Os Dois Baracks e Uma MaMa

                                              

 

 (Foto de Gerald Thomas, do celular)

Há cerca de um mês estava tudo tranquilo. Quer dizer, tranquilo…Nunca nada, ever, está tranquilo. Mas Ellen Stewart, a fundadora do La MaMa ETC (Experimental Theater Club, que cunhou esse termo, ‘teatro experimental’), estava em seu apartamento, no 5 andar acima do teatro onde comecei minha carreira ‘oficial’ com as peças de, bem, vocês sabem de quem. De um irlandês famoso, o mais genial: Sam Beckett. E, até semana passada, nosso presidente Barack Obama ainda estava no Havaí de férias e o bombardeio entre Israel e o Hamas ainda não havia começado. Não era Natal ainda. Jesus ainda não havia nascido.

Bem. Os dois Baraks, ou Baracks, saíram de seus refúgios e Ellen Stewart entrou, em estado grave, para o hospital, para o refúgio de uma UTI. Algum paralelo? Talvez. Ontem, ao visitar a minha mamma, a pessoa a qual devo toda minha vida teatral, ela me dizia: “temos dois Baraks, dois Baracks, você precisa escrever sobre isso. E precisa escrever sobre como os judeus sefaradins são perseguidos por vocês!”

Eu, Mamma? Eu não persigo….

“Você, é maneira de dizer… vocês ashkenazis”

Ela se referia aos milhões de judeus Yemenitas, Etíopes e Somalianos ou  Egipcios ou Iraquianos e aqueles nascidos em solo “palestino” de cor escura. “São tratados como nós, negros, éramos, ou ainda somos, pelos brancos, aqui e no mundo”.

Sim, Ellen sabe tudo sobre racismo. Vinda de Chicago para New York nos anos cinqüenta pra trabalhar como estilista na loja Sack’s Fifth Avenue, ela tinha que entrar pela porta dos fundos. Era a única estilista negra. Lutou, berrou, esperneou e ralou até que chegou onde chegou: Fundadora do mais reconhecido teatro experimental do mundo, aquele que trouxe (da Polônia) Jersy Grotowsy e Tadeuz Kantor ou, do mundo, Peter Brook, Kazuo Ono, ou de paises confinados,  ou reduzidos a trapos, dezenas de artistas do palco  pra cena do East Village e deu ‘voz’ pra companhias como o ‘Mabou Mines” (de onde surgiu Philip Glass), e tantas milhares de outros, como Sam Sheppard ou até Robert de Niro e Bob Wilson….Ellen é, como diz Harvey Firestein (autor de “Torch Song Trilogy”), “Ellen é responsável por 80 por cento do que está nas telas e nos palcos americanos” (entrevista a Vanity Fair de anos atrás).

Estamos confinados.

Até semanas atrás, Ehud Barak, ministro da defesa de Israel e ex- Primeiro Ministro (deposto em 2000 ou 2001, não me lembro), era considerado um homem praticamente morto na vida política israelense. Ele é membro do mesmo partido trabalhista (o de Golda Meir e Ben Gurion, o fundador do Estado de Israel)…. ah, e, by the way, Barak é sefaradim , portanto não muito popular entre os “brancos” como Benjamin Netanyahu, também ex-primeiro ministro, educado aqui nos States, um perfeito sotaque inglês americano, um cara que era visto jogging em Central Park, digo, o Natanyahu.

Bem, ninguém está mais falando assim de Ehud Barak agora, nesse momento. Essa guerra contra o Hamas ou contra os palestinos, depende de como vocês queiram ler, é uma guerra ‘tida como pessoal’. Paralelos com George W Bush e o Iraque? Sim, já que o Pai, George Bush “Senior”, dono da guerra Desert Storm deixou o ditador Saddam Hussein, intacto? “W” foi lá e, crau! Estamos onde estamos. E a dívida? E a dívida humana?

Paralelos? Ontem, conversando pausadamente com a Ellen (nome da minha mãe biológica também), no hospital – (e não riam) – “Beth Israel”, ao sair para comprar uma barra de chocolate pra ela, perguntei pra alguns médicos judeus orthodoxos o que achavam do atual conflito: “DISGUSTING ! “Em tantos anos de intelligence gathering, deveria se achar uma outra maneira de desmantelar um grupo terrorista como o Hamas”. Já outro me dizia…”Crush them all” (massacrem, amassem todos!).

Barak está todo prosa: vestido com seu casaco de couro ele está respeitadíssimo entre seus pares no Knesset (parlamento) Israelense. Barack Obama está morando provisoriamente num hotel em DC. Faltam 12 dias para sua inauguração. Todo prosa, e com razão, ele está com seu terno e gravata tentando dar um jeito na economia americana que está um trapo: parece uma dessas fotos que se vê saindo de Gaza. Me desculpem pela péssima analogia, mas era evidente que um paralelo gráfico teria que ser feito.

Ellen Stewart apertava minha mão. Dificuldade em respirar. Mão enfaixada pelas injeções de insulina, etc. Ás vezes encostava a cabeça no meu ombro. Essa cena me é comum há três décadas, afinal, essa é a pessoa que me deu a vida no palco e comemora NOVENTA anos de idade. E me diz….”genocídio de crianças eh imperdoável…sob qualquer circunstancia….e a perseguição entre vocês….”. A enfermeira interrompeu. Era hora dos procedimentos médicos. Saí do quarto. Fiquei em pé no corredor pensando nessa mulher que passou metade de sua vida profissional amando Israel, montando um teatro lá.

Hoje, com o ataque do Hesbollah, ela já está em casa, sempre com a televisão ligada. “Gerald, escreve o que você tem que escrever, mas escreve para o palco. Não entendo isso de Blog que você fala”.

Essa é uma homenagem a Ellen Stewart.  Essa é uma homenagem a todos os que têm uma opinião, seja ela qual for. Mas cuidado: para se ter opinião mesmo, deve se saber onde, porquê e quando. E não arrotar ou reciclar bobagens.

Gerald Thomas

PS: Este artigo só faz sentido se lerem  antes “Israel Sexy”, no post abaixo, com seus quase 700 comentários.

 

(Vamp na edição)

About these ads

505 Comments

Filed under artigos

505 responses to “Os Dois Baracks e Uma MaMa

  1. Outro grupo terroristas ataca ISRAEL, depois vão mostrar crianças na TV, e o malvado atacando os pobres coitados.

    O Povo demente.

    Sandra estes que não concordam contigo devem levar os homens, mulheres e crianças bomba para casa, e logico deixar os inocentes praticarem.

    Ai pergunto: Hé não tá bom??

  2. Nina

    Tudo nunca está tranquilo… só parece….
    Ossos, sangue, carne, o agora
    E tudo isso em nós que se fará disforme?

    Desamparo.

    Mas a Lei e a frustração protegem e estruturam o sujeito.
    Saber-se humano é o… LIMITE dascondições do humano, …

    Triste, muito triste…
    por mim, por vc, por todos nós.
    exausta
    incapaz de escrever.
    limite.

    beijo Gerald

    beijo a todos

  3. Nina

    Alguém conversando comigo agora:

    Qual o seu maior medo?
    a morte

    Pensa em suicídio:
    Sinto a idéia do suicídio me rondando a cada dia.

    Quer morrer?
    quero.

    Quando?
    antes de tudo degenerar…

    Este tempo é quando?
    O tempo da degeneração? agora.

    Quer morrer agora?
    Quero.

    E por que está vivo?
    Por que estou aqui, conversando com a sra.

    E depois?
    Depois vou dormir, pq estou muito cansado.

  4. Garganta

    Caro Gerald,

    Por esse aspecto o mundo continua a mesma merda.

    Eu pensei em cometer a loucura de transcrever um texto da professora Marilena Chauí sobre a comunidade Judaica de Amsterdã, está no livro “Espinosa uma filosofia da liberdade”, no começo. Mas eu tenho juízo e não vou reproduzir( é muito longo).Em suma, expõe o conflito –político– entre judeus marranos e sefaradis, eles tinham até sinagogas diferentes, se não me engano. É nesse cenário que Espinosa escreve o Tratado Teológico Político.

    PS: Em Amsterdam, havia conflitos entre os calvinistas e etc. também( uns favoráveis à monarquia; outros republicanos e etc.).

    PPS: Não sei se você abriu o meu presente de Natal, mas leia pois é interessante. Infelizmente, eu tentei abrir a página, mas parece que tem algum problema, ela não abre( não vou postar cá).

    Com os melhores cumprimentos,

    Garganta.

  5. gthomas

    QUEM ENTROU ONLINE COM ESSES SEARCH WORDS NUMA HORA DESSAS MERECE SER DESTRUIDO!

    [<>]
    Domain Name (Unknown)
    IP Address 189.107.6.# (Unknown Organization)
    ISP Unknown ISP
    Location
    Continent : Unknown
    Country : Unknown
    Lat/Long : unknown
    Language Portuguese (Brazil)
    pt-br
    Operating System Microsoft WinXP
    Browser Internet Explorer 7.0
    Mozilla/4.0 (compatible; MSIE 7.0; Windows NT 5.1; InfoPath.1; .NET CLR 1.1.4322; .NET CLR 2.0.50727)
    Javascript version 1.3
    Monitor
    Resolution : 1280 x 720
    Color Depth : 32 bits
    Time of Visit Jan 8 2009 3:56:39 pm
    Last Page View Jan 8 2009 3:56:39 pm
    Visit Length 0 seconds
    Page Views 1
    Referring URL http://www.google.co…d sexo&start=10&sa=N
    Search Engine google.com.br
    Search Words michel melamed sexo
    Visit Entry Page http://colunistas.ig…urgitofagia-em-foco/
    Visit Exit Page http://colunistas.ig…urgitofagia-em-foco/
    Out Click
    Time Zone UTC-2:00
    Visitor’s Time Jan 8 2009 5:56:39 pm
    Visit Number 426,209

  6. Nina

    Specie la sera
    E soprattutto
    Se la sera è passata
    E in compagnia della notte
    Anch’essa al termine
    Aspettando all’alba
    Il rincasare del sonno
    Non e’ un segreto
    Sta passando un periodo difficile
    Ma risulta in parte nascosta
    Dall’accostamento delle cosce

    Il trattamento deve esser iniziato con cautela
    È possibile un aumento del rischio
    Seguire l’ordine indicato
    Su ciascuno
    Danneggia gravemente
    Te e chi ti sta intorno
    Impaginazione
    È possibile selezionare la lingua
    Ogni elemento che realizza
    In modo da consentire una facile manovra di disinnesto di nuovo?
    Evitare di toccare la superficie ( parte posteriore)
    Onde evitare rigature e particelle di sporco
    Quando non usato
    Riporre rivolgendo verso il basso
    Sui muri una serie di arazzi
    Tutto intorno
    Resta
    Ancora
    Un pavimento maiolicato
    Sono stati riportati
    Vertigini
    Disturbi del sensorio
    Agitazione
    Tremore
    Confusione
    Sudorazione
    Palpitazioni
    Instabilità emotiva
    Strani fluidi
    Vola il verde
    Oggi sarà
    Meglio di ieri
    Ti interrogheranno
    sul
    Perché appari più bella
    irraggi e sorridi
    Non paventare i colleghi più scaltri
    Lasciali dentro i loro armadi
    In compagnia
    Dei loro
    Scheletri
    Suonano in strada degli “zingari”
    Una fisarmonica
    Musica d’accompagno
    Gradita
    Bramerò domani
    L’avuto oggi
    …..

  7. gthomas

    Nova York – pode-se dizer assim: eh divida entre 3 grandes partes etnicas/religiosas

    Judeus – (migraram de todas as partes desde sempre, mas mais forte desde a 2 Guerra. Mas estao aqui ha 140 anos.Lithuaneses. Bessarabicos, Russos, Poloneses, Etc,

    Catolicos (irlandeses. italiamos, latino-americanos (hispanicos)

    islamicos: Negros americanos (a conversao comecou com Malcom X) e paquistaneses, Africanos de todoso os paises, Indonesios, etc….

    Entao, com essa guerra, a metade de NY quer pegar a outra de porrada. Mas nao quer: antes fosse assim. Aqui todos se sentem americanos e todos estao mais preocupados com o $ nos seus proprios bolsos e ….eh isso! No hospital, medicos judeus trabalhavam lado a lado com islamicos ou hindus e nao fazia a menor diferenca

  8. OS DOIS BARACKS E UMA DAMA …

    “Paralelos” … Ontem à noite, fiz um sutil paralelo entre um negro e uma judia – “preconceitos e pré-conceitos”. Sugeri que refletissem sobre a “mensagem” do filme … “Conduzindo Miss Dayse”. Um negro e uma judia – no principio em lados opostos às suas vidas e, já no final, percebem que “sempre” se ampararam recìprocamente.

    “DESARMAR” HAMAS & CIA. LTDA. é o objetivo do exército israelense – nada mais. Infelizmente, “alguém tem que fazer esse serrviço” … “Sujo” – uns raciocinam assim… Eu? Vejamos…

    Infelizmente, não podemos ser complacentes com terroristas que se escudam em mulheres – que, em principio, nada mais são para eles do que mera “fábrica de homens-“heróis”-à-sua-causa-bombas” do futuro!
    Que se escudam em criancinhas, quer sejam do sexo feminino ou masculino. Mais do sexo feminino, últimamente … Por que será, não?

    Não podemos ser complacentes com terroristas para quem os filhos, as mulheres e as criancinhas – deles e dos outros – não significam absolutamente nada – apenas “escudos” à sua estúpida e insana causa sangrenta de “mártires” pró-fanatismo!

    Não podemos ser complacentes com terroristas que explodem edificios, aviões, trens, carros, escolas, hospitais, etc… etc… para chamar a atenção international sobre a “causa palestina”, pouco se importando se as vítimas dos seus atentados terroristas são brancos, negros, ricos, pobres, miseráveis; europeus, americanos, africanos, asiáticos.
    Nada se importando se … suas “vítimas” são também os seus próprios filhos, suas mães, irmãs ou esposas.

    Não podemos ser complacentes com esses “terroristas palestinos” (Hamas & cia.). Não! Observo, ainda, que o termo “palestino” está sendo muito confundido e perdeu sua identidade; sua característica . Hoje, “parece-me” que palestino significa “pulga destroçada por um elefante”. Questionável …

    Pensemos: um “elefante incomoda muita gente”. Uma “pulga” saltitante para lá e para cá (“pinica” aqui e acolá o corpo do elefante) incomoda muito mais… O “elefante” … uma hora se cansa e … se chacoalha todo, tendo repelir “dona pulga”.
    O elefante foi “desastrado” – que horror!!! Imperdoável?

    Pensemos, ainda, nessa “pulga que pinica o elefante aqui e acolá” … O “elefante” aí, é aquele paquiderme grandalhão, né?
    Pra mim é “mundo”. O ocidental, principalmente!

    Afinal, somos complacentes com “terroristas” (daqui ou de lá)?

    Bem … podemos ser coniventes também – a escolha é nossa.

    Missão (quase) impossível é essa a dos “negociadores da PAZ”?
    Não sei, me perdi no meu “mundinho utópico” de sonhos e quimeras – o da PAZ e do … “todos se amando e respeitando” …

    Abraço a todos!
    Susan judia

  9. Garganta

    Caro Gerald,

    Por isso dizem que Nova Iorque é a nova Roma. Tem até algum filme da sessao da tarde que o ator diz isso.

    Com os melhores cumprimentos,

    Garganta.

  10. Oi, GT e pessoal.

    G: vou falar para a minha esposa colocar a Ellen nas orações dela.

    Pacheco, achei no Estadao (prefiro a Folha) a seguinte notícia:

    BOMBA

    Depois do assalto em 1967, em São Paulo, Diógenes participou, em 1968, do atentado à bomba contra o Consulado dos EUA em São Paulo. A ação acabou por dilacerar a perna do militar Orlando Lovecchio. Depois de ter a perna amputada pelos médicos, Lovechio foi obrigado a se aposentar por invalidez com pensão do INSS no valor de R$ 571.

    Então, Lovechio recebeu uma pensão (uma mixaria, não é?) Mas agiu sob ordes do exército e defendendo o estado. O INSS está lhe pagando pouco, mesmo. E o exército nessa, será que pagou quanto de pensão?

    O que existem entre os militantes de esquerda é gente que desapareceu e até hoje o estado não pagou nada, nem esclareceu onde está o corpo. O caso Rubens Paiva é exemplar. Era um deputado do MDB, da oposição legalista. Foi barbaramente assassinado e só no governo FHC a família recebeu indenização. Essas indenizações são obtidas legalmente, através de processos, e,digamos, o judiciário não me parece especialmente um antro de marxistas, não é?

    Essas pessoas que vc acusa mudaram…que tal reclamar se o Lula tungou sua pensão com a reforma da previdência? Acho mais claro e honesto.

    Abs. do Lúcio Jr.

  11. Sue ( Preocupada...)

    Querido Gerald,
    Acabei de ler seu texto Homenagem a Ellen….e na verdade a TUDO !!Caramba li duas vezes…confesso que me EMOCIONEI , MUITO MUITO mesmo…Entendi o pq voce eh amigo dela…e ja admiro MUITO essa mulher….(Ellen)Pela forca…ao 90anos…de pelo visto uma vida de luta , batalha , vitorias…enfim…. Caramba…. Pessoas iluminadas VOCE E ELA !!! Concordo com ela ESCREVE TUDO ISSO para por no Palco…vai… O BLOG e muito passageiro…..o TEATRO EH PARA SEMPRE para geracoes e geracoes…. AMEI AMEI sua **Analogia** , drastica , triste …mas muito real….e cabe bem muito bem….. So voce consegue com coracao **partido** ser tao genial e unir **tudo** num so assunto…. A cada texto te admiro mais e mais…. AMEI , VOCE MAIS UMA VEZ MUITO MAGNIFICO !!!!
    Me emocionei e muito….ao terminar de ler seu texto…me deixasse em lagrimas… Estou ainda mais torcendo e rezando(sei que talvez para vcs isso nao tenha forca) por essa mulher de fibra e ideias e uma vida tao linda!!!
    Parabens MAGNIFICO

    Sue

  12. Gaza é “campo de concentração”, diz cardeal do Vaticano

    O cardeal responsável por questões de justiça e paz no Vaticano apresentou na quarta-feira a mais dura crítica da Igreja Católica contra Israel até agora na atual crise do Oriente Médio, ao qualificar Gaza como “um grande campo de concentração”.

    » Fotos: Israel ataca Faixa de Gaza
    » Israel ataca Gaza após trégua
    » Israel critica comparação de cardeal
    » Passa de 700 o nº de palestinos mortos
    » Entenda · Mapa · Cronologia · Opine

    O cardeal Renato Martino, presidente do Conselho de Justiça e Paz do Vaticano, fez essas declarações em entrevista ao jornal eletrônico italiano Il Sussidiario.net.

    “Populações indefesas são sempre as que pagam. Veja as condições em Gaza: cada vez mais, parece um grande campo de concentração”, disse Martino, considerado informalmente o “ministro da Justiça” do Vaticano.

    O papa Bento XVI já fez vários apelos genéricos pelo fim da violência em Gaza, mas sem criticar abertamente Israel, que há 12 dias bombardeia a região, provocando mais de 700 mortes.

    Em maio, o pontífice deve visitar locais bíblicos da Jordânia, de Israel e da Cisjordânia ocupada.

    Reuters

  13. À toa

    Essa dos Sefaradin serem perseguidos eu não conhecia. Procurei uma foto do Barack da internet e vi um cara moreno claro.

    Muita gente (brasileiro) que tiver a mesma curiosidade que eu ficará surpreso, pois poderá se questionar: Se ele é escuro, então eu também? Ué, mas então eu não sou branco?

    Aliás,eu fiz essa mesma pergunta quando estive nos EUA há uns dez anos atrás. Precisei sair do meu país para aprender sobre minhas raízes. Complicado não?

    Mais sobre os Sefarditas:

    Sefarditas (em hebraico ספרדים, sefard; no plural, sefardim) é o termo usado para referir aos descendentes de Judeus originários de Portugal, Espanha, etc. A palavra tem origem na denominação hebraica para designar a Península Ibérica (Sefarad ספרד ).

    Os sefarditas fugiram das perseguições que lhes foram movidas na Península Ibérica na inquisição espanhola (1478 -1834), onde eram perseguidos pela Igreja Católica, dirigindo-se a vários outros territórios. Uma grande parte fugiu para o norte de África, onde viveram durante séculos. Milhares se refugiaram no Novo Mundo, principalmente Brasil e México, onde nos dias atuais concentram milhares de descendentes dos fugitivos. Os sefarditas são divididos hoje em Ocidentais e Orientais. Os Ocidentais são os chamados judeus hispano-portugueses, enquanto os orientais são os sefardim que viveram no Império Otomano.

    Com o advento do sionismo e particularmente após a crise israeli-árabe de 1967, quando as minorias judaicas nos países árabes foram alvo de ataques, muitos dos judeus vivendo em países árabes foram viver em Israel, onde formam hoje um importante segmento da população, com uma tradição cultural diferente dos outros asquenazi.

    Por isso, o termo sefardita é frequentemente usado em Israel hoje para referir os Judeus oriundos do norte de África. Entretanto é um grande erro referir-se à maioria dos judeus norte-africanos e dos países árabes como sefardim. Os judeus destes países são chamados Mizrachim (de Mizrach, o Oriente), ou seja, orientais.

    Houve importantes comunidades sefarditas nos países árabes, quase sempre conflitivas com as comunidades autóctones, sobretudo no Egito, Tunísia e Síria. São judeus hispano-portugueses que se opõem à qabbalá (cabalá) e mantêm um serviço religioso bem disciplinado e de melodias suaves. O rito ocidental é conhecido como Castelhano-Português

  14. À toa

    Essa dos Sefaradin serem perseguidos eu não conhecia. Procurei uma foto do Barack da internet e vi um cara moreno claro.

    Muita gente (brasileiro) que tiver a mesma curiosidade que eu ficará surpreso, pois poderá se questionar: Se ele é escuro, então eu também? Ué, mas então eu não sou branco?

    Aliás,eu fiz essa mesma pergunta quando estive nos EUA há uns dez anos atrás. Precisei sair do meu país para aprender sobre minhas raízes. Complicado não?

    Mais sobre os Sefarditas:

    Sefarditas (em hebraico ספרדים, sefard; no plural, sefardim) é o termo usado para referir aos descendentes de Judeus originários de Portugal, Espanha, etc. A palavra tem origem na denominação hebraica para designar a Península Ibérica (Sefarad ספרד ).

    Os sefarditas fugiram das perseguições que lhes foram movidas na Península Ibérica na inquisição espanhola (1478 -1834), onde eram perseguidos pela Igreja Católica, dirigindo-se a vários outros territórios. Uma grande parte fugiu para o norte de África, onde viveram durante séculos. Milhares se refugiaram no Novo Mundo, principalmente Brasil e México, onde nos dias atuais concentram milhares de descendentes dos fugitivos. Os sefarditas são divididos hoje em Ocidentais e Orientais. Os Ocidentais são os chamados judeus hispano-portugueses, enquanto os orientais são os sefardim que viveram no Império Otomano.

    Com o advento do sionismo e particularmente após a crise israeli-árabe de 1967, quando as minorias judaicas nos países árabes foram alvo de ataques, muitos dos judeus vivendo em países árabes foram viver em Israel, onde formam hoje um importante segmento da população, com uma tradição cultural diferente dos outros asquenazi.

    Por isso, o termo sefardita é frequentemente usado em Israel hoje para referir os Judeus oriundos do norte de África. Entretanto é um grande erro referir-se à maioria dos judeus norte-africanos e dos países árabes como sefardim. Os judeus destes países são chamados Mizrachim (de Mizrach, o Oriente), ou seja, orientais.

    Houve importantes comunidades sefarditas nos países árabes, quase sempre conflitivas com as comunidades autóctones, sobretudo no Egito, Tunísia e Síria. São judeus hispano-portugueses que se opõem à qabbalá (cabalá) e mantêm um serviço religioso bem disciplinado e de melodias suaves. O rito ocidental é conhecido como Castelhano-Português

  15. Antonio Moraes

    Para quem quiser, boas referências sobre Ellen Stewart e La Mama :
    http://www.answers.com/Ellen Stewart

    http://www.answers.com/topic/la-mama-experimental-theatre-club-1

    Eheheh, você já alimentou o google com mais uma entrada para

    http://www.google.com/search?hl=en&q=michel+melamed+sexo

    eheheheh.

    A simplificação é uma das estratégias cognitivas inatas dos animais com sistema nervoso mais sofisticado – não sei qual o limite inferior. . Ela é útil no dia a dia – vide as “Leis” de Newton, um exemplo de aplicação deste estratégia na Física.
    Mas é necessário desenvolver meta-estratégias para saber QUANDO utilizá-la. Um exemplo de mau uso é dado na construção da oposição simplista judeu-árabe para explicar o conflito relatado no ‘post’ anterior, parcialmente desmitificado neste. Israel não é composto apenas de judeus – seguidores desta religião. E a comunidade árabe palestina não é apenas muçulmana. Os dois últimos ‘posts’ deixam implicita, algumas vezes explicita – como este -, a complexidade das relações sociais, mas os comentários muitas vezes fazem uma rasa análise, levando a discussões divertidas mas sem conteúdo.

  16. Garganta

    Caro Gerald,

    Como faz para assistir o programa café filosófico completo, que você participou. Não tem nos sites da cpfl, cultura, aqui no blog. Que sacanagem!, no youtube está incompleto. O Vampiro ( tirei ele do papel de Melanie, a Sandra anda merecendo) bem que poderia editar e colocar no blog, ou quem seja o responsável pela manutenção do blog( que, em regra, deve divulgar o trabalho do Gerald [acho que esse é um dos objetivos])

    Aliás, apesar de eu não ser dos mais conhecedores em estética, gostei da sua abordagem sobre desconstrutivismo, Andy Warhol e etc.. Muito interessante. Mas será que fazer arte recolhendo os restos é a melhor opção? Talvez, a meu ver, o mundo, como vemos no caos econômico, de fome, situação em Gaza e etc. necessitaria de um remédio racionalista e ordenador ( também não digo que seria bom um racionalismo repressor).

    PS:Eu sou fã de Platão, antes de tudo.

    Com os melhores cumprimentos,

    Garganta.

  17. gthomas

    Calma Garganta, calma

    Cafe Filo: Youtube e digita

    cafe filosofico Gerald Thomas Contardo

    e , seguramente devem ter copiado tudo

    no

    http://www.geraldthomas.com

    em “PRESS” la embaixo tem tambem
    LOVE
    G

  18. Garganta

    Caro Gerald,

    Minha emenda( do meu último comentário):

    A bem da verdade eu não entendi –perfeitamente– o que você quis dizer em buscar os elementos desconstruidos( se foi isso que você quis dizer).

    Com os melhores cumprimentos,

    Garganta.

  19. Glorinha

    Gerald,
    sei que há mais no que escreveu mas não pude deixar de sentir como uma pessoa em uma UTI, refem de tantos acessórios externos ao corpo….deixar-se em pensamentos para o mundo de fora..com certeza.ela é uma pessoa de força.coragem,luz!
    a ela abraço silenciosa e de coração…
    lindo post…
    [[]]

  20. Gouvêa

    A intervenção militar em grande escala não é eficiente para combater o terrorismo em lugar nenhum do mundo, porque aí temos um tipo de guerra “assimétrica”, aquela em que uma das forças é tão inferior que utiliza sua própria fraqueza como trunfo e que não pode ser combatida por meios convencionais – entenda-se por isso aquele padrão clássico da Segunda Guerra que envolvia de um Estado contra o outro.

    Não sei se a “intelligentsia” israelita (MOSSAD, CIA e agentes cabalistas) já desconfiou, mas este tipo de intervenção apenas legitima os grupos terroristas entre a população civil, que passará a engrossar as fileiras destes grupos com o desejo claro de vingança. Combate ao terrorismo se faz com operações pontuais e de inteligência.São operações discretas, pontuais e de preferência sem deixar rastro…

    Agora imagine você, um pacato cidadão palestino que leva sua vidinha e tal… um belo dia sua casa é destruída e sua família morta por um dos ataques “precisos” da aeronáutica israelense… a probabilidade do sujeito se engajar numa associação terrorista oferecendo a própria vida após isto é quase certa.

    Nesta situação, eu me engajaria. Com certeza.

  21. gthomas

    Gouvea: te entendo perfeitamente
    assim como entendo qq pessoa inocente afetada nessas guerras inuteis

  22. Gouveia?
    Querido amigo Ivo?

    Ivo, boa noite!!!
    Achei!!! (rs)

    Fiz um comentário “inflamado” lá em cima (18.26hs.).

    Ali coloquei como “pulga” os terroristas do Hamas & Cia. Ltda. (ilimitada?) e como .. o “atrapalhado e gigantesco elefante” … o Estado de Israel (que, a meu ver, “representa” o mundo, sim, pela quantidade de vítimas catalogadas, em decorrencia de “atentados terroristas” do Hamas & cia) e …?

    Ivo … HELP!!!

    Ivo, por favor, você poderia nos explicar o que seriam …
    “operações pontuais e de inteligencia” …?

    Violencia gera violencia, foi esse seu recado, não? Violencia não pode ser combatida com “violencia estapafúrdia” (israel?)?

    Ah, querido amigo … me perdi! Sinceramente, entendo seu raciocínio mas …? Como???

    Beijão pra você!
    Susan judia

  23. Gustavo

    Gerald, Barak, Barack, Barracks… Barracuda?

    Pau quebrando nas ruas em NY foi tema daquele filme do Scorcese.

    Mas o que ninguém comenta é essa reportagem que saiu no The Independent:

    http://www.independent.co.uk/opinion/commentators/johann-hari/johann-hari-you-are-being-lied-to-about-pirates-1225817.html

    Eu queria um pouco mais de evidências claro, mas isso sim me tirou do sério.

  24. Neto

    Ás vezes encostava a cabeça no meu ombro. Essa cena me é comum há três décadas, afinal, essa é a …
    Amei o acento agudo no lugar da crase. Rsssssssss.

  25. Luciana

    Somente com a arte para podermos continuar nossa trajetória nesta vida.O mundo está precisando tanto ,neste momento, de arte viva, verdadeira.E estamos conectados com uma máquina.Estamos tão apáticos, surdos, mudos e cegos, frios.Não vemos o outro, não o tocamos, não conseguimos ver suas emoções, seus sentimentos, suas intenções.Tudo vira um amontoado de palavras sem sentido, sem vida.Só o teatro para nos trazer de volta à vida, de nos fazer ouvir nossa própria voz,nossos desejos expressos e refletidos na mais primitiva expressão humana.

  26. gthomas

    Gustavo: te mandei um happy new pirate year ai pra Florida, but no response. I guess you might have become (p)irate with my possible trip to Miami….

    O Gustavo se refere a

    Who imagined that in 2009, the world’s governments would be declaring a new War on Pirates? As you read this, the British Royal Navy – backed by the ships of more than two dozen nations, from the US to China – is sailing into Somalian waters to take on men we still picture as parrot-on-the-shoulder pantomime villains. They will soon be fighting Somalian ships and even chasing the pirates onto land, into one of the most broken countries on earth. But behind the arrr-me-hearties oddness of this tale, there is an untold scandal. The people our governments are labelling as “one of the great menaces of our times” have an extraordinary story to tell – and some justice on their side.

    Pirates have never been quite who we think they are. In the “golden age of piracy” – from 1650 to 1730 – the idea of the pirate as the senseless, savage Bluebeard that lingers today was created by the British government in a great propaganda heave. Many ordinary people believed it was false: pirates were often saved from the gallows by supportive crowds. Why? What did they see that we can’t? In his book Villains Of All Nations, the historian Marcus Rediker pores through the evidence.

    If you became a merchant or navy sailor then – plucked from the docks of London’s East End, young and hungry – you ended up in a floating wooden Hell. You worked all hours on a cramped, half-starved ship, and if you slacked off, the all-powerful captain would whip you with the Cat O’ Nine Tails. If you slacked often, you could be thrown overboard. And at the end of months or years of this, you were often cheated of your wages.

    Pirates were the first people to rebel against this world. They mutinied – and created a different way of working on the seas. Once they had a ship, the pirates elected their captains, and made all their decisions collectively, without torture. They shared their bounty out in what Rediker calls “one of the most egalitarian plans for the disposition of resources to be found anywhere in the eighteenth century”.

    E eu nao poderia concordar mais!!!!!
    Onde estao os papagaios?

  27. Gustavo

    Gerald eu recebi o email, respondi, mas o seu mailbox tá full. Pelo menos foi a resposta que eu tive.

  28. gthomas

    Full, Gustavo? Nao. Me correspondo por ela o tempo todo.
    Mas, valeu pela intencao.
    Mas ta la, open as always.
    LOVE
    G
    estou sempre a checar

  29. Garganta

    Caro (a) Gouvea,

    “Não sei se a “intelligentsia” israelita (MOSSAD, CIA e agentes cabalistas) já desconfiou, mas este tipo de intervenção apenas legitima os grupos terroristas entre a população civil”( Gouvea)

    Eis Platão, por meio do personagem Sócrates, discursando sobre o regime tirânico:

    “-Será que, nos primeiros dias e numa primeira fase, falei, ele não sorri para todos e não sauda a todos com quem se encontra e não afirma que não é tirano e faz muitas promessas, em particular e em público, libera das dívidas, distribui terras ao povo e aos que o cercam e faz-se de benévolo e afável para todos?(…) -Entretanto, creio eu, em relação aos inimigos que vêm de fora, quando, reconciliando-se com uns e aniquilando outros e, no que diz respeito àqueles, reina a paz, logo promove guerras a fim de que o povo precise de um chefe”( Platão, A República, 566e, Martins Fontes)

    Os governantes Israelitas são muito bocós, estão sendo pressionados por uma população de bebedores de leite, donas de casa e moças de família para responder os ataques do moribundo(não tenho certeza) e dogmático Hamas. O Estado de Israel comete um crime contra a humanidade e a estabilidade naquela região. Mas todo crime tem seu castigo, infelizmente.

    Com os melhores cumprimentos,

    Garganta.

  30. Luciana

    Não consigo entender as pessoas, suas nuanças, suas ambivalências, seus conflitos , e a sua tentativa de perpetuar a vida através da morte.

  31. Luciana

    Estou ficando assustada com tudo isso, com a rapidez como as coisas estão se conduzindo.Não posso me alarmar.Tenho que manter a calma.E torcer para que tudo volte ao normal se for possível.Que o ser humano volte à lucidez, que resolva seus conflitos internos de uma vez.Estamos conturbados.Ninguém se entende mais.Será que retornaremos as ser pré históricos, selvagens ?

  32. gthomas

    Achei estranho, Contrera. Mas como era in Spanish podia ser vc sim….Chile, etc,,,,

  33. Luciana

    Sim, à lucidez.Tem momentos que estamos mais tranquilos, mais em paz .Sinto na superficie das pessoas uma raiva , revolta contida.Pelo menos tem periodos que fazemos um esforço para sermos lucidos, ver com mais clareza tudo.E não descontarmos nossos conflitos odiando o outro.Não consigo entender as guerras, as mortes , vidas dilaceradas, nunca estive perto de situações tão limites.Sei que sofro por ser assim, de querer encontrar lógica, lucidez em mim e nos outros.

  34. Lucio Junior.

    Tento evitar mas sempre o passado volta incomodar.
    Esta relação é longa e muitos nem se darão ao trabalho de lerem.

    Gerald fala de terroristas.Falemos um pouco dos nossos terrroristas.
    Não acredite que eles mudaram.São os mesmos de outrora,lobos em peles de cordeiros.alguns até em realce e no governo.Infelizmente.Desgraçadamente.
    Analise.Forme tua opinião.
    E saiba que Lovechio apenas passava pelo local.e como o papel tudo aceita dizes que ele era soldado do exercito.Onde te informaram isto?
    Seja lógico.não te passou pela cabeça que se Lovechio fosse militar estaria reformado?
    Os merdas dos quais te falo mudam tudo ao prazer deles.
    encontrarás Lovechio logo após o relato do assalto ao embaixador.

    VÍTIMAS DO TERRORISMO

    O Grupo Terrorismo Nunca Mais ( TERNUMA – http://www.ternuma.com.br), neste junho reverencia a todos os que, em junhos passados, tombaram pela fúria política de terroristas. Os seus algozes, sob a mentira de combater uma ditadura militar, na verdade queriam implantar uma ditadura comunista em nosso país. Para isso, atentaram contra o Brasil e agora lhes negam até mesmo o lenitivo de serem pranteados por nós.

    Nestes tempos de esperança, cabe-nos lutar para que recebam isonomia no tratamento que os “arautos” dos direitos humanos dispensam aos seus assassinos, que hoje recebem pensões e indenizações do Estado contra o qual pegaram em armas.

    A lembrança deles não nos motiva ao ódio e nem mesmo à contestação aos homens e agremiações alçados ao poder em decorrência de um processo político legítimo. Move-nos, verdadeiramente, o desejo de que a sociedade brasileira lhes faça justiça e resgate aos seus familiares a certeza de que não foram cidadãos de segunda classe, por terem perdido a vida no confronto do qual os seus verdugos, embora derrotados, exibem, na prática, os galardões de uma vitória bastarda, urdida por um revanchismo odioso.

    A esses heróis o reconhecimento da Democracia e a garantia da nossa permanente vigilância, para que o sacrifício de suas vidas não tenha sido em vão.

    26/06/68 – MÁRIO KOZEL FILHO

    (Soldado do Exército – SP)

    Em 1968 o jovem Mário Kozel Filho é convocado para servir à Pátria e defendê-la contra possíveis agressões internas ou externas.

    Na mesma época o capitão Carlos Lamarca, formado pela Academia Militar das Agulhas Negras, serve no 4ºRI, em Quitaúna, SP.

    O capitão Lamarca, no dia 24/01/68, trai a Pátria que jurou defender. Rouba do 4ºRI muitos fuzis, metralhadoras e munição, deserta e entra na clandestinidade. O material bélico roubado é entregue à Vanguarda Popular Revolucionária, VPR, uma organização terrorista que Lamarca já integrava antes de desertar.

    O soldado Kozel continua servindo, com dedicação a Pátria que jurou defender. No dia 26/06/68, como sentinela, zela pela segurança do Quartel General do II Exército. Às 04:30 horas ele está vigilante em sua guarita. A madrugada é fria e com pouca visibilidade. Neste momento, um tiro é disparado por uma sentinela contra uma camioneta que desgovernada tenta penetrar no Quartel. Seu motorista saltara dela em movimento, após acelerá-la e direcioná-la para o portão do QG. O soldado Rufino, também sentinela, dispara 6 tiros contra o mesmo veículo que, finalmente, bate na parede externa do quartel. Kozel sai do seu posto e corre em direção ao carro, para ver se há alguém no seu interior. Há uma carga com 50 quilos de dinamite que, segundos depois, explode e espalha destruição e morte num raio de 300metros. Seu corpo é dilacerado. Os soldados João Fernandes, Luiz Roberto Julião e Edson Roberto Rufino estão muito feridos. É mais um ato terrorista da organização chefiada por Lamarca, a VPR.

    Participaram deste crime hediondo os terroristas Diógenes José de Carvalho Oliveira (o Diógenes do PT, com implicações com bicheiros no governo Olívio Dutra/RS), Waldir Carlos Sarapu, Wilson Egídio Fava, Onofre Pinto, Edmundo Coleen Leite, José Araújo Nóbrega, Oswaldo Antônio dos Santos, Dulce de Souza Maia, Renata Ferraz Guerra Andrade e José Ronaldo Tavares de Lima e Silva.

    Lamarca continuou na VPR, seqüestrando, assaltando, assassinando e praticando vários outros atos terroristas, até o dia em que morreu, de arma na mão enfrentando uma patrulha do Exército que o encontrou no interior da Bahia em 1971. Sua família passou a receber a pensão de coronel porque Lamarca, se não tivesse desertado, poderia chegar a este posto.

    Apesar de todos os crimes hediondos que cometeu, sendo o mais torpe deles o assassinato a coronhadas de seu prisioneiro Tenente PM Alberto Mendes Júnior, Lamarca é apontado como herói pelos esquerdistas brasileiros. Ruas passam a ter seu nome. Tentam colocar seus restos mortais num Mausoléu na Praça dos Três Poderes, em Brasília. Um filme é feito para homenageá-lo.

    Mário Kozel Filho, soldado cumpridor dos seus deveres, cidadão brasileiro que morreu em serviço, está totalmente esquecido. Além do esquecimento a Comissão dos Mortos e Desaparecidos que já concedera vultosas indenizações às famílias de muitos terroristas que nunca foram considerados desaparecidos, resolveu indenizar, também, a família Lamarca, numa evidente provocação às Forças Armadas e desrespeito às famílias de Mário Kozel Filho e de muitos outros que com ele morreram em conseqüência de atos terroristas.

    27/06/68 – NELSON DE BARROS

    (Sargento PM – RJ)

    No início de junho de 1968, no Rio de Janeiro, pequenas passeatas realizadas em Copacabana e na rua Uruguaiana, pressagiaram as grandes agitações que estavam por vir, ainda nesse mês, e que ficaram conhecidas como “As Jornadas de Junho”.

    No dia 19/06/68, cerca de 800 estudantes, liderados por Wladimir Palmeira, tentaram tomar de assalto o edifício do Ministério da Educação e Cultura, no Rio de |Janeiro.

    No dia seguinte, cerca de 1500 estudantes invadiram e ocuparam a Universidade Federal do Rio de Janeiro, na Avenida Pasteur, fazendo com que professores e membros do Conselho Universitário passassem por vexames, obrigando-os a saírem por uma espécie de corredor polonês formado por centenas de estudantes.

    Vinte e quatro horas depois, em 21/06/68, também ao meio dia, foi realizada nova passeata no centro do Rio. Conhecido como a “Sexta feira Sangrenta”, este dia foi marcado por brutal violência.

    Cerca de 10.000 pessoas, os estudantes engrossados por populares, ergueram barricadas, incendiaram carros, agrediram motoristas, saquearam lojas, atacaram a tiros a embaixada americana e as tropas da Polícia Militar. No final da noite, mais de 10 mortos, e centenas de feridos atestavam a violência dos confrontos. Entre os feridos graves estava o sargento da Polícia Militar Nelson de Barros que veio a falecer no dia 27/06/68.

    A violência estudantil continuou no dia 22, quando tentaram, sem sucesso, ocupar a Universidade de Brasília, (UNB), e no dia 24, em São Paulo, quando realizaram uma passeata no centro da cidade, depredando a Farmácia do Exército, o City Bank e a sede do jornal “O Estado de São Paulo”. No dia 26, no Rio de Janeiro ocorreu a “Passeata dos Cem Mil”.

    27/06/68 – NOEL DE OLIVEIRA RAMOS

    (Civil – RJ)

    Morto com um tiro no coração, em conflito na rua. Estudantes distribuíam no Largo de São Francisco, panfletos a favor do governo e contra as agitações estudantis conduzidas por militantes comunistas.

    Gessé Barbosa de Souza, eletricista e militante da VPR, conhecido como “Juliano” ou “Julião” infiltrado no movimento, tentou impedir a manifestação com uma arma. Os estudantes, em grande maioria, não se intimidaram e tentaram segurar Gessé que fugiu atirando, atingindo mortalmente Noel de Oliveira Ramos e ferindo o engraxate Olavo Siqueira.

    04/06/69 – BOAVENTURA RODRIGUES DA SILVA

    (Soldado PM – SP)

    Morto por terroristas durante assalto ao Banco Tozan.

    22/06/69 – GUIDO BONE

    (Soldado PM – SP)

    NATALINO AMARO TEIXEIRA

    (Soldado PM – SP)

    Mortos por militantes da ALN que atacaram e incendiaram a radio-patrulha RP 416, da então Força Pública de São Paulo, hoje Polícia Militar, matando os seus dois ocupantes, os soldados Guido Bone e Natalino Amaro Teixeira, roubando suas armas.

    11/06/70 – IRLANDO DE MOURA RÉGIS

    (Agente da Polícia Federal – RJ)

    No dia 11/06/70, o embaixador da Alemanha, Ehrenfried Von Hollebem, saiu da Embaixada, no Rio de Janeiro, para a sua residência. Sentado no banco de trás de sua Mercedes preta, o embaixador tinha como motorista o funcionário Marinho Huttl e o agente da Polícia Federal Irlando de Moura Régis, sentado no banco da frente e portando um revólver .38. Seguindo a Mercedes, como segurança, ia uma Variant com os agentes da Polícia Federal Luiz Antônio Sampaio como motorista e José Banharo da Silva, com uma metralhadora INA.

    Tendo ocupado o dispositivo desde antes das 19:00 horas, o “Comando Juarez Guimarães de Brito” executou o seqüestro às 19:55 horas, nas proximidades da residência do embaixador, no cruzamento das ruas Cândido Mendes com a Ladeira do Fialho.

    Ao aproximar-se o carro diplomático, Jesus Paredes Soto deu um sinal a José Maurício Gradel que avançou uma “pick up” Willys, abalroando a Mercedes. Incontinente o casal que “namorava” na Escadinha do Fialho, Sônia Eliane Lafóz e José Milton Barbosa, este com uma metralhadora, disparou sua arma contra a Variant da segurança, ferindo Luiz Antônio Sampaio no abdômen e na coxa esquerda e José Banharo da Silva na cabeça. Ao mesmo tempo, Eduardo Coleen Leite “Bacuri”, à queima roupa, disparou três tiros de revólver .38 em Irlando de Moura Régis, matando-o com um tiro na cabeça.

    Herbert Eustáquio de Carvalho, empunhando uma pistola .45 arrancou o diplomata da Mercedes e embarcou-o no Opala, dirigido por José Roberto Gonçalves de Rezende.

    Participaram, ainda, deste crime hediondo os terroristas Alex Polari Alvarenga e Roberto Chagas da Silva.

    Decorridos 33 anos, vemos que neste período as famílias de subversivos, de assaltantes de bancos, de seqüestradores, de assassinos e de terroristas políticos foram indenizadas pelo governo. Até indenizações para “perseguidos políticos” que alcançam o teto máximo da carreira do pretendente, independente de se saber se ele chegaria ou não a este teto. E, vimos subversivos que na época estavam desempregados, serem indenizados em até R$450.000,00.

    Enquanto isto, famílias de cidadãos inocentes, atingidos em ações dos “guerrilheiros” como em assaltos a bancos, ou despedaçados por bombas nos atos terroristas, como no atentado ao Aeroporto de Guararapes, em Recife, são totalmente esquecidas. Orlando Lovechio Filho que, em 1968, teve uma perna amputada no atentado a bomba ao consulado americano, em São Paulo, teve seu sonho de ser piloto, destruído e luta até hoje por uma indenização do Estado.

    Famílias de seguranças de bancos e embaixadas, de policiais civis e militares, de policiais federais, de militares da Marinha, do Exército e da Aeronáutica, mortos e feridos quando em serviço, foram ignoradas pelo governo.

    Para as famílias dos mortos pelos terroristas e para os que ficaram inválidos, lutando para manter a ordem no país, NADA!… Para elas, deve ser impossível entender porque no Congresso Nacional, um senador, que como membro da Polícia Civil de São Paulo, participou ativamente da luta contra a subversão e ex-policiais federais, civis e militares, hoje deputados, não tenham até a presente data, lembrado de seus colegas mortos e feridos no combate ao terrorismo e que não lutem para que esta lamentável injustiça seja reparada.

    09/06/71 – ANTÔNIO LISBOA CERES DE OLIVEIRA

    (Civil – RJ)

    Morto por terroristas durante assalto à boate Comodoro.

    02/06/72 – ROSENDO

    (Sargento PM – SP)

    Morto ao interceptar 04 terroristas que assaltaram um bar e um carro da Distribuidora de Cigarros Oeste LTDA.

    29/06/72 – JOÃO PEREIRA

    (Mateiro-região do Araguaia – PA)

    “Justiçado exemplarmente” pelo PC do B, por ter servido de guia para as forças legais que combatiam os guerrilheiros.

    A respeito, Ângelo Arroyo declarou em seu relatório:

    “A morte desse bate-pau causou pânico entre os demais da zona”.

    …/06/73 – FRANCISCO VALDIR DE PAULA

    (Soldado do Exército-região do Araguaia – PA)

    Instalado numa posse de terra, no município de Xambioá, fazendo parte de uma rede de informações montada na área de guerrilha, foi identificado pelos terroristas e assassinado. Seu corpo nunca foi encontrado.

    Mesmo com tanto tempo já decorrido, alguma incorreção ainda pode cercar algum nome aqui lembrado. Assim, rogamos ser informados de eventual impropriedade.

    TERNUMA REGIONAL BRASÍLIA

    Arquivo

  35. Luciana

    Você assim me confunde.Só que você está certo.Quando que o ser humano foi lucido.Alguns mais , outros menos mas somos muito complicados.Estou no rol dos complicados.

  36. Garganta

    Caro Vampiro,

    O blog em princípio é do Gerald, mas de vez em vezes é interessante que o senhor poste alguma coisa também, porque enriquece o blog. Aliás, já providenciei o papel de Rhett Butler para você( o mais nietzschiano dos personagens, a meu ver).

    Com os melhores cumprimentos,

    Garganta.

  37. gthomas

    A Coisa na California ta ficando…..vcs estao vendo…?????

    meio Gaza strip

  38. gthomas

    EH OFICIAL

    ESTAMOS NA PIOR RECESSAO EM QUARENTA ANOS

    FONTE: TODAS AS FONTES

  39. santanna

    Garganta,

    “Gozar juntinhos” não foi sinal de perturbação ou incoerência, como vc interpretou.
    Foi uma metáfora para um “cessar fogo” (aproveitando expressão do assunto em pauta…), metáfora para um entendimento, sacou?
    É mesmo difícil encerrar uma guerra…
    Bandeira branca…

  40. LUCIO JUNIOR.

    TEM RESPOSTA PARA VOCÊ AS 21;24.

    Por favor localize.os horários de entrada estão meio birutas.

    Obrigado.

    Pacheco.

  41. juliano

    Não sei tenho a impressão nessa crise toda que estamos vendo um EUA enfraquecido no seu poder de influencia, com uma economia abalada, com um presidente fantasma. Obama pegará tres guerras, Afeganistão,Iraque e Gaza, um deficit passando d eum trilhão, crise d ehipoteca, montadoras falindo, recessão. Um dos maiores desafios que um presidente americano já viveu. Vejo que há pessoas que ainda apoiam Bush, só podem ser cegos ou fanatizados pela ideologia ultra-direitista.

  42. Luciana

    E eu te admiro muito mesmo.

  43. gthomas

    Luciana: eh o a Ellen me dizia ontem e hoje,,,,,,somente atraves da arte.

    So que a arte depende da economia

    a Economia nao depende da arte.

    Adoraria “sair” do mundo por um tempo e me dedicar somente ao teatro, especialmente ao proprio La MaMa e ao meu novo espaco aqui….

    mas…..

    Oakland esta em chamas porque um inocente foi morto pela Transit Police

    e esta havendo UM LEVANTE

    A AMERICA ESTA ACORDANDO

    QUANDO SERA QUE O BRASIL VAI ACORDAR?

  44. Gerald.

    Temo que o Brasil não vá acordar nunca.

    Nosso hino fala que ; Deitado eternamente em berço esplendido etc já nos pondo em repouso antecipado.
    Agradeço tua leitura.
    Assim como a divulgação.
    Destas coisa a maioria de nossos articulistas não se ocupam.
    Só gostam de falar de ditadura.
    Ditadura porra nenhuma hipócritas.
    E não durmam demais porque os canalhas já ensaiam novas maneiras de se perpetuarem no poder.
    Quem nunca comeu melado quando como se lambuza.
    E em Brasilia tá cheio de lambuzados.
    Hipócritas de merda e mais hipócrita quem os defende.
    Gostaria de continuar mas uma dama de menos de um ano de idade está me puxando as pernas querendo o vovô no chão para brincar.

    Boa noite a todos.

    Obrigado.

    Pacheco.

  45. Ivo Veiga

    Caro Pacheco, brilhante a sua exposição, eu não faria melhor, fico satisfeito que as coisas sejam postas em seu devido lugar.Infelizmente o único reconhecimento ao Sgto.Mario Kozel Filho, que teve um de seus braços achados sôbre o telhado do QG.II Exército, foi dar seu nome a rua do Comando Militar do Sudeste, além do sôldo de 3o Sargento que ele foi promovido “post mortem”.
    Sempre admirando seu profundo conhecimento dos fatos pós 64.
    Abraço
    Ivo

  46. Ivo Veiga

    PS Pacheco, quis dizer seus conhecimentos pré e pós 1964
    Fraterno Abraço
    Ivo

  47. gthomas

    08/01/2009 – 21:55
    Enviado por: gthomas
    Luciana: eh o a Ellen me dizia ontem e hoje,,,,,,somente atraves da arte.
    So que a arte depende da economia
    a Economia nao depende da arte.
    Adoraria “sair” do mundo por um tempo e me dedicar somente ao teatro, especialmente ao proprio La MaMa e ao meu novo espaco aqui….
    mas…..
    Oakland esta em chamas porque um inocente foi morto pela Transit Police
    e esta havendo UM LEVANTE
    A AMERICA ESTA ACORDANDO
    QUANDO SERA QUE O BRASIL VAI ACORDAR?

  48. Ivo Veiga

    Caro Gerald, sem presunção, mas ontem eu já teclava sobre o Governo de Vichy.
    Abraço
    Ivo

  49. gthomas

    Luciana: mais uma vez: nao deixo de te admirar. Mas “voltar a lucidez”? Quando eh que o ser humano ja foi lucido?

  50. Ivo Veiga

    Querida Susan, somente agora li seu coment das 19,55, eu não entendi se você, se dirige a mim ou ao Gouvea, se for a mim uma operação pontual e inteligente, como o próprio nome diz, é uma operação restrita a uma determinada área, geralmente pequena, por exemplo uma quadra e inteligente porque se usa de pouca violencia: por exemplo se algo me ameaçar, eu não vou destruir o bairro inteiro que vivo, mas vou procurar saber quem, como ,quando e com que meios pretende agir. Aí ,digamos, eu vou a determinado ponto (conhecido de antemão) e preparo um ataque preventivo. Em resumo é mais ou menos isso.
    Beijos
    Ivo

  51. Sier, o bom

    Olha só, o Gerald tentando fazer média, enquanto bombardeiam comboios humanitários. Ai, Gerald…

  52. Ivo Veiga

    Só pra variar os comentários estão totalmente aleatórios, mas sinceramente já estou farto desta guerra, como disse ontem Moshe Dayan fosse vivo e comandasse as tropas de Israel este conflito já teria parado.
    Abraço
    Ivo

  53. Thiago P.

    Belo texto, sem puxa saquismo, belo texto, mesmo. Esse pessoal do Lamamma,, do teatro alternativo de NY, parecem realmente pessoas HUmanas. Porque não pode ser sempre assim não é

    abraço

  54. Ivo Veiga

    Pacheco, nós estamos parecendo os personagens do filme “Feitiço de Áquila” quando um dorme o outro acorda e nunca nos encontramos.
    Ivo

  55. gthomas

    Ah, comeco a entender quem eh a Roberta, de Queens!!!!!
    ou de Vila Isabel…

    como diz o Nanini no meu Circo de Rins e Figados “todas as partes se encaixam”

    alias, falando em Circo, Ms Pink.,

    os numeros do Circo online

    Circo # 1 – 12. 497

    Circo # 2 – 14. 614

    Circo # 3 – 7.447

    Daqui a pouco estaremos galopando pelo mundo…assim como estavamos pelos teatros da vida em 2005!

  56. gthomas

    Sier: a midia me faz. Eu nao preciso fazer media!

