente,não há avanço.Se,ao analisar uma pintura de Picasso,podemos enxergar a influência de Cézanne,é fácil perceber,além disso,o avanço,o passo a frente.E o teatro,hoje,querendo ser vanguarda,não consegue sair do paradigma Gerald Thomas.É difícil superar os grandes modelos.

    Os trombadinhas da internet fazem barulho,tiram qualquer um do sério.Eu,da minha parte,acho até positivo como termômetro,como pesquisa instantânea:num passe de mágica,descobrimos ,com uma porcentagem quase precisa,o que anda pensando a imbecilidade coletiva.

    Hoje de tarde,lendo os comentários,de certa forma mais comedidos,fiquei perplexo que alguns tinham um texto articulado,com redação pronta e tudo.Um certo André,por exemplo,fez um verdadeiro manifesto de intolerância,de aberta burrice e espírito tacanho,mas num argumento razoavelmente bem escrito,claro,transparente em sua miopia.O sujeito teve a cara de pau de defender Hitler,de relativizar a barbárie do holocausto.

    Teve gente que lembrou do episódio da bunda na encenação do Tristão e Isolda e,portanto,tudo era válido,a língua podia andar solta e sem réplica.Até onde eu sei,o Gerald Thomas só arriou as calças,num gesto reativo a um punhado de frases racistas,antijudáicas e tal,por um bando de wagnerianos nazistas.Eu que descobri a possibilidade da beleza na música ao ouvir essa ópera,há bem mais de dez anos,na Rádio Mec,só posso sentir repugnância de quem é capaz de defender grupinhos nazistas e,ao mesmo tempo,de colocar o Liebestod no aparelho de som.Obviamente,conheço as posições antisemitas de Wagner,do Terceiro Reich,etc.

    Eu queria deixar de lado,mas vou comentar.Um senhor chamado Jorge Schweitzer,de quem conheço pouco,devo admitir(tem um site e faz entrevistas num táxi),no período da tarde,de vez em quando vinha censurar as citações e ainda terminou dizendo:”Vou continuar monitorando os citadores de filósofos,poetas e presidentes”.Não sei qual foi a intenção do senhor Jorge Schweitzer;positiva ou não,o que está por trás dela é de uma arrogância,de uma pretensão!Eu tenho por postura ética não ofender ninguém,mas qual foi o documento ou qual cartório estatal que ele deixou a assinatura de detentor do saber?Eu não gosto dessa idéia de cultura compartimentada,enclausurada,uma entidade para pouquíssimos.Será que não passa no cérebro desse senhor que alguém leia Nietzsche,tenha um livro de poemas como referência?Sinto muito,meu senhor,mas vou continuar citando os filósofos,os músicos,os poetas,os romancistas e o que me der na telha.

    Gerald,obrigado pelas palavras de outro dia.Depois do último comentário,eu tinha largado o computador e tinha ido por meu quarto pegar o livro e prosseguir na leitura da véspera.Estou no último volume do Em Busca do Tempo Perdido.É a minha paixão do momento,fazendo do meu próprio tempo um prisioneiro contínuo.Só no outro dia li sua resposta:fiquei sinceramente emocionado.Por favor,não vai acabar com um blog tão crítico e diferenciado só por causa de uns recalcados e de gente com titica na cabeça.

  143. Gustavo

    uma questão de ordem seria: que se fodam os avessos, recalcados e mal comidos!

  144. Sabe, Gérald…?!..São tãntos “comentários”, de “todo” tipo que acabo meio que brochando de fazer o meu..!A audiência aqui no IG aumentou bem, mas o níver deu uma baixada, né!..Quanto as bichas NAZISTAS que entram aqui prá chingar, acho que você tem é que tirar uma da CARA délas, entende..! e depois ignorá-las..!..Gérald, e a respeito do “róda viva”, a famigerada tv “cultura”, é um parque JURÁSSICO da tucanalha paulista..!Esse “GALÔ de trem fãntasma que é o Paulo markun, quando “assumiu”a presidência, BOTOU NA RUA mais de 80 funcionários, SÓ prá mostrar serviço. E tudo gente que precisava, gente DE BAIXO, pois a CANALHADA tucana dos cargos MELHÓRES, ficaram todos. O “róda viva” é um PULEIRO dos “jornalistas” do PIG. paulista e o Caio tartufo cósta, aquele que LIMOU o Paulo Henrique Amorim aqui do IG, é TÃO ORDINÁRIO quanto o FUINHA frias filho..!Eles são FUINHAS do mesmo saco!
    Não sabia que você éra tão amigo dele assim, mãns tiudju bem, né.!E o que mais tem néssa USP, É FILHO da PUTA defendendo TÉSE SOBRE ÉTICA!…(desculpe o palavrão..!)..bom, digo tudo isso por que infelismente SOU PAULISTA, o estado dos OPORTUNISTAS e não das oportunidades.

  145. André

    Ta ficando chato isso aqui.

