Fico com os Tablóides!

F de F*…

New York – Uri Caine é um dos muscisistas mais interessantes da nossa época. Não é compositor, é um recriador. Pega Wagner, Mahler e distorce, pinta e borda. Vai ao Rio e grava no Arpoador um samba pra valer e toca seu piano. A edição alema Winter&Winter publica suas extravagâncias geniais. Mas quem as compra? Eu… e quem mais?

Quem compra arte? Quem se interessa? Quem se interessa pelo conteúdo de alguma coisa de verdade? E em qual verdade devemos acreditar? Repito, time and time again, que meu conceito de direita e esquerda caiu com a queda do Muro de Berlim em 1989. Caiu de novo tantas vezes quantas foram as decepções em constatar que luxuosos ideais e ideologias se estilhaçaram como porcelana (não, não vou dizer chinesa no meio dessa crise do Tibet), quando Curt Cobain meteu uma bala na boca. Bandas "sonhos inacabados" foram "apressadamente acabadas por agentes de imprensa, digo, press agents". Não, muito antes disso, com o Lennon na cama em Toronto. Não, antes disso, antes d'eu nascer quando Nietzsche emigrou pra Zaratustra. Não…antes disso.

Uri Caine agora toca – num ritmo lento e retorcido, como se fosse uma tela de Francis Bacon musicalizada, o prelúdio de Tanhauser de Wagner e me leva as lágrimas. Quem não vai às lágrimas com Wagner?

Gabeira foi brilhante ao dar o troco para alguém dizendo que "Nosso problema no momento é a relação do mosquito com seres humanos". Dengue no Rio. Lágrimas.

Quem não vai às lágrimas com o que acontece no mundo todos os dias? Como se abster? Como não se abster? É como uma droga, uma droga pesada. Tem que se saber de tudo, do impacto que o reverendo tal teve sobre a campanha do Obama. O que a Hillary está planejando para hoje em sua campanha. E o McCain? E o Tibet? E o Oriente Medio? E o Brasil? E não sei aonde?

Fico com os tablóides! Pronto. Encontrei a fórmula para a medicina sem receita. Vida simples. Afinal, viver de coisas pesadas, conceitos difíceis, ideologias e iconoclastias, desconstrutisvismos….chega! Ninguém precisa disso, não é mesmo?

Agora, é com os tablóides. Vejam só: "Oprah Winfrey chegou aos 123 kilos!!!", ou na revista STAR "Triângulo amoroso entre Jen e Kate e Owen (não sei quem são, mas está otimo!). Ou na revista IN TOUCH:" É um menino..e uma menina! Finalmente Brad e Angelina vão falar sobre os gêmeos!" (puxa que alivio!!! Eu não aguentava mais esse silêncio).

Num outro tablóide: "Como fui esfaqueada pelas costas" (uma tal de Lauren Conrad conta com exclusividade). Não tenho idéia de quem seja a Lauren mas agora vou ler a coitada esfaqueda! Afinal, não é todo dia que se lê sobre um mutildado que fala!

"Novas fotos da Spitzer call girl". Opa! Aqui em NY ainda não tivemos a dose suficiente dessa menina. Queremos mais. Mais e mais!!!!! E no tablóide "OK", tem a "Jen" de "Friends" revelando sua "Dieta Mágica" com uma legenda fabulosa: "de volta ao corpo ao qual Brad não resistirá!"

E, finalmente, no TOUCH a corrosiva porém importantíssima Britney Spears com seus "segredos mais dark!!! Não, essa eu não posso perder. Todos esses assuntos e eu aqui embaixo na fila… pra comprar umas águas minerais!

Então, tchau mundo. Tchau economia, problemas de 5 anos de invasão ilegal do Iraque, tchau corrupção generalizada, tchau mortalidade de crianças e de adultos em tudo que é lugar e tchau para a pior crise econômica que nos avassala desde…..Esquece! Que Dalai Lama o quê! Já está na lama mesmo. Está no sobrenome! Que trilhão de dólares de dívida o quê! Que Bush o quê! Arbusto, a última vez que chequei com amigos brasileiros que ficaram de me mandar uma passagem.

Vou ficar aqui me deliciando com as fofocas dessa Britney e da Oprah, ó Oprah, que vive no meu coração obeso de saúde e saudade. Afinal, o que é mesmo o que eu dizia? Ah sim, escândalo por escândalo, prefiro a sátira de Orson Welles, o "F for Fake", sobre forjadores, imitadores, em Ibiza, de… sei lá quando, décadas atrás. Cada cena é uma pérola e Welles já cantava a bola: Fake é eufemismo pra fuck ou funk ou, se preferirem, fun. Let's have great fun! Afinal, a vida é um circo ou um ciclo ou não é?
Gerald Thomas
diretodaredacao.com


[Tales]
Tá difícil engolir sua última fase mais amarga, Gerald. A vida é um circo? A vida é uma mentira? Sim, do ponto de vista, existencial mesmo todos acabaremos no nada – q era o desejo q Artaud tinha de conhecer, mas os seres humanos tentam superar o devir ao darem Sentido com a arte, por exemplo.Pra mim, essa é a idéia do Sétimo Selo de Bergman, q no final só a Arte pode transcender e vencer a Morte, q infelizmente o cavaleiro medieval, preso a seus temores, mitos e sua vida prosaica, perde.

Eh Tales: ta foda! mas fazer o que? "Esse eh um espetaculo Rabelaisiano. Temos que rir" (Nowhere Man, meu mesmo, 1996) Ta foda! LOVE GT

da Lu
As vezes eu paro nesse sonho de arte eternidade, acho que muitos aqui compartilham desse sentimento… Tantos sao aqueles que prolongam suas existencias pos-morte atraves da arte, ou de alguma outra forma… E isso da realmente uma ideia de eternidade… Mas ai eu deparo com esse "quase ninguem" do G que eh tao comum e real, que todas as eternidades em que acredito ficam com os dias contados e eu acabo abracando a ideia de outro cineasta, o Gaspar Noe de Irreversible: "Le temps detruit tout!" E assim, qualquer vestigio, de alguem, algum dia e esquecido, desaparece.

do Sergio Penteado
Aaaaah, Gerry ! Não menosprezemos o valor dos tablóides, eles são uma forma de arte, menos na acepção culta do termo, mais no sentido jocoso do esforço bem sucedido que fazem de nos entreter. Tudo, absolutamente tudo que lemos em jornais, revistas, internet, ou assistimos nos noticiários de TV, é passível de desconfiança, de ser minuciosamente investigado, analisado, prospectado, reduzido, desmentido. No final de tudo o que fica mesmo é o nosso arremedo , ou o que supomos ser,de inteligência,de senso crítico e de capacidade de raciocínio. Você diz que NADA PROVA NADA,e não prova mesmo. Nós somos seres contemplativos diante de um monitor, dedilhando fragmentos de informação,previamente originados por outros milhões de fragmentos de informação elaborados por pessoas que beberam da mesma fonte…enfim, querer penetrar profundamente no âmago dos mistérios do mundo e da história e de todas as vertentes de filosofia do mundo é o equivalente a uma viagem de ácido sem volta.TABLOIDS SO !

sobre o maravilhoso Gabeira, do Marcelo
GABEIRA foi realmente brilhante na resposta ao senador Crivella! "Nosso problema no momento é a relação do mosquito com seres humanos". É de chorar. É de gritar. Lula apoiará Crivella na candidatura para prefeito do Rio de Janeiro. E isso também me faz chorar. O nascimento da tragédia ( do primeiro livro de nietzche ) … Choramos com wagner. E choramos pela tragédia : "nada será como antes". Pessimismo e Helenismo. Lula apoia Crivella. Sem mais. Choro e chuva aqui no rio.
Marcelo Frankel

eh Valeria, depois do negocio la do Manhattan ConneX o Contrera me abandonou!

da Valéria
Maravilhoso, irônico e cruel o seu texto, G. É assim q muitos se sentem, eu tb, qdo vêem pessoas lendo estas notícias de umbigo. Tiro férias de mim e fico me perplexando c/ o mundo mas me pergunto pra q leio e me arraso c/ tudo isso q leio? É tão melhor ñ olhar, colocar debaixo do tapete onde todo o sofrimento humano realmente tá. Ia me fazer bem? Não, pq ia me dar + náusea ainda! E este papo de Arte ser eterna: só é se as pessoas amarem tal artista etc; um vai passando pro outro, se ñ vai pra debaixo do tapete tb! Morre tb! Qtos artistas ñ renasceram por conta dum olhar de alguém? Qtos ñ nasceram? E qtos ñ morreram? A gente é quem dá esta tal dona eternidade, amando-a, polemizando, dialogando com ela ou ñ, ora pipocas! O mesmo com China Lama, Iraque, escravos modernos e dengue por minuto aki no Rio: se a gente ñ olha, isso tb vai se eternizar debaixo de tapete! E o mínimo q faço é olhar e gritar pros surdos q estão ao meu lado! Mas me sinto (l)rouca. A tal escuta ativa é fundamental.
Valéria

Pois é LU: Irreversible de Gaspar Noe…(engole seco…)…talvez tenham sido as condições nas quais assisti ou tentei assistir ao filme: doente, num quartinho de hotel de quinta categoria lá na cidade que se passa o filme mesmo, ao lado de duas chaminés gigantescas soltando gases 24 horas por dia e o barulho dos carros sem parar a noite toda invadindo o quarto que fedia a cigarro. Daí as imagens claustrofóbicas do Noé…tonteira absoluta…as cenas no Rectum pesam…tudo pesa…Essa dialética do tempo não é novidade, mas a maneira como ele a trata é realmente individual e sem "perdão". E na mesma direção é "Seul contre tous" do mesmo Gaspar Noe…Que mergulho deprê…passado e futuro deteriorando-se no presente…eis o grande pessimismo. E como as mulheres apanham nesses dois filmes…ah como apanham…
Carlos, irreversible

do Fabio (nao gostou!)
É, Gerald, não rolou amigão! O BASTA/PASTA pra mim ACACHAPÔ!!!! É O MELHÓR ATÉ AGÓRA.Acho que o estresse de dirigir péça por TELEFONE, NÃO TE LIBEROU PRO TEXTO .
fabio

VERSAO FINAL SOBRE CURITIBA: POR FAVOR VAO AO SITE DO FESTIVAL:
www.festivaldecuritiba.com.br (la se explica que foi uma questao de logistica e nao escolha minha)

o comentario da gloriosa Maria Fernanda Sanchez esta na tripa dos comments

Advertisements

21 Comments

Filed under Sem categoria

21 responses to “Fico com os Tablóides!

  1. Lu

    Carlos, olha so, me apaixonei pelas imagens do seu comentario, essa simultaneidade entre voce e o filme. A sensacao de mal-estar e o pessimismo sao realmente grandes ali. Mas, as vezes, eu prefiro olhar pra cena da Monica no parque (apesar dela tornar todo o filme mais cruel). Ali tambem tem um momento irreversivel, que me provoca um sentimento ingenuo e romantico, o qual pretendo levar em minha primeira visita ao lugar onde voce estava… (desculpe a labilidade). take care… bjs, Lu

  2. simone rosa] [rio de janeiro

    Oi pessoal,estou sempre no blog obsevando a festa, gosto de ler mas nao de escrever, mas dessa vez estou escrevendo..,principalmente depois do G citar uma possivel festa para os participantes do blog..
    Eh realmente exaustivo tentar acompanhar e se ocupar com tudo de importante que acontece no mundo, as vezes acho que uma LEITURA MAIS LEVE pode aliviar meu espirito, porem soh me irrita, sinto que estou perdendo tempo..eh G, apesar de sua acidez (nao sua azia) me fazer rir muito, concordo com o Fabio,ultimamente nada melhor que BASTA PASTA..love Ah ja tina enviado um comentario ontem ,mas acho que foi censurado…Como pode?

  3. Maria Fernanda] [Sampa/Brasil

    Gerald,
    Concordo que os tabloids são a maior expressão do culto a banalidade e a massificação, MAS NÃO VAMOS NOS DESANIMAR, SE EXISTEM OUTRAS POSSIBILIDADES DE TRANSFORMAÇÃO DA VIDA COM ARTE, VAMOS DIVULGÁ-LAS. POR FAVOR, NÃO DESISTA!
    MARIA FERNANDA/SAMPA

  4. Mau

    [um desabafo] Sinceramente é cerimonias por demais. É Pascoa cristã, é reza budista, é feriado Judaico do Purimin, é celebração da Primavera dos Curdos, será que precisa de tanto e tantas felicitações – o mundo vai uma merda e obrigado. Eu celebro aqui o NADA E O ABSURDO. PAREM DE CELEBRAR…OS DEUSES OU ESTÃO BEBADOS…OU MORTOS

  5. fabio] [são paulo

    É, Gerald, não rolou amigão!
    O BASTA/PASTA pra mim ACACHAPÔ!!!!
    É O MELHÓR ATÉ AGÓRA.Acho que o estresse de dirigir péça por TELEFONE, NÃO TE LIBEROU PRO TEXTO .

  6. Mau

    Concordo plenamente, sem tirar nem por. Estava a pouco na varanda de casa, depois que a chuva de outono resolveu parar e pensando – que so consigo desligar o cerebro a base de remedios – e que nao consigo mais deixar-me “cinco minutos de inutilidades” mesmo num sabado – depois pensei, qtos milhoes estão agora “em cinco minutos de asneiras”. E daí concluí que esses milhoes fazem do resto da semana – cinco minutos de bobagens permanentes – é assim que a vida mundana corre. É assim que se chega aos 100 anos. Coisa q dispenso.

  7. Carlos Hugueney Bisneto] [Uberlândia-MG

    Gerald – vc é simplesmente DEMAIS. Sou apaixonado por sua inteligência ácida.
    Abração
    HB.

  8. Sandra

    Gerald, só agora li seus e-mails, querido! Super beijo

  9. Contrera

    mal consigo acessar internet. logo volto. bj
    contrera

  10. Sandra

    Que tablóide?! Busão é muito mais filosófico… Muuuito mais profundo!… Outro dia, um senhor ameaçava: Vocês vão morrer! Quem mora em prédio vai morrer! Quem tem dinheiro vai morrer! – Não resisti e falei para o meu marido: Não deixa de ser verdade, né? O tal homem ouviu e gritou, muito bravo: MAS VOCÊS VÃO MORRER PRIMEIRO!!!!!!!

  11. Carlos, irreversible] [US

    Pois é LU: Irreversible de Gaspar Noe…(engole seco…)…talvez tenham sido as condições nas quais assisti ou tentei assistir ao filme: doente, num quartinho de hotel de quinta categoria lá na cidade que se passa o filme mesmo, ao lado de duas chaminés gigantescas soltando gases 24 horas por dia e o barulho dos carros sem parar a noite toda invadindo o quarto que fedia a cigarro. Daí as imagens claustrofóbicas do Noé…tonteira absoluta…as cenas no Rectum pesam…tudo pesa…Essa dialética do tempo não é novidade, mas a maneira como ele a trata é realmente individual e sem “perdão”. E na mesma direção é “Seul contre tous” do mesmo Gaspar Noe…Que mergulho deprê…passado e futuro deteriorando-se no presente…eis o grande pessimismo. E como as mulheres apanham nesses dois filmes…ah como apanham…

  12. Sérgio] [São Paulo, SP, Brasil

    Toda vez que você coloca um tema tendendo ao pessimismo, eu percebo que isso provoca uma agitação danada no blog, porque sinto que tua ilha de solidão acaba sendo cercada não impermeavelmente, mas solidariamente por aqueles que se sentem exatamente igual a você.

    O Vampiro tem razão : você não poderia se satisfazer jamais com futilidades, mas o tom irônico que deu sugerindo a leitura dos tablóides para esquecer the real things procurei emendar de forma mordaz, também elevando-os a alguma forma de arte…rs…a “arte” de fazer grana bisbilhotando a vida alheia e destruindo reputações.

    Estou achando você bem ativo, e gosto disso ! Abrindo a roda através da incitação ao pensamento, provocativo como nas peças. E, como te disse hoje ao telefone, somente o contraditório pode contrariar posições unânimes, lançar sementes ao questionamento.

    E Orson Welles…não precisa nem dizer, sou apaixonado por ele !

  13. Valéria] [RJ

    CONTRERA, CADÊ VOCÊ???

  14. Valéria ] [RJ

    Maravilhoso, irônico e cruel o seu texto, G. É assim q muitos se sentem, eu tb, qdo vêem pessoas lendo estas notícias de umbigo. Tiro férias de mim e fico me perplexando c/ o mundo mas me pergunto pra q leio e me arraso c/ tudo isso q leio? É tão melhor ñ olhar, colocar debaixo do tapete onde todo o sofrimento humano realmente tá. Ia me fazer bem? Não, pq ia me dar + náusea ainda! E este papo de Arte ser eterna: só é se as pessoas amarem tal artista etc; um vai passando pro outro, se ñ vai pra debaixo do tapete tb! Morre tb! Qtos artistas ñ renasceram por conta dum olhar de alguém? Qtos ñ nasceram? E qtos ñ morreram? A gente é quem dá esta tal dona eternidade, amando-a, polemizando, dialogando com ela ou ñ, ora pipocas! O mesmo com China Lama, Iraque, escravos modernos e dengue por minuto aki no Rio: se a gente ñ olha, isso tb vai se eternizar debaixo de tapete! E o mínimo q faço é olhar e gritar pros surdos q estão ao meu lado! Mas me sinto (l)rouca. A tal escuta ativa é fundamental.

  15. O Vampiro de Curitiba

    Viver de futilidade, Gerald? Você? Como se isso fosse possível… Desculpe-me, irmão, mas não conseguirá! Lí, quando tinha 12 anos,”Crime e Castigo”. Me pareceu um simples romance juvenil. Tempos atrás relí o mesmo romance, mas havia lido uns dias antes “Memórias do Subsolo”, do mesmo Dostoiévski. Meudeusdocéu! Aquele romance “juvenil” teve o peso de um Universo sobre minhas costas. Jamais verei novamente o mundo com aquela leveza da juventude. Quero dizer com isso que estamos condenados à uma vida de dor? Não. Devemos esperar o “eterno retorno”. Viver como se tivéssemos que reviver o mesmo momento infinitas vezes. “Ahh, Vamp, mas se o eterno retorno não existir?” Que importa se não existir? Temos que viver como se ele existisse.

  16. Marcelo Frankel] [RIO DE JANEIRO

    GABEIRA foi realmente brilhante na resposta ao senador Crivella! “Nosso problema no momento é a relação do mosquito com seres humanos”.
    É de chorar. É de gritar.
    Lula apoiará Crivella na candidatura para prefeito do Rio de Janeiro. E isso também me faz chorar. O nascimento da tragédia ( do primeiro livro de nietzche ) … Choramos com wagner. E choramos pela tragédia : “nada será como antes”.
    Pessimismo e Helenismo.
    Lula apoia Crivella.
    Sem mais. Choro e chuva aqui no rio.

  17. Sérgio] [São Paulo, SP, Brasil

    Aaaaah, Gerry !
    Não menosprezemos o valor dos tablóides, eles são uma forma de arte, menos na acepção culta do termo, mais no sentido jocoso do esforço bem sucedido que fazem de nos entreter.
    Tudo, absolutamente tudo que lemos em jornais, revistas, internet, ou assistimos nos noticiários de TV, é passível de desconfiança, de ser minuciosamente investigado, analisado, prospectado, reduzido, desmentido.
    No final de tudo o que fica mesmo é o nosso arremedo , ou o que supomos ser,de inteligência,de senso crítico e de capacidade de raciocínio.
    Você diz que NADA PROVA NADA,e não prova mesmo.
    Nós somos seres contemplativos diante de um monitor, dedilhando fragmentos de informação,previamente originados por outros milhões de fragmentos de informação elaborados por pessoas que beberam da mesma fonte…enfim,
    querer penetrar profundamente no âmago dos mistérios do mundo e da história e de todas as vertentes de filosofia do mundo é o equivalente a uma viagem de ácido sem volta.TABLOIDS SO !

  18. Lu

    As vezes eu paro nesse sonho de arte eternidade, acho que muitos aqui compartilham desse sentimento… Tantos sao aqueles que prolongam suas existencias pos-morte atraves da arte, ou de alguma outra forma… E isso da realmente uma ideia de eternidade… Mas ai eu deparo com esse “quase ninguem” do G que eh tao comum e real, que todas as eternidades em que acredito ficam com os dias contados e eu acabo abracando a ideia de outro cineasta, o Gaspar Noe de Irreversible: “Le temps detruit tout!” E assim, qualquer vestigio, de alguem, algum dia e esquecido, desaparece.

  19. Tales

    Tá difícil engolir sua última fase mais amarga, Gerald. A vida é um circo? A vida é uma mentira? Sim, do ponto de vista, existencial mesmo todos acabaremos no nada – q era o desejo q Artaud tinha de conhecer, mas os seres humanos tentam superar o devir ao darem Sentido com a arte, por exemplo.Pra mim, essa é a idéia do Sétimo Selo de Bergman, q no final só a Arte pode transcender e vencer a Morte, q infelizmente o cavaleiro medieval, preso a seus temores, mitos e sua vida prosaica, perde.

  20. Sandra

    Ganhou do CPTM e da praça da Sé!!!

  21. Sandra

    “Finalmente Brad e Angelina vão falar sobre os gêmeos!” (puxa que alivio!!! Eu não aguentava mais esse silêncio)”
    MUITO BOM!!!!!!!!!!!!!!!

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s