critica a critica ao livro do Contardo: ilustrada de hoje

São Paulo, quinta-feira, 17 de abril de 2008


Réplica

Crítica ao romance de Contardo foi superficial
GERALD THOMAS
ESPECIAL PARA A FOLHA

Fazer a crítica literária de um livro escrito por um alguém que é, essencialmente, um "leitor crítico do mundo", como Contardo Calligaris, não é fácil. Fazer a crítica de um romance que parece, a princípio, ser "de" amor, mas é "do" amor e não parece ser notado, bem, aí então os critérios lingüísticos ou neurolingüísticos do crítico devem ser colocados em questão.
Ah, hermenêutica, semântica, erros quânticos e tetas mântricas, não é mesmo? Não, puro campo de visão fechado mesmo ou falta de …paixão. Ou mania de querer enquadrar tudo, tipo: "Isso é romance epistolar, já esse aqui tem "igreja + pai", então vira romance do tipo "igropai'".
Haja saco!
Vamos ao ponto: a rasa e superficial resenha de sábado passado que Adriano Schwartz fez do livro fascinante de Contardo Calligaris, "O Conto do Amor", me tirou do sério (se é que isso existe, mas existe!).
Se estivéssemos no campo do "gostei ou não gostei", poderíamos simplesmente levantar o polegar, como fez até o início deste mês (e acaba de se despedir da televisão americana) o crítico Roger Ebert, do "Chicago Sun Times". Mas aqui estamos num terreno coalhado de emoções delicadas e palavras escolhidas e situações deliberadas. A crítica, se não for capaz de acompanhar, cai fora!
Contardo tece um jogo tênue de linhas tão estranhas! Elas são doces e severas, ásperas e emocionantes e, às vezes, tudo ao mesmo tempo. Ou seja, as entrelinhas e o fascinante jogo intercalado de amor e desamor, afeto e desafeto; um jogo DO amor, e não somente DE amor, e, portanto, não somente mais uma "love story" embebida de fluxos verborrágicos ou hemorrágicos de códigos davincianos ou borgianos (já que Schwartz cita Umberto Eco e "O Nome da Rosa"). Ufa!
Não nego meu envolvimento passional com o livro, já que passei madrugadas acordadas aqui em Nova York fazendo a revisão de sua edição inglesa.
Mas o original em português é de uma beleza única. Todo o mistério que se esconde por trás da morte de um pai (ou de uma possível "outra vida" de um pai e uma vida depois da morte), toda essa relação estranha e distante com esse pai, distante e ao mesmo tempo …indescritível. Daí a semiologia que o crítico não soube "ver", mas que está nos detalhes dos afrescos e de quem os teria pintado ou "assistido" a pintar… E de quem os está arquivando nos dias atuais: o tempo é crucial. No entanto, ignorado na crítica. Contardo lida com a questão do tempo de uma maneira "unique" e sublime, o paralelismo dele, a sua invisibilidade, como eu raramente senti.

Um outro mundo
E toda essa vida oculta extratemporal, que acaba revelando um outro mundo: um mundo, digamos, "real". Uma mulher.
Uma mulher que possibilita as viagens para que Carlo (personagem principal) possa visitar essa outra mulher (quem será ela? E o que eles fazem juntos, além de saborear o melhor café no Caffè Rivoire de Firenze?).
São tantos os pequenos detalhes, mas que o prendem na beira da cama -não pelas rajadas de metralhadora porque "acharam o mapa da mina", como sugere o crítico, nem porque alguém será "enforcado em Esperanto" ou toda uma biblioteca será queimada, como no conto milionário de Eco.
Aqui, com Contardo, a gente fica com o olho bem aberto, mais aberto ainda, como se fosse (talvez) um Bataille descrito com uma minúcia de alguém que está vendo o seu tempo passar com a tristeza e a certeza de que o toque de alguém que se ama jamais chegará de verdade, porque essa verdade só existe pelo curto, muito curto tempo em que um fósforo está aceso, porque a chama de um fósforo queima o dedo que o segura, e aquela chama poderá se apagar quando as duas mãos se tocarem.