  57. gthomas

    Estou lendo o comentario do Pacheco! e nao me provoque!

  58. gthomas

    PENA QUE ESSES COMENTARIOS NAO SEJAM A CORES

    DO BLOG DO REINALDO

    UM VERMELHO-E-AZUL COM DEMÉTRIO MAGNOLI

    Demétrio Magnoli está entre os articulistas que leio com cuidado e respeito. Concordamos em muita coisa; divergimos em outras tantas. No Estadão de hoje, leio o artigo intitulado Gaza sem Pétain. E faço com ele um vermelho-e-azul.

    No verão de 1940, após a queda de Paris, instalou-se em Vichy o regime colaboracionista do marechal Philippe Pétain. O governo de Vichy exercia autoridade civil sobre toda a França, inclusive o norte, ocupado pelos alemães. A existência daquele regime, com raízes na vertente da direita francesa atraída pelo fascismo, propiciou à Alemanha uma liberdade de ação militar que não teria se fosse obrigada a posicionar tropas em todo o território francês. A sangrenta ofensiva de Israel é o substituto, pouco eficaz, de um Pétain que inexiste na Faixa de Gaza.
    Magnoli encerra seu artigo apontado “a meta histórica do antissemitismo, nas suas versões de direita e de esquerda, [que] é fabricar uma identificação entre o Estado judeu e o Estado nazista.” Pergunto se não é o que ele acaba fazendo logo no primeiro parágrafo ao evocar o regime colaboracionista de Vichy, embora argumente, com habilidade retórica, pelo caminho de uma estranha negativa: estranha porque, ao negar, reafirma. Explico: Pétain fazia na França ocupada o que Hitler não precisava fazer. Alguns de seus gorilas conseguiam ser mais cruéis do que os nazistas. Demétrio deixará claro que estaria reservado a Mahamoud Abbas, na Palestina, o papel de Pétain: um traidor, condenado à morte, pena que De Gaulle comutou em prisão perpétua. Sobre o velho marechal, disse uma frase antológica: “A velhice é um naufrágio”. Mas volto. Pétain era o substituto eficaz dos nazistas na França. Como Abbas não conseguiu ser Pétain, Magnoli sustenta que “Israel é o substituto, pouco eficaz, de um Pétain que inexiste na Faixa de Gaza”. Logo, a lógica sem fratura ou fissura do raciocínio de Magnoli faz das forças israelenses em Gaza o homólogo do próprio nazismo na França ocupada. Não estou acusando Demétrio de ter chamado os israelenses de nazistas. Aponto o que considero o sentido de sua comparação, que considero errada.

    O então premiê Ariel Sharon promoveu, há três anos, a retirada das tropas e dos assentamentos israelenses de Gaza, concedendo autonomia ao governo da Autoridade Palestina (AP), presidido por Mahmoud Abbas. Diante do congelamento do processo de paz, o gesto descortinava o horizonte estratégico de perenização da soberania israelense sobre toda a Palestina histórica pela colaboração da AP com Israel. Sem forças militares acossadas permanentemente pelo levante palestino na língua de terra destituída de valor real ou simbólico, Israel poderia concentrar-se no acalentado projeto de anexação a seu próprio território dos assentamentos na Cisjordânia.
    Quais são as evidências, fora de uma perspectiva puramente interpretativa — com todos os seus naturais vieses (e Magnoli não é o único a tê-los, claro) —, de que a retirada de Gaza era parte de um plano para incorporar a Cisjordânia? Não há. Haveria aí um paradoxo: segundo Magnoli, sair da Faixa da Gaza trairia o desejo de anexar a Cisjordânia — logo, deve-se deduzir que permanecer, com toda as dificuldades inerentes, teria um sentido contrário: não anexar. Curiosa situação seria essa, em que manter a ocupação sinalizaria desinteresse na anexação. Acho o argumento frágil.
    Noto ainda que Israel parece intrinsecamente impedido de avançar na negociação fora da pauta proposta pelos palestinos: se sai de Gaza, então é porque Gaza é uma terra sem importância.
    Posso até concordar, por motivos diferentes, que a saída de Israel da Faixa de Gaza, fora de um projeto mais amplo de paz, foi um erro. Mas porque fortaleceu o terror, como é notório e como evidenciam os números. Sustentar, no entanto, que Ariel Sharon só fez essa escolha para poder, então, consolidar a hegemonia sobre a Palestina história é repetir os argumentos da militância anti-Israel mais radical. Para tanto, Israel teria de contar com a concordância de Abbas. Bem, Magnoli acredita que contasse: afinal, Abbas só não é o marechal Pétain da hora porque nem representatividade tem — logo, um “colaboracionista” impotente. A tese do articulista, assim, está fechada, Mas, entendo, em desacordo com os fatos.
    Ademais, o argumento ignora a evolução da política israelense. Sharon havia rompido com a chamada “direita” israelense, o Likud, e formado um partido de centro, o Kadima — justamente porque as, vá lá, “concessões” que parecia disposto a fazer não contavam com o apoio do seu grupo político original.

    Toda a estratégia ruiu em junho de 2007, em razão da derrubada do governo de Abbas em Gaza pelo partido fundamentalista Hamas. Israel não pode ter os dois: deve escolher entre as concessões inevitáveis derivadas de um acordo de paz e os custos políticos e militares da ocupação física. Esta é a mensagem enviada pelo Hamas desde que se instalou no poder em Gaza e intensificou o lançamento de foguetes precários sobre o sul de Israel.
    Não! De jeito nenhum! Quem diz “Israel não pode ter os dois: deve escolher entre as concessões inevitáveis derivadas de um acordo de paz e os custos políticos e militares da ocupação física” é Demétrio Magnoli, não o Hamas. O Hamas diz outra coisa. O Hamas diz:
    – “Israel existirá e continuará a existir até que o Islã o destrua, como antes destruiu a outros”
    – “Nossa luta contra os judeus é muito grande e muito séria. Ela exige todos os esforços sinceros. É um passo que inevitavelmente será seguido por outros passos. O Movimento nada mais é do que um esquadrão que deve ser apoiado por mais e mais esquadrões deste vasto mundo árabe e islâmico, até que o inimigo seja subjugado e se realize a vitória de Alá.”
    Se o Hamas dissesse isso que Demétrio afirma que ele diz, não seria um grupo terrorista, mas uma organização política disposta a negociar a paz.
    E não me escapou o adjetivo “precários” para qualificar os foguetes do Hamas. Bem, Demétrio deve admitir que são “precários” por necessidade, não por boniteza. Com mais recursos e facilidades, certamente deixariam de ser precários, não é mesmo? Israel não pode ser responsabilizado também pela incapacidade, até agora, de o Hamas fazer foguetes mais eficientes.

    O Gabinete israelense de Ehud Olmert preferiu iludir-se, insistindo na estratégia de Sharon. Para isso fixou o objetivo utópico de impor a reunificação do governo palestino sob a AP. Na tentativa de apear os fundamentalistas do poder, Israel negociou apenas com Abbas, isolou diplomaticamente o Hamas e bloqueou as fronteiras de Gaza, ampliando o desemprego, a pobreza e o desespero de 1,5 milhão de palestinos. Sem sucesso: é possível escolher muitas coisas, mas não os representantes de outra nação.
    Bem, já disse algumas vezes o que penso a respeito. Na verdade, seria preciso recuperar um texto meu ainda no Primeira Leitura. Afirmei, então, que era uma bobagem, uma estupidez, permitir que um grupo terrorista participasse de eleições. É uma contradição em si. O terrorismo faz o que dele se espera, não? O Hamas venceu as eleições e deu um golpe parcial, em Gaza ao menos. E se impôs sobre o adversário interno também pelo terror. Esse dado está ausente do argumento de Demétrio. Mas, convenhamos, se Abbas é um Pétain meia-bomba e se a AP era o exército “colaboracionista”, talvez não tenha sido um grande mal…
    Eu entendo, à diferença de Demétrio, que, sem o embargo, os foguetes do Hamas deixariam de ser tão “precários” como são.

    Destacados políticos de Israel indagam, com genuína perplexidade, sobre as motivações dos ataques de foguetes do Hamas. A resposta é óbvia – e Israel deveria conhecê-la desde que, há meses, negociou um cessar-fogo provisório com os fundamentalistas: o governo de facto de Gaza exige ser reconhecido como interlocutor diplomático. Não há alternativa a isso, exceto a tragédia que seria a substituição do Hamas pelos jihadistas de Osama bin Laden. Sob os efeitos do bloqueio econômico israelense, a popularidade do governo de Gaza declinou até um limite perigoso e setores de suas brigadas militares entabularam contatos sigilosos com a Al-Qaeda. O reinício do lançamento de foguetes sobre Israel teve como motivação imediata a restauração da auréola de resistência que cerca o Hamas.
    Discordâncias em penca aqui:
    1 – O governo de facto de Gaza não exige ser reconhecido, não. Onde está essa reivindicação? DEMÉTRIO TEM DE RESPONDER COMO PODE UM GRUPO EXIGIR SER RECONHECIDO POR UM ADVERSÁRIO CUJA EXISTÊNCIA ELE PRÓPRIO NÃO RECONHECE.
    2 – O Hamas sai da pena de Demétrio dotado de uma estranha moderação, o que não é provado por seus 3.300 foguetes em três anos e pelos atentados suicida-homicidas. Observem que, no texto, o grupo se torna, digamos, a turma com a qual Israel pode contar — porque há coisa pior: os jihadistas da Al Qaeda.
    3 – Se Israel é apontado como o responsável último pelo radicalismo do Hamas, observem que os israelenses seriam também os culpados pelos contatos do grupo com a Al Qaeda. Ñão é possível;
    4 – mesmo um articulista tão arguto como Demétrio cai no que me parece um lugar comuníssimo quando se debate Oriente Médio: os sectários islâmicos nunca agem, sempre reagem. Tudo o que fazem decorre de uma reação a ações empreendidas por seus inimigos. Como Demétrio observou muito bem, eles são dotados de vontades, não? Israel não pôde, como observa o autor, escolher o governante de um povo, certo? Também não pode se responsabilizar pelas escolhas feitas por seus terroristas. Ou será que Israel é irrelevante quando os palestinos elegem um grupo terrorista, mas passa a ser o culpado quando os terroristas fazem, enfim, terrorismo?

    Não há solução militar para o impasse estratégico. As pilhas de cadáveres provocadas pelos bombardeios aéreos israelenses não servem como dissuasão para um partido fundamentalista que raciocina com base no conceito de martírio. A guerra do ar não pode evitar a continuidade das salvas de foguetes. Já a invasão terrestre, com custos políticos incalculáveis, só interromperia os ataques pela reocupação permanente do território, algo intolerável para a opinião pública israelense e internacional. Uma alternativa seria derrubar o governo do Hamas e reconduzir Abbas para Gaza a bordo de um tanque de Israel. Mas, mesmo na hipótese improvável de que o presidente da AP embarcasse no tanque, um regime títere não sobreviveria à saída das tropas invasoras. Pétain representava um setor significativo da sociedade francesa; Abbas, hoje, é visto como pouco mais que um colaborador de Israel.
    Bem, voltamos ao paralelo que considero lastimável. E agora entendemos por que Magnoli afirma que Abbas não consegue ser nem mesmo um Pétain: aquele, ao menos, representava um pedaço da sociedade francesa; o atual líder da AP nem isso conseguiria em relação a seu povo. Acho impressionante que Demétrio ignore que o processo de desmoralização de Abbas é também parte da campanha terrorista (além, claro, da histórica corrupção da AP). E, ademais, considero seu juízo incorreto e apressado. O Fatah tem ainda o controle dos palestinos na Cisjordânia. É possível que, sem a presença israelense, ele o perdesse? É, sim: mas isso é só parte do problema, não da solução. Isso só nos diz por que Israel não teria como sair da região, o que nada tem a ver com anexação.
    Essa leitura sobre a inutilidade da ação israelense é, claro, uma interpretação. Há estrategistas do país que não concordam com ela. Uma das coisas que aprendi, ao longo dos anos, no que concerne a Israel, é que não devemos subestimar a sua capacidade de resistência. Diria que lá está um povo que costuma saber como enfrentar seus inimigos.
    Por mais duro que seja o que vai a seguir, precisa ser escrito: se Israel tivesse feito algumas das coisas que lhe sugerem os que falam em nome de um acordo de paz, em vez de “pilhas de cadáveres” palestinos, haveria “pilhas de cadáveres” judeus. Nenhuma delas honra a humanidade, é certo. Em 1967 e em 1973, por exemplo, os árabes não queriam apenas “uma pilha”, mas todas as pilhas. O plano era varrer Israel do mapa.
    Ademais, precisamos parar — ou é preciso que se pare — de tentar provar a Israel que, sempre que o país se defende, está agindo contra si mesmo. Parto do princípio de que eles têm experiência acumulada o suficiente para saber o que é melhor para si.

    Dez anos atrás, perguntado sobre o que faria se tivesse nascido palestino, o então candidato a primeiro-ministro e atual ministro da Defesa, Ehud Barak, replicou: “Eu me uniria a uma organização terrorista.” Ele estava errado, pois o terror é condenável de modo absoluto, em qualquer circunstância. Mas sua resposta evidencia o absurdo da política conduzida por Israel, que tirou de cena cada um dos potenciais interlocutores palestinos, até sobrar apenas o Hamas. Arafat foi humilhado tantas vezes que se tornou um líder imprestável. Marwan Barghouti, o mais popular dos opositores nacionalistas de Arafat, um homem que condenou o terror no auge dos atentados suicidas, está preso desde 2002. A guerra contra o Hamas equivale a persistir num rumo que interessa exclusivamente aos jihadistas.
    Como se vê, mais uma vez, Israel é o responsável — também pelo robustecimento do Hamas. Magnoli já responsabilizou o país, preventivamente, até pelo eventual enfraquecimento do grupo e fortalecimento dos jihadistas da Al Qaeda. É bom que ele cite Ehud Barak. Barak propôs a Arafat o mais ousado plano de paz da história, à esteira das negociações de Camp David, em 2000. A velha raposa preferiu apoiar a segunda intifada. Isso é fato, não questão de gosto. E, Magnoli sabe, não previa a anexação da Cisjordância, não. Ao contrário: devolvia mais de 90% dos territórios ocupados.
    Se Demétrio considera que o terrorismo “é condenável de modo absoluto” — e sei que considera —, não pode sustentar, como fez, que o sentido da mensagem do Hamas é este: “Israel não pode ter os dois: deve escolher entre as concessões inevitáveis derivadas de um acordo de paz e os custos políticos e militares da ocupação física”. Porque não é. Porque o Hamas é, segundo a definição mais rigorosa que se queira, um grupo terrorista. E, portanto, é manifestação do “mal absoluto”
    Acho um vôo interpretativo excessivamente largo a afirmação de que a guerra contra o Hamas (um “mal absoluto” ou não?) só interessa aos jihadistas. O mesmo se disse contra a guerra global ao terror. Não sei não… Temo que, com a saída de cena do demônio George Bush, a responsabilidade pelo jihadismo seja agora transferida a Israel.
    Bem, eu estou entre aqueles que consideram que os únicos responsáveis pelo terrorismo são os terroristas.

    Israel repete sem cessar o mantra de que o Hamas se recusa a reconhecer o Estado judeu. É um argumento tão verdadeiro quanto irrelevante, se não se conhecem as fronteiras definitivas do Estado que exige reconhecimento.
    Opa! O que uma coisa tem a ver com outra? Ou melhor: tem, mas pelo avesso. A questão da fronteira é irrelevante para quem não reconhece a existência do outro, certo, Demétrio? Ademais, não se trata apenas de não reconhecer: trata-se do princípio básico do grupo: destruir Israel.

    O Hamas já sugeriu o estabelecimento de uma trégua que se prolongaria “até o infinito” na hipótese de acordo para a constituição de um Estado Palestino.
    Quem disse isso? Cadê a consolidação da proposta? Quem são os negociadores? Mas não só isso: que estado palestino quer o Hamas? Só aceita suspender “até o infinito” suas ações se todas as suas reivindicações forem atendidas? Isso, sim, parece-me, é irrelevante. Mais uma vez, no texto de Demétrio, o Hamas se confunde com um grupo que quer a paz — e Israel aparece como o que escolheu a guerra.

    O partido fundamentalista palestino não é a Al-Qaeda. Enquanto Israel emprega o rótulo “terror” para igualar bestas essencialmente distintas, Barack Obama abre um discreto canal de contato com o governo de Gaza.
    Bem, aguardo um novo texto de Demétrio que sustente, a um só tempo, que o terror é o “mal absoluto”, mas que é menos absoluto quando se trata do Hamas.

    Um ano atrás, Matan Vilnai, vice-ministro da Defesa israelense, pronunciou a palavra shoah, que evoca o Holocausto, para descrever o destino de uma Gaza que continuasse a servir de plataforma a ataques contra Israel. No mundo inteiro, propagandistas sem escrúpulos, inspirados pela sua frase raivosa, definem o bloqueio de Gaza e a guerra em curso como atos de genocídio. A meta histórica do antissemitismo, nas suas versões de direita e de esquerda, é fabricar uma identificação entre o Estado judeu e o Estado nazista. A deplorável estratégia de Israel confere uma película de verossimilhança à alegação dos mercadores do ódio.
    Ah, sim, com isto eu concordo: “A meta histórica do antissemitismo, nas suas versões de direita e de esquerda, é fabricar uma identificação entre o Estado judeu e o Estado nazista.” Perfeito. E, claro, associar a situação de Gaza à França ocupada não ajuda muito a pôr as cosas no seu devido lugar.
    Observem que Demétrio encerra seu texto atribuindo, mais uma vez, a Israel a responsabilidade por aquilo que reconhece ser uma farsa dos “mercadores do ódio”. E, nesse caso, há um dado interessante de linguagem: o “verossímil” não quer dizer “verdadeiro” — são concepções contraditórias. A verossimilhança é um termo oriundo do gênero dramático. Personagens e situações no teatro antigo deveriam ser “verossímeis” para poderem, no limite, levar o público à catarse. Nesse caso, parece-me, a catarse provocada pelo dito martírio palestino já está dada qualquer que seja a qualidade do drama, pouco importa o que Israel faça. Demétrio há de admitir que não existe nem mesmo uma pauta de reivindicações. Cinicamente, o Hamas pede o fim do embargo para, diz, cessar com o seu foguetório. Fim de um embargo que só serviria ao propósito de tornar os foguetes menos “precários”…
    Ah, sim: os “mercadores de outros ódios” não precisam imaginar que, finalmente, Demétrio e eu daremos início a uma guerra de extermínio. O que vai aqui é divergência respeitosa e fraterna. Eu e Demétrio costumamos considerar que o outro acerta quase sempre nas quetões de política interna e erra quase sempre no que concerne à política global. O que não muda a qualidade do uísque.

    PS1: O texto de Demétrio está adequado ao novo acordo ortográfico. O meu ainda está no velho. Quando aderir, aviso.
    PS2: Os petralhas se dispensem de atacar Demétrio fingindo se alinhar comigo, na esperança de que, assim, provocarão a guerra santa. Não caio nesse truque. Só serão publicados os comentários respeitosos com ele e comigo.

  59. Ivo Veiga

    Ontem eu comentei sobre Klausenwitz, que a maioria dos militares jamais leu, mas os que leram seus textos(sou um deles) geralmente primaram pelo conhecimento estratégico e tático e foram em sua grande maioria realistas e comedidos, a História registra centenas deles desde os séculos 18 e 19 quando viveu Klausenwitz, durante a 2a guerra temos como exemplos Eisenhower, Montgomery, Rommel, Rundestedet, Konyev e outros o Moshe Dayan era dessa escola.
    Ivo

  60. gthomas

    do dominio publico (sou democratico, segundo o Sier)

    Mil páginas seriam poucas para enumerar todos os horrores que sei, que tenho lido, tenho sabido, tenho aprendido sobre o que o governo de Israel faz com o Gueto de Gaza sob os olhos de todo o mundo, como se ninguém se importasse. O espaço, aqui, não permite entrar nas causas históricas dos acontecimentos, mas é bom aprender a respeito, para se entender que Israel não tem razão, que as barbaridades que vêm desde a década de 1940 são das mais abjetas da humanidade. O que me horroriza ainda mais, neste momento, são as fotos que não param de chegar de Gaza, de crianças carregadas nos braços dos pais, sem os pés e parte das pernas, com tendões e nervos que sobraram retorcidos como se fossem molas de metal, ou das fileiras de meninos e meninas nos seus trajes de frio, mortinhos, prontos para o funeral, e das caras sem consolo dos pais que ali estão, ou daquele menininho morto e ensangüentado, que o pai carrega no colo embrulhado na bandeira, bandeira igual àquela que tenho, menininho que nunca terá nos olhos aquela força forte como aço e suave como veludo e que nunca entenderá a palavra “Porto Alegre” – de novo digo que mil páginas seriam poucas para contar sobre cada foto, cada fato, cada texto e cada análise que tenho lido – um último fio que me une à esperança é a existência daquela gente de Israel que se nega ao crime, daqueles soldados israelenses que preferem a prisão do que ir assassinar seus irmãos já quase mortos de fome, frio e sede no gueto vizinho – pois Gaza hoje tem 1.500.000 habitantes trancafiados sem recursos numa área de 350 quilômetros quadrados, o que é mais ou menos a metade do tamanho desta minha pequena cidade de Blumenau…

  61. Ivo Veiga

    De tanto subir e descer o “scroll roll” do meu mouse pifou.

  62. Sier, o bom

    Caro Gerald,

    Não seja modesto, vc faz a “média”.

    Basta ler este blog.

    Mas é engraçado, é muito comédia…

    O seu Barak é “anche un ragazzo abbronzato”?

    Ai, Gerald, como vc é legal… Como são todos tão simpáticos e superastrais… Olha, parecem até “blacks”, como se dizia antigamente.

    Parece que estou assim, como direi, no meio do clã, à roda de uma fogueira ancestral (mas virtual, viu?)

    Eu me divirto e me esqueço de certos fatos desagradáveis.

  63. Ivo Veiga

    Como saideira deixo aqui um poema de José Régio(1901-1969) poeta português que gosto muito.
    José Régio

    Cântico Negro

    “Vem por aqui” – dizem-me alguns com os olhos doces
    Estendendo-me os braços, e seguros
    De que seria bom que eu os ouvisse
    Quando me dizem: “vem por aqui!”
    Eu olho-os com olhos lassos,
    (Há, nos olhos meus, ironias e cansaços)
    E cruzo os braços,
    E nunca vou por ali…

    A minha glória é esta:
    Criar desumanidade!
    Não acompanhar ninguém.
    – Que eu vivo com o mesmo sem-vontade
    Com que rasguei o ventre à minha mãe

    Não, não vou por aí! Só vou por onde
    Me levam meus próprios passos…

    Se ao que busco saber nenhum de vós responde
    Por que me repetis: “vem por aqui!”?

    Prefiro escorregar nos becos lamacentos,
    Redemoinhar aos ventos,
    Como farrapos, arrastar os pés sangrentos,
    A ir por aí…

    Se vim ao mundo, foi
    Só para desflorar florestas virgens,
    E desenhar meus próprios pés na areia inexplorada!
    O mais que faço não vale nada.

    Como, pois sereis vós
    Que me dareis impulsos, ferramentas e coragem
    Para eu derrubar os meus obstáculos?…
    Corre, nas vossas veias, sangue velho dos avós,
    E vós amais o que é fácil!
    Eu amo o Longe e a Miragem,
    Amo os abismos, as torrentes, os desertos…

    Ide! Tendes estradas,
    Tendes jardins, tendes canteiros,
    Tendes pátria, tendes tectos,
    E tendes regras, e tratados, e filósofos, e sábios…
    Eu tenho a minha Loucura !
    Levanto-a, como um facho, a arder na noite escura,
    E sinto espuma, e sangue, e cânticos nos lábios…

    Deus e o Diabo é que guiam, mais ninguém.
    Todos tiveram pai, todos tiveram mãe;
    Mas eu, que nunca principio nem acabo,
    Nasci do amor que há entre Deus e o Diabo.

    Ah, que ninguém me dê piedosas intenções!
    Ninguém me peça definições!
    Ninguém me diga: “vem por aqui”!
    A minha vida é um vendaval que se soltou.
    É uma onda que se alevantou.
    É um átomo a mais que se animou…
    Não sei por onde vou,
    Não sei para onde vou
    – Sei que não vou por aí!

    Creio ser apropriado a Israelenses e Palestinos nesta hora.
    Ivo

  64. gthomas

    Sier: vc vai ficar satisfeito se eu te mandar a merda? Eh isso que vc quer?

  65. Ivo Veiga

    A todos boa noite

  66. Antonio Moraes

    Economist, publicada hoje:

    http://www.economist.com/opinion/displayStory.cfm?story_id=12899483&source=hptextfeature

    The Arabs and Israel
    The hundred years’ war

    Jan 8th 2009
    From The Economist print edition
    How growing rejectionism, the rise of religion, a new military doctrine and a new cold war keep peace at bay

    Reuters

    WITH luck, the destructive two-week battle between Israel and Hamas may soon draw to an end. But how long before the century-long war between Arabs and Jews in Palestine follows suit? It is hard to believe that this will happen any time soon. Consider: Israel’s current operation, “Cast Lead”, marks the fourth time Israel has fought its way into Gaza. It almost captured Gaza (behind a pocket containing a young Egyptian army officer called Gamal Abdul Nasser) in 1948, in the war Israelis know as their war of independence. It captured Gaza again in 1956, as part of a secret plan hatched with Britain and France to topple Nasser as Egypt’s president and restore British control of the Suez Canal. It invaded a third time during the six-day war of 1967—and stayed there for 38 years, until withdrawing unilaterally three and a half years ago.
    Why they fight

    And Gaza, remember, is only one item in a mighty catalogue of misery, whose entries are inscribed in tears. The Jews and Arabs of Palestine have been fighting off and on for 100 years. In 1909 the mostly Russian socialist idealists of the Zionist movement set up an armed group, Hashomer, to protect their new farms and villages in Palestine from Arab marauders. Since then has come the dismal march of wars—1948, 1956, 1967, 1973, 1982, 2006 and now 2009—each seared by blood and fire into the conflicting myths and memories of the two sides. The intervals between the wars have not been filled by peace but by bombs, raids, uprisings and atrocities. Israeli settlers in Hebron today still cite, as if it were yesterday, the massacre of Hebron’s Jews in 1929. The Arabs of Palestine still remember their desperate revolt in the 1930s against the British mandate and Jewish immigration from Europe, and the massacres of 1948.
    Click here

    The slaughter this week in Gaza, in which on one day alone some 40 civilians, many children, were killed in a single salvo of Israeli shells, will pour fresh poison into the brimming well of hate (see article). But a conflict that has lasted 100 years is not susceptible to easy solutions or glib judgments. Those who choose to reduce it to the “terrorism” of one side or the “colonialism” of the other are just stroking their own prejudices. At heart, this is a struggle of two peoples for the same patch of land. It is not the sort of dispute in which enemies push back and forth over a line until they grow tired. It is much less tractable than that, because it is also about the periodic claim of each side that the other is not a people at all—at least not a people deserving sovereign statehood in the Middle East.

    That is one reason why this conflict grinds on remorselessly from decade to decade. During eruptions of violence, the mantra of diplomats and editorialists is the need for a two-state solution. It sounds so simple: if two peoples cannot share the land, they must divide it. This seemed obvious to some outsiders even before the Nazi genocide of Europe’s Jews prompted the United Nations in 1947 to call for the creation of separate Jewish and Arab states in Palestine. In 1937 a British royal commission concluded that “an irrepressible conflict has arisen between two national communities within the narrow bounds of one small country.” The answer had to be partition.

    The fact that the Arabs rejected the UN’s partition plan of 60 years ago has long given ideological comfort to Israel and its supporters. Abba Eban, an Israeli foreign minister, quipped that the Palestinians “never missed an opportunity to miss an opportunity”. Israel’s story is that the Arabs have muffed at least four chances to have a Palestinian state. They could have said yes to partition in 1947. They could have made peace after the war of 1947-48. They had another chance after Israel routed its neighbours in 1967 (“We are just waiting for a telephone call,” said Moshe Dayan, Israel’s hero of that war). They had yet another in 2000 when Ehud Barak, now Israel’s defence minister and then its prime minister, offered the Palestinians a state at Bill Clinton’s fateful summit at Camp David.

    This story of Israeli acceptance and Arab rejection is not just a yarn convenient to Israel’s supporters. It is worth remembering that it was not until 1988, a full 40 years after Israel’s birth, that Yasser Arafat’s Palestine Liberation Organisation (PLO) renounced its goal of liberating the whole of Palestine from the river to the sea. All the same, the truth is much more shaded than the Israeli account allows. There have been missed opportunities, and long periods of rejection, on Israel’s part, too.

    Look again at those missed opportunities. At the time of the UN partition resolution, the Jews of Palestine numbered only 600,000 and the Arabs more than twice that number. Most of the Jews were incomers. Although partition might have been the wiser choice for the Palestinians, it did not strike them as remotely fair. In the subsequent war, more than 600,000 of Palestine’s Arabs fled or were put to flight. Afterwards, disinclined either to take them back or return the extra land it had gained in battle, Israel was relieved that the Arab states, traumatised by the rout, made no serious offer of peace. Many of the refugees have been stuck ever since in a sad finger of dunes, the Gaza Strip, pointing at the bright lights of Tel Aviv.
    When Israel fell in love

    After the ignominious defeat of 1967, the Arab states again rejected the idea of peace with Israel. That was, indeed, a wasted opportunity. But even though the Israel of 1967 discussed how much of the West Bank it was ready to trade for peace, the Likud governments of the late 1970s and 1980s wanted it all. For Israel fell in love with the territories it had occupied.

    This was the period of Israeli rejection. Israeli prime ministers such as Menachem Begin and Yitzhak Shamir asserted a God-given right to a “greater Israel” that included the West Bank and Gaza Strip, in which Israeli governments of all stripes continued to plant (illegal) settlements. In some Israeli minds the Palestinians became a non-people, to be fobbed off with self-government under Israeli or perhaps Jordanian supervision. It took an explosion of Palestinian resistance, in the intifada (uprising) of the late 1980s and the far more lethal one of 2001-03, to convince Israel that this was an illusion.
    Corbis Building up the iron wall

    What bearing does all this history have on the foul events unfolding right now in Gaza? The point is that there have been precious few moments over the past century during which both sides have embraced the idea of two states at the same time. The most promising moment of all came at the beginning of this decade, with Mr Clinton’s near-miss at Camp David. But now, with the rise of Hamas and the war in Gaza, the brief period of relative hope is in danger of flickering out.

    If rejection of the other side’s national claims is one of the things that make this conflict so hard to end, the other is religion. The two are tied together. Hamas is a religious movement, and its formal creed is to reject the possibility of Jewish statehood not only because of Israel’s alleged sins but also because there is no place for a Jewish state in a Muslim land.

    In Israel’s early life Zionism was a mainly secular movement and the dominant force on the other side was a secular Arab nationalism. Since 1967, however, religion, nationalism and hunger for Palestinians’ land have fused to create a powerful constituency in Israel dedicated to retaining control of the whole of Jerusalem and Judaism’s holy places on the West Bank. Israel’s system of proportional voting has given the settlers and zealots a chokehold over politics. Among Arabs secular nationalism is meanwhile waning in the face of a powerful Islamic revival through the region. And a central dogma of the Islamists is that Israel is an implant that must be violently resisted and eventually destroyed.

    One far-seeing Zionist, Vladimir Jabotinsky, predicted in the 1930s not only that the Arabs would oppose the swamping of Palestine with Jewish immigrants but also that “if we were Arabs, we would not accept it either”. In order to survive, the Jews would have to build an “iron wall” of military power until the Arabs accepted their state’s permanence. And this came to pass. Only after several costly wars did Egypt and later the PLO conclude that, since Israel could not be vanquished, they had better cut a deal. In Beirut in 2002 all the Arab states followed suit, offering Israel normal relations in return for its withdrawal from all the occupied territories, an opening which Israel was foolish to neglect.

    The depressing thing about the rise of Hamas and the decline of the Fatah wing of the PLO is that it reverses this decades-long trend. Hamas’s victory in the Palestinian elections of 2006 had many causes, including a reputation for honesty. Its victory did not prove that Palestinians had been bewitched by Islamist militancy or come to believe again in liberating all of Palestine by force. But if you take seriously what Hamas says in its charter, Hamas itself does believe this. So does Hizbullah, Lebanon’s “Party of God”; and so does a rising and soon perhaps nuclear-armed Iran. Some analysts take heart from Hamas’s offer of a 30-year truce if Israel returns to its 1967 borders. But it has never offered permanent recognition.

    There is worse. On top of the return to rejection and the growing role of religion, a third new obstacle to peace is the apparent crumbling of Jabotinsky’s iron wall.

    In Lebanon three years ago, and today in Gaza, Hizbullah and Hamas seem to have invented a new military doctrine. Israel has deterred its enemies mainly by relying on a mighty conventional army to react with much greater force to any provocation. But non-state actors are harder to deter. Hizbullah and Hamas, armed by Iran with some modern weapons, can burrow inside the towns and villages of their own people while lobbing rockets at Israel’s. A state that yearns for a semblance of normality between its wars cannot let such attacks become routine. That is why today, as in the 1950s, Israel responds to pinpricks with punitive raids, each of which had the potential to flare into war. Israel’s operation in Gaza is designed not only to stop Hamas’s rockets but to shore up a doctrine on which Israel thinks its safety must still be based.

    At Camp David in 2000 Israel and the Palestinians discovered that even with goodwill it is hard to agree terms. How to share Jerusalem? What to offer the refugees who will never go home? How can Israel trust that the land it vacates is not used, as Gaza has been, as a bridgehead for further struggle? But—and this is the fourth thing that keeps the battle alive—the two sides are seldom left alone to tackle these core issues.

    For too long the conflict in Palestine was a hostage to the cold war. America was once neutral: it was Eisenhower who forced Israel out of Gaza (and Britain out of Egypt) after Suez. But America later recruited Israel as an ally, and this suited the Israelis just fine. It gave them the support of a superpower whilst relieving them of a duty to resolve the quarrel with the Palestinians, even though their own long-term well-being must surely depend on solving that conflict.

    It may be no coincidence that some of the most promising peacemaking between Israel and the Palestinians took place soon after the cold war ended. But now a new sort of geopolitical confrontation stalks the region, one that sets America against Iran, and the Islamist movements Iran supports against the Arab regimes in America’s camp. With Hamas inside Iran’s tent and Fatah in America’s, the Palestinians are now facing a paralysing schism.
    And so to Gaza

    Tzipi Livni, Israel’s foreign minister, has been saying all week that, although Israel’s immediate aim is to stop the rocket fire and not to topple Hamas, there can be no peace, and no free Palestine, while Hamas remains in control. She is right that with Hamas in power in Gaza the Islamists can continue to wreck any agreement Israel negotiates with Mahmoud Abbas, the president of the Fatah-dominated Palestinian Authority on the West Bank. Mr Abbas, along with Egypt’s President Hosni Mubarak, may quietly relish Hamas being taken down a peg. Egypt is furious at Hamas’s recent refusal to renew talks with Fatah about restoring a Palestinian unity government.

    There is a limit, however. Taking Hamas down a peg is one thing. But even in the event of Israel “winning” in Gaza, a hundred years of war suggest that the Palestinians cannot be silenced by brute force. Hamas will survive, and with it that strain in Arab thinking which says that a Jewish state does not belong in the Middle East. To counter that view, Israel must show not only that it is too strong to be swept away but also that it is willing to give up the land—the West Bank, not just Gaza—where the promised Palestinian state must stand. Unless it starts doing that convincingly, at a minimum by freezing new settlement, it is Palestine’s zealots who will flourish and its peacemakers who will fall back into silence. All of Israel’s friends, including Barack Obama, should be telling it this.

  67. Sier, o bom

    Sr. Gerald Thomas,

    Peço, sinceramente, desculpas pelas minhas intervençõess descabidas.

    Entrei no clima desagradável, esquizofrênico e doentio que impera nesses blogs e debates virtuais.

    A ironia e seus irmãos menores – o sarcasmo, o deboche etc. – são bons na arte, na vida ( na maior parte das vezes) não.

    Mais uma vez lamento ter ofendido o Senhor e os seus leitores.
    E espero que me desculpem por essa minha atitude indevida, que não voltará a se repetir.

    Sem mais,

    agradeço.

  68. gthomas

    Thiago P,
    Por que nao pode ser sempre assim? Pois eh.
    Pra se chegar a esse nivel de lucidez e clareza e sei la o que eh preciso ter vivido MUITO na pele, ter carimbado na PELE todos os selos amargos e doces dos paises e das culturas que povoam esse mundo barbaro(barbaro em todos os sentidos).

    A Ellen nao viajou em 1 classe. Ralou. Ralou em ULTIMA Classe pra hoje viajar em primeira.

  69. gthomas

    continuacao pro Thiago P,

    mas nao eh lendo ou escrevendo Blog ou emitindo opniao…

    ….eh OUVINDO as pessoas e conversando nas horas mais intimas….

    as coisas mais intimas….que JAMAIS SERIAM PUBLICADAS por que…

  70. gthomas

    continuacao pro Thiago P,

    na epoca em que ela comecou a nos levar pro Mundo, nao havia essa TRIVIA de merda

    nao havia esses MILHOES e TRILHOES de OPINADORES do NADA SOBRE o NADA…..

    Eram culturas sim, distintas sim

    Eram egos sim

    distintos sim

    mas….Havia um espirito de RECONSTRUCAO porque o da DESTRUICAO (2 Guerra Mundial e Vietnam) ja haviam causado muitos danos.

    entao, quem canta a vitoria do Iraque hoje, mas nao vive aqui como eu vivo e vejo os HORRORES que isso causou ou os horrores que isso causou pra familias que tem FILHOS no La MaMa.,,,,,tenho simplesmente a vontade de FECHAR O BLOG
    e dizer tchau pra todos voces

    e…que foi um imenso prazer

  71. gthomas

    continuacao pro Thiago P.

    Mas eu nao aguento mais.

    nao aguento mais.

    simplesmente nao aguento mais.

    LOVE
    G

  72. Ana

    Meu Deus, eu pensei nessa coisa de dois Baraks (cks)… Que coisa… Sobre o restante, preciso de um tempo… Parece que você tinha razão.

  73. Sandra

    Gerald, que bom que sua mama está melhor.
    Quando alguém de 90 anos, com uma história de vida como a dela, fala, a gente escuta.

    Lindo texto, Gerald. Cheio de ternura.

  74. Sandra

    “Pra se chegar a esse nivel de lucidez e clareza e sei la o que eh preciso ter vivido MUITO na pele, ter carimbado na PELE todos os selos amargos e doces dos paises e das culturas que povoam esse mundo barbaro(barbaro em todos os sentidos).”

    Que aula, Gerald!

  75. Sandra

    “Sim, Ellen sabe tudo sobre racismo. Vinda de Chicago para New York nos anos cinqüenta pra trabalhar como estilista na loja Sack’s Fifth Avenue, ela tinha que entrar pela porta dos fundos.”

    Falar o que? O melhor é ouvir e aprender.

  76. Sandra

    “Barak está todo prosa: vestido com seu casaco de couro ele está respeitadíssimo entre seus pares no Knesset (parlamento) Israelense. Barack Obama está morando provisoriamente num hotel em DC. Faltam 12 dias para sua inauguração. Todo prosa, e com razão, ele está com seu terno e gravata tentando dar um jeito na economia americana que está um trapo: parece uma dessas fotos que se vê saindo de Gaza. ”

    Triste…

  77. Sandra

    “Ellen Stewart apertava minha mão. Dificuldade em respirar. Mão enfaixada pelas injeções de insulina, etc. Ás vezes encostava a cabeça no meu ombro. ”

    Você é lindo…

  78. Sandra

    “Gerald, escreve o que você tem que escrever, mas escreve para o palco. Não entendo isso de Blog que você fala”

    Que LINDA!!!!!!

  79. Sandra

    “Essa é uma homenagem a Ellen Stewart. Essa é uma homenagem a todos os que têm uma opinião, seja ela qual for. Mas cuidado: para se ter opinião mesmo, deve se saber onde, porquê e quando. E não arrotar ou reciclar bobagens.”

    Eu opto por calar a boca.

  80. Sandra

    Meu Deus, o olhar dela não é desse mundo. Um dos mais forte que já vi.

  81. Sandra

    Gerald, eu esperava uma PORRADA depois de tantas agressões vazias.
    Mas você escreveu um dos textos mas delicados e sublimes que já li.
    Tão carregado de boa energia, que senti tontura quando acabei de ler.

  82. Sandra

    Lindo, como um pôr do sol!…

  83. gthomas

    Sandra, ontem foi punk mesmo

  84. gthomas

    Porrada atras de porrada
    e assim foi e assim foi.

  85. gthomas

    Mesmo assim, agradeco a todos.
    a TODOS

  86. Sandra

    E um textos desses…
    Eu sabia que você era iluminado.
    Mas isso foi um transe.

  87. santanna

    Ai, já tava demorando pra Sandra aparecer, com essas tiradas super melosas e cheias de sabedoria de almanaque feminino.
    Sandra, me desculpe a franqueza, mas vc é muito chata! e monótona.

    Vc é alguma tia do Geeerald (:P) ? ou namorada dele?
    Credo, ninguém aguenta tanta babação de ovo.
    Vai por mim, um dia isso cansa, até ele!

  88. Sandra

    É… para escrever assim
    “… eh preciso ter vivido MUITO na pele, ter carimbado na PELE todos os selos amargos e doces dos paises e das culturas que povoam esse mundo barbaro(barbaro em todos os sentidos).”

  89. Sandra

    Boa noite, Gerald!

  90. gthomas

    NOSTALGIA

    Comentarios deixados em 2006 ainda no UOL

    28 comentários para “Agora na versão ator”

    25/12/2005 – 21:46
    Enviado por: ernani] [são josé do rio preto , sp
    Pode chamar a crítica Bárbara Heliodora pra estréia ???
    Abçs .
    26/12/2005 - 04:05
    Enviado por: ticy] [belo horizonte, mg
    oi gerald que bom voce como ator !! sempre tive curiosidade de ver um diretor do seu porte atuando por que fiz teatro e percebi que muito diretor so sabe berrar mas nao sabe fazer. gostaria de ver voce em acao! sucesso !! muita merda para voce !! um beijao
    26/12/2005 - 04:07
    Enviado por: ticy
    oi sou eu de novo, e que queria saber por que voce vai usar ponto eletronico e por que voce acha seu texto nonsense. voce e realmente um diretor raro e corajoso !! boas festas no canada !!
    26/12/2005 - 10:44
    Enviado por: martha] [niteroi-rj
    tá bonitão na foto.
    26/12/2005 - 12:33
    Enviado por: ruy filho] [são paulo
    Duas horas em um parágrafo! Vai entender aonde se quer chegar com isso… Descansa aí no Canadá. E se por acaso encontrar o Lepage, diga-lhe que gosto muito do trabalho dele.
    Beijos
    RUY FILHO
    26/12/2005 - 13:24
    Enviado por: Helena
    Eu li essa nota ontem na Vejinha. Gerald, quando se trata da revista Veja, não se pode confiar. E como bem disse minha (e sua) amiga Ana, você é um artista para grandes ensaios, e não pequenas notas. Ainda mais numa revista tendenciosa como a Veja. Quanto ao reporter, nós nunca conhecemos direito aqueles que dizem nos acompanhar. Boa sorte, ou como vocês do teatro dizem “Merda!” Abraços. Helena
    26/12/2005 - 14:48
    Enviado por: Vera Cardoni] [Porto Alegre
    …imaginem isso tudo “perdido” num palco…
    Férias?…não acredito,você está aprontando alguma Gerald…
    Shaná Tová querido.
    26/12/2005 - 20:43
    Enviado por: KARROL] [RIO
    EH O SHOW DO FRONTISPICIO. A VEJA NAO EH CONFIAVEL CARO GERALD E VOCE GRANDIOSO COMO EH NAO DEVERIA DAR ENTREVISTAS A PSEUDO JORNALISTAS. SABEMOS QUE A VEJA FAZ TUDO MENOS JORNALISMO. ISSO EM CARAS TERIA A MESMA CONOTACAO VIP MAS A NOTA SERIA MAIS EDUCADA. JAMAIS CRIARIA FALSAS INTERPRETACOES QUANTO AO TALENTO DE SEUS CONVIDADOS. VA PARA CARAS NAO PARA O CANADA. E MANDE A VEJA A MERDA. TAMBEM POR MIM. []S
    26/12/2005 – 21:46
    Enviado por: algo em Nova Iorque?
    gostaria de saber do Sr. Gerald Thomas se ele tem alguma coisa marcada pra Nova Iorque, ou algum artigo recente que a gente possa ler, em inglês mesmo. Pergunto isso porque ele reclama tanto da imprensa brasileira, mas teve inúmeros artigos sobre a última peça dele, inclusive no Rio, quando ele escreveu choramingando que não voltaria pra lá. Será que ele não percebe que esse mesmo jornalista poderá vir a escrever um artigo grande sobre a carreira dele em breve e que por isso ele precisava saber sobre muita coisa agora. Só que a matéria agora era só uma chamada ou coisa assim??? Pra que esse melodrama todo sempre sempre sempre!?
    26/12/2005 – 21:49
    Enviado por: outra coisa
    esqueci de uma coisa na mensagem abaixo: as mensagens aprovadas aqui são as que concordam em tudo com o autor, por isso esse blog virou esse lugar vazio, sem debate algum, onde sempre os mesmos dizem sim, yes, sim, yah, oui, yes. Se você discordar, é censurado. Vamos ver se minha mensagem entra…
    26/12/2005 – 22:44
    Enviado por: Helena
    Oi. Voltando ao debate. Acredito que qualquer artista que tenha a bagagem de um Gerald Thomas sentiria o mesmo desafeto se fosse chamado para uma entrevista para no fim ler uma nota onde a frase que fecha o texto da a entender que seu texto é nonsense. Quem acompanha e adora o trabalho do outro não faz uma sujeira dessas. Espero que o meu comentário não seja censurado por ser a favor do dono do blog. E gostaria de ver mais gente peitando a Veja. É uma revista manipulada e manipuladora dos meios de comunicação que pensa que ainda faz a cabeça de todos os brasileiros. Mas não faz. Ela diz Veja e nós olhamos o outro lado. E só.
    26/12/2005 – 22:46
    Enviado por: Mensagem aos petistas
    Por favor, não comecem com esse papo de desmerecer a Veja só porque ela detona o presidente-fantoche Lula. Incrível como o PT atirou pedra por 30 anos, mas quando chega ao poder não consegue assimilar as críticas sem avacalhar com o debate. Qualquer órgão de comunicação que falar mal desse governo (ou seja TODOS, afinal esse governo é ruim demais), será considerado tendencioso pelos petistas. A esses petistas eu lembro: poucos seriam os ditadores, mesmo os mais canalhas, que usariam a fome como principal cabo eleitoral. Pois foi exatamente isso que esse pífio Lula fez.
    27/12/2005 – 00:46
    Enviado por: Rodrigo Contrera] [sampa, enfim
    férias no canadá? sei lá.
    bj
    LOVE
    Contrera
    27/12/2005 - 02:20
    Enviado por: andréa] [mg
    revista veja já era. voce não precisa deste tipo de coisa. gastar 2 horas de seu tempo com um babacca para que? e nao acho que ele deveria comentar sobre o ponto seria o maximo descobrirmos por nso mesmos ou nem ….. quando estrear coloca na capa. sucesso para voce! bjus! andréa
    27/12/2005 – 02:25
    Enviado por: Lady M.
    Caro [Mensagem aos petistas] ninguém aqui está – ainda – desmerecendo a Veja pq. ela detona com o Lula. Onde, me diga, você leu isso? O papo não é política. É não entendimento de uma arte por parte de quem se mete a escrever sobre ela. Quanto a Veja, informe-se: só o que ela fez com o Movimento Literatura Urgente esse ano, já dá para ver para qual lado ela tende. E ele se chama “quem banca”. Sacou, bacanão?
    27/12/2005 – 02:55
    Enviado por: Lady M.
    Já dizia Chevalier de Monstinique “Quando se é plebe, mesmo detendo o controle financeiro, o jeito é fingir que não entendeu a nobreza que não detém o controle, mas as idéias”. Em outras palavras meu caro: o rei está nu (nonsense) e diz que o pelado é você. Oh, desculpe pela referência ao episódio das calças arriadas e a bunda de fora. Não foi à toa, né? Sugestão? Peça ao anônimo (ó, dó) repórter para criar uma nota comsense. Melhor, diga não. Deixa ele continuar (ó, dó) anônimo. Vai que o cara aprende, né? Não merece. Se for mais um daqueles casos de picotes editoriais, tá explicado o motivo do anonimato, e a culpa fica sendo do editor-chefe do caderno. Ou da anta que deixou isso passar, assim, sem revisão.
    27/12/2005 – 02:58
    Enviado por: marcos
    pior que o cara depois pensa que abafou , que fez opiniao. blaaaaaah odeio a veja ..
    27/12/2005 – 04:10
    Enviado por: Mensagem aos petistas
    Eu não duvido que a revista Veja seja o verdadeiro presidente do Brasil e obrigado por confirmarem isso pra mim. Afinal de contas, Lula certamente não é. Digam-me, quem mente mais? A Veja ou o pessoal que ‘inventou’ o Fome Zero? Que eu saiba o Brasil é livre, se o pessoal da Veja resolve escrever mentira, acredite quem quiser. A propósito: A VEJA ERA TAMBEM UMA MERDA QUANDO COLOCOU O GERALD THOMAS NA CAPA DA VEJINHA???OU SÓ vira merda o que não nos favorece no momento???? Lady M, de fato a francesada falou e fala muita merda. Depois de muita fome resolver visitar Versailles pra decepar o canalha, mas demorou hein?? Basta ver os pseudo-ideais de liberté, fraternité e egalité e o quebra-pau recente vindo dos que sentem L’HIPOCRISIE francesa na pele. Venha com citação melhor…
    27/12/2005 – 12:39
    Enviado por: Lady M.
    Oi [Mensagem aos petistas]. Se você quiser discutir fome zero, NÃO governo do Lula, a revolução francesa, entre outros pontos políticos, podemos abrir um forum. Aqui, a discussão se trata da péssima nota dedicada a um dos maiores dramaturgos contemporâneos (do mundo). E se mesma merda de Veja lhe deu capa, para lhe dar essa nota mal escrita, não importa. Se capa da Veja nunca foi interessante. Maluf também foi e várias vezes, desde que me conheço por gente, e a Veja passou a existir. Olha, entendo sua putice petista ou com os petistas. REALMENTE o senho Luiz Ignácio não fez NADA do que prometeu, a começar pela reforma agrária, então não adianta tentar falar de fome zero, sem reforma agrária. O homem PAGOU os juros da dívida externa, qdo passou 20 anos pregando o calote da mesma. ENFIM, caro mio, ele já provou que não vale à pena comentá-lo seus deSfeitos. Não serei eu a ensinar um presidente a governar, apesar de, constitucionalmente, ele ser um mero representante meu. continua >>
    27/12/2005 – 12:44
    Enviado por: Lady M.
    Eu até poderia fazê-lo, “veja” bem. Acontece que se ele acostuma, fica igual à empregada de casa. Você ensina todo dia a mesma coisa, e não entende se ela não faz o que vc ensinou pq. é lesa das idéias, se faz de propósito só para vc ensinar tudo de novo no outro dia, ou se é contratada por sua sogra como agente dupla para te enlouquecer. Bingo! Lula é agente duplo. Trabalha para o Brasil e para os donos do mundo ao mesmo tempo. E sobre agente duplos eu não falo. Só observo. Qto à VEJA e a notinha: Gerald, se eu fosse você sequer publicaria isso ou pediria para ser publicado. Fingiria que não vi, não li, não é comigo. Quem te conhece e ao seu trabalho, sabe que de nonsense não tem nada. Já sei! A porra do repórter é agente duplo também. Além de pessimamente informado, ou ao contrário, pago para repassar a informação errada. Ufa! Acho que tenho um romance policial em mãos! continua >>
    27/12/2005 – 12:47
    Enviado por: Lady M.
    Governo, agentes duplos, um dramaturgo genial, um jornalista sem a menor educação e escrúpulo (isso é ótimo para romances) e um público. Só falta o Ministro da Cultura, senhor Gilberto Gil Passos Moreira dar uma força para que escritores existam, digo, subsistam.
    Ei [Mensagem aos petistas], tem certeza que quer mesmo falar sobre o Lula. Quando se tem um rei com o reinado mais interessante da história, para que se falar nele. Fala-se da côrte, claro! O bobo ainda não descobri quem é, a não ser que ele possa ser composto por vários entes ao mesmo tempo. Se puder, claro que somos nós, povo. Lá vem o Povo, el bobo mais famoso del reinado! Lá vai o Povo! A piada de hoje foi ótima! É, ele tem fome! Onde já se viu? O bobo com fome! Só pode ser piada! (s+c)
    27/12/2005 – 15:27
    Enviado por: teresa da praia
    vc chora muito Thomas e de barriga cheia. quem dera um nota sobre mim na veja. quem dera. bjux & sucesso como ator!
    27/12/2005 – 18:19
    Enviado por: Mensagem aos petistas
    Lady M., apesar de concordar com o ‘teatro’ todo que você descreve, discordo que Lula seja um agente duplo. Para isso seria necessário um plano, um esquema, uma organização. Esse governo é tudo menos isso. Vivemos de personagens, mas isso não é privilégio nosso, vide Reagans da vida, Bushs, mesmo Clinton que se não tocasse saxofone duvido que teria sido presidente, isso pra não mencionar toda a ópera que se chama família real inglesa, um resquício de um povo sedento tanto de líderes como de sangue estrangeiro. O personagem Lula venceu, o menino pobre virou presidente, sua vida estará nos livros de história de gerações e gerações futuras. O fiasco petista e a sobrevivência de Lula, intocável, inalcançável, foi apenas a comprovação de que também queremos um Rei, assim como os ingleses. A diferença é que somos sedentos por sangue nosso mesmo, não vamos colonizar ninguém, nosso massacre a gente faz em casa.
    02/01/2006 – 22:54
    Enviado por: alice matoso] [sao paulo
    Hahaha! vc como ator???
    nossa,ate parece que alguma dia vc não esteve representando…
    Gerald, vc é um dos maiores atores que eu conheço. As tuas “cenas de amor” são insuperáveis, sem contar as de suicídio.
    Vc é um grande ator, não hesite em ser vc mesmo no palco.
    beijos A.M.
    02/01/2006 - 22:58
    Enviado por: luiz ramos assiz] [sao paulo
    Para de pintar esse cabelo!
    Vc vai ficar ainda mais gato…
    bj. Lu.
    05/01/2006 - 23:34
    Enviado por: juliana sampler] [rio de janeiro
    Nossa! Oba!
    Vc no palco? E vai ter nu frontal ?
    Além da tua voz tesudérrima , vou te ver pelado?
    É a glória !
    bjusss Ju
    08/01/2006 - 01:33
    Enviado por: Andre Abreu] [Boston-MA-USA
    Gerald,
    Revista e assim mesmo! Da proxima vez o cara vai ficar 3 dias na tua casa e vai sair um paragrafo, ta bom?
    Andre Abreu

    http://www.blogoscar06.blogspot.com

    08/01/2006 - 14:31
    Enviado por: grace campos deodoro] [rio de janeiro
    Gerald!
    Quero ser sua camareira. Tanho anos de experiencia com os maiores ídolos do teatro brasileiro! Já cuidei até do Cauby!
    Vai ser uma honra prá mim, então não se esqueça!
    Conte comigo!
    abraços ,Grace.