    Gay apoiando o homossexualismo é pleonasmo!
    hahahaha

    É o mesmo que perguntar o que acham os macacos das bananas.
    hahahaha

    Poupe espaço, todos sabemos que vocês gays adoram o homossexualismo sobre todas as coisas. ¬¬

  146. Valeria:

    Ja que voce resolveu me dar uns conselhos, vou tentar com todo o respeito lhe responder:

    1. Como pode haver debate com alguem que começa classificando os envolvidos no assunto de “imbecis”, “idiotas” ? Debate sobre “imbecis” ?

    2. Voce me diz para seguir as atitudes do meu amigo Vitor (com c ou sem c ). Diz isso porque não o conheceu, ou eu não me expressei bem. Ele jamais classificaria um artista da importancia do Henry Moore como um imbecil. Agora certamente iria chamar de um grande imbecil quem o fizesse. Eu fui ate delicado, não copiei as atitudes do meu amigo,como voce me propõe. Não chamei o nosso “vanguardista” de “imbecil” e muito menos de “viado”. Não faz o meu estilo. Apenas disse que ele fala coisas cretinas, que infelizmente poucos respondem. Como falta boa informação nesse pais, muitas pessoas acabam achando que aquilo que foi dito sem resposta esta certo. Alguem tem que interferir. Alias, preferiria estar gastando meu tempo em coisas melhores do que estar retrucando as ideias horrorosas desse senhor.

    3. Voce diz que nas minhas afirmações tomo um “ar superior”. Valeria, acho que voce trocou as bolas. Superior é quem chama artistas como Henry Moore, Brecheret, Portinari de “idiotas”, “imbecis”, quem tem a prepotencia de decretar “o fim da arte”. Eu apenas fiz o que muitos deveriam estar fazendo: respondendo com veemencia tanta arrogancia e falta de respeito.

    4. Voce me propõe descobrir alguma afinidade com esse senhor. Vai ser dificil. Tenho horror a “artistas” que não respeitam artistas. Duvido ate que o sejam. Tenho horror a esse “vanguardismo” de botequim, de admiradores de Andy Warhol, e outras babaquices do genero. Tenho horror a esse “vanguardismo” de fachada, na verdade um modismo fora de moda, para enganar ingenuos. Nada mais que truques antigos e surrados.

    5. Quanto a sua adoração pela musica e ideias do Caetano, pode adora-lo a vontade, escuta-lo a exaustão. Não vou gastar o seu o tempo para aconselha-la a escutar a Rosa Passos, o Egberto Gismonti, a Abbey Lincoln ou outro musico qualquer. As ideias do cantor baiano, voce como grande admiradora deve saber, são bem parecidas com as do “vanguardista” do teatro. Faça voce mesmo suas escolhas.

  147. bolinha

    você me faz rir…

  148. bone

    Interessante o seu blog.Mas gostaria de saber se você escreve só direcionado aos homossexuais ou à qualquer internauta,se for a primeira além do incentivo, também a moral deve estar presente na vida de qualquer cidadão.E se for a segunda,expressar que ninguém é igual a ninguém.Pergunta:Será que é homofobia tanto da minha parte como da minha família abandonar um dia de diversão em uma praia pela presença de dois gays se lambuzando em orgias na presença de várias crianças? Será que os gays é que tem preconceito contra as pessoas que segue a natureza dos normais

  149. Gilberto Magalhães

    Eu não pude assistir ao Roda Viva; que pena. Mas andei lendo a resenha do Gerald Thomas e seu amigo. Eu, particularmente, o admiro por sua inteligência e quebra de paradigmas ortodoxos, mas por outro lado, discordo de muitas coisas que ele profere como achar Portinari uma porcaria, por exemplo e algumas posições, digamos, nada ‘ortodoxas’. É claro que as pessoas são diferentes – devemos quardar nossas opiniões sem faltar com o respeito.
    Só acho que por ter posições extremas, Gerald acaba ‘vítima’ de seu próprio pensamento frente a uma sociedade conservadora e aparentemente normal. É o risco da diferença e adversidade – paciência!
    Em relação ao homosexualismo, penso que, apesar de ser algo ‘normal’ em muitas sociedades mundo afora, não pode ser visto como um fato comum, mas uma exceção da regra: homem tem que gostar de mulher e vice-versa. Agora, não consigo considerar que um homem beijando e penetrando o outro seja algo ‘normal’, eu sinceramente não consigo ver desta forma. Mas se isto é fato, nós devemos respeitar – por mais diferente que possa parecer. O respeito pela figura humana deve prevalecer acima de tudo – de gênero e de credo religioso, apesar da delicadeza da questão!
    Pra fechar – ser normal é normal.

  150. Valéria

    Antônio, que bom que me respondeu.

    Na verdade, não era nem conselho nem em ‘defesa’ do Gerald. Talvez em minha defesa, da vontade de ver pessoas se revendo etc. Os encontros são sempre muito emocionantes pra mim e já tiva a oportunidade de presenciar alguns. E a tentativa de ouvir ou entender o outro me fascina sempre.

