TORTURE TEAM, por PHILIPPE SANDS

A Verdade saira logo logo:

esse livro fara HISTORIA!

TORTURE TEAM

por PHILIPPE SANDS

On December 2, 2002 the U.S. Secretary of Defense, Donald Rumsfeld, signed his name at the bottom of a document that listed eighteen techniques of interrogation–techniques that defied international definitions of torture. The Rumsfeld Memo authorized the controversial interrogation practices that later migrated to Guantanamo, Afghanistan, Abu Ghraib and elsewhere, as part of the policy of extraordinary rendition. From a behind-the-scenes vantage point, Phillipe Sands investigates how the Rumsfeld Memo set the stage for a divergence from the Geneva Convention and the Torture Convention and holds the individual gatekeepers in the Bush administration accountable for their failure to safeguard international law.

The Torture Team delves deep into the Bush administration to reveal:
· How the policy of abuse originated with Donald Rumsfeld, Dick Cheney and George W. Bush, and was promoted by their most senior lawyers
· Personal accounts, through interview, of those most closely involved in the decisions
· How the Joint Chiefs and normal military decision-making processes were circumvented
· How Fox TV's 24 contributed to torture planning
· How interrogation techniques were approved for use
· How the new techniques were used on Mohammed Al Qahtani, alleged to be "the 20thhighjacker"
· How the senior lawyers who crafted the policy of abuse exposed themselves to the risk of war crimes charges

Biography
Philippe Sands is an international lawyer and a professor of law at University College London. He is the author of Lawless World and is frequently a commentator on news and current affairs programs including CNN, MSNBC, and BBC World Service. He has been involved in many leading international cases, including the World Court trial of Slobodan Milosevic and the treatment of British detainees at Guantanamo Bay. He lives in London, England.

Prisoners on the way to Guantanamo Bay in Michael Winterbottom and Mat Whitecross' THE ROAD TO GUANTANAMO. Photo courtesy of Roadside Attractions.
– crédito da foto: www.allmoviephoto.com.

NINGUEM MAIS PODERA DIZER QUE "NAO EXISTIU TORTURA" E QUE….
O QUE OS REPUBLICANOS FAZEM EH ABSOLUTAMENTE CONTRA A CONSTITUICAO.
NUNCA ANTES TAO VIOLENTADA, A CONSTITUICAO AMERICANA…..
VAMOS VER.
GERALD


BLOCO DE COMENTÁRIOS: O DEBATE

Sandra
Gerald, acho que as pessoas sabem que existe tortura. Sabem e aprovam. No Brasil, quanto menor a escolaridade e a renda, mais as pessoas consideram normal a tortura como parte de um inerrogatório policial. Acho que essas pessoas sentem-se desamparadas pela lei, e consideram os métodos civilizados ineficazes.
Sandra

do Gerald: Mesmo? Incomunicados por mais de SEIS anos e sem direito a ADVOGADOS e quebrando todos as CONVENCOES internacionais e MENTINDO na frenrte dos Inqueritos do Senado? Mesmo? Depois 4 sao soltos depois de 4 anos e mandados de volta pra Inglaterra com um tapinha nas costas: traumatizados….."ah…nao achamos nada nao….tenta a vida ai de novo!". Os sujeitos estao a tremer ate agpra, nao dormem, nao comem e tem PESADELOS e ja tentaram o suicidio varias vezes so por serem islamicos> Isso vc considera "eficaz"?
Gerald

do Vamp
Já disse aqui que eu tenho uma certa, digamos, tendência, pela guerra, né? Tem gente que curte futebol. Eu curto as estratégias da guerra. Acho, inclusive, que não existe morte mais digna do que morrer lutando. Isso é uma coisa. Coisa totalmente diferente é a covardia de se espancar alguém algemado. Além de desumano, a tortura é sinônimo de incompetência e burrice. No caso em questão, óbvio que a tortura foi uma prática comum nesse processo todo, disso ninguém tem dúvidas. Mas não acho que seja razoável chamar todos republicanos de torturadores. Seria como culpar o Lula por todas as torturas que acontecem todos os dias nas prisões brasileiras. O McCain, por exemplo, acho que está mais para torturado do que para torturador. Calma, gente, é só a minha opinião… Não vamos nos torturar por isso, certo?
O Vampiro de Curitiba

[Sandra]
Só para enfatizar: EU NÃO APROVO TORTURA!!!!!!!!!!!!!! De novo: EU NÃO APROVO TORTURA!!!!!!!!!!!!! E mais uma vez: NÃO APROVO TORTURA!!!!!!!!!!!!! Pronto, acho que agora me acalmei.

[Ana]
Gerald, a Sandra não acha isso eficaz. Ela acha que a maioria das pessoas acham eficaz. O que acontece é o sujeito nasce, e metem na mão dele uma bíblia, qdo. cada adolescente deveria receber um exemplar da constituição. Ninguém acredita no processo civilizatório da justiça, pq. ninguém conhece a justiça. Ela já se fecha bastante naquele idioma, que parece único. Fora isso, ninguém sabe os seus direitos de verdade. Como confiar em algo (alguém) que vc desconhece? Como as pessoas podem confiar na lei se ela é feita para se contradizer no momento necessário? Acho que lei, justiça, tudo o que diz respeito a DIREITOS deveria ser ensinado desde cedo, nas ESCOLAS ou em CASA mesmo. Quer dizer, o cara é cidadão para pagar impostos, mas não para saber seus direitos… (Ct.)

De Atila Roque (ex-Ibase – ex ACTIONAID)
[Atila Roque] [Brasilia]
Um esclarecimento, Gerald, Sandra e demais. Não é verdade que as pessoas (assim tão genérico) apoiam a tortura no Brasil. E, principalmente, não é verdade que quanto mais pobre e menos educadas maior o apoio a tortura, conforme dito pela Sandra. Na verdade, pesquisa O Globo-Ibope publicada em 09 de março passado mostrou justamente o contrário disso. Apenas 26% da população aprova a tortura. Entre os mais pobre e menos educados 19%. Entre os mais ricos e educados 42%. Portanto, cuidado com afirmações genéricas que reproduzem preconceitos do senso comum que acabam servindo como justificativas para a barbárie. Os dados do Ibope mostram que no caso da aprovação a tortura os mais "bárbaros" são os mais condições (educação e renda) teriam para ser "civilizados". Isso é o mais chocante de tudo para mim. A nossa elite é racista e autoritária. Abraços.
Atila (BR)

[andre luis patricio] [são paulo]
ah,ana.somos mesmos uns romanticos inverterados,pra quer uma constituição,ela é tão simbolica;para ñ dizer inutil, como a biblia,lá na febem os "mulekes"sabem do eca,e dos seus direitos, e de seus deveres nesse crime creme do bolo do poderosos também,braziliam,nesses 40 anos de 68,dos poder para o povo preto,dos direitos,e dos defeitos para alguns,precisamos repensar a nossa tal "cidadania" tão a morfa;os caras roubam ,matam.depois dão entrevistas como popstares "do roubo":veja o paulinho da força farsa sindical,e quem foi para cadeia no caso da dona dorathy,uma romantica,essa senhora,ela foi,o brasil fica,e ficará pior.

[Sandra]
Curioso, Átila. Eu não conhecia essa pesquisa. Eu me basei no livro "A cabeça do brasileiro" do sociólogo Alberto Carlos Almeida, que fez várias pesquisas sobre como o brasileiro vê a corrupção, o racismo, a tortura e sua postura diante de várias situações. E o resultado da pesquisa dele foi totalmente contrário ao daquela que você cita. E o que me chocou foi que a aceitação da tortura como prática em interrogatórios foi muito alta nas camadas mais pobres e menos escolarizadas da população. Interpretei que é porque essas pessoas sofrem nas mãos de bandidos.
Sandra

ATENCAO: SOBRE O ATILA ROQUE: seria interessante (pra quem se interessar) ver a entrevista que fiz com ele ha uns anos quando ele ainda trabalhava no Brasil. Esta disponivel no talk show ai do lado. Depois de mudou pra Washington com familia, cachorro e trabalhou por 4 anos pra ACTIONAID viajando o mundo inteiro (repito, o mundo inteiro, fazendo simposios e congressos justamente a respeito desse assunto: se existe UM expert, eh ele!!!)
Gerald

[Carlos]
Meu post tem a ver com o desentendimento lá embaixo.Estou esclarecendo: 1) não ataquei o blog. Só lamentei que, numericamente, a maioria das mensagens eram escritas pelo nosso amigo Vampiro que apóia McCain e Condoleezza. 2)Respeito a opinião de todos, mas o Vampiro abusa dos absurdos. Caí na provocação. Fui grosso e pedi desculpas, mas não agredi ninguém pessoalmente. 2) o blog é democrático, escreve-se quantas mensagens quiser. Eu só protestei porque considero a dupla McCain/Condoleezza um ultraje a qualquer civilidade e mínimo respeito à vida. McCain é a continuação do que está aí, essa política baseada no medo e sangue. 3) Claro que o Gerald concorda com isso e em momento algum eu o agredi dizendo o contrário. Fui mal-interpretado, mas acontece. 4) Não sou cidadão americano, portanto não voto. Troco idéias com pessoas, é tudo que posso fazer a respeito. 5)Infelizmente esse assunto deveria ser mais estudado pelas pessoas. Muita gente pagou com a vida as atrocidades desse governo.
Carlos

do GT
mais uma vez: TODOS tem direito a opiniao! Nada eh absurdo; teatro do absurdo nao eh absurdo. Opiniao eh isso: opiniao: manipulacao de dados, isso sim eh grave, mas opiniao eh somente opniao e isso TEM QUE SER RESPEITADO.
estou indo la em cima corrigir as infos sobre o Atila
LOVE
G