  91. Sandra

    santanna, eu até lhe responderia, mas fiquei muito de bem com a vida lendo esse texto, e estou ouvindo um lindo CD com minha família, e vou por minha filha para dormir…
    Enfim, ESTOU MUITO FELIZ!!!!

  92. Sandra

    Só reconheci o Contrera. Parece aquele filme: O Baile. Mudam os cenários, a época,… mas nada muda.

  93. Sandra

    Gande beijo, Gerald! Durma o sono dos justos e iluminados!

  94. ricardo leandro

    Gostei de sua “Mama”, penso que ela é minha agora também. Só não gostei de você esquecer o “H”, que falta no nome de Kazuo Ohno. Mas como o artigo ficou bom, ele nem vai se importar. Até porque é um coisa útil, não a idiota guerra. Mas suas palavras. Bom e como você gosta de Beckett, somos dois. Alias quando fiz Estragon, Eduardo Montagnari ( Berline Ensamble – Brecht) doutor sociólogo e diretor teatral, amou. E quanto a guerra? Esperamos que Godot desça exatamente em Gaza.
    E eu aqui montando Estacionamento de Bicicletas, texto de minha autoria baseado em Beckett. E você já me viu lá no satyros, arrumando os adereços de Divinas Palavras.
    beijos

  95. Lílian.

    Não entendí essa… pra se ter opinião eh preciso de que afinal…

  96. gthomas

    QUE RIDICULO!!!!

    HOW RIDICULOUS

    Amorim vai amanhã ao Oriente Médio propor mediação
    SAMY ADGHIRNI
    DA REPORTAGEM LOCAL

    O chanceler Celso Amorim embarca amanhã rumo ao Oriente Médio, onde apresentará “ideias brasileiras” para mediar a crise, segundo a Folha apurou.
    O Itamaraty evita dizer que o objetivo do giro, que levará Amorim a Síria, Cisjordânia, Israel e Jordânia, seja apresentar uma proposta de paz concreta. A viagem atende ao desejo brasileiro de “arejar” as conversas de paz com a inclusão de novos mediadores, já que “os principais protagonistas” -leia-se os EUA- falharam na mediação.
    Na prática, Amorim apoiará um cessar-fogo e o envio de monitores -ideias já contempladas nas atuais gestões.
    O Itamaraty divulgou quatro comunicados sobre a guerra em duas semanas. Nos textos, “deplorou” os ataques israelenses a Gaza, considerando-os uma “resposta desproporcional” ao foguetes do Hamas.
    Os comunicados oficiais foram reforçados por declarações do presidente Luiz Inácio Lula de Silva e do próprio Amorim.
    O Planalto tenta ainda articular, com apoio informal da França, uma conferência mundial que reúna “países neutros”, para se contrapor ao alinhamento incondicional de Washington com Israel. O projeto caminha em silêncio.
    As gestões ambiciosas traduzem a confiança adquirida pelo Itamaraty após o Brasil ter sido convidado pelos EUA -com o aval de Israel- a participar como observador da Cúpula de Annapolis (EUA), em 2007, que tentou relançar o diálogo entre israelenses e palestinos.
    A participação coroou os esforços iniciados no primeiro mandato de Lula de uma maior presença brasileira no Oriente Médio. Lula visitou seis países e foi anfitrião da primeira Cúpula América do Sul-Países Árabes (Caspa), em 2005. Apesar das críticas, o evento deu visibilidade ao Brasil e alavancou as exportações brasileiras para os países árabes, que dobraram (US$ 8,91 bilhões em 2008).
    A desconfiança de Israel em relação ao Brasil foi reduzida com a formalização do acordo de livre comércio Mercosul-Israel, único acordo do tipo selado sob a gestão Lula.

  97. Garganta

    Caro Gerald,

    Engraçado! Sempre aparece o pessoal a favor do regime militar cá no seu blog, condenando as ações terroristas dos grupos de esquerda; e, por outro lado, louvando membros da ditadura golpista de 64. Por que não se fala do Marechal Lott? Militar legalista que foi usurpado de seus Direitos por defender a Lei de seu país, por exemplo?

    Com os melhores cumprimentos,

    Garganta.

  98. Garganta

    Caro Reinaldo Pedroso,

    Por que eu seria machista? Mulher pensa diferente do homem( se você não sabe, deve ter relações com poucas[malcomedor]); jamais afirmei que sou a favor delas serem tratadas como submissas ( o que ocorria, antes do movimento feminino). Aliás, já que você se interessa pelas minhas citações( só de eu imaginar que alguém diferente de você pode ler um dos livros que cito, eu tenho mais desejo de expor passagens): “Equivocar-se no problema fundamental ‘homem e mulher’, nele negar o mais profundo antagonismo e a necessidade de uma tensão hostil, e sonhar talvez com direitos iguais, igual educação, reivindicações e deveres iguais: eis um sinal típico de superficialidade, e um pensador que se mostra superficial nesse ponto perigoso –superficial no instinto!– pode ser tido como suspeito, mais ainda, como descoberto, flagrado: provavelmente será “curto” demais para as questões fundamentais da vida, também da vida futura, e não atingirá profundidade alguma”( Nietzsche, p.128.,cia das letr., 2008, Além do Bem e do Mal)

    Caro Reinaldo, como intelectual e etc. eu não tenho intenções de assim ser reconhecido. Mas digo a você que a contribuição que eu já dei para o meu país, estudando numa das instituições públicas mais reconhecidas em sua área( tornando-a mais vigorosa), já me faz ter a certeza de que a minha vida realmente vale a pena.

    PS: É por babacas como você que há mulheres desesperadas depois dos 30 anos, sem constituir família. Que há uma vulgarização –de fato–( Dança da bundinha mesmo. Não um insulto à honra de uma determinada mulher) da imagem da mulher. Em outras palavras: vá caçar sapo, que você, Reinaldo, será menos improdutivo.

    PPS: Sugiro , se responder, uma resposta curtinha, de acordo com a sua cabeça. Porque não desejo ( você também) que você se arrisque escrevendo demais e, assim, expondo( na cara dura) a sua falta de conhecimento acerca do mundo.

    Com os melhores cumprimentos,

    Garganta.

  99. Cristina

    Leio nos blogs pessoas defendendo a violência por parte do Estado de Israel e condenando os ataques terroristas com um pensamento fascista ou nazista, no sentido do Estado poder usar de poder de arbítrio descomunal e violento, sem consulta ao povo. Sempre vale a pena lembrar que o povo alemão não sabia das barbaridades do nazismo, a propaganda de guerra era enganosa, assim como a propaganda de guerra de Israel é também enganosa. A pessoa individual pode ser louca, pode ser irracional, mas o Estado irracional vira fascista. Quando o povo americano aprova uma absurda invasão ao longínquo Iraque, o povo inteiro está sendo fascista, acha que tem o direito de jogar bombas na cabeça de outros povos. Os Estados Unidos não estavam se defendendo do Iraque, eles atacaram um país soberano sem autorização das Nações Unidas. O terrorista que atacou as Torres Gêmeas não é um fascista, ele não acredita no poder do Estado.
    O problema do estado de Israel é que ele foi criado artificialmente, depois da segunda grande guerra. Havia muçulmanos morando na região que imediatamente após a criação de Israel foram expulsos de suas casas, e começou a guerra de árabes e judeus. Só que …. muito antes da criação de Israel, o estado de Israel já estava sendo discutido entre árabes e judeus, os judeus sionistas pediam a criação de Israel, e compraram muitas terras na região da Palestina. Eu ainda vou copiar o Einstein para vocês, sua correspondência com um amigo palestino, o cientista alemão acreditava na benevolência dos judeus, acreditava que Israel seria para o bem e o palestino era cético e bem pessimista.
    Estou impressionada com o poder de comunicação do Nietzsche, puta que pariu o alemão é foda. A prova que o Gerald é artista e não intelectual é que neste blog há um puxa-saquismo que o intelectual não suporta, sente vergonha ao invés de vaidade. Intelectual geralmente é meio seco e muitas vezes very brut.

  100. Reinaldo Pedroso

    Sandra
    Até agora na Net eu não vi nada sequer parecido com a tua idolatria pelo Gerald.
    Reinaldo

  101. Cristina

    A colônia judaica de São Paulo é composta por judeus europeus, africanos e asiáticos, e se mistura na classe média, conheço os sefa-radins e os ashke-nazis. Tenho uma amiga que nasceu no Egito e por causa da guerra entre Israel e Egito teve que se mudar para o Brasil. Eu sou racista, mas o judeu é mais racista que eu, é que o paulistano vem mudando os seus conceitos e o judeu que conheço também vem mudando os seus conceitos, mas o racismo é bem aceito entre os judeus, não é repelido. Chamar um judeu de racista não é ofensa. Maquiavel relata no livro “O Príncipe” a absurda expulsão de judeus e muçulmanos da Península Ibérica. Os judeus se mudaram para o norte da África, onde viveram durante séculos em paz até a criação de Israel. Baruch (quase barak) Spinoza era um judeu sefaradim que nasceu na Holanda, combatia a intolerância e era a favor da livre-expressão, quase foi linchado pelos seus companheiros de sinagoga.

    O problema do artista é que ele é meio histérico, o Gerald é histérico, e a fã do artista também é histérica. A Sandra chora de histeria. Este blog dá trabalho, mas sem ele é pior. Ele serve de inspiração para a blognovela, além da catarse, é impossível fazer catarse no teatro hoje em dia, o poder econômico não deixa.

    Para ter opinião é preciso conhecer o objeto opinado, Gerald diz que opino sobre a Alemanha sem conhecer o país, mas eu acho que posso sim opinar em cima da impressão que tenho dos alemães sobre seu país. O alemão é o português que aprendeu matemática, vocês vão me desculpar, mas o 3º. Reich era burro. Hoje em dia a guerra, o nacionalismo, tudo é tabu, os alemães não apóiam neo-nazistas, foram muito combatidos nas TVs alemães na Copa do Mundo, a irmã do meu vizinho acabou de chegar de 20 anos de temporada na Alemanha, ela falou que na Alemanha era muito comum as pessoas conhecidas fingirem que não a conheciam, passavam reto como se ela fosse um poste, sem contar que o churrasco de alemão é hilário, cada um leva a sua salsicha que não é compartilhada com ninguém, o cara tem a manha de levar uma salsicha, nem em churrasco de pobre miserável brasileiro acontece isto, pelo menos na Ilhabela, o churrasco dos pobres é nababesco. O alemão ainda não conseguiu fechar a Gestalt da segunda guerra.

  102. Roni

    ashkenazis… yemenitas.. sefaradins… islâmicos… negros… católicos….
    o.O
    até quando vamos continuar rotulando PESSOAS??

  103. Reinaldo Pedroso

    Nina! Sandra! Gerald!
    Como vocês sofrem! Como vocês sofrem!
    Não há ironia nisso, é o que vejo nas mensagens de vocês desde que entrei neste blog.
    Tenham piedade de si, permitam-se amenidades.
    Mergulhem seus corpos tensos em uma banheira com água morna quase quente, permaneçam assim de olhos fechados, quietos, por uma hora.
    Abraços,
    Reinaldo

  104. Cristina mia.
    Eu te amo de todo o meu coração.

  105. Escreva o que tem de escrever para o palco da vida! Boa frase.
    A guerra é uma doença antiga e incurável. Alguém ainda duvida?
    Odeio a guerra. E mais ainda seus motivos!

  106. Nina

    Bom dia a todos

    Pacheco querido,

    realmente preciso da sua ajuda com 64, é sério, tenho que terminar um artigo.
    Pode me escrever?
    Obrigada

    Nynnah.nina@gmail.com

    bjs

  107. Ronald

    E no meio da guerra, gente como a gente……

    A palestina Nirmeen Kharma Elsarraj está com os seus três filhos, a cunhada e uma sobrinha em uma casa na Cidade de Gaza, que vem sendo alvo de ataques israelenses há quase duas semanas.
    Nirmeen e sua filha Nour, de 14 anos, mandaram relatos da Cidade de Gaza para o grupo “Other Voice” , organização que promove o diálogo entre israelenses e palestinos que vivem dos dois lados da fronteira entre Israel e a Faixa de Gaza.

    Confira abaixo os relatos de mãe e filha, repassados por uma representante israelense do “Other Voice” para a BBC Brasil:

    Este é o quinto dia da operação militar em Gaza, chamada de “Cast Lead”. Terror e destruição estão por toda parte.

    Há coisas que não estão sendo bem transmitidas no noticiário; os sentimentos! Eu tenho três filhos – uma filha, Nour, de 14 anos; e dois filhos, Adam, de nove, e Ali, de três.
    Nós vivemos em uma área na Cidade de Gaza que era descrita como “segura”. Nenhum lugar pode mais ser considerado seguro. Meus filhos não conseguem dormir, e eu não consigo ajudá-los.

    Os sentimentos de inutilidade e culpa – que sempre acompanham a sua impossibilidade de proteger ou pelo menos confortar os seus filhos – são sempre mais forte do que os de medo e horror.

    Minha filha estava contando a um jornalista, ontem pelo telefone, que ela nunca teve o apoio que precisava de mim quando nós estávamos sendo bombardeados. Eu fiquei chocada!
    Eu me senti tão culpada porque a minha filha sentiu meu medo. Mas não é normal estar com medo, em meio a tudo isso?

    Adam é asmático e usa um ventilador médico. Devido ao estresse e à poluição causada pelos escombros, ele está tendo ataques de asma cada vez mais freqüentes, e não temos eletricidade para o seu aparelho.

    Cada vez que ele tem um ataque nós temos que ligar um gerador para ele, e logo em seguida desligar o aparelho. Não temos combustível suficiente para manter o gerador ligado e não temos idéias de por quanto tempo isso vai continuar.

    Ali não tem idéia do que está acontecendo. A única coisa que ele faz é berrar quando começam as bombas, e quando tudo acaba ele usa a sua imaginação para contar histórias sobre bombas.

    Filhos

    As crianças não dormem. Nós passamos dias e noites em um quarto com minha cunhada e a sua filha. Dá para sentir o estresse e o medo. Dá para ver isso na cara de todos.

    Na noite passada, eu estava pensando sobre tudo isso. Eu não quero que ninguém da minha família se machuque e eu penso que se alguma coisa acontecer, eu rezo para que aconteça comigo, e não com os meus filhos.
    Mas depois eu penso que não quero que meus filhos me vejam despedaçada. As cenas na TV de pessoas morrendo são tão assustadoras, e eu sei o que significa para as crianças elas verem essas coisas.

    O que eu realmente quero é que isso tudo acabe e que eu e meus filhos possamos viver como qualquer um no mundo. Eu quero me livrar dos sentimentos de culpa em relação aos meus filhos.

    Eu estava errada em ter filhos? Eu não tenho o direito de ser mãe? Eu estou realmente fazendo um trabalho de mãe de ser uma fonte de conforto para os meus filhos?

    Eu sei que não é minha culpa, mas eu sei que eu vivo na Faixa de Gaza, e Gaza nunca foi um ambiente saudável para se criar filhos.

    Será que eu fui tão egoísta de pensar apenas na minha vontade de ser mãe e ignorei o provável fracasso que eu seria em proteger meus filhos?

    “Guerra terrível”

    Hoje é o oitavo dia desta guerra terrível. Para mim, ontem foi o pior dia de todos. Quando eu acordei de manhã, um dos meus amigos me telefonou. Quando perguntei como ele estava, ele estava com uma voz estranha.

    Ele disse: “Bem, mas você tem notícias de alguns dos seus amigos?”
    Eu fiquei muito assustada e perguntei para ele se tinha algo errado. Ele me disse que Christine morreu.

    Eu fiquei muito chocada e até agora eu ainda não acredito. Eu liguei para alguns amigos para confirmar a notícia, e todos estavam muito tristes.
    Ela era minha amiga havia quase quatro anos. Nós íamos à escola e ao YMCA (Associação Cristã de Moços) juntas. Eu estou triste, com medo e preocupada ao mesmo tempo, porque ela era como uma irmã para mim.

    Eu sinto pêsames por ela e pela família dela. Os pais dela fizeram o melhor que puderam, mas não foi o suficiente para salvá-la.

    E se os meus pais não pudessem me proteger e me dar apoio quando eu preciso… eu vou morrer também? O que eu posso dizer agora é que o meu futuro está quase destruído.

    Um foguete israelense atingiu minha escola nesta manhã, e a escola foi destruída completamente.

    Eu não consigo realmente imaginar por que eles estão bombardeando lugares religiosos e de educação, como mesquitas, escolas e universidades.

    A cada explosão, nós sentimos nossa casa balançar e quase sendo destruída. E as pessoas que já perderam as suas casas? Eu estou chorando por causa da morte de uma amiga… E as pessoas que perderam pelo menos quatro ou cinco familiares? Depressão e medo estão tomando conta das nossas almas e cercando nossas casas… O que virá depois?

    Não tem nada que eu queira mais do que o fim desta guerra logo e que o povo palestino possa viver como qualquer outro povo, que as crianças palestinas possam aproveitar as suas infâncias, como qualquer criança no mundo.

    Nos ajudem, porque somos todos seres humanos.

  108. Quase à toa

    Os alemão e ingleses são racistas, os judeus(?) são racistas, os negros racistas, mas o pior racismo é o brasileiro, é o único que faz com que o próprio povo odeie a si mesmo.

    Roni, há séculos rotulamos os povos, vai demorar um bocado ainda para isso acabar. Se omundo não acabar antes.

    Gerald to na dúvida, a maluca da Amy Winehouse é Sefaradin? Você sabe?

  109. biquei

    Penso que comecando por rever seu próprios posicionamento,bem como clareando suas relações e direcionamento de suas informações,elevam o nível de transparência e de credibilidade,para tomadas de decisões do leitor.
    O problema é saber,até que ponto o formador de opinião está disposto abrir suas relações,bem como comprometer-se com o leitor,sem perder o patrocinador,afinal de contas é no momento de críse, que mais se necessita do patrocinador,ou será do leitor.
    O fato é que,conforme o texto abaixo,chegou o momento da prestação de contas,onde o leitor será o Censor.
    http://www.Elpais.com.
    Hablaremos de la prensa
    Sí, este año hablaremos de la prensa. Este año no habrá más remedio que arrumbar del todo aquel viejo perjuicio que nos impedía escribir sobre nosotros mismos, aunque no dejábamos de recordarlo cuando lo violábamos quizás con asiduidad excesiva. Este año la prensa, el periodismo sobre papel, será noticia con mucha frecuencia, con excesiva y dolorosa frecuencia. La recesión en curso está golpeando de forma especialmente abrupta a los medios de comunicación impresos, a esos viejos artefactos centenarios que orbitan en la galaxia Gutemberg. Pertenecen al mundo antiguo y muchos no sobrevivirán a este 2009 tan duro que ya ha empezado: algunos ya se han quedado en el 2008. Los que consigan superar esta recesión que está secando las fuentes de ingresos publicitarias deberán transformarse y de qué manera porque también se les están secando, de forma más lenta, las fuentes de ingresos por venta, el pago de los lectores por los contenidos.

  110. Tudo que leio, aqui sobre Israel, me faz lembrar um amigo meu,
    Silva, sargento da PM, que nas horas vagas é
    professor de português e analista de sistemas.

    O Silva me contou:
    Um dia desses um aluno me confidenciou.
    Professor, eu me casei uma mulher finíssima,
    educada ao extremo, mas na hora do vamos ver
    ela dispara a falar palavrões que eu fico até arrepiado.

    Assim é Israel.
    A cultura não esconde o intimo das pessoas.
    A cultura de Israel é apenas mais uma arma no seu arsenal
    para massacrar os menos afortunados.
    Todo cara valentão é covarde,
    gosta de chutar cachorro morto.

  111. Nina

    Reinaldo Pedroso

    tem toda razão

    Abraço

  112. samuel samuca

    Para a Sandra, a nova fria do pedaço e candidata a guerreira sei lá do quê.

    Já que citou a senhora Stewart com tanto entusiasmo, eu também a cito:

    ”genocídio de crianças eh imperdoável…sob qualquer circunstancia….e a perseguição entre vocês….”.

    Engraçado que a frase acima, não foi citada pela nossa amiguinha Sandra, que se comove com palavrinhas,

    …. mais que com crianças destroçadas por bombas.

  113. samuel samuca

    Ai, ai ai … Sandra, Sandra … Não deixo de me abismar com suas palavras.

    No post anterior, fala com toda a frieza do mundo, justificando o massacre de crianças … e depois solta essa:

    “Grande beijo, Gerald! Durma o sono dos justos e iluminados!”

    O sonho dos justos e iluminados???

    Realmente, Sandra você é um absurdo …

    Seu raciocínio é patológico!

  114. samuel samuca

    Isso aqui virou sucursal do homem do chapéu … Tem até post dele colocado na íntegra …

    Ave maria!!! Já não basta o cara ter o blog dele, tem que ser exportado a outros por súditos fiéis???

  115. Garganta

    Cara Cristina,

    “O terrorista que atacou as Torres Gêmeas não é um fascista, ele não acredita no poder do Estado.”.( Cristina)

    O terrorista que atacou as torres gêmeas é a favor de um Estado teocrático ( autoritário e totalitário). Eles querem implantar esse gênero de Estado em todo o mundo, principalmente nos países islâmicos( isso é bem evidente pelos discursos desses grupos). As torres gêmeas foram derrubadas em favor de um regime dogmático (seguidor de leis autoritárias, de livros sagrados). Já pensou um mundo governado por talebans? Eu repudiaria.

    Com os melhores cumprimentos,

    Garganta.

  116. samuel samuca

    Aliás uma coisa tenho que reconhecer no Azevedo, messias de alguns por aqui: ele critica a burrice nacional….

    Estou de acordo!!

    Gente que cita, idolatra e venera o homem do chapéu como referência de cultura …. é de lascar e só engordam a tal burrice nacional !!!

  117. William

    dona SANDRA. PLEASE. avisa o SEM NAME. q. DEMENTE ser…
    a vovozinha. já aq. no país de faz-de-conta. mais ANALFAS q. na BOLÍVIA. divulgado pela MAMA dona ONU. no ano passado. 2008.

  118. Nina

    um comentário meu desapareceu

    realmente não me importo

    mas escrevo de novo, prá ter certeza do que aconteceu…

    09/01/2009 – 08:00
    Enviado por: Reinaldo Pedroso

    Reinaldo,

    talvez tenha razão

    Abraço

  119. Garganta

    Caro Gerald,

    Gerald, você já disse que Israel poderia ter sido criada em outro lugar do planeta. Muito bonito; mas irreal. Ora, no meu planeta, os judeus cultuam um livro de um Estado na palestina; não no Alaska, sertão nordestino e etc. No meu planeta, os norte-americanos precisavam de um aliado para a guerra fria no Oriente Médio. Poder é diferente de necessário, convenhamos( pelo menos no meu planeta).

    Esse gênero de argumento, que, confesso, já pensei, é um tanto sujo, um tanto propriedade de pessoas favoráveis a supressão do Estado de Israel( vergonhoso[ainda mais se você for judeu]). Eu tenho pudor de não fazer.

    Com os melhores cumprimentos,

    Garganta.

  120. samuel samuca

    Novamente o SE é foda!!!

    No texto do chapeleiro maluco acima reproduzido de forma integral, onde está uma firula retórica sem igual … encontramos novamente o famigerado SE …

    ” se Israel tivesse feito algumas das coisas que lhe sugerem os que falam em nome de um acordo de paz, em vez de “pilhas de cadáveres” palestinos, haveria “pilhas de cadáveres” judeus”.

    Primeiro, não há pilhas de cadáveres judeus … mas um monte de palestinos mortos … Essa é a realidade. Não há pilhas de crianças judias mortas, há centenas de crianças palestinas mortas …

    A inversão de valores no cidadão do chapéu é deplorável …

    É por isso que digo: que é muito moralista, esconde um monstro dentro de si … É isso o que é Azevedo …

  121. samuel samuca

    Além disso, a opção dele é clara:

    façamos, como ele gosta, uma leitura “semiótica” do texto …

    e não sejamos idiotas: o cara mostra a sua preferência claramente.

    Pilhas de cadáveres palestinos são preferíveis a pilhas de cadáveres judeus …

    Engraçado é o fato do cara defender com efusividade o direito de um embrião viver que nem é ainda uma pessoa (se posicionando de modo moralista contra pesquisas científicas).

    Além disso, é covarde, pois não coloca claramente o que ele pensa, e que deixou nas entrelinhas: ele prefere realmente as pilhas de cadáverde palestinos.

    No raciocínio do homem, messias informativo para alguns aqui, não há espaço para um “NÃO À MORTE” seja de judeus ou palestinos …

    Pacifismo, na visão de gente como Azevedo, é coisa de comunista, ambientalismo também … portanto, vamos à guerra …

  122. samuel samuca

    A tal Ann Coulter, outra maluca de pedra, pelo menos era mais honesta e direta:

    …. quando do início da guerra com o Iraque, ela falou que se devia bombardear tudo, afinal era guerra, e na II Guerra os EUA bombardearam população civil. Não tinha nada de mais matar um monte de gente, desde que o fim fosse preservar a segurança dos EUA e manter a cultura judaico-cristã. Além disso, ela dizia que se deveria invadir os países árabes, matar os líderes e cristianizar a população à força …

    Azevedo é covarde e somente dá a entender que o que ele pensa é a mesma coisa que a tal Coulter … mas no final, tem receio de colocar sua opinião às claras …

  123. Colojoe

    “Um povo eleito por Deus e que, portanto, estão automaticamente justificadas e autorizadas, em nome também dos horrores do passado e dos medos de hoje, todas as acções próprias resulatantes de um racismo obsessivo, psicológica e patologicamente exclusivista; educados e treinados na ideia de que quaisquer sofrimentos que tenham infligido, inflijam ou venham a infligir aos outros, e em particular aos palestinos, sempre ficarão abaixo dos que sofreram no Holocausto, os judeus arranham interminavelmente a sua própria ferida para que não deixe de sangrar, para torná-la incurável, e mostram-na ao mundo como se tratasse de uma bandeira.”

  124. Gustavo

    Gerald tentei responder novamente seu email e novamente veio a mensagem:

    Your e-mail is being returned to you because there was a problem with its delivery. The address which was undeliverable is listed in the section labeled: “—– The following addresses had permanent fatal errors —–“.

    The reason your mail is being returned to you is listed in the section labeled: “—– Transcript of Session Follows —–“.

    The line beginning with “<<<” describes the specific reason your e-mail could not be delivered. The next line contains a second error message which is a general translation for other e-mail servers.

    Please direct further questions regarding this message to your e-mail administrator.

    –AOL Postmaster

    —– The following addresses had permanent fatal errors —–

    (reason: 552 dryopera MAILBOX FULL)

    Eu devo estar bloqueado ou algum filtro da AOL foi ativado e me impede de responder o email.

  125. Sue ( Preocupada...)

    Gerald ,
    Bom Dia …Querido

    Realmente respira fundo…conta ate 100 (ou mais se precisar)…mas nao se extresse com quem nao merece…Exemplo: Tiago….

    AMEI essa frase so poderia ter saido de uma pessoa tao doce , inteligente e sensivel como voce!!!

    Beijos e Bom dia…

    ****Para se chegar a esse nivel de lucidez e clareza e sei la o que eh preciso ter vivido MUITO na pele, ter carimbado na PELE todos os selos amargos e doces dos paises e das culturas que povoam esse mundo barbaro(barbaro em todos os sentidos).****

  126. santanna

    Sr. Thomas,

    Tenha piedade da Sandra!
    Pelo menos dirija a ela alguma palavra de carinho, admiração ou gratidão, para ela saber que o sr. ainda é HUMANO!

    Concordo com o Sr. Reinaldo Pedroso, ela desenvolveu verdadeira Geraldolatria.

    Daqui a pouco ela estará colocando oferendas aos seus pés, como aos deuses, ou organizando novenas a São Gerald Thomas!

  127. Nina

    Reinaldo, (Pedroso)

    Ainda sobre teu comentário (deve ter mexido muito comigo)

    Não te conheço, não sei qual é a tua, nem me interessa sinceramente, mas posso te garantir:

    Eu (Nina/Helen) e Sandra
    somos pessoas COMPLETAMENTE DIFERENTES.

    Bom dia a todos

  128. Rosana Wölfl

    Gerald, no seu blog só no ultimo tema foram postados mais de 700 comentários! Porque voce está deixando o Blog? Um dos espacos mais democraticos e sérios da WEB.
    Rosana

  129. Nina

    e continuo admirando profundamente o gênio de Gerald Thomas

    sem idolatria
    sem patologia
    sem vazio

    Obrigada

  130. Sandra

    Agradeço a todos que se preocupam COM A MINHA VIDA.
    Mas eu me gosto assim mesmo.
    Se eu quero mudar? SEMPRE!!!!
    Mas EU escolho quem quero ouvir, e quem quero com exemplo.

  131. Garganta

    Caro Gerald,

    Por que você não faz um comentário ou um post relatando seus filmes favoritos? Assim, eu e os demais leitores poderíamos assistir.

    Com os melhores cumprimentos,

    Garganta.

  132. O Vampiro de Curitiba

    Tudo já foi dito sobre essa maldita guerra. O Hamas tem como motivo de sua existência a destruição do Estado de Israel. Israel não deve parar a guerra enquanto não eliminar o Hamas, o resto é conversa fiada.
    Não quero mais falar sobre isso, essa guerra não é minha. Se todos fôssemos ateus, isto não estaria acontecendo. Agora, se é destino destes povos viverem se destruindo, que alcancem seus objetivos!

  133. Sandra

    Eu me comovo com a morte dos inocentes, mas estou vacinada contra gente que quer usar minha comoção contra mim, mesmo porque, quando isso funciona, gera ainda mais morte de inocentes.

  134. Sandra

    santanna, minha admiração e respeito pelo Gerald são incondicionais.

  135. Garganta

    Caro Samuel Samuca,

    “Gente que cita, idolatra e venera o homem do chapéu como referência de cultura …. é de lascar e só engordam a tal burrice nacional !!!”( Samuel)

    Reinaldo Azevedo é um jornalista muito bem conceituado no seu meio, formado em Letras e Jornalismo. Ele é um homem culto.

    Com os melhores cumprimentos,

    Garganta.

  136. Sandra

    Samuel, defina pacifismo, por favor. E dê-nos um exemplo de um país pacifista.

  137. samuel samuca

    Realmente, apesar de querer concordar com o Vamp de que se fóssemos um planeta ateu, estaríamos conquistando as estrelas em vez de nos matar … Gostaria mesmo de concordar ….

    Mas o SE … não existe …

    Mas não deixo de me surpreender com a frase:

    “Israel não deve parar a guerra enquanto não eliminar o Hamas, o resto é conversa fiada”.

    Me surpreende a frieza … como se não houvessem civis no meio …. realmente, decepcionante!

  138. Cristina

    A única pessoa que se reconheceu e se declarou fascista que conheci foi um italiano que hospedei, trabalhava no sindicato de sua cidade, fazia acordos entre patrões, empregados e o governo. Ele era a favor do estado usar de poder, inclusive de força, a favor da cidadania e do respeito às leis do país, tinha horror dos romenos e albaneses, todos mafiosos. Tem gente que é fascista e se acha democrata. Da mesma forma que o governo militar no Brasil, o regime fascista italiano e alemão começaram como uma oposição aos comunistas e à corrupção, nós não sabemos como é que desvirtuou para o holocausto, não consigo entender o motivo dos judeus terem irritado tanto os alemães, tinha o expansionismo soviético comunista no meio e o sionismo, um problema financeiro com os banqueiros judeus, e pelo jeito até hoje tem gente que não gosta de judeus na Alemanha, conforme narrativa do Gerald, aqui no Brasil os judeus são bons. A irmã do meu amigo disse que há um ressentimento represado no alemão, um anti-americanismo muito forte, por causa do pós-guerra, enfim os americanos e os judeus não deixam os alemães fechar a gestalt. Eu acho estranho um caçador de nazistas ganhar um Prêmio Nobel, um homem que busca vingança que não esquece o passado não busca a paz.

  139. samuel samuca

    Garganta, se o Azevedo é homem culto … pode até ser! Afinal, cultura, aquela que se adquire lendo livros, não é incompatível com deficincias de caráter … Pra mim o cara é um canalha.

    Não deveriamos nos surpreender, já que sua escola política da juventude foi a esquerda trotskista …

    E o que vejo é precisamente isso nos textos dele….

    É o método esquerdista, da difamação, do ataque, invertido …

    Ele pegou o método da esquerda, inseriu conteúdo conservador-católico-medieval e … ponto final …

    E daí se ele é culto e fez letras?

    Eu sou músico e considero a música a maior e mais fidedigna expressão de cultura …

    Portanto, tenho certeza de que sou muito mais culto que ele …

  140. Cristina

    Meu marido disse que o Vampiro de Curitiba é o Bento Carneiro, o vampiro brasileiro.

  141. Garganta

    Caro Vampiro,

    “Tudo já foi dito sobre essa maldita guerra.O Hamas tem como motivo de sua existência a destruição do Estado de Israel. Israel não deve parar a guerra enquanto não eliminar o Hamas, o resto é conversa fiada.
    Não quero mais falar sobre isso, essa guerra não é minha. Se todos fôssemos ateus, isto não estaria acontecendo. Agora, se é destino destes povos viverem se destruindo, que alcancem seus objetivos” ( Vampiro)

    Mas você tinha que soltar essa pérola…Jesus! você fará Melanie mesmo, voltei atrás.

    Essa guerra não é sua? Eu ainda me considero terráqueo, portanto eu tenho o dever moral de me manifestar a respeito dela. Queria ver se você manteria a sua opinião sobre a continuação da Guerra, se fosse um palestino analfabeto com sua esposa e filhos analfabetos enterrados a sete palmos do chão, sendo bombardeado constantemente por caças israelitas.

    Se todos fôssemos ateus, certamente haveria uma briga entre os adoradores de Marx contra os admiradores de Locke. Somos humanos antes de ateus. O destino desses povos, como o meu e o seu, é existir ( eu não tenho dúvidas). Que vivam!

    PS: Que mau-humor.

    Com os melhores cumprimentos,

    Garganta.

  142. samuel samuca

    O mercado, a possibilidade de comprar coisas e realizar desejos é muito mais eficiente que bombas …

    É nisso que o ocidente investiu durante muito tempo …

    Prefiro jovens meio alienados que veem Batman no cine e saem comentando o filme como se fosse o máximo da experiência humana, que malucos fanáticos explodindo bombas (terroristas) ou idiotas que matam achando que são os eleitos do senhor (muitos israelenses) …

    Enfim, a ingenuidade da juventude é “curável”, digamos assim …

    O fanatismo não é. E há fanáticos em ambos lados …

  143. samuel samuca

    Vamp, por favor uma pergunta:

    conforme suas palavras: “Israel não deve parar a guerra enquanto não eliminar o Hamas”

    Vamos fazer o gostoso exercício do SE, já que você gosta de usá-lo:

    Não deve parar a guerra até que elimine o Hamas, certo?

    Mesmo que isso custe a vida de milhares de pessoas?

    Se eliminar o Hamas implicasse a morte de 5 mil, 10 mil, 50 mil palestinos, ainda assim Israel deve permanecer atacando?

    E se a eliminação do Hamas implicasse em 1 milhão e meio de mortos, é justa a operação militar? Ainda assim.

    Veja que o SE pode ser usado em diferentes contextos e pra todos os gostos …

    Mas responda-me lá …

  144. santanna

    Sandra,

    Perceba que o meu comentário não foi para vc, foi para o Sr. Thomas.
    Vc pode colocar quem vc quiser nos altares da sua vida, é sempre um aprendizado.

  145. gthomas

    Santanna

    estou liberando comentarios, mas nao estou mais participando desse blog.

    estou entregando a nota de (…..) ao IG e acabou,

  146. Garganta

    Caro Samuel Samuca,

    Você acredita que ele é um homem sem-caráter, ok. Eu, por outro lado, acredito que ele é um bom homem ( nada me indica o contrário). Não entendo esse abuso de retórica nos textos de Reinaldo Azevedo.

    Com os melhores cumprimentos,

    Garganta.

  147. gthomas

    …Portanto qualquer pergunta, questao, provocacao feita a mim, nao sera mais respondida e fim.

  148. Sandra

    É verdade, santanna, mas como foi um comentário público, partindo de uma consideração errada a meu respeito, senti-me no direito de corrigi-lo

  149. Garganta

    Caro Gerald,

    “”Santanna

    estou liberando comentarios, mas nao estou mais participando desse blog.

    estou entregando a nota de (…..) ao IG e acabou,”( Gerald)

    É verdade? Que triste! Mas você deve ter suas razões.

    Com os melhores cumprimentos,

    Garganta.

  150. Sandra

    Gerald, o que você decidir, que seja para a SUA felicidade.
    SUA SUA SUA SUA SUA felicidade.

  151. Cristina

    As pessoas, no caso específico, o Gerald, não gostam que se ponha o dedo na ferida, mas se não colocar o dedo a ferida nunca vai curar. Vai sentir saudades dos blogs.

  152. Sandra

    Cristina, ele tem a MAMA para por o dedo nas feridas dele.
    E para dar um colo.
    E para oferecer um colo.

  153. santanna

    Que bom! agora a gente pode falar mal do Sr. Thomas pelas costas dele, hehe!
    Brincadeirinha!

    Obrigada Sr. Thomas, por eu ter podido aproveitar esse espaço para expor minhas opiniões.
    Em tempo, eu também admiro o seu trabalho no teatro.
    Assisti, na década de 80, a encenação de uma obra sua, no MAM do Rio, e foi das coisas mais lindas e criativas que já vi na minha vida.

    sincero abraço,
    Santanna

  154. Mau

    Ateus?? Onde estão???

    Na atualidade nem fantasma é ateu.

    Ora, as igrejas abandonaram a liturgia pra serem conselheiros de auto ajuda e prover a força da mente. Melhor saber menos do mundo. Menos informação, menos é mais – quero adentrar o reino da ignorancia.

    Estou sentindo o cansaço de Virginia Wolf.

    Abs

  155. Sandra

    É ELE que deveria por os dedos nas nossas feridas.

  156. Glorinha

    Gerald, bom dia!
    último…sentirei isso triste….
    acho que não merecemos o seu blog, esses últimos dois posts quase não acreditei em alguns comentários…não pela discordância mas pela maneira como é colocada…
    o mundo é diferente, parece, todos somos estranhos de nós mesmos…
    que dizer do outro que apenas quer falar e nada ouvir….
    te abraço muito sempre, espero que esse tempo, se não for mais daqui, seja muito mais….seja bom para você!
    [[]]

  157. Se eliminar o Hamas implicasse a morte de 5 mil, 10 mil, 50 mil palestinos, ainda assim Israel deve permanecer atacando?

    Foguetes lançados contra a população de Israel em 2008.

    1.376 foguetes.

    Atitude de Israel até estourar a guerra: NENHUMA

    A resposta para sua pergunta é: S I M

  158. Cristina

    Sandra, nós não temos feridas, o ferido é o Gerald, e ele já declarou que é incurável, e vai fazer teatro que ninguém vê, dirigindo atores medíocres, correndo atrás de dinheiro.

  159. Sandra

    Beijos, Gerald!

  160. Cristina

    Vamos judiar o Gerald que ele vai responder no fim !!!

  161. Garganta

    ERRATA:

    Do meu penúltimo comentário( nada de ambigüidades):

    “Não entendo um abuso de retórica nos textos do Reinaldo Azevedo ”

    Com os melhores cumprimentos,

    Garganta.

  162. Evandro Luis Sagrioni

    Será assim até que necessário, daqui a mil anos todos serão Israelenses ou Palestinos…..Tomara que nem um nem outro.

  163. Oi, Gt e pessoal.

    Pessoal: alguém já disse se diz que o bloqueio a Gaza é muito anterior a essa guerra.

    Mudando de assunto: G, postei artigos sobre a repercussão de Brokeback Moutain no Supercine. Até onde vi não rolaram cortes, nao.

  164. Cristina

    Vamos malhar o IG !!! Uma coisa que percebi que irrita quem é dono de blog é o fato dos comentários saírem desconectados, e o IG nunca consertou o problema, não há continuidade no diálogo. Você precisa voltar muito. Deve chatear quem gosta de perfeição.

  165. Cristina

    A Sandra é muito incoerente defende com unhas e dentes a ação de Israel, que perdeu apenas três inocentes em 7 anos de ataques de mísseis a partir de Gaza. Bento Carneiro, Vampiro brasileiro curitibano é outro incoerente. Gerald, o perfeccionista, está cercado de bajuladores.
    Só pedindo as contas !!!

    Garganta,
    Os terroristas que atacaram as torres gêmeas agiram por vingança e idealismo, eles não eram religiosos, e agiram individualmente porque os governos de seus países não agem, queriam vingar os parentes mortos pelos americanos, não são fascistas, não queriam o poder.

  166. Caros

    Antes de Mais nada , tudo isto é fruto de uma decisão no minimo questionável de criar um estado de israel aonde já existia um estado palestino , não tenho nada contra Judeus e nem contra arabes , mas a verdade é que cada lado tem suas razões , o que falta de ambas as partes é um grande lider capaz de achar um acordo minimamente aceitavel , para ambas as partes ,o que implica em cada lado primeiro aceitar que o outro tem o direito de existir com dignidade , de ambas as partes deixarem de enchergar o outro lado como terroristas , e partir para um dialogo , na verdade o HAMAS luta com as Armas que dispoem , como os próprios Judeos fizeram na segunda guerra , os franceses e italianos contrarios ao Nazismo , a guerilha é uma opção histórica de um grupo mais facil enfrentar o mais poderoso .

    O que a sociedade não pode permitir é a faixa de gaza se a situação continuar no rumo que esta tomando , se tornar um grande campo de concentração , não importa Judeu , palestino , Negro , Branco , campos de concentração são absurdos que devem ser evitados . E Me desculpe perguntar , qual a diferença , entre um bombardeio a Gaza e um missil palestino , ambos não causam mortes e destruiçao ???
    Ambos não dizem estar defendendo suas Familias , e seu país ???

    Se formos aqui procurar culpados , então este circulo irá sempre piorar , pois a cada ataque de um dos lados haverá uma retaliação do outro Lado , levando sempre a mais morte e destruiçao . A de se procurar uma negociação minimamente aceitavel para ambos os lados , o que creio é muito complicado

  167. gilberto jesus ferraz

    Existem, atualmente, tantas guerras em curso no mundo, mas a mídia, mesmo que confinada, ainda abre um grande espaço, não seria de se esperar outra realidade, uma vez que o centro do mundo não é e nunca foi Roma e muito menos os EUA e sim esta infeliz terra de judeus, mulçumanos e algo mais, quanta infelicidade para um lugar onde crianças são a esperança de novos soldados e novos guerrilheiros.

  168. Eita!
    parece que eu nem cheguei direito e o Gerald já está abandonando o barco
    puta madre…

  169. Mau

    Os bombardeios mútuos por aqui continuam. Que energia vc´s tem heim. Escrevam suas angústias, opiniões, desejos mas evitem se atacar. Não estão tão diferentes de judeus, xiitas e sunitas.

  170. Fernando

    Gerald, minha dúvida é:
    a) você copiou do Noblat;
    b) o Noblat copiou de você;
    c) os dois copiaram de um terceiro;
    d) todas as acima.

  171. Para senhor Gerald Thomas.

    Encontrei o Pacheco ontem de noite.Passeando em Belmonte.
    O velho marinheiro estava mais babão do que nos disse o Targino Silva. Todo prosa exibindo seus netos em Belmonte.
    Assim mesmo conversamos. E falamos sobre o teu blog.
    Não entendi bem, mas recordo que ele mencionou um historia de trem e maquinista. Algo a respeito de um condutor de trem que ia abandonar a locomotiva e depois acabou permanecendo para alegria dos passageiros. Será que isto te fala algo?
    Bem. Deixa pra lá. Vamos falar do que eu não entendo.Sou critico de algo que não entendo porra nenhuma.Mas como aqui me parece que todos falam sem entender direito do que falam então eu estou na minha.Estamos então na nossa.
    Gerald, você estando nos EUA está bem próximo do símbolo da águia.
    Está cansado?Saturado?De saco cheio?Querendo mandar tudo e todos para a merda?
    Então é hora de subir a montanha. Ficar no ponto mais alto. Bater o bico velho contra as pedras. Vai doer, mas tem de ser feito. Águia ou se renova ou morre.
    De bico novo arranque as unhas velhas uma a uma. Doerá muito, mas tem de ser feito.
    E renovado se lance para o vôo de recomeço. Novos palcos. Mantenha o Sam.
    Trinta anos de águia. Dá até para fazer mais dois blogs. E um novo Batman
    E se depois disto ainda não te entenderem mande tudo realmente a merda e ponto final.
    E se a Sandra te adora é problema dela e ninguém tem nada com isto a não ser o Chefe.
    Pode me botar em seguida da Sandra entre as pessoas que gostam de ti. Isto é entre blogueiros, pois chamais iríamos querer tomar o lugar da Judith Malina e muito menos da Mama. Sem falar no Sam e muito menos no homem que cozinhava para a Judith.E quem estiver lendo e não entendendo que se foda porque eu não vou botar azeitona na empada de ninguém.Arte é para quem entende e se você não entende sifu.Faça como eu.Vire critico.Entendeu?
    Critico de arte.

  172. Blog doideira.

    Meu comentário esta láem cima e jáestou lendo entradasdas17oo horase onde estou ainda são 16 15.
    Parece hospicio.
    Não é pra menos o Gerald estar querendo jogar a toalha.

  173. gthomas

    QUALQUER COMENTARIO CONTENDO MEU EMAIL PESSOAL
    SERA VETADO ENTENDEU CRISTINA

    ISSO ESTA SE TORNANDO UM ABSURDO,

    VAMP POR FAVOR LEIA ISSO

    OS COMENTARIOS TERAO QUE SER DUPLAMENTE CHECADOS

  174. gthomas

    Uma coisa eh revelar o Dryopera@aol.com

    a outra eh o meu pessoa. Cristina, por pouco nao te barro daqui pra sempre

  175. Antonio Moraes

    Gerald Thomas,

    Você pode continuar com seu interessante blog sem moderação. Publique seus comentários sobre o mundo contemporâneo e deixe a coisa ir, sem grandes preocupações com o ruído que elas geram. Divertir-se com a filtragem do interessante, não dando bola para o lixo. Enfim, ter um pouco de indeferença …

  176. Isso aqui ta parecendo uma trincheira…

  177. Ana

    Graças, ela já estar em casa! 90 anos não é para qualquer um.
    A coisa está ficando feia. Roseanne Barr tem um blog. Aqui (http://www.roseanneworld.com/blog/). Se é uma forma de aparição política (o velho proveito sobre a dor alheia), não se sabe.
    Sionistas estão sendo chamados de nazis. Os judeus estão sendo comparados aos alemães! Mas não é, no mínimo, curioso?
    Mama tem razão. Há uma grande diferença entre judeus. Há uma grande semelhança entre nomes e interesses norte-americanos(Barak, Barack, Hussein, Hussein). Há uma cifra, um código, um hiato a ser preenchido. Ninguém aguenta mais. Ninguém.

  178. Ana

    puxa, mas nem horário de verão explica essa “subida” do meu comment… aí, vem o Contrea embaixo falando de blog… parece que ele está se referindo ao endereço que postei…

    AH: O NYTimes está vendendo sua primeira página… Quem quer comprar? Topamos tudo por dinheiro, ou queremos só um pouco de paz para podermos lidar com nossos conflitos internos, de forma digna, decente?

  179. Ana

    Gerald, mandei algumas imagens para o seu e-mail do Mac. Dê uma olhada e me diga se não parece uma forma de vingança histórica.

  180. Ana

    Pelo que estou entendendo (me corrijam se eu estiver errada), para os sionistas, se Hitler tivesse matado apenas os ashkenazis, tava tudo certo?
    Mas não foi exatamente os seis milhões de judeus europeus que Hitler dizimou?
    Ou seja, o dna. de quem ficou está transgredindo a lógica, a mítica, o fato da diferfença entre mouros e caucasianos?

    A história começa a ser recontada…

  181. Contrera

    creio que ando de volta ás minhas origens. o blog citado tem a ver. em mim, o jornalismo requer pureza. e crueza.
    logo comento algo mais, atarefado
    beijos
    contrera

  182. Cristina

    “A Mágoa, o ressentimento, é o proibido em si para os enfermos – sua propensão malévola, mas ,lamente-se, também sua propensão mais natural. Tudo isso já foi compreendido por aquele psicólogo profundo: Buda. Sua “religião”, que poderia ser melhor classificada como uma higiene, a fim de não misturá-la a coisas tão altamente dignas de pena como o cristianismo, fazia seus efeitos dependerem do triunfo sobre o ressentimento: libertar a alma disso – eis o primeiro passo para o restabelecimento. “Não é através da hostilidade que se põe fim à hostilidade, é através da amizade que se põe fim à hostilidade”: é isso que está no princípio dos ensinamentos de Buda – e assim não fala a moral, assim fala a psicologia.” (Nietzsche)

  183. Ana

    resumo da ópera: que gente doida. digo, do mundo todo, pq na hora em que isso sossegar, vem os chineses, coreanos, e o cara… nos obrigar a consumí-los.
    a vida não é nada disso… para mim (e pra mais um monte de gente que eu conheço) a vida não é nada disso…
    não é possível que não tenha havido evolução alguma durante esse conflito de mais de 60 anos…
    vou começar a rever a segunda guerra mundial, e sei que vou acabar encontrando motivos para achar que muito teatro aconteceu ali, bem na cara das vítimas…

    jogo, jogo, jogo.

    Gerald, “Fim de Jogo” de Beckett podia enterrar a humanidade inteira. Faça uma nova leitura da peça. acho que está na hora….

  184. Ana

    não dá para dialogar… tá saindo tudo muito fora de ordem…
    o que deu no iG?

  185. Cristina

    Gerald, não achei que o seu e-mail não fosse de domínio público, só enviei o que você me escreveu pessoalmente porque considero uma absurda incoerência da sua parte, se você não gosta de insultos não deveria respondê-los. Você pode ler tudo o que escrevo e pode reparar que nunca insultei ninguém, agora incoerência não dá !!! DÁ VONTADE DE CHAMAR DE BURRO.

  186. Sandra

    Volta rápida.

    Piorando meu comentário de ontem, se eu tiver que escolher entre ver minha filha destroçada ou outras MILHARES de crianças cujos pais não pensariam duas vezes em matar minha filha ou suas próprias crianças, escolheria ver minha filha viva.

    Mas, em consideração à Mama e ao Gerald, preferiria que Israel, SE FOSSE POSSÍVEL, se defendesse sem matança de crianças palestinas, apesar de Hamas, ESCOLHIDO pelo povo palestino para cuidar delas, não o fazer.

    SE FOR POSSÍVEL. E eu não consigo avaliar se é ou não.

  187. À toa

    O anti cristo. esse livro é muito bom, embora não concorde com muitas coisas escritas nele.

  188. À toa

    O anti cristo. esse livro é muito bom, embora não concorde com muitas coisas escritas nele.

  189. Ana

    O CAPITALISMO TÁ LOUCO PARA COMEÇAR A 3ª GGMUNDIAL.

    estamos fodidos.

    só falta uma anta européia dar uma de líder agora… afinal, os americanos não podem fazer isso…. são sempre aliados…

    (Sarkozy?) (não tem cara de líder; tem cara de franco-argentino, com aquele bronzeado todo, e olha lá…)

  190. Gerald.

    Atenção para o critico de arte as 16 04 horas.
    Águia voando para NY.
    Não se renda.
    Obrigado.

    Pacheco.

  191. Gerald.

    Atenção para o critico de arte as 16 04 horas.
    Águia voando para NY.
    Não se renda.

  192. Sandra

    Não que a minha opinião vá mudar alguma coisa no mundo. É apenas para destacar que, pelo menos para mim, a opinião do Gerald conta.

  193. Ana

    o oriente médio tem sido a base de resistência ao capitalismo ocidental.

    ISSO TEM QUE SER LEVADO EM CONTA.

    ASSIM COMO AS ELEIÇÕES MUITO PRÓXIMAS EM ISRAEL…

    Sarcozí (e Tony Blair) fala em novo capitalismo, com reconhecimento de esforços e trabalho. Antes era embaso no quê.

    Obama fala em FISCALIZAR a bolsa de valores.

    Acho que teremos um movimento entre geografias bastante interessante.

    O que eu faço com a foto que acabo de receber com vários corpos de crianças mortas? Deleto?

    Eu nem conheci Cancun ainda… Não que seja extremamente necessário…

  194. Gerald.

    Como é que ficamos com a blog-novela?

    Vou ficar abandonado nobarco escutando BBKing.

    Se isto acontecer reclamo aonde?

    Obrigado.

    Pacheco.

  195. Sandra

    E também para marcar uma posição:
    Não votarei em nenhum político que ache que organições criminosas são legítimas representantes de seus reféns, e que têm, ainda por cima, o direito de me matar para fazer justiça social.

  196. Sandra

    E eu tenho muitas e profundas feridas que escondo sob uma blindagem de lógica. O Gerald é um dos que consegue alcançá-las.

  197. BIQUEI

    Meteram á mão, bateram nossa carteira,passaram por cima da CONSTITUIÇÃO,pois o STF,que já havia fixado piso em R$24.5mil e benefício próprio e ILEGALMENTE o (CNJ) instituio NOVAMENTE o “157” aos cofres da nação,PILANTRAGEM,AUTORIZADA com a conivência do fiscais da lei (MP), que com sua OMISSÃO,tornam-se particípes previligiados,em maIs esta SUBTRAÇÃO dos recursos que PERTENCEM ao povo Brasileiro.
    http://www.Ch.com.
    Até tu, CNJ?
    O Conselho Nacional de Justiça fechou contrato com dispensa de licitação, no valor de R$ 5,5 milhões, para a realização emergencial de serviços e manutenção e desenvolvimento de sistema de informação.

  198. Ivo Veiga

    Caro Garganta você também teve problema com o Reinaldo Pedroso, fazes parte do clube, começou com Gerald passou por mim e foi em frente, ele está se tornando uma unanimidade. Acho que encontrastes a frase correta “ELE É MAL COMIDO”.
    Disse tudo.
    Abraços
    Ivo

  199. Luis

    Israel é sexy. Como uma vadia pedófila e necrófila que treme em orgasmos múltiplos sobre os cadáveres de 250 crianças palestinas. É a nova diversidade sexual…

  200. Garganta

    Caros Gerald e Vampiro,

    Digo a seguinte afirmação para eu, vocês e quem merecer: a gente não precisa responder para ter razão. Abraços.

    PS: Caro Vampirão, refleti um pouco, talvez seja melhor manter você no papel de Rhett.

    Com os melhores cumprimentos,

    Garganta.

  201. Ivo Veiga

    O Gerald tu montas o campo de batalha e agora quer se retirar, não pode, tem que ficar até o fim, lembre-se o Comandante é o último a abandonar o barco, não é mesmo Pacheco?
    Abraço a Ambos
    Ivo

  202. Ivo Veiga

    Claro que os horários continuam doidos.

  203. santanna

    enviado por Cristina:
    “A Mágoa, o ressentimento, é o proibido em si para os enfermos – sua propensão malévola, mas ,lamente-se, também sua propensão mais natural. Tudo isso já foi compreendido por aquele psicólogo profundo: Buda. Sua “religião”, que poderia ser melhor classificada como uma higiene, a fim de não misturá-la a coisas tão altamente dignas de pena como o cristianismo, fazia seus efeitos dependerem do triunfo sobre o ressentimento: libertar a alma disso – eis o primeiro passo para o restabelecimento. “Não é através da hostilidade que se põe fim à hostilidade, é através da amizade que se põe fim à hostilidade”: é isso que está no princípio dos ensinamentos de Buda – e assim não fala a moral, assim fala a psicologia.” (Nietzsche)

    Cristina,

    Não entendi muito bem se nesse parágrafo tem uma opinião sua ou se é tudo do Nietzsche.

    Mas gostaria de colocar que talvez não seja ‘o cristianismo’ que é digno de pena, conforme escrito, mas o catolicismo.

    Pois também para o cristianismo, assim como para o Buda:

    “Não é através da hostilidade que se põe fim à hostilidade, é através da amizade que se põe fim à hostilidade”.

    Dar a outra face, Amai-vos uns aos outros, etc, etc.

    abraço

  204. Sandra

    E ele faz isso com sua magnífica arte.

    É que
    “Pra se chegar a esse nivel de lucidez e clareza e sei la o que eh preciso ter vivido MUITO na pele, ter carimbado na PELE todos os selos amargos e doces dos paises e das culturas que povoam esse mundo barbaro(barbaro em todos os sentidos).”

    Sim! Eu gostei da frase!

  205. Ivo Veiga

    Caro Garganta tem um coment.meu as 17,19 a respeito do seu coment das 17,34(relógio maluco) sobre o “simpático” Reinaldo
    Pedroso.
    Abraço
    Ivo

  206. Cristina

    E cadê o Bento Carneiro, o vampiro brasileiro de Curitiba?

  207. Garganta

    ERRATA:

    Teve um comentário em que eu escrevi a delicada palavra malcomedor ( está errado). Troco por: malcomido.

    PS: Ainda bem que eu fui sensível para notar esse erro!

    Com os melhores cumprimentos,

    Garganta.

  208. Glorinha

    Palavras voando (inclusive essas minhas) não representam qualquer coisa próxima do que acontece quando “se” faz a guerra….independentemente do “por que” as coisas acontecem (tão explicado de diferentes formas aqui).
    Sinto necessidade de deixar registrado nesse blog onde encontrei pessoas a quem estimo e respeito, essa modesta certeza de que a guerra: acontece, sim, aceitamos isso infelizmente, concebemos e falamos dela, algumas vezes com tamanha frieza que parece como “se” toma café em uma padaria… e conseguimos dormir com esse barulho…Não há outra escolha?
    Do fundo de qualquer alma sabe-“se” também que é horrível, mata, destrói, destroça, estilhaça e dizima famílias inteiras alma e corpo, vida que esvai em um confronto injusto para quem está no meio “do campo”.
    Talvez, é o que basta para saber… e o que basta para não “se” conformar.

    …sei que é possível um mundo menos injusto, onde as diferenças sejam maneiras de agregação e não de segregação, onde ha morte natural quanto a vida mas, que de forma natural.
    Sei que é possível no entanto existe o “se”, ele permite…nos permite sentar e meditar sobre o que deixamos ou não de fazer porque o “se” permitiu….nossas mentiras que mentimos para nós mesmos….tão verdadeiras e falsas de qualquer verdade real…
    Não há nada para dizer…ouvir, ouvir e aprender…sentir, é preciso que….o “se” deixe de bastar nossas ações que deveríamos se….
    não escolherei nenhuma guerra, e nenhuma que tenha o símbolo “se” na sua mais cruel marca…sempre estará por acontecer algo, algo fora do controle e que o “se” vai tratar de argumentar e de explicar….
    []

  209. Sandra

    Realmente, eu AMEI a frase!!!! Até mais!!

  210. Garganta

    Caro Gerald,

    Eu já fui num velório. Com a observação das emoções pelos comentários, digo que se você multiplicar as lamentações por cinco, é mais ou menos a mesma coisa. Adeus e abraços!

    PS: Eu exagerei um pouco, claro.

    Com os melhores cumprimentos,

    Garganta.

  211. santanna

    Caros Gerald e Vampiro,
    Digo a seguinte afirmação para eu, vocês e quem merecer: a gente não precisa responder para ter razão. Abraços.
    (Garganta)

    Garganta,

    Não é ‘para eu’, é: ‘para mim, para vcs,…………..’

  212. Ana

    Nina – 09/01/2009 – 18:07

    Puxa, nem o Lobão tem casa própria…? Bom, a gente pode pensar num adro coletivo… e os beatos nos dando esmolas, quando não sobrar mais um direito autoral sobre a face da terra…

    SOCUERRO!

  213. Ana

    Garganta, pq não faz você o seu post de adeus? Pode ser nos comments, e a gente finge que não viu.

  214. Nina (minha patologia é outra)

    ALGO MAIS INTERESSANTE QUE ENCHER O SACO DE GERALD THOMAS?

    VAMOS VER….

    Lobão por si:

    “BEM, EU QUERO DIZER PRA TODO MUNDO QUE É MUITO IMPORTANTE A GENTE MANTER A NOSSA VONTADE ACIMA DE QUALQUER INTERESSE . A NOSSA VONTADE DE DEIXAR NOSSA MARCA, NOSSA ASSINATURA NESSE MUNDINHO E TRANSFORMAR ALGUMA COISA E NÃO SE RESIGNAR COM OS QUE NOS TENTAM FAZER ENGULIR ,FALOU?

    Só tenho essa força de falar porque sou arrogante. Os outros estão submissos. Eu poderia estar capitalizando meus sucessos dentro de uma gravadora, batendo ponto e com cara de babaca. Agora, quem quer falar bem de todo mundo. Faz aquela cara de bobo. Nunca vi um rapper ser bom moço.

    Corri todos os riscos. Fazia muita sacanagem e não me dava conta da aids. Eu me lembro de uma situação em que estava me drogando muito com um amigo em Los Angeles, em 1989, e transando com várias prostitutas. No dia seguinte, completamente bêbado, achei que estava com aids porque comecei a me coçar. Já fiz vários testes. Não usava camisinha. Com certeza, fiz muito mais sacanagem que o Cazuza. Ele tinha um namorado e eu tinha várias. Não peguei a doença por sorte. Também poderia ter me contaminado através da cocaína.

    A droga é uma paranóia da sociedade. Maconheiro agora é um cara possuído pelo demônio. Eu fumo maconha. Tenho 44 anos e leio proficuamente. Vão dizer que tenho menos neurônio do que alguém? Quero ver. A doença não é a droga, é o vício. Não sou acometido pela doença, talvez por ser nômade. Às vezes enjôo, não me detenho em nada. Já tomei muita heroína, passei um ano tomando direto. Passava os dias no quarto me drogando. Até que peguei a heroína que tinha comprado para mais de um mês e joguei fora na privada. Nunca mais tomei. Não cheiro cocaína há mais de dez anos.

    Tem gente que acha que eu canto muito mal e eu também acho. A minha voz é meio repulsiva, eu nunca gostei de ouvir minha voz. A não ser nesse disco. Nunca gostei de cantar nem de tocar guitarra durante toda a minha carreira porque eu era baterista vidrado. Não queria ser cantor, então até 1995 vivi na maior crise, falava que ia largar tudo. De repente, comecei a estudar canto. Hoje a minha carreira começa de uma maneira completamente diferente, com prazer. Antes eu era um baterista que compunha alguma coisa ou outra. Não tô denegrindo o meu trabalho não, ele é bom. Mas era caótico, não era sistemático. Agora eu tenho condições de fazer todo o repertório, mixar, tudo. Hoje, só preciso sentar e compor. Nunca foi assim, eu sempre tinha que tomar um porre, ir a vários lugares na mesma noite.

    Filhos?
    Tenho uma filha de outro relacionamento, a Júlia. Não tenho tempo para filho, quase não nos vemos. Não vou botar outra criança no mundo para viver uma história que é minha. Adoro criança, tenho sobrinhos e três enteados. Vejo muito os meus sobrinhos. Mas filho não é nada que eu almeje. Tive uma, gostei de ter, mas não tenho teto e não tenho casa própria. Não sou burguês.”

    Lobão por mim: A música mais linda que já pude ler)

    Eu sou o Tenebroso, o Irmão sem irmão,
    o Abandono, Inconsolado,
    o Sol negro
    da melancolia
    Eu sou Ninguém, a Calma sem alma
    que assola, atordoa e vem
    No desmaio do final de
    cada dia
    Eu sou a Explosão, o Exu, o Anjo, o Rei
    O samba-sem-canção, o Soberano
    de toda a alegria que existia
    Eu sou a Contramão da contradição
    Que se entrega a Qualquer deus-novo-embrião Pra traficar
    o meu futuro por um inferno mais tranquilo
    Eu sou Nada e é isso que me convém
    Eu sou o sub-do-mundo e o que será
    que me detém?
    Eu sou o Poderoso, o Bababã,
    o Bão! Eu sou o sangue,
    não!Eu sou a Fome! do homem
    que come na brecha da mão de quem vacila
    Eu sou a Camuflagem que engana o chão
    A Malandragem que resvala de mão em mão
    Eu sou a Bala que voa pra sempre, sem rumo, perdida
    Eu sou a Explosão, o Exu, o Anjo, o Rei
    Eu sou o Morro, o Soberano, a Alegoria
    que foi a minha vida
    Eu sou a Execução, a Perfuração
    O Terror da próxima edição dos jornais
    Que me gritam, me devassam e me silenciam.

    POR QUE TUDO ISSO?

    Antes, assistam a entrevista que Gerald Thomas fez com Lobão e enfim, ambos se entrevistaram no UOL.

    Agora sim

    POR QUE ISSO:

    DEIXEM GERALD THOMAS EM PAZ, ELE ESCREVE SE QUISER, SE NÃO NÃO, O BLOG NÃO PARA, RESPEITEM O RESPIRAR DO OUTRO. LEIAM OS TEXTOS, QRRUMEM O QUE FAZER, FALEM DELE, OU NÃO FALEM DELE, ESCREVAM POESIAS, ARGUMENTOS, CONVERSEMOS.
    MAS DEIXEM O CARA EM PAZ

    DETESTO COBRANÇAS
    TODAS
    DE TUDO E TODOS

    BOM FINAL DE SEMANA………..

  215. Nina (minha patologia é outra)

    PACHECO

    TO TE ESPERANDO…

    BJ

  216. Garganta

    Cara Santanna,

    Obrigado. Você tem razão.

    Com os melhores cumprimentos,

    Garganta.

  217. Nina (minha patologia é outra)

    Sandra,

    Com o maior respeito e carinho que sinto por vc.
    Com total admiração por sua inteligência e capacidade de concatenação de idéias (brilhante)
    Como amiga.
    Pense em fazer terapia, anaílise ou algo do tipo.

    Se achar que estou falando merda…
    é só mais uma

  218. Sue ( Preocupada...)

    Sandra – Te conheco a pouco tempo(Atravez do Blog) , pois sou relativamente nova por aqui….
    Mas olha TE ADMIRO MUITO , concordo com seus ultimos comentarios…valeu querida…sou com certeza uma das suas….
    Beijos

    AMEI – ADOREI o comentario do
    09/01/2009 – 16:04
    Enviado por: Critico de arte.

    So tenho uma resalva , Sorry sorry….voce ainda estara abaixo de mim…pois logo depois da Sandra vem Euzinha….(Brincadeirinha)…

    Mas serio….

    Pois bem gente , vamos manerar…afinal isso aqui nao eh uma guerra e vamos poupar o MESTRE (GT) , Please…

    Beijos…volto ao trabalho…

  219. Nina (minha patologia é outra)

    na boa
    na paz
    hare krishna
    namastê

  220. Nina (minha patologia é outra)

    cara isso é importantíssimo, um marco histórico….

    09/01/2009 – 18h05
    Obama forma equipe de Inteligência com promessas contra a tortura
    (da Efe, em Washington)

    O presidente eleito dos EUA, Barack Obama, apresentou nesta sexta-feira sua equipe de Inteligência, e que terá como princípio, segundo prometeu, a oposição à tortura.

    A nova equipe, segundo afirmou Obama representará uma clara ruptura com as práticas da administração de George W. Bush.

    Ele referiu-se, embora sem mencioná-lo diretamente, à admissão da CIA em utilizar torturas contra os suspeitos de terrorismo e ao uso dos dados de inteligência para decidir ir à Guerra do Iraque.

    “Sob meu governo, os EUA não torturam. Respeitarão as convenções de Genebra”, disse o futuro presidente, que tomará posse em 20 de janeiro.

    YES WE CAN!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
    ESTOU MUITO FELIZ COM ESSAS PALAVRAS VINDAS DE UM DOS ARTICULISTAS POLÍTICOS MAIS INTELIGENTES DO MUNDO

    deus! Obama leu o Mal estar na Civilização de Freud
    Shiva seja louvado!

  221. Garganta

    Caro Ivo,

    Agora eu li. Pois é. Gente superficial e mal-educada, por vezes, deve ser denunciada. Mas podemos também ignorar. Abraços.

    Com os melhores cumprimentos,

    Garganta.

  222. Garganta

    Caro Gerald,

    Por que você não faz um post de adeus? Pode ser sem a opção de comentários.

    Com os melhores cumprimentos,

    Garganta.

  223. Antonio M

    A minha pátria é como se não fosse, é íntima
    Doçura e vontade de chorar; uma criança dormindo
    É minha pátria. Por isso, no exílio
    Assistindo dormir meu filho
    Choro de saudades de minha pátria.
    “Vinicius de Moraes – Poesia Completa e Prosa”

    “Fracassei em tudo o que tentei na vida.
    Tentei alfabetizar as crianças brasileiras, não consegui.
    Tentei salvar os índios, não consegui.
    Tentei fazer uma universidade séria e fracassei.
    Tentei fazer o Brasil desenvolver-se autonomamente e fracassei.
    Mas os fracassos são minhas vitórias.
    Eu detestaria estar no lugar de quem me venceu”
    “Darcy Ribeiro”

    Terroristas x Terroristas

    Desaparecidos Políticos Brasileiros a partir de 1964 Todos os textos e dados foram extraídos do livro Dossiê dos Mortos e Desaparecidos Políticos a partir de 1964 (CEPE – Companhia Editora de Pernambuco Governo do Estado de Pernambuco, Recife1995 ), acrescido do material encaminhado pelos familiares e colegas das vítimas para complementar os dados.

    Índice – Desaparecidos Políticos no Brasil Adriano Fonseca Fernandes Filho Aluísio Palhano Pedreira Ferreira Ana Rosa Kucinski Silva André Grabois Antônio “Alfaiate” Antônio Alfredo Campos Antônio Carlos Monteiro Teixeira Antônio de Pádua Costa Antônio dos Três Reis Oliveira Antônio Guilherme Ribeiro Ribas Antônio Joaquim Machado Antônio Teodoro de Castro Arildo Valadão Armando Teixeira Frutuoso Áurea Eliza Pereira Valadão Aylton Adalberto Mortati Bergson Gurjão Farias Caiuby Alves de Castro Carlos Alberto Soares de Freitas Celso Gilberto de Oliveira Cilon da Cunha Brun Ciro Flávio Salasar Oliveira Custódio Saraiva Neto Daniel José de Carvalho Daniel Ribeiro Callado David Capistrano da Costa Dênis Casemiro Dermeval da Silva Pereira Dinaelza Soares Santana Coqueiro Dinalva Oliveira Teixeira Divino Ferreira de Sousa Durvalino de Souza Edgard Aquino Duarte Edmur Péricles Camargo Eduardo Collier Filho Elmo Corrêa Elson Costa Enrique Ernesto Ruggia Ezequias Bezerra da Rocha Félix Escobar Sobrinho Fernando Augusto Santa Cruz Oliveira Francisco Manoel Chaves Gilberto Olímpio Maria Guilherme Gomes Lund Heleni Telles Ferreira Guariba Helenira Rezende de Souza Nazareth Hélio Luiz Navarro de Magalhães Hiram de Lima Pereira Honestino Monteiro Guimarães Idalísio Soares Aranha Filho Ieda Santos Delgado Ísis Dias de Oliveira Issami Nakamura Okano Itair José Veloso Ivan Mota Dias Jayme Amorim Miranda Jaime Petit da Silva Jana Moroni Barroso João Alfredo Dias João Batista Rita João Carlos Haas Sobrinho João Gualberto João Leonardo da Silva Rocha João Massena Melo Joaquim Pires Cerveira Joaquinzão Joel José de Carvalho Joel Vasconcelos Santos José Huberto Bronca José Lavechia José Lima Piauhy Dourado José Maria Ferreira Araújo José Maurílio Patrício José Montenegro de Lima José Porfírio de Souza José Roman José Toledo de Oliveira Jorge Leal Gonçalves Pereira Jorge Oscar Adur (Padre) Kleber Lemos da Silva Libero Giancarlo Castiglia Lourival de Moura Paulino Lúcia Maria de Sousa Lúcio Petit da Silva Luís Almeida Araújo Luís Eurico Tejera Lisboa Luís Inácio Maranhão Filho Luíza Augusta Garlippe Luiz Renê Silveira e Silva Luiz Vieira de Almeida Manuel José Nurchis Márcio Beck Machado Marco Antônio Dias Batista Marcos José de Lima Maria Augusta Thomaz Maria Célia Corrêa Maria Lúcia Petit da Silva Mariano Joaquim da Silva Mario Alves de Souza Vieira Maurício Grabois Miguel Pereira dos Santos Nelson de Lima Piauhy Dourado Nestor Veras Norberto Armando Habeger Onofre Pinto Orlando da Silva Rosa Bonfim Júnior Orlando Momente Osvaldo Orlando da Costa Paulo César Botelho Massa Paulo Costa Ribeiro Bastos Paulo de Tarso Celestino da Silva Paulo Mendes Rodrigues Paulo Roberto Pereira Marques Paulo Stuart Wright Pedro Alexandrino de Oliveira Pedro Carretel Pedro Inácio de Araújo Ramires Maranhão do Vale Rodolfo de Carvalho Troiano Rosalino Souza Rubens Beirodt Paiva Rui Frazão Soares Ruy Carlos Vieira Berbert Sérgio Landulfo Furtado Stuart Edgar Angel Jones Suely Yumiko Kamayana Telma Regina Cordeiro Corrêa Thomaz Antônio da Silva Meirelles Neto Tobias Pereira Júnior Uirassu de Assis Batista Umberto Albuquerque Câmara Neto Vandick Reidner Pereira Coqueiro Virgílio Gomes da Silva Vitorino Alves Moitinho Walquíria Afonso Costa Wálter de Souza Ribeiro Wálter Ribeiro Novaes Wilson Silva Desaparecidos no Exterior Argentina Francisco Tenório Júnior Jorge Alberto Basso Luiz Renato do Lago Faria Maria Regina Marcondes Pinto Roberto Rascardo Rodrigues Sidney Fix Marques dos Santos Walter Kenneth Nelson Fleury Bolívia Luiz Renato Pires de Almeida Chile Jane Vanini Luiz Carlos Almeida Nelson de Souza Kohl Túlio Roberto Cardoso Quintiliano Vânio José de Matos Mortes Oficiais em 1964 Albertino José de Oliveira Alfeu de Alcântara Monteiro Ari de Oliveira Mendes Cunha Astrogildo Pascoal Vianna Bernardino Saraiva Carlos Schirmer Dilermano Mello do Nascimento Edu Barreto Leite Ivan Rocha Aguiar Jonas José Albuquerque Barros José de Sousa Labib Elias Abduch Manuel Alves de Oliveira Mortes Oficiais de 1965, 1966 e 1967 1965 Severino Elias de Melo 1966 José Sabino Manoel Raimundo Soares 1967 Milton Palmeira de Castro Mortes Oficiais em 1968 Benedito Frazão Dutra Clóvis Dias Amorim David de Souza Meira Edson Luiz de Lima Souto Fernando da Silva Lembo Jorge Aprígio de Paula José Carlos Guimarães Luis Paulo Cruz Nunes Manoel Rodrigues Ferreira Maria Ângela Ribeiro Ornalino Cândido da Silva Mortes Oficiais em 1969 Antônio Henrique Pereira Neto (Padre) Carlos Marighella Carlos Roberto Zanirato Chael Charles Schreier Eremias Delizoikov Fernando Borges de Paula Ferreira Hamilton Fernando Cunha João Domingos da Silva João Lucas Alves João Roberto Borges de Souza José Wilson Lessa Sabag Luiz Fogaça Balboni Marco Antônio Brás de Carvalho Nelson José de Almeida Reinaldo Silveira Pimenta Roberto Cietto Sebastião Gomes da Silva Severino Viana Colon Mortes Oficiais em 1970 Abelardo Rausch Alcântara Alceri Maria Gomes da Silva Ângelo Cardoso da Silva Antônio Raymundo Lucena Ari de Abreu Lima da Rosa Avelmar Moreira de Barros Dorival Ferreira Edson Neves Quaresma Eduardo Collen Leite Eraldo Palha Freire Hélio Zanir Sanchotene Trindade Joaquim Câmara Ferreira Joelson Crispim José Idésio Brianesi José Roberto Spinger Juarez Guimarães de Brito Lucimar Brandão Guimarães Marco Antônio da Silva Lima Norberto Nehring Olavo Hansen Roberto Macarini Yoshitame Fujimore Mortes Oficiais em 1971 Aderval Alves Coqueiro Aldo de Sá Brito de Souza Neto Amaro Luís de Carvalho Antônio Sérgio de Matos Carlos Eduardo Pires Fleury Carlos Lamarca Devanir José de Carvalho Dimas Antônio Casemiro Eduardo Antônio da Fonseca Flávio de Carvalho Molina Francisco José de Oliveira Gerson Theodoro de Oliveira Iara Iavelberg Joaquim Alencar de Seixas José Campos Barreto José Gomes Teixeira José Milton Barbosa José Raimundo da Costa José Roberto Arantes de Almeida Luís Antônio Santa Bárbara Luís Eduardo da Rocha Merlino Luís Hirata Manoel José Mendes Nunes de Abreu Marilene Vilas-Boas Pinto Mário de Souza Prata Maurício Guilherme da Silveira Nilda Carvalho Cunha Odijas Carvalho de Souza Otoniel Campos Barreto Raimundo Eduardo da Silva Raimundo Gonçalves Figueiredo Raimundo Nonato Paz ou “Nicolau 21″ Raul Amaro Nin Ferreira Mortes Oficiais em 1972 Alex de Paula Xavier Pereira Alexander José Ibsen Voeroes Ana Maria Nacinovic Corrêa Antônio Benetazzo Antônio Carlos Nogueira Cabral Antônio Marcos Pinto de Oliveira Arno Preis Aurora Maria Nascimento Furtado Carlos Nicolau Danielli Célio Augusto Guedes Fernando Augusto Valente da Fonseca Frederico Eduardo Mayr Gastone Lúcia Beltrão Gelson Reicher Getúlio D’Oliveira Cabral Grenaldo de Jesus da Silva Hélcio Pereira Fortes Hiroaki Torigoi Ismael de Jesus Silva Iuri Xavier Pereira Jeová de Assis Gomes João Mendes Araújo José Bartolomeu Rodrigues de Souza João Carlos Cavalcanti Reis José Inocêncio Pereira José Júlio de Araújo José Silton Pinheiro Lauriberto José Reys Lígia Maria Salgado Nóbrega Lincoln Cordeiro Oest Lourdes Maria Wanderly Pontes Luís Andrade de Sá e Benevides Marcos Nonato da Fonseca Maria Regina Lobo Leite Figueiredo Míriam Lopes Verbena Ruy Osvaldo Aguiar Pfitzenreuter Valdir Sales Saboya Wilton Ferreira Mortes Oficiais em 1973 Alexandre Vannucchi Leme Almir Custódio de Lima Anatália de Souza Alves de Melo Antônio Carlos Bicalho Lana Arnaldo Cardoso Rocha Emanoel Bezerra dos Santos Eudaldo Gomes da Silva Evaldo Luís Ferreira de Sousa Francisco Emanoel Penteado Francisco Seiko Okama Gildo Macedo Lacerda Helber José Gomes Goulart Henrique Ornelas Ferreira Cintra Jarbas Pereira Marques José Carlos Novaes da Mata Machado José Manoel da Silva José Mendes de Sá Roriz Lincoln Bicalho Roque Luis Guilhardini Luís José da Cunha Manoel Aleixo da Silva Manoel Lisboa de Moura Merival Araújo Pauline Philipe Reichstul Ranúsia Alves Rodrigues Ronaldo Mouth Queiroz Soledad Barret Viedma Sônia Maria Lopes Morais Mortes Oficiais de 1975 a 1983 1975 José Ferreira de Almeida Pedro Gerônimo de Souza Wladimir He
    rzog 1976 Ângelo Arroyo João Baptista Franco Drummond João Bosco Penido Burnier (Padre) Manoel Fiel Filho Pedro Ventura Felipe de Araújo Pomar 1977 José Soares dos Santos 1979 Alberi Vieira dos Santos Benedito Gonçalves Guido Leão Otacílio Martins Gonçalves Santo Dias da Silva 1980 Lyda Monteiro da Silva Raimundo Ferreira Lima Wilson Souza Pinheiro 1983 Margarida Maria Alves Mortes no exílio Ângelo Pezzuti da Silva Carmem Jacomini Djalma Carvalho Maranhão Gerosina Silva Pereira Maria Auxiliadora Lara Barcelos Nilton Rosa da Silva Therezinha Viana de Assis Tito de Alencar Lima (Frei) Outras Mortes Afonso Henrique Martins Saldanha Antônio Carlos Silveira Alves Ari da Rocha Miranda Catarina Abi-Eçab Iris Amaral Ishiro Nagami João Antônio Abi-Eçab João Barcellos Martins José Maximiniano de Andrade Neto Luiz Affonso Miranda da Costa Rodrigues Newton Eduardo de Oliveira Sérgio Correia Silvano Soares dos Santos Zuleika Angel Jones …

  224. ezir

    São Paulo, 09 de janeiro de 2009

    Saudações Sr. Gerald Thomas, e a todos comentaristas – menos aqueles na posição de UMA CRIANÇA PIRRACENTA QUE PRECISA DA MÃE , ou os OUTROS, PARA FICAR DANDO SUPORTE PRA ELA FICAR CHORANDO, PEDINDO COLIINHO, SENÃO ELA ESPERNEIA, CAI NO CHÃO , PUXE A ROUPA DA MÃE…SÓ PRA CHAMAR ATENÇÃO!!!

    Hoje é o meu primeiro dia de ENTRADA NESTA BLOG NESTE ANO DE 2009. QUERIA QUE PUDESSE FALAR , EXPRESSAR MINHAS OPINIÕES SOBRE OS TEMAS, A GUERRA…mas , a GUERRA só EXISTE PORQUE AS PESSOAS NÃO QUEREM “MUDAR DE POSIÇÕES, QUEREM DAR NOMES-DIFERENÇAS-PRECISAM SE DAR IDENTIDADE PRA AFIRMAR SEU TERRITÓRIO, PRA SE DEFENDEREM DE UM INIMIGO… OU NÃO-INIMIGO!!!
    Terminei e comecei este aNO DE 2009 , sendo compreendida e me aliando , inclusive fazendo POSICIONAMENTOS com pessoas QUE FORAM TIDAS POR MIM COMO VERDADEIROS INIMIGOS …DE ATÉ UMA POSSÍVEL TENSÃO ( CHAMAR POLÍCIA PRA DAR A PALAVRA DE ORDEM DA ORDEM E RESPEIRO AO PRÓXIMO , AO HUMANO, AOS MEUS ESPAÇOS , À MINHA PESSOA COMO MULHER E ORGANIZADORA DE BOASS INTENÇÕES …e APRENDI A FAZER POLÍTICA DENTRO DE CASA, COM OS VIZINHOS PRÓXIMOS E DISTANTES …A TER QUE ENCARAR PESSOAS DE PURO-MAL-CARÁTER-MÁ-NATUREZA-INGRATAS , para QUEM A PALAVRA NÃO ENTRAVA LÁ DENTRO DAS REGIÕES CEREBRAIS CAPTADORAS DE SENTIDOS.
    APRENDI A FALAR COM PESSOAS DE PÉSSIMOS HÁBITOS E CONDUTAS DE BAIXA-ÍNDOLE E MOVIDAs Á EMOÇÕES DO EGO, DO INCONSCIENTE DURO, DE VISÃO CURTA E RASTEIRA, QUASI-IMPOSSÍVEL DA GENTE – PESSOAS CONSCIENTES CIVILIZADAS , ANALISADAS PRATICANTES DA PSICANÁLISE E DAS CIÊNCIAS DAS ARTES E DESCOBERTAS ´PSÍQUICAS – até mesmo se aproximar…por causa até DO CHEIRO RUIM DO CIGARRO, FALTA DE LIMPEZA E A GROSSERIA AO FALAR PERTURBADO E RASTEIRO, NA PRESSA SEM LIGAR PARA O OUTRO-INTERLOCUTOR(A) DIANTE DE SI.

    Isto porque sou SÍNDICA. aPRENDI A TOLERAR E COMPREENDER O MODO RUDE-O ESTRANHO ao MEU MUNDO TÃO SERENO E TRANQUILO INTERNO que conquistei a DURAS PENAS COM A AJUDA DA PSICANÁLISE…E que É MEU BEM E DOM MAIOR!!!

    AH, SOU A PESSOA MAIS SORTUDA DESTE MUNDO , porque LOGO NO 1º DIA DO ANO, EU que jogo LITROS DE CLORO em todos meus ESGOTOS DE MEU APARTAMENTO…UM RATINHO conseguiu CHEGAR PELOS CANOS ATÉ MEU QUINTAL. TIVE QUE AUTORIZAR MATÁ-LO E fiquei lhe DIZENDO QUE O LUGAR DELE ERA NOS ESGOTOS, NOS SUBTERRÂNEOS …e não aqui NAS SUPERFÍCIES, nestas nossas RUAS DESTA NOSSA METRÓPOLIS, ESTES NOSSOS ESPAÇOS , TERRITÓRIOS URBANOS!!!

    QUERIDO MR. GERALD THOMAS, fico imensamente feliz de TER NOTÍCIAS DA SRA. GRANDE SÁBIA , CHIQUE E BELA ELLEN STEWART…E de poder saber mais da HISTÓRIA DE VIDA DELA com informações MAIS DIRETAS, BEM DECUPADAS!!! senão , para saber DELA , e PODER ADMIRAR UMA LINHA DE VIDA TÃO LONGA E DE FELIZ CONQUISTADORA teria sido impossível já que estas informações estariam ESPARGIDAS em pequenas NOTAS NOS JORNAIS , OU COMENTÁRIOS TRANSITÓRIOS OU FALAS DE TV que PASSAM TÃO RÁPÍDO PELO NOSSO FLUXO DIÁRIO DE MOVIMENTOS DESTA NOSSA VIDA PARTICULAR E SOCIAL-CULTURAL GLOBALIZADA…

    Assisti tantos programas e entrevistas ÚNICAS nesta fim e início de ano 2009, mas pra começar , PRECISO SAUDAR O SR.
    DUDA MAmBERTI , ATOR DE SUA BLOG-NOVELA “KEPLER-THE DOG” por SUA EXCELENTE ATUAÇÃO NO FILME que já havia assistido ,mas QUE VEIO COMO UMA BENÇÃO no fim de ano,
    “Amélia” DE ANA CAROLINA. E com a MIRIAM MUNIZ , com a qual presenciei suas aulas de TEATRO na ex-escola de teatro de minha mãe,Miriam nos idos 70…

    É VERDADE que no meio de TANTAS CARÊNCIAS E NECESSIDADES DE A GENTE SER RECONHECIDAS PELOS OUTROS-OUTRAS E VIVER EM PAZ A partir de nossas DIFERENÇAS INTRANSPONÍVEIS ( sim, porque dependendo dos hábitos de certas CULTURAS , a gente NÃO VAI CONSEGUIR SE ADAPTAR NUNCA!!! como AOS RATOS , concordam????, A NOSSA PALAVRA – ATENÇÃO, gente !!! apenas A-P-A-R-E-N-T-E-M=-EN-TE parece que NÃO VALE NADA , QUE A GENTE FALA , FALA , E ENTRA NUM TURBILHÃO DE ACÚMULOS DE CONVERSA QUE SÃO SÕ CONVERSA-FIADA!!! Mas, se a GENTE OBSERVAR BEM O SENTIDO DE INCLUSÃO DA GENTE NA CENA-SITUAÇÃO em que a gente está SE COLOCANDO mesmo INCONSCIENTEMENTE HÁ ALI UM ESPAÇO IM,PLÍCITO cheio de REFERÊNCIAS marcando A NOSSA IDENTIDADE DE FALAR, AS NOSSA PARTICIPAÇÃO , E GRAU DE MATURIDADE PSICOLÓGICA-EMOCIONAL E HISTÓRIA DE VIDA LINGUÍSTICA… EXTRA-LINGUÍSTICA…NOSSO UNIVERSO ENQUANTO SERES DE FALA VERBAL, E DE RAZÕES ….AS MAIS VARIADAS E IDENTIFICATÓRIAS!!!

    DESEJO A TODOS OS COMENTARISTAS MADUROS, E AOS TENDENTES À MATURIDADE PSÍQUICA… E A VOCÊ , NOSSO GRANDE DRAMATURGO, AUTOR DE TEATRO, SR. Gerald Thomas, longa VIDA DE CONQUISTAS …de atingir UM SÉCULO DE SERENIDADE, SUSTENTÁVEL LEVEZA DE SER …UM ÍNICIO DE ANO CHEIO DE AMIZADES, DESEJOS INCONTÁVEIS, INENARRÁVEIS DE TANTA LUMINOSIDADE MICRO-MACRO CÓSMICAINTERIOR!!! Saudações de novo, e tchau!!! de Ezir

  225. Fernando

    Muito legal.

  226. Cristina

    Santanna,

    Nietzsche diz que o cristianismo é digno de pena, e se formos observar a Bíblia, ela é escrita de uma forma ressentida, apesar da pregação de Cristo pelo amor e perdão, os cristãos adoram a cruz, ou mesmo a figura de Cristo crucificada. Uma coisa é o cristianismo e outra são os ensinamentos de Cristo.

  227. Antonio M

    QUEM MATOU MAIS NESSA BOSTA DE GOLPE QUE VOCÊS CHAMAM DE REVOLUÇÃO?

  228. ezir

    TARGINo:
    adorei o seu jeito de fazer trocadilho e DE ME IMITAR meu ESTILO DE FALAR ESCREVENDO AQUI. Aqueles meus TEXTOS marcando ESTA NOSSO LUGAR NÃO-VERBAL, DA METÁFORA E DO PARADIGMA, VOLTANDO-ME PARA O CENTRO DO NOSSO ATO DE PENSAR E REPENSAR E BRINCAR COM UMA PALAVRA AO TROCÁ-LA DE POSIÇÕES OU BUSCAR SÍMILARIDADES DELA PUXANDO OUTRAS PALAVRAS QUASI-IGUAIS, ou aparentemente SÍMILES …BRINCANDO DE FAZER UM POEMA, OU DE “ESTICAR” O SENTIDO DESEJADO AO MÁXIMO…SEM ir DESENCADEANDO SERIALMENTE E CORRIDAMENTE AS NOSSAS IDÉIAS-INTENÇÕES…AQUELES MEUS TEXTOS …FORAM UM M-A-N-T-R-A ´P-U-R-O – TARGINO!!! – UM MANTRA -CONCRETO… quase UMA ORAÇÃO DE ACALENTO , ZELO COM NOSSAS E MINHAS PALAVRAS E IDÉIAS…FOI UM ATO DE DEVOÇÃO AO RETORNO… E UM ESPÚRIO AO MOVIMENTO LOUCO E DESENFREADO que toma CONTA DAS PESSOAS NO FIM DE ANO…ou DIANTE DE UM ACONTECIMENTO DE PROPORÇÕES MUNDIAIS ( como AS EFEMÉRIDES). Obrigada por ter me lido!!! Ezir

  229. DOIS BARACKS E MUITO SANGUE …

    “A chamada” anterior foi mudada, perceberam?

  230. À toa

    “Os espanhóis fogem, os mouros se apossam de todos os seus campos. Essa foi a época que os tornou senhores da Espanha, até que uma nova revolução, causada por crime semelhante, viesse a axpulsá-los para sempre”.

    Marquês de Sade

  231. À toa

    “Os espanhóis fogem, os mouros se apossam de todos os seus campos. Essa foi a época que os tornou senhores da Espanha, até que uma nova revolução, causada por crime semelhante, viesse a axpulsá-los para sempre”.

    Marquês de Sade

  232. Neto

    Israel: cometendo mais que hittler.
    GAZA SOB FOGO
    A guerra escondida

    Por Luciano Martins Costa em 5/1/2009

    Comentário para o programa radiofônico do OI, 5/1/2009

    Os jornais de segunda-feira (5/1) comentam as dificuldades para cobrir a invasão israelense da Faixa de Gaza. Isolados na fronteira, os repórteres podem apenas ouvir as explosões e os disparos, mas não conseguem entrar na zona de conflito nem se comunicar com informantes. Até mesmo os telefones celulares dos soldados foram confiscados, para evitar que se comuniquem com familiares ou jornalistas.

    Portanto, tudo que se lê hoje na imprensa sobre os combates e até mesmo sobre o eventual cumprimento das normas do direito internacional para situações de guerra é informação limitada e censurada por uma das partes. O público não está sendo servido de jornalismo, mas do trabalho de relações-públicas que selecionam o que pode e o que não pode ser divulgado.

    Cobertura limitada

    Os relatos que enchem as páginas dos jornais, vinte e quatro horas após o início dos combates em terra, são produzidos a partir de textos distribuídos pelo exército israelense. Além disso, apenas a rede de TV Al-Jazeera e alguns representantes de agências de notícias que já se encontravam na zona de luta antes da invasão conseguem furar o bloqueio, mas têm dificuldades para as transmissões.

    A associação dos correspondentes conseguiu na Justiça de Israel permissão para a entrada de dez jornalistas, mas eles terão a movimentação restrita e serão obrigados a gerar informações para todos os veículos de comunicação que têm representantes do lado de fora.

    A cobertura segue sendo parcial e limitada ao que interessa às autoridades israelenses. Ademais, também foram impostas restrições aos integrantes de entidades humanitárias que tentavam ingressar na região para reforçar os serviços de assistência médica aos feridos.

    Comendo mosca

    A nova etapa do conflito entre o Estado de Israel e o povo palestino está sendo contada por um lado só na grande imprensa. Mas as redes de solidariedade, que reúnem militantes pela paz de todas as nacionalidades, não param de alimentar a sociedade com relatos desordenados, porém cheios de informações, sobre o que acontece na Faixa de Gaza.

    As Redes de Cooperação Comunitária sem Fronteiras, por exemplo, traduziram e divulgaram o teor dos panfletos lançados pela aviação israelense sobre a população sitiada na zona de guerra e mantêm um intenso intercâmbio de informações que inclui cidadãos árabes, palestinos e judeus.

    Por enquanto, a chamada grande imprensa ainda não descobriu essa fonte alternativa de informações.

  233. ezir

    Assisti muitos documentários POLÍTICOS também ,pessoal! Sobre os anos 60 aqui no Brasil, e a História do jornal “O SOL” que foi bastante TESTEMUNHA DE EXPRESSÃO contra a REPRESSÃO aqui no Brasil,e MEIO DE FALAR DOS BASTIDORES DA REALIDADE DE TORTURA …OU DE ATUAÇÃO DOS ORGÃOS DA DITADURA CONTRA AS PESSOAS QUE PENSAVAM , AS UNIVERSIDADES ETC.Entendi porque alguns aqui CRITICAM A POLÍTICA REPRESSORA DO FIDEL CASTRO com o filme ” shoot down” q gerou BUSCAS E CRÍTICAS contra O MÉTODO DOS GOVERNOS REVOLUCIONÁRIOS DE TRATAR OS INIMIGOS COM VIOLÊNCIA REVIDADA tipo estilo AS GUERRAS da antiguidade “OLHO POR OLHO, DENTE POR DENTE”.

    aCHEI LEGAL o Caetano Veloso FALAR SOBRE O JORNAL “O SOL” e comentar a FRASE “O SONHO ACABOU ” de John LENNON E dizer ” o sonho ACABOU SIM ( PAUSA) …MAS ISSO NÃO SIGNIFICA QUE É UMA MÁ NOTÍCIA!!!”

    Assisti a uma HISTÓRIA DE UM ESCRIBA NOBREZA EGÍPCIA com todo O PROCESSO dele de PREPARAÇÃO PARA A VIDA APÓS A MORTE . Finalmente, entendi o SIGNIFICADO DO “LIVRO DOS MORTOS” para os egípcios. Gente, que ESFORÇO, BAITA INVESTIMENTO, CHEIO DE PAGAMENTOS E INICIAÇÕES PARA IR PASSANDO CADA ESTÁGIO INDICADO PELO LIVRO DOS MORTOS PARA PURIFICAÇÃO DA ALMA dele. E NO FINAL , entendi O SENTIDO DESTE ATO DELE INTEIRO DE PREPARAÇÃO como A SOCIEDADE DELES PRESCREVIA COMO UM VALOR DE NOBREZA DE, POSIÇÃO DA MEMÓRIA-IMAGEM DELE DIANTE DA SOCIEDADE E DAS NOSSAS CIVILIZAÇÕES : O FILME DELE E EU-Ezir-EXPECTADORA-LEITORA agora CONTANDO AQUI PRA VOCÊS , sou A CERTEZA DE QUE VALEU A PENA tanto ESFORÇO DELE em MANTER A SUA MEMÓRIA mesmo que tenha sido Á MODA DELES , COM TANTOS PROCEDIMENTOS e PORTAIS POST-MORTEM.

    Eu, como SOU SÉCULO VINTEUNA, VIVO COMO UM PÁSSARO!!!! BEIJOS , e TCHAU!!!! Ezir

  234. Rosana Wölfl

    09/01/2009 – 18:04

    “Enviado por: Ana

    Garganta, pq não faz você o seu post de adeus? Pode ser nos comments, e a gente finge que não viu.”
    ____________________
    Ana esta foi muito boa !! concordo plenamente com voce

  235. Governo Brasileiro …

    Um avião Hércules da FAB, saiu do Brasil, nesta sexta feira, levando 14 toneladas de alimentos não-perecíveis e medicamentos – que serão distribuidos aos refugiados da Faixa de Gaza.

    Um avião da FAB estará transportando, ainda neste final de semana, até as regiões mais afetadas pelas inundações no Estado de Santa Catarina, aproximadamente 100 profissionais da área de Psicologia. Especialidade: estresse pós-traumático
    e vítimas de catástrofes.

  236. Neto

    Rosane Santana
    De Boston (EUA)

    Foram necessárias mais de 600 mortes de civis na Faixa de Gaza, pelo menos 40 delas em uma escola da ONU, e a destruição de uma importante universidade local, para que o presidente eleito dos Estados Unidos, Barack Obama, rompesse o silêncio sobre os conflitos naquela região, onde o governo israelense, contra a decisão da Suprema Corte daquele país, continua proibindo o acesso de jornalistas estrangeiros – fundamental para coibir os abusos aos direitos humanos – e promove um verdadeiro massacre, segundo mensagens enviadas através de Internet para todo o mundo. Obama, que foi eleito com a promessa de mudanças na política externa norte-americana, limitou-se a dizer que “a perda de civis em Gaza e Israel são uma fonte de preocupação”.

    Estranho, muito estranho, o longo silêncio do presidente eleito dos Estados Unidos, sob a alegação de que só há um presidente de cada vez, dando a entender que a vez ainda é de George W. Bush. Enquanto isso, Obama se debruça sobre negociações no Congresso para aprovação de medidas que minorem a crise econômica.

    Ora, se esse argumento vale para o conflito no Oriente Medio é natural que valesse também para o plano econômico, mas, o midiático presidente americano esgueira-se de problemas, como nos tempos em que passava batido pelas votações no Congresso. Segundo assessores, para possibilitar acordos sobre pontos dos quais discordava (o que não dá para entender). Ou, por despreparo mesmo, como acusam os adversários e parece mais provável.

    Pode-se arguir, em defesa de Obama, que são muitos os problemas e que um presidente deve tratá-los um de cada vez. Mas o próprio Obama defendeu que um presidente deve estar preparado para administrar vários problemas ao mesmo tempo, quando no mês de outubro do ano passado, o seu rival John McCain sugeriu um break na campanha para discutir a aprovação do bailout no Congresso, proposta inicialmente recusada pelo democrata.

    A batata quente passará às mãos da futura Secretária de Estado, Hillary Clinton, já que a atual, Condolleeza Rice, tentou administrar o conflito via telefone, segundo o editorial do The New York Times, “Incursion Into Gaza”, publicado esta semana, enquanto o presidente da França Nicolas Sarkozy, seguia peregrinação por países da região, empenhando em um cessar-fogo. Provavelmente, Condolleeza, ao contrário de Obama, acha que, a essa altura dos acontecimentos, no apagar das luzes de um governo impopular, são praticamente nulas as chances de fechar acordo nesse sentido.

    A vez então seria de Obama e não mais de Bush. Por esse raciocínio, mais lógico, afinal, caberia ao Mr. Obama, como o chama The New York Times, um aceno mínimo que fosse para abrandar os ânimos naquela região. Mas, Mr. Obama parece estar mais preocupado com os números do desemprego no último ano, que devem ficar em torno de 2,5 milhões, conforme dados que serão divulgados, ainda esta semana, pelo Departamento do Trabalho.

    O The New York Times diz esperar que “Mr. Obama e o team dele estejam preparados para enfrentar até mesmo esta crise imediata e que eles (Obama e o teamwork) estejam trabalhando sobre uma ampla estratégia para a região”. Se já estão, por que não anunciar, como o fizeram em relação ao plano anti-crise que promete investimentos de US$ 800 bilhões em infra-estrutura, embora cercado pelo ceticismo de especialistas quanto a eficácia para recuperação ou manutenção de empregos, no curto prazo, e quanto à fonte de recursos para implementá-lo?

    A crise no Oriente Médio não é uma novidade para os Estados Unidos, que justifique a ausência de estudos ou estratégias para combatê-la. É, antes, um velho problema da política externa americana para o qual Mr. Obama parece não ter nada de novo a acrescentar “provável motivo de sua mudez -, além do que anteriormente colocou de forma concreta e já vinha sendo planejado há dois anos pela Casa Branca, entenda-se George W. Bush: a formação de um guarda-chuva nuclear para proteger Israel contra as investidas daquele que é apontado como o mandatário do grupo terrorista Hamas, o Irã. Tal medida, como anteriormente colocado, deverá acarretar o aumento do anti-americanismo na região, estimulando, consequentemente, as ações terroristas contra os EUA e seus aliados.

    A investida de Israel para fazer calar o Hamas, no curto prazo, é “altamente improvável que alcance sucesso”, como salientou o Times. Ao contrário, analisa o periódico em editorial, pode fomentar o crescimento da popularidade do grupo terrorista entre seus partidários, o que seria um tiro no pé na chamada “Guerra contra o Terror”, de George W. Bush, que Obama dará prosseguimento, pois do seu sucesso dependerá a manutenção da liderança americana no mundo, segundo especialistas. Contribui ainda para aumentar o clima de instabilidade regional e torna mais difíceis as negociacões do futuro governo em favor de um acordo de paz, depois de sua posse em 20 de janeiro.

    Esses argumentos seriam suficientes para uma manifestação do presidente eleito, que vá além da retórica vazia.

  237. santanna

    Cristina,

    Ok, entendi.

  238. ezir

    CRISTINA: como vai ? acho bom vir à tona em nossas lembranças as palavras de NIETZCHE , afinal, ELE É UM DOS PENSADORES DO SÉCULO PASSADO XX, né? o problema é que ELE FOI UM HOMEM QUE TENTOU EXPLICar AQUELA ÉPOCA DELE VIVIDA, E DAR UMA POSIÇÃO SOBRE A MORTE, A PULSÃO DE MORTE E DO MAL que AINDA DEPOIS DE MILÊNIOS DE CRUELDADES E MATANÇAS PRATICADOS por ESTA NOSSA RAÇA HUMANA , QUE É UMA RAÇA-ESPÉCIE HUMANA , uma SÓ: A RACIONAL INTELIGENTE , e simplesmente ESTE VÍRUS DO MAL QUE VEM CONTINUANDO POR AÍ … E apesar de ELE tentar EXPLICAR O CRISTIANISMO e ESTA RELAÇÃO DE M-ÁRTIRES ou DE CO-ADUNAÇÃO DAS PESSOAS CONVERTIDAS COM O HORROR DAS TORTURAS E A MORTE VIOLENTA E LENTA PRATICADAS POR PESSOAS-DITADORES-DOMINADORAS DAQUELE TEMPO; Esta OPINIÃO DO NIETZCHE NÃO CONSEGUE ABARCAR A C0MPLEXIDADE que devemos CONSIDERAR DAS RAZÕES E ORIGENS DAS VISÕES DAS PESSOAS HOJE EM DIA. HÁ O INCONSCIENTE QUE FALA NAS MENTES DAS PESSOAS ENQUANTO ELAS ESTÃO TENTANDO SE ENCAIXAR EM ALGUM MODO DE VIVER… OU ESCONDER SUAS INSEGURANÇAS …OU PRATICAR AÇÕES PELO SIMPLES FATO DE QUEREREM FAZER MAL, PURA E SIMPLESMENTE!!!
    Como disse O PROCURADOR DE JUSTIÇA COMUNITÁRIO dR.,
    AUGUSTO EDUARDO ROSSINI ontem , na TV Aberta, HÁ PESSOAS que NÃO DESEJAM O BEM …e NÓS , ESTAMOS COM AS PESSOAS QUE QUEREM E DESEJAM ALIMENTAR ESTA NOSSA VERTENTE DAS PEQUENAS REVOLUÇÕES DO BEM.

    A BÍBLIA , assim como , o ALCORÃO, A TORÁ são LIVROS SAGRADOS CONTENDO HISTÓRIAS COM INTERPRETAÇÕES DE PESSOAS DE UMA CERTA AUTORIZADAS A NARRAR O QUE OS PROFETAS, GÊNIOS-MESTRES ASCENCIONADOS PRATICARAM E CONHECERAM EM SUAS EXPERIÊNCIAS COM DEUS ENQUANTO ENCARNAÇÃO DA PALAVRA-DO SAGRADO DA NOSSA DIMENSÃO DIVINA enquanto SERES HUMANOS MORTAIS. HÁ OS “ECLESIÁSTES” que contêm BELOS POEMAS DE SABEDORIA SECULAR . A MAIOR PARTE DO NOVO TESTAMENTO só PODE SER ESCRITA GRAÇAS AOS EMPENHOS E ÀS VIAGENS DE DIVULGAÇÃO DAS PALAVRAS DE JESUS CRISTO que ESTAVA TOTALMENTE DESACREDITADO aqui NO OCIDENTE ( TODO PAGÃO , dos ROMANOS etc.). Há RELATOS DE TORTURA DOS PRIMEIROS CRISTÃOS vindos da Judéia ou de Israel e Palestina e Arábia que são UMA VERDADEIRA CARNIFICINA, UMA DES-INCARNAÇÃO DO SENTIDO DE HUMANO E DO ANIMAL PARA NÓS . por exemplo, bem ´próximo:
    SABIA PORQUÊ O DIA DOS NAMORADOS chama-se “são VALENTINO ” em Inglês ???? Coincidiu a temporada de ACASALAMENTO DOS PÁSSAROS NA ITÁLIA com A MORTE Na PRISÃO contra o PADRE VALENTINO-CRISTÃO que FOI ESQUARTEJADO E TEVE A LÍNGUA CORTADA!!! assim como O NOSSO MAIOR LUTADOR PELA INDEPENDÊNCIA ,O PRIMEIRO A DENUNCIAR P´RATICAS ABUSIVAS E A INJUSTIÇA NO NOSSO PÁIS : O TIRADENTES. O GRAU DE AÇÕES DE DEMONSTRAÇÃO DE PURO PODEEEEERRRRRR OU IMPOSIÇÕES DE ALGUMAS PESSOAS SOBRE OUTRAS NO DECORRER DOS MILÊNIOS TEM ORIGEM NA FALTA DA CULTURA DA TROCA, E DO RECONHECIMENTO QUE A GENTE DEVE PRATICAR EM RELAÇÃO AOS OUTROS, GOSTANDO OU NÃO DELES!!! NOSSA CIVILIZAÇÃO TEM QUE APRENDER A FAZER ESTE EXERCÍCIO ELEMENTAR E TÃO SIMPLES QUE É :
    + APRENDER A DISTINGUIR UMA COISA DA OUTRA
    + APRENDER A DISTINGUIR NOSSAS REAÇÕES ÀS COISAS “ESTRANHAS”, E RE-CONSIDERAR ATÉ CONSEGUIR ENXERGAR COM MAIOR CLAREZA, NO MÍNIMO!!!
    + APRENDER A ACEITAR TODOS OS SERES VIVOS DO BEM, QUE NÃO PRATICAM MAL A UMA PESSOA , QUE COLABORAM PARA AUMENTAR E DISSEMINAR AS VERTENTES DO BEM DENTRE DOS OS REINOS DA TERRA : O HUMANO, ANIMAL E VEGETAL, ELEMENTAL ( Sim, porque HÁ PESSOAS QUE SÓ QUEREM GERAL MAL POR PURO PERVERSÃO E INFANTILIDADE ).
    +APRENDER A COMPREENDER QUE A VIDA É AVENTURA E ORGANICIDADE: NO FUNDO NO FUNDO TODO MUNDO R-E-S-P-I-R-A O MESMO AR DESTA NOSSA ATMOSFERA TERRESTRE E CAMINHA POR ESTA NOSSA LEI DA GRAVIDADE, SEMPRE BUSCANDO EQUILÍBRIOS.
    +OS OUTROS APRENDIZADOS VÊM DESTAS QUATRO LEIS DE APRENDIZAGEM que É A ORDEM DA NOSSA COMUNICAÇÃO E LINGUAGEM. È isso aí !!! tCHAU, cristina ! DE Ezir

  239. Gaza lembra o Holocausto’, diz ministro israelense

    O ministro da Justiça de Israel, Yosef Lapid
    Yosef Lapid viveu em um gueto judeu em Budapeste
    O ministro da Justiça de Israel, Yosef Lapid, irritou seus colegas de gabinete ao dizer que a ofensiva militar israelense na Faixa de Gaza o fez lembrar das desgraças sofridas por sua família durante a Segunda Guerra Mundial.

    Lapid, que é um sobrevivente do Holocausto, disse em entrevista na rádio oficial das Forças de Defesa de Israel que as imagens transmitidas na televisão de uma idosa palestina em meio a escombros despertou memórias de sua avó nos tempos da guerra.

    “Estou falando de uma mulher engatinhando e procurando remédios nas ruínas da sua própria casa, e isso me fez pensar na minha avó”, afirmou.

    O primeiro-ministro israelense, Ariel Sharon, repreendeu Lapid, que negou estar fazendo comparações entre a ocupação israelense em Gaza e o Holocausto.

    ‘Tribunal de Haia’

    Nos últimos dias, tropas de Israel têm demolido dezenas de casas no campo de refugiados de Rafah.

    Na entrevista, Lapid também revelou que o Exército quer demolir cerca de 2 mil casas em Rafah para alargar a chamada estrada de Philapelphi, na fronteira com o Egito.

    Lapid descreveu um encontro que teve com os demais ministros israelenses: “Eu disse que se continuarmos agindo assim, vamos ser expulsos da ONU e aqueles que forem responsáveis serão julgados no Tribunal de Haia”.

    O ministro da Justiça, que é líder do partido centrista Shinui, viveu parte da Segunda Guerra Mundial em um gueto judeu em Budapeste.

    Ele perdeu vários familiares durante o Holocausto, entre eles uma avó, que morreu no campo de concentração de Auschwitz.

    Mas Lapid insistiu que, nesta entrevista, “não estava falando da Alemanha nem dos nazistas”.

    Tabu

    Fontes ligadas a políticos israelenses, citadas pela agência de notícias Reuters, afirmaram que Sharon ralhou com Lapid em uma reunião do gabinete, dizendo que seu depoimento foi “inaceitável e intolerável”.

    Segundo correspondentes da BBC em Israel, o uso do genocídio de judeus em debates políticos é considerado um tabu por muitos israelenses, que enxergam o fato como uma “desvalorização” da memória das vítimas do Holocausto.

    Na sexta-feira, forças israelenses se retiraram de partes de Rafah depois de três dias de confrontos e demolições, nos quais mais de 40 palestinos morreram.

    A política de destruir casas palestinas tem sido duramente condenada.

    Israel diz estar tentando manter a segurança da fronteira com o Egito para evitar o contrabando de armas para a Faixa de Gaza.

    NOTÍCIAS RELACIONADAS

    ONU pede ajuda para palestinos de Rafah
    23 de maio, 2004 | Notícias
    Forças israelenses ‘matam palestina de 3 anos’
    22 de maio, 2004 | Notícias
    Tropas israelenses se retiram de áreas de Rafah
    21 de maio, 2004 | Notícias
    Israel intensifica ofensiva apesar de crítica da ONU
    20 de maio, 2004 | Notícias
    Bush vai pedir que Israel explique ataque em Rafah
    19 de maio, 2004 | Notícias

    LINKS EXTERNOS
    Governo de Israel (em inglês e hebraico)
    Autoridade Nacional Palestina (em inglês e árabe)

    A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo dos links externos indicados.

    ÚLTIMAS NOTÍCIAS

    Israel e Hamas rejeitam resolução da ONU de cessar-fogo
    Crise e desemprego fazem França adiar reformas polêmicas
    Câmara de Illinois aprova destituição de governador
    Cientistas criam técnica que acelera regeneração de tecidos

    Envie por e-mail Versão para i

  240. Ivo Veiga

    Susan, pois é as forças armadas do Brasil sempre estão prontas a ajudar seja aqui ou alhures, apesar de alguns as verem como reduto de assassinos, geralmente são esses que não ajudam ninguém ou nada, a não ser eles mesmos.
    Ivo

  241. Ivo Veiga

    Susan(Israelita) já disse que não gosto do termo judeu, lembra judiar, na amazônia boa parte da população(talvez a maior) é tratada por médicos e enfermeiros das forças armadas, porque muito poucos médicos querem por lá trabalhar.
    Ivo

  242. ezir

    OLÁ, “Á TOA” !!!
    A QUESTÃO DA GUERRA neste nosso século XXI JÁ EXTRAPOLOU estas CITAÇÕES ou REFERÊNCIAS QUE LEMOS SOBRE AS GUERRAS E DISPUTAS TERRITORIAIS DE INÚMEROS POVOS AS QUAIS PODERÍAMOS FAZER ESTA LISTA DE MILHÕES AQUI. Acho que a GENTE TEM QUE LER E CONSIDERAR BEM AS RAAAAAAZÕESSSSS e CAUUUUSAASS QUE GERAM UMA GUERRA ENTRE 02 OU MAIS PESSOAS …ou GRUPOS …OU POVOS …OU PAÍSES como SOMOS HOJE NO PLANETA AFORA.
    A GUERRA É UMA QUESTÃO DE QUEBRA, ROMPER COM OS DUALISMOS TIPO : AMOR E ÓDIO . O AMOR NÃO PODE SER O EXTREMOS DE SUA MARAVILHA , NÃO É ÓDIO EEEE ACABOUUU!!!! É UM PODER DE NOSSA AUTO-DETERMINAÇÃO DOS SENTIDOS DENTRO DE NOSSA CONSCIÊNCIA , ENTENDE, BOA NOITE !!! TCHAU A TODOS!!! Ezir

  243. Ivo Veiga

    Susan, talvez a melhor coisa que aprendemos nos quartéis seja o companheirismo, onde a vida de cada um estará nas mãos dos outros, isto cria um sentimento de solidariedade dificilmente encontrada entre os civis, que são muito mais competitivos entre si, que os militares, apesar dos que jamais adentraram um quartel possam duvidar, mesmo quem jamais teve essa oportunidade pode ver nos filmes o sentimento de companheirismo o tempo todo presente, onde cada um e todos sabem que seu compaheiro ao lado poderá salvar sua vida.
    Ivo

  244. Ana

    Enviado por: Rosana Wölfl

    A gente tenta, ehehehe!

    Enviado por: Lúcio Jr

    obrigada por compartilhar o texto. vou ler agora.

  245. Ivo Veiga

    Depois desse quase necrológio que o Lúcio Jr. fez fica um sentimento de fim. Será que realmente o blog vai acabar?
    Espero que não.
    Ivo

  246. Oi, GT. Já que o blog tá para acabar, vamos deixar o pessoal ler esse artigo (que já estava em inglês no almost complete works:)

    O Teatro Pós-Moderno de Gerald Thomas: Uma Antropofagia Wagneriana?

    David S. George

    O teatro pós-moderno de Gerald Thomas examina o controvertido encenador como o principal introdutor teatral no Brasil do pós-modernismo internacional. Seus espetáculos são cheios de colagens a-históricas e fragmentos estéticos nos quais todas as artes estão representadas. Como ele mesmo sempre fala, porém isso não leva à síntese wagneriana de todas as artes (gesamtkunstwerk ou obra de arte total), mas ao que ele chama obra do acaso total (gesamtglückfallwerk). Tal conceito se refere nitidamente à antropofagia de Oswald de Andrade, a arte de desconstrução e o que se estuda no presente ensaio é a maneira como Gerald Thomas desconstrói a ópera wagneriana, incorporando-o ao seu teatro à moda antropofágica.

    O Brasil agora está há mais de dez anos em sua última experiência democrática. A última experiência durou duas décadas, de 1945 a 1964. Durante esse período, o teatro passou por grandes transformações, assim como enormes mudanças na arte teatral que colocaram os dramaturgos nacionais em destaque e com razão.
    Se alguém fosse avaliar o panorama do teatro brasileiro através das revistas acadêmicas norte-americanas, o silêncio que elas trazem poderia indicar que pouco aconteceu no último período democrático no Brasil. Ainda é o teatro criado durante a ditadura, em particular o trabalho engajado dos anos 60, que continua a ocupar a mente dos estudiosos . Isso é curioso, porque o último período da democracia foi tão fértil em temas teatrais quanto o intervalo democrático anterior. A lacuna entre o fervilhar do teatro e o silêncio dos acadêmicos traz essa questão: como e de que forma o teatro emerge das cinzas de uma política de repressão estatal? Essa é uma questão complexa, a qual eu tentarei responder em parte durante o decorrer desse artigo. Eu começo por afirmar minha visão de que a falta de censura, de um lado, e a remoção das exigências do protesto e da pureza ideológica, de outro, deram origem a alguns tipos de forma e atividade teatrais que o Brasil nunca experimentou no passado. É verdade que a democratização silenciou alguns membros da geração engajada, que não mais possuem uma causa política tão poderosa para motivar sua arte.
    No entanto, na ausência das pressões da perseguição da direita e seu duplo (döppelganger, para usar a terminologia sinistra de Edgar Allan Poe), a esquerda com sua patrulha ideológica, foi enfim permitido que florescesse toda uma miríade de formas teatrais, assim como a experimentação pôde se desenvolver livremente, e todas as vozes tiveram a oportunidade de se fazerem ouvidas no mercado das idéias artísticas. Nelson Rodrigues, o maior dramaturgo brasileiro, censurado por sucessivos governos e deixado de lado pela esquerda, agora encontrava uma nova casa nos teatros de seu próprio país.
    A partir da redemocratização, temas da patrulha ideológica formalmente consideradas como a província do teatro “alienado” passaram então a ser privilegiados: feminismo, identidade sexual, questões psicológicas, o indivíduo, a sociedade e a religião são alguns exemplos. A comédia de costumes, obscurecida por décadas apesar de estar firmemente enraizada no solo teatral brasileiro, realizou um impressionante retorno. Clássicos estrangeiros, especialmente as peças de Shakespeare, passaram a não mais sofrer do estigma de “imperialistas” e passaram a ser largamente apresentados. Companhias teatrais importantes, como, por exemplo, o Grupo Macunaíma, dirigida por Antunes Filho, consagraram Antunes Filho como o principal vencedor da nova geração de diretores que são duplamente preocupados com a cenografia, a direção e a autoria do processo todo, conhecidos como encenadores. O equivalente mais próximo nos Estados Unidos (alguns dizem seus modelos) seriam Robert Wilson e Richard Foreman, cujo trabalho traz as marcas do pós-modernismo: uma mistura de alta cultura e cultura pop, mistura de gêneros, reciclagem e desconstrução de séculos da arte ocidental, colocando o criador artístico no centro do trabalho (artista como sujeito). Os encenadores brasileiros incluem Bia Lessa, cujos trabalhos mais conhecidos são suas adaptações literárias: Orlando de Virgínia Woolf, Jornada para o Centro da Terra, Cartas Portuguesas, esse último sua adaptação desse clássico do século dezessete da literatura portuguesa, também conhecida como Letras Portuguesas, baseadas nas cartas de uma freira, irmã Mariana Alcoforado. Ela também colocou no palco seus trabalhos visualmente concebidos, tais como Exercício Número 1:

    O primeiro impacto do espectador de Bia Lessa costuma ser visual. O aproveitamento do espaço aéreo do palco enquanto zona de imprevisíveis interferências (via papel picado, como no Exercício Número I, via folhas, areia, água, pedras, como em Orlando) ou enquanto lugar para desenhos diversos com linhas e cordas no vazio, como as que atravessam e rabiscam o palco em Exercício Número 1 (SUSSEKIND, 44).

    Daí o palco propositadamente sempre “sujo” de Bia Lessa. Outras figuras significantes da nova geração incluem Gabriel Villela (que adaptou A Vida é Sonho de Calderón de La Barca e A Falecida, de Nelson Rodrigues), Márcio Viana, cujas peças bastante pessoais incluem Coleção de Bonecas e O Circo da Solidão; Moacyr Goés, assistente de Antunes Filho, mais conhecido por suas produções de Nosferatu, do Woyzeck de Büchner e MacBeth. Mas, se existe alguém que incorpora todas as tendências – e contradições – da última década, é Gerald Thomas.
    Notório membro dessa nova geração de encenadores, Gerald Thomas lançou sua carreira teatral no teatro La Mama em New York. Em 1985, ele retornou ao Rio, onde nasceu e adquiriu boa parte de sua formação, tendo começado a deixar sua marca ao montar trabalhos de Samuel Beckett. Ele também dirigiu Heiner Muller, Shakespeare, Kafka, Mérimeé, Wagner, assim como suas próprias produções originais, como Matogrosso, Flash and Crash Days, M. O. R. T. E., O Império das Meias Verdades e Unglauber. No Brasil, ele trabalha com seu próprio grupo, a Companhia da Ópera Seca. Ele também passa um bom tempo em New York e na Europa, onde ele dirige muitas óperas.
    Gerald Thomas atraiu muita atenção dos críticos e gerou debates apaixonados no Brasil, durante a última década. Delinear e codificar seu trabalho não é uma tarefa fácil. Ele claramente foi influenciado pelo pós-modernismo teatral internacional, um tópico sobre o qual eu escrevi várias vezes. Ele é também um produto do Brasil, por um lado de Antunes Filho, cujo visual estonteante e fusão de estilos nacionais e internacionais, durante os anos 80, forneceu uma base e um parâmetro para os diretores que se destacaram nos anos 90; por outro lado, Gerald Thomas foi influenciado por José Celso Martinez Corrêa, cujo Teatro Oficina, durante os anos 60 e 70, foi tão polêmico e controverso quanto o teatro de Gerald está sendo em seu tempo. “Que encenador atualmente representaria no teatro nacional o papel designado em outros tempos a Zé Celso?” Pergunta Ricardo Voltolini, para responder logo em seguida: “guardadas as devidas diferenças estéticas, há quem identifique em Gerald Thomas a figura do ‘transformador’ polêmico e líder de um movimento sem parâmetros no País, exatamente como o Oficina do passado” (Voltolini).
    José Celso desconstruiu textos estrangeiros e ocasionalmente os brasileiros em prol de sua agenda esquerdista. O Sr. Thomas partilha a visão de Celso de uma inteligente e inovadora encenação. Uma evidência direta da ligação entre Thomas e José Celso é um artigo que Gerald Thomas escreveu, “O maior espetáculo da Terra” . O artigo efusivamente elogia a nova produção intitulada Ham-Let, falando sobre o retorno de Celso à sua plena forma, e critica aqueles que não o reconheceram. Celso, escreveu Thomas, “só perdeu a atualidade porque era umbilicalmente ligado a um momento social, a um movimento ideológico que se perdeu com a hegemonia do cinismo e da comercialização do underground e evaporou-se.”
    Para entender o legado de José Celso, primeiro é preciso fazer referência a Oswald de Andrade, indiscutivelmente o maior teórico do modernismo, cujo Manifesto Antropófago renasceu com os princípios da antropofagia, um processo que eu chamei anteriormente de “potpourri Tupy”: “utilização não-filtrada de uma miríade de fontes, qualquer que seja sua origem, sem respeito pela integridade dessas fontes” (George, 1992, p. 77). Aquelas fontes incluem a primeira vanguarda européia (Ubu Rei e o seu décor futurista), Brecht, literatura clássica ocidental (como MacBeth e a história de Heloísa e Abelardo), ópera ítalo-brasileira, cultura popular norte-americana (histórias em quadrinhos, Groucho Marx, Shirley Temple), kitsch exótico e tropicalista criado por estrangeiros, mas consumido por brasileiros (como Busby Berkeley e seu musical com Carmen Miranda), circo brasileiro e motivos de teatro de revista, comédia de costumes, o trabalho do diretor Glauber Rocha, gravações musicais do repertório ocidental assim como do jazz americano até fragmentos brasileiros em vários estilos. A lista poderia prosseguir.
    A grande quantidade de trocadilhos e referências culturais eram tão freqüentes como nas produções pós-modernas de Gerald duas décadas depois. Mas o propósito da multi-referencialidade de Gerald , com o estilo pós-moderno, era totalmente diferente de qualquer coisa que Thomas pudesse ter em mente. A produção de 1967 de O Rei da Vela foi apresentado seu potpourri de recicladas – para usar o termo pós-moderno – imagens para um fim específico e ideológico: a descolonização da cultura brasileira e sua concomitante emancipação da subjugação “imperialista”. José Celso e seus colaboradores também sua arte como meio de combate contra a ditadura militar. Seus temas, em outras palavras, eram externos e políticos. Não é somente uma ironia que a reciclagem que José Celso fez de formas culturais estrangeiras tenha sido interpretada por alguns não como resistência, mas como submissão ao imperialismo cultural. Apesar de Gerald Thomas não abraçar a agenda política do José Celso de 1967 – nem o José Celso o faz hoje em dia – o artigo de Thomas revela que ele respeita essa agenda nos limites de seu tempo. A visão social do encenador – ecologia, identidade sexual – corresponde às preocupações de muitos membros de sua geração. O que Thomas divide com Celso é um programa esteticamente revolucionário, especialmente multi-referencial e desconstrutor, ou seja, aquilo que hoje em dia se pode considerar como marco do pós-modernismo. E, como José Celso — bem como o movimento tropicalista que ajudou a espalhar – Thomas foi denunciado por alguns críticos pelo seu alegado imperialismo cultural.
    Pode-se dizer que Gerald Thomas recriou a antropofagia para os anos 90. O termo que ele usa para descrever sua estética é gesamtglucksfallwerk (obra de acaso total), uma homenagem pós-moderna para a síntese wagneriana de todas as artes ou gesamtkunstwerk. Assim como Oswald de Andrade – ele mesmo influenciado pela vanguarda de seu tempo – era a fonte da antropofagia de José Celso, seu poutpourri desconstrutivo, Richard Wagner providenciou a procura de muito da obra do acaso total de Thomas, na qual a síntese wagneriana vira fragmentação, colagem e desconstrução. “A expressão surgiu de um cruzamento do projeto wagneriano de ‘obra do acaso total’, síntese de todas as artes, e a frase do filósofo alemão Friedrich Nietzsche, ‘todo caso é um acaso’. A ‘obra de acaso total’ de Thomas pode ser definida como uma disciplina estética não verbal” (VELOSO, 1995, n. p.). Gesamtgluckfallswerk, um potpourri pós-moderno de signos, é uma anti-síntese: não há fechamento, desenlace, resolução, epifania, catarse. Não pertence a nenhuma escola artística, como o Teatro da Crueldade de Artaud, expressionismo, surrealismo, que são fragmentos intertextuais para serem desconstruídos. O que quer dizer que essas escolas artísticas estão presentes na gesamtgluckfallswerk como signos para serem devorados, para usar a terminologia apropriada da antropofagia. O signo wagneriano ainda permanece central; é muito mais que um fragmento, e a identificação de Gerald Thomas com Richard Wagner é todo um traçado, uma construção elaborada com um determinado visual.
    Aqui eu transcrevo uma anedota: em uma repercutida entrevista para um documentário da TV Cultura , Gerald Thomas descreveu Wagner como uma fonte de energia: um dia, preso num engarrafamento no Rio que era um pesadelo, Gerald colocou uma fita de Wagner e sentiu-se salvo daquela provação. Sua observação faz imaginar Brunhilde, cercada de fogo, sendo salva por Siegfried. A questão fundamental é essa: por que um grande autor, referência para o pós-modernismo, está tão ligado a um grande romântico do primeiro modernismo? Ambos são artistas revolucionários, ambos transformados e mesclados em seus gêneros artísticos, ambos tendo gerado furiosas controvérsias. Sua estética vanguardista, iconoclasta e desconstrutiva praticamente os une. O que Wagner desconstruiu foi a grande ópera do grande romantismo – que virou uma receita, posteriormente– explorando os limites das formas até então rígidas, eliminando a abertura – na maior parte – assim como a distinção entre cantar e falar. Wagner disse não gostar de ópera; seu interesse era o chamado “drama musical” e seu ideal era a Nona Sinfonia de Beethoven com sua síntese de música e poesia. A desconstrução praticada por Thomas e outros pós-modernistas querem dizer misturar gêneros; o encenador particularmente desmerece a noção de que é “diretor teatral”. Em suas palavras: “O que eu faço no teatro é cinema no palco. Eu faço questão de dizer isso quando me chamam de diretor (…). Não me confundam, não sou diretor, acho isso uma profissão fácil, decorativa. Eu sou um autor, da mesma forma que um cineasta é um autor. Ele coloca essas autorias no palco e tenho que encená-las senão não haveria quem as encenasse” (documentário da TV Cultura).
    Ambos os artistas experimentaram notáveis sucessos e derrotas. Quando Wagner originalmente montou Tristão e Isolda, com seu romantismo cerebral, pensou que ia alcançar as multidões, mas naufragou (e virou inclusive uma das principais mercadorias do agora calmo território wagneriano). Quando ele tentou escrever uma ópera cômica, a ópera em cinco atos Meistersingers of Neurenburg (Os Mestres-Cantores de Nuremberg), sofreu a mesma fatalidade. Thomas também teve seus fracassos. Eu escrevi sobre isso no Império das Meias Verdades (1993): “uma confusa miscelânea de teatro do absurdo, mitos bíblicos (Adão e Eva) e narração pretensiosa saindo de grandes alto-falantes” (George, 1994, 140-141). Thomas mesmo admitiu que fracassou com uma produção chamada Don Juan, um texto de Otávio Frias Filho, baseado nas múltiplas versões do mito de Don Juan. A peça foi elogiada por pelo menos um crítico: “o sonho de Gerald ganhou uma luz sinistra e profunda (que) cria um trem de metáforas tão duras de suportar quanto a idéia da morte sem céu. Aí é que o espetáculo vira uma metáfora do nosso desamparo diante da utopia sexual (Jabor, n. p.).” Platéias, inclusive os produtores, ficaram chocadas e desconfiadas graças a uma “perversa” produção, que colocou Don Juan como um ginecologista impotente.
    Os trabalhos de Gerald Thomas no teatro são uma mistura entre as obras wagnerianas e influências variadas. Ele montou óperas wagnerianas no Brasil e na Europa. Em 1987, ao montar O Holandês Voador, desencadeou uma tempestade de críticas e protestos, particularmente por suas supostamente gratuitas e anedóticas alusões a outras obras de arte: “Na montagem da ópera O Navio Fantasma, de Wagner (…) o diretor se deu ao luxo de se referir (…) a obras de artes plásticas no século XX” (Brandão, 32). Mário Henrique Simonsen, ministro da economia durante a ditadura militar, escreveu uma crítica ao trabalho de Thomas na revista Veja, atacando a peça por julgá-la confusa. Simonsen ficou especialmente irritado pela proliferação de referências culturais, pois para o ex-ministro, era absurdo o ato de Gerald de colocar no palco elementos incongruentes, tais como modelos da bicicleta de Duchamp e O Pensador de Rodin, assim como a cenografia que incluía até mesmo o Muro de Berlim, elementos que, de acordo com Simonsen, obscureciam e atrapalhavam o enredo. Nada disso era original, alegou Simonsen; era “psicodélico” e constituía uma falta de inspiração, não seria algo própria da arte e sim besteirol (Simonsen, 113-114). Logo em seguida, Simonsen quis processar Thomas por tê-lo chamado de ladrão. Depois, Thomas corrigiu para “ladrão de idéias” e acrescentou que Simonsen apoiou “militares fascistas”, afundando a economia do País e fazendo uma ameaça de processo que só poderia ter partido de alguém versado em repressão” (Simonsen, n. p.). Enquanto a visão de Simonsen era secundada por um grupo de críticos, outros comentadores viram a produção de maneira mais positiva. Por exemplo, Marília Martins viu a controvérsia em si mesma como uma abertura positiva da fechada e elitista elite que acompanha ópera no Brasil. Invocando a antropofagia de Oswald de Andrade para defender o Navio de Thomas, ela escreveu que “a encenação antropofágica desta ópera se apresentou como uma espécie de antimuseu que recusa o velho” (MARTINS, 41).
    Wagner é um visitante freqüente aos palcos de Thomas. A última produção de 1989, intitulada Mattogrosso – um uso intencional de uma grafia arcaica – incluía colocar em cena um Titanic encalhado, com seu tesouro perdido, que se referia em parte ao navio naufragado em O Holandês Voador (The Flying Dutchman) (uma referência não somente ao Wagner, mas à montagem de Thomas da ópera). Mattogrosso referia-se às referidas primeiras e últimas partes da tetralogia Der Ring der Nibelungen (O Anel dos Nibelungos): Das Rheingold and Götterdämmerung (O Ouro do Reno e o Crepúsculo dos Deuses). A última parte, Götterdämmerung, o crepúsculo que precede a extinção dos deuses, possui especial significado para a produção de Thomas, pois lida com o crepúsculo da expansão do Ocidente, assim como a extinção dos mitos modernos. O herói Siegfried – da lenda medieval germânica – acaba com o dragão dourado escondido, assim como acorda a valquíria e amazona Brunhilde de seu sono encantado. Wagner não somente misturava os mitos, quanto também os recriava, assim como Thomas, por sua vez, recria os mitos wagnerianos. O herói é agora o protagonista Friedrich Ernest Matto, um Siegfried liquidado, “derrotista” que acorda as valquírias. Mas essas valquírias não conduzem o herói para o Valhalla; antes elas descem a um assustador submundo (o fosso da orquestra). Os seguidores de Siegfried são anões descritos como Nibelungos, os quais Gerald Thomas transmutou em Mitolungos – inscrições e desconstruções pós-modernas de sedimentos deixados pela arte ocidental – e que dançam samba no começo da produção.
    Finalmente, é preciso ter em mente que Wagner encabeçou o desfazer de um movimento que durou muito e manteve uma hegemonia entre as artes de seu tempo: o romantismo. Ao mesmo tempo, seu trabalho marca o começo de outro período que se projeta na arte ocidental: o modernismo. O trabalho de Thomas corresponde a um outro momento de morte e ressurreição: a cruzada pós-moderna para desconstruir o modernismo hegemônico.
    Outros exemplos de devoração internacional – para usar um termo do gosto do campo antropofágico – em Mattogrosso, incluem o cinema (Fellini), o drama europeu (García Lorca), pintura (Francis Bacon). A multi-referencialidade que caracteriza o trabalho de Thomas na peça Flash & Crash Days – Tempestade e Fúria (1991), Roberto Myers aponta para o elemento wagneriano quando ele escreve que o personagem da Mãe está “vestido como Brunhilde (…) com uma expressão tirada do tratamento cinematográfico que fez Fritz Lang do Ciclo do Anel” (Myers, n.p.). Eric Mitchell coloca, “Mamãe é uma figura tirada da tragédia grega (Mitchell n.p.), provavelmente uma referência a Medéia, que mata seus próprios filhos. A cena onde uma cabeça é decepada faz lembrar as inúmeras cabeças cortadas através da história da literatura do teatro (n. p. MacBeth, Salomé). Críticos sugeriram também outra fonte de inspiração: “estilisticamente, a peça de Gerald Thomas sugere que um show de clowns de Samuel Beckett banhado de surrealismo latino-americano” (Holden, n. p.). Apesar de que a atribuição de “surrealismo latino-americano” talvez seja fácil, constituindo uma resposta norte-americana automatizada para os fenômenos artísticos do sul da fronteira, a associação com Beckett está claramente marcada. Beckett é uma de suas mais constantes fontes de inspiração, e Flash & Crash deve muito a Esperando Godot, com seu infinita, circular, não-resolvida interpolação entre os dois protagonistas.
    O internacionalismo de Thomas entrou na mira de muitos críticos, assim como José Celso nos anos 60. Além do mais, Thomas agravou a situação alfinetando seus críticos e toda a classe teatral. O teatro brasileiro, afirmou ele, é desesperadamente provinciano, atrasado e está moribundo. Ele também não foi o primeiro a fazer esse tipo de protesto. Nos anos 30, Oswald de Andrade chamou o teatro brasileiro de “corpo gangrenado”. Nos anos 60, continuando Oswald, José Celso ultrajou os conservadores em termos teatrais e políticos – alguns da esquerda – com sua produção O Rei da Vela e seu potpourri de fragmentos com fontes teatrais internacionais. O internacionalismo de Gerald Thomas levou muitos a tratarem-no com ressentimento tupiniquim xenófobo, como o crítico José Carlos Camargo, quando ele diz que “o Brasil, para Mr. Thomas, merece a mediocridade de seu público e a estagnação de sua cultura, enquanto as artes avançam a cavalgada no mundo civilizado. A solução é, então, levar Mattogrosso para esse mundo” (Camargo, n.p.)
    Por outro lado, é hiperbólico dizer que Thomas faz o único teatro internacional no Brasil, uma vez que muitos artistas participam do processo de trocas culturais e auxílio mútuo. Dentre os “hiperbólicos” está Marcos Veloso: “Ele produz o único teatro internacional feito no Brasil (…). A maior crítica que o teatro nacional pode receber vem do teatro de Gerald Thomas. Implodindo um continente com complexo de inferioridade e mostrando a mediocridade dos dramas domésticos” (Veloso, 1995). É fácil notar que o teatro brasileiro precisa de uma infinidade de fontes internacionais, mas também precisa manter suas tradições nacionais, como faz Antunes Filho, cujos projetos no palco fazem do nacional internacional, assim como os realistas mágicos fizeram na ficção, até comédias “domésticas” como Porca Miséria de Caruso, que mantêm viva a tradição das comédias de costumes que falam diretamente para as audiências no bairro Bexiga em São Paulo e suas imediações. Todos esses fenômenos isoladamente apresentam um quadro de incompletude; juntos eles fazem a riqueza do cenário internacional brasileiro do período pós-ditatorial.
    Toda a controvérsia que Gerald Thomas levantou demonstrou que a vanguarda, do modernismo para o pós-modernismo, continua a épater le burgeois, ou pelo menos seus membros continuam a se arrepiar quando se mistura a alta cultura com a arte Pop. James Brooke, falando sobre o Mattogrosso de Gerald Thomas, afirmou: “resumos nos jornais brasileiros de hoje em dia confirmaram que o Mr. Thomas e Mr. Glass talvez tenham alcançado o objetivo da vanguarda: assustar a burguesia” (Brooke, n. p.). O crítico do The Times, no entanto, não parou por aqui. A reação da imprensa estrangeira deu muita atenção aos mal-entendidos multiculturais.
    A controvérsia gerada pelas produções de Thomas deram à imprensa de New York um pretexto para um pouco mais de indulgente condescendência para com o Brasil. O New York Times, nos artigos de Brooke e outros, exagerou a reação negativa às produções de Gerald Thomas. Outros comentários de Brooke incluem o seguinte: “depois da muito aplaudida estréia ter sido recebida friamente na segunda-feira, boa parte dos espectadores parece duvidar até mesmo do fato de que o tema da ópera seja mesmo a destruição ambiental”. Brooke falha ao informar que boa parte da platéia realmente entendeu o tema da peça. Ele também disse que a peça de Thomas tem somente um solitário defensor entre os críticos, Marcos Veloso. Seria mais seguro dizer que a crítica ficou dividida, e que existiam outros defensores. Nelson Motta, por exemplo, escreveu que Thomas é o criador de “incontáveis momentos de beleza audiovisual, onde várias e refinadas artes se misturam e se integram, são séculos de pintura, de luz e sombra, de surrealismo, de escola flamenca, de dança e movimento, de música (n. p.). Num ainda mais etnocêntrico artigo de Brooke intitulado “No Brasil, ele está sozinho na vanguarda”, Alan Riding escreve sobre Thomas, dizendo que a “fúria de seus críticos trouxe o mundo teatral para o debate público pela primeira vez em duas décadas” (Riding n. p.). Riding deixa de lado a verdade. Nem o status controverso de Thomas nem as significativas contribuições podem ser negadas, mas o “mundo teatral” nunca desapareceu dos refletores no Brasil, apesar da repressão militar (que Riding acabou por culpar).
    Um exemplo do que está sendo dito acima seria o próprio Teatro Oficina até 1971; muitas companhias mantiveram a chama da resistência acesa durante a longa noite dos anos 70, entre as quais Teatro Ipanema, Asdrúbal Trouxe o Trombone, e O Pessoal do Victor; dos últimos anos 70 até o presente, Grupo Macunaíma, sobre a direção de Antunes Filho, recebeu muita atenção nacionalmente e internacionalmente; essa movimentação levou o teatro a um destaque semelhante ao obtido pelos espetáculos de Gerald Thomas. Segundo Alan Riding, trata-se de algo mais: “os ataques ao teatro brasileiro recente valeram a ele um exército de inimigos querendo bloquear a sua incursão de diretor experimental para o mainstream cultural.” O Brasil tem muitos diretores experimentalistas atacando o status quo teatral; Thomas não foi bloqueado, e sim recebeu apoio cultural e financeiro do mainstream cultural. No final das contas, foi esse apoio que produziu ira e inveja nos outros diretores.
    Sem contextualizar a natureza das controvérsias que cercam Gerald Thomas, descontextualizando-as e selecionando visões muito limitadas da recepção de Gerald Thomas na imprensa brasileira, os artigos do New York Times sugerem um movimento – talvez inconsciente –de reforçar o estereótipo de um Brasil atrasado e obscurecido, o país de Pelé, lambada, assassinos de crianças de rua e estupradores de mulheres. Uma esfera assim tão pouco conhecida para os norte-americanos como o “mundo teatral brasileiro” aparece na imprensa dos Estados Unidos somente quando um ocidentalizado salvador agita os nativos, trazendo luz à escuridão. Gerald não é nenhum salvador; o que ele representa é um maior esforço de manter vivo o teatro no Brasil. A contribuição específica de Thomas foi a de adicionar o estilo pós-moderno à diversidade teatral nacional, fazendo avançar o conhecimento teatral no Brasil como fizeram Oswald de Andrade e José Celso antes dele. Thomas, junto com Antunes Filho, ajudou incomensuravelmente o teatro brasileiro abrindo-lhes as portas para as influências internacionais, e também no sentido inverso, trazendo o teatro brasileiro para a arena internacional.
    No fim das contas, trata-se de um antídoto para o nacionalismo cultural no qual artistas brasileiros tão freqüentemente descambaram. Gerald Thomas, por toda a sua reciclagem de signos e desconstrução de ícones ocidentais – em particular de Wagner — quer antes de tudo elevar esses ícones, mais do que denegri-los. Ele procura blindá-los com arte brasileira, e fazer isso é praticar um genuíno multiculturalismo no qual “o trabalho da civilização é invariavelmente enriquecido na mistura com outras civilizações” (Brustein, 20). Dessa forma, Gerald Thomas, com sua revitalizada antropofagia, energiza o palco brasileiro, intensificando seus recursos, criando um alicerce a partir do qual os futuros artistas brasileiros poderão construir.

    Tradução: Lúcio Júnior

    Notas

  247. Ivo Veiga

    Gerald, se de fato o blog acabar, quero deixar aqui registrado que para mim foi motivo de orgulho e honra ter(espero) acompanhado seus posts e ler ver e ouvir um homem que já é a própria história. Agradeço a gentileza de terem me aturado, principalmente voce e o Vampiro bem como a todos, para mim será mais uma perda de um amigo que nos entende e a quem procuramos(as vezes com dificuldade)entender.
    Abraço e Shalom
    Ivo

  248. santanna

    Sr. Thomas,

    Eletra com Creta. Lembrei o nome da sua peça que eu assisti.
    Uma beleza, a 1a. cena parecia uma pintura, coisa incrível.
    E lendo o texto mandado por Lúcio Jr., lembrei que tb assisti O Holandês Voador, no Teatro Municipal do Rio.
    Um batom gigante atravessava o palco, não é isso? Impressionante, e bem engraçado. Muito legal!

  249. DOIS BARACKS E MUITO SANGUE …

    O Centro Wiesenthal, organização judaica internacional de defesa dos direitos humanos, pediu ao Governo do Brasil e da Argentina que DENUNCIEM A VENEZUELA por ter violado a DECLARAÇÃO CONTRA O ANTI-SEMITISMO, em um comunicado divulgado nesta sexta feira, em Buenos Aires.
    (Folha on-line, 09/01/09 – 20.24hs.)

    E agora??? A Venezuela “roeu o trato” … O Governo Brasileiro, não. A Argentina também não.

    E agora???
    ————————————————————————————-

    Jerusalém – O Governo de Israel expulsou, na última quarta-feira, dia 07 de janeiro de 2009, o (único) Encarregado de Negócios da Venezuela em Tel Aviv, em represália ao Presidente venezuelano, Hugo Chavez, que na véspera (terça-feira) expulsou o Embaixador Israelense de Caracas.

    Chavez (aliado do Irã e contrário ao Governo Israelense) expulsou não só o Embaixador como todos os funcionários da Embaixada de Israel que atuavam na Venezuela, em represália à ofensiva do estado judeu na Faixa de Gaza.

    Abraço a todos!
    Susan judia

  250. Sandra

    Só mais uma passadinha rápida!
    Puxa, adorei a história da Ellen Stewart.
    Fui ao Google, claro, mas mereço um desconto, pois meu negócio é divisão de polinômios. Quando voltar de viagem, vou procurar saber mais sobre ela,

  251. Garganta

    Caros Gerald, Ana e Rosana,

    Não entendi a censura contra a palavra adeus( realmente não tive intenção de insultar o Gerald[duvido que ele se ofendeu]). Adeus significa uma despedida com o sentido de boa sorte incluso, pelo menos nos meus dicionários. Adeus Gerald, adeus Ana, adeus Rosana.

    Isso está que nem o filme Titanic.Eu já peguei meu bote, pois sou um dos mais novos provavelmente. Adeus, senhoras, senhoritas, cavalheiros e demais. A criança cá lhes deseja felicidades.( pensem agora, por favor, na encantadora música da Celine Dion[acho que é ela que canta])

    PS: Mas fiquem tranqüilos, porque esse návio do Gerald tem bote para todos.

    Com os melhores cumprimentos e adeus,

    Garganta.

  252. Sandra

    Aprendi muito com seu blog, Gerald. Ainda estou com uns três livros para ler (sugestões suas). Lamento se ele acabar, mas não tiro um pingo da sua razão.

  253. Sandra

    Também não sabia que havia tantos tipos de judeus.

  254. Gouvêa

    Susan, querida,

    Gouveia é sacanagem… é Gouvêa, do galego castiço!

    Não sou advogado do Hamas, não… pelo contrário, para mim terrorista que se esconde atrás de população civil é igual ou pior que os açougueiros kosher que atacam escolas e comboios da ONU…

    Respondendo à sua pergunta: por operações de inteligência e pontuais, me refiro a: bloqueio de contas e investimentos que financiam o terrorismo, prisão e assassinato de líderes terroristas em operações típicas de espionagem, táticas de infiltração e desmantelamento de organizações, interceptações telefônicas e de comunicações e, principalmente, a COOPTAÇÃO DA POPULAÇÃO CIVIL. Isso é muito simples de fazer. Através de políticas de assistencialismo simples você consegue trazer o povo, ou pelo menos boa parte do povão para o seu lado e convencê-lo de que ao se aliar ao seu inimigo ele só tem a perder. Isso sim é inteligente. É o populismo getulista usado para o bem.

    Enquanto a política de Israel for massacrar os palestinos, o terrorismo florescerá, porque o efeito colateral será pior que o remédio adotado.

    Pra mim, o MOSSAD tá muito fraco. Talvez devamos exportar os agentes da ABIN para fazer grampos. Ou quem sabe até políticos populistas!!

  255. Sandra

    Nina, eu sou uma maluca inofensiva!
    Sue, obrigadão!

  256. Sandra

    Gerald, agora que me liguei. Você foi comprar uma barra de chocolate para alguém que está tomando insulina?
    Isso pode?

  257. santanna

    Garganta,

    Vc vai dizer adeus qtas vezes?
    Pensei que a essa altura o seu bote já tinha até afundado!

    O seu filme enganchou no projetor? Bota logo aí um The End e acaba com essa churumela!

    Parece até que vcs estão no enterro do Sr. Thomas, eu hein!

  258. Sandra

    Não sei se é definitivo, e se a decisão do Gerald é final. Não saberei tão cedo, já que ficarei alguns dias sem acesso à Internet.
    Como já disse, o que ele decidir, concordo.

  259. Sandra

    Sentirei muita falta dos seus lindíssimos textos, Gerald.

    Não tiro sua razão em nem um pingo.

    Um super beijo para você!

    Fique com Deus!

  260. Contrera

    27/12/2005 – 00:46
    Esse aí não sou eu, ok.
    beijos
    contrera

  261. Garganta

    Caro Gerald,

    Comecei a assistir filmes clássicos com minha irmã de doze anos. A meu ver, você me persuadiu pela vivacidade de seus textos( o cinema tem algo de semelhante[ e eu posso assistir preguiçoso]); e ela, por outro lado, sensiblizou o meu coração. Adeus.

    Com os melhores cumprimentos,

    Garganta.

  262. Sier, o bom

    Venerdì 9 gennaio 2009 08:50

    Non si uccidono così neanche i gattini

    di Vittorio Arrigoni*

    “Prendi dei gattini, dei teneri micetti e mettili dentro una scatola” mi dice Jamal, chirurgo dell’ospedale Al Shifa, il principale di Gaza, mentre un infermiere pone per terra dinnanzi a noi proprio un paio di scatoloni di cartone, coperti di chiazze di sangue.
    “Sigilla la scatola, quindi con tutto il tuo peso e la tua forza saltaci sopra sino a quando senti scricchiolare gli ossicini, e l’ultimo miagolio soffocato.” Fisso gli scatoloni attonito, il dottore continua “Cerca ora di immaginare cosa accadrebbe subito dopo la diffusione di una scena del genere, la reazione giustamente sdegnata dell’opinione pubblica mondiale, le denunce delle organizzazioni animaliste…” il dottore continua il suo racconto e io non riesco a spostare un attimo gli occhi da quelle scatole poggiate dinnanzi ai miei piedi. “Israele ha rinchiuso centinaia di civili in una scuola come in una scatola, decine di bambini, e poi la schiacciata con tutto il peso delle sue bombe. E quale sono state le reazioni nel mondo? Quasi nulla. Tanto valeva nascere animali, piuttosto che palestinesi, saremmo stati più tutelati.”
    A questo punto il dottore si china verso una scatola, e me la scoperchia dinnanzi. Dentro ci sono contenuti gli arti mutilati, braccia e gambe, dal ginocchio in giù o interi femori, amputati ai feriti provenienti dalla scuola delle Nazioni Unite Al Fakhura di Jabalia, più di cinquanta finora le vittime. Fingo una telefonata urgente, mi congedo da Jamal, in realtà mi dirigo verso i servizi igienici, mi piego in due e vomito.

    Poco prima mi ero intrattenuto in una discussione con il dottor Abdel, oftalmologo, circa i rumors, le voci incontrollate che da giorni circolano lungo tutta la Striscia secondo le quali l’esercito israeliano ci starebbe tirando addosso una pioggia di armi non convenzionali, vietate dalla Convenzione di Ginevra. Cluster bombs e bombe al fosforo bianco. Esattamente le stesse che l’esercito di Tsahal utilizzò nell’ultima guerra in Libano, e l’aviazione USA a Falluja, in violazione delle le norme internazionali.

    Dinnanzi all’ospedale Al Auda siamo stati testimoni e abbiamo filmato dell’utilizzo di bombe al fosforo bianco, a circa cinquecento metri da dove ci trovavamo, troppo lontano per essere certi che sotto gli Apache israeliani ci fossero dei civili, ma troppo tremendamente vicino a noi.

    Il Trattato di Ginevra del 1980 prevede che il fosforo bianco non debba essere usato direttamente come arma di guerra nelle aree civili, ma solo come fumogeno o per l’illuminazione. Non c’è dubbio che utilizzare quest’arma sopra Gaza, una striscia di terra dove si concentra la più alta densità abitativa del mondo, è già un crimine a priori. Il dottor Abdel mi ha riferito che all’ospedale Al Shifa non hanno la competenza militare e medica, per comprendere se alcune ferite di cadaveri che hanno esaminato siano state prodotte effettivamente da proiettili al fosforo bianco.
    A detta sua però, in venti anni di mestiere, non ha mai visto casi di decessi come quelli portati all’ospedale nelle ultime ore. Mi ha spiegato di traumi al cranio, con fratture a vomere, mandibola, osso zigomatico, osso lacrimale, osso nasale e osso palatino che indicherebbero l’impatto di una forza immensa con il volto della vittima. Quello che ha detta sua è totalmente inspiegabile, è la totale assenza di globi oculari, che anche in presenza di traumi di tale entità dovrebbe rimanere al loro posto, almeno in tracce, all’interno del cranio. Invece stanno arrivando negli ospedali palestinesi cadaveri senza più occhi, come se qualcuno li avesse rimossi chirurgicamente prima di consegnarli al coroner.

    Israele ci ha fatto sapere che da oggi ci è generosamente concessa una tregua ai suoi bombardamenti di 3 ore quotidiane, dalle 13 alle 16. Queste dichiarazioni dei vertici militari israeliani vengono apprese dalla popolazione di Gaza, con la stessa attendibilità dei leaders di Hamas quando dichiarano di aver fatto strage di soldati nemici.

    Sia chiaro, il peggior nemico dei soldati di Tel Aviv sono gli stessi combattenti sotto la stella di Davide. Ieri una nave da guerra al largo del porto di Gaza, ha individuato un nutrito gruppo di guerriglieri della resistenza palestinese muoversi compatto intorno a Jabalia e ha cannoneggiato. Erano invece dei loro commilitoni, risultato: 3 soldati israeliani uccisi, una ventina i feriti.

    Alle tregue sventolate da Israele qui non ci crede ormai nessuno, e infatti alle 14 di oggi Rafah era sotto l’attacco degli elicotteri israeliani, e a Jabalia l’ennesima strage di bambini: tre sorelline di 2, 4, e 6 della famiglia Abed Rabbu. Una mezz’ora prima sempre a Jabilia ancora una volta le ambulanze della mezzaluna rossa sotto attacco.Eva e Alberto, miei compagni dell’ISM, erano sull’ambulanza, e hanno videodocumentato l’accaduto, passando poi i video e le foto ai maggiori media. Hanno gambizzato Hassan, fresco di lutto per la morte del suo amico Araf, paramedico ucciso due giorni fa mentre soccorreva dei feriti a Gaza city.

    Si erano fermati a raccogliere il corpo di un moribondo agonizzante in mezza alla strada, sono stati bersagliati da una decina di colpi sparati da un cecchino israeliano. Un proiettile ha colpito alla gamba Hassan, e ridotto un colabrodo l’ambulanza. Siamo arrivati a quota 688 vittime, 3070 i feriti, 158 i bambini uccisi, decine e decine i dispersi. Solo nella giornata di ieri si sono contati 83 morti, 80 dei quali civili. Il computo delle vittime civile israeliane, fortunatamente, è fermo a quota 4.

    Recandomi verso l’ospedale di Al Quds dove sarò di servizio sulle ambulanze tutta la notte, correndo su uno dei pochi taxi temerari che zigzagando ancora sfidano il tiro a segno delle bombe, ho visto fermi ad una angola di una strada un gruppo di ragazzini sporchi, coi vestiti rattoppati, tali e quali i nostri sciuscià del dopoguerra italiano, che con delle fionde lanciavano pietre verso il cielo, in direzione di un nemico lontanissimo e inavvicinabile che si fa gioco delle loro vite.

    La metafora impazzita che fotografa l’assurdità di questa di tempi e di questi luoghi.

    Restiamo umani.

    :
    http://www.globalproject.info

    * Vittorio Arrigoni è un attivista di ISM (International Solidarity Movement). Sequestrato e poi espulso da Israele nel novembre scorso e rientrato a Gaza nel penultimo viaggio di “Free Gaza”. Ora si trova a Gaza City.

  263. Contrera

    27/12/2005 – 00:46
    Enviado por: Rodrigo Contrera] [sampa, enfim
    férias no canadá? sei lá.
    bj
    LOVE
    Contrera

    Porra, era eu!!!
    bjs
    contrera

  264. ………………………………………………………………………………………………………………
    ……………………………………………………………………………………………………………..
    ……………………………………………………………………………………………………………..
    ……………………………………………………………………………………………………………..
    …………………………………………………………………………………………………………….
    …………………………………………………..maísa………………………………………………
    ……………………………………………………………………………………………………………..
    …………………………………………………………………………………………………………….
    ………………………………………………………………………………………………………..
    ……………………………….alguém,…tá,….assistindo,……..isso..?
    …………………………………………………………………………………………………………
    ………………………………………………………………………………………………………..
    ………………………………………………………………………………………………………..
    ………………………………………………………………………………………………………..
    ………………………………………………………………………………………………………..

  265. Edson

    Gerald, entro de vez em qdo em seu blog e sempre tenho a sorte de ler belos textos como o de hj… e qto a guerra lembrei-me dos textos bem escritos e ao mesmo tempo desconcertantes de Elie Wiesel no que se refere a humanidade.

  266. ……………………………………………………………………………………………………………..
    …………………………………………………………………………………………………………….
    …………………………………………………………………………………………………………….
    …………………………………………………………………………………………………………….
    …………………………………………………………………………………………………………….
    …………………………………………..gentén,……………………………………………………
    ……………………………………………………………………………………………………………
    ……………qui,….qui,…..é,…………………………………aquilo…?……………………..
    ………………………………………………………………………………………………………..
    ……como pódem,……………………gastá tãããnto dinheiro,………………….
    ……………………………………………………………………………………………………….
    ………………numa produção,……………….prá contá a história déssa,..
    ………………………………………………………………………………………………………..
    ……………………………………………ínutil…!!!……………………………………………..
    ……………………………………………………………………………………………………….
    ………………………………………………………………………………………………………
    ……………………………………………………………………………………………………….

  267. ………………………………………………………………………………………………………………
    ………………………………………………………………………………………………………………
    ………………………………………………………………………………………………………………
    ………………………………………………………………………………………………………………
    ……………………………………….sabe de quem,.
    ……………………………………………………………………que eu fiquei…………….
    ……………………………………………………………………………………………………………..
    …………………………………………………com,……..dó…?…………………………………..
    ………………………………………………………………………………………………………..
    ………………………………………………………………………………………………………..
    …………………………………………………até,..agóra……?
    ………………………………………………………………………………………………………..
    ……………………………………………….na “mini-série..”…?
    ………………………………………………………………………………………………………..
    ………………………………………………………….da,………..
    …………………………………………………………………………………………………………
    ………………………………………………………Brasilia
    ………………………………………………………que éla
    ………………………………………………………estorô,……………………
    …………………………………………………………………………………………………………
    …………………………………………………..na ponte rio ………………………………………………………niterói……..!………………………
    ………………………………………………………………………………………………………..
    ………………………só que ela,….. não éra amaréla como a
    ………………………………………………dos Mamonas..
    ………………………………………………………..não..!
    ……………………………………………………………………………………………………….
    ………………………………………………………..éra,…..
    ……………………………………………………….AZUL…!
    ………………………………………………………………………………………………………..

  268. ……………………………………………………………………………………………………………..
    ……………………………………………………………………………………………………………..
    ……………………………………………………………………………………………………………..
    ……………………………………………….sê eu fôsse,..
    …………………………….o,………. jaime mont no jardim,………….
    ………………………………………………………………………………………………………………
    ………….eu ía é escondê,…….a mãe que eu tíve,……….e não ………………………………………………….fazê,…………
    ………………………………………………………………………………………………………..
    ……………………….filminho,..global….da “..vida..”,….déla,…………………….
    ……………………………………………………………………………………………………….
    ……………………………………….comé,..que póde,………………………….?……
    ………………………………………………………………………………………………………
    …….a mulé nuuuuunca encarô,…..um tãnque,….de rôpa suja….!!!…
    ……………………………………………………………………………………………………….
    ……………………………………………………………………………………………………….
    ………………………………………………………………………………………………………..

  269. ………………………………………………………………………………………………………………
    ……………………………………………………………………………………………………………..
    ……………………………………………………………………………………………………………..
    ……………………………………………………………………………………………………………..
    ………………………………….o pai tinha,..grãna………………………………………..
    …………………………………………………………………………………………………………….
    ………………….casô,…………………com o Matarazzo,……………………………..
    ………………………………………………………………………………………………………..
    ………………………….vendeu disco,………………………ganhô grãna,……….
    ………………………………………………………………………………………………………
    ………………………………….estudô em colégio de flêra,……..
    ……………………………………….tinha tudo du bom e du
    ………………………………………………….melhór….!………………………………….
    ………………………………………………………………………………………………………
    …………………………………………….e vem bancá a,…….
    ………………………………………… rebélde di butique…..????
    ……………………………………………………………………………………………………….
    …………………………………….eu no lugar do Matarazzo,…..
    ………………………………………………………………………………………………………..
    …………………………………………………..mandava o
    ………………………………………………………………………………………………………..
    …………………………………………………..TOTÓ rina,…….
    ……………………………………………………………………………………………………..
    ……………………………………………………apagá,……
    ……………………………………………………….éla..!!!…………………………….
    ………………………………………………………………………………………………………
    ………………………………………………………………………………………………………..

  270. ………………………………………………………………………………………………………………
    ……………………………………………………………………………………………………………..
    ……………………………………………………………………………………………………………..
    ……………………………………………………………………………………………………………..
    ………………………como esses Matarazzo,…..são BURROS,……………..
    ……………………………………………..não…?!………………………………………………..
    ……………………………………………………………………………………………………………..
    ……………………………………..agóra que eu entendo,….
    …………………………………por que que eles acabaram
    ………………………………………com um império,……………….
    ………………………………………daquele tamanho…..!!……….
    …………………………………………………………………………………………………………
    …………………………………a mini série tá sendo boa,..
    ……………………………prá mostrá a burrice dos Matarazzo!!
    …………………………………………………………………………………………………………
    …………………..ninguém,….Herdou a inteligência do avô….,né..?
    ………………………………………………………………………………………………………..
    ………………………………………coitado do conde,..
    ……………………………..póbre frantchesco matarazzo…..!!!!……….
    ………………………………………………………………………………………………………..
    ……………………….além dos filhos terem a “capacidade..”
    …………………………………… de destruí tudo que
    …………………………………………ele construiu,…..
    …………………………………………………………………………………………………………
    ………………………………………………….ainda,
    ……………………………………….vem o bis-néto,….
    ………………………………………..e faz filminho,….
    ………………………………………….prá eternizá a
    …………………………………………….BURRICE
    ……………………………………..dos descendentes.
    ………………………………………………………………………………………………………..

    .

  271. ……………………………………………………………………………………………………………..
    ……………………………………………………………………………………………………………..
    …………………………………………………………………………………………………………….
    …………………………………………………………….é
    ………………………………………………………………………………………………………
    ………………………………………………………sê póbre,….
    ……………………………………………………………………………………………………….
    ………………………………………………tem suas vantagens,..
    ……………………………………………………………..né…?!………
    ………………………………………………………………………………………………………..
    ………………………………………………………………………………………………………..
    …………………………………..ninguém vai fazê filminho,..
    …………………………………..da sua burrice e pobreza,……
    ……………………………………………….né..?
    ………………………………………………………………………………………………………..
    ……………………………..agóra se você for burro e rico,…..
    …………………………………………………aí,…
    ………………………………………..já é perigoso…!
    ………………………………………………………………………………………………………..
    ………………………………………………………………………………………………………..
    ……………………………………………………………………………………………………….
    ………………………………………………………………………………………………………..
    ………………………………………………………………………………………………………..

  272. Luciana

    The Love Wins in the end

    The love is a gift
    Not commitment
    If you take like this
    Is not disappointed

    The love is wonderful
    Make me very happy
    That full me energy
    And us in euphoria

    The love likes fire
    Stormy in the begin
    Burglar in all power
    Without restriction

    In continue be weakness
    Maybe it’s very normal
    She will want disappear
    What do we do now

    The love is likes fire
    From the beginning
    She need relation
    Very long time

    The love is craze
    She burning always
    Never never stop
    Like sun shining

    What is food of love

    It depends on season
    Are price expensive
    Maybe in the sky

    It’s not far away
    No need money
    Here close to us
    Reach or poor

    Speak beautiful word
    Smile and will be relax
    Without from routine
    And wanted surprise

    Maybe the world
    Will be nice better

  273. Thiago P.

    eu não entrei no blog ontem. E quando volto tomo um susto. Como de costume começo a ler os comentários. De baixo para cima (não me perguntem o motivo) . Percebo que mais uma vez o Gerald disse que ia largar tudo…meus deus, o que aconteceu agora?

    Ai vejo ?
    09/01/2009 – 13:22 Enviado por: Sue ( Preocupada…)

    Gerald ,
    Bom Dia …Querido

    Realmente respira fundo…conta ate 100 (ou mais se precisar)…mas nao se extresse com quem nao merece…Exemplo: Tiago….

    ai penso…vixe entrou outro Tiago (o meu é com TH) e falou merda.

    subo mais um pouquinho e vejo um monte de comentários do Gerald endereçados a mim. PUTZ…me deu um frio na espinha!!

    pensei, caramba, aquele comentário foi um dos mais simples que ja fiz….e pelo que entendi não irritei o Gerald (será SUE?), ele somente expressou atraves do meu comentário o que o que já estava pensando…

  274. Ana

    09/01/2009 – 22:48
    Enviado por: Gouvêa

    Mon Dieu, eu também sou uma Gouvêa, assim, sem “i”, e com acento circunflexo. Por parte de mãe.
    É tão raro… Será que somos parentes distantes?

  275. Ana

    Garganta, desculpe, mas pareceu que você dizia ao Gerald que fosse logo embora… Foi um erro (seu) de expressão, então.

  276. Thiago P.

    enfim Gerald se lhe irritei, mil desculpas.

    Mais uma vez eu digo, esse texto, a foto da Ellen me passou um sentimento de Paz e humanidade. Assim como A Judith Malina, me passou atravês daquela entrevista uma força poderosa, de quem através dos anos lutou pelo simples direito de se expressar.

    e estamos todos aqui. nos espressando. Falamos muita merda, concordo. Mas também acertamos. Eu acompanho esse blog desde seu ultimo mês de UOL. Depois de um tempo passei a comentar aqui. E posso diser que aprendi muito. Aprendi que uma posição, um argumento pode ser totalmente contrário ao meu e mesmo assim fazer todo o sentido. TEm que falar, mas temos que também ouvir.

    Essa nova guerra em GAza me exasperou. já deixei minha posição clara a favor de um estado palestino livre. Mas entendo certas atitudes de Israel. No fundo ninguem tem razão. Toda guerra é criminosa.

    temos que nos humanizar de novo. Quando a Guerra ficou mais dramatica eu tive um momento estranho. Tinha acabado de descobrir Miles Davis…e ficava pensando se aquelas pessoas estivessem escutando aquela musica, teriam tempo e saco para guerra?

    Me calo, te entendo Gerald…só espero que continue a falar, a Ellen disse que vc tem que escrever o que tem que escrever…as vezes é preciso um momento de silêncio… que preceda o esporro

    os comentários do seu antigo blog falavam mais de arte do que politica, talvez seja esse o caminho…claro que vai ter porrada…mas é melhor discutir, joyce, kafka e beckett do que Baracks, lulas e Bushs

    Cheers and love and humanity

  277. Thiago P.

    espressando não

    Expressando*

    xixixix…cala-te, silêncio…escute o silêncio…

  278. Ana

    é, a arte precisa da economia, e a economia não precisa da arte.
    só quando é pra lavar dinheiro. em alguns casos.
    ou quando é para um Minc funcionar mais ou menos…

  279. Reinaldo Pedroso

    09/01/2009 – 04:39
    Enviado por: Garganta
    “Caro Reinaldo Pedroso, (…)
    PPS: Sugiro , se responder, uma resposta curtinha, de acordo com a sua cabeça. Porque não desejo ( você também) que você se arrisque escrevendo demais e, assim, expondo( na cara dura) a sua falta de conhecimento acerca do mundo.”

    Não sou prolixo, verborrágico.
    Apenas digo que o teu argumento de que a Santanna e eu somos mal comidos demonstra o que és.
    Reinaldo

  280. Reinaldo Pedroso

    09/01/2009 – 11:09
    Enviado por: Nina
    “Reinaldo Pedroso
    tem toda razão.”

    Sobre o quê, Nina?
    Abraço,
    Reinaldo

  281. Milton José Zamboni.

    Caro Gerald Thomas, seu texto é comovente e contundente, aliás como creio que a arte deva ser, até mesmo usando da máxima, “às vezes a vida imita a arte (…), o inverso também é verdadeiro não é?
    Saiba que vejo o papel da Sra Ellen Stewart, sim, o papel, de grande Mama como a consequência de uma vida voltada para a arte engajada, não no sentido panfletário, mas no sentido de arte como vida, do viver como uma arte, difícil, mas não impossível, é quase como uma parusia, é algo para poucos, é divinal. Me lembro de um antropólogo, também americano, e de quem gosto muito, Clifford Geertz dizendo, o homem é capaz de viver mil vidas, no entanto escolhe apenas uma para viver. Dona Ellen escolheu exatamente o contrário, vive mil vidas, mil papéis. Este papel é reflexo de uma sólida visão do que representa ser humano com humanidade. Explico, não se fecha numa minoria, trata de uma minoria que sofre, assim como tantas outras, o descaso milenar; ser sefardita é fugir da Península Ibérica, não ter lugar entre as comunidades abastadas da Europa, acabar como cristão novo na América, de preferência latina, claro, ou se tornar réfem de uma triste realidade na África ou na Palestina,ainda é, ser desterrado na história e na comunidade. Que visão histórica e humana tem esta mulher; a grandiosidade de seu ato é coisa de heroína, no sentido dos heróis tão descritos pelos mitólogos do quilate de Joseph Campbell, ou de psicólogos como Jung, é transcendente, como deveria ser transcendente toda a imagética que a humanidade faz de si, no entanto valem mais as palavras de Wall Street, não é? Dona Ellen, me parece, é arte em jactância, a arte que não prevê guetos, a arte ontológica e holística, em todos os sentidos. Comove porque é real. Comove porque é humana. Comove porque é pura. Comove porque, mesmo nos límites da vida, é arte em sí. Faça para ela este presente, escreva o texto. É o pedido também deste professor, desconhecido, aqui do Brasil, que também é mundo, sofrido como todas as minorias, é o país das minorias, que sonham em ser, também arte, e vc sabe que ele é, e, o quanto somos minorias em atrito. Minorias artísticas, históricas, e, de certa forma, desconcertantes.
    Desculpe a veborragia, dê um beijo na Dona Elen, um beijo bem brasileiro.

    Milton.

  282. Paulo do ponto G.

    Gerald, gostei demais do artigo sobre Pirates. Eu comecei a me interessar sobre o assunto depois de algumas viagens ao Caribe.
    Se voce for as Bay Islands em Honduras (Roatan, Utila e Guanaja)
    voce vai encontrar descendentes de piratas britanicos que falam
    `criole English’. Estive mergulhando em Utila e Roatan ha alguns anos e achei incrivel demais esse enclave britanico onde English is the first language, num pais de indioma Espanol como Honduras.
    Um detalhe, mesmo para native speakers leva-se alguns dias para conseguir decodificar o accent que eles usam por la.

  283. Reinaldo Pedroso

    09/01/2009 – 13:26
    Enviado por: Nina
    Reinaldo, (Pedroso)
    Ainda sobre teu comentário (deve ter mexido muito comigo)
    Não te conheço, não sei qual é a tua, nem me interessa sinceramente, mas posso te garantir:
    Eu (Nina/Helen) e Sandra
    somos pessoas COMPLETAMENTE DIFERENTES!!!”

    Nina
    Se te referes a eu achar que tu, a Sandra e o Gerald sofrem muito, a única semelhança é essa.
    Abraço,
    Reinaldo

  284. Reinaldo Pedroso

    09/01/2009 – 17:19
    Enviado por: Ivo Veiga
    “Caro Garganta você também teve problema com o Reinaldo Pedroso, fazes parte do clube, começou com Gerald passou por mim e foi em frente, ele está se tornando uma unanimidade. Acho que encontrastes a frase correta “ELE É MAL COMIDO”.
    Disse tudo.
    Abraços
    Ivo”

    Coronelzinho de merda, valente de retaguarda, valente de teclado, deixei um recadinho pra ti no post anterior.
    Reinaldo

  285. Reinaldo Pedroso

    09/01/2009 – 22:52
    Enviado por: Sandra
    “Gerald, agora que me liguei. Você foi comprar uma barra de chocolate para alguém que está tomando insulina?
    Isso pode?”

    Sandra!
    Questionaste o Gerald?!
    Reinaldo

  286. Paulo do ponto G.

    Essa eh uma classificacao das mulheres brasileiras em quatro tipos, segundo uma revista chamada Rio for partiers,
    que eh distribuida fora do Brasil e vai ser apreendida por causa do artigo:

    Quatro tipos de mulheres brasileiras

    A revista classifica as mulheres brasileiras em quatro tipos: “Britney Spears”, “popozuda”, “hippie/raver” e “Balzac”.

    As “Britneys” seriam as chamadas “filhinhas de papai”, que se vestem como a cantora, mas não deixam ninguém cantá-las. “Pode esquecê-las a menos que seja apresentado a uma”.

    A “popozuda” é chamada de “máquina de sexo bunduda (…). Bom para você investir seu tempo porque o motel é sempre uma possibilidade com essas maravilhas”. A revista diz que “elas malham, usam calças apertadas, pintam o cabelo de loiro e se esforçam ao máximo para aparecer”.

    Segundo a revista, não podemos esquecar das “hippies/ravers” que são “garotas divertidas, fáceis de se aproximar, fáceis de conversar, difíceis de beijar, fáceis de ir para a balada”.

    Já a garota “Balzac” é a mulher que “quer se divertir, dançar, beber e beijar”. A revista lança ainda a dica: “se tratá-la como uma dama, que elas te tratarão como um rei, talvez não hoje à noite, mas amanhã com certeza”.

  287. Reinaldo Pedroso

    Nina

    (…) somos pessoas COMPLETAMENTE DIFERENTES!!!” (…)

    Ao selecionar a frase acima, ficou fora o ponto final apenas. Percebi isso ao rever a tua mensagem, mas já havia enviado a minha resposta. Esses pontos de exclamação foram digitados indevidamente por mim, baseado na veemência da tua indignação.
    Desculpa.
    Reinaldo

  288. janciron

    Terrorismo é termo que se usa hoje, doentiamente, para descrever o que ‘outros’ fazem, não para descrever o que ‘nós’ fazemos. Nações poderosas, como Israel, os EUA, a Rússia ou a China, sempre descrevem como terrorismo a luta de resistência que seja feita, contra as nações poderosas, pelas suas vítimas. Estranhamente, não dizem que seria ato de terrorismo a destruição da Chechênia, o massacre lento do que resta dos palestinos, a repressão aos tibetanos e a ocupação, pelos EUA, do Iraque e do Afeganistão. As mesmas nações, porque são potências militares, definem o que seja legal e permitido, no que tange a matar em grande escala. As mesmas nações formulam o conceito de terrorismo, criam leis terroristas, e fazem parecer que alguma corte neutra houvesse definido alguma espécie de lei do opressor, do ocupante, do invasor, do assassino. Assim se torna ilegal, por definição, que o oprimido, o ocupado, o invadido, o mais fraco resista. O uso excessivo do jargão judiciário e legalista de fato mina os fundamentos do que é legítima e verdadeiramente legal e diminui a credibilidade das instituições internacionais como a ONU. A lei passa a ser inimiga dos que resistam. Já é visível que os poderosos – os que escrevem as leis – insistem na legalidade apenas para preservar relações de poder que lhes sirvam ou para criar ou para manter relações de ocupação e de colonialismo.
    A mesma formula é usada no Brasil pelos capitalistas e os políticos que estão mamando nas tetas da Nação e com a maior cara de pau, nossos demagogos salvadores da pátria, pregam democracia e justiças social! Enquanto criam leis para se favorecerem, ou seja, lei de imunidade parlamentar, e seus crimes contra a economia popular tão hediondo quanto tantos outros, por eles assim denominados, estão só aumentando! Segundo um relatório da ONU, 50% da população no mundo vive abaixo da linha da pobreza. E enquanto isso, hipócritas senhores onipotentes, estão gastando fortunas em bombas e armamentos, para destruir a natureza e seus semelhantes! Mas saibam neste mundo tudo tem seu preço, e não pensem que no dia em que a natureza fizer suas cobranças, os senhores semideuses estarão isentos de pagar seu preço!
    A simei, eu gostei do jeito que vc escreve “geito”! Muito bem! Para quem gosta de ensinar! rsrsrsr E quanto a carteirinha eu sugiro: Um emblema com a seguinte frase: (Unidos na rasgarão de seda) seria mais coerente! E Jornalista que se preze, não só pode como deve ter amizades, porem, por ética deve aprender a respeitar opiniões e ao menos aparentar ser imparcial!

  289. Nina

    Reinaldo Pedroso

    Você entendeu.

    Obrigada…

  290. Sier, o bom

    23 de maio, 2004 – 19h03 GMT (16h03 Brasília)

    ‘Gaza lembra o Holocausto’, diz ministro israelense

    Yosef Lapid viveu em um gueto judeu em Budapeste
    O ministro da Justiça de Israel, Yosef Lapid, irritou seus colegas de gabinete ao dizer que a ofensiva militar israelense na Faixa de Gaza o fez lembrar das desgraças sofridas por sua família durante a Segunda Guerra Mundial.
    Lapid, que é um sobrevivente do Holocausto, disse em entrevista na rádio oficial das Forças de Defesa de Israel que as imagens transmitidas na televisão de uma idosa palestina em meio a escombros despertou memórias de sua avó nos tempos da guerra.

    “Estou falando de uma mulher engatinhando e procurando remédios nas ruínas da sua própria casa, e isso me fez pensar na minha avó”, afirmou.

    O primeiro-ministro israelense, Ariel Sharon, repreendeu Lapid, que negou estar fazendo comparações entre a ocupação israelense em Gaza e o Holocausto.

    ‘Tribunal de Haia’

    Nos últimos dias, tropas de Israel têm demolido dezenas de casas no campo de refugiados de Rafah.

    Na entrevista, Lapid também revelou que o Exército quer demolir cerca de 2 mil casas em Rafah para alargar a chamada estrada de Philapelphi, na fronteira com o Egito.

    Lapid descreveu um encontro que teve com os demais ministros israelenses: “Eu disse que se continuarmos agindo assim, vamos ser expulsos da ONU e aqueles que forem responsáveis serão julgados no Tribunal de Haia”.

    O ministro da Justiça, que é líder do partido centrista Shinui, viveu parte da Segunda Guerra Mundial em um gueto judeu em Budapeste.

    Ele perdeu vários familiares durante o Holocausto, entre eles uma avó, que morreu no campo de concentração de Auschwitz.

    Mas Lapid insistiu que, nesta entrevista, “não estava falando da Alemanha nem dos nazistas”.

    Tabu

    Fontes ligadas a políticos israelenses, citadas pela agência de notícias Reuters, afirmaram que Sharon ralhou com Lapid em uma reunião do gabinete, dizendo que seu depoimento foi “inaceitável e intolerável”.

    Segundo correspondentes da BBC em Israel, o uso do genocídio de judeus em debates políticos é considerado um tabu por muitos israelenses, que enxergam o fato como uma “desvalorização” da memória das vítimas do Holocausto.

    Na sexta-feira, forças israelenses se retiraram de partes de Rafah depois de três dias de confrontos e demolições, nos quais mais de 40 palestinos morreram.

    A política de destruir casas palestinas tem sido duramente condenada.

    Israel diz estar tentando manter a segurança da fronteira com o Egito para evitar o contrabando de armas para a Faixa de Gaza.

  291. ezir

    JANCIRON: bom dia ! muito bom este seu jeito de tentar explicar estA COISA que é UM TERRORISTA , ou melhor , o nome que as nações MAIS RICAS DEU A ELE, À ESTE TIPO DE PESSOA. Na verdade, todo mundo , não só estas nações, usa este nome pra comentar as notícias TRÁGICAS OU CAUSADORAS DO MEDO ao OUTRO pelo mundo afora. vOCÊ foi extremamente INOCENTE na explicação deste TERMO. NÃO há relação entre O DOENTIO , e O QUE UNS FAZEM E OUTROS JAMAIS FAZERÃO: o termo ESTAMPA NA CARA DA LETRA DESTE NOME A RAIZ DE SEU RADICAL : O TERROR + ISMO = ESTUDO SOBRE O TERROR.Puxa, SOMOS SERES HUMANOS OS ÚNICOS A CONSEGUIR TER UM I-M-A-G-I-N-Á-R-I-O resultado de MILHÕES DE ANOS DE EVOLUÇÃO DE NOSSO CORPO-CÉREBRO. Como diz o escritor-antropólogo RENÉ ETIEMBLE em ” HISTÓRIA DA ESCRITA” : ” O ser humano tem VIVIDO E MATADO por milhões e milhões de ANOS desde a FASE DE SUA APARIÇÃO OU DESENVOLVIMENTO EXISTENCIAL desde a sua PRÉ-HISTÓRIA . NO ENTANTO, O SER HUMANO TEM DESENVOLVIDO SUA CAPACIDADE DE ESCRITA, DE ESCREVER há apenas 6.000 mil ANOS ATRÁS!!!!!”.Então, a gente DE CONSCIÊNCIA ADULTA E SENSÍVEL, RAZOÁVEL fica pensando : Será que O CENÁRIO DE UM MONTE DE HOMENS DE ESTADOS E AGORA MULHERES-AUTORIDADES DO ESTADO DE CADA PÁIS QUE A GENTE VÊ VIA A TV SENTADOS PRA DISCUTIR E NÃO CHEGAR A UMA DECISÃO EQUILIBRADORA , RAZOÁVEL EM NOME DA TRANQUILIDADE ESPIRITUAL E CORPORAL, é um CENÁRIO DE UM MONTE DE SERES – NÃO HUMANOS – E SIM ALIENÍGENAS CRIATURAS SEM CABEÇA MOVIDAS AOS INSTINTOS DO ESPÍRITO OU VÍRUS DA MORTE SEM FRONTEIRAS ?????????? nÃO É nem mais UMA Q

  292. Oi, GT e pessoal.

    Pacheco: eu citei o Estadão, numa matéria crítica ás indenizações. Mas terrorismo nunca mais é uma resposta ao tortura nunca mais, né? Quer dizer: tortura sim, sempre que necessário. Soube que iam lançar um livro com esse nome Terrorismo nunca mais, mas quando saíram alguns exemplares verificaram que a coisa ia ficar pior e alguns camaradas iam ser processados e denunciados, daí os editores recolheram o livro, mas existem alguns exemplares, e trechos saíram recentemetne no Estado de Minas, inclusive um fragmento chamando o atual prefeito de “perigoso guerrilheiro” e por aí vai.

    Fábiu…………só vc no brasil ta vendo a Má-Ysa….senão como vc ia ssaber da brazylya? E os matarazzo saõ burros……Suplicy=burro?——–Marta….burra?

  293. Garganta

    Caro Reinaldo Pedroso,

    Minha intenção de fazer comentários polidos, como vemos, é praticamente zero. Ok, dou o braço a torcer, não preciso fazer indecentes. Quanto a Santanna, você se enganou, eu queria mostrar para ela como é feio uma mulher escrever coisas agressivas( eu acho isso horrível). Então, resolvi persuadi-la com textos horríveis endereçados a ela ( para ela sentir nojo).

    Com os melhores cumprimentos,

    Garganta.

  294. Nina

    Lucio Jr.
    Perfeito.
    É isso.

    Este blog está vivendo um momento interessante. Existe um filme japonês chamado Assombração, é uma leitura oriental do inferno de dante onde o Demônio, ou o “criador” é responsável por criar aquilo e depois abandonar o que criou.
    Vamos a Hipocrisia.
    No Uol e no inínio do Ig, as discussões tinham fluxo.
    Quando um blog serve para as pessoas (sem nome, sem alma e sem noção) entrarem e achincalharem com o nome de alguém (Gerald Thomas), sendo esse alguém quem é (obrigada Lucio Jr.), isso se torna um Inferno antropofágico, e culmina no fim de alguma coisa.

    Todo fim pode ser um recomeço de outra forma, o fogo que queima também tranforma. Cinzas já foram um corpo, ou matéria.

    Hora de reflexões.

    Sandra, não disse que vc era maluca, jamais diria isso de vc, talvez seu problema seja ser inofensiva.
    Disse e repito:
    Vc, com todo respeito, precisa de uma análise, terapia ou algo parecido, como tantas pessoas.
    BLOG NÃO É DIVÃ., NEM LUGAR PRÁ SE VOMITAR.
    Se Gerald Thomas comprou chocolate para alguem que tem diabetes… vê? essa é sua preocupação? sinceramente? falta-lhe ofensividade. E és tão, mas tão inteligente.

    Estou mesmo de saco cheio dessas coisas, visto pelos meus últimos comentários. Sinto falta de discussões mais inteligentes. Pacheco? Everealdo? Mau? Collor? Cristina? Sandra? Vamp? Susan? tantos… onde estão? ou eu estou no lugar errado.

    Em plena mutação.

    As flores dadas devem ser apanhadas.

    Reinaldo Pedroso, vc me fez pensar garoto, .. muito… eu tentendi o que quis dizer e acho que vc também me entendeu. Adoro quando essas coisas tão humanas acontecem… o entendimento.

    Enfim…. queria deixar algo tão meu prá vcs, tão meu quanto flores, pois adoro dar flores prá quem gosto.
    Caio Fernando Abreu, o maior escritor da língua portuguesa, morreu de aids a pouquissimo tempo. Sou sua leitora, comi todos os livros dele e infelizmente não pude conhecê-lo pessoalmente, mas me deixou marcas profundas, assim como Gerald Thomas me deixou marcas profundas, assim como algumas (poucas pessoas)… e … bem.. emocionada, pela história que representa esse blog, deixo prá vcs:

    A HISTÓRIA DOS SAGUIS ANTROPOFÁGICOS
    (Caio Fernando Abreu)
    Era uma vez dois sagüis presos numa gaiola. Até que um dia um começou a roer a cauda do outro. Então o dono dos sagüis retirou da gaiola o de cauda semi-devorada e no dia seguinte o sagüi antropófago tinha começado a devorar a própria cauda. Não sabia como terminava a história, talvez acabasse aí mesmo com reticências. Mas em breve tinha dentro da sala uma gaiola com os ossos de um sagüi devorado por si mesmo. Talvez restassem os olhos, arriscava, fosforescência, dentes saciados, um pequeno estômago repleto de si mesmo.

    meu uivo de hoje:
    Mal Nenhum
    (Lobão/Cazuza)
    Nunca viram ninguém triste?
    As guerras são tão tristes
    E não tem nada demais
    Me deixem, bicho acuado
    Por um inimigo imaginário
    Correndo atrás dos carros
    Como um cachorro otário
    Me deixem, ataque equivocado
    Por um falso alarme
    Quebrando objetos inúteis
    Como quem leva uma topada
    Me deixem amolar e esmurrar
    A faca cega, cega da paixão
    E dar tiros a esmo e ferir
    O mesmo cego coração
    Não escondam suas crianças
    Nem chamem o síndico
    Nem chamem a polícia
    Nem chamem o hospício, não
    Eu não posso causar mal nenhum
    A não ser a mim mesmo
    A não ser a mim mesmo
    A não ser a mim

    Abraço a todos

  295. O Vampiro de Curitiba

    E aí, pessoal?
    Ainda continuam com a missão divina de explodir Israel e encher o saco do Gerald?
    Tava aqui refletindo sobre os frequentadores do Blog. A maioria até sabe escrever, se não fossem xiitas doutrinados pela esquerda, bateriam um bolão…
    “Se”…”se”… enfim…
    Beijos!!!

  296. Garganta

    Caro Reinaldo Pedroso,

    Sugiro também que o senhor deixe de ser o famoso p.n.c, entende? Eu lhe confiro o título de SENHOR MEXERICA ( em razão das suas intrigas).

    PS: Você é lacônico, e você sabe. Eu escrevo só o necessário para você notar a sua imbecilidade ( daí parece verborragia mesmo, para quem não entende)

    Com os melhores cumprimentos, abissal ( você é lacônico, entende).

    Garganta.

  297. Garganta

    Caro Gerald,

    “os comentários do seu antigo blog falavam mais de arte do que politica, talvez seja esse o caminho…claro que vai ter porrada…mas é melhor discutir, joyce, kafka e beckett do que Baracks, lulas e Bushs” ( algum comentário cá, que eu copiei e não achei de novo)

    Gerald, por que não seguir esse conselho? Você escreve de assuntos políticos, e ainda pergunta coisas dramáticas como botar as pessoas na guilhotina, penetrar a senhora Israel e etc. Morte e sexo são coisas que mexem com o ânimo das pessoas( ainda mais se quem escreve chama-se Gerald Thomas), bota nisso assuntos políticos ( que necessariamente tem conflitos). Pronto. Eis a criação da guerra, eis um mini-conflito mundial em seu blog.

    Fale só( ou mais) de arte( pelo menos numa próxima vez), Gerald.

    Com os melhores cumprimentos,

    Garganta.

  298. gthomas

    PERFEITA COLOCACAO, MAS PODIAM TER ME PERGUNTADO!

    10/01/2009 – 13:00
    Enviado por: Nina
    Lucio Jr.
    Perfeito.
    É isso.
    Este blog está vivendo um momento interessante. Existe um filme japonês chamado Assombração, é uma leitura oriental do inferno de dante onde o Demônio, ou o “criador” é responsável por criar aquilo e depois abandonar o que criou.
    Vamos a Hipocrisia.
    No Uol e no inínio do Ig, as discussões tinham fluxo.
    Quando um blog serve para as pessoas (sem nome, sem alma e sem noção) entrarem e achincalharem com o nome de alguém (Gerald Thomas), sendo esse alguém quem é (obrigada Lucio Jr.), isso se torna um Inferno antropofágico, e culmina no fim de alguma coisa.
    Todo fim pode ser um recomeço de outra forma, o fogo que queima também tranforma. Cinzas já foram um corpo, ou matéria.
    Hora de reflexões.

    SOBRE O CHOCOLATE

    O CHOCOLATE QUE EU COMPREI PRA ELLEN ERA PRA

    DIABETICOS

    AQUI NOS ESTADOS UNIDOS EXISTEM INUMERA MARCAS

    EM QUALQUER CANDY STORE

    DE CHOCOLATE OU QUALQUER OUTRO “DOCE’ SEM ACUCAR

    EU JAMAIS SERIA MALUCO DE IR COMPRAR UM CHOCO COM ACUCAR PRA MINHA MAE QUE A FIZESSE PASSAR MAL

    MESMO depois d’ela ter me dito: “olha pra mim, honey. Olha pra mim (aos 90 anos). O que querem de mim. Voce vai me deny esse favor? Voce vai me negar esse pouquinho de prazer?

    MESMO QUE TIVESSE UM KILO DE ACUCAR EU TERIA COMPRADO SIM, PORQUE ERA O QUE ELA QUERIA

    QUANDO FALEI COM O MEDICO, E ELE FOI CONTRA, ERA POR CAUSA DA GORDURA DO CACAU. COMPREI UM COM 84 POR CENTO CACAU. DOS BONS.

  299. ezir

    JANCIRON: bom dia ! muito bom este seu jeito de tentar explicar estA COISA que é UM TERRORISTA , ou melhor , o nome que as nações MAIS RICAS DEU A ELE, À ESTE TIPO DE PESSOA. Na verdade, todo mundo , não só estas nações, usa este nome pra comentar as notícias TRÁGICAS OU CAUSADORAS DO MEDO ao OUTRO pelo mundo afora. vOCÊ foi extremamente INOCENTE na explicação deste TERMO. NÃO há relação entre O DOENTIO , e O QUE UNS FAZEM E OUTROS JAMAIS FAZERÃO: o termo ESTAMPA NA CARA DA LETRA DESTE NOME A RAIZ DE SEU RADICAL : O TERROR + ISMO = ESTUDO SOBRE O TERROR.Puxa, SOMOS SERES HUMANOS OS ÚNICOS A CONSEGUIR TER UM I-M-A-G-I-N-Á-R-I-O resultado de MILHÕES DE ANOS DE EVOLUÇÃO DE NOSSO CORPO-CÉREBRO. Como diz o escritor-antropólogo RENÉ ETIEMBLE em ” HISTÓRIA DA ESCRITA” : ” O ser humano tem VIVIDO E MATADO por milhões e milhões de ANOS desde a FASE DE SUA APARIÇÃO OU DESENVOLVIMENTO EXISTENCIAL desde a sua PRÉ-HISTÓRIA . NO ENTANTO, O SER HUMANO TEM DESENVOLVIDO SUA CAPACIDADE DE ESCRITA, DE ESCREVER há apenas 6.000 mil ANOS ATRÁS!!!!!”.Então, a gente DE CONSCIÊNCIA ADULTA E SENSÍVEL, RAZOÁVEL fica pensando : Será que O CENÁRIO DE UM MONTE DE HOMENS DE ESTADOS E AGORA MULHERES-AUTORIDADES DO ESTADO DE CADA PÁIS QUE A GENTE VÊ VIA A TV SENTADOS PRA DISCUTIR E NÃO CHEGAR A UMA DECISÃO EQUILIBRADORA , RAZOÁVEL EM NOME DA TRANQUILIDADE ESPIRITUAL E CORPORAL, é um CENÁRIO DE UM MONTE DE SERES – NÃO HUMANOS – E SIM ALIENÍGENAS CRIATURAS SEM CABEÇA MOVIDAS AOS INSTINTOS DO ESPÍRITO OU VÍRUS DA MORTE SEM FRONTEIRAS ?????????? nÃO É nem mais UMA QUESTÃO DE PENSAR NA CAUSA DE CADA UM , entende? Estamos no ANO cristão 2009 , para o JUDEU É 5.549 , para os Islâmicos devem contar a PARTIR DESTE GRANDE PROFETA-COMERCIANTE ” MAomé”, para os AFRICANOS , devem contar a partir DA PRIMEIRA DIVINDADE REGENTE DO ANO porque , O ORIXÁ “OXUMARÉ ” , por exemplo, fica 6 meses ANIMAL-COBRA , 6 meses HUMANO, para os CELTAS , o ano se iniciou em NOVEMBRO; há INÚMERAS REFERÊNCIAS DE TEMPO-CONTAGEM DO TEMPO DE VIVÊNCIAS PARA CADA CULTURA-CIVILIZAÇÃO AQUI NA TERRA. E estas CULTURAS ficam E SÃO FORTES E “TEIMOSAS”, “ORGULHOSAS ” porque TÊM MEDO DE PERDA DA IDENTIDADE, DAS RAÍZES , DE SEREM “ESTRANHADAS” pelas OUTRAS CULTURAS-PESSOAS.
    De fato, a gente TÁ CANSADA DE LER HISTÓRIAS E NOVELAS com O ” ELEMENTO” PESSOA -ESTRANHO que APARECE numa COMUNIDADE ou VEM VISITA UMA FAMÍLIA pela PRIMEIRA VEZ …e é “ESTRANHADA” por causa DO COMPORTAMENTO E MANEIRAS DE SER E DE TRATAR O OUTRO. DAÍ, A PESSOAS pode ser LINDA , UMA AUTORIDADE , vai HAVER I-M-P-A-S-S-E-S
    C-H-O-Q-U-E-S CULTURAIS E DE CONTATO ALI NO ATO DE ENTRAVAR A COMUNICAÇÃO. MASSSSSSSSSSSSS, para MIM, EU, Ezir , que SOU ADULTA-RESPONSÁVEL, EXPERIENTE E ESTUDADA, DE BOA CULTURA E POLÍTICA COM OS OUTROS…EU VOU CONSEGUIR ME ADAPTAR “AQUELE ELEMENTO NOVO-ESTRANHO ” mediante UMA MEDIDA DE NEGOCIAÇÃO COM ESTA PESSOA… COM RESSALVAS …VOU ANALISANDO… TENTANDO CONHECER… OU PELO MENOS OUVIR E SABER QUEM É A PESSOA …SE FOR DO BEMMMMMMMMMMMMMM….NÃO FOR PERVERSA…E DE TEMPERAMENTO EXPLOSIVO , DE EXTREMIDADES…OU COM UM ANTECEDENTE-HISTÓRICO DE PRÁTICA DE MALDADES CONTRA OS OUTROS… VOU TENTAR . NO MÍNIMO, COLOCAR A PESSOA NO SEU LUGAAAAAARRRRRR…E ME POSSSSIIICCCIONARRRR MEDINDO A MINHA RELAÇÃOOOOOO COM ELA…COM OS ALERTASSSSSSSSS….AS MINHAS DEFESSSSSAasssssssss DE PRONTIDÃO BUSCANDO TODOS MEUS AMIGOS E AMIGAS-APOIOS-SUPORTES PARA EU ME PREVENIR CONTRA ESTA PESSOA “ESTRANHA” ou “PERIGOSAAAAAAA”, certo?????BEM, A QUESTÃO é que HOUVE DO LADO DA POLÍTICA DOS GOVERNOS-MILITARISTAS-AUTORITARISTAS-MERCANTILISTAS NORTE-AMERICANOS uma TOTAL FALTA DE CONHECIMENTO DA DIPLOMACIA E DOS MEIOS DE TRATAMENTO DE OUTRAS NAÇÕES-CULTURAS SOBERANAS. È como UM CARA-MACHÃO que CHEGA MANDANDO E DESMANDO E SUBJUGANDO OU PEDINDO PRA DISPUTAR DE BRAÇOS UMA LUTA … OU UM IMPASSE ENTRE PESSOAS…E ACABA TUDO EM MORTE …INCLUSIVE ELES PRÓPRIOS. NÃO HOUVE O USO DAS MEDIDAS E RAZÕES DE NEGOCIAÇÕES DENTRO DAS LEIS DO DIÁLOGO. VI um documentário uma vez sobre AS CAUSAS DO NAZISMO E DA ASCENSÃO DE HITLER AO PODER : OS DIPLOMATAS , como WINSTON CHURCHILL haviam alertado os EUA ,e OUTROS PÁISES RICOS QUE ERA MELHOR “PERDOARRRRR” A DÍVIDA da GRANDE DEPREÇÃO DA ABALOU A ALEMANHA . Eles NEM QUISERAM SABER ……………….. A principal FONTE DE CAMPANHA DE HITLER foi A INFLAÇÃO COM A MOEDA ALEMÃ estourando em
    5.000 MARCOS em relação ao DÓLAR.Isto está nos livros de HISTÓRIA E DE ECONOMIA. Imagina se UMA NAÇÃO empobrecida E DE UMA CULTURA NOBÍLISSIMA como OS ALEMÃES iam aguentar UMA HUMILHAÇÃO como OS HAITIANOS, E OS AFRICANOS ou OS BOLIVIANOS AGUENTARAM sempre????
    SOU TOTALMENTE CONTRA OS PARTIDOS DE ESQUERDA AQUI NO BRASIL já IREM TOMANDO PARTIDO DE UMA LADO MAIS POBRE E HUMILDE como SÃO OS REFUGIADOS PALESTINOS. NÃO PORQUE OS PALESTINOS SÃO UNS POBRES COITADOS E OS IRAQUIANOS SÃO PROTEGIDOS ETC E TAL. OS IRAQUIANOS JÁ FORAM PISOTEADOS E CARREGAM SUAS DORES HISTÓRICAS E TÊM SUAS RAZÕES POR SOBERANIA ETC. SOU CONTRA …AOS GRUPOS POLÍTICOS , SEJAM QUAIS FOREM ELES JÁ IREM SE ARMANDO COMO OS FORTES…ADIANTANDOOOOOO… SE ANTECIPANDOOOOOOOO…COMO SE TIVESSEM NA RODDAAAA DE UMA BRIGGGGUIIIINHA DE RUA e não soubessem NEGOCIAS AS RAZÕES DO CONFLITO …VÃO LOGO “TOMANDO AS DORES” DE UM … E O PIORRR!!!VÃO TOMANDO AS DORES E JÁ SE ARMANDO DE DISCURSOS DE IMITAÇÃO OSMÓTICA… DE PURO REACIONISMOOOSSS , DE REAÇÕES DE ENTRAR NO MEIO SÓ PRA APARTAR A BRIGA…E DEPOIS COMEÇAR A FAZER TODA UMA “LADAINHA” DE SE POSICIONAR COMO “OS DEFENSORES QUE CONTRA-ATACA O INIMIGO”.Como se UM CONFLITO entre CULTURAS E PAÍSES acabasse SEMMMPRE NUM JOGUINHOOOO DE “IMPERÍO CONTRA-ATACA 1, 2, 3 ETC” DE VIDEO-GAMES.É isso aí!!!, TCHAU, Ezir

  300. Garganta

    Caro Vampiro,

    Encher o saco do Gerald? Flagraram-me( a senhorita santanna), nos meus textos, um erro de criança de 8 anos. Quer chateação maior do que essa? Aliás, o Gerald é um dos que pior escreve português ( sem seguir algumas regras, porque o resto ele faz com excelência), ele e você não podem ser pretenCiosos como eu já vi ( já vi outras, mas deixa pra lá, pois eu sei que isso pode ser abusivamente constrangedor[ senti na pele]). Adeus a todos esculhambados ( estou me incluindo).

    Com os melhores cumprimentos,

    Garganta.

  301. gthomas

    Sorry Garganta

    Eu trilhei o Bush

    trilhei Obama

    sempre relacionei Politica a Arte e Vice Versa.
    Nao ha como viver sem.

    Nunca deixei de escrever ou pensar diferente.

    eh so entrar nos artigos do arquivo e veras. O proprio espetaculo ANCHORPECTORIS aqui no proprio La MaMa, 2004 no inicio do Blog, amplamente divulgado pelo Blog, era POLITICISSIMO e era sobre a eleicao daquele ano entre Kerry e Bush

  302. Garganta

    Caro Vampiro,

    Para concluir, digo que soou extremamente arrogante a sua acusação de que há pessoas doutrinadas e etc., parece que você está além do bem e do mal. Isso não existe. Você tem suas crenças também.

    Com os melhores cumprimentos,

    Garganta.

  303. gthomas

    Sempre falei de Walter Benjamin,
    Freud
    Canetti
    Marx
    Leonard Berstein
    Hebert Von Karajan
    Samuel Beckett
    Richard Wagner
    Adolf Hitler
    Stalin
    Tito
    Vlacav Havel
    Lacan
    Roland Barthes
    George Bernard Shaw
    Nelson Rodrigues
    O Bloomsbury group
    Hugh Hudson
    Stanley Kubrik
    A CONTRACULTURA AMERICANA
    Hendrix (quer mais politico que hendrix?)

    a queda do Word Trade Center: Mais politico que isso?
    AUSCHWITZ
    Dachau
    Buchenwald
    Terceiro Reich
    I guerra
    2 guerra
    todas as guerras
    as idioticas guerras
    as emboascadas culturais

    presos de consciencia: Amesty International

    AMNESTY INTERNATIONAL

    RUSSELL TRIBUNAL

    ETC

  304. Garganta

    Caro Gerald,

    Pois é, eu só acompanhei o seu trabalho cá no blog. Aliás, preciso me corrigir, porque arte autônoma da vida política( da realidade), acredito não ser arte por excelência.

    Com os melhores cumprimentos,

    Garganta.

  305. Garganta

    Caro Gerald,

    Corrigindo-me mais ainda: acho que não existe arte afastada do mundo.

    Com os melhores cumprimentos,

    Garganta.

  306. gthomas

    Sao esses os assuntos RECORRENTES NA MINHA VIDA

    ASSIM COMO RICHARD NIXON

    JFK

    MCMILLAN

    CHURCHILL

    EDWARD HEATH

    THATCHER

    JAMES CALLAGHAN ATE GORDON BROWN

    PASSANDO PELOS CARTERS E REAGANS E BUSHES E OUTROS ARBUSTOS E LULAS E FHC E HELMUT SCHMITS E KOHLS E SEI OS PRESIDENTES E PRIMEIROS MINISTROS DO MUNDO E OS DA ONU COMO O BUTROS BUTROS GAHLI OU O PERES DE CULHAO ATE O KOFI ANAO, ATE NADA,

    COMO UM GODOT

  307. gthomas

    PORQUE ASSIM EH O MUNDO

    UM CONSTANTE ASSASSINATO DE IDEIAS

    UM CONSTANTE ASSALTO AOS QUE VEM E AOS QUE VAIO

    COMO EU PODERIA DEIXAR DE ASSALTAR O IDIOTA DAQUELE ANAOZINHO ESPANHOL COMO O ARRABAL EM MAIO PASSADO EM PORTO ALEGRE?

    Era tudo sobre a Guerra Civil Espanhola e portanto FRANCAMENTE>>>>>>

  308. Glorinha

    Gerald, 13:22
    doce isso….muito suave…
    [[]]

  309. gthomas

    COMO EU PODERIA IGNORAR LORCA
    SE JA MONTEI LORCA

    OU PIRANDELLO

    OU EZRA POUD

    OU GERTUDE STEIN

    OU PICASSO

    OU FRANCIS BACON

    OU O MAIS POLITICO DE TODOS OS POLITICOS?

    (PASMEM) ……WILLIAM SHAKESPEARE.

    tenham um bom dia

    GELO aqui em NY , NJ e vizinhancas

  310. Garganta

    Caro Gerald,

    Mas confesso: seria muito mais agradável um blog mais de Estética do que Ética e Filosofia Política. Você ficaria muito mais a vontade, acredito.

    PS: Claro, não nego, você sempre falou de arte cá( pode continuar falando, quem sabe).

    Com os melhores cumprimentos,

    Garganta.

  311. Glorinha

    Bom dia todos!!!

  312. sue (Preocupada)

    Bom Dia caros amigos (sim em NYC ainda sao 10:43am)

    Fica ate chateada lendo os comentarios….
    Voces nao conseguem se **deterem*(Lerem) o texto de Gerald , com o que realmente ha de MAGNIFICO…a ternura , a poesia…o coracao…dentro do texto….

    Politica…(Tudo sempre acaba em Politica…ate a cor da beterraba se entrar num Blog vai acbar em Politica)
    Somos gentes inteligentes vivemos num mundo globalizado aonde tudo tem politica…

    E aonde entra Politica , Religiao e Futebool , nao tem hunaminidade…sempre haverao divergencias de ideias !!!

    Quem pode falar de Portugues bem ou mal escrito???

    Gente ***Hello** , tem muito mais nesse texto…e em todos aqui no Blog , tem coracao…tem alertas para despertarmos para o MUNDO….sacudir…..protestos…para quem sabe possomas **abrindo a boca , protestanto fazermos a diferenca….
    E nao somente sermos mais um na multidao….

    Claro que nimguem precisa concordar com TUDO (Nem teria graca) , mas nao massacrem apenas por massacrar as pessoas….

    Ate estao dando importancia ao **chocolate….pelo AMOR de meus filhinhos…..

    Vao muito ao pe da letra…..nao veem com a emocao e o sentida da **acao**….

    Bom pessoal…so passei aqui pois nao consigo ler e ficar calada….

    Beijos

    Sue

  313. Garganta

    Caro Gerald,

    Se você, por exemplo ( pode ser em qualquer lugar), assistir na FFLCH, no prédio do meio, uma aula de Estética e outra de Ética e Filosofia Polítca, você observará o clima diferente de ambas as aulas. Na primeira, a de Estética, você poderá discutir arquitetura, o porquê no mundo contemporâneo os museus tornarem-se a obra de arte, será bom? Qual a função do museu? Quais museus? E etc.

    Numa aula de Filosofia Polítca é um clima diferente, um clima meio de Trevas. Qual o porquê de um dominar o outro, será justo? e etc.( é legal para quem é tarado por conflitos, Estado e etc.)

    Por que não refletir, Gerald? Talvez seja interessante você colocar mais eloqüencia em temas de arte, nos seus textos. O público muda, se isso lhe insatisfaz

    Com os melhores cumprimentos,

    Garganta.

  314. Glorinha

    Gerald,
    sol aqui e nas vizinhanças…hora de um sorvete!!! rs….
    abraços todos,

  315. ezir

    FÁBIO!!!! oiiiiiii!!! REMEMBER ME , ezir ? EU ESTOU SIM ASSISTINDO Á MINI-SÉRIE E É TUDO SIMPLESMENTE DIVINO NA MAÍSA, NA HISTÓRIA E OPÇÕES E PERSONALIDADE DELA. Estou MUITO FELIZ da GLOBO TER TIDO ESTA INICIATIVA e GRAÇAS A DEUS que a HISTÓRIA DA MAMMMMAAAA LINDA CANTORA ORIGINALÍSSSIIMMMMAAAAA, AUTÊNTICA , PODEROSA, QUE OUSOU VIVER À SUA MANEIRA E MODA , SUA VIDA PRÓPRIA …PAGANDO COM A VIDA O PREÇO DE ENCARAR A MÍDIA …SÓ “PIXANDO” O NOME E A VIDA PRIVADA DELA. Como EU GOSTARIA de ter podido ESCREVER PRA ELA e FAZÊ-LA MUDAR O INCONSCIENTE DELA que ACABOU SEM QUERER TENDO ‘IMPULSOS” DE AUTO-DESTRUIÇÃO POR ESTAR VIVENDO O MAL DA ‘MELANCOLIA”. Esta palavra É TODA MELODIOSA ,mas segundo meu PSICANALISTA ESCRITOR Dr. Mauro DiaS que explica bem A CAUSA DA MELANCOLIA em ” neuroses e depressões”( Instituto de Psiquiatria de Campinas) QUE É O GRAU BEM PIOR que A DEPRESSÃO ( que É UMA POSIÇÃO PRÉ-EDIPIANA DA PESSOA SUJEITO, pós experiências das PRIMEIRAS SEPARAÇÕES da MÃE em que A PESSOA não CONSEGUE UMA GUARANTIA DO OUTRO, UMA REFERÊNCIA SUBSTITUTA para ARTICULAR OS MOTIVOS E COMPREENSÃO OS PORQUÊS DE UMA SEPARAÇÃO. Na DEPRESSÃO , O SUJEITO ( DIVIDIDO, FERIDO EMOCIONALMENTE, MARCADO PELA SEPARAÇÃO) NÃO CONSEGUEEEE FAAAAALLLLAAARRR…E ELE SE DEMIIIIIITTTEEEEE DE TENTAR ULTRAPASSAR SEUS PROBLEMAS DE SEPARAÇÃO por ORGULHO FORTE e FALTA DE UMA PESSOA ESCOLHIDA, falta de ESCOLHAS Á VISTA). Na MELANCOLIA, como da MAÍSA, a pessoa PASSOU POR TUDO COM TODA A FORÇA ( Ela ADORAVA O ANDRÉ MATARAZZO, ADORAAAVAAAA O CASAMENTO….MAS , ELA ERA DISCRIMINADA PELO NOME DA FAMÍLIA MONJARDIM, como EM ROMEU E JULIETA , AQUELAS FAMÍLIAS TRADICIONAIS que COBRAM MUITO E RECHAÇAM OS FILHOS P SEGUIR SÓ UM PADRÃO . Como nas FAMÍLIAS REALEZAS , como A PRINCESA DIANA,entende , FÁBIOOO???)…Só que chega UMA HORA que ELA PRECISAVA DE UMA FORÇA DE AMIGOS E DE REFERÊNCIAS para LUTAR CONTRA A CLASSE SOCIAL E A MÍDIA NOS ANOS 50 E 60 , extremamente EXCLUSIVISTA E MORALISTA , capaz de CRIAR , por exemplo, UMA REVISTA COM O NOME DE ” ESCÃNDALOS” …com jornalistas q vinham entrevistá-la só JOGANDO COM RISINHOS DE INTERESSES E FOFOCAS CARREGADAS DE MÁ-FÉ E “JOGADINHAS SEXUAIS” desmerecendo e desvalorizando O TEMPO TODO A BELEZA, O DOM , TALENTO , CARISMA, SENSIBILIDADE DE UMA GRAÇA DE DEUSA que a MAÍSA possuía. InFELISMENTE, com aquela riquesa TODA, AQUELA BELEZA DIVINA, FASCINANTE, ela FICOU REALMENTE SÓ com UMA AMIGA , e até COM OS HOMENS !!! cOmo ERAM CEGOSSSSSS , os homens dos anos 50! acho q porque havia muito GLAMOUR E COMPETITIÇÕES com o advento DA MÍDIA DO RÁDIO E MUITOS TALENTOS, MULHERES BEM VESTIDAS, RICAS, BELAS , principalmente! Então, a MAÍSA não teve A SORTE MAIOR DE ENCONTRAR HOMENS DE VISÃO DE UMA VERDADEIRA MULHER DIANTE .BEM DO NARIZ DELES . Como foi o CASO DO BOBO, “UMA MARIONETE DO SISTEMA” , o Ronaldo Bôscoli, que competia com ela pra ela GRAVAR UMA MÚSICA DELE, E TRANSAVA ELA , só POR INTERESSE, por AVIDEZ ESTÚPIDA!!!
    Infelismente, EU perdi OS PRIMEIROS CAPÍTULOS, mas FIQUEI PENSANDO ATÉ EM COMPRAR O DVD. É IMPERDÍVEL A HISTÓRIA DE VIDA DELA …e UMA VOLTA AO TEMPO RECENTE MARAVILHOSA com uma reconstituição dos RESTAURANTES DOS HOTÉIS COM SHOWS DE GALA, bem à moda do CASSINO DA URCA! Tempos de GLÓRIA e de GLAMOUR ORIGINAL SEM CÓPIA DO MODO DE VIDA HOLLYWOODIANO que vimos NOS FILMES CLÁSSICOS , A INESQUECÍVEL SENSUAL SEX-APPEAL CLÁSSICO RITA HAYWORTH ou MARLENE DIETRICH, OU A MARILYN MONROE !!!!!
    fÁBIO : A MÁISA foi a NOSSA MARILYN MONROE MAIS BEM COMPORTADA QUE JAMAIS O MUNDO VIRÁ IGUAL!!! Ela é a NOSSA BABY-BOOM PIN-UP CLÁSSICA, ÍCONE DE UMA PRINCESA REAL BRASILEIRÍSSIMA, E DIGNA DE RESGATAR A MEMÓRIA DA COITADA DA IMPERATRIZ LEOPOLDINA que FOI MORTA , JOGADA ÁS ESCADAS por um MARIDO que NÃO SOUBE RECONHECER AS GRANDEZAS DE UMA MULHER DE VIRTUDES E ATRIBUTOS FEMININOS HUMANOS OS MAis
    DIGNOS DE SEREM SEGUIDOS por qualquer MULHER NOBRE E SOBERANA, encarnação DO SIMPLES e MAIS MAJESTOSO que se possa existir na fACE DA TERRA. Como a princesa SISSY, da Áustria, A RAINHA CATARINA , da RÚSSIA também!!!
    PENA que a ETERNA MAÍSA SENSÍVEL não conseguiu DRIBLAR A TRAMA DAS MÁS-LÍNGUAS SOCIAL como a RAINHA CATARINA!!! que pena!!! nos RESTOU …ESTA MINISÉRIE!!! SAUDAÇÕES COM O GOSTO DA INTERAÇÃO VIVAZ com VOCÊ , FÁBIO ( DA CAMISA AZULLLLLLLLLLLEEE!!!! ). de Ezir

  316. …………………………caro,…Lúcio flávio jr…..(passageiro da agonia)…….
    ……………………………………………………………………………………………………………..
    ………………….Pelo menos eu assumo que tô assistindo,..
    ………………………………………………né…?!……………….
    ……………………………………………………………………………………………………….
    …………………………………(a mini série,…maísa)….
    ………………………………………………………………………………………………………..
    …………………………………piór é o résto do blóg,……..
    ………………………………………………………………………………………………………..
    ………………………………………………………………………………………………………..
    ……………………………….que tão assistindo e entram
    ……………………………..aqui fingindo que não sabem
    ………………………………………….de nada….!!.
    ………………………………………………………………………………………………………..
    ………….só prá não tomarem comida de rabo do dramaturgo….!!
    ………………………………………………………………………………………………………..
    ……………………….Quanto a você associar os Matarazzo,……………….
    ………………………………………ao Eduardo e a Marta,………………………..
    ………………………………………………..hunnn,………………………………………….
    ……………………………………………………………………………………………………….
    ……………………………é muita forçação de barra,…………né,..
    ……………………………………….meu aguniado…..!!!….
    ……………………………………………………………………………………………………….
    …………………………..Tenta outra pegadinha,….vai,……!!?
    ……………………………………………………………………………………………………….
    ……………………………………………………………………………………………………….
    …….Qui tal falá que o império Matarrazzo RUIU,…..por causa do,….
    ………………………………………………PT….!!!
    ………………………………………………………………………………………………………
    ………………………………………………………………………………………………………

  317. gthomas

    Garganta
    Obviamente vc quer me incluir numa categoria a qual eu nao pertenco! Se quer um blog sobre Etica ou estetica ou a etica da estetica ou a filosifia de ambos ou o que Wittgenstein achava sobre isso ou o que Heiddeger ou Arendt ou Sontag teriam a dizer sobre isso, please procure o Blog dos Derridas, dos Baudrillacs dos que seguem os chatoides,
    NAO SOU EU
    sinto muito por voce

    “Mas cheguei onde cheguei”

    e, alias, nao preciso de pseudonimos!

  318. gthomas

    MOMENTO DE IRONIA NA TRAGEDIA DAQUELE QUE EXIGEM ALGO QUE NAO POSSO DELIVER

    DELIVERING DESCARTES

    TEM O FOUCAULT

    E TEM O PENDULO DE FOUCAULT

    E AMBOS NAO “ECO”am dentro de mim o tanto quanto deveriam

  319. ……………………………………………EZIR,..
    ……………………………………………………….
    ………………………………………..meu ãnjo,…
    ………………………………….como eu poderia……..
    ……………………………………………………………………………………………………..
    …………………………………esquecer você…????
    …………………………………………………………………………………………
    ……………………….Com esse seu “estilo..”,..literário ……………………………………..inconfundível……!!!……………….
    ………………………………………………………………………………………………………..
    …………………………………..Acabei de “ler..”,… teu coment,…
    …………………………..e já liguei prá uma ambulância do
    ………………………………………………SAMU…!!…
    ……………………………………………………………………………………………………….
    ………………………………..Quase tíve um derrãme,….
    …………………………………………. CELEBRAL…….
    …………………………………seguido de labirintite
    ……………………………………………… AGÚDA..!!!
    ………………………………………………………………………………………………………..
    ………………………………………………………………………………………………………..

  320. Ivo Veiga

    Fábio vc. por aqui? ué vc. não queria que eu ajudasse nas músicas de seu projeto, vc. não falou mais nada.
    Garganta, o professor(de artes florais, ikebana, origami) e coisas afins continua subindo nas tamancas ele(a) é nervosinho.
    Abraços
    Ivo
    PS: agradável surpresa em saber que o blog continua.

  321. Ivo Veiga

    Agora terei umas 3 horas de puro prazer e felicidade, vou formatar essa merda de pc.
    Abraços
    Ivo

  322. ……………………………………oi IVO,……………………………………………………………!
    ……………………………………………………………………………………………………………
    ….Calma,………………………………vou te contactar,………beleza..?!
    ……………………………………………………………………………………………………………
    ………………………..Ainda não acabei o storyboard,………..!!!…do 3º filme.
    …………………………………………………………………………………………………………..
    …………………………………………………………………………………………………………..

  323. Ivo Veiga

    Fábio esqueci meu endereço no MSN voltou a ser ivoveiga@hotmail.com
    agora vou formatar.
    Abraço
    Ivo

  324. Garganta

    Caro Gerald,

    Não entendi se você ficou chateado com a minha pessoa. Bom! eu realmente escrevo absurdos, e, com isso, não revelo meu nome ( vai que alguém que eu conheço lê aqui também). Mas o Platão escrevia por meio de Sócrates, né? ( longe de me comparar a esse gênio), então Deus me perdoa.

    Não sei se você me entendeu, eu disse que se você está insatisfeito com os conflitos e brigas no blog, talvez seja interessante você mudar a abordagem do blog( talvez resolveria). Eu, por exemplo, prefiro do jeito que está. Mas se for para ele cessar de existir, porque você está insatisfeito com os comentários, por que não mudá-lo para outro formato?

    Com os melhores cumprimentos,

    Garganta.

  325. …………………………tudo bem,…. IVO…!!
    ………………………………………………………….bom trabalho,…aí no pc..!!
    ………………………………………………………………………………………………………………

  326. Garganta

    EMENDA ( DO MEU COMENTÁRIO ANTERIOR):

    Eu prefiro do jeito que está. Mas também não nego que prefiro suas abordagens mais artístiscas, digamos assim.

    Com os melhores cumprimentos,

    Garganta.

  327. gthomas

    Garganta
    se um dia eu precisar de Conselhos, irei pra alguem que tenha nome, Social Security Number etc (rs). Platao vindo de uma Throat is HARDY , sorry, hardly believable.
    agora, insatisfeito estou e ficarei. mas esse eh um problema exclusivamente MEU, excuse me, MINE

    Ivo e Fabio, vcs obviamente tem os respectivos emails e fones um do outros, msn ou skypes etc, por favor evitem usar o Blog como campo de mensagenzinhas. Please!
    aqui ou se comenta ou se come pimenta! como o pai do Mainardi

  328. Garganta

    Caro Gerald,

    Eu reli meus comentários e , de fato, passei um pouco de arrogância, pois eu sugeri que você fosse assistir aulas. Mas a minha intenção ( o inferno está cheio de boas intenções, eu sei) foi expor que você pode abordar de dois modos em seus textos, talvez seja favorável para você ( você é que deve refletir isso) uma mudança.

    Com os melhores cumprimentos,

    Garganta.

  329. Garganta

    Caro Gerald,

    Juro que escrevi esse meu último comentário sem ler a sua resposta.

    Com os melhores cumprimentos,

    Garganta.

  330. Ezir.
    Eu tambem te amo.
    Voce é magistral.
    Eu sou um cara que desafia os psiquiatras, os psicólogos.
    Eu saio da melancolia, da fossa, da depressão num estalar de
    dedos. Não sei me mutilar, encher a cara, me drogar para atingir os outros.
    Me jogo para fora e tudo bem, a vida continua.
    Depois que comecei a estudar jogos, tudo na vida é um jogo,
    eu mudei, volto a dizer que o mundo é estocástico.
    Tudo é conceitual.
    A Cristina disse que o Terceiro Reich é burro.
    Concordo com ela.
    A obdiencia cega é burrice.
    A presunção de ser infalível, superior, insubstituível é burrice.
    A vida muda a cada instante.
    A paixão é burrice.
    O fanatismo é burrice.
    O ser humano começa a deixar de ser burro, idiota
    quando ele começa a entender a si próprio.
    Quando ele sabe os seus limites, a sua capacidade intelectual.
    Quando ele sabe que a vida acaba logo ali, no virar da esquina.
    Todo o orgulho, toda vaidade não serviu para nada.

  331. Garganta

    Caro Gerald,

    Eu reflito até sobre pichações, coisas que pessoas humildes falam nas ruas e etc. Portanto não acredito ser um problema, você –observar– as coisas que digo ( valor não se mede pela autoria, acredito). Aliás, o Sócrates platônico anda pelas ruas dialogando com as pessoas comuns. É uma atitude de gente alta.

    Com os melhores cumprimentos,

    Garganta.

  332. Ana

    puxa ezir, adorei a sua explicação sobre melancolia.
    muito mesmo.
    agradeça ao seu psi.
    beijos

  333. Ana Guimarães

    Gerald, como você não me respondeu, receio que não tenha recebido meu cartão de Boas Festas com a foto do Felipe (primeiro neto) vestido de Papai Noel, ao lado do poema Esperança, do Quintana… Transcrevo-o:

    Lá bem no alto do décimo segundo andar do Ano
    Vive uma louca chamada Esperança
    E ela pensa que quando todas as sirenes
    Todas as buzinas
    Todos os reco-recos tocarem
    Atira-se
    E
    — ó delicioso vôo!
    Ela será encontrada miraculosamente incólume na calçada,
    Outra vez criança…
    E em torno dela indagará o povo:
    — Como é teu nome, meninazinha de olhos verdes?
    E ela lhes dirá
    (É preciso dizer-lhes tudo de novo!)
    Ela lhes dirá bem devagarinho, para que não esqueçam:
    — O meu nome é ES-PE-RAN-ÇA…

    Querido, sabemos o quanto é difícil para quem tem sensibilidade artística, suportar (mais) esse absurdo. Você leu “Entre nós: um escritor e seus colegas falam de trabalho”, do Philip Roth, quando publicado, em 2001, nos Estados Unidos? Só agora chega a (primorosa) tradução de Paulo Henriques Britto, e um dos temas abordados é a condição de judeu (são 7 dos 10 escritores discutidos, além do artista plástico Philip Gaston).
    Que em 2009 você continue a nos brindar com textos lúcidos, conscientes e loucos! Aqui, no teatro ou em qualquer lugar!
    Beijo,
    Ana Guimarães

  334. gthomas

    Ana Gui
    de fato nao recebi
    pra onde mandou?

    Bem o que importa eh que te AGRADECO imensamente.
    comentarios nao serao liberados imediatamente por um tempo agora

    LOVE
    G

  335. O Vampiro de Curitiba

    Pessoal, mandem ver nos comentários que o Vamp libera geral!

  336. Nina

    Pacheco…

    marinheiro é marinheiro…
    disse que eu não sabia nada sobre 64, e estou até agora esperando essa conversa.

    Bom, para os que “viveram” de alguma forma 64, preciso muito conversar sobre.

    quem puder ajudar:
    Nynnah.nina@gmail.com

    Thanks

  337. O Vampiro de Curitiba

    Putz!!! Foi só eu dizer que liberava geral, já tive que excluir o primeiro que apareceu…

    Garganta, não escreva tipo Geeee…. ( infinitamente) porque desconfigura a página toda….

  338. Garganta

    Caro Vampiro,

    “Pessoal, mandem ver nos comentários que o Vamp libera geral!”( Vampiro)

    Mentira. Puxa! o que tem de errado na seguinte frase: “Eu vou puxar sua perna à noite, se você encerrar o blog”. Não entendi a censura?

    Com os melhores cumprimentos,

    Garganta.

  339. O Vampiro de Curitiba

    Isso, Garganta!!!
    Assim tá legal!
    É que se escreeeeeeeeeeeee….ver desse jeito desconfigura a página inteira, respondí abaixo.

  340. Garganta

    Caro Vampiro,

    Entendi, obrigado. É que pareceu um negócio fantasmagórico.

    Com os melhores cumprimentos,

    MR. THROOOAAAAT.

  341. Nina

    acho que é a hora…

    para todos:

    lindo, lindo, lindo polaco Gessinger, dizendo o que precisamos ouviir

    http://br.youtube.com/watch?v=1f9pFw0hVHk

    BOA NOITE

  342. Garganta

    Caro Gerald,

    “…agora, insatisfeito estou e ficarei.” Para quem tinha dúvidas se há amanhã, ou existe mundo, realmente é um progresso.

    Com os melhores cumprimentos,

    Garganta.

  343. Garganta

    Caro Vampiro e Gerald,

    Notícia da folha:

    http://www1.folha.uol.com.br/folha/mundo/ult94u488615.shtml

    Pois é! Crime e Castigo. O castigo vem a cavalo.

    Quantos novos recrutamentos e investimentos o hizbollah recebeu nesse tempo, hein? Quantos o HAMAS vai receber depois? Os terroristas estão mais vigorosos.

    Com os melhores cumprimentos,

    Garganta.

  344. Garganta

    Caro Gerald,

    Como dar argumentos para grupos terroristas:

    “O Hizbollah, considerado uma potência militar e política na região, disse que estava “pronto para rebater Israel no caso de ataque”. Ao menos três foguetes Katyusha foram arremessados para Israel do sul do Líbano nesta sexta-feira (9), em um contra-ataque a ofensiva israelense.

    Wissam Nassar/Xinhua

    Garoto palestino passa por ruínas de casas em Zeitoun, na cidade de Gaza; Israel irá aumentar ofensiva ao território palestino
    Hoje, o grupo organizou uma manifestação no sul do Líbano com cerca de 20 mil libaneses que pediram o fim do conflito. O líder parlamentar do Hizbollah, Mohammed Raad, afirmou no entanto que o grupo não está envolvido militarmente no conflito em Gaza”( FOLHA, NO MEU COMENTÁRIO ACIMA O ENDEREÇO)

    Com os melhores cumprimentos,

    Garganta.

  345. Luciana

    The love wins in the end (T.Tzion,israelita)

  346. Ana Guimarães

    Mandei pro dryopera… não mais? Agora é pro ig, é isso?

  347. Garganta

    É História: não há população no mundo, que, depois de ser humilhada, derrotada, e sem ajuda posterior de seu inimigo, não volte a atacá-lo e não permaneça com o mesmo comportamento combatido. Israel tem intenções de estabelecer a civilização para os palestinos após matar uma porção?

    Com os melhores cumprimentos,

    Garganta.

  348. santanna

    Sr. Thomas,

    Que bom que o sr. voltou.

  349. santanna

    Garganta, que bom que o seu bote não afundou!
    Pelo que já percebi, seria uma perda irreparável para o divertimento por aqui, hehe!

    Bem, segue modesta contribuição, poética, para o blog:

    Motivo da Rosa/ Cecília Meireles

    Não te aflijas com a pétala que voa:
    também é ser, deixar de ser assim.

    Rosas verá, só de cinzas franzida,
    mortas, intactas pelo teu jardim.

    Eu deixo aroma até nos meus espinhos
    ao longe, o vento vai falando de mim.

    E por perder-me é que vão me lembrando,
    por desfolhar-me é que não tenho fim.

    abraços a todos

  350. Luciana

    Estou em estado de choque.Petrificada, estou assim desde ontem, na frente do pc.Meu olhar está perdido.Já que não consigo sair da frente do pc, estou relatando o que está acontecendo.

  351. Reinaldo Pedroso

    10/01/2009 – 13:03
    Enviado por: Garganta
    “Caro Reinaldo Pedroso,
    (…) Sugiro também que o senhor deixe de ser o famoso p.n.c, entende? Eu lhe confiro o título de SENHOR MEXERICA ( em razão das suas intrigas).(…)
    Garganta.”

    O que é “p.n.c”?
    Que intrigas?
    Reinaldo

  352. O Vampiro de Curitiba

    Pessoal,estou no litoral catarinense, mais especificamnete na Praia de Bombinhas, minha conexão está péssima.
    Se os comentários não forem liberados imediatamente, não estranhem.

  353. Reinaldo Pedroso

    10/01/2009 – 08:50
    Enviado por: Reinaldo Pedroso
    09/01/2009 – 17:19
    Enviado por: Ivo Veiga
    “Caro Garganta você também teve problema com o Reinaldo Pedroso, fazes parte do clube, começou com Gerald passou por mim e foi em frente, ele está se tornando uma unanimidade. Acho que encontrastes a frase correta “ELE É MAL COMIDO”.
    Disse tudo.
    Abraços
    Ivo”

    Coronelzinho de merda, valente de retaguarda, valente de teclado, deixei um recadinho pra ti no post anterior.
    Reinaldo

    Eis o recadinho:

    08/01/2009 – 20:08
    Enviado por: Reinaldo Pedroso
    08/01/2009 – 15:36
    Enviado por: Ivo Veiga
    (…) Fábio, meu caro foi sugerido que vc. poderia ser o Reinaldo Pedroso, (…)
    Ivo”

    Quem “sugeriu” que o Fábio “poderia” ser eu, coronel de merda? Como já disse para o Gerald, basta rastrear-me. Vocês são especialistas nisso.
    E mais, merda de coronel, como sabes onde moro, em vez de “sugerir” que eu vá até o Comando Militar do Sudeste, onde estarás me esperando para por a tua “bela Imbel 9mm” na minha cara, vem fazê-lo aqui. Basta avisar-me o dia e hora de chegada que entrarei em contato contigo.
    Aqui tem um ótimo “Hotel de Trânsito do Exército Brasileiro”, tu sabes.
    “Sugiro” que te encontres comigo sózinho.
    Reinaldo

  354. santanna

    Sr. Reinaldo Pedroso,

    Além do Sr. Thomas, vc ‘é o cara’!
    Sua postura é sempre irretocável.

    abraços

  355. Garganta

    Cara Santanna,

    Gostei da contribuição poética. Eu também vou contribuir(SUGIRO TODOS OS LEITORES PARA FAZER O MESMO):

    ” Leve, leve, muito leve,
    Um vento muito leve passa,
    E vai-se, sempre muito leve.
    E eu não sei o que penso
    Nem procuro sabê-lo. ”

    Cia das letras, p.38, Alberto Caeiro( F.P), 2005

    PS: Gerald, os pseudônimos comandam.

    Com os melhores cumprimentos,

    Garganta.

  356. Reinaldo Pedroso

    10/01/2009 – 12:51
    Enviado por: Garganta
    “Caro Reinaldo Pedroso,
    (…) Quanto a Santanna, você se enganou, eu queria mostrar para ela como é feio uma mulher escrever coisas agressivas( eu acho isso horrível). Então, resolvi persuadi-la com textos horríveis endereçados a ela ( para ela sentir nojo)”.

    Mentira cínica!
    Quem pensas que enganas?!
    Sem o artifício das citações, o conteùdo das tuas mensagens é exatamente aquela merda que escreveste para a Santanna e essa outra merda aí em cima.
    Reinaldo

  357. ……………………………..gentém,…….ólha o níver…..!!!??……………………….
    …………………………………………………………………………………………………………….
    ………………………………….Ficá falando palavrão a tôa,..
    ……………………………………tem meninas no recinto,……………….
    ………………………………………….vãmo respeitá,..
    ………………………………………………gentén….!!!……………………………………..
    ……………………………………………………………………………………………………….
    …………………………………….Viu Reinaldo pedroso,..
    ………………………………………………..baxá o níver,..
    ……………………………………………..não é o canal…!!!………….
    ……………………………………………………………………………………………………….
    ……………………………………………………………………………………………………….
    …………………………………..E o IVO,…é mó cara legal….!!
    ……………………………………………………………………………………………………….
    ……Ele falou aquilo da 9mml,…..só prá te enchê a paciência….!!
    ……………………………………………………………………………………………………….

  358. Tene Cheba

    Meu primeiro patrão,(nome horrível, é por isto que os homens adoram o comunismo, certas mulheres também), era Judeu, um senhor Judeu, nada de mais, nada de menos.Mas, na entrevista técnica, me perguntaram qual era a minha religião, respondi, católico, de fato eu sou.Hoje trabalho para um Judeu, ele não me conhece, mais eu o conheço.Este, um notável Ser Humano, todos, repito todos, falam muito bem dele, humanista, simples, mais, não renega seus antepassados, tem fixação pelo Holocausto, já participei da construção de um ensaio para expor objetos da terrível época. Não tenho “pena”, porque esta piedade não lhes cabem, não são dignos de pena, ou da pena, são seres que a humanidade amargurou, são seres corretos, amáveis, humanos, muitas vezes gênios.Eu, nada tenho contra os Humanos, mas lamento profundamente, toda e qualquer ortodoxia, lamento todos os mísseis que lançamos contra nós.Tudo que é dividido, dói, Gerald Thomas, Muitos Amigos, todos divididos, muitos gritam, outros choram e, outros mantém o inaudível silêncio, ou o falso grito de guerra. Não é fácil se tornar humano, mas muito mais díficil se manter humano. Engraçado, que ambos não comem porcos, nem camarão, qualquer imagem contém a heresia da adoração.Não entendo, mesmo.

  359. Rômulo B. Pereira

    10/01/2009 – 19:01

    Enviado por: Garganta

    É História: não há população no mundo, que, depois de ser humilhada, derrotada, e sem ajuda posterior de seu inimigo, não volte a atacá-lo e não permaneça com o mesmo comportamento combatido. Israel tem intenções de estabelecer a civilização para os palestinos após matar uma porção?

    Com os melhores cumprimentos,

    Garganta.

    ===================================================

    Prezado Garganta,

    Israel quer fazer da faixa da Gaza um mix de México com Apartheid. Aqueles que não forem exterminados, serão aproveitados como empregados nas residências luxuosas de Jerusalém! Os Judeus praticam o genocídio com a aprovação do Tio Sam. Afinal, vc acha que com essa crise internacional o Barack vai falar alguma coisa? Quem vc acha q manda na mídia do entretenimento, informação e economia americana? Os Spielbergs, Katzembergs, Geffens, Goldsmiths, Bernsteins, Safras…

    Esta posição Israelense é muito estranha, pois eles tem um “historical backgound” de perseguição que remonta milênios: Babilônia, Grécia, Império Romano, toda a idade média… Ufa! Parece até a história do nordestino que vem morar na cidade grande, não se adapta e ainda trás a zabumba e o triângulo pra ficar enchendo o saco de quem não gosta desta merda! No final, vem com aquele papinho de que é perseguido?! Porra! Será que todo o mundo estava errado e só os Judeus é que estavam certos? Dá um tempo! Esse marketing já tá mais do que batido. Nada justifica o que foi feito com o povo Judeu. Nada mesmo! Mas não vem com esse papo furado de que os Palestinos são o mal da humanidade e que vão exterminar o resto do mundo, pois eu não acredito. Na verdade, existe muito Judeu clarinho e de olha azul que adora ouvir Wagner ( Se é que vc me entende).
    Talvez o que eles queiram mesmo é fazer uma “faxina” étnica”. Em outras palavras, exatamente o que aquele “freek” do Hitler queria fazer!

    Rômulo

  360. Garganta

    Cara senhorita Santanna,

    Eu já disse que quero fazer uma peça a respeito do filme E O Vento Levou( GONE WITH THE WIND[um título tudo a ver com nossos poemas]). Daí eu desejo fazer o personagem Rhett ( Clark Gable), a senhorita pode fazer o papel de Scarlett( Leslie Howard), e, por outro lado ( o lado negro), o senhor Mexerica ( Pedroso) pode fazer o papel do cavalheiro ( nem tanto) Ashley. O Gerald, eu já providenciei, será o diretor.

    PS: Ainda falta alguns detalhes.

    Com os melhores cumprimentos,

    Garganta.

  361. Garganta

    Vou me ausentar, preciso jantar.

    Com os melhores cumprimentos,

    Garganta.

  362. Tene Cheba

    Uma das muitas frases do meu Pai, amável Pai, que eu gosto muito, era essa, ” uns nascem para ser rei, outros para ser súdito”, bom, eu nasci para ser súdito, porque se fosse rei, teria que dividir alguém, teria que matar alguém, teria que esconder as minhas minas, pior, teria que escutar a rainha.Não, prefiro meus ouvidos descolados da insensatez., prefiro olhar o Pôr do Sol, prefiro votar em que vai ser o meu rei.

  363. Tene Cheba

    Em relação ao meu primeiro comentário, fui aprovado e contratado.

  364. Garganta

    ERRATA( meu penúltimo comentário):

    “Ainda faltam alguns detalhes” . E também ” …; e, por outro lado…”

    PS: Antes que a senhorita Santanna –corretamente– me corrija.

    Com os melhores cumprimentos,

    Garganta.

  365. Tene Cheba

    As vezes, Gustavo Chacra faz bem, é bom ler o seu notável jornalismo. Me faz bem prá cacilda.

  366. Garganta

    Caro Rômulo,

    Eu tenho o desejo de saber o que Obama pensa. Mas ele não quer se envolver em discussões. Eu li ( folhei, na verdade) o livro dele “The audacity of Hope”, observei que ele é favorável a todos os lados, mas na verdade ele é favorável –tão-somente– ao lado pessoal dele. Lamentável.

    Com os melhores cumprimentos,

    Garganta.

  367. Garganta

    Agora preciso ir mesmo.

    Com os melhores cumprimentos,

    Garganta.

  368. Tene Cheba

    Hoje já não é amanhã,
    amanhã nunca chega,
    chega depoiis de amanhã,
    não,não,nunca chegará,
    nem a mesa estará farta,
    nem o simples estará complexo,
    nem a flor murchará, nem o mundo,
    despencará, nem por todos Cervantes,
    nem por todos Machados, nem mesmo,
    todas rosas,o mel darão, todas almas,
    todos os infernos, serão quentes,
    nem todos todos rios correrão leite,
    nem todas as virgens serão virgens,
    nem o mundo mudará, nem o mar aumentará,
    nem os ventos soprarão mais fortes,
    nem a vela amparará o vento rebelde,
    nem eu lamentarei, nem minha antecedência,
    dirá lamento muito.
    Importante,o mundo continuará, muito importante,
    comendo os seus exóticos seres.

  369. Tene Cheba

    Nunca direi jamais,
    na nuca não me verei,
    nem no sangue indiferente,
    vou pagar a conta, quero,
    minha maestria, minha tristeza,
    minha alegria, chega de granadas,
    chega de chegar, vou chegando,
    vou apreciando meu destino,
    que bom, que ruim, que estou,
    vendo o Sol se por por aqui,
    mas quando este nasce,
    eu morro, ou fico, para morrer.
    Não acredito nas Luas, platinadas,
    estão sempre novas e velhas.

  370. Reinaldo Pedroso

    Aqui no Rio Grande do Sul, “garganta” é o mentiroso que conta vantagens.
    Reinaldo

  371. Reinaldo Pedroso

    10/01/2009 – 21:46
    Enviado por: Garganta
    “Caro Rômulo,

    ” (…) Eu li ( folhei, na verdade) o livro dele “The audacity of Hope”, (…)”

    Reinaldo

  372. Ekran

    Cristina,
    concordo com isso que voce postou…e por isso há uma separação dos trabalhos do artista e do intelectual. Quando juntam-se na mesma pessoa, resulta em coisas terríveis.

    Eu leio este blog como parte da mente e do trabalho criativo de um artista, qua dialoga com sua realidade. Talvez por isso, seja um blog diferente de muitos, onde as batalhas ideologicas não dão sinais de terminar.
    – — – – –
    09/01/2009 – 05:25 Enviado por: Cristina

    A prova que o Gerald é artista e não intelectual é que neste blog há um puxa-saquismo que o intelectual não suporta, sente vergonha ao invés de vaidade. Intelectual geralmente é meio seco e muitas vezes very brut.

  373. Reinaldo Pedroso

    Coronelzinho de merda, se não vieres encontrar-me pessoalmente, posso foder ainda mais a tua vida fodida.
    Lembras da sugestão que me deste, de eu registar “queixa” no Comando Militar do Sudeste?
    Tenho tuas miseráveis mensagens e um blog cheio de testemunhas.
    Reinaldo

  374. Reinaldo Pedroso

    registrar*

  375. gthomas

    DE FATO TEMOS UM BLOG DEMOCRATICO

    OPINIOES VINDAS DE TODOS OS LADOS

    ATE DOS UMBIGOS.

    O QUE NAO VEM A SER DE TODO RUIM

    PASSIONAIS.

    O QUE VEM SER ATE MUITO BOM

    Thanks

    10 dias pra posse do nosso querido Obama,

    wow, que loucura emocionante!

  376. Ekran

    O que considero terrivel em outros blogs é o “filtro ideologico”, que dá um tom monocromatico nas ideias, todas direcionadas “contra” ou “a favor” de algo ou alguem.

    Para quem ainda não viu as entrevistas do Gerald no site UOL, eu recomendo. O blog vai na mesma direção, só que numa conversa de varias vozes, varios temas, o que não deixa de ser revelador do que se passa na nossa esquizofrenia por (e atraves da) informação.

    Ontem assiti “Adeus, Lenin” e me admirei em como mudamos nossa historia por razoes triviais. A queda do muro contada no lado da Alemanha Oriental ficou divertida.

    Hoje eu vi “Ensaio sobre a Cegueira”, que é um abraço da morte para quem acredita no progresso da civilização.

    Estamos todos cegos. Mesmo depois da queda do muro.

  377. gthomas

    Da FOLHA

    Nova York espelha conflito em Gaza
    Com grandes comunidades árabe e judia, cidade se mobiliza em protestos, resume tensão e racha na opinião pública internacional

    Palestinos reclamam de manifestações de apoio a Israel do prefeito e do atual presidente e do silêncio de Obama, a quem apoiaram

    ANDREA MURTA
    DE NOVA YORK

    De lados opostos quanto ao conflito no Oriente Médio, Linda Sarsour e Fern Oppenheim têm várias coisas em comum: estão irritadas com a imprensa, mobilizadas em apoio a suas comunidades e temerosas de que a violência no Oriente Médio ameace mesmo quem está longe. Sarsour é palestina, e Oppenheim, judia, e elas dividem também as ruas de Nova York, onde a alta concentração de judeus e árabes espelha de forma especial a tensão que o conflito entre Israel e o Hamas provocou no mundo.
    De véu azul e sotaque do Brooklyn, Sarsour, 28, conta que os últimos dias foram passados entre telefonemas ansiosos e olhos grudados no noticiário. Na TV, só Al Jazeera e canais árabes -nada da “propaganda negativa americana”. Os cartões telefônicos internacionais também estão em alta, diz, pela urgência em contatar amigos e parentes em Gaza. “Cada vez que não atendem, pensamos que estão mortos. E muitas vezes não atendem.”
    Ela dirige a Associação Árabe-Americana de Nova York e afirma que a violência recente no Oriente Médio aproximou a comunidade. “Desde o 11 de Setembro, os árabes vivem aqui com medo, não gostam de sair de sua zona de segurança. Mas desta vez resolveram que já basta. Chega de silêncio.”
    Tudo o que a cidade não está é silenciosa. Foram ao menos três passeatas na última semana contra a ação de Israel, em locais como o Rockefeller Center e a prefeitura, e está prevista novo ato hoje na Times Square. Além de palestinos, há árabes de outras nacionalidades e também estudantes e americanos contrários à ofensiva.
    Há uma semana, um dos atos acabou em troca de agressões verbais com nova-iorquinos pró-Israel, que organizaram um contraprotesto, mas até hoje não houve grandes confrontos. É algo que Sarsour teme que vá mudar: ela diz que a raiva crescente “infelizmente poderá” ser descarregada na comunidade judaica. “Há muita gente pouco educada que se deixa cegar pelo ódio. O Exército e o governo de Israel são ingênuos ao não pensar nisso.”
    Enquanto falava à Folha, na última quarta, o primeiro sinal do risco chegou até Sarsour: por telefone, avisaram que o Centro Comunitário Judaico do Brooklyn teve sua página na internet invadida. Um hacker espalhou imagens de palestinos feridos em Gaza e frases em árabe. “Não sei quem foi essa pessoa estúpida, mas não apoiamos esse tipo de atitude.”
    Ela diz que a associação tenta conter manifestações agressivas e monitora cartazes e palavras de ordem nos atos. É proibido, por exemplo, gritar “yahud” (“judeus” em árabe) ou portar faixas contra judeus. “Não queremos isolar ninguém ou que pensem que somos um bando de loucos que odeia judeus. Temos muitos amigos na comunidade judaica, queremos só divulgar nossa mensagem.”
    Ao mesmo tempo, representantes do 1,97 milhão de judeus que vivem em Nova York organizam no mínimo quantidade igual de manifestações pró-Israel. Na sexta, um grupo levou foguetes falsos até o prédio da emissora conservadora Fox News. Outro ato hoje deverá cruzar com a passeata dos palestinos na Times Square.
    Para Oppenheim, 54, os protestos contra a ofensiva, que ela considera serem a favor do Hamas, causam tensão. “Tenho observado passeatas pelo país e sei que há coisas horríveis sendo ditas”, afirma. “Sou filha de sobreviventes do Holocausto. Entendo o que significa quando alguém diz que quer te eliminar. E quando vejo passeatas a favor do Hamas, cujo único propósito é extinguir Israel, considero isso ameaçador.”
    Michael Miller, presidente do Conselho de Relações da Comunidade Judaica de Nova York, diz que os protestos palestinos são “hipócritas”. “Israel não é culpado aqui, qualquer um se defenderia. Esse nível de dois pesos, duas medidas afeta a comunidade judaica.”
    Ele afirma não ter medo de retaliações, mas avalia que o conflito já elevou consideravelmente a pressão sobre as relações entre judeus e árabes na cidade. Segundo Miller, as organizações judaicas de Nova York foram alertadas a aumentar o nível de segurança desde que o conflito começou.
    Oppenheim e Miller dizem que, embora a comunidade judaica seja muito diversa, houve união sem precedentes em apoio a Israel neste conflito. “Desta vez, não há ocupação, e ainda assim enfrentamos os foguetes. Qualquer país se defenderia”, diz Oppenheim.

    Mídia
    A imprensa também espelha os contrastes. Grandes jornais como o “New York Times” dão cada vez menos apoio à ação militar israelense. Mas diários locais como o “New York Post” apoiam Israel -a ponto de já ter sido organizado um boicote no comércio árabe contra a venda do tabloide.
    A cidade sentiu ainda mais os reflexos do conflito pela atuação de seus políticos. Em atitude polêmica, o prefeito Michael Bloomberg, acompanhado por Miller, visitou Sderot -cidade israelense que é o maior alvo de foguetes dos militantes- no começo do mês para reiterar sua defesa da ação israelense.
    “Estamos revoltados”, disse a palestina americana Remi Barghouti. “Isso não é representativo de uma cidade ou dos EUA.” “Em vez de Nova York ser diversa e aberta a todos os povos e opiniões, Bloomberg adotou essa posição nojenta e imoral”, diz Saiffeddin Ammous, palestino estudante da Universidade Columbia.
    No protesto diante da prefeitura, as vozes logo se tornaram contra os EUA. “Só um povo educado para não ser crítico poderia ter um prefeito que faz algo tão bárbaro”, bradavam os organizadores ao microfone. “Abaixo o imperialismo!”
    A revolta alcança o atual governo federal -e o próximo. “Nasci e cresci no Brooklyn e, como americana, me sinto impotente e envergonhada com o silêncio e as atitudes do meu governo”, diz Sarsour. “Bush defende Israel 100% enquanto estão matando o povo palestino. E agora Barack Obama fica escolhendo os assuntos sobre os quais quer se manifestar.”
    A fala mostra que os efeitos da disputa nos EUA poderão ser problemáticos para Obama mesmo após a ação terminar. “Eu fiz campanha para ele, me sinto traída”, diz Sarsour.

  378. Garganta

    Cadê os comentários da Sandra?

    Com os melhores cumprimentos,

    Garganta.

  379. Cristina

    Fiquei com má impressão do Gerald Thomas, de nada adianta um teatro engajado com uma cabeça de ouriço. Sair do blog no meio desta discussão intensa, sem profunda e coerente explicação, é covardia, eu diria fraqueza, ao mesmo tempo dá para entender, como fã incondicional do Gerald, só tenho dúvidas se uma saída assim será boa para ele, para a reputação e etc. É mais fácil promover mudança de consciência nos blogs que no teatro, e o blog dá idéia para a peça de teatro. É mais fácil fazer a catarse nos blogs que no teatro.
    O teatro, hoje em dia, atinge pouco público e causa pouca repercussão, não promove debate de idéias.
    Os árabes não conseguem se organizar coletivamente, são desunidos. Queria ver o que Israel faria contra um ataque suicida e sincronizado de 1.000.000 de moradores da Faixa de Gaza, mesmo fracos e desnutridos com tocos de pau, Israel teria que massacrar um milhão de pessoas, aí o mundo inteiro iria se voltar contra Israel, e acabar com o exército do país, como fez com o Iraque

  380. Reinaldo Pedroso

    Gracias, Santanna.
    Beijo,
    Reinaldo

  381. Paulo do ponto G.

    Gerald, esse preconceito contra o umbigo eh totalmente injustificavel. O umbigo na verdade eh um dos centros vitais mais importantes do ser humano. No japones eh chamado de HARA dai
    vem a expressao Hara-Kiri para o suicidio japones. O Hara eh o centro natural toda crianca rescem nascida eh centrada no Hara, e depois com o processo educacional o centro prodominante se transfere para o coracao e mais tarde o intelecto. A anomalia da nossa pseudo-civilizacao vem dai, as pessoas se afastaram do propio ser, do Hara. Na verdade os poderes dominantes nao querem que as pessoas descubram o propio ser, pois se tornariam rebeldes. Entao eu vejo uma pessoa voltada para o propio UMBIGO como algo de muito positivo, eh uma pessoa que esta num processo de auto-conhecimento.
    Love.

  382. Paulo do ponto G.

    Gerald, inclusive se voce encontrar um adesivo:
    I’M PROUD TO BE A NAVEL GAZER ai na Big Apple
    pode comprar para mim, depois em te pago.
    agradecido.

  383. Cristina

    Ekran,

    Nunca freqüentei um blog de intelectuais. Também sou chamada de pseudo-intelectual nos blogs, e meu pai dizia que eu era artista, no sentido pejorativo da palavra. O intelectual tem que trabalhar com a verdade, e a verdade dói na alma, o artista não precisa ser verdadeiro, pode re-inventar a realidade. O problema é quando o artista piora a realidade e transforma a vida em algo pior do que ela é, em minha opinião a ficção deveria ser a vida melhorada, como dizia Charles Bukowsky.

  384. Cristina

    Pelo jeito, a única maldade que o Bento Carneiro, vampiro brasileiro curitibano é capaz de fazer é censurar os comentários dos outros. Coisa feia a censura em pleno século XXI, censurar o pensamento alheio mesmo que grosseiro e ofensivo, mesmo que provoque uma troca de insultos.
    Devo agradecer ao vampirinho, se ele não falasse em Nietzsche, eu não leria Ecce Homo neste momento.

  385. KY

    Até a OAB, já percebeu que não é mais possível PACTUAR com o DESCALABRO?

    Onde governa o PT, até a OAB, deve interceder, para combater a bandidagem oficial.

    Assim não dá!

    Não é PH.

    Pior do que isto,só extermínio das crianças Palestinas?.

    OAB-PA entra na justiça para obrigar governo a combater violência

    Belém (PA), 10/01/2009 – A presidente da Seccional do Pará da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-PA), Ângela Sales, irá ingressar dentro de duas semanas com uma ação civil pública na justiça para obrigar o Estado do Pará a tratar dignamente a segurança pública e exigir a prestação de contas, além das estatísticas oficiais de todo o investimento no setor. A decisão foi tomada durante reunião extraordinária realizada nesta sexta-feira pelo Conselho Seccional da entidade convocada por Ângela Sales para discutir medidas junto ao Executivo. O diretor do Conselho Federal da OAB e ex-presidente da OAB-PA, Ophir Cavalcante Júnior, participou da reunião e levará para o presidente nacional da entidade, Cezar Britto, o pedido da Seccional para que o Congresso transforme a corrupção em crime hediondo. A entidade dos advogados decidiu também que irá exigir de forma intransigente o cumprimento do horário integral da magistratura e que o Tribunal de Justiça do Estado, a exemplo dos tribunais federais, passe a trabalhar em dois turnos. Caso contrário – disse Ophir – a solução será entrar com o pedido diretamente no Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

  386. Cristina

    Nietzsche é muito mais visionário que filósofo, mas não há dúvida que era um intelectual que repelia qualquer tipo de vaidade e idolatria. “O homem do conhecimento não tem apenas de amar seus inimigos, ele também tem de poder odiar seus amigos”.
    A educação feminina é falsa, a mulher é educada para enrustir e falsear o seu pensamento, a realidade é que a mulher é vingativa e agressiva. A educação repressiva e piedosa causa histeria na Sandra, que chora por umas coisas que não são para chorar e ao mesmo tempo defende genocídio. Às vezes precisamos ser grosseiras, usar palavras chulas no contexto certo, sem insultar ninguém. Às vezes precisamos nos colocar, sem atacar a pessoa, atacar a idéia da pessoa e analisar seu comportamento. Analisar comportamento é diferente de insultar, e tem gente que merece ser ironizada.

  387. Cristina

    Jimmy Carter disse que os israelenses não aceitam o diálogo. Os judeus sionistas dizem que o único propósito do Hamas é destruir Israel. O Hamas tem potência para destruir Israel? “Igualdade ante o inimigo”, diria Niezsche, “o primeiro pressuposto de um duelo honesto. Onde a gente despreza não se pode fazer guerra; onde a gente ordena, onde a gente vê alguma coisa abaixo de si, não se deve fazer guerra.”

  388. Garganta

    Cara Santanna,

    Analise essa cena que eu preparei:

    À noite, na casa de Scarlett( Santanna), uma festa maravilhosa cheia de balões coloridos, pipoca e brigadeiro em razão das notícias imparciais de um jornal confederado, que Aschley( senhor Mexerica) trouxe da rua.

    Naquela noite a senhorita Scarlett trocava olhares com Ashley( senhor Mexerica). No entanto, ela é subitamente abordada pelo senhor Rhett ( eu, o Garganta)

    Rhett( Garganta): “Senhorita Scarlett, você ainda não esqueceu o insosso cavalheiro Ashley( senhor Mexerica). Entenda que ele é mais vazio e frio que um freezer de casa de pobre, e você sabe. Pare de fantasiar”

    Scarlett( Santanna): “Não senhor Rhett, você é um sujo, devasso e maldito. Egoísta! Eu amo o Ashley, eu sei que ele me ama! Ele será meu marido, você verá. Deixe-me em paz”

    Rhett( Garganta): ” Ele está compromissado com a senhorita Melanie abissal. Você está destinada a sofrer. Pare de se submeter a maricas como ele.”

    Scarlett( Santanna): “Cale-se seu animal imundo. Todos sabem da sua má fama.”

    Então Rhett a beija ( Scarlett gosta) durante uns 20 segundos. Mas são interrompidos pela Mammy ( Gerald Thomas, que fará essa ponta)

    FIM DE CENA

    Com os melhores cumprimentos,

    Garganta.

  389. Oi, GT e pessoal.

    Fábio, eu URRO: será que vc não sabe que o Suplicy é Matarazzo? Foi a impressão que ficou. Se o Gerald ameaçar comer o rabo de quem discutir Maysa, isso aqui vai fórum de discussão da minissérie. Como ele mesmo disse, esse é o blog do Thomas! Vc entra e thomas!

    Cristinietzsche: Nietzsche provavelmente elogiaria Israel, por ter superado a vitimização e passado da moral dos escravos para a moral dos senhores, mas ao mesmo tempo diria que Israel, de tanto beber leite de lobo, tornou-se lobo também. Lobo do homem. A shoah deu a Israel um capital simbólico que até hoje eles gastaram com parcimônia, mas agora Israel está consumindo em dólares seu devir. Acho que Nietzsche admiraria a vontade de poder de Maomé, mas para ele o Corão teria morrido com Maomé. também e os homens-bomba confirmariam, para ele, a religião como culto da morte.

  390. Oi, Gerald. Mais uma.

    Tá muito na moda aqui no BR discutir o método pós-stanislavski da Fátima Toledo. Tenho visto ela em várias revistas e ontem no Serginho Groisman. Ela ajudou a criar o personagem do Capitão Nasicmento em Tropa de Elite, trabalhou em Cidade de Deus, enriqueceu a pobrezinha de Linha de Passe, etc. Dizem que o autor vai ficar preso no filme e ela o coloca num quadrado e deixa lá. Quando ele berra: que é isso, que porra é essa, vai tomar no cu ele está pronto para a filmagem.

    O q vc acha?

  391. ISRAEL : significa dignidade e travalho

    HAMAS,FARC,PT,HESBOLLAR E MST:

  392. HAMAS – FARC – PT – HESBOLLAR E MST

    Vagabundagem e terrorismo.

  393. Cristina

    Em tantos anos que ouço falar de Gerald Thomas, a única vez que ele realmente fez algo perturbador no teatro brasileiro que causou grande impacto na opinião pública foi quando mostrou a bunda no Teatro Municipal, no Rio de Janeiro, e sofreu processo posterior na justiça estadual. Atraiu um processo absurdo, ainda mais no Rio, onde todo mundo mostra a bunda.

  394. Garganta

    Caro Vampiro,

    “Devo agradecer ao vampirinho, se ele não falasse em Nietzsche, eu não leria Ecce Homo neste momento”( Cristina)

    Vampirão, o Frankenstein. Querem a sua cabeça Frankiro.

    Com os melhores cumprimentos,

    Garganta.

  395. Alan

    Não há um argumento, uma razão, qualquer justificativa que me faça aceitar morte de crianças e civis por ataques em guerra, ou por qualquer outro ataque. Quando, na Internet e nos jornais impressos, leio tentativas de explicação de tal fato torno-me imediatamente estrangeiro. Desenraizado, não terráqueo. Não posso partilhar o mesmo planeta com pessoas que buscam justificar tal ação. Já li muitas análises sofisticadas ( crianças-escudo, a carne mais barata do Oriente Médio, futuros terroristas, é o que querem insinuar ? Direito de resposta, ataques preventivos a ataques sem direção, guerra religiosa antiga, e muitos etcs ). NADA, mas nada mesmo pode ser justificável para massacres de civis. Que o mundo acorde logo, e interrompa esse genocídio. Além do círculo do interesse e do poder tem que existir outro tipo de gente – e ainda acredito que exista. A insanidade do homem não tem fronteiras nem limites, em qualquer época. Enquanto os analistas pensam essa amaldiçoada guerra dos seus escritórios refrigerados ou aquecidos, estão lá crianças e mulheres encurraladas em busca de uma saída que não existe. Enquanto rebuscam em suas bibliotecas, modernas ou mofadas, razões que justifiquem qualquer ato, de qualquer lado, o inferno se instaura na Faixa de Gaza de noite, madrugada e de dia. As portas do inferno de uma guerra, abertas em tantas épocas, precisam ser fechadas em definitivo. Não posso sequer imaginar que pertenço a esse tipo de raça de homens. Nem os que se explodem para glorificar seu martírio nem os que explodem crianças para demonstrar sua existência e força. Não há lado a ser defendido quando a barbárie torna-se o discurso. Fechem os portais do inferno!

    http://www.alanviola.blogspot.com/

  396. ………………………………………………………………………………………………………..
    ……………………………………….Benazzir……..buuuuchu……..!.
    ………………………………………………………………………………………………………..
    ……………………………………………iiiiUUUUUrru…!!………………………………..
    …………………………………………………………………………………………………………
    ……………………………….Tá arrasãno,…..em amiga,………..!!!……………
    ………………………………………………………………………………………..
    ……………………………….Tava cun shudaaaadi di ôce,…
    ………………………………………………………………………………………………………..
    …………………………………….da minha ponhétinha,………
    ………………………………………………….prifirida…!!
    ………………………………………………………………………………………………………..
    ……………………………………Lembro tãnto dos seus,..
    ………………………………………………………………………………………………………..
    …………………………………………..” CLÁSSICOS,”…..
    ………………………………………………………………………………………………………..
    …………………………………………….aqui no blóg,…
    ………………………………………………………………………………………………………
    ……………………………………………………………………………………………………..
    ………………………….”..MOLÉRES de BURCA..”,…………………………….
    ……………………………………………………………………………………………………..
    ……………………..” A SUNGA cheia de ENCRENCAS..”,………….
    ……………………………………………………………………………………………………….
    …………………………..e agóra,……você sê superô……………………………
    ………………………………………………………………………………………………………
    …………………”..Nem todas as VIRGENS,..serão VIRGENS..”……
    ……………………………………………………………………………………………………..
    ……………………………………………………………………………………………………..
    ……….ólha,……..até agóra eu tô pensando,……..nisso,……………….
    ……………………………………………………………………………………………………
    ………………………………………..sabia..?!
    …………………………………………………………………………………………………….
    ……………………………………………………………………………………………………..
    ………………………………………………………………………………………………………
    ………………………………………Isso tá pau a pau,..
    …………………………….com aquéla outra óbra literária,..
    …………………………………………………aqui
    ………………………………………………do blóg,…………
    …………………………………………………..éra,………….
    ……………………………………………deixa lembrá,……………..
    ……………………………………………………………………………………………..
    ……………………………………………………………………………………………………..
    ……………………………………..” MARIVALDA éra PURA…”,…..
    ……………………………………………….lembra..??
    ………………………………………………………………………………………………
    ……………………………….eu esquecí o nóme do autor..!!!
    ……………………………………………………………………………………………………….
    ………………………………………………………………………………………………………

  397. Garganta

    Caro Vampiro ( ou Frankiro),

    Se eu fosse o filósofo-rei na hipotética República de Platão, eu proibiria a leitura de Nietzsche para a classe trabalhadora. Jesus! uma pessoa sem a educação ( mais num sentido psicológico) necessária que ler — de corpo e alma– o Frederico, está perdida. Cai o mundo de fantasia que assegura a vida dela( a nobre mentira). Daí o que ela coloca no lugar? Angústias?

    É bem justa a impertinência de Cristina ( pelo menos o que eu observei)

    PS: Dizem que o verdadeiro monstro é o Dr. Frank.

    Com os melhores cumprimentos,

    Garganta.

  398. …………………………..Lucio flávio jr…( o passageiro da agonia..)………
    …………………………………………………………………………………………………..
    ………………………………………é sério MEEEESMO,..
    ………………………………………que o Eduardo suplicí,……………………..
    ………………………………………………………………………………………………….
    …………………………………………………….chãma,…
    …………………………………….Eduardo Matarazzo suplicí,…????????
    …………………………………………………………………………………………………….
    ………………………………sê tá brincãno,…..comigo…???………………..
    …………………………………………………………………………………………………….
    …………………………………………..JUUUURA..?!……………………………….
    …………………………………………………………………………………………………
    ………………………………………………………………………………………………….
    …………………………………..gentén,…..como eu sou
    …………………………………………….. BURRO,….
    …………………………………………………………………………………………………
    ……………………………………..sê não fôsse essi
    ………………………………………………mininu,..
    ……………………………………………prá me abrí
    …………………………………………………osZÓIO,………………..
    ………………………………………………………………………………………………….
    …………………………………….qui qui seria di mim..????
    …………………………………………………………………………………………………..

  399. Garganta

    CAAAARAAA SAAAANDRAAA,

    SEEE VOCÊÊÊÊ NÃÃÃÃÃÃÃÃÃOOO COOOOMENTAR EUUUU, O MR. THROOOAAATT, VOOOOU LHE ASSUSSSSTAAAAAR À NOOOOITE. EEEEUUUUU VOOOOU COOOORTAAAAAAAAR AAAA SUUUAAAAAA LÍÍÍÍÍÍÍÍÍÍÍÍÍÍNGUAAAAAAA!!!!!!!( OU DEEEDOOOOS) RÁ RÁ RÁ RÁ RÁ RÁ RÁ RÁ RÁ!!!

    MAAAANIFESTE-SEEEEEEEEEEE

    COOOM OS MEEEELHOREEEES CUUUMPRIMENTOOOS,

    MR.THROOOAAAT.

  400. gthomas

    DOMINGO NO PARQUE

    WASHINGTON — President Bush deflected a secret request by Israel last year for specialized bunker-busting bombs it wanted for an attack on Iran’s main nuclear complex and told the Israelis that he had authorized new covert action intended to sabotage Iran’s suspected effort to develop nuclear weapons, according to senior American and foreign officials

  401. Garganta

    Caro Gerald ou Vampiro,

    Desculpe-me, acho que eu desconfigurei de novo a página. Mas o estranho é que eu deixei menores as palavras.

    Com os melhores cumprimentos,

    Garganta.

  402. Garganta

    É… acho que eu não desconfigurei, então.

    COOOOM OS MEEELHOOOREEEES CUUUMPRIMENNTOOS,

    MR. THROOOAAAAAAAT.

  403. Fabio.
    O autor da Marivalda, sou io.

  404. CONFIDENCIAL – What’s behind the masks

    AGAINST CROOKS

    To: Mr. Gerald Thomas

    WARNING:

    If you have been reached by Ana Guimaraes and if it’s IP is from Tesesina-Piaui, be careful about her intentional approach, she’s a kind of worm that sucks the others blood.

    A little bit of her expertise is shown here :

    http://www.gp1.com.br/noticias/amigos-do-governador-sao-agraciados-com-contratos-suspeitos-31510.asp

    See her name on the page you read “PROCORACAO PARTICULAR”

    Her dirty business helping the public money robbery has been ran for more than 20 years.
    This kind of worms, come across like cool people, cheat and fuck everyone but because it’s in Brazil, they are not in jail.

    I hope this information helps you to avoid further disappointments

  405. Fábio.
    Para o seu deleite.

    Chovia…
    A noite era alta.
    Eu olhava Marivalda
    nem via o tempo passar.

    E os pingos… caricia amena,
    molhava a face morena
    nublava o olhar.

    Olhei por entre os seios molhados,
    tive arrepios, o desejo encarnado,
    vontade de pecar.

    Marivalda era pura!
    A paixão não macula
    a Santa no altar!

    Targino Silva

  406. Lilianinha.

    Cuidado para não ficar por aí dizendo bobagi.

    Sabe o que é bobagi, né? É aquilo que se diz quando se quer parece sábio e culto.

    Deixando para lá o que deve ser deixado.

    Já imaginou o que seria dos artista (sing mais plur tá na moda) se não se pudesse mais arrotar ou reciclar bobagens?

    Reciclem amiguinhos, arrotem! É bonito e tá na moda.

    Marcelo, a caixinha fazia tic tac.
    Caso eu abrisse e explodisse, com que cara eu iria ficar?

    Igual a P de Penelope.

  407. Lilianinha.

    A pessoa esperneou de LITERALMENTE FALANDO, ou de gramaticalmente enfeitando o pavão?

  408. Tene Cheba

    Fábio, que bom que você voltou.Ruim, são aqueles que não retornam.Prometo caprichar mais, o português é que anda vacilando. Para Isaurinha Simão, com enormes saudades.

  409. Tene Cheba

    Tia Olga, Querida Tia Olga,
    chorei por ti, Tia Titia, que se foi,
    grandes foram seus sobrinhos,
    grande a sua compreensão.
    Minha Querida Titia, do seu querido sobrinho,
    No seu colo repousei, na sua ternura,
    Honesto Ser, Honesta Mãe, as flores que não mandei.
    Descanse, minha Querida Titia.Descanse Tia Olga.

  410. QUE SAUDADES…

    Dos dias que tomei um trem neste blog. Empurrado a embarcar pelo Vampiro.
    Depois fui colocado em viagem de nau. Nau 22 alguém nominou.
    Disseram que eu era ator. Ator de blog-novela.
    Fiquei empolgado e adorei.
    Foi ai que me deixaram abandonado no Uruguai. Escutando B.B.King.
    Pior é que não sei se de lá sairei.
    Com esta merda de gente matando gente com bombas.
    Quem vai se incomodar com um velho marinheiro que escuta blues?
    Estou sifu?
    Obrigado.
    Pacheco.

  411. Tene Cheba.

    Lamento.

    Se entendi direito tua tia se foi recente.

    Tias são nossas mães substitutas.

    Tive as minhas.De gratas recordações.Possivelmente iguais as tuas.

    Mentalizo orações para minhas tias e com licença pedirei pela tua.

    Obrigado.

    pacheco.

  412. Tene cheba.
    Lamento que algo te agrade vindo de Chávez.
    O Chávez não passa de mais um enganador e perigoso pelo terreno que adota a política.
    Qualquer um que defenda as idéias de Fidel castro é enganador e megalomaníaco.
    Chávez não tem ao menos o que se espera no ,mínimo de um chefe militar.Ou seja lealdade a seu povo e respeito ao seu semelhante.
    Pode acreditar nisto.
    Obrigado.
    Pacheco.

  413. Vampiro.

    Na escolha que sugeres estou contigo e não abro.

    Embora lamentado esta merda de matança de crianças e adultos. Principalmente as crianças que eu já disse independentemente de credo raça ou cor são tão ou até mais bonitos e puros que meus netos.

    Obrigado.

    Pacheco.

  414. Tene Cheba

    Tem certas horas que o Hugo Chaves ganha a minha simpatia, ele faz algo autêntico, expulsa o Embaixador por exemplo.Mas e o Brasil? Manda Celso Amorim, caramba, o quê Celso Amorim entende?Não gosto do Hugo Chaves, mas o Lula é a própria piada, Lula não sabe nem o que é conflito,o que são Terras.Lula pensa que o mundo se concentra no MST.Tão fiel a você, Celso Amorim, cuidado com o cálcio.

  415. O blog esta parecendo elevador.

    Teclo.envio e aguardo moderação respondendo antes de ser perguntado.

    já sabemos disto.

    Não sabemos até quando.

    E que não le de baixo para cima fica o dito por não dito.

    Obrigado.

    Pacheco.

  416. Nina.

    Pretendo colocar uma pá de cal em 64.
    Nada mudarei. Serão sempre várias versões. Fico com a minha. Basta-me. Olho de frente aos meus. Muitos não podem fazer isto.A estes eu também olho de frente e nos olhos.
    Fica como está. Tenho a mente tranqüila. Contatos recentes com meus netos me deixaram em completas felicidades.
    Não pretendo estragar esta maravilhosa sensação.
    Lamento.
    Obrigado.
    Pacheco.

  417. Targino Silva,Fabio PIPIPI,Tene Cheba,Lucio Jr,Ronald,Collor,aproveito muito do que vocês escrevem.Concordando ou não integralmente.Obrigado.
    Ivo Veiga idem.
    Sandra,Francyne(tomou Doril ?)Glorinha,Nina,Londrina,Susan Judia,MarinaW.(adorei teu curto e elucidativo video).só agradecimentos.

    Abaixo as guerras.Viva o amoe e viva o Brasil e viva o mundo.

    Obrigado.

    Pacheco.

  418. Valéria

    Gerald lembrou do soldado israelense que, do alto de um prédio, com uma visão “ampla” do aeroporto (e dá-lhe metáforas…), deu um tiro em sua própria cabeça etc etc etc. Uns subiram o avião correndo, outros ainda em gestos políticos e os outros senhores já desapareceram magica e rapidamente do tal cenário, enfim como sempre

    Não sei, mas o que me deixa tristíssima é que este genocídio, esta guerra, sempre abusurda, também está fazendo com que os israelenses dêem um tiro em si, isso é um investimento – péssimo – vertiginoso numa esgarçada luta mútua. Parece que ninguém quer realmente (ou teoricamente ou praticamente ou plasticamente ou virtualmente) abrir mão de nada, que aliás é um nada bem pior pros civis palestinos…

    Mas eu não consigo emitir opinião nenhuma sobre isso, eu só penso no horror que eu não gostaria de passar e que os palestinos estão passando.
    Quem tem razão? A razão não tem sentido mais ali. A corrupção sim.
    Eu jamais vou entender pequenos gestos violentos, imagine os grandes. Eu me retiro, a minha linguagem nunca será aquela, então o que faço? Não sei.
    Não sei pensar em ser contra ou a favor, tudo fica tão reduzido a períodos, a retalições, a reações, a idéias curtas, a nomes, a anti isso antiaquilo etc e vai dando um desânimo de ver que são poucos os que têm o poder e o querer tentar resolver esta situação horrorosa pretensamente irresolvível.
    Não dá pra pensar nem estudar a fundo isso, porque vai dar em corrupção e em interesses particulares, sempre…
    POrque quem sofre mesmo é quem tá levando bomba, quem tá sem água, luz, esgoto, comida, remédios.
    Ninguém sofre aqui o que as pessoas que realmente vivem na guerra sofre, nesta infância, maturidade e velhice de guerra! Ninguém sofre por procuração. É mentira eu dizer que tô sofrendo horrores! Não tô! Não consigo nem entrar nesta dimensão e nem quero! Por que estou dizendo isso? Porque tenho horror em perceber que estão dizendo que estão sofrendo quando dá pra ver que não estão. E nem devem porque não estão sofrendo lá, o que é sempre infinitamente pior.
    Sim, sofro intelectualmente, ou imaginativamente, mas lá é outra coisa. E quem decide se vai continuar este genocídio também não sofre nem um por cento lá.
    Vou parar por aqui porque não tem mais sentido falar, porque não vai me levar a nada além de me sentir impotente até pra sentir.
    E esta visão de que o espetáculo de guerra infelizmente continua e continuará em algum lugar do passado, do presente e do futuro me dá muita raiva e angústia.

    Gaza é uma ferida.

    No diário de Zlata, de 11 anos, ela escreve (sobre Sarajevo):

    “a guerra tomou conta de nós, não nos larga mais”

    “… o lápis da guerra só sabe escrever duas palavras: infelicidade e morte”

    “O círculo se fecha outra vez. Os círculos, Mimmy [ nome do diário dela], sempre se fecham outra vez, e nós, lá dentro, estamos ficando sufocados. As vezes me dá vontade de ter asas pra poder voar pra longe deste infenro. Como Ícaro.
    … A vida no círculo fechado continua. Vc fica perguntando que tipo de vida é esta. É uma vida que se passa na espera e no medo, uma vida que se passa na esperança de que o círculo se abra, de que o sol da paz volta a brilhar”.

    Quantos livros de diários infantis ainda serão produzidos pela UNICEF?

    Alguns podem achar que tô louca querendo comparar ou trazer o massacre de Sarajevo, “coisa antiga”, pra cá; mas não tem comparação: é tudo guerra, é tudo horror pra quem vive o sofrimento de se sentir encurralado em todos os sentidos. É tudo corrupção em muitos sentidos e direções.

    Dentro dum círculo fechado, a criança Zlata tem uma noção cada vez mais ampla e clara, mesmo que na confusão e na escuridão do faminto horror diário. O tal soldado, em minha historietazinha, também pode ter tido esta visão ampla lá de cima do prédio: do assassinato em que todos nós estamos envolvidos em pleno círculo “aberto”.
    E dá-lhe árvore seca pra nos fazer sombra.

    Não falei dos dois sonosros Baracks, nem da linda trajetória experimental de vida da mulher do La MaMa, mas acho que falei sim, como os meus olhos míopes, desta minha nikiti, desta minha pequena perspectiva, apesar de ter um circo voador, digo, de ter um disco voador pousado em minha cidade sem uma árvore em volta.

    PAZ
    Valéria

  419. gthomas

    SOMOS ANIMAIS, COMO RACA (COM CEDILHA) SOMOS PREDADORES SEM SENTIDO

    ASSISTAM

    http://www.freedocumentaries.org/theatre.php?filmid=208&id=1126&wh=1000×720

  420. gthomas

    EH ASSUSTADOR

    NAO DEIXEM DE ASSISTIR: PELO MENOS A PRIMEIRA PARTE

    http://www.freedocumentaries.org/theatre.php?filmid=208&id=1126&wh=1000×720

  421. Tene Cheba

    Somos seres sem paixão, somos quem nós somos, somos,grandes herdeiros, somos, grandes famintos, vamos comer, iremos comer, somos infinito.Quem somos?Não somos nada,a camisa que você veste é o que importa, e você exporta, exporta, não importa, quem importa, nada feliz, quem se afoga?Quem, alguém, falou por você, irmãos que beijam a mesma terra, irmãos que não se odeiam, que olham o mesmo jardim, cheiram a mesma rosa, amam suas pipas voadas, comem a esfiha, trigo batido, infelizes são os três, infeliz é o rei, infeliz em não acreditar, infeliz sou eu, infelizes são os jornais, newspaper, newspaper, sobre lá, sub aqui, enfim o fim, enfim The End.

  422. O Vampiro de Curitiba

    Com o tempo a coisa vai ficando mais clara e vamos descobrindo quem é quem nessa Guerra.

    Escolha seu lado:

    Os terroristas do Hamas, os assassinos do Hesbolah, o sanguinário Ahmadinejad, o vagabundo do Chaves, o tirano Fidel Castro, os mensaleiros do PT e Lula :

    ou

    O povo livre de Israel, as democracias do Ocidente e o Vampiro de Curitiba.

  423. Tene Cheba

    Valéria, você é o meu Crime e Castigo, sempre gostei de te ler.

  424. Tene Cheba

    Vamp, não sou eu que te direi que as linhas da palma, são confusas.Entretanto, todos nós amamos Abraão.

  425. O Vampiro de Curitiba

    Pacheco, infelizmente todos os blogs do IG enfrentam esse problema nos comentários. O que nos resta a fazer é verificar sempre os comentários que estão mais acima, já que muitos aparecem como se fossem postados com uma hora de antecedência.

    Quanto às crianças vítimas da Guerra, é odioso como age o Hamas usando-as ou como escudo ou como bombas ambulantes. São covardes assassinos, são os responsáveis por todo esse derramamento de sangue. Espero, de coração, que os soldados de Israel eliminem um por um desses covardes assasssinos. Que não acabe essa Guerra enquanto existir um militante do Hamas.

  426. Garganta

    Caro Vampiro,

    “Escolha seu lado:

    Os terroristas do Hamas, os assassinos do Hesbolah, o sanguinário Ahmadinejad, o vagabundo do Chaves, o tirano Fidel Castro, os mensaleiros do PT e Lula :

    ou

    O povo livre de Israel, as democracias do Ocidente e o Vampiro de Curitiba.” ( Vampiro)

    FLA-GRA FLA-GRA-DO FLA-GRA-DÍS-SI-MO

    Desse jeito aí, nós ignoramos que o povo livre de Israel, tem políticos corruptos e canalhas, ignoramos que as democracias do Ocidente tem um monte de gente miserável ( sugiro que o senhor vá visitar uma favela na sua cidade), ignoramos que o Vampiro de Curitiba é demasiado humano, e está entre o Bem e o Mal.

    Vamos deixar de ser ignorantes. Eu não tenho lado, Vampiro. Eu me esforço para ficar além do Bem e do Mal, e, assim, ser imparcial ( você parece que desistiu).

    Palavras do professor de Direito Constitucional Alexandre de Moraes (USP e Mackenzie):

    “Além disso, os grupos mais organizados e economicamente mais fortes passaram a atuar de forma cada vez mais decisiva na condução dos negócios políticos do Estado, em detrimento dos interesses do restante da sociedade, que não encontra nas clássicas regras da Democracia representativa mecanismos para defesa de seus direitos fundamentais básicos, havendo necessidade de regulamentação na atuação dos denominados grupos de pressão”( p.510, Moraes. A., Direito Constitucional. Editora Atlas. São Paulo. 2008.)

    Com os melhores cumprimentos,

    Garganta.

  427. Tene Cheba

    Com todo respeito, ISSO NÃO É VERDADE.A caixa alta não é grito, mas ênfase.A ONU então, enganou-se, enganou o mundo.Tiro na mente que não mente.De qualquer forma, a razão está entre zero e um.

  428. Tene Cheba

    Grande Amigo Pacheco, perdi a minha Tia Olga.Minha querida Titia, como estou longe, só hoje fiquei sabendo. Não entendi porque não me informaram.Coisa de Manos,Mana e Primos.

  429. Garganta

    Caro Vampiro,

    “Quanto às crianças vítimas da Guerra, é odioso como age o Hamas usando-as ou como escudo ou como bombas ambulantes. São covardes assassinos, são os responsáveis por todo esse derramamento de sangue. Espero, de coração, que os soldados de Israel eliminem um por um desses covardes assasssinos. Que não acabe essa Guerra enquanto existir um militante do Hamas.” ( VAMPIRO)

    EIS PASSAGEM DA NOTÍCIA SOBRE O FIM DA OFENSIVA EM GAZA:

    “”Que Israel se retire primeiro, que a agressão pare primeiro, que as fronteiras se abram e logo a gente pode considerar falar sobre paz”, afirmou Meshaal, num discurso inflamado transmitido pela rede de TV Al-Jazeera, em Damasco. Além disso, o líder acusou o Estado judeu de estar perpetrando um “holocausto” em Gaza e convertendo território num “mar de sangue”. “Pergunto aos israelenses: o que têm conseguido com esta guerra? O que têm obtido além de matar crianças inocentes e criar um rastro de crânios despedaçados e um mar de sangue afogando Gaza”.”

    fonte:

    http://www.estadao.com.br/noticias/internacional,defesa-de-israel-diz-que-ofensiva-em-gaza-esta-proxima-do-fim,305583,0.htm

    Parabéns ao Estado de Israel, seus governantes ganharam popularidade junto ao povo livre israelita. E qual o preço? Argumentos para os terroristas? La-men-tá-vel… mesmo( mas mesmo mesmo).

    Vampiro, você está muito idealista. Como você, que é um suposto nietzschiano, afirma todas essas coisas sobre morte e ódio, Jesus Cristo! Você me lembra um monge ascético( sinceramente).

    Com os melhores cumprimentos,

    Garganta.

  430. Glorinha

    Gerald,
    o link do documentário não abre….
    []

  431. Glorinha

    Valéria,
    é bom ler vc tb….
    [[]]

  432. Glorinha

    Tene….nada sabemos…assim caminhamos…lugar desconhecido….
    penso um abraço (de tia) e remeto pra vc….
    []

  433. Um pouco à toa

    Essa questão dos árabes reclamarem dos ataques de Israel podeser respondida com uma música que o Pachecão com certeza deve conhecer:

    “BEFORE YOU ACUSE ME, TAKE A LOOK AT YOURE SELF”…

  434. Mauricio - Barretos

    Janciron 09h59
    Sua BIBA MAL COMIDA voce nem lê o que voce copia e cola..

    “A simei, eu gostei do jeito que vc escreve “geito”! Muito bem! Para quem gosta de ensinar! rsrsrsr E quanto a carteirinha eu sugiro: Um emblema com a seguinte frase: (Unidos na rasgarão de seda) seria mais coerente! E Jornalista que se preze, não só pode como deve ter amizades, porem, por ética deve aprender a respeitar opiniões e ao menos aparentar ser imparcial!”

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  435. Tene Cheba

    “Mas cuidado: …para não arrotar ou reciclar bobagens”.

  436. A vida busca um equilíbrio.
    Equilíbrio financeiro
    equilíbrio emocional,
    equilíbrio ecológico,
    um equilíbrio de forças.
    No plano inclinado não tem equilíbrio,
    cada um segura a barra como pode.
    Qualquer descuido, tudo desce ladeira abaixo.
    Estamos sempre nos aprumando.
    Desde que o mundo é mundo é ele tenta se equilibrar.

    Tudo ia muito bem.
    A cadeia alimentar era equilibrada ate que surgiu o homem.
    O animais matam para comer.
    O homem mata por prazer, por vingança, por ideologia,
    por crenças, por amor próprio ferido, por burrice.

    Desequilibrou o meio ambiente, a cadeia alimentar e o emocional.
    Tudo corre ladeira a abaixo com a aceleração da gravidade.
    Quem vai parar esse trem?
    A ponte caiu.
    20:43

  437. Tene Cheba

    Todo cuidado Deus me deu,
    por ser simples, fui expulso,
    não do paraíso, mas do inferno,
    e naveguei, procurei ilhas,
    comi meu peixe, não arrotei.
    As vezes, é preciso olhar,
    as vezes, muitas vezes,
    é preciso ver, olhar mais uma vez,
    olhar antes para ontem e,
    depois olhar para frente,
    não foram as tribos,
    nem fui eu, todavia,
    não arrotem, nem reciclem,
    porque as imagens não transportam as ilusões.

  438. Vampiro.
    Aqui, no Brasil, a força aérea não derruba aviões de traficantes
    que carregam crianças a bordo. Não somos infanticidas.
    Salve a FAB.
    21:14

  439. O Vampiro de Curitiba

    Garganta, numa guerra planejada pelos governos da Síria e Irã com o objetivo de aumentar o preço do petróleo e executada pelo Hamas se escondendo atrás de suas próprias crianças, ser “imparcial” é, no mínimo, covardia.

  440. Ekran

    Lucio jr, gostei da definição do blog :

    11/01/2009 – 11:52 Enviado por: Lúcio Jr
    Como ele mesmo disse, esse é o blog do Thomas! Vc entra e thomas!

    Cristina,
    já tentaram colocar muitas palavras na boca do Nietzsche, não creio que a esta altura dos acontecimentos os pensamentos dele servirão para algum esclarecimento sobre o curso dessa e outras guerras.

    Concordo com a sentença abaixo. E acredito que o trabalho do Gerald vai nessa direção, de re-inventar a realidade. Por isso, o teatro dele é fundamental, assim como o teatro do absurdo de Beckett e Ionesco. Vivemos um absurdo desde o advento das Guerras Mundiais.

    Auschwitz , Dachau , Sachsenhausen, Buchenwald, Flossenbürg , Mauthausen , Ravensbrück , Belzec, Majdanek, Sobibor, Treblinka, Hiroshima e Nagasaki são os “pilotos” desse mundo macabro a que nos acostumamos.

    Gaza é mais um capitulo nessa historia de erros contra a humanidade.

    Os intelectuais capitularam desde a quade do muro, faz 20 anos. Restaram apenas os artistas, e na minha visão, apenas os que atuam nos palcos. Todo o resto são agentes de marketing de grandes empresas e governos mecenas. Os intelectuais não iriam novamente lutar numa Guerra Civil Espanhola. Agora, apenas assistem tudo pela TV a cabo e ganham seus trocados para dar palestras e escrever arigos nas revistas semanais e jornaloes. C´est la vie…

    # 11/01/2009 – 08:43 Enviado por: Cristina
    O intelectual tem que trabalhar com a verdade, e a verdade dói na alma, o artista não precisa ser verdadeiro, pode re-inventar a realidade.

  441. gthomas

    Lucio: Imagina se eu vou discutir Maysa!!! Estou aqui com a MaMa do teatro experimental e nao vivo no mundo da Globo e nem sei do que esta se falando ai….deus me livre. O assunto, estranhamente, aqui foi Billie Holiday,de quem a Ellen foi amiga.

    and IN MY SOLITUDE eu amo o Pacheco!!!

    e agradeco o Vamp pelo esforco em liberar comentarios numa area nada facil

    e outros que me escrevem: tenho que ir agora porque aqui ela nao esta passando bem: esta vendo isso tudo e nao acredita que existe BLOG e nao acredita que existem voces todos.

    LOVE
    Gerald (neve e tudo no chao)

  442. Ekran

    E se eu tivesse que ler alguma coisa nesse momento, seria “O Homem Revoltado” de Camus, ou o “Mito de Sisifo”, ambos já declaravam o que nos esperava ao longo so seculo XX. E que ainda carregamos conosco neste seculo.

    Nietzsche era outro momento, que já passou, e ficamos saudosistas com aquela visão do super-homem, pós-tudo, pós-tragedia, mas isso não aconteceu e nem vai acontecer. Não temos essa super-consciencia, nem a base de psicotropicos, como já atestam os testes diversos feitos por EUA e ex-URSS nas diversas guerras que patrocinaram e nelas fizeram seus experimentos nazistas com seus proprios soldados nos fronts e nas guerras que patrocinaram.

    Ainda estamos na inconsciencia de Freud e Lacan.
    E no absurdo de Camus.

  443. Ekran

    Gerald,

    THANKS pelo link com o documentario.
    Estou assistindo…e rezando…e pensando como esse absurdo poderia ser levado aos palcos, aos livros, a todos que ainda pensam numa paz negociada, longe de uma “solução final”, que sabemos bem aonde levam.

    Axé!

  444. rob

    Cruzes, os sionistas estão em crise ao que parece…

  445. Tene Cheba

    Queridos amigos, Queridos Palestinos,
    Queridos Judeus, Queridos Árabes,
    Queridos mutantes,Queridos Cristãos,
    Queridas crianças, querida esperança,
    queridos escudos, querida importância.
    Queridos amigos, querida paz,
    paz entre nós, paz que me dissolve,
    paz sem bandeiras, paz sem amor,
    paz, apenas paz, sem contradição.
    Querida bandeira, Querida granada,
    mais, muito mais, barulhos, novamente,
    Granadas.

  446. Tene Cheba

    Incaptável ser, impenetrável ser, jamais conquistarei sua ilusão, assim falou Zaratustra. Se não falou deveria ter falado.

  447. …………………………………….Targino……..!……………………………………………..
    ………………………………………………………………………………………………………..
    ……………..Não lembrava que o “MARIVALDA “,……. éra sua….?!
    ………………………………………………………………………………………………………..
    …..Eu achava que éra alguém,….copiando o OLAVO BILAC….!!……
    ………………………………………………………………………………………………………..
    ………………ahahahahha,……disquilpi-mi,…..ok?……………………………..
    ………………………………………………………………………………………………………..
    …………….Pois sempre gostei dos teus,…… COMENT´S..!
    ………………………………………………………………………………………………………
    ………..Dos teus e do Carlão NYC,…..que também sumiu…!!!
    ………………………………………………………………………………………………………
    ………………………………………………………………………………………………………

  448. Tene Cheba

    Obrigado Glorinha.

  449. Oi, GT e pessoal.

    Maysa é uma transa do Fábio e não minha. Meu mundo, meu globo está caindo e o mundo está cada vez mais Maysa. O negócio, G, é que aqui no BR é preciso fazer o revisionismo do revisionismo time-life da moçada abrilhantada.

    Das ist sehr…ich.. Keine zeit.

    morgen.

  450. G: por mim estatizava a globo e virava tv educativa.

    Ia ter o programa do professor Pasquale, do professor contrera, etc, etc e no horário nobre eu ia passar Fanny e Alexander e Circo de Rins e Fígados.

  451. Mau

    500 mensagens, muitos nicks, muitas teorias e muitos links, muita informaçao, minha cabeça tá um deserto do Saara, só areia…vou ficar com a Mama do teatro – não acredito em Blog e não acredito que a GENTE exista…

  452. Reinaldo Pedroso

    Boastful: grafica, fonetica e semanticamente essa palavra é ótima.
    Reinaldo

  453. Reinaldo Pedroso

    11/01/2009 – 15:32
    Enviado por: targinosilva
    Fábio.
    “Para o seu deleite.
    Chovia…
    A noite era alta.
    Eu olhava Marivalda (…)”

    targino
    É sarro, né?
    Reinaldo

  454. Reinaldo Pedroso

    11/01/2009 – 17:12
    Enviado por: Jose Pacheco Filho
    “Nina.
    Pretendo colocar uma pá de cal em 64.(…)

    Que tal uma demão de cal bem branca nos túmulos dos mortos?
    Que tal uma demão de cal bem densa sobre a lista dos desaparecidos?
    Reinaldo

  455. gthomas

    11/01/2009 – 15:12
    Enviado por: McWilliam
    CONFIDENCIAL – What’s behind the masks
    AGAINST CROOKS
    To: Mr. Gerald Thomas
    WARNING:

    –GT: Okay..I hear you.
    (…) still listening.

    YOU: If you have been reached by Ana Guimaraes and if it’s IP is from Tesesina-Piaui, be careful about her intentional approach, she’s a kind of worm that sucks the others blood.

    – GT: I’ve known her for years. I haven’t noticed the IP (were I to start noticing every IP of every incoming email or access, believe me, I’d do nothing else in my life being that I receive something in the order of 1.500 emails per day.
    And what could that intention of hers have been?

    YOU: A little bit of her expertise is shown here :

    http://www.gp1.com.br/noticias/amigos-do-governador-sao-agraciados-com-contratos-suspeitos-31510.asp

    See her name on the page you read “PROCORACAO PARTICULAR”
    Her dirty business helping the public money robbery has been ran for more than 20 years.

    -GT: Please explain. I may seem rather stupid (and this might seem like a confession of sorts!!) But what would such card of well wishes possibly bring? It was a holiday season card. Nothing else.

    YOU:This kind of worms,

    GT- You must mean “THESE kind” in the plural…

    YOU: come across like cool people, cheat and fuck everyone but because it’s in Brazil, they are not in jail.

    -GT: Again, I beg you to explain what this is all about because, like in Samuel Beckett’s prose piece COMPANY, I’m on my back in the dark….
    YOU: I hope this information helps you to avoid further disappointments

    GT: I am very grateful but would be even more so if I had understood one or two words about this alleged scheme!!!!!
    LOVE
    G

  456. OK, Gerald, eu quis dizer que quem introduziu o papo da Maysa aqui foi o Fábio.

    G: a coluna do Nelson motta no jornal da globo tá ótima já falou de roberto carlos, madonna, orquestras, joao gilberto tocando o hino nacional bossa nova (era como se eu ouvisse essa música pela primeira vez!!!!) dê os parabéns para ele!

  457. Reinaldo Pedroso

    11/01/2009 – 14:26
    Enviado por: Garganta
    “CAAAARAAA SAAAANDRAAA,
    SEEE VOCÊÊÊÊ NÃÃÃÃÃÃÃÃÃOOO COOOOMENTAR EUUUU, O MR. THROOOAAATT, VOOOOU LHE ASSUSSSSTAAAAAR À NOOOOITE. EEEEUUUUU VOOOOU COOOORTAAAAAAAAR AAAA SUUUAAAAAA LÍÍÍÍÍÍÍÍÍÍÍÍÍÍNGUAAAAAAA!!!!!!!( OU DEEEDOOOOS) RÁ RÁ RÁ RÁ RÁ RÁ RÁ RÁ RÁ!!!
    MAAAANIFESTE-SEEEEEEEEEEE
    COOOM OS MEEEELHOREEEES CUUUMPRIMENTOOOS,
    MR.THROOOAAAT.”

    Respeito a orientação sexual de cada um. Infelizmente para o Garganta, sou heterossexual.
    Agora, me digam, essa mensagem aí em cima não parece a liberação caricatural de uma traveca enrustida?
    Reinaldo

  458. G: adorei traduzir o do David. Que bom q gostou! se der para ajudar com texto do transvesties, na tradução e adaptação, eu toparia.

    mas aí falaríamos sobre algum geld, porque parece que Stoppard é de difícil tradução; só li Rosencratz and Guildenstern até hj.

  459. Reinaldo Pedroso

    11/01/2009 – 11:46
    Enviado por: Garganta
    “Cara Santanna,
    Analise essa cena que eu preparei: (…)

    Santanna
    Não sei o que tu e o Gerald estão pensando, mas eu não vou responder essa merda.
    Abraço,
    Reinaldo

  460. gthomas

    Lucio, nao disse que a Maysa era coisa sua

  461. gthomas

    ..and by the way THANK YOU for the David George piece once again
    ainda te devo por essa

  462. gthomas

    Engracado

    a KIM’s VIDEO acabou aqui

    estao LIQUIDANDO A LOJA

    ESSE PATRIMONIO NOVAYORKINO ESTA ACABANDO EM ST MARK’S PLACE E O QUE RESTAR VAI PRA SICILIA, A ILHA AO SUL DA ITALIA ( que imbecil que sou, explicando onde eh a sicilia: eh que eu amo tanto a Italia, e Taormina, na Sicilia…e Catania….e Messina. e Jiubilina..oh oh), que tentei ainda comprar Fanny and Alexander mas nao tinha mais

  463. Reinaldo Pedroso

    09/01/2009 – 20:05
    Enviado por: Rosana Wölfl
    09/01/2009 – 18:04
    “Enviado por: Ana
    Garganta, pq não faz você o seu post de adeus? Pode ser nos comments, e a gente finge que não viu.
    ________________
    Ana esta foi muito boa !! concordo plenamente com você.”
    —————————-
    Eu também.

  464. à toa e com sono

    Não conheço a itália, mas alguns italianos. Gente fina!

    Grandes atores, diretores, músicos, escritores,vieram da botinha…

    Mas particularmente, prefiro as italianas…

  465. gthomas

    Lucio: sobre o Travesties do Stoppard esta nas maos do Caetano Vilella (o blog dele esta linkado aqui, escreve pra ele): talvez seja uma boa ideia.

    Reinaldo: te respondo amanha, se eh que alguma questao foi colocada: estou torto de sono

    LOVE
    G

  466. Reinaldo Pedroso

    Linda Lovelace não morreu!
    Ela frequenta este blog com o pseudônimo “Garganta”.
    Reinaldo

  467. Oi, GT. Morreu uma pessoa muito querida do Caetano (Veloso) e grande sambista. Confira aí:

    EDITH DO PRATO
    11/01/2009 4:42 am

    Foi muito emocionante ver Paulinho Daflin segurando o caixão de Edith Oliveira ontem. Ele veio para Santo Amaro para ficar perto do samba-de-roda, da chula, do violão de Roberto Mendes e de todos os mestres anônimos que, para além do mestre maior, Gilberto Gil, ajudaram Roberto a construir e refinar seu estilo. Paulinho tinha vindo para ver e ouvir – e terminou vivendo em Santo Amaro por consideravelmente longo tempo. Já faz longo tempo também que ele deixou a cidade. Comove ver o quanto essa cultura – que Edith encarnava – pode atrair jovens guitarristas brasileiros de toda parte. Havia muita gente no enterro. A maioria era de Santo Amaro mesmo. O grupo Vozes da Purificação cantou na capela. Paulinho Daflin segurou a alça do caixão ladeira acima. (Como eu me lembrei de Carlinhos ao sentir a brisa do alto do cemitério, aonde ele sempre nos chamava para conversar, fugindo do calor! Carlinhos era o filho mais velho de Edith, meu irmão-de-leite, a razão de ela ter podido me amamentar quando o leite de minha mãe rareou. Luciano, o filho mais novo, estava lá. Carlinhos, infelizmente, morreu muitos anos antes de sua mãe).

    Edith viveu 94 anos. Sempre foi alegre e gostava muito das coisas da vida. Para olhar-se no espelho e conferir se a roupa estava boa para ir à praça numa noite de novena, ela percutia com os lábios uma batida de samba e dava uma dançadinha, batendo com as mãos nos quadris: não se reconheceria parada e séria. Tocava o prato-e-faca da história do samba (mesmo no Rio, há velhos que lembram das rodas antigas em que às vezes alguém tocava prato; Moreno, meu filho, é um excelente tocador de prato, inclusive tendo tido de repetir o samba em 5 por 4 que tocou em minha “13 de Maio” para uma gravação de Fiorella Manoia: o prato no samba antecedeu Edith e sobrevive a ela, mas todo esse passado e todo esse futuro veio a depender dela: não é natural para nós, seus parentes, chamá-la – ou ouvir chamarem-na – Edith do Prato, mas sabemos que não é descabido).

    Jorge Portugal e Roberto Mendes estavam conversando lá atrás, entre uns jazigos caiados. Nicinha e Elza choravam muito sós, cada uma tão sozinha quanto se pode estar, apesar de estarem juntas e rodeadas de todos nós. Elas pareciam mais escuras, um pouco menores e quase sem volume. Não era propriamente tristeza o que todos sentíamos. Mas Elza e Nicinha, as irmãs biológicas de Edith, tinham muita tristeza adensando as cores de suas imagens e esgarçando-lhes a matéria. Meu amigo Chico Motta, Jota (meu sobrinho querido), Mabel – todos éramos capazes de conversar com alguma animação. Ao descerem o caixão onde estava o corpo de Edith, olhei para Clara Maria e comecei a cantar baixinho “Viola, meu bem”. De modo muito natural, aprofundou-se um silêncio que fez minha voz ser ouvida – e me fez reforçá-la – e aí todos responderam ao chamado do refrão. Transcrevo aqui a letra inteira desse lindo samba tradicional em homenagem à memória de Edith – e consciente de que Heloisa em particular e os blogueiros nossos aqui em geral lembrarão o Sertão metafísico de Rosa:

    Vou-me embora pro sertão
    Viola, meu bem, viola
    Eu aqui não me dou bem
    Viola, meu bem, viola
    Sô empregado da Leste
    Sô maquinista do trem
    Vou-me embora pro sertão
    Eu aqui não me dou bem
    Ô viola, meu bem, viola.

    Esse “sô” é “seu”, de “senhor”, ou, como escrevia o próprio Rosa (e que eu, o cara legal do “sifo”, que fui agredido por um professor de sobrenome italiano citado aqui por um companheiro nosso equivocado, prefiro), “seo”. Sei que muita gente pode pensar que é “Sou empregado da Leste/ Sou maquinista do trem”, mas não é não. É o cara pedindo ao empregado da Viação Férrea Federal Leste Brasileiro (que tantas vezes me levou de Santo Amaro a Salvador), ao maquinista do trem dessa empresa estatal que foi dizimada por Mário Andreazza durante a ditadura militar (na esteira do rodoviarismo desenfreado que veio como indesejável efeito colateral da industrialização de JK, da qual, aliás, Lula é um resultado direto e muitíssimo menos indesejável), que, por favor, o leve de volta pro sertão: ele não se dava bem na cidade, na zona da mata, no Recôncavo; queria o ilimitado.
    Tantas instâncias comprimidas num parágrafo, todas trançadas, pode parecer despropósito. Mas nada é demais para fazer face ao tamanho do acontecimento que é a morte de Edith Oliveira, minha mãe, minha mestra, minha amiga, meu amor, rainha da vida e, portanto, da história verdadeira do Brasil.

    O cara equivocado que ele cita sou eu, pois divulguei o blog na lista da Unicamp e o professor Sírio Posssenti andou por lá num debate sobre linguística com o Caetano.

  468. Rosana Wolfl
    Peço desculpas.
    Sabe-se a razão melhor. Se não percebeu vale assim mesmo.
    Atribui o vídeo a outro autor.
    Tem razão o Targino quando me chamou de babão.Babão e ainda por cima trocando as bolas.
    Desculpe.
    Obrigado.
    Pacheco.

  469. Garganta

    Caro Vampiro,

    Concordo com você: os terroristas, ditaduras e etc. merecem sumir. Mas eu tive a impressão de que você ignorava ações que, no meu entender, são descabidas e violentas. Porque eu entendo que Israel não procura eliminar o Hamas nessas ações militares, de tal maneira a piorar a situação no Oriente Médio. Abraços.

    Com os melhores cumprimentos,

    Garganta.

  470. Garganta

    Caro Reinaldo Pedroso,

    De fato, abissal, está bem dado o título de SENHOR MEXERICA para você. Você é vazio, eu realmente sinto muito por você. Abraços.

    Com os melhores cumprimentos,

    Garganta.

  471. Lucio Jr.

    Aceite meus pêsames.
    Não vou enfeitar o pavão e entrar com o velho e manjado: Edith se foi porque o céu precisa de sambistas.
    Quero apenas afirmar que tudo que é boa dura pouco.
    Tua querida Edith foi à hora dela.
    Eu gostaria de tela ouvida e visto.
    Pessoas com a descrita são o nosso Brasil.
    O resto… Bem o resto é resto mesmo.
    Obrigado.

    Pacheco.

  472. Garganta

    Caro senhor Mexerica,

    “11/01/2009 – 14:26
    Enviado por: Garganta
    “CAAAARAAA SAAAANDRAAA,
    SEEE VOCÊÊÊÊ NÃÃÃÃÃÃÃÃÃOOO COOOOMENTAR EUUUU, O MR. THROOOAAATT, VOOOOU LHE ASSUSSSSTAAAAAR À NOOOOITE. EEEEUUUUU VOOOOU COOOORTAAAAAAAAR AAAA SUUUAAAAAA LÍÍÍÍÍÍÍÍÍÍÍÍÍÍNGUAAAAAAA!!!!!!!( OU DEEEDOOOOS) RÁ RÁ RÁ RÁ RÁ RÁ RÁ RÁ RÁ!!!
    MAAAANIFESTE-SEEEEEEEEEEE
    COOOM OS MEEEELHOREEEES CUUUMPRIMENTOOOS,
    MR.THROOOAAAT.”

    Respeito a orientação sexual de cada um. Infelizmente para o Garganta, sou heterossexual.
    Agora, me digam, essa mensagem aí em cima não parece a liberação caricatural de uma traveca enrustida?
    Reinaldo”

    São seus olhos.

    Com os melhores cumprimentos,

    Garganta.

  473. Aninomyous

    Esse texto é triste, pois revela algo tipo uma ‘despedida’, uma velhinha de 90 anos em estado grave, também porque passa a sensação de que a humanidade cada vez mais se torna orfan de seus mestres, que vão avançando na idade e que…faz parte deste plano material…o único consolo é que eles passam adiante seus conhecimentos e inspirações, e que ficam no lugar deles outros mestres que nos trazem a esperança da continuidade…meus sentimentos.
    Abraços.

  474. Nina (minha patologia é outra)

    Bom dia a todos!

    Garganta, tua garganta não tá doendo?

    10/01/2009 – 06:05
    Enviado por: Reinaldo Pedroso
    Reinaldo, tem falado muita coisa, com muito sentido, é a isso que me referia, mas acho que já entendeu. Só um conselho de quem simpatiza muito com vc: diga, não revide. Só vale a pena de vez em quando.

    Reinaldo e Pacheco!
    Não está certo colocar cal nisso, vcs estão errados. Se querem esquecer pessoalmente problema de vcs, mas nada de colocar cal, tapar o sol com a peneira. Pacheco, que é isso, se num tá morrendo não meu irmão! Vc disse que eu não entendia 64, então pedi prá me explicar, e vc diz deixa prá lá?
    Ok.
    Se alguém neste blog, viveu de alguma forma os anos de 64, DITA-DURA, por favor, preciso de ajuda para um artigo, continuo pedindo. Tô decepcionada Pachecão. Mas respeito….
    Nynnah.nina@gmail.com

    Ivo…
    pelo amor de qualquer deus que vc acredite…. tu é uma mala meu sr., me desculpe, com todo respeito e educação… escapou. minha tolerância está a zero nesses dias de decisões sérias.
    mas que é é….

    Vamp… saudade… que bom, fiquei um pouco afastada e vi que voltou com tudo. Abraço!

    agora vou ao meu coment de hj

  475. Rosana Wölfl

    PACHECO,

    Bom dia!

    desculpe-me nao entendi , o que é?

    Rosana Wolfl

    e um ano maravilhoso para voce.

  476. Nina

    Neste fim-de-semana, sob o sol maravilhoso, estava lendo um autor chamado Alberto Morávia, italiano. Pois bem, Morávia tem um personagem em um livro, claramente psicopata, chamado Kurt (um oficial da SS). No livro Kurt, utilizando-se de seu poder, conduz um “experimento cultural” fazendo com que os prisioneiros judeus vivessem a trajédia de Édipo in realtà., Ou seja: o prisioneiro era levado a ter relações sexuais com sua mãe e matar seu pai na frente dos outros prisioneiros, como em uma “peça de teatro”. As pessoas são usadas e sacrificadas sem a mínima consideração pela humanidade do outro e sem culpa. As peças de teatro do sr. Kurt eram encenadas para o pelotão da SS.

    (O Mal Absoluto – Peça de Alberto Morávia)

    Chegando em casa fui pesquisar este autor com um amigo na Itália. Pois bem, Morávia nasceu em Roma (1907 a 1990), é um pilar da literatura italiana, escritor, jornalista, exilado po Mussoline, adotando posteriormente o pseudônimo de Alberto Pin Cherle.
    De família hebraica, em sua obra ele explorou a sexualidade humana, a alienação social e o existencialismo em voga na época.
    Foi um homem que viajou o mundo todo, um estrangeiro em qualquer lugar que estivesse, mesmo na Itália. E prá minha grande surpresa, trabalhou e foi amigo pessoal de Pier Paolo Passoline (um de meus gênios marcantes).

    Morávia fala do terror da guerra, sabe do que está falando, tem o “DNA” da guerra como disse Sandra uma vez. Assim como Thomas e assim como eu que não vivi nenhuma guerra.

    Esse teatrozinho perverso que ele descreve, é a barbárie. Existe, é humano.

    Em 1904, Freud escreveu: Tipos Psicológicos no palco. Ele diz que o espectador obtém prazer por meio da identificação com o(s) personagens, em uma espécie de função catártica, do que eu não posso ser nem fazer nem sentir, mas lá está o meu espelho.
    O herói não é louco, torna-se louco aos nossos olhos, como queremos vê-lo (e precisamos). Isso me lembra a última cena de Saló de Pasoline, onde todos nos tornamos perversos, por uma fração de segundos.

    Sim, definitivamente gênios:
    Pasolini
    Freud
    Gerald Thomas

    que marcam minha história, minha identidade, minha subjetividade e minha forma de estar no mundo EM SUAS OBRAS.

    Para quem se interessar por Morávia:

    http://it.wikipedia.org/wiki/Alberto_Moravia

  477. Pachecão.
    Como trocando as bolas?
    Bola 7 na caçapa do meio.
    Acho melhor voce usar um badador.
    Parar de mascar fumo.
    13:55

  478. …………………………………………………………………………………………………………
    …………………………Lúcio flávio jr…………..( o pass. da agonia..)…………
    ………………………………………………………………………………………………………..
    ………………………………….Já que você não “assíste..”,.
    ……………………………………………………maísa,…
    …………………………………………………….e sim,..
    ………………………………………..”..fãny e alexãnder…”,………………………….
    ………………………………………………………………………………………………………..
    ………………….você perdeu a melhór cena da mini-série,…………….
    ………………………………..lógo no 1º capítulo………………………
    …………………………………que foi a porrada da
    ………………………………………….. Brasília,….
    ……………………………………….na ponte rio-niterói..!
    ……………………………………………………………………………………………………….
    ………………………………………A segunda melhór,..
    ………………………………………foi éla cantando na
    ………………………………………….churrascaria,…….
    …………………………………………..e o povo nem
    ……………………………………………………..AÍ
    …………………………………………………com éla,…………………………………..
    ……………………………………………………então,………………………….
    ……………………………..éla arrãnca o sapato e taca no
    ………………………………………………….. “público..”,………………
    ……………………………………………………….foi,…
    …………………………………………………… ótimo..!!
    ………………………………………………………………………………………………………
    …………………E a terceira,…..foi um lapso de dignidade,..
    ………………………………………………DÉLA,……
    ………………………………..com toda sua ÉGO trip,..
    ………………………………….éla não aceita a pensão
    ……………………………………………..do marido
    ……………………………………………. Matarazzo….!!
    ………………………………………………………………………………………………………..
    ………………………………..calma,…chá fólto………………………………………!!
    ………………………………………..(cont)

  479. santanna

    Enviado por: Reinaldo Pedroso
    Santanna
    Não sei o que tu e o Gerald estão pensando, mas eu não vou responder essa merda.
    Abraço,
    Reinaldo

    Oi Reinaldo, boa tarde!
    Eu também não.
    beijo

  480. Garganta

    Cara Nina,

    Talvez meus dedos( não, não estão). Mas só o passatempo de ver pessoas como o senhor Mexerica ( R. Pedroso), que é mais impertinente ( ele nega!; mas ele tem atração pelos meus comentários, porque não cessa de comentá-los[ sai do armário, manu.]) do que a boneca Emília, contradizendo-se, já me pagam. Abraços.

    Com os melhores cumprimentos,

    Garganta.

  481. Garganta

    ERRATA:

    “…já me paga.” ( meio mal! é bem verdade)

    Com os melhores cumprimentos,

    Garganta.

  482. Oi, GT e pessoal.

    Fábio, eu não gosto do Lúcio Flávio do Calmon, dele eu prefiro o Capitão Bandeira contra o Dr. Moura Brazyl, sacou? Esse passa direto no Kanal Brazyl e vc poderá, assim, ter uma oportunidade de ter essa luz.

    Acho que vc é o capitão bandeira aqui. Ou serei eu? Ser ou não ser? É como o nome do documentário da TV CUltura: Gerald Thomas, eis a questão; alguém poderia postar aqui, per favore?

  483. Oi, Pacheco.

    Sabia que foi a PM mineira que deu o primeiro passo do movimento de 64, sob as ordens de Magalhães Pinto? E outra: o comandante da PM era da cidade de Bom Despacho, chamava-se José Geraldo Oliveira, morreu há alguns anos…outra: essa é a cidade onde estou. Ele se arrependeu de ter feito o movimento tempos depois.

    E ninguém dá crédito a ele. Mas na cronologia da revista O Cruzeiro de 65 lhe foi dado crédito. Foi por o link aqui.

  484. Garganta

    Cara Santanna,

    Analise também essa outra cena que eu preparei, por favor:

    Nos campos afastados, Rhett estava com fome e, então, foi caçar:

    Rhett( Garganta): ” Está bem ali, um animal gordo, feio e barulhento, alimenta-se da rasteira relva verde (CURIOSIDADE). Será um bisão? Será um mamute?…. Não, não acredito, você Scarlett (santanna)!.”

    FIM DE CENA.

    Com os melhores cumprimentos,

    Garganta.

  485. ……………..Lucio flávio jr….(..o passageiro que não vê maísa..)………..
    ……………………………………………………..
    ……………………………………………….bom,……………………………………………..
    …………quanto a sua idéia de,…………………..”estatizar..”,…a,…………
    …………………………………………………………………………………………………………..
    ………………………………..REDE GLOBO…………….!…………………………………
    ……………………………………………………………………………………………………….
    ……………………É a mesma coisa que você chegá prô,..
    ………………………………………….GOOBELS,……………..
    …………………………………em pleno 3ª REICH
    …………………………………………e falá…..:
    ……………………………………………………………………………………………………….
    …………….”..oi compãnhêro,….vãmo nas ESTRÉIA do
    ……………………………………………filme
    ………………………………….o Grande DITADOR,
    …………………………………………dum tal de
    …………………………………………….Cháplin….”………………………………….
    ………………………………………………………………………………………………………
    ………………………………………………………………………………………………………

  486. Nina

    Homer Simpson chama muçulmanos de terroristas e gera polêmica
    (da Ansa, em Londres)

    A popular série de desenhos animados “Os Simpsons” gerou polêmica no Reino Unido depois que Homer acusou seus vizinhos muçulmanos de serem terroristas.
    Na nova temporada da série, o pai da popular família norte-americana convence seus amigos de que seus vizinhos vindos do Oriente Médio planejam explodir um centro comercial de Springfield.
    Homer descobre mais tarde que Amid, o chefe da família muçulmana em questão, trabalha para uma companhia de demolição.

    Enfim, tudo é Casseta e Planeta
    tudo é piada
    nada tem limite
    eu até gostava do Homer
    não tenho mais de quem gostar…

    Vou pedir outro UUUUUIVO DO SR. Lobão

    eu não quero mais nenhuma chance
    eu não quero mais REVANCHEEEEEEEE

    (Lobo, sei que anda por aí lendo o blog do Gerald, tá em sampa né mermão… faz outro daquele que se fez na Rua augusta nas primeiras semanas de Dezembro, faz, por favor!!!?????)

    Quando Homer convida a família vizinha para um jantar, demonstra sua ignorância em relação ao Islã, chamando Alá de “Oliver” e Alcorão de “A Coroa”.

    Um porta-voz do Centro Cultural Islâmico e da Mesquita Central de Londres acusou o programa de incentivar o preconceito contra o islã e recomendou que os muçulmanos não assistissem à série.

    Já o criador de “Os Simpsons”, Matt Groening, defendeu o novo episódio ao dizer que os desenhos “trabalham com estereótipos” e “nós tratamos de ser sensíveis a respeito”.

  487. Nina

    Lobo

    my monster, quer dizer my mestre…

    vai, faz outro showzinho na Augusta vai!

  488. ………………………………..Lúcio flávio jr…(..o passageiro sem noção..)
    ………………………………………………………………………………………………………..
    ………………………………….E quanto ao filme,.
    ……………………………………………………………………………………………
    ………………………………..” fãny e alexãnder..”…………………………..
    ……………………………………………………………………………………………
    ……………………………….ser exibido no horário
    ………………………………………… “nóbre..”,…………………………
    ………………………………………………………………………………………………………..
    ….você só precisa dizê,…..quem vai,……… PATROCINÁ………..????
    ………………………………………………………………………………………………………..
    …………………………………..Sê é,…………………..a,……………….
    …………………………………………………………………………………….
    …………………………………….. COLCHÕES trorion,….??!…….
    ……………………………………………………………………………………..
    ……………………………………………………..ou ,…………??!……….
    ………………………………………………………………………………….
    ………………………………………..calmãntes VALIUN,……
    ………………………………………………………………………………….
    ……………………………………………………..ou ,…………………….
    …………………………………………………..ainda,……………………
    ………………………………………………………………………………….
    ……………………………………..” casas de repouso,.
    ………………………………………………..Maísa..”.
    …………………………………………………………………………………..
    ………………………………………………..bobeô,….
    ………………………………………..tu entra na Brasília…!
    ……………………………………………………………………………………………………….
    ……………………………………………………………………………………………………….
    ……..Dá licença,……………………………….né,…..o aguniado…..!!…………..
    ………………………………………………………………………………………………………..

  489. Nina (sentindo cheiro de Lobo no Blog...)

    É só um lobo chorando prá lua
    É só um lobo chorando ao luar
    Não sente fome, não sente frio
    Só sento sede de amar
    É só um lobo vadio
    É só um lobo sem par e sem amor
    É só um lobo sozinho
    Que vai gemendo, gemendo, gemendo, gemendo… sem dor
    É só um lobo tão triste
    E ninguém sabe se ele existe
    Ninguém sabe onde encontrar
    Eu sou um lobo chorando prá lua
    Eu sou um lobo chorando ao luar
    Ninguém sabe se eu existo
    E ninguém sabe onde me encontrar
    Eu sou um lobo vadio
    Eu sou um lobo sem paz e sem amor
    Eu sou um lobo sozinho
    Que vai gemendo, gemendo, gemendo, gemendo… sem dor.

    hahahaha te peguei!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  490. santanna

    Eu só tenho a dizer que a postura do Sr. Ivo Veiga em relação ao Sr. Reinaldo Pedroso depõe contra a imagem do Exécito Brasileiro.

  491. santanna

    Eu só tenho a dizer que a postura do Sr. Coronel Ivo Veiga em relação ao Sr. Reinaldo Pedroso depõe contra a imagem do Exército Brasileiro.

  492. gthomas

    Acabo de publicar um novo artigo

    PANICO DO MUNDO

    estamos la em cima

    LOVE
    G

  493. Valéria

    Eu AMO Fanny e Alexander.

    Há anos eu gostaria de ter escrito uma longuíssima carta pro Bergman, pena que não escrevi.
    Durante muitos e muitos anos era o único artista que eu gostaria de conhecer. Isso desde sempre. É impressionante como alguém pode colocar em cena uma “coisa” que faz parte de vc inteiramente; e a forma como ele colocava, maestrava, era… uma parte de mim. O seu olhar era o meu, não sei dizer como nem quero, vai tudo ficar sem sentido mesmo e ridículo.

    Ai como adoro escrever quando o post já tá no fim, e já tem outro lá em cima…
    Se o Mau vive em marte eu vivo em pós-post.

    inté pra quem não me lerá ah hahah haha

  494. Reinaldo Pedroso

    12/01/2009 – 12:08
    Reinaldo (…)
    Não está certo colocar cal nisso, (…)

    Nina
    “Deu ruído”, eu te explicarei.
    Reinaldo

  495. Reinaldo Pedroso

    11/01/2009 – 17:12
    Enviado por: Jose Pacheco Filho
    “Nina.
    Pretendo colocar uma pá de cal em 64.(…)

    Nina
    “Que tal uma demão de cal bem branca nos túmulos dos mortos?” >>> Que tal uma demão de cal bem branca nos túmulos dos compatriotas “subversivos” mortos homenageando-os?
    “Que tal uma demão de cal bem densa sobre a lista dos desaparecidos?” >>> Que tal uma demão de cal bem densa que torne ilegível a imensa lista de compatriotas “subversivos” desaparecidos; tipo, isso não aconteceu?
    Reinaldo

  496. Reinaldo Pedroso

    11/01/2009 – 17:12
    Enviado por: Jose Pacheco Filho
    “Nina.
    Pretendo colocar uma pá de cal em 64.(…)

    Nina
    Na suposição de estar clara a minha ideologia política de esquerda, vejo que enganei-me, o que escrevi pareceu uma sugestão linear. Tentei ser claro na segunda resposta no post anterior, mas acho que não consegui. Por isso, aqui vai mais uma tentativa.

    “Que tal uma demão de cal bem branca nos túmulos dos mortos?” >>> Que tal uma demão de cal bem branca nos túmulos dos “subversivos” mortos, homenageando-os? (Tipo, reconhecendo o valor do “inimigo”.)
    “Que tal uma demão de cal bem densa sobre a lista dos desaparecidos?” >>> Que tal uma demão de cal bem densa tornando ilegível a lista de “subversivos” desaparecidos? (Tipo, isso não aconteceu.)
    Abraço,
    Reinaldo

  497. franklin albuquerque

    MELHORAS PARA A ELLEN.
    ABRAÇO,

    FRANKLIN

  498. KY

    Não dá para começar mal,afinal um governo que espera suplantar todos os erros cometidos pelo Texano,deve ser composto por gente cuja a transparência seja o reflexo da conduta pessoal.
    http://www.Elpais.com.
    El Senado retrasa la confirmación del nuevo secretario del Tesoro
    Timothy Geithner es investigado por impago de impuestos
    Aunque su confirmación no está, por el momento, amenazada, el próximo secretario del Tesoro estadounidense, Timothy Geithner, no podrá jurar su cargo el día en que el nuevo presidente, Barack Obama, asuma el poder, el próximo martes, puesto que las audiencias para su ratificación por el Senado fueron ayer retrasadas hasta el miércoles como consecuencia de la información sobre el impago de algunos impuestos por parte del nuevo jefe del Tesoro.
    Permitir que o honorável futuro secretário,assuma o cargo diante das denúncias existentes,seria o mesmo que procurar os responsáveis pela crise financeira mundial,sem apurara ás responsabilidades Mr.Alan Greespan.

  499. Maycon gomes

    oi muito emocionante ver Paulinho Daflin segurando o caixão de Edith Oliveira ontem. Ele veio para Santo Amaro para ficar perto do samba-de-roda, da chula, do violão de Roberto Mendes e de todos os mestres anônimos que, para além do mestre maior, Gilberto Gil, ajudaram Roberto a construir e refinar seu estilo. Paulinho tinha vindo para ver e ouvir – e terminou vivendo em Santo Amaro por consideravelmente longo tempo. Já faz longo tempo também que ele deixou a cidade. Comove ver o quanto essa cultura – que Edith encarnava – pode atrair jovens guitarristas brasileiros de toda parte. Havia muita gente no enterro. A maioria era de Santo Amaro mesmo. O grupo Vozes da Purificação cantou na capela. Paulinho Daflin segurou a alça do caixão ladeira acima. (Como eu me lembrei de Carlinhos ao sentir a brisa do alto do cemitério, aonde ele sempre nos chamava para conversar, fugindo do calor! Carlinhos era o filho mais velho de Edith, meu irmão-de-leite, a razão de ela ter podido me amamentar quando o leite de minha mãe rareou. Luciano, o filho mais novo, estava lá. Carlinhos, infelizmente, morreu muitos anos antes de sua mãe).

    Edith viveu 94 anos. Sempre foi alegre e gostava muito das coisas da vida. Para olhar-se no espelho e conferir se a roupa estava boa para ir à praça numa noite de novena, ela percutia com os lábios uma batida de samba e dava uma dançadinha, batendo com as mãos nos quadris: não se reconheceria parada e séria. Tocava o prato-e-faca da história do samba (mesmo no Rio, há velhos que lembram das rodas antigas em que às vezes alguém tocava prato; Moreno, meu filho, é um excelente tocador de prato, inclusive tendo tido de repetir o samba em 5 por 4 que tocou em minha “13 de Maio” para uma gravação de Fiorella Manoia: o prato no samba antecedeu Edith e sobrevive a ela, mas todo esse passado e todo esse futuro veio a depender dela: não é natural para nós, seus parentes, chamá-la – ou ouvir chamarem-na – Edith do Prato, mas sabemos que não é descabido).

    Jorge Portugal e Roberto Mendes estavam conversando lá atrás, entre uns jazigos caiados. Nicinha e Elza choravam muito sós, cada uma tão sozinha quanto se pode estar, apesar de estarem juntas e rodeadas de todos nós. Elas pareciam mais escuras, um pouco menores e quase sem volume. Não era propriamente tristeza o que todos sentíamos. Mas Elza e Nicinha, as irmãs biológicas de Edith, tinham muita tristeza adensando as cores de suas imagens e esgarçando-lhes a matéria. Meu amigo Chico Motta, Jota (meu sobrinho querido), Mabel – todos éramos capazes de conversar com alguma animação. Ao descerem o caixão onde estava o corpo de Edith, olhei para Clara Maria e comecei a cantar baixinho “Viola, meu bem”. De modo muito natural, aprofundou-se um silêncio que fez minha voz ser ouvida – e me fez reforçá-la – e aí todos responderam ao chamado do refrão. Transcrevo aqui a letra inteira desse lindo samba tradicional em homenagem à memória de Edith – e consciente de que Heloisa em particular e os blogueiros nossos aqui em geral lembrarão o Sertão metafísico de Rosa:

    Vou-me embora pro sertão
    Viola, meu bem, viola
    Eu aqui não me dou bem
    Viola, meu bem, viola
    Sô empregado da Leste
    Sô maquinista do trem
    Vou-me embora pro sertão
    Eu aqui não me dou bem
    Ô viola, meu bem, viola.

    Esse “sô” é “seu”, de “senhor”, ou, como escrevia o próprio Rosa (e que eu, o cara legal do “sifo”, que fui agredido por um professor de sobrenome italiano citado aqui por um companheiro nosso equivocado, prefiro), “seo”. Sei que muita gente pode pensar que é “Sou empregado da Leste/ Sou maquinista do trem”, mas não é não. É o cara pedindo ao empregado da Viação Férrea Federal Leste Brasileiro (que tantas vezes me levou de Santo Amaro a Salvador), ao maquinista do trem dessa empresa estatal que foi dizimada por Mário Andreazza durante a ditadura militar (na esteira do rodoviarismo desenfreado que veio como indesejável efeito colateral da industrialização de JK, da qual, aliás, Lula é um resultado direto e muitíssimo menos indesejável), que, por favor, o leve de volta pro sertão: ele não se dava bem na cidade, na zona da mata, no Recôncavo; queria o ilimitado.
    Tantas instâncias comprimidas num parágrafo, todas trançadas, pode parecer despropósito. Mas nada é demais para fazer face ao tamanho do acontecimento que é a morte de Edith Oliveira, minha mãe, minha mestra, minha amiga, meu amor, rainha da vida e, portanto, da história verdadeira do Brasil.

    O cara equivocado que ele cita sou eu, pois divulguei o blog na lista da Unicamp e o professor Sírio Posssenti andou por lá num debate sobre linguística com o Caetano.

  500. Mauricio - Barretos

    Eu já estive apaixonado por um médico, mas ele sumiu; então fiquei meio tristinho, mas agora tomei uma decisão!!!!!!!! – Querem saber minha História? Pois bem; tudo começou quando me filiei ao PT. Na mesma hora senti uma coceirinha na parte traseira, ai, ui, e porque não dizer logo não é mesmo? Uma coceirinha no tóba, ui, ai, quanto mais eu me esfregava, mais coçava, e eu me esfregava daqui, me esfregava dali, e o danadinho mais coçava. Xiiii vou ter que ver do que provem esta coceira: E fui ao Médico: Um cara de bigode me atendeu e a coceira aumentou! Quando me chamaram para a sala de consulta, aiii nem gosto de lembrar queridinha, meus olhos brilharam!!, Um baita loirão me perguntou Com seu vozeirão; – Que o senhor esta sentindo? Eu fiquei sem jeito, por uns instantes, mas enfim criei coragem e respondi. – Estou com uma coceirinha, ai, que vergonha; – que é? Pode dizer!- falou ele. – Ai eu criei mais uma pitadinha de coragem, e disse- apontando o dedinho para o rabo!- Aqui ó! E ele; ai genteeee, me mandou tirar a roupa! E eu mais do que depressinha; depois me mandou ficar de quatro: Nossa esta ficando bom, que maravilha, e começou enfiar o dedo no meu fiofó, e perguntar – dói? – Não eu respondia, ele virava o dedo e eu virava o zóio, ele tornava a virar o dedo e eu virava o zóio de prazer gente. – E ele – dói? – E eu não, ele voltava a virar o dedo e eu suspirava de prazer; que bom genteeee; e ai vai vira dedo e vira zoio que não acaba mais! Que vcs acham? Eu me apaixonei; e passei a marcar exame duas vezes por semana, depois três vezes, depois quatro. E chegou uma época que eu queria marcar um de manhã, e outra de tarde. Estava correndo tudo muito bem, e eu fui tão feliz, era um tal de vira dedo e vira zoio, que me levava as nuvens, e eu me deliciando, mas o danadinho deu o fora do hospital e nem deixou seu endereço! Ó mundo cruel! Estou procurando por todos os consultórios, se vc souber onde esta um doutor lindo de morrer, me avisa quero continuar fazendo exame de próstata! Até mais ver, esta é minha triste historinha, de petista fanático do fiofó coçando!

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in: