por Andre Luis Patricio: a favor das cotas

olá, fiquei extremamente de-cep–cio-na-do(EVOCO "OURO DE TOLO", DO RAUL, CANTADA POR ELE,O PELO CAETANO, PONTUADA POR TAMBORINS.COMO A PONTUAR DORES), ñ pelo fato de tu discordar das cotas,mas de aderir no processo do pedido de sua( ação diretA de) iconstitucionalidade,LOGO VC Q CRITICA AS MEIAS-VERDADES TÃO "CARAS"A NÓS; OS BRASILEIROS; ñ creio q será as cotar q dividiram o país,q bom q vc viu o "manda bala";ñ sei se vc sabe há dois dias um rapaz,um morador de uma favela carioca,so por ser"negão","paraiba" foi solto da cadeia, foi provado, q o fato dele está correndo num desses dias de conflitos em uma favela( Q VC Q É DO RIO DEVE CONHECER), ñ era porque era um traficante(temos é q discutir o q é verdadeiramente o tráfico,uma acão criminosa nesse país)mas sim um moraDOR, correndo, para ñ sagrar, nesse temporal, de manda balas,q virou as favelas,as ruas, desse brasil Varonil,há divisão social,ha divisão racial,meu caro,se há tempos ñ existisse um abdias,um milton ,e tantos a bradar os nossos direitos civis,ñ estariamos nem nessa canhestra publicidade,a onde apenas estamos sempre a lustrar,como o nego doidão,a mulata q aqui é a tal,né caetano,e estamos nesse perfil,nessa camisa de força, de sermos certos consumidores,em tais segmentos de consumo,de certo tipo,de certo modo,uma camisa de força, criada por,e para clientes dessas agências,com base em estatisticas duvidosas(e empresários e reitores q afirmam q certo setores da sociedade brasileira,no qUE tange raça(USAREI "ÉTNIA" PARA SER POLITICAMENTE CORRETO) e classe social,têm qi baixo???),então há divisão racial,meu caro,q também é social,porque ñ faço um executivo numa novela??????, porque ñ sou amigo de ninguém da produçção???????,o da direção???????,o porque o casting me diz:vc ñ é perfil(PARTICULAMENTE ACHO ESSA COISA DE PERFIL NAZISTA) ,e no cinema nacional,se ñ faço o marginal???????,o favelado??????,o tal??????;ñ trabalho!!!!!,vc ñ é perfil,ñ sou perfil,ñ sou classe,talvez uma castinha,q quando pinta uma graninha gringa para um produção;ai a gente chama o negão, do falão,há divisão racial,fetichista.lembra?????????????????? quando nos conhecemos, qUE te falei como a policia agia nos arredores do CApão/CINIRA,no ano dos "tais ataques do "PCC",tudo era motivo para mandar balas na "negrada" favelada,o q parecesse,ñ que os brancos pobres estivessem excluidos disso,mas "Os negões"o alvo preferencial da corporação,sim,também herança escravocata,o policiais se comportam como capitões do mato,nisso concordo com o MANO BROWN,sim, também herança colonial,mas qUEM manda -bala ai, qUEM supervisiona ai,achei q quAndo vc me disse algo como :essa coisa de racismo é balela,estava a me provocar,maestria;eu te disse q tinhamos ainda muita dificuldades, por que ñ eramos poder economico, como os judeus,e aindA DISSE Q TINHA MEDO DE DIZER ISTO. E VC ME DISSE:PODE DIZERRRRRRRRRRR,POIS DIGO :O BRASIL REAL É SÓRDIDO,TE CONVIDO, MESTRE, PARA CAMINHAR AO MEU LADO E DESCALÇO PELAS RUAS ESBURACADAS DO CAPÃO,AQUELE ABRÇO!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!.