[Ana, direto no corpo do blog, por razões evidentes]
Atila & demais: não há apoio à tortura, mas ela acontece. Eu conheço a polícia e conheço a justiça. Infelizmente, no Brasil, quando não se tem nível universitário, não se é tratado da mesma forma daquele que tem, o que já consiste num absurdo, pq. nível universitário não aumenta ou diminui o caráter de ninguém, então um curso universitário já é demarcador de territórios. No caso, território de aquisição intelectual. Nenhum policial, ao abordar, e de posse dos documentos de uma pessoa que seja, por exemplo, um advogado, vai agir da mesma forma com que age com uma sem nível universitário. A políica pratica, sim, torturas. Isso acontece em relação às pessoas da camada mais baixa. Claro que há policiais e policiais, mas em sua maioria, a polícia é arbitrária, principalmente quando se trata de entrar em favelas ou nos morros do Rio. Todo mundo na favela é suspeito em potencial. Mas vamos ao que você coloca da classe média-alta. Eu também a conheço pronfundamente, apesar de não fazer parte dela. São pessoas, em sua maioria, formadas, algumas com mais dinheiro do que precisa, mas que não evoluíram no conceito "humanidade". Tudo o que essas pessoas querem é que seus bens, suas famílias, seus patrimônios, estejam a salvo. Pouco importa se pessoas de baixa renda que caminharam para a criminalidade, não tiveram as mesmas oportunidades. Não é assim que a maioria da classe média pensa. Mesmo que para chegar a ser classe média-alta, tenham elas mesmas infringido alguma lei, ou seja, tenham ganho dinheiro por meios ilícitos. A gente não pode confundir o rico e "educado" com quem tem dinheiro e entendimento. Civilização não é ensinada no nível superior. É algo que se aprende em família, que se traz de berço, sendo um berço de ouro, ou de madeira crua. A questão do caráter também não é ensinada em faculdades. De outra forma, crimes de colarinho branco não aconteceriam. O que a elite (além de tudo, com pouca visão) quer, é uma limpeza. O que eu mais escuto das pessoas mais ricas que eu conheço é que "tem que haver pena de morte", "preto não presta", "nordestino", idem, "que nojo desses meninos no farol", "pra quê pobre tem filho?", e assim vai, uma sequência de dissabores dissonantes. Porque é incrível, mas eles todos se esquecem que quem constrói prédios para eles morarem são nordestinos e negros, que os office boys de suas empresas vêm de camadas mais baixas, que as babás que cuidam de seus filhos, idem, assim como empregadas e diaristas. O que acontece, ao meu ver, e me desculpe me meter (pq. o cientista político é você), é que evoluímos – aparentemente – dentro de um processo civilizatório imposto pelas religiões, e pelo estado, mas por dentro, enquanto "camadas sociais", somos todos ovelhas em desgarro. Porque há muito pobre que pensa como essa elite, educada e com renda. Se não houvesse leis, o mundo se tornaria um caos, pq. cada um age de acordo com o seu íntimo, e se por fora há diferenças, por dentro, elas são infinitamente maiores. Então, todo o processo civilizatório está equivocado, pq. obriga a, mas não se faz entender, compreende? O humanismo teria de ser matéria escolar, mas na própria escola há discriminação (gordinho, baixinho, feiinho, magricela, e por aí vai, e isso vem de professores). Se a criança repete o que o adulto faz, podemos afirmar que os adultos vêm fazendo tudo errado, faz tempo. Claro que temos que contar com aquele espírito que já nasce terrível, por si só. Nesse caso, essa criança em específico é a que precisaria de ajuda. Mas não lidamos com a sociedade assim, pq. a nossa sociedade é a sociedade da pressa, do agora, dos lucros, do já. E é em nome desse já, que os 42% de ricos e estudados querem a tortura, a pena de morte, a "limpeza social". Educar dá trabalho, "onera o estado". Só que o estado gasta milhões com outros tipos de falcatruas, que advogados muito bem pagos transformam em questões legais num piscar de olhos. O que eu quero dizer com todo esse palavrório? Não somos HUMANISTAS. Em questão alguma. Somos individualistas, quando vivemos em uma imensa comunidade chamada país, estado. Logo, logo, chamada Terra, globo. No caso da menina assassinada pelo pai e madrasta: pela lei eles vão ser punidos. Mas não só pela lei, mais especificamente no caso da madrasta. Sem curso superior, ela vai ser "currada" pelas companheiras de cela, e isso me foi dito por um policial civil. É essa a ressocialização do nosso sistema penal. É justo? Não acho. Uma vez que a lei já imputou pena, nada do que acontece lá dentro é justo. Mas até isso ajuda a elite. O povão, como se diz, desforra sua dor, e a falta de justiça social nesses casos de clamor público. É a única forma que o povo tem de gritar, pq. contra políticos corruptos, e contra arbitrariedades de todos os tipos, o povão não tem voz. Vide a Marcha pela Democracia em João Pessoa, que terminou como se as pessoas fossem bandidos de alta periculosidade. Com vamos sair dessa? Não sei. Mas sei que é preciso reestruturar valores básicos já. A "lei do já" tem que valer para questões humanistas, e não só para o mercado financeiro, e o crescimento a qualquer custo. Isso só tem trazido desigualdade e confronto. E a vida humana, que é o valor maior, o bem maior, fica a mercê de interesses puramente materialistas, quando não somos apenas matéria, mas consciência e estrutura de pensamento, para não dizer alma, ânima, espírito.

Por ARTHUR GERALDO BONFIM DE PAULA (AMIGO HA MAIS DE 30 ANOS)
A tortura, não importa quem a pratique,não importa contra quem está sendo praticada nem qual razão ou suposto motivo , é e precisa ser considerado crime ediondo. Somente quem já foi torturado, não importa em qual circustancia,sabe o que é está manietado,imobilizado,com seu corpo e sua mente sendo pasto de um torturador. Recentemente, o Presidente Busch vetou lei contra torturas, um general frances treinador de torturadores disse à imprensa que "se a tortura salva uma vida, impede um atentado,ela vale a pena". Todo torturador é um bandido e criminoso que se iguala às babaries praticadas pelo nazistas e outros fascistas, contra judeus, comunistas, revolucionarios, ou policiais contra marginais etc. É preciso combater a tortura e aos torturadores de maneira implacavel. No Brasil, se é verdaddeira a pesquisa que diz ser a tortura aceita e aprovada pelas camadas de baixa renda, é porque essa parcela da população é marginalizada,excluida,sem direitos,sem Estado,sem cultura.
arthur de paula

50 Comments

Filed under Sem categoria

50 responses to “TORTURE TEAM, por PHILIPPE SANDS

  1. Heitor] [SP

    Se vc Gerald, é o “bão” da paz, vá lá no Iraque ou Afeganistão dizer o que pensa. Daí do seu AP na 5ª Avenue é fácil acusar os outros.

