cade o meu texto sobre

o Calvin Tomkins e o Ahead of the Game e o pessoal do Black (ou sera BLUE) Mountain College e

Duchamp

Rauschemberg

Cage

Jean Tinguely

…que estava aqui antes? e que eu havia escrito….tipo (the Bride Stripped Bare by the Bachelors Even?)….isso do Duchamp, obviamente mas em homenagem a morte de Robert Rauschenberg que eu conectava com o Jasper Johns cuja `greys`eu havia visto no Metroplitan Museum ha pouco e me havia sufocado…e a cama de Raush me pareceu tao pequena (no Moma) que me deixou sem palavras (…)

esse texto estava acima do texto do NY Times que vcs leem embaixo dos jornais do SUL

LOVE
Gerald


Vamp me ajuda a corrigir a diferenca entre o que eu Digo e o que eu penso (a questao de Israel: sua existencia ou nao! SOU JUDEU gente) e isso precisa ser entendido pela plateia de Porto Alegre que ficou FURIOSA comigo quando fiz uns comentarios sobre a existencia do estado de Israel COMO UMA PIADA (a mesma que faco no espetaculo Terra em Transito): as pessoas nao entendem que somos uma CARICATURA em CENA. Nao somos politicos, nao fomos eleitos com dinheiro do POVO. Temos todo o DIREITO de PROVOCAR!!!!!!!!
LOVE
G

É mesmo, o texto sumiu! Nem havia lido ainda… Bom, não tem nada a ver com o texto em questão, mas peço licença para algo que achei interessante: Na página da "Veja" tem um tal de "politicômetro". Você responde a 20 perguntas e o "politicômetro" lhe classifica como de esquerda, direita, liberal, conservador, etc… Interessante. Eu? Claro que fiz o teste: "Direita moderada liberal". Quase uma msitura de McCain com Obama, he, he… Uma Hillary? Credo!
O Vampiro de Curitiba

sim, gerald, o teatro hoje agrada mesmo a classes médias em ascensão (ou em simplesmente começo de existência). mas, e daí? é por isso que vc, criadores sérios, atores e lacaios precisam postar-se como prostitutas prontas ao que der e vier? sim, o papel de todos nós é – até certo ponto – trazer à tona a fragilidade de nossa condição e nossa hipocrisia. mas pela arte, meus caros, pela arte. quando criadores sérios se perdem em egocentrismos é muito mau sinal que passam a todos: que os artistas, nem estes, levam seus dignos trabalhos a sério. que nem fazem merecer a pecha de precursores da mudança. eu mesmo nem acredito nisto, a bem da verdade. mas pelo menos é algo. agora os artistas são imbecis, então? não me venha com essa. eu tive que desagradar amigos, dispensando-os, por eles mesmos desmerecerem o trabalho que desenvolvo e dos que me acompanham. pois é: cada um que vista sua carapuça, então. você é um criador realmente digno, meu caro. mas parece esquecer-se disso e age como NIñO.
Contrera

[Márcio West] [Porto Alegre!]
Bah Gerald, tenho só é que lamentar pela perda do tempo que tivemos contigo aqui. Não pela tua presença ser a perda de tempo criticada por muitos, mas sim por tua presença, teus pensamentos, tuas idéias e tudo mais não foram totalmente expostos. Queria realmente poder sentar contigo e debater o teatro e as visões e as maneiras e tudo…. durante horas e horas, discuções, que saberiamos, nos deixariam no mesmo lugar e como tu mesmo disesse com tanta coisa acontecendo e nós nem sabemos o que queremos fazer com tanto o que pensar. Sei lá, discuções inúteis foram geradas e coisas foram mal aproveitas. O que valeu? Bom… valeu ter ouvido um pouco de tuas loucuras (até que atrapalhacem com elas) valeu de mais poder apartar tua mão e poder manifestar mesmo o quanto curto e admiro teu trabalho e tuas colocações. Espero que tenhamos mais momentos assim. Abraço, até a próxima. MW (o guri que te pego na saída! hehe)