OBS:AQUELA MATÉRIA LINKCADA" DO JORNAL "NACIONAL" NO BLOG,A REPÓRTER FALA O QUE Ñ É VERDADE SOBRE O PROUNI,É PRECISO SABER MELHOR O Q É DE FATO O PROUNI,E ISTO Ñ QUER DIZER Q ELE Ñ MEREÇA CRITICAS!.

andré luis patricio

do Vamp
André Luis Patricio, já que você citou Raul Seixas, eu lhe pergunto: Você já ouviu "Metamorfose Ambulante"? Pois é! Você está com "aquela velha opinião formada sobre tudo". E essa velha opinião não resolveu absolutamente nada até agora. A realidade brasileira nós todos conhecemos, não vivemos num ilha, protegida da realidade. A questão é: Ao Estado separar as pessoas pela cor da pele, ele estará combatendo o racismo ou oficializando-o? Sobre o PROUNI, outra empulhação! O Governo, em vez de fazer como em todo mundo, prender os sonegadores, neste caso os donos das Faculdades devedoras, prefere fazer demagogia e abrir vagas para alunos carentes nestas mesmas Faculdades perdoando, assim, os impostos atrasados. Resumo: Em vez de se punir os devedores, presenteia-os com o fim da dívida. Lá vai o povão estudar em faculdades péssimas geridas por trambiqueiros. E pagos com o dinheiro do contribuinte honesto! O PROUNI é isso! O Governo é esse! O resto é conversa fiada!
O Vampiro de Curitiba

[Paulão] [RS]
Vamp, você disse que "Ao Estado separar as pessoas pela cor da pele, ele estará combatendo o racismo ou oficializando-o?". É sempre bom lembrar que até 10 anos atrás o Brasil era um país sem problemas de racismo, um paraíso. Lembro de uma reportagem de quando Robert Kennedy veio ao Brasil, ao fazer uma palestra na UFRJ ouviu dos estudantes uma vaia e ficaram chamando ele de racista. Ele simplesmente perguntou "gostaria de saber onde estão os negros dessa universidade". Até hoje fazemos a mesma pergunta. Racistas sempre fomos. A questão das costas escancarou o racismo (o que foi ótimo) e mostrou rapidamente a reação da elite. Ou será coincidência que as reações contra as cotas surgem basicamente nos cursos de medicina, engenharias, odontologia, arquitetura….ainda não vi reações as cotas nos cursos de pedagogia, ciências sociais, educação física e etc. São cursos que não interessam aos filhos da elite.(contin…..)
continuando Sandra, os excluem da vivências valorizadas pelas classes dominantes. Bem, o que quero enfatizar é que toda a história de vida do negro o coloca em uma posição extremamente desfavorável na hora de fazer um vestibular feito sob medida para quem teve um outro tipo de experiência. Você também pergunta porque ele tiraria a defasagem durante o curso. Posso rapidamente citar pelo menos duas razóes. A primeira são as pesquisas que mostram que tanto crianças quanto adolescentes e inclusive adultos tirados de um ambiente pouco estimulante, onde náo tem oportunidades para prática e vivências ricas em estímulos e colocados em ambientes de experiências ricas e variadas, mostram um desenvolvimento bem diferenciado. Posso falar também das pesquisas que mostram que o aluno cotista que entrou com nota de corte bem abaixo dos outros, durante o curso se sai tão bem ou melhor que a média dos outros alunos. Em resumo, as duas questões que você evocou não tem fundamento no que se observa. (Paulao RS)

O resto: por enquanto, na tripa dos comentarios

26 Comments

Filed under Sem categoria

26 responses to “por Andre Luis Patricio: a favor das cotas

  1. Contrera

    paulão: é a vida.

  2. fabio] [são paulo

    Paulo…! Quando falo de “juiz” macaco de tóga, estou me referindo ao joaquim barbóza, cérto!Por que??..Estou me referindo como um macaco “adestrado” para servir seu “DONO”, OU SEJA, fazer o que o “DONO” ou o PÚBLICO, QUÉR VER. entende..!???o que todos querem que ELE FAÇA…o termo MACACO AÍ tem a conotação do animal adestrado, mas cria um paralelo com a cor da péle.CLARO, que não é a COR DA PÉLE que eu estou falando, mas SIM DO COMPORTAMENTO ADESTRADO.