  2. Sandra

    Precisa de lei contra a tortura? A nossa integridade física não é garantida por lei, em qualquer país democrático? Vetar uma lei contra a tortura quer dizer o que? Já temos essa garantia na constituição? Ou pode torturar à vontade? Porque, se for o caso, mostramos que: lei= -lei. Portanto, 2*lei=0; Isso implica que lei=0.

  3. arthur de paula] [sao paulo-brasil

    A tortura, não importa quem a pratique,não importa contra quem está sendo praticada nem qual razão ou suposto motivo , é e precisa ser considerado crime ediondo.
    Somente quem já foi torturado, não importa em qual circustancia,sabe o que é está manietado,imobilizado,com seu corpo e sua mente sendo pasto de um torturador.
    Recentemente, o Presidente Busch vetou lei contra torturas,um general frances treinador de torturadores disse à imprensa que “se a tortura salva uma vida, impede um atentado,ela vale a pena”.
    Todo torturador é um bandido e criminoso que se iguala às babaries praticadas pelo nazistas e outros fascistas, contra judeus,comunistas,revolucionarios,ou policiais contra marginais etc.
    É preciso combater a tortura e aos torturadores de maneira implacavel.
    No Brasil, se é verdaddeira a pesquisa que diz ser a tortura aceita e aprovada pelas camadas de baixa renda, é porque essa parcela da população é marginalizada,excluida,sem direitos,sem Estado,sem cultura.

  4. Contrera

    quem sabe a maior fonte de medo existente seja a de ser torturado até a morte. já para outros a própria vida é uma espécie de tortura. a tortura que combatemos tem origens definidas e é crime hediondo mascarado de crime político. deveria dar perpétua inafiançável.

  5. Sandra

    Ana, acho que quem defende a tortura não é necessariamente mau, seja rico ou pobre. Ele está é abandonado pela lei, e acha que a tortura é solução. As pessoas que vejo defenderem tortura fazem essa ressalva: – só aceito que torturem culpados. Senão eles não confessam e ficam soltos – Quando eu retruco, perguntando como ele pode saber se o cara é culpado ou não, ouço de volta: Ah! A gente sabe sim!- E, de fato, na minha cidade, a turminha do mal era conhecidíssima. A lei tem que começar a punir os culpados, pobres ou ricos. E sem tortura.

  6. O Vampiro de Curitiba

    Pessoal, sei que não é de praxe a propaganda de outro blog, mas acho que neste caso vale a pena. E acho que o Gerald não se incomodaria. Leiam o texto “Silva, um morto sem sepultura” no Blog do Reinaldo Azevedo. Na verdade é um post antigo que ele republica na data de hoje. No fundo, no fundo, tem muito a ver com que discutimos aqui no Blog do Gerald.

  7. Ana

    Sandra, eu não discordei de você. As leis precisam ser revistas, é nítido. Já, Vamp, ironia, não, ok? Ou sim. Afinal vc é vc, e se vc só consegue contra-argumentar com recursos irônicos, que seja. Acho o assunto muito sério para isso, mas vá lá, nem só de seriedade vive o homem. Humanismo se aprende em qualquer lugar, quando se quer aprender. Aliás tem mais a ver com o coração do que com a mente, então nem sei se se aprende, ou se se apreende ao longo da vida. O que acontece é que a elite é a favor de uma limpeza social. Uma vez utilizada a mão de obra barata, querem os pobres bem longe deles. Mas isso também não é regra. Tudo tem suas excessões. Existem pessoas ricas, estudadas, com visão humanista. É que falamos de uma maioria, e grosso modo, a maioria é assim, infelizmente.

  8. O Vampiro de Curitiba

    Perdão, Ana, é que entendí que vocês afirmaram serem as pessoas da “elite” as que apoiavam a tortura. Que cabeça a minha! Ou as que tem maior grau de instrução. Ou as que tem renda maior. Não sei onde eu estava com a cabeça! Se assim fosse, seria fácil, né? Era só impedir as pessoas de estudar e progredir profissionalmente que o problema estaria resolvido. Os professores é que não gostariam nada dessa idéia. Ensinar para quê? Para transformar nossos jovens em linchadores? “Humanismo” se aprende nos faróis, não é mesmo? Ufa! Ainda bem que foi um terrível mal entendido. Mil perdões, Ana!

  9. Sandra

    Ana, tanto pobres quanto ricos têm direito de ter suas famílias e bens protegidos e de não viver sob a tutela de bandidos. E que é difícil fazer isso dentro da lei, é mesmo, por isso as pessoas apostam em pena de morte, linchamento, justiça na cadeia, e até tortura. Mas não vejo outra saída: ou melhora-se e aplica-se a lei, ou vivemos sem ela, com linchamento e tortura.

  10. Ana

    Vamp: ou você não entendeu nada, ou está – como algumas pessoas costumam fazer – fingindo que não entendeu. Em todo caso, deixa quieto. Não tenho tempo de explicar que estudo e dinheiro podem caminhar de mãos dadas com HUMANISMO. Qto. ao que vc coloca para o Luis Lago, novamente vc. se equivoca. Ele não disse que o mundo é governado TOTALMENTE por pessoas que tiveram acesso à educação, mas majoritariamente, o que é bem diferente. Bjs, tenho trabalho me esperando. Volto quando puder.

  11. Ana

    Sandra, o código penal precisa ser revisto, assim como as leis como um todo. E todos têm o direito de ter suas famílias e bens protegidos, não apenas os ricos. E concordo com você: os pobres têm o direito de não viver sob a tutela de bandidos, mas vivem. E por que? Porque a administração governamental, além de ser corrupta, age morosamente, de acordo com conveniências próprias, e os direitos do povo ficam para serem declamados nas campanhas eleitorais, e só. A lei da carceragem é própria. Não tem a ver com juízes e policiais. Já corrigir a lei são outros quinhentos. Teria de haver uma reformulação complexa no código penal; proponência de novas condutas, e ninguém quer mexer nisso, pq. é um vespeiro, dá trabalho, vai de encontro aos interesses (sempre) do momento, e vai ficando pra depois. Mas enquanto tivermos legisladores sem caráter, e uma grande parte sem conhecimento específico (existem muitos deputados sem estudo), não teremos como exigir leis decentes. Enfim, o papo é extenso.

  12. O Vampiro de Curitiba

    Me desculpe, Luis Lago, mas quando você disse “Não podemos esquecer que o mundo é governado majoritariamente por pessoas que tiveram acesso à educação.”, lembrei de um presidente de um país da América Latina… Estou rindo até agora…Essa Banânia é soda…

  13. O Vampiro de Curitiba

    Bom, se for pelo que afirmam o Átila e a Ana, devemos tirar nossos filhos da escola, né? Vai que eles acabam entrando numa Universidade e se transformam em torturadores. Ahh, depois eu passo o número da minha conta do banco para aqueles que estão com medo de ficarem ricos e torturadores. Eu, vocês sabem, não jogo na Mega Sena para ficar pobre, não. Podem sacar o excesso de riqueza de vocês e depositar na minha conta.

  14. Sandra

    Agora, alguém por seis filhos no mundo e colocá-los para pedir esmola no farol me revolta mesmo! Independente da raça ou credo do indivíduo! E acho que quem comete um crime deve responder por ele. Não pode ficar impune porque é pobre, e portanto, uma vítima social, e nem deve ficar em cela especial porque tem nível superior. E acho que ninguém deve ser currado na cadeia, e nem dormir empoleirado. A punição deve ser na medida da lei, independentemente de raça, credo ou condição social. Por isso também acho que construir cadeias é uma questão de humanidade.

  15. Sandra

    Luiz, é possível sim. Por isso até queria saber se a pesquisa foi feita através de entrevista ou se foi secreta, pois não vejo as pessoas se declararem abertamente a favor da tortura, ainda mais nessa percentagem. Eu vejo sim, muita gente de renda e escolaridades mais baixas se declararem a favor da tortura, mas o diálogo deles é esse: a gente sabe muito bem que o cara é bandido. Ele inferniza a vida de todo o mundo. Ele sempre consegue se safar, porque a justiça solta o cara. Ah, se eu fosse policial! Esse cara ia sofrer na minha mão! – ou seja, a tortura pega o vácuo da impunidade.

  16. fabio] [são paulo

    . . .Cara,..ANA”KHAREN´t”..!Aqui no blóg de SÃO Gérald thômas, não estamos em “LUTA”…!!…não precisa transformar uma CONVÉRSA ou discussão, em uma “EPOPÉIA”..!…pooooooois, existe mais gente querendo FALAR, meu “ãaanjo”…!.pela centézima vez,….VÔS implóro, ó FILÓLÔGA..!.fazêieis um rascunho e LIVRÁI-nôs do MAL, amén!!!

  17. Sandra

    Ana, acho que os ricos têm direito de ter suas famílias e bens protegidos, DENTRO DA LEI, e os pobres têm direito de não viver sob a tutela de bandidos, DENTRO DA LEI. Se um desses segmentos (ou ambos) está apoiando a tortura, é porque a lei não está sendo aplicada ou está inadequada. E volto a insistir que acredito que a solução seja corrigi-la e aplicá-la, E NÃO TORTURA.

  18. Luiz Lago] [São Paulo

    Acho temerário darmos tanta credibilidade às pesquisas e dividirmos as coisas tão a seco. Um sujeito que tem curso superior pode dizer não à tortura simplesmente porque sabe as implicâncias da sua resposta, “não pega bem” dentro da sua classe social, é um ser “civilizado”. Mas no seu íntimo, com a cabeça no travesseiro, ele pode muito bem achar que a tortura é a solução num estado de violência sem controle. O que vai na cabeça deste homem morrerá com ele, como sabemos todos. Não podemos esquecer que o mundo é governado majoritariamente por pessoas que tiveram acesso à educação. E o resultado que vemos é desastroso. A Ana cobriu isto com mais inteligência e profundidade. Estou com ela.

  19. Ana

    Tomei a liberdade de postar meu comentário direto no corpo do blog, pelo tamanho, evidentemente. Ocuparia uns dez blocos de comentários, e o meu instrumento é a palavra. É com ela que eu luto, em todos os sentidos. Não vou me abster disso. Prossigamos com o debate. Abraço a todos.

  20. Sandra

    Só para concluir: é importante mostrar ao vivo, a cores e com palavras o que é a tortura, pois as pessoas sentem-se melhor em aceitá-la se não precisar vê-la. Mas a tortura não acabará enquanto for considerada não só eficiente, mas o único caminho. E só para não gerar nenhum mal entendido, EU NÃO PENSO ASSIM. No Brasil, apoio a investigação e a punição DENTRO DA LEI. Quanto aos EUA, tenho certeza que conseguem proteger sua população SEM USAR TORTURA. E acho que, quando se aceita esse método, a vítima pode ser qualquer um. Quando um grupo ganha poder acima da lei, qualquer um pode ser sua vítima.

  21. Sandra

    Voltando a analisar as duas pesquisas, ou uma delas está com uma amostragem baixa, (pois acredito que ambas tenham usado a mesma distribuição populacional do IBGE), ou, como elas foram feitas em épocas diferentes, isso representaria uma grande mudança de opinião entre as pessoas de nível superior. O que teria acontecido? Esse segmento é que está se sentindo abandonado pela lei agora?

  22. Sandra

    O que temos observado, analisando, por exemplo, o caso Isabella, é que o nosso povo não apoia a tortura. Percebi muita cautela antes de acusarem o casal de alguma coisa. Porém, a partir do momento que as evidências de culpa ficam muito forte, aí nosso povo pede uma punição além da lei, como linchamento. E pareceu-me que as manifestações foram maiores entre as pessoas de escolaridade mais baixa, o que significa que: Ou eu observo de forma preconceituosa, ou esse segmento , embora não seja o que mais aprove esse tipo de punição, seja o que mais se manifeste, ou esse é, de fato, o grupo mais passional.

  23. O Vampiro de Curitiba

    Eu concordo com a Sandra. Os números da pesquisa citada pelo Átila não correspondem com a realidade. Eu não conheço uma única pessoa que tenha nível superior e seja a favor da tortura. Não é comum ver médicos, filósofos, pedagogos, juízes dizendo ser favoráveis ao linchamento ou à tortura. Não vejo isso. Nas classes D e E, sim, as pessoas dizem mesmo que “tem que matar!”, “vamos linchar!”. Mesmo a pena de morte não tem terreno fértil nas classes A e B. Ahh, antes de começarem o linchamento moral “da nossa elite” e do judiciário, gostaria de salientar que o caso da Dorothy Stang foi a jurí popular. O fazendeiro foi inocentado por este juri do povo. Já o empregado do fazendeiro foi condenado não por ser pobre, mas por ser réu confesso. Ele confessou em todas as ocasiões que assassinou a religiosa.

  24. Mau

    Duvido existir algum lugar desse mundo que a pratica da tortura não seja rotina – tanto em ditaduras qto em democracias.

  25. Guta Ruiz

    por essas e outras atitudes vemos como o ser humano, pelas vias do poder, pode se tornar a pintura expressionista de um fascista, um populista ou um rascista. claro que, muitas vezes, sem assumidade alguma, afinal a verdade está sempre velada e obscura. assim com o ser humano, repleto de obscuridades dentro de uma panela de pressão que apita, apita, e uma hora explode. (acabou)
    beijos
    p.s: sua caixa postal está cheia, por isso foram aqui vários comments separados, tá ?

  26. Guta Ruiz

    ninguém é a favor da tortura, pois quem assumisse isso seria taxado com problemas mentais ou sexuais. mas o fato é que ela existe sim, assim como a censura. quem disse que esta acabou ? a liberdade de expressão artística, a dependência de lobby para conseguir levantar um produto cultural no Brasil, por exemplo, são exemplos de tortura e censura. claro que eu mudei dentro dos muitos significados diferentes para essa mesma palavra. mas sinceramente, não me vejo num mundo diferente daquele dos bárbaros. talvez mais valores incutidos e aceitos, mais posturas a serem obedecidas, mas lá no fundo da alma, o ser humano ainda sofre dos mesmos males. (continua)

  27. Guta Ruiz

    vide macbeth. ele continuaria querendo subir seus degraus, sendo pobre ou rica sua origem, o fato de saber que pode obter o que quer, a qualquer custo – tortura, pode ser ? – o faz perder qualquer tipo de juízo ou valor ou moral, qualquer coisa que o racionalize outra vez. viramos bichos, bárbaros, perdemos a razão porque achamos que conquistamos algo e quanto mais apoio tivermos – pode ser a mídia ? – mais seguidores tivermos – pode ser a sociedade ? – mais nos sentiremos injetados dessa sensação. quando falo nós não digo que sou a favor a nada disso que fui dizendo aqui ou justificando qualquer tipo de atitude desses insanos irracionais. sou completamente contra a tortura. sou emocional demais para engolir isso. O que tento mostrar aqui, assim como vejo, é o retrato da espécie humana. como o vamp falou, sobre a morte em uma luta. é o épico eterno da humanidade.
    teoricamente ou praticamente, afinal esse é um mundo neo-liberal ( sei..) continua.

  28. Guta ruiz

    tentei mandar e-mail mas voltou.. vou tentar colocar o comment aqui de novo.
    olha, essa discussão sobre tortura é mais do que relevante, fico feliz em poder discutir isso. acredito que a tortura, ou o gosto por ela, está intimamente ligado ao sadismo inerente à espécie humana. não é à toa que vemos o interesse de todas pelo sofrimento alheio, a espetacularização da desgraça ou o morto atropelado em qualquer esquina. acho que o ponto não é dizer que nós brasileiros, ou nós americanos, ou nós europeus somos ou não a favor da tortura. concordo com o átila quando ele diz que corremos um risco de cair no senso comum de um julgamento indevido. não vejo a tortura como uma questão de classe, vejo como uma questão de poder. independente de sua classe, o homem ao subir seus degraus começa a adquirir uma sensação de grandiosidade que não o impede de ter fim. essa sensação de poder o leva a loucuras, histerias e abusos. (continua)

  29. Sandra

    O livro “A cabeça do brasileiro” que estou vendo agora, usou dados da PESB (Pesquisa Social Brasileira), e fez 2363 entrevistas, entre julho e outubro de 2002. Segundo esses dados, 51% dos analfabetos apoiam a tortura em interrogatórios, e o índice cai com a escolaridade, chegando a 14% entre quem tem nível superior ou mais. Na faixa de escolaridade de 1a a 8a série, o índice é de 40 a 45%, mas essa faixa é a que mais aceita o linchamento, o estupro por outros presos de estupradores e o assassinato de assaltantes e ladrões depois de serem presos. Olha… Isso é o que a gente vê… Em geral, a gente não vê gente de nível superior participando de linchamentos.