GERALD THOMAS é autor e diretor de teatro.

50 Comments

Filed under Sem categoria

50 responses to “critica a critica ao livro do Contardo: ilustrada de hoje

  1. Sandra

    Fábio, Swift escreveu Viagens de Gulliver. Livro sensacional! Carregado de ironia do começo ao fim!

  2. fabio] [são paulo

    “..SWUIFT..”?Póde explicar..????Não entendi???Quanto ao MEC. , você está certa, eu tinha esquecido da MATRÍCULA..!

  3. Mau

    Claudia a raça é preta sim – negro tem origem negativa – chame nos EUA alguem de negro pra ver o q lhe acontece. Mas isso nao vem ao caso. A menina em SP era linda, é uma atrocidade – reflexo da classe média perdida em valores que nem sabem mais o que são. O que eu quis dizer é que nas favelas e periferias morrem crianças assassinadas e essa porra de MIDIA E PESSOAS COMOVIDAS QUE APARECEM NA TV AGORA CORRENDO ATRAS DE FOFOCA nao movem um dedo.

  4. Sandra

    Fábio, segundo portaria do MEC, temos que classificar nossas crianças numa dessas raças, quando fazemos suas matrículas nas escolas, públicas ou particulares. Também tive que me classificar em uma dessas raças quando fiz meu cadastramento no MEC. Minha filha entrou no “Não quero declarar” da primeira vez. Na segunda, por sugestão do meu marido, fizemos um novo quadradinho e criamos uma nova classificação: FLICTS, já que ela é mestiça de branco com amarelo. O que será que o IBGE sugere nesses casos? Veja com qual das raças você se identifica mais? Será que o IBGE tem noção do que representava ser mestiço de branco com amarelo nas décadas de 60,70, até meados de 80? Quantos amigos não foram rejeitados por suas famílias, tratados como lixo, sangue sujo… Alguns trazem marcas profundas na alma até hoje. Quanto à frase do Vamp, eu gosto de frases irônicas que causam impacto, por isso gosto tanto de Swift.

  5. Sandra

    Valéria, você que tinha sumido! O meu horário é um pouco diferente. Eu fico mais é na matinê.

  6. fabio] [são paulo

    Sandraquãntica…!!???ACHO, que vocÊ está CONFUNDINDO, MÉC,…com IBGE..??!!Né, não?? Quem faz pesquisa RACIAIS, e de rescensseamento é o IBGÉ..!Agóra, você é meio suspeita pra gostar da “PÉLORA” da “vampi”, né…A “sedução da FÊMEA MÓRTA”….! NÒSSA, parece nóme de péça, GÉRALD…!aGÓRA QUE EU ME TOQUEI DISSO!Gérald, que tal você colocar uma cena na tua péça com ÉSSA da “vampi”, tem COMO FAZER UM GANCHO???????E o pior é que cada vez mais minha “teoria” do MICHÉL CERDÃN, SE CONFIRMA.A “polaca” é MACHO. Esse papo de “fêmea mórta”,ahahahahah.., é COISA DE VIADO,ahahahaha,…BEU ABBOOOOUR!!!(clô em cena).É melhor, “vampi”, você ficar como FÓTOCÓPIA do ReiNAZI veja FASCÍculo, pois quando você qué “CRIA” DÁ NISSO AÍ,Ó!…”femea mórta”..ahahahahah….e AINDA SE ENTRÉGA!!!!!ahahaaahahhhah…!!!!

  7. Sandra

    Carlo, meu conterrâneo, se eu posso resumir muito rapidamente o que o Gerald está dizendo, é: somos racionais demais. Devemos usar um pouco mais o nosso lado apaixonado, o lado das emoções, senão vamos perder muita coisa que não se assimila só com a razão. Aprendi isso nesse blog. NUNCA me ocorreu de, ao ler um texto, eu chorar, chorar até soluçar, como quando li o artigo de 16/04.

  8. Sandra

    Por que alguém, por ser famoso, deve ter de pagar por todos os que não conseguiram fama, mesmo bons? Sorte do cara! Somos nossos primeiros juízes. Nós é que temos que saber se nosso trabalho é bom e onde podemos melhorá-lo. A fama, se vier, é conseqüência, não objetivo.

  9. Sandra

    Oi Cláudia, só um porém: para o MEC você é: PRETA, branca, amarela, parda ou indígena, ou: “não QUERO declarar”. SÓ essas opções. Vamp, eu achei sua frase ótima. O Fábio não gostou, mas não dá para contentar todo mundo.

  10. Pancho Cappeletti] [São Paulo

    Eu quero saber quem é o ´ticket for mass, o meeiro´.
    Eu quero saber seu nome.
    ????????????????????????

  11. Claudia ] [SP

    Para o Mau – Masss que comentário mais banal…”se a menina fosse preta ou favelada”vc ainda não aprendeu? a camisa é preta, o sapato é preto e a menina É NEGRA”…se a menina, atirada de uma janela é negra ou branca isto pouco importa….oque importa nesta Terra é o sensacionalismo podre e barato…a mediocridade..já que aqui (Brasil) é o país do (COITADISMO)…SEJA COITO..OU NO QUE A GRANDE MAIORIA PENSA QUE É COITADO.
    Mau..!!!! muda o disco…esta canção já é démodé…

  12. Mau

    MARINA, se a menina fosse preta e favelada a mídia nem passava perto – isso é um clichezão aforisticooo (mas é a verdade e tem de ser dita). Infelizmente. Agora a culpa dessas atrocidades é a mania que os jovens tem de ser adultos antes da hora.

  13. Valéria] [RJ

    Vamp, eu escrevi tb. E voltando ao assunto do Ticket: mas o q é literatura literatura??? Olha, isso ia dar panos pra manga, tripas pro blog… E tentar dizer o que é, será, talvez, exatamente isso que não mais será… Puxa, não vamos limitar logo este espaço! Gostaria de saber tb quem é o Joyce da vez… Nossa, tô tentando achar a peça EXILES, q vc comentou, Gerald; fiquei com vontade de ler! Dei uma olhada no Goolgle, depois vou tentar achar por aí.
    Bjim de Valéria pós-chocolate. (não vou ficar pra sessão terror, agora saio de vez!) E tô adorando ver o Gerald nestas tripinhas, aqui na platéia ou na coxia ou sei lá onde, no obstáculo ou em cima do refletor… E cadê a Sandra???

  14. Contrera

    o livro será lançado dia 26, pela manhã e começo da tarde, em sampa. irei. e talvez o compre. até então, nada. só minhas dores-de-cabeça. carinhos
    contrera

  15. Marina S.

    Os maiores escritores do momento são o suspeito casal que matou uma menina de cinco anos, primeiro asfixiando-a e depois atirando-a da janela. Superaram todos Charles Perrault, Andersen e quem quer mais q tenha escrito algum conto de fada. Superaram todos os ficcionistas e ensaístas e istas e ismos. A realidade continua batendo a (na) literatura. Quem. Eu, me pergunto, quem inventaria uma estória tão cruel. Hitler, talvez. E todos os prisioneiros sedentos por vingança de quem mata criança.

  16. fabio] [são paulo

    AFFFFFF….Mariiiiia..!!!Isso aqui hoje tá PEGANDO FOGO, HEIN!!!?????
    Gérald, desculpa de eu não ter comentado nada sobre sua crítica da crítica do tal, Autor “CORTADO”!!!(contado,..ou coitado,..sei lá, que nome esquisito)
    Nóssa, QUE RÔLO..!!!Como não lí o livro nem a crítica do shérfield…sei lá o nóme dele tb…então, fica difícil. Mas fiquei CONTENTE DE SABER QUE VOCÊ TRADUZIU O BOOK PÔ INGLÊIS!
    ESSE É GÉRALD THÔMAS….TÃNN,RÃNNN…!!!!!!!!!
    Isso é que é sê CHIIIIQUE, OCARA ARRASA, ele não só LÊ, ELE RE-ESCREVE PARA OS ANGLOS-SAXÕES LEREM…..!TÃNN, RÃÃÃNNNNN….!(esse tã rãn, é como se o dono do circo fosse apresentar a atração principal, o TRAPÉZIO…e lá em cima ELE…GÉRALD THÔMAS e sem rede em baixo!!!. só com uma redinha no cabelo).E depois, a “vampi” ARRASÔ, COM A “SEDUÇÃO DA FÊMEA MÓRTA”…ahahahahaah, eu RÍ O DIA INTEIRO DISSO! Não conseguia pensar em outra coisa.Aí ele vem agóra querê EXPLICÁ A MÉR….!Vampi, fécha éssa boca, que vai ficá pior, meu!

  17. ticket for mass, o meeiro

    estoy abaixo do equador que qua a dor do mundo. mas nao se sorrya. meu casamento era uma ameaca a sanidade mundial. quanto a farmacalogar deixa isso para os amigos do callegares. acabei de supracitar os super-hic-dupers mas confesso. nao caberiam todos nessa caixinha egoista do uol-mega-contents-triste. claudia roquette pinto outra preguicosa. quase esbarrei no ombro dela outro dia na orla da baia de guanabara. linda a ruivaca! marcelo ariel poeta-marginal-viscinal. adriana falcao. essa sim nada preguicosa. escribas que nao aparecem na folha-falha porque nao se vendem. e vou permanecer. ninguem me bota pra fora. se botar nao saio. me acho o senior mais empolgante do meu condominio! a rapaze traz os livros. sem contar o que descubro em peripecias gulgol-anas nessa internet dos inferneticos. quando encontro algum internetico interessante entro em contato com a sobrinha da minha ex-sogra. ainda acredito que serei responsavel por algum jabuti ganho nesses proximos anos!

  18. ticket for mass, o meeiro

    ja sobre alter-egos me diga o que adiantaria eu escrever joao na caixa nome. quem garantiria que me chamo mesmo joao? ja anarquia me atrai mas as damas e damos presentes merecem consideracao. vamos nos ater ao que o dono do blog prescreve. ele eh lucido. percebi isso faz tempo. 20 anos como ja disse. mas voce mesmo quando escreve aqui nao cria o seu teatro e nao curte com os resultados? se nao nao sabe o que esta perdendo. eu descobri isso hoje. agora nao paro mais. valeira-lirio-do-campo tem chocolate o suficiente. eu sou diabehtico mas aceito assim mesmo!

  19. ticket for mass, o meeiro

    carlos-nao-sei-mais se literatura fosse fashion mario quintana teria morrido rico. modismo vende. literatura nao vende. me refiro a literatos de fato. nomes como sergio sant’anna (conhece?) marcelino freire (conhece?) nelson de oliveria (conhece?) e ate a ana peluso (conhece?) pobre coitada acoitada (meu teclado nao tem cedilha quer dizer tem mais nao sei onde foi parar) pelo fabio-caixa-alta mas que escreve bem paca e so falta editar um livro. pelo que eu saiba ela nao tem. ainda que poesia nao seja a preferencia nacional. prosa eh a bunda da literatura brasileira. ana peluso minha outra-fofa nao custa nada comecar com uns contos nao eh? eh preguica? e nao li o livro do contardo callegares e nem vou ler. nao preciso puxar o saco de um cara ganha destaque em todos os bifes (outro problema de acento) de lancamento so porque escreve para a folha-falha. e eu nao tenho angustias. soy un senior bem resolvido e nada anonimo. me vejo no espelho todos os dias quando faco a barba.

  20. Mau

    Vamos dar uma recepção ao calouro digna do Pernalonga -“Que há velhinho” senta logo, mas não embassa o corredor do Bus. Bem que minha avó fala que velho adora curtir miséria …
    ;-P (oh desgraça)

  21. ticket for mass, o meeiro

    valeria-lirio-do-campo nunca compro briga com meninas. imagine sou um gentleman. voce tem razao. sao todas fofissimas mas nina-coisa-fofa recebeu votos de benvenutos ha pouco tempo. as outras receberam beijos na nuca. entre outros chamegos. — voces pensam que eu nao leio o blog nao eh? — o que faria um meeiro sem eira nem beira nesse mar de atrocidades alheias que doem no coracao?

  22. Mau

    A nova onda agora é o POVO QUE ADORA CHORAR MISÉRIA. Vai dançar o Creww que é melhor.

  23. Carlos] [nao sei mais

    VAMPIRO: agora uma coisa acaba de ser provada. Dê uma olhada no que eu acabei de escrever sobre nicknames!!! FALEI exatamente que não tenho nada contra eles (nicknames), mas que não uso meu alter-ego no blog. Não uso uma personagem. Daí você responde dizendo que eu não gosto de “nicks” e me diz pra usar meu próprio nome. EIS PORTANTO como você não consegue nem LER o que está escrito. Fica provado como as coisas são diluídas simplesmente na LEITURA ERRÔNEA do que se é escrito. E olha que falamos de algo totalmente banal. Mesmo assim você conseguiu escorregar e “inventar” o que eu não disse. Aí complica, né meu caro. Divirta-se.

  24. Sandra

    ticket, certamente você tem um blog melhor, não é?

  25. O Vampiro de Curitiba

    Ticket, não vai dizer que o Gerald foi o responsável por seu divórcio, vai? Olha, eu sou especialista em divórcios. Meu salário virou só pensão alimentícia… Vou te dizer uma coisa: Você foi a pessoa mais bem recepcionada aqui no blog. Eu vim do blog do Reinaldo Azevedo, na minha primeira participação aqui, quase fui linchado. Até o Gerald me apedrejou. Hoje eu não vivo sem essas pessoas daqui. Seja bem vindo, irmão!

  26. Gerald Thomas] [New York

    Bem vamos ver…… esse Ticket for Mass: Boston? Mitt Romney….Hmmmm acho que…..deve ter visto Matto Grosso que eu fiz com um compositor minimalista no Municipal e, pimba! separou da mulher. Tadinho. Sorry. Entregou a cabeca da mulher na bandeja ou vice versa????
    Bem, se meu espetaculo contribuiu ou destruiu de vez o que ja estava podre, sorry. Estou aqui pra….vamos ver….pra “encenar” e nao pra pharmacologar (oops) casamento de ninguem, nao eh gente?
    Qto aos super duper writers, sr Ticket? Vc nao os enumerou, nao os mencionou, nao tocou no ombro deles, no nome ou nombre hombre!
    Quem seriam? Quem serao? Quem herao Herodes?
    LOVE
    G

  27. O Vampiro de Curitiba

    Carlos, faz assim então: Começa a postar com seu nome verdadeiro e completo, já que você não gosta de nicks. Qual o problema com o “Vampiro”? E se alguma incauta se apaixonar por mim (o que, convenhamos, não é muito difícil de acontecer) hein? Outra: Releia todos os comentários: Quem foi o único que fez considerações pertinentes ao texto? Respondo: O Vamp!!!

  28. O Vampiro de Curitiba

    A Valéria provoca e depois vai comer chocolate… Valéria, minha fofa, você sabe que eu amo todas vocês, não sabe?

  29. ticket for mass, o meeiro

    criatura vampiresca eu so chamei o blog de infimo porque ele eh comprido. longo como um rio. mentira. chamei de infimo porque achei que leria mais sobre teatro do que sobre barack obama hilaria cliton problemas do islan esse pais tao pequenino e infimo quanto os assuntos sobre teatro. nao sou um expert no assunto mas gosto de alguma coisa de messie thomas. ha vinte anos atras eu tinha 42 anoes e assisti uma peca dele. me separei da minha mulher no mesmo ano. acho que a peca influenciou. fiquei com medo dela cortar a minha cabeca fora e oferecer em uma bandeja para o meu infernal sogro. pensei que teria boas vindas como a nina-coisa-fofa. estou me sentindo triste e deprimido de repente. nao tenciono voltar a ser um silencioso voiehr. o que me dizes thomas?

  30. Valéria] [Rio

    Vamp, seu clima de gamado em Gramado tá mais pra terrir… Terria então.

  31. Valéria] [Rio de Tudo

    Do alto dos seus 62 aninhos, Ticket, como entra aqui dizendo que a Nina é a coisa mais fofa do blog? Quer comprar briga com as meninas? Somos todas fofíssimas! E agora vc vai ter que botar muito ticket-conversação pra nóis aki tumém! Ai ai ai Nina: nada em relação a vc, mas a Sandra quântica, a Ana, a Marina, a de Ipatinga e quem mais chegar tb merecem o… he he he
    Fora esta estóra q li lá embaixo de conversação somente entre Gerald, Vampiro e Carlos! pô achei q era democracia e q o lance de olho ia rolar geral! Bom, tô com a macaca, deixa eu comer um chocolate.
    bjim

  32. Claudia ] [SP

    Gerald…16/04 foi impressionante…o de hoje…é 10 no quesito harmonia….querido vc está pura ternura…
    O livro está na lista das minhas leituras…
    BRAVO!!!!!!!

  33. O Vampiro de Curitiba

    Putz…Mais um com ciuminho bobo! Eu mereço! Ticket, agora que você já foi devidamente recepcionado, fala aí o que você achou do texto do Geral. Mas não faça como o Carlos, tente usar de argumentos, tá?

  34. Gerald Thomas] [New York

    Da-lhes Vamp!
    (sorry polaca!)
    Bom meeiro ou seja la, Ticket for Mass (vem cada um aqui…) Quem eh o ground breaking writer of the moment?
    Quem eh o Joyce do momento? Diga-me o nome da pessoa, Pessoa? Sera um Fim-Nega-Wako? Ou…..Um Prosit em busca do tempo futuro? Ah um Martin Amis escrevendo mais um Money part 19 do Uruguay onde morou….ou…..Austerlitz, Paul, claro, ou……um desses GIGANTES que publicam na Granta inglesa ou……sera que nem foi publicado ainda porque eh tao tao tao tao tao grande que….ninguem o publica pobre RIM-BAU-D?
    LOVE
    G

  35. Carlos] [nao sei mais

    Caro meeiro, vamos lá então: você entra dando porrada em todos, chamando a todos de metidos a intelectualoides e chega ao absurdo de indagar quem de fato sabe os “nomes do momento”, como se literatura tivesse que ser “fashion”. Ou seja, você faz todo tipo de generalização e agora acusa os blogueiros de serem pagos? Não projete sua angústia em todos aqui. Mas não estou inteiramente contrário à você: minha opinião é que as personagens criadas pelos blogueiros tem consequências. A coisa diluiu de tal forma que, seja o assunto sobre política, arte, literatura, etc, raramente o conteúdo é discutido pois as “personagens” querem ser o foco de tudo. Claro que é reflexo da anonimidade da vida real. Alguns encontram seu palco nos blogs. Não vejo nada errado em usar nicknames, mas não uso o blog pra criar um alter-ego. Dito isso, há o lado do anarquismo, coisa que respeito como manifestação. Ou seja, não serei eu quem vai impedir fulano ou ciclano de criar seu teatrinho e curtir os resultados.

  36. ticket for mass, o meeiro

    puxa agora sim me sinto um verdadeiro blog-thomasiano! tanto tempo so olhando me deu sede de participacao! criancas cheguei! do alto dos meus 62 aninhos muito bem vividos! obrigado pela ainda nao comentada recepcao como fizeram com a nina-coisa-fofa! nina-coisa-fofa voce parece ser a criatura mais querida desse infimo mas adoravel blog!

  37. O Vampiro de Curitiba

    E aí? Ainda vão querer a “sessão terror” ou melhor não?

  38. O Vampiro de Curitiba

    Ô, ticket! Sempre os mesmos comentaristas? Isso aqui é um espaço democrático, escreve quem quer. Agora se você não escreve por não saber ou não ter coragem, ou pior, escreve e ninguém te dá bola, problema seu! Aliás, se esse blog é tão ruin, o que você está fazendo aqui? Vaza, mané! E tem outra: Só quem pode bater no Fábio “caixa-alta”, mais conhecido como plebeu sanguinário do buzão do Tietê, sou eu!

  39. Gerald Thomas] [new York

    Ticket for mass: QUAL COMENTARIO SEU NAO FOI PUBLICADO?????? Eu nao cortei nada seu! Aqui a unica censura eh a de cortar baixo calao!!!!! e nada mais. E sim, por enquanto eu me comunico atraves de comment sim. Nao vejo nenhum problema.
    Mas nao me escondo atras de pseudonimo. As pessoas que escrevem aqui com pseudomino, sao conhecidas minhas e usam pseudonimo opr razoes pessoais. Ninguem pode interferir. Mas se vc tiver coragem, me escreva diretamente pro dryopera@aol.com
    LOVE
    G

  40. O Vampiro de Curitiba

    “Sessão matinê” do blog? “Upa upa cavalinho”? Então não se pode mais ser gentil com as pessoas? O Carlos cada dia me assusta mais. O cara já chega mal humorado. Que “sessão terror” é essa? Sei lá… O Homem-bomba e seu discípulo saanguinário do buzão do Tietê estão obcecados por mim. Não entram no blog para ler o que o Gerald escreveu, entram só para criticar o que escrevo. Só podem estar apaixonados. Apaixonados e com ciúmes. Aí ficam brabinhos (sim, com “b”), falam que não entrarão mais, saem emburrados, chingam todo mundo… Tá louco, viu ?! Não sabia que tensão pré menstrual dava em homens. Argumentos? Nada! Capacidade intelectual para me combater com idéias? Nem pensar! Só isso: mau humor, carência afetiva e pedantismo. Querem um conselho? O Vamp sabe das coisas: Sexo, de preferência o mais selvagem possível! Pra terminar, terei que plagiar minha polaca: Me poupem! (obs: Polaca, tô morrendo de saudades, viu, amor?)

  41. ticket for mass, o meeiro

    thomas se voce se refere a mim nao sou o critico nao. sou um simples meeiro. eu so me divido nao me multiplico. ainda. tenciono fazer uma pos graduacao para aprender a arte de ser varios como acontece aqui onde um mesmo ente consegue ser varios o que eh o caso do fabio-caixa-alta.

  42. ticket for mass, o meeiro

    o proprio dono do blog se comunica pelos comentarios mas nao publica os meus. ja sei. sou apenas um rapaz latino-americano sem um puto no banco e sem parentes no exterior mas sou seu fan. nao conta?

  43. ticket for mass, o meeiro

    fabio-caixa-alta li seus estremeliques e lembrei de um amigo meu que mora em sao roque. ele tem um humor tretado dos diabos. voce tambem mora em sao roque? sera por isso que voce implica com tudo e todos? pode ser que voce tambem so seja um raparigo carente mas acho que conheco o seu tipo. fala a verdade. voce vem aqui pago por algum inimigo do thomas para infernizar a vida dos poucos leitores desse infimo blog de teatro que mais fala de politica e publica sempre os mesmos comentaristas? sao todos pagos? ou eh puxa-saquismo verdadeiro? me desculpem as damas e os damos, e ao meu teclado-comprado-nas-casas-bahia-e-flexivel esqueceu na fabrica os seus acentos. mas consegui encontrar outras coisas nele. vida de meeiro eh assim. uma coisa inexplicavel. soy un voiehr de primeira carlos-nao-sei-mais. frequento o blog ha quase dois anos e nenhum de voces notou a minha presenca. nem a da minha luneta sempre apontada para cima. sessao terror? sera so mais do que vampiresca. ou estou errado?

  44. Gerald Thomas] [New York

    Carlos: OTIMO! Da neles! Tem um ai que entrou – com nome e endereco escondido (COVARDE) (talvez seja o prorprio critico, quem sabe?) ainda nao se debate mesmo o teor da questao
    Mas querem saber????? Esse eh um forum aberto: p artigo esta posto: nem o UOL da muita bola entao, invente um assunto e vamos virar a pagina.
    Parabens a todos!
    LOVE
    GT

  45. Valéria

    Gerald, senti falta de vc nos dar uns golinhos do texto do Contardo… Quando vc diz: “Mas aqui estamos num terreno coalhado de emoções delicadas e palavras escolhidas e situações deliberadas” gostaria de ter um pouco disso, vê como o Contardo tece, fico curiosa querendo saber da materialidade da escrita dele, do que vc pinçaria pra gente (e pra vc), e assim ver a sua viagem tb, a sua leitura de como ele construiu. “Elas são doces e severas, ásperas e emocionantes e, às vezes, tudo ao mesmo tempo. Ou seja, as entrelinhas e o fascinante jogo intercalado de amor e desamor, afeto e desafeto; um jogo DO amor, e não somente DE amor”. Gê, como não querer ler o q o seu olhar sublinhou? Sei q vc deve ter visto isso num todo, mas sempre há pedacinhos que contém esta escrita, né? Pequenas frases seriam bem-vindas!
    Bjim e inté

  46. Carlos] [nao sei mais

    ahhh…como é colorido o papo da “sessão matinê” do blog…que lindo…tudo azul…tantas amenidades…flertes virtuais…patati-patata…upa upa cavalinho…jogo de amarelinha…confete pra todo lado…com direito a voyeur que resolveu protestar contra todos. Desde quando o blog tem código secreto pra entrar? Volto mais tarde pra sessão terror.

  47. fabio nunes

    Louco o final desse texto. Muito bonito mesmo.

  48. O Vampiro de Curitiba

    Lilian, não fica com ciúmes da Nina, tá?
    Essa foi por você ter me convidado para ir a sua cidade e depois ter dito que só me convidou porque o Gerald não poderia ir. Quer dizer que se ele fosse você não faria questão da minha presença?

  49. O Vampiro de Curitiba

    NINA, nem sempre os leitores são unânimes, concordo. Mas todos os leitores do blog são unânimes em considerar você a simpatia em pessoa. Beijo!

  50. O Vampiro de Curitiba

    Fábio, você sabe o que é sentido figurado? Óbvio que ninguém tentaria seduzir alguém literalmente morto, biologicamente falando. Quando uso o termo “morta” é nesse sentido figurado, não literal, entende ? Por isso usei o termo “fêmea” ao invés de “mulher”. A mulher que está “morta” perde sua potencialidade de ser seduzida, ou seja: nesse sentido deixa de ser fêmea. Na verdade foi uma frase maravilhosa, essa minha. Você, querendo ser o crítico do crítico do crítico do crítico, fez o mesmo que o crítico do Contardo: por falta de sensibilidade, foi raso e superficial.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s