REPERCUSSÃO

28 Comments

Filed under Sem categoria

28 responses to “REPERCUSSÃO

  1. Sandra

    Por que o Gerald não pode dizer que sua avó é judia, se é verdade? Por mim, ele pode ser cada vez mais bem sucedido, arrogante, feliz, amando e amado por quem, certamente, não acha ele feio.

  2. Romulo ] [Porto Alegre

    Caro Gerald Thomas,
    Porto Alegre é um cu.
    Com certeza tu já sabia disto quando aceitou vir aqui falar no Fronteiras.
    Se tu só vieste falar com a Eva Sopher, o problema é teu.
    Te garanto que ninguém invejou este maravilhoso encontro, do grande saber com o saber eterno.
    Admira-me que um fantástico intelectual como tu, saia de uma metrópole para se meter neste já referido Cu, apenas por alguns trocados, para apresentar toda tua sabedoria a uma platéia de novos ricos e micro celebridades locais.
    Já vieste, já falaste, ou não, porque eu realmente to cagando para isto. Mas parece que toda a pseudo-intelectualidade resolveu ocupar seus espaços na mídia para falar de ti (substituíste o padre voador, a menina Isabela e os travestis do Ronaldo Fenômeno) fazendo com que as poucas pessoas que lêem jornal tenham que saber da tua “palestra”.
    Mas escrevo para te pedir um favor.
    Pare de dizer que tua avó é Judia. Tu já és o estereotipo do judeu feio, bem sucedido e arrogante, que faz quest

  3. elida] [sp

    Boa aquela foto que mostra Gerald virando a cara para Arrabal. O texto não fala da fofocagem, da ciumeira de Beckett, mas nem precisa, né ?

  4. walter] [porto alegre

    Gerald falou que o teatro não serve para nada e que o evento é a internet. Provou sua tese com a palestra de Arrabal, que parecia estar dando uma entrevista para o site Fuxico. Gerald colocou a foto dele com Beckett; Arrabal teria mostrado o priapismo de Picasso se tivesse as devidas imagens sobre o entusiamo sexual do pintor, tranformando-o em candidato in memorian para a capa da G. Não sei se Gerald ouviu a palestra de Arrabal do backstage, mas fica difícil ter saco para qualquer coisa depois de ter que escutar tanta asneira.

  5. Angelo Macedo] [Sampa/Bra

    Gerald, não sinta esse momentos! A sua atuação neste planeta é o que importa!
    Baitabraço.

  6. Paulo Faria] [Guarulhos, SP.

    Obtusas pela teoria do processo de aprendizado, alguns esperam ter suas idéias e pensamentos solidarizados, sendo parte de conjuntos, incluídos nos contextos de idéias e ideais. São, portando, ovelhas. Prontas para o bom pastor. Não quer crítica¿ Não decepcione. A decepção está no caminho do autoconhecimento, da auto-aceitação e de outros selfknow. Maravilhoso. Maravilhosa decepção. Quantas decepções passam e suportam os pensadores até entender, compreender, acreditar, desacreditar… Aprender. Parece básico saber isso. Quando não se suporta a decepção dá-se um passo atrás, ao passo que, ao confrontá-la somos remetidos a uma condição de desenvolvimento do pensamento para a nossa evolução e, conseqüentemente, para a evolução, harmoniosa ou não, da humanidade. Viva a decepção!

  7. Sandra

    Relação professor-aluno é assimétrica. O professor não é o coleguinha. Quem quer realmente aprender tem de abaixar a crista. Vale para Arrabal e Beckett, vale para os irados do RG e Gerald Thomas. Teriam muito a aprender se fossem um pouco mais humildes. Falo de experiência própria.

  8. Sandra

    “Gerald Thomas polemizou, fez caras e bocas e gestos, tocou fogo na discussão sobre arte pós-moderna, enfim, FOI ELE MESMO” Ué, queriam o que?

  9. Lia] [Porto Alegre - RS

    Eu tb tava lá. Valeu Gerald, vai em frente. Acho que ninguem ta explicandobem a reaçao: ouve as duas coisas, vias e aplausos! Na verdade nos sentimos meio idiotas por estar sentados naquele lugar à espera de naoseioque…quando nos vimos no espelho nos apavoramos…Aquilo (sei la como chamar ao que tu fez) nos fez pensar sobre as milhoes de vezes que repetimos essa situaçao…e a fala do Arrabal, pelamordedeus, alguem me pode explicar o que foi aquilo? ate agora n tou acreditando as risadas que o público dava com piadas de quarta

  10. Marcelo Conter] [República dos Pampas

    Fronteiras do pensamento. Eu estive lá para ver gente ultrapassando-as, não para contarem a história do pênis do Picasso.

  11. Sandra

    Tiveram que separar as áreas vips? E vocês nem se conheciam? MUITO LEGAL!!!!

  12. Sandra

    Vocês estavam brigando por Beckett? Para saber quem era o preferido?

  13. Sandra

    Gerald, mas qual o problema de termos a Internet E o teatro?

  14. Contrera

    sim, gerald, o teatro hoje agrada mesmo a classes médias em ascensão (ou em simplesmente começo de existência). mas, e daí? é por isso que vc, criadores sérios, atores e lacaios precisam postar-se como prostitutas prontas ao que der e vier? sim, o papel de todos nós é – até certo ponto – trazer à tona a fragilidade de nossa condição e nossa hipocrisia. mas pela arte, meus caros, pela arte. quando criadores sérios se perdem em egocentrismos é muito mau sinal que passam a todos: que os artistas, nem estes, levam seus dignos trabalhos a sério. que nem fazem merecer a pecha de precursores da mudança. eu mesmo nem acredito nisto, a bem da verdade. mas pelo menos é algo. agora os artistas são imbecis, então? não me venha com essa. eu tive que desagradar amigos, dispensando-os, por eles mesmos desmerecerem o trabalho que desenvolvo e dos que me acompanham. pois é: cada um que vista sua carapuça, então. você é um criador realmente digno, meu caro. mas parece esquecer-se disso e age como NIñO.

  15. Contrera

    hoje, coincidência ou não, reparei, sim, que o teatro vale, sim a pena, mas que nunca muda nem vai mudar nada, e que isso não faz realmente a menor diferença. ou seja, tanto você quanto o arrabal têm, a meu ver, razão, e nem por isso deixam de se postar no mundo como patetas que não fazem por merecer a atenção que granjeiam por aí. imagina, li a entrevista do arrabal ao estadão e não passa de um monte de asneiras, realmente. e não é que ele não percebe o quão datado está, o quanto se remete a apologias de autoridades que não mandam mais nada, o quanto posa de vanguarda sabendo-se vão? é um idiota, que sai por aí vangloriando-se de haver dançado à frente dos reis e rainhas. quando podia simplesmente não bancar o palhaço, ou pelo menos fazê-lo com humildade e carinho. é isso o que falta a vocês: carinho. e é por isso que as pessoas dão as costas a vocês: porque expressam coisas ininteligíveis (à maioria) e inconseqüentes (a alguns) com egos à mostra, apenas. ridículo.

  16. Márcio West] [Porto Alegre!

    Bah Gerald, tenho só é que lamentar pela perda do tempo que tivemos contigo aqui. Não pela tua presença ser a perda de tempo criticada por muitos, mas sim por tua presença, teus pensamentos, tuas idéias e tudo mais não foram totalmente expostos.
    Queria realmente poder sentar contigo e debater o teatro e as visões e as maneiras e tudo…. durante horas e horas, discuções, que saberiamos, nos deixariam no mesmo lugar e como tu mesmo disesse com tanta coisa acontecendo e nós nem sabemos o que queremos fazer com tanto o que pensar.
    Sei lá, discuções inúteis foram geradas e coisas foram mal aproveitas.
    O que valeu? Bom… valeu ter ouvido um pouco de tuas loucuras (até que atrapalhacem com elas) valeu de mais poder apartar tua mão e poder manifestar mesmo o quanto curto e admiro teu trabalho e tuas colocações. Espero que tenhamos mais momentos assim.
    Abraço, até a próxima.
    MW (o guri que te pego na saída! hehe)

  17. Contrera

    sabe, gerald, vc é uma pessoa tão doce, mas tão doce, que parece só poder agüentar isso em público fazendo papelões. é, até certo ponto, como eu mesmo. não vou te fazer análises baratas, disso o mundo está cheio e de saco cheio, mas queria saber quando é que vc vai se aceitar como essa pessoa tão preocupada que é e conseguir expressar isso em público sem necessariamente se deixar levar pela raiva do dia-a-dia. não admito tua forma de se opor a todos. pois eu sei que isso no fundo é balela. vc gosta tanto do mundo que parece não aguentar mais agüentar-se no mundo como ele realmente é. injusto, sim, cruel, desumano, também, mas também repleto de gente de boa vontade, que faz o máximo para tentar viver com decência e que gostaria de ter artistas que – sem apelar ao comercialismo – tentassem não diverti-la, simplesmente, mas trazer-lhe algo de bom. algo de bonito que pudesse servir para, com muitos outros, lutar por um mundo melhor. ao invés disso, vc e o arrabal se perdem em eu, eu,eu,eus

  18. Valéria] [RJ

    Sei lá, acho q tem q polemizar, debater, mas polemizar é uma coisa: talvez levantar questões, contradições, visões diferentes ou radicais, e q se vá de peito aberto,com o coração na mão etc. Mas brigar, ofender é o oposto de polemizar. Mesmo lendo ñ sei o q se deu, o q podia ter se dado, é tudo tão à flor da língua q virou uma interrupção de qq coisa q podia ser polemizada. E sobre Arrabal: ñ entendo esta história de saber q haverá um debate com alguém e no auge da vã superioridade dizer q nunca ouviu falar no Gerald, isso é piada ‘surreal’ de 98 anos! Se ñ conhecia ñ podia dar uma pesquisada? Claro q ñ sou burra ao pto de ñ perceber q ele quis frisar q o Gerald era insignificante; e se fosse? Ñ podia ouvir o outro q ñ tenha ‘conquistado’ a vã glória com a bênção da diáspora e dos gênios? Isso dá um embrulho… Talvez ele ñ saiba q até pra visitar país, cidade, produto etc se pesquisa na net tb!Como se diz artista? Isto é entretenimento, esnobação.
    Na curva: vcs leram o Jabor de hoje?

  19. Dani] [Porto Alegre

    eu sou aluna do evento Fronteiras e achei absurdo o constrangimento causaões do ao público e aos organizadores do evento que tantas discussões interessantes trouxe a nossa cidade. tu não trouxe nada de útil, um currículo brilhante, porém uma postura e um momento de vida mediocre. sinto por ter ido a este encontro, mas sinto mais ainda pela calorosa acolhida que todos aqui te presentiaram e que não mereces.

  20. O Vampiro de Curitiba

    O lema dos ressentidos: “E como a derrota nos liberta!! Viva a derrota e viva o mau-humor.”

  21. O Vampiro de Curitiba

    Wagner, o Festival de Curitiba foi um sucesso! Agora, se tem gente que não consegue vender ingresso e resolve fazer a peça no meio da rua, que arque com as conseqüências. Óbvio que o povo educado e ordeiro de Curitiba não vai aceitar que se fale palavrões no meio de uma feira. Curitiba não é Porto Alegre, gaudério!

  22. O Vampiro de Curitiba

    Não basta o anão psicótico ter estragado o debate por ter ficado com ciuminhos do Gerald? Agora tenho que aguentar os ciuminhos da gauchada também? Se estão com ciumes por Curitiba ser mais civilizada que Porto Alegre que mudem para cá, oras. Como diz minha polaca braba (é, com b mesmo): Me poupem!

  23. Cecilia Cassal] [Porto Alegre, RS, Brasil

    Gerald, não creio na mudança e nem na disponibilidade das mentes induzidas pela indelicadeza. Muitos de seus comentários foram de uma grosseria imensa e desnecessária com a platéia ontem à noite. Talvez haja nisso alguma “instalação” de uma nova arte que eu ainda não compreendo, de uma estética para mim desconhecida. Talvez. Mas o que muitos de nós sentimos foi – para além do desafio a transpor fronteiras do pensamento – repulsa. Penso que a reação da platéia foi a reação de pessoas sadias que não gostam de agressões. Pena, o desperdício de todos nós.

  24. Ana

    Agora entendi melhor: ele fatiou Beckett. Você, a exemplo do Rei Salomão, deveria ter dado Sam inteiro de presente ao Arrabal. Afinal, se ele diz nunca ter ouvido falar de você, uma conversa de pé de ouvido com Beckett ajudaria. E ouvido e boca tem que seguir com o conjunto, pq. a alma, meu querido, a ALMA/ARMA da coisa pertence a você. Já sobre troca de farpas, concordo com o Vamp e com a Mary: FRONTEIRAS SÃO SEMPRE ABISSAIS. Tem que ter farpa de neolito mesmo. Em suma: você é você e ponto final. Se o Arrabal fosse tão generoso qto. vc, o debate teria saído, e aquilo que falo dois blocos abaixo teria acontecido. Love,

  25. Mary] [Maryland-perto de Caxias do SUL

    Gerald,
    Prefiro torca de farpas a OBITUÁRIOS, tchê. É melhor enfiar o pé na jaca.
    O espanhol parce ser simpático.
    adios cariño.

  26. Paulo Faria] [Guarulhos, SP.

    Nooosa! Muito legal Gerald. Alguém gravou?

  27. O Vampiro de Curitiba

    Não é “Fronteiras do Pensamento”? Então! Tem de polemizar mesmo. Chega de hipocrisia, chega de pensamento único! Pau neles, Gerald!

  28. fabio] [são paulo

    Nóoossa, Gérald..! O negócio foi feio, hein!?…sê meteu o pé na JACA, mesmo..!

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s