  3. Paulão] [RS

    Fábio, não saquei qual é essa do “fora o juiz macaco”

  4. Paulão] [RS

    Sandra,as mulheres eram excluídas do mercado? Concordo…aliás, li um texto escrito por uma juíza contra as cotas que ia pelo mesmo raciocínio no Correio Brasiliense um tempo atrás. Morri de vontade de perguntar prá ela o mesmo que agora vou perguntar para você: e as mulheres negras? Elas conseguiram tudo isso que você coloca? Ou continuam como eram a…um ano atrás, fazendo o mesmo trabalho do homem branco e ganhando em média praticamente 50% a menos? Mes responda Sandra, como andam as conquistas das mulheres negras? Contreiras, gosto do que você escreve embora discorde da idéia geral que o sustenta.

  5. Sandra

    Fábio, o juiz não é macaco!!!!!

  6. Ana

    Paulo e Contrera: muito o que comentar, mas agora vou nanar, senão amanhã não pulo cedo. Como quero. Bjs.

  7. fabio] [são paulo

    É ISSO AÍ, PAULÃO!!!!!!!!..ARRASOU!!!!..
    PARABÉNS..!!!!!..VOCÊ HONRA TUA RAÇA, PAULO…!!!
    ….DE VOLTA COM MINHA BANDEIRA..!
    NEGROS NAS RECEPÇÕES, NEGROS NO ATENDIMENTO, NEGROS NAS VENDAS,NEGROS NO ADMINISTRATIVO, NEGROS NA PRODUÇÃO, NEGROS NAS CHEFIAS, NEGROS COMO SÓCIOS…..CHEGA DE FAXINA, OFICcE BOY E MOTORISTA!
    …fóra o macaco de tóga!!!!!!!!

  8. Contrera

    mas não discuto sem sangue, também. lembro-me bem quando vacilei ao questionar as cotas: quando uma doutora negra lembrou que seu pai era motorista de ônibus e sua mãe, empregada, e que nunca ninguém de sua família, ou seja, negra, havia cursado antes universidade. daí ela disse: brancos, poxa, ajudem a fazer com que essas situações não se perpetuem. pois é, eis que ela tinha boa parte da razão. a situação a que famílias como a dela eram relegadas era injusta. ocorre que NÃO SÓ A DELA. e qual o argumento para estas? nenhum. o que importa, nas cotas, é somente lidar com as famílias negras desfavorecidas, mas não necessariamente desfavorecidas, embora sim negras. aí é que a porca torce o rabo. mas, claro, em casos menores. em grande parte dos casos, o país convive com mudança, e cá entre nós, nesta nação inamovível (ou imexível) isso é um belo de um progresso, venhamos e convenhamos. agora, progresso em que direção? sei lá. eu, de minha parte, não consigo ver luz real no fim do túnel.

  9. Contrera

    continuo agora. imagine, andré, que eu queira ir ser ator lá nos eua? o que eu sou? latino. ok, então posso me encaixar em alguns dos papéis para latinos lá nos eua. esses papéis têm mudado, com o tempo. antes eram somente ladrões, traficantes. agora, a gente vê policiais, advogados, até mocinhos. fico até imaginando se o keanu reeves não é latino, realmente. mas, venhamos e convenhamos, se eu fosse um george clooney latino eu seria um george clooney? ou na verdade eu seria, menos que eu mesmo, o novo george clooney? é isso o que tanto me irrita nessa questão das cotas. todos querem entrar, todos querem ter sua vida, todos querem desfrutar, para seguirem as mesmas regras de sempre. ninguém busca questionar as regras. ou pelo menos ninguém salvo o obama, que cresceu dessa forma. vamos lá, pessoal, por que não discutimos o que existe de errado e tentamos corrigir, ao invés de tentarmos trocar apenas de lugar para mantermos tudo como está? ah, sei, porque isso é difícil, pois é.

  10. Contrera

    mas o debate público, e políticas certas ou erradas tomadas a respeito, tem suas grandes vantagens. concordo: todos os argumentos desqualificadores dos estudantes por cotas caíram por terra, e com eles argumentos sem conta a favor da discriminação respectiva. assim como muitas máscaras de alguns defensores das cotas também caíram, dizendo-se (eles) “positivamente racistas”. isso não existe. o que existe, nesses casos, é o uso do argumento da raça para fins determinados (políticos, o que, é claro, é algo positivo). vejo, no dia a dia, resultados imensamente positivos. uma mudança repentina de certos ambientes, antes segregados por raça (algo que não se imaginava). e a busca de identidade por juventude que antes poderia ser classificada como perdida – por não ter lugar em que se identificar. há pouco, vi uma garota assim: meio que sem jeito num lugar no qual antes eu não via negros. isso é excelente, ou alguém discorda? por isso gosto tanto da política, ela é dinâmica e causa mudanças.

  11. Contrera

    … uma clivagem de renda. ok, é uma forma de combater uma situação historicamente deturpada. muda algo? muda algo. muda a mentalidade? não, ela é perpetuada. usa-se o racismo como fato para utilizá-lo como princípio para reforçar um outro fato, que se supõe irá minorá-lo (ao racismo). acontecerá isso? não. claro, há anos todo mundo estava acostumado às coisas como eram – injustas. agora as pessoas discutem o que seria mais ou menos injusto. é um progresso? é. o andré reclama, com razão. mas pergunto: qual a origem de sua revolta? o fato de ser obrigado a conviver com uma situação insuportável ou o fato de não desfrutar de uma situação suportável? eu tenho motivos para não optar por algumas saídas à minha vida: eu não as quero para mim. ele diz que não tem saída, em suas alternativas. será? eu mesmo já sugeri a ele uma opção (pequena), ao encarar um texto que agora irei encenar, com outro ator. ele não quis. ao que parece, o andré quer perpetuar imagem que ele mesmo combate.

  12. Sandra

    Paulão, as mulheres também eram excluídas do mercado de trabalho. Quando comecei a trabalhar, diziam-me que meu marido ganhava para nos sustentar, e que era egoísmo meu tirar o trabalho de um pai de família. Mas as mulheres foram chegando, e a situação foi mudando. Muuuuito lentamente. Se você perguntar a um menino se ele quer entrar por cota, ele vai dizer que sim, pois o foco dele é entrar na faculdade. Natural! Mas, sinceramente, não acredito em remédio doce. Não sei a sua idade, mas se for em torno de 40, deve lembrar-se dos tabelamentos e congelamentos de preços, sempre seguidos pelos shows: estamos prendendo o gerente do Carrefour! Sejam fiscais do Sarney! Tudo em vão. As cotas lembram-me essas soluções rápidas e ineficientes.

  13. Contrera

    curioso. quando a polícia busca em quem atirar, visa os negros, os moreninhos. sim, pois. e de que pessoas é feita a polícia? de negros, de moreninhos, de gente que se não estivesse com distintivo estaria do outro lado. isso é discriminação de que, então? de poder. negro de farda é polícia, negro sem farda é bandido, é isso. então a questão está na farda, correto. bom, o país é racista. a tv é racista. ok. para isso está se lutando, encontrando o espaço no imaginário para o negro bem-sucedido, para a imagem da negritude (? não aprecio o neologismo, mas me entendem) como opção. a questão agora é na universidade. o prouni é simplesmente o governo pagar às universidades privadas para colocarem, com ajuda do governo, em vagas remanescentes, membros de classes desfavorecidas. ou seja, bancar o ensino privado. as cotas, o que são? a prática do princípio da igualdade de oportunidades, com base numa suposta correção de uma injustiça histórica. ok. utiliza-se a clivagem racial para combater…

  14. Sandra

    Paulão, você tem essas referências? Gostaria de vê-las. Mas é possível e muito melhor as pessoas entrarem na faculdade pelo vestibular, segundo regras únicas. Claro que é possível! Eu sou da periferia, sempre estudei em escola pública. Eu e vários amigos entramos na faculdade em diversos cursos, incluindo engenharia, direito e medicina. É muito melhor que se submeter a uma comissão que vai brincar de Deus. O caminho é mais longo, mas muito mais sólido.

  15. Paulão] [RS

    Vamp, para ficar no seu próprio exemplo, os alemães ganharam as melhores terras e tiveram incentivos extraordinários do governo. Os negro….bem…preciso mesmo falar da questão histórica ou da política higienista brasileira? E trocar negro por pobre também não é a mesma coisa (só no senso comum) porque olhando o nível de emprego, educação e salário entre os pobres você constatará uma grande diferença entre pobre branco e pobre negro. Em resumo, mecanismos muito sutis de exclusão agem tanto no topo da pirâmide quanto na base.

  16. O Vampiro de Curitiba

    Paulão, subistitua a palavra “negro” por “pobre” e o seu comentário terá o mesmo sentido. Mas a questão não é essa. (Só para registrar, sou contra qualquer tipo de cotas). A questão fundamental é que eu penso que o negro deva ser tratado como normal, não como alguém inferior aos outros. Se surgisse algum canalha e dissesse: “Olha, os descendentes de alemães precisam de cotas para entrar na Universidade”. Você sabe o que aconteceria? Pelo menos o Sul do país inteiro se levantaria em protesto. Eu, como descendente de alemães, quebraria as duas pernas e os dois braços do sujeito. Ele que vá brincar de racista com laia dele! As pessoas que assinaram o tal manifesto, eu incluso, não estão preocupadas se as cotas serão utilizadas para cursos de medicina ou filosofia. Estamos preocupados com o fato do Estado separar as pessoas pela cor da pele. Seja para dar cotas ou o que for.

  17. Ana

    André, não deixe que o statu quo o submeta: essa questão das cotas não inclui, mas exclui ainda mais o negro das oportunidades. Vamos ver se marcamos um papo para debater a questão ao vivo. Um grande beijo.

  18. Paulão] [RS

    Vamp, você disse que “Ao Estado separar as pessoas pela cor da pele, ele estará combatendo o racismo ou oficializando-o?”. É sempre bom lembrar que até 10 anos atrás o Brasil era um país sem problemas de racismo, um paraíso. Lembro de uma reportagem de quando Robert Kennedy veio ao Brasil, ao fazer uma palestra na UFRJ ouviu dos estudantes uma vaia e ficaram chamando ele de racista. Ele simplesmente perguntou “gostaria de saber onde estão os negros dessa universidade”. Até hoje fazemos a mesma pergunta. Racistas sempre fomos. A questão das costas escancarou o racismo (o que foi ótimo) e mostrou rapidamente a reação da elite. Ou será coincidência que as reações contra as cotas surgem basicamente nos cursos de medicina, engenharias, odontologia, arquitetura….ainda não vi reações as cotas nos cursos de pedagogia, ciências sociais, educação física e etc. São cursos que não interessam aos filhos da elite.

  19. Paulão] [RS

    continuando Sandra, os excluem da vivências valorizadas pelas classes dominantes. Bem, o que quero enfatizar é que toda a história de vida do negro o coloca em uma posição extremamente desfavorável na hora de fazer um vestibular feito sob medida para quem teve um outro tipo de experiência. Você também pergunta porque ele tiraria a defasagem durante o curso. Posso rapidamente citar pelo menos duas razóes. A primeira são as pesquisas que mostram que tanto crianças quanto adolescentes e inclusive adultos tirados de um ambiente pouco estimulante, onde náo tem oportunidades para prática e vivências ricas em estímulos e colocados em ambientes de experiências ricas e variadas, mostram um desenvolvimento bem diferenciado. Posso falar também das pesquisas que mostram que o aluno cotista que entrou com nota de corte bem abaixo dos outros, durante o curso se sai tão bem ou melhor que a média dos outros alunos. Em resumo, as duas questões que você evocou não tem fundamento no que se observa.

  20. Paulão] [RS

    Sandra, esses argumentos que você apresenta não se sustentam. Você analisa uma ponta do contexto e não o fato histórico (eu já falei sobre essa questão em outro tópico do blog). Você pergunta se os negros não conseguempor si estudar e passar no vestibular e também porque conseguiriam tirar a defasagm durante o curso. Respondo a estas duas questões. O vestibular Sandra, é o resultado de uma história de vida estudantil por um lado e de experiências de vida do estudante e também das experiências da família dele e do grupo social ao qual ele pertence. O que acontece em geral é que as familias negras são compostas por trabalhadores de nível médio ou inferior e que tem poucas chances de proporcionar experiencias tais como idas aos cinemas, museus, bons livros etc. Fora isso, os negros regra geral, trabalham desde muito novos em subempregos que não proporcionam remuneração adequada. Fora isso, convivem com preconceitos fortemente arragaidos que os excluem de boa parte das vivências… continu

  21. rosebud

    NO FAIR FIGHT/ INEQUABLE ARE THE RULES
    the leaders create misfortune/merciless/favours brotherhood from the beginning on/
    winner’s are honoured with false trophy’s/ the hurt ones undergoes/
    torturing questions/ and empty answers…

  22. Sandra

    Lembrei-me do desvio do dinheiro público, pois, ultimamente, é a transgressão mais comum. Mas é claro que incluo roubo, assassinato, seqüestro, tráfico,… nas modalidades de enriquecimento que me incomodam.

  23. Sandra

    Quanto ao poder econômico dos judeus, o que me incomoda é ver gente enriquecendo desviando dinheiro público, seja branco, preto, amarelo, pardo ou indígena, e seja de qual religião for. Caso contrário, que seja muito rico e feliz, principalmente se tiver uma puta biografia de estudo e trabalho.

  24. Sandra

    André, você acha que os negros não conseguem estudar por si e passar no vestibular? E por que conseguiriam tirar a defasagem durante o curso? Não se pode dar um diploma a uma pessoa como compensação por ela ter tido uma vida difícil. Quem faz isso é responsável pelos pacientes desses futuros médicos, alunos desses futuros professores, moradores de casas e trabalhadores de minas que estarão em construções projetadas por esses futuros engenheiros. Quando queremos facilitar as coisas para esses profissionais, dificultamos para as pessoas que dependerão deles. E o pior é que não facilitaremos em nada a vida desses profissionais. O diploma, se não é dado por mérito, é desvalorizado. Quando todos os diretores da ANAC ganharam medalhas viraram heróis? Ou todo mundo disse: Essas medalhas não valem nada. Qualquer um ganha. É o que vai acontecer com os diplomas. Pior que isso, aliás, temeroso, é darmos um poder a uma comissão de classificar-nos em raças olhando fotos! Quem são esses deuses?

  25. O Vampiro de Curitiba

    André Luis Patricio, já que você citou Raul Seixas, eu lhe pergunto: Você já ouviu “Metamorfose Ambulante”? Pois é! Você está com “aquela velha opinião formada sobre tudo”. E essa velha opinião não resolveu absolutamente nada até agora. A realidade brasileira nós todos conhecemos, não vivemos num ilha, protegida da realidade. A questão é: Ao Estado separar as pessoas pela cor da pele, ele estará combatendo o racismo ou oficializando-o? Sobre o PROUNI, outra empulhação! O Governo, em vez de fazer como em todo mundo, prender os sonegadores, neste caso os donos das Faculdades devedoras, prefere fazer demagogia e abrir vagas para alunos carentes nestas mesmas Faculdades perdoando, assim, os impostos atrasados. Resumo: Em vez de se punir os devedores, presenteia-os com o fim da dívida. Lá vai o povão estudar em faculdades péssimas geridas por trambiqueiros. E pagos com o dinheiro do contribuinte honesto! O PROUNI é isso! O Governo é esse! O resto é conversa fiada!

  26. Oziel.fibonacci

    Ovaciono os comentários, amei as opiniões de vocês. Gostaria de deixar claro que nem toda medida imediata é a solução, mas pode ser um bom caminho. O problema brasileiro se refere a educação, portanto, o sistema de cotas deveria ser reformulado, a educação capaz de atingir a universalidade e consequentemente sem comprometer a qualidade.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s