GT: Marcio West, eh o seguinte: eu lamento igual a vc, pois o meu um dos meus melhores publicos de TEATRO eh o dai, de POA. Sobre a FALTA de debate , pergunte aos organizadores do evento ou ao psicotico anao espanhol. Eu fui pra DEBATER e nao solar. NO minimo, como falei ainda hoje de manha pro Gunter, que colocassem um mediador naquele palco giganteco comigo pra que eu nao deparasse com a minha propria imagem projetada o tempo todo. Tenho ego sim, mas nao tanto e nao nesse momento da minha vida.
LOVE
G

do Carlos (que la embaixo provoca o Vamp, mas estou comecando a desconfiar que sao a mesma pessoa…hmmmm os dois sao bracos direitos de Fernando Arrabal e moram no Marrocos!)
Valéria: pois é, todo esse movimento da pop-Art está mais presente no nosso dia a dia do que imaginamos. A pop-Art incomoda, perturba mais do que tudo que veio antes, justamente porque tem essa coisa da massa, do cotidiano, do que está próximo…enfim, o Gerald ainda vai escrever sobre esses caras. Eu conheço só a superfície disso. Sei que o Jasper Johns é um virtuoso, tem uma obra gigantesca. Não creio que fosse o caso do Rauschenberg. E saber que os caras eram uma reação a figuras como Pollock, por exemplo.
Carlos

Eu tb tava lá. Valeu Gerald, vai em frente. Acho que ninguem ta explicandobem a reaçao: ouve as duas coisas, vias e aplausos! Na verdade nos sentimos meio idiotas por estar sentados naquele lugar à espera de naoseioque…quando nos vimos no espelho nos apavoramos…Aquilo (sei la como chamar ao que tu fez) nos fez pensar sobre as milhoes de vezes que repetimos essa situaçao…e a fala do Arrabal, pelamordedeus, alguem me pode explicar o que foi aquilo? ate agora n tou acreditando as risadas que o público dava com piadas de quarta
Lia

ALE, como assim "realmente lamentável" a pergunta sobre arte? A pergunta era sobre a visão de Gerald Thomas sobre arte e que papel ele (e não outra pessoa) vê (ou via) nela. Detalhe, o tema do evento é: "A Arte e a linguagem na cultura contemporânea". Qualquer um podia perguntar, eu perguntei. Você não voltou a política porque não quis. A mulher que fez a terceira e última pergunta também perguntou, não ficou calada. Concordo com Lelena, não gostei da conferência de Arrabal.
juliano | bufao

ISRAEL, SIM OU NAO?

[O Vampiro de Curitiba]
Eu já disse aqui, no caso me referia à Ana Carolina, que sempre bricamos com pessoas das quais gostamos. Um dos motivos pelos quais eu gosto do povo gaucho é sua valentia. O gaucho é conhecido por ser um povo aguerrido, e isso me fascina. Ficaram bravos com o Gerald por ter ele feito comentários sobre o Estado de Israel. Olhem aqui: Gerald teve quase que a totalidade de sua familia morta em campos de concentração. Sim, eram judeus que morreram nas mãos dos nazistas. Gerald é judeu! Eu também! O que Gerald disse em Porto Alegre, assim como diz em sua peça "Terra em Trânsito", é que existe uma minoria de israelenses que quer transformar tudo em "indústria do holocausto", abusando do vitimismo, que acaba provocando apenas mais ódio contra o próprio povo judeu. É o mesmo caso do muçulmano que critica o terrorismo islâmico por entender que isso só aumenta o preconceito contra os muçulmanos. Chega de terrorismo, chega de "indústria do Holocausto"! É isso o que Gerald pensa.
E como o Gerald vai abordar esses assuntos? Fazendo leis? Óbvio que não. Gerald não é um legislador, é um artista. Aborda esses e outros tantos assuntos polêmicos com a arte, com a provocação. O papel do artista, na minha opinião, é justamente este: Fazer com que pensemos. Polemizar, mas não só para fazer barulho, para aparecer, como queria o Arrabal. Polemizar significa fazer com que nossas idéias se choquem com idéias novas. É fazer com que a platéia veja o mesmo objeto mas com visões de vários ângulos. É conflitar o senso comum com a realidade objetiva. É mostrar todos os lados de qualquer coisa. Foi isto que Gerald Thomas fez ao abordar o Estado de Israel. Mesmo sendo judeu. E é por isso que Gerald publica os comentários mais raivosos no seu blog, mesmo que sejam contrários a ele próprio.