    E eu amo Gismonti. Aliás, sábado tava tentando achar os outros discos dele, só que em cd. O único que existe é o que ele brinca com Villa-Lobos. O resto tem que importar. Eu tenho alguns em disco. Não sei se viu no Canal Brasil uma entrevista com ele, mas eu só consegui ver a primeira parte, isso foi dividido em dois dias. Os outros dois artistas que comentou, não posso dizer nada, pois nem mesmo sei se conheço, às vezes ouço mas não ligo tico e teco, um horror… E devo confessar que não conheço muito de nada, isso dá até angústia, mas vai ser assim até o fim da vida, pois não tem como dar conta de tudo, então vou em passos de bebê.

    Talvez vc não tenha lido meu big texto anterior ao que escrevi pra vc. Lá eu falei que não gosto de adjetivos desqualificantes de ninguém, e o Gerald não é isento do meu não gostar. Agora, se ele continua a fazer, o que posso fazer? Só dizer que isso não tem nada a ver comigo. E ele pode até me achar uma tola etc em muitos momentos, mas o que posso fazer? Nada.

    Eu nasci e vivi debaixo de um teto em que os dedos na cara, os berros e os adjetivos desqualificantes me faziam tremer e me deixavam muito confusa e mal. A destruição era permanente, mesmo que fosse inconscientemente. E por conta disso jamais fiz o mesmo, se fiz foi em raríssimas exceções e logo depois me arrependia amargamente. Este tipo de clima só afasta. Até compreendo que pode ser um desabafo em alguns momentos, ou mesmo uma forma de dar ênfase na ora de opinar, para que a comparação fique gritante etc, mas mesmo assim, se for uma constante, acaba por não se fazer entender sem abrir uma outra via pras pessoas que não tavam pensando por ali. E sim, pessoas são capazes de mudar pessoas, e a forma de agir, dizer, propor etc contam sim.

    Mas o que queria dizer era pra que vc não cristalizasse só neste lado do Gerald, pois ele como todos nós, somos multifacetados. E isso porque vc tá chegando aqui agora. Não sou de fazer isso, muito pelo contrário, raríssimas vezes me meto em defesa ou contra alguém aqui, mas desta vez deu vontade, justamente por conta de uma coisa que o Contrera escreveu.

    Eu mesma já tive época de só ver o Gerald negativamente. Mesmo achando suas peças surpreendentes. Então vi que estava fechada demais e resolvi abrir minhas janelas. E te digo seriamente: ele me surpreendeu e me afetou. Agora, ele não é perfeito, nem eu.

    Bom, seria até um tema interessante, pessoas que a gente não gostava muito e passou a admirar, ou esta forma cristalizada de as pessoas se relacionarem, sempre na agressão e na redução etc. Mas, enfim sem fim, fiquemos por aqui porque já se abriu outro post, vamos lá pra cima! E nós nos deviamos do assunto deste post, apesar de estarmos discutindo a forma como foi construída o comentário do Gerald, e por conseguinte a sua.

    E se ele ‘decretou’ a morte da arte, isso foi por conta de um certo prisma que acho mais complexo discutir aqui, mas ele tem toda a liberdade e maturidade de pensar a arte pelos olhos dele. E de vc discordar ou não. Ou querer entender mais profundamente por que ele pensa assim etc.
    E o Contrera colocou no post anterior, acho que logo depois de um comentário seu, umas questões bem interessantes sobre isso.

    inté!

  151. Valéria

    ih, quanto errinho… mas dois gostaria de corrigir para que se entenda melhor:

    “… de dar ênfase na HORA de opinar…”

    “…acaba por não se fazer entender NEM conseguir abrir uma outra via…”

    o resto deixa pra lá!

  152. Contrera

    valeria, querida
    nao tenho agora como ler com cuidado o que vc escreveu aqui. estou fora de casa e sem muito tempo e com muita fome.
    mas achei lindo esse negocio de ter te motivado a escrever.
    agora preciso ir, mas te respondo com mais calma depois, ok.
    por enquanto um beijao.
    contrera

  153. Vanessa

    Vc não respondeu…. fique a vontade.

  154. Contrera

    G: deixa a vanessa dar um jeito no teu cabelo, vai!
    até por que na íntegra vc não tem jeito! nem eu! ahahahah

  155. Gerald: Acho voce um cara realmente inteligente, culto acima da média, rápido, sarcástico quando deve ser, mordaz idem, com mais acertos do que erros em suas provocações e uma qualidade rara que acho formidável, em se tratando do ser humano – “não é racista e nem preconceituoso”.- Poucas pessoas entenderam o seu recado profundamente político, pacifista, humanista e histórico a respeito do conflito no Oriente médio – Portanto uma pessoa singular e verdadeira. Parabéns porque são poucas personalidades dessa Aldeia Global que se chama Brasil que merecem esse reconhecimento, pois o preço é alto e o fardo bastante pesado.
    Tive uma oportunidade de vê-lo em atuação aqui em Salvador/Ba., no Projeto “Viajando na Cultura” na Petrobrás e gostaria de que suas Produçoes Culturais chegasse na nossa terra para deleite e questionamento dos baianos.
    Vida longa para voce, seu amor e dedicaçãos às artes e particularmente ao Teatro.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s