  30. Sandra

    Tentei achar no Google a pesquisa que o Átila citou. Parece que é da agência Nova S/B, em parceira com o IBOPE. Se alguém tiver mais detalhes, eu gostaria de saber, pois achei os resultados muito altos. A pesquisa diz que 40% das pessoas com nível superior apoiam a tortura. É quase metade! É um resultado que daria para sentir na prática! Eu perguntaria aos meus amigos: Você apoia a tortura? E quase metade diria que sim! Não verifico isso! Ao contrário. Normalmente, os políticos que têm um discurso na linha “prendo e arrebento” não têm tantos votos nesse segmento.

  31. O Vampiro de Curitiba

    Carlos, Carlos… Agora vou ter que contar quantos comentários foram feitos pelos demais comentaristas e só então escrever o que eu penso? Lamento em lhe dizer, mas você não é tão importante na minha vida a ponto de eu escrever pensando em lhe provocar. Pra ser sincero, nem lembro que você existe. Lamento, também, informar-lhe que com esses seus destemperados ataques você só queima o filme do Obama. Passa a impressão de que todos os “Democratas” são raivosos fundamentalistas.

  32. juliano

    Declaração de direitos da Virginia 1776
    Artigo 10° – Em todos os processos pôr crimes capitais ou outros, todo indivíduo tem o direito de indagar da causa e da natureza da acusação que lhe é intentada, tem de ser acareado com os seus acusadores e com as testemunhas; de apresentar ou requerer a apresentação de testemunhas e de tudo que for a seu favor, de exigir processo rápido pôr um júri imparcial e de sua circunvizinhança, sem o consentimento unânime do qual ele não poderá ser declarado culpado. Não pode ser forçado a produzir provas contra si próprio; e nenhum indivíduo pode ser privado de sua liberdade, a não ser pôr um julgamento dos seus pares, em virtude da lei do país.
    Artigo 12° – Todas as ordens de prisão são vexatórias e opressivas se forem expedidas sem provas suficientes e se a ordem ou requisição nelas transmitidas a um oficial ou a um mensageiro do Estado, para efetuar buscas em lugares suspeitos, deter uma ou várias pessoas, ou tomar seus bens, não contiver uma indicaç

  33. Carlos] [US

    Meu post tem a ver com o desentendimento lá embaixo.Estou esclarecendo: 1) não ataquei o blog. Só lamentei que, numericamente, a maioria das mensagens eram escritas pelo nosso amigo Vampiro que apóia McCain e Condoleezza. 2)Respeito a opinião de todos, mas o Vampiro abusa dos absurdos. Caí na provocação. Fui grosso e pedi desculpas, mas não agredi ninguém pessoalmente. 2) o blog é democrático, escreve-se quantas mensagens quiser. Eu só protestei porque considero a dupla McCain/Condoleezza um ultraje a qualquer civilidade e mínimo respeito à vida. McCain é a continuação do que está aí, essa política baseada no medo e sangue. 3) Claro que o Gerald concorda com isso e em momento algum eu o agredi dizendo o contrário. Fui mal-interpretado, mas acontece. 4) Não sou cidadão americano, portanto não voto. Troco idéias com pessoas, é tudo que posso fazer a respeito. 5)Infelizmente esse assunto deveria ser mais estudado pelas pessoas. Muita gente pagou com a vida as atrocidades desse governo.

  34. Lu

    Em nome da seguranca, aqui TUDO e permitido “since 9/11”, claro, aham… Morando aqui ha tao pouco tempo eu sei que essas sao verdades velhas e que a industria do entretenimento fatura horrores com elas… Vide os movies que saem aqui ultimamente.. triste… Quanto ao livro, tenho medo de ler.

  35. Sandra

    Obrigada, Ana e Vamp!

  36. Sandra

    Curioso, Átila. Eu não conhecia essa pesquisa. Eu me basei no livro “A cabeça do brasileiro” do sociólogo Alberto Carlos Almeida, que fez várias pesquisas sobre como o brasileiro vê a corrupção, o racismo, a tortura e sua postura diante de várias situações. E o resultado da pesquisa dele foi totalmente contrário ao daquela que você cita. E o que me chocou foi que a aceitação da tortura como prática em interrogatórios foi muito alta nas camadas mais pobres e menos escolarizadas da população. Interpretei que é porque essas pessoas sofrem nas mãos de bandidos.

  37. O Vampiro de Curitiba

    Sandra, nós entendemos! Você jamais defenderia qualquer tipo de agressão ao ser humano. Muito menos tortura.

  38. O Vampiro de Curitiba

    Putz…óbvio que não é “aja”. Entenda-se “haja”, ok?

  39. andre luis patricio] [são paulo

    ah,ana.somos mesmos uns romanticos inverterados,pra quer uma constituição,ela é tão simbolica;para ñ dizer inutil, como a biblia,lá na febem os “mulekes”sabem do eca,e dos seus direitos, e de seus deveres nesse crime creme do bolo do poderosos também,braziliam,nesses 40 anos de 68,dos poder para o povo preto,dos direitos,e dos defeitos para alguns,precisamos repensar a nossa tal “cidadania” tão a morfa;os caras roubam ,matam.depois dão entrevistas como popstares “do roubo”:veja o paulinho da força farsa sindical,e quem foi para cadeia no caso da dona dorathy,uma romantica,essa senhora,ela foi,o brasil fica,e ficará pior.

  40. Atila Roque] [Brasilia

    Um esclarecimento, Gerald, Sandra e demais. Não é verdade que as pessoas (assim tão genérico) apoiam a tortura no Brasil. E, principalmente, não é verdade que quanto mais pobre e menos educadas maior o apoio a tortura, conforme dito pela Sandra. Na verdade, pesquisa O Globo-Ibope publicada em 09 de março passado mostrou justamente o contrário disso. Apenas 26% da população aprova a tortura. Entre os mais pobre e menos educados 19%. Entre os mais ricos e educados 42%. Portanto, cuidado com afirmações genéricas que reproduzem preconceitos do senso comum que acabam servindo como justificativas para a barbárie. Os dados do Ibope mostram que no caso da aprovação a tortura os mais “bárbaros” são os mais condições (educação e renda) teriam para ser “civilizados”. Isso é o mais chocante de tudo para mim. A nossa elite é racista e autoritária. Abraços.

  41. Ana

    Gerald, vc diz lá embaixo que McCain é dez vezes pior do que alguém. Quem? Conta pra gente o que o senador republicano disse, conta? Love,

  42. Ana

    Vamp, só existe uma morte digna: a natural. O resto é invenção (des)HUMANA para passar o tempo. O ser humano passa a vida com medo de morrer. Nesse ínterim cria “estratégias” para tudo. Inclusive para driblar a morte, ou adensá-la com requintes de crueldade.

  43. Sandra

    Alguma vez eu defendi a agressão?

  44. O Vampiro de Curitiba

    Não posso deixar de dizer, ainda, que acho louvável que neste governo Republicano aja tanta liberdade de expressão. Espero que se os Democratas vencerem as eleições, mantenham este Estado de Direito.

  45. O Vampiro de Curitiba

    Já disse aqui que eu tenho uma certa, digamos, tendência, pela guerra, né? Tem gente que curte futebol. Eu curto as estratégias da guerra. Acho, inclusive, que não existe morte mais digna do que morrer lutando. Isso é uma coisa. Coisa totalmente diferente é a covardia de se espancar alguém algemado. Além de desumano, a tortura é sinônimo de incompetência e burrice. No caso em questão, óbvio que a tortura foi uma prática comum nesse processo todo, disso ninguém tem dúvidas. Mas não acho que seja razoável chamar todos republicanos de torturadores. Seria como culpar o Lula por todas as torturas que acontecem todos os dias nas prisões brasileiras. O McCain, por exemplo, acho que está mais para torturado do que para torturador. Calma, gente, é só a minha opinião… Não vamos nos torturar por isso, certo?

  46. Sandra

    Só para enfatizar: EU NÃO APROVO TORTURA!!!!!!!!!!!!!! De novo: EU NÃO APROVO TORTURA!!!!!!!!!!!!! E mais uma vez: NÃO APROVO TORTURA!!!!!!!!!!!!! Pronto, acho que agora me acalmei.

  47. Ana

    Putz!, Sandra, vc disse algo que eu repito todos os dias! Estamos numa sincronia danada! Em tempo, também: logo volto aos nossos papos por e-mail. Estou aqui, e ali, terminando a edição de uma revista, mas é isso mesmo: uma vez que a Lei tem instrumentos de punição, não é LÍCITO arbitrariedades. Simbora! O papo vai render! Bjs!

  48. Ana

    Em tempo: o que é louvável aí é que Philippe Sands possam existir. Que venha à tona, mesmo, tudo de podre que está por trás das cortinas de um poder arcaico que “canta galo” de modernosos no que diz respeito à igualdade, justiça e liberdade. Eu acredito que Obama será a linha divisória entre o “sonho americano” e a “realidade americana”. E que o Universo o proteja.

  49. Sandra

    Pelo que entendi, você acha que existe tortura porque as pessoas não sabem o que está acontecendo, e eu estou contra-argumentando dizendo que elas sabem, aprovam e acham eficaz. Aí eu me questiono: Por que elas acham a tortura eficaz? No caso do Brasil, é porque a lei não funciona. Bandido faz o que quer, inclusive queimar gente viva, e ainda é visto como vítima. E suas vítimas, se reclamarem, são vistas como traidoras da causa. O que EU quero é LEI, e NÃO TORTURA. Quero que os suspeitos sejam interrogados DENTRO DA LEI! Quero que bandido seja preso, privado da liberdade, DENTRO DA LEI! Quanto aos EUA, acho que as pessoas acreditam que a tortura (de outros, lógico! sempre é a de outros) irá poupá-las de morrer no metrô, aviões ou em prédios bombardeados. E, enquanto acharem isso, a tortura não acabará.

  50. Ana

    Gerald, a Sandra não acha isso eficaz. Ela acha que a maioria das pessoas acham eficaz. O que acontece é o sujeito nasce, e metem na mão dele uma bíblia, qdo. cada adolescente deveria receber um exemplar da constituição. Ninguém acredita no processo civilizatório da justiça, pq. ninguém conhece a justiça. Ela já se fecha bastante naquele idioma, que parece único. Fora isso, ninguém sabe os seus direitos de verdade. Como confiar em algo (alguém) que vc desconhece? Como as pessoas podem confiar na lei se ela é feita para se contradizer no momento necessário? Acho que lei, justiça, tudo o que diz respeito a DIREITOS deveria ser ensinado desde cedo, nas ESCOLAS ou em CASA mesmo. Quer dizer, o cara é cidadão para pagar impostos, mas não para saber seus direitos… (Ct.)

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s