[Carlos, El Padre] [NY]
ATENÇÃO: foi interceptada uma mensagem na blogosfera. Trata-se de um caso de ciúmes extremo. Os protagonistas? Reinaldo Azevedo, ao saber da briga entre Gerald Thomas e Fernando Arrabal, descabelou-se todo e saiu pelas ruas gritando: "o Gerald é meu!!". Os blogueiros aqui presentes foram testemunhas do caso de amor entre Gerald e Reinaldo. Uma história que começou com tapas e terminou aos beijos. Pois agora a boca pequena declara que Fernando Arrabal e Gerald Thomas já estavam trocando carícias apaixonadas. Reinaldo Azevedo, ao tomar conhecimento, disse a Gerald que aceitaria até falar bem de Barack Obama em seu famoso blog caso Gerald se dedicasse apenas a ele, Reinaldinho. Gerald, guloso como sempre, deu o veredito final: vai ficar com os dois. E los três "biberam" felices para el siempre!!!!!!!!!

[Mau]
SObre Israel – so fui entender a coisa qdo li "A industria do Holocausto". E lendo Gerald falar sobre isso, parece q to lendo o NOrman Finkelstein sobre as elites judaicas americanas sempre oportunistas – ora pelo esquecimento do holocausto, ora usando nome de Israel pra enriquecer, sempre qdo lhe convem. É um nó sem fim essa coisa…

dp Gerald
Eh OBVIO que terei que escrever algo a respeito. Digo, algo mais profundo do que "sou contra ou sou a favor" pois uma nacao que completou ha pouco 60 anos ….nao pode ser julgada tao facilemente assim. Mas o que eu disse ali naquele palco eh pra ser lido ou ouvido como critica e provocacao de alguem que pega um ponto de fuga e preve reacoes. Nao preve pessoas que levantem e se retirem em covardia. No caso da provovacao, teriamos tido uma discussao interessante: como a da validade dos Kibutz por exemplo. Ou da invalidade do tratamento (eterno) dos palestinos que TODOS os outros povos arabes tambem nao querem em seu own backyard . Teria sido interessante.
Gerald

ainda sobre a repercussao:

de Paulo Faria
Obtusas pela teoria do processo de aprendizado, alguns esperam ter suas idéias e pensamentos solidarizados, sendo parte de conjuntos, incluídos nos contextos de idéias e ideais. São, portando, ovelhas. Prontas para o bom pastor. Não quer crítica¿ Não decepcione. A decepção está no caminho do autoconhecimento, da auto-aceitação e de outros selfknow. Maravilhoso. Maravilhosa decepção. Quantas decepções passam e suportam os pensadores até entender, compreender, acreditar, desacreditar… Aprender. Parece básico saber isso. Quando não se suporta a decepção dá-se um passo atrás, ao passo que, ao confrontá-la somos remetidos a uma condição de desenvolvimento do pensamento para a nossa evolução e, conseqüentemente, para a evolução, harmoniosa ou não, da humanidade. Viva a decepção!
Paulo Faria

Olá pessoas… Bastou ficar fora de circulação por 6 dias e tem uma avalanche de comentários para ler…bacana. Pois é, estive com o GT em Porto Alegre no café da manhã pós-verbal fight. Papo agradável…pena que foi rápido.
Paulão

[KLAUS KURTZ]
I really do think that Mr. Thomaz is great. I admire him for years , he's truly a genius, a fucking genius, indeed , my dear. Well, very likely Porto Alegre is a way too obsolete and conservative for Mr. Thomaz, afterwards, well , he lives in Manhattan. So, about the jews , what's that all about ? Furthermore, jews use to love to play the victim , oh oh poor us , poor us…So, what's the big deal ? Aren't they open to debate ? They're really preposterous… KLAUS KURTZ

do Vamp
Paulão, é que eu tinha que fazer uma média com a gauchada, sacou? Mas vem cá: Eu conhecí algumas gaúchas, conhecí intimamente, se é que você me entende. Êta mulherada brava, tchê!
O Vampiro de Curitiba |

Ciumes (comentario)
Boa aquela foto que mostra Gerald virando a cara para Arrabal. O texto não fala da fofocagem, da ciumeira de Beckett, mas nem precisa, né ?
elida

16 Comments

Filed under Sem categoria

16 responses to “cade o meu texto sobre

  1. sergio

    A cultura portoalegrense é uma coisa idiota e bizarra. Adoram aquela porcaria do Mário Quintana e só falam nisso. Ninguém sabe quem foi Qorpo Santo, Simões Lopes Neto ou Dionélio Machado…acho que o gerald devia ter mostrado a bunda para esta corja de bêbados aculturados….

  2. Paulão] [RS

    Vamp…
    Agora eu entendi. Matou a pau hauhahuauha….concordo plenamente.

  3. Sandra

    Aliás, Gerald, a casca de ninguém é de aço. Essa briga não está indo por um caminho de muita dor?

  4. Sandra

    Carlos, acho que não é o caso. O Reinaldo, como o Gerald, AMA uma briga (VERBAL!!!! EU JÁ SEI QUE VOCÊ É PACIFISTA, GERALD!!!!). O Arrabal tem a casca um pouco fina.

  5. Vera] [POA

    O Poá, é da Ana Peluso, a queridona amiga e sábia Ana. Direito autoral.

  6. O Vampiro de Curitiba

    Paulão, é que eu tinha que fazer uma média com a gauchada, sacou? Mas vem cá: Eu conhecí algumas gaúchas, conhecí intimamente, se é que você me entende. Êta mulherada brava, tchê!

  7. fabio] [são paulo

    …afff, maria, mãe de deus..! Gérald..! Queria tá lá em Porto, prá ver o pau comê!..Porto não, é POÁ, né?…rapaiz..!! sê botô prá quebrá, hêim!..a cidade ficô em polvorósa, Gérald.!..não foi só o público, não..!..daqui a pouco o povo vai te chãmá de Gérald aTHÔMIco…!!

  8. Paulão] [RS

    Olá Vamp
    Moro a pouco mais de um ano e meio aqui em Porto Alegre. Leio e ouço muito a auto-propaganda gaúcha mas também leio e vou atrás do início das coisas (ex.: sempre que discuto a questão do negro, insisto para uma abordagem histórica e não contextual). Vejo essa coisa que você escreveu “…Um dos motivos pelos quais eu gosto do povo gaucho é sua valentia. O gaucho é conhecido por ser um povo aguerrido, e isso me fascina” como um papo furadésimo. Uma mentira repetida mil vezes vira verdade e essa é uma delas assim como um monte mais que eu ouço por aqui (ex.: “nossa cultura é diferente e melhor” “somos o povo mais receptivo do Brasil” “somos os mais politizados”…e por aí vai). Nenhuma dessas crenças resiste a um olhar mais reflexivo e crítico assim como essa de “povo mais aguerrido e etc”. Prá mim o gaúcho é diferente sim, mas nem melhor, nem pior, nem mais aguerrido ou valente do que um nordestino por exemplo…apenas diferente com suas idiossincrasias…como qualquer outro.

  9. Vera] [POÁ

    Volta logo Gerald!LOVE

  10. O Vampiro de Curitiba

    (continuação) E como o Gerald vai abordar esses assuntos? Fazendo leis? Óbvio que não. Gerald não é um legislador, é um artista. Aborda esses e outros tantos assuntos polêmicos com a arte, com a provocação. O papel do artista, na minha opinião, é justamente este: Fazer com que pensemos. Polemizar, mas não só para fazer barulho, para aparecer, como queria o Arrabal. Polemizar significa fazer com que nossas idéias se choquem com idéias novas. É fazer com que a platéia veja o mesmo objeto mas com visões de vários ângulos. É conflitar o senso comum com a realidade objetiva. É mostrar todos os lados de qualquer coisa. Foi isto que Gerald Thomas fez ao abordar o Estado de Israel. Mesmo sendo judeu. E é por isso que Gerald publica os comentários mais raivosos no seu blog, mesmo que sejam contrários a ele próprio.

  11. O Vampiro de Curitiba

    Eu já disse aqui, no caso me referia à Ana Carolina, que sempre bricamos com pessoas das quais gostamos. Um dos motivos pelos quais eu gosto do povo gaucho é sua valentia. O gaucho é conhecido por ser um povo aguerrido, e isso me fascina. Ficaram bravos com o Gerald por ter ele feito comentários sobre o Estado de Israel. Olhem aqui: Gerald teve quase que a totalidade de sua familia morta em campos de concentração. Sim, eram judeus que morreram nas mãos dos nazistas. Gerald é judeu! Eu também! O que Gerald disse em Porto Alegre, assim como diz em sua peça “Terra em Trânsito”, é que existe uma minoria de israelenses que quer transformar tudo em “indústria do holocausto”, abusando do vitimismo, que acaba provocando apenas mais ódio contra o próprio povo judeu. É o mesmo caso do muçulmano que critica o terrorismo islâmico por entender que isso só aumenta o preconceito contra os muçulmanos. Chega de terrorismo, chega de “indústria do Holocausto”! É isso o que Gerald pensa. (continua)

  12. Carlos, El Padre] [NY

    ATENÇÃO: foi interceptada uma mensagem na blogosfera. Trata-se de um caso de ciúmes extremo. Os protagonistas? Reinaldo Azevedo, ao saber da briga entre Gerald Thomas e Fernando Arrabal, descabelou-se todo e saiu pelas ruas gritando: “o Gerald é meu!!”. Os blogueiros aqui presentes foram testemunhas do caso de amor entre Gerald e Reinaldo. Uma história que começou com tapas e terminou aos beijos. Pois agora a boca pequena declara que Fernando Arrabal e Gerald Thomas já estavam trocando carícias apaixonadas. Reinaldo Azevedo, ao tomar conhecimento, disse a Gerald que aceitaria até falar bem de Barack Obama em seu famoso blog caso Gerald se dedicasse apenas a ele, Reinaldinho. Gerald, guloso como sempre, deu o veredito final: vai ficar com os dois. E los três “biberam” felices para el siempre!!!!!!!!!

  13. Mau

    SObre Israel – so fui entender a coisa qdo li “A industria do Holocausto”. E lendo Gerald falar sobre isso, parece q to lendo o NOrman Finkelstein sobre as elites judaicas americanas sempre oportunistas – ora pelo esquecimento do holocausto, ora usando nome de Israel pra enriquecer, sempre qdo lhe convem. É um nó sem fim essa coisa…

  14. Carlos] [NY

    Mas bahhh Gerald, não foi provocação minha não, tchê!! Foi o Vampirito, agora também conhecido como “El franguito d’Arrabal” que copiou minha frase sobre o mau-humor e a derrota e a usou como exemplo dos “ressentidos”. Enfim, o franguito d’Arrabal é assim, de puleiro em puleiro vai tirando tudo do devido contexto. MAS O QUE???? Eu e o Vamp a mesma pessoa???? Bah tchê, o que puseram dentro do teu chimarrão????

  15. Mau

    Lembro das aulas de Historia da Arte na faculdade, eu era novinho e via as apresentaçoes dos caras do modernismo, pos, pop – comentei com professor e professora – os caras fizeram tudo, nao sobrou nada pra gente. Eu ja desconfiava do vazio do seculo XXI. Essa porra de ressonancia que ecoa na mnha cabeça e as vezes acho q as coisas q faço nao tem nada de original. Foda isso…queria opiniao da Ana que é DESIGNER, tbm…vamos debater (na proxima ao inves de chamar o Arrabal, nos chame pro debate) DEBATER É COM NÓIS

  16. O Vampiro de Curitiba

    É mesmo, o texto sumiu! Nem havia lido ainda… Bom, não tem nada a ver com o texto em questão, mas peço licença para algo que achei interessante: Na página da “Veja” tem um tal de “politicômetro”. Você responde a 20 perguntas e o “politicômetro” lhe classifica como de esquerda, direita, liberal, conservador, etc… Interessante. Eu? Claro que fiz o teste: “Direita moderada liberal”. Quase uma msitura de McCain com Obama, he, he… Uma Hillary? Credo